A geração fat e fast

Por Isaias Costa

Hoje eu vou fazer alguns questionamentos sobre mudanças drásticas que a sociedade vem enfrentando e que está comprometendo totalmente a qualidade de vida das pessoas, é o que eu chamo de geração fat e fast. O que seria essa geração fat e fast? Vou explicar.

A geração fat e fast é a geração de hoje, de pessoas que querem viver a LEI DO MAIS FÁCIL. Tudo aquilo que necessita de TEMPO ou de ESFORÇO, quase todos querem distância. Eu sei que essas são palavras do inglês de tradução fácil, mas vou colocá-las aqui. Fat significa gordo e fast significa rápido, ou seja, as pessoas da nossa geração estão vivendo no modo automático e num sedentarismo como nunca visto em toda a história da humanidade. Às vezes eu chego até a pensar que a modernidade e tecnologia crescem na mesma proporção que o sedentarismo. Eu acho inadmissível uma coisa dessas.

Atividades físicas são como a nossa alimentação! Você passa um dia ou vários sem comer? Garanto que não! Então eu digo que você também não deve passar um dia ou vários sem se exercitar! Mas a explicação para todo esse sedentarismo é a lei do mais fácil. Se exercitar regularmente não é o caminho mais fácil, requer muita determinação e força de vontade. Muita gente quer ter um corpo lindo e perfeito, mas para ter esse corpo você tem que “suar a camisa”. Até hoje eu não entendo como é que tanta gente ainda cai naquelas furadas de medicamentos para emagrecer. Aquilo é um verdadeiro VENENO para o organismo. Eles interferem no nosso metabolismo e funcionamento das glândulas e o resultado disso tudo pode ser CATASTRÓFICO.

A grande maioria dos que embarcam nessa até conseguem emagrecer alguns quilinhos, mas é só deixar de tomar os remédios que logo voltam a engordar, não apenas os quilinhos perdidos, mais ganham vários outros de “bônus”. Eu sempre digo para todos os meus amigos: “Quer emagrecer? Levante essa bunda da cadeira e vá fazer exercícios!”. Esse é o melhor caminho meus amigos, porque os exercícios já são mais do que comprovados que só trazem bem estar. Eu não vou nem perder tempo falando sobre isso porque você já sabe. Vamos ser zelosos com o nosso corpo…

exercícios-físicos

Com o fast é a mesma coisa, principalmente nas cidades grandes. Todos correm atrás do seu sucesso, todos querem crescer e ganhar muito dinheiro, sonhar com aquele belo carro importado ou aquele casarão em um bairro nobre. Eu não condeno nada disso. É bom ter qualidade de vida. Mas o que é ruim é que muitos estão colocando isso como o ESSENCIAL das suas vidas, e não é. Aí que vêm todos os desequilíbrios próprios dessa geração, crises depressivas, doenças respiratórias, cálculos renais, diabetes, pressão alta, taquicardia, pânicos de tudo, etc. Todas essas doenças têm uma explicação. Elas não caem do céu. Elas são fruto do desequilíbrio do ser humano. Vou aproveitar para deixar dois posts interessantes que falam sobre o essencial e sobre o riso como um remédio para a nossa vida. Vale a pena dar um lida, confira…

A beleza da simplicidade

Rir é o melhor remédio

2A Exacerbada Paixão pelos Restos Sociais[F]

Vou concluir falando de relacionamentos, a nossa sociedade está vivendo os fast love (amores rápidos), quero deixar claro que eu não estou condenando o “ficar”, não tem nada demais no ficar, eu acho até interessante. O tempo do ficar é o tempo em que você vai conhecendo um pouquinho o universo da outra pessoa, sem esperar muito dela, ou seja, é um tempo em que não se cria expectativas e não se apega demais a outra, o que acho bastante saudável. Mas o que eu estou falando é daqueles relacionamentos desequilibrados, onde num dia começam a namorar, no outro já estão pensando em casamento e filhos, vem aquela “paixão sem limites” e aquele suposto “amor eterno”, no outro começam as brigas sem fim e no outro a ruptura do relacionamento.

Estou sendo um pouquinho exagerado para dar ênfase a essa história. Esses são os relacionamentos fast love. Essa é a tendência natural desses relacionamentos. Eu gosto muito da metáfora utilizada pelo padre Fábio de Melo para tratar da paixão excessiva. Ele diz: “amor é lenha, paixão é álcool”. Essa metáfora é perfeita porque ela explica esses relacionamentos fast love. O casal começa o relacionamento como um álcool, é aquela explosão de paixão. Mas como todos sabem, o fogo do álcool é volátil, forma uma enorme labareda e logo se apaga, é o que acontece com esses relacionamentos.

Já a lenha não. Ela vai se consumindo bem lentamente e forma um fogo suave e constante, a lenha vai se consumindo pouco a pouco até desaparecer, mas sempre emitindo um fogo constante. Estes são os relacionamentos equilibrados, no qual a pessoa vai conhecendo a outra dia a dia, sem pressa e sem ser invasivo, sem adentrar em territórios que não lhe pertencem nem usando de jogos de manipulação. Também vou deixar outro post em que falo sobre isso.

O campo magnético dos apegados

Portanto. Quero deixar essa reflexão. Precisamos mudar essa sociedade atual, procurando a saúde completa (corpo, alma e espírito) e viver cada coisa no seu tempo, sem querer queimar etapas e ser como o álcool, mas como uma lenha…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s