A verdade absoluta e a verdade individual

Por Isaias Costa
No dia 21 de agosto de 1989 faleceu um rapaz que sou fã de carteirinha, o mestre Raul Seixas. Um homem talentosíssimo e de uma humanidade que fez dele um ícone, não só na história da música e do rock brasileiro, mas também na mentalidade de muitas pessoas, e me incluo nas pessoas influenciadas por suas ideias.

Foi este rapaz que me inspirou a escrever esse texto aqui. Ele vivia a filosofia do “Faze o que tu queres, há de ser tudo da lei”. Ele era um questionador nato, questionava tudo, desde a existência humana até a política, sociedade, religiões, mitos e por aí vai.

Mas uma das coisas que mais me inspira nele é o seu pensamento sobre a verdade. Para ele não existia uma verdade absoluta para nada. Inclusive ele deixou isso bem claro em entrevistas e em algumas de suas canções, como, “aos 11 anos de idade eu já desconfiava da verdade absoluta…”. Também em outra canção ele diz. “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”. Ele estava querendo dizer que vai definitivamente contra toda e qualquer ideia já preconcebida.

Infelizmente é uma pena ver que a nossa sociedade atual está de certa forma ficando “burra”, porque aceita muitas dessas opiniões formadas. A mídia é uma das grandes culpadas nessa história toda. Ela quer enfiar goela abaixo dos telespectadores as suas filosofias e opiniões, e muita gente recebe essas ideias como verdadeiros “calanguinhos”, balançando a cabeça sem ao menos se questionar um pouco, sem ir atrás de informações consistentes das coisas.

Por esses e outros motivos acho o Raul Seixas um cara revolucionário. Aprendi muita coisa com esse baiano magricelo. Não existe verdade absoluta, só existe verdade individual. Aquilo que você tem como verdade na sua vida, não necessariamente é verdade para outra pessoa.

Um exemplo que gosto de citar sobre a verdade absoluta é sobre os talentos científicos. Muitos dizem que cientista tal é um gênio, mas, o que leva a crer que esse cientista seja realmente um gênio? Será que isso é uma verdade absoluta? Posso afirmar que não. Lógico que existiram muitos cientistas geniais, porém, a maioria, não era genial. Para praticamente todas as grandes descobertas científicas, não existia apenas uma pessoa trabalhando, existia toda uma equipe trabalhando, e o mérito não ficou só para uma pessoa, mas para a equipe inteira. Um exemplo clássico é o cientista Rutherford, ele fez aquelas descobertas do núcleo atômico e das radiações alfa e beta, mas ele não fez sozinho, ao seu lado haviam pessoas brilhantes, talvez até bem melhores do que ele, mas apenas ele é lembrado nos livros e na ciência. Ele não é um gênio, como muitos supõem, mesmo tendo ganhado um prêmio Nobel.

Eu não digo mais que uma coisa é verdade absoluta, sempre penso muito bem antes de afirmar qualquer coisa, pois sei que a minha verdade não é a verdade do outro. Sendo redundante, não existe verdade verdadeira. Só existe verdade individual.

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “A verdade absoluta e a verdade individual

  1. erika

    gostei, genial seus textos sao maravilhosos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s