Arquivo do mês: junho 2013

Só 20 centavos?

Por Isaias Costa

moeda-bronze-aluminio-20-centavos-1945-mbc1n1_MLB-O-189789491_6452

Os governantes idiotas pensam que essas reivindicações são por causa do aumento da tarifa do ônibus em 20 centavos. É muita ingenuidade você não acha? Hoje eu quero compartilhar um pequeno grande texto do jornalista Jô Soares falando sobre os 20 centavos.

JÔ Explica….

Pra quem não entendeu ainda: os vinte centavos, um por um:
00,01 – a corrupção
00,02 – a impunidade
00,03 – a violência urbana
00,04 – a ameaça da volta da inflação
00,05 – a quantidade de impostos que pagamos sem ter nada em troca
00,06 – o baixo salário dos professores e médicos do estado
00,07 – o alto salário dos políticos
00,08 – a falta de uma oposição ao governo
00,09 – a falta de vergonha na cara dos governantes
00,10 – as nossas escolas e a falta de educação
00,11 – os nossos hospitais e a falta de um sistema de saúde digno
00,12 – as nossas estradas e a ineficiência do transporte público
00,13 – a prática da troca de votos por cargos públicos nos centros de poder que causa distorções
00,14 – a troca de votos da população menos esclarecida por pequenas melhorias públicas (pagas com dinheiro público) que coloca sempre os mesmos nomes no poder
00,15 – políticos condenados pela justiça ainda na ativa
00,16 – os mensaleiros terem sido julgados, condenados e ainda estarem livres
00,17 – partidos que parecem quadrilhas
00,18 – o preço dos estádios para a copa do mundo, o superfaturamento e a má qualidade das obras públicas
00,19 – a mídia tendenciosa e vendida
00,20 – a percepção que não somos representados pelos nossos governantes
Se precisarem tenho outros vinte centavos aqui, é só pedir.
PORTANTO, NÃO É SÓ POR CAUSA DOS 20 CENTAVOS…..

É por essas e outras que o que temos a fazer é nos INDIGNAR e correr para as ruas fazendo protestos inteligentes e conscientes. Sempre levando a paz no coração! Compartilhe com os amigos!

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

A mídia manipuladora

Por Isaias Costa

996844_555194044539009_1601628210_n

Eu moro em Fortaleza e estou um pouco mais por dentro do que está acontecendo nesta cidade com relação às manifestações. Na última quarta-feira (19/06/13) houve o jogo entre Brasil e México no estádio Castelão. As manifestações ocorridas para reivindicar sobre os gastos exorbitantes da copa e a corrupção foi uma das mais violentas até agora, mas a mídia manipuladora está fazendo questão de mascarar e encher de confetes a estória toda. Estou aqui hoje para alertar sobre a realidade dos fatos. Eu participei da manifestação e sei que não estou falando asneiras.

Quero dizer que a mídia e, principalmente, a Rede Globo, não está mostrando a realidade. Ela está defendendo os policiais, dizendo que eles estão sendo violentados e feridos. Será mesmo? Veja este vídeo e se questione se isso é verdade?

Eu li notícias dizendo coisas do tipo: “Mais de 50 policiais foram feridos…”. Eu fico puto com tanta mentira sendo disseminada. Mais de 50 policiais feridos ou milhares de reais no bolso dos redatores e editores dos jornais? Eu participei da manifestação em Fortaleza e sei o que vi, policiais extremamente estúpidos e grosseiros. Certo! Realmente alguns manifestantes jogaram pedras nos policias, mas foram pouquíssimos vândalos sem noção! A maioria esmagadora estava pelo propósito das mudanças e da luta por justiça.

Agora vou falar a principal mensagem desse post. A mídia manipula tudo do jeito que ela quer. Uma coisa que percebi, mas praticamente ninguém tocou no assunto foi que durante todo o dia as transmissões por helicóptero só foram permitidas pela rede Globo. Ela proibiu que qualquer outra emissora de TV gravasse as imagens das manifestações! Por que será que ela fez isso hein? Ela fez para mostrar no jornal nacional apenas o que queria. Os jornais focaram a maior parte do tempo apenas no jogo. Mostraram e repetiram várias e várias vezes o gol do Neymar e não mostraram o que estava acontecendo do lado de fora.

Os manifestantes fecharam a BR 116 por mais de 1 hora e ninguém tocou no assunto. O acesso ao estádio ficou comprometido e dificultoso, mas cadê a rede Globo pra mostrar isso? Não! Tem que mostrar o gol do Neymar!

O que eu percebi enquanto estava na manifestação é que as outras emissoras só conseguiram transmitir as reportagens indo até lá de moto. Até mesmo de carro não era possível, porque os acessos estavam todos fechados pelos manifestantes. A única emissora de TV que mostrou um pouquinho mais do que aconteceu foi a rede Record no jornal da cidade.

Eu quero dizer que não devemos acreditar fielmente no que diz a rede Globo. Ela está mascarando muita coisa e devemos prestar muita atenção no que está sendo disseminado por aí. Antes de concluir quero falar outra coisa importantíssima. O Governo Federal já está sabendo que as manifestações estão sendo decididas e programadas pelas redes sociais e como não poderia deixar de ser, ela está tentando de forma mais veemente intervir nelas para monitorar a organização dos movimentos. O objetivo é decidir de forma mais severa como será a intervenção da polícia em cada movimento.

Existe um órgão criado pelo Governo Federal em 1999, chamado ABIN (Associação Brasileira de Inteligência), que monitora tudo que está diretamente relacionado com o bem estar do Brasil. Como as manifestações são consideradas ameaças ao bem estar e à segurança, este órgão vai monitorar as redes sociais bem mais diretamente nesse período. Fiquemos alertas!

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Aves e abutres

Por Isaias Costa

Whitebacked Vultures Feeding on a Carcass

Quero compartilhar uma excelente análise das manifestações atuais feita pela professora de Sociologia Linda Gondim, da Universidade Federal do Ceará. Nesse texto, além das manifestações, ela também faz uma análise política, que é muito importante e necessária. Leia e compartilhe com os amigos!

SOBRE AVES E ABUTRES

Acabo de postar dois relatos – um de Luiz Paulo Montes, jornalista da UOL e outro da jovem Emily Cardoso – que, a meu ver, expressam muito bem o espírito das manifestações recentes. Estas são fruto de uma insatisfação difusa, porém profunda. Que não tenham um foco único é antes uma qualidade do que um problema: afinal, os direitos humanos não dizem respeito a “tudo”?

“A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte”. E saúde, educação, transporte de qualidade. Esses são direitos sociais.
Tem também os direitos políticos e civis: liberdade de expressão e de reunião, acesso à informação, representatividade dos políticos e dos partidos.

Pode-se traduzir esses direitos em alguns princípios e medidas: pela justiça social como princípio orientador do gasto público, pela moralidade e transparência na administração pública, contra as mega-obras e os megaeventos que desviam dinheiro de investimentos prioritários.

Que o movimento não tenha uma liderança e um comando centralizados é uma virtude, não um defeito. Não precisamos de líderes nem de organizações verticalizadas para nos dizer o que fazer. O movimento é plural: os anarquistas são contra a participação dos partidos e dos políticos, posição que eu respeito, mas da qual discordo. Defendo que os partidos e os políticos têm direito de se fazer presentes, desde que se identifiquem com as pautas e objetivos dos protestos. Há que estar atento, porém, aos riscos de eventuais manipulações.

Participantes mais perigosos são as pessoas que apenas querem dar vazão a um impulso cego de destruição. A violência da polícia cria um “caldo de cultura” que incentiva e até acoberta quem se mete nas manifestações simplesmente por querer destruir – inclusive destruir o próprio movimento.

Nenhuma mobilização de massa pode ser completamente controlada. Contudo, quem tem acompanhado os comentários e articulações nas redes sociais pode facilmente perceber que a grande maioria dos manifestantes se posiciona contra o vandalismo, a depredação do patrimônio público, as provocações à polícia. Atos de contenção, solidariedade e reparação têm acontecido, ainda que não recebam o merecido destaque da mídia: estudantes retornaram ao centro do Rio para limpar destroços; moradores abrigaram e socorreram manifestantes acuados ou feridos pela polícia no entorno do Castelão, em Fortaleza. E, por toda parte, pessoas se dirigiram aos arruaceiros pedindo moderação.

Ser a favor da paz e contra a violência não significa aceitação passiva de “regras” arbitrárias que visam cercear a liberdade de expressão. Para impedir a ocupação de espaços públicos, a polícia tem atuado de forma descontrolada, atacando não apenas manifestantes como jornalistas, transeuntes e, como se pode constatar nos depoimentos que postei, até torcedores.

“A praça é do povo, como o céu é do condor” – mas bandos de abutres armados descem sobre pássaros que saem das gaiolas para cantar suas canções de protesto.

No caso da manifestação de Fortaleza, o governo chegou ao absurdo de aumentar a faixa de “segurança” imposta pela Fifa. Esta também “proibiu” manifestações políticas nos estádios. E a soberania nacional, por onde anda?

Acho completamente equivocada a análise que considera expressões “nacionalistas” como indicação de um possível reacionarismo do movimento. Cantar o hino nacional e vestir-se com a bandeira são práticas que apontam para o uso de símbolos identitários que podem unir uma comunidade em luta. E a propósito, o movimento tem atraído apoio internacional e fomentado demonstrações em outros países, além de mobilizar símbolos do Occupy Wall Street.

Para quem assistiu ao uso do futebol como estratégia de propaganda da ditadura na Copa de 1970, a aceitação popular dos atuais protestos contra os gastos excessivos com a Copa tem um gostinho especial de revanche.

Que a mídia e jornalistas conservadores tenham passado a elogiar o movimento não é motivo para considerá-lo suspeito. Obviamente, a chamada grande imprensa quer usar manifestações sociais e fatos políticos em favor dos interesses que defende, mas a manipulação tem seus limites na própria opinião pública. Esta tem outros canais de expressão além dos jornais e da televisão, como as redes sociais e os protestos nas ruas. E convém não esquecer que a própria mídia não tem convicções, nem posições monolíticas. A Globo mudou de postura no caso do movimento “Diretas Já”, quando este assumiu dimensões massivas. Na eleição de 1989, o Jornal Nacional manipulou as cenas do debate entre Collor e Lula, mas na eleição de 2002, Fátima Bernardes foi extremamente simpática quando entrevistou Lula.

Não enxergo nenhum “golpismo” enrustido no movimento que começou pelo “passe livre”. Um artigo postado no Face chegou mesmo a compará-lo às manifestações da direita pré-1964 (“Marcha da família com Deus pela liberdade”). Acontece que naquela época, a classe média reacionária apoiava ou respondia a uma clara articulação dos militares e da grande burguesia contra as lutas populares e o titubeante governo de João Goulart, que contava com a “burguesia nacional” para defender as “reformas de base”.

A conjuntura atual é bem diferente. Estamos numa democracia e a própria essência do movimento, pluralista e horizontal, recusa qualquer solução autoritária. Criticam-se os governos e questiona-se a representatividade de políticos e de partidos em geral, mas não vejo nenhuma “conspiração da grande burguesia” contra o governo do PT – que também é apoiado por setores da direita, como o nosso governador Cid Gomes.

Os governos petistas não são criticáveis por suas conquistas sociais – que são inúmeras – mas por não tê-las expandido de modo a garantir serviços públicos de qualidade. Mas essa é uma opinião minha, pois as críticas dos manifestantes nas ruas e no espaço virtual não têm endereço certo. Como já disse, tratam-se de direitos humanos, e não de plataformas políticas.

Até agora não vi nenhum cartaz, nenhum post, nenhum panfleto pedindo o impeachment de Dilma ou coisa parecida. Em São Paulo, os protestos foram dirigidos tanto ao governador Alckmin, do PSDB, como ao prefeito Haddad, do PT.

Não se trata de substituir um grupo partidário por outro, pois o alcance do movimento é bem maior: queremos mudar o capitalismo e instaurar uma nova forma de fazer política.
Sonho? Utopia? Esperança? O certo é que, aqui e agora, chega de “realismo” na política!

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Faça acontecer

Por Isaias Costa

tn_620_600_08.05_-_bolt_chegando

Hoje serei bem breve! Quero apenas compartilhar um texto bem interessante que li outro dia, falando sobre ser um vencedor. Esse texto fala sobre coisas que já tratei, mas é sempre bom ver sob outra perspectiva. Uma coisa que percebo bastante no texto é sobre os RECURSOS. Todos nós temos os recursos necessários para atingir o sucesso, basta identificá-los e desenvolvê-los. Boa leitura…

Quase não existe diferença visível entre o atleta vencedor e o que chega por último. Ambos possuem o mesmo número de músculos para trabalhar. Ambos jogam com as mesmas regras e usam equipamentos semelhantes.

Porém, o vencedor é o que tem a determinação de vencer. O vencedor é aquele que faz o que é preciso, treina dia após dia, esforça-se um pouco mais a cada treino, é capaz de visualizar sua passagem pela linha final à frente do resto.

Tanto o vendedor melhor pago quanto aquele que raramente realiza uma venda possuem os mesmos talentos e recursos.

A diferença está no que eles fazem com o que têm.

Tanto o escritor que mais vende quanto o que nunca publicou nada possuem o mesmo dicionário cheio de palavras para trabalhar. A diferença está no que eles fazem com o que têm.

Você já possui a matéria-prima para o sucesso e a realização. Você possui o necessário para atingir a grandiosidade em tudo que você quiser. Você tem dentro de si o potencial para conquistas extraordinárias.

Ninguém é mais nem menos equipado para o sucesso do que você. Mas é você quem deve fazê-lo acontecer, e é quem tem que assumir o compromisso e fazer o que for necessário para atingir a grandiosidade de que é capaz.

Você tem o que é preciso. Faça acontecer…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Reivindicar com sabedoria

Por Isaias Costa

Manifestações-de-solidariedade-ao-Brasil-espalham-se-pelo-mundo-6

O Brasil está passando por dias bastante intensos e conflituosos. Eu pretendo contribuir com o que julgo ser viável para que essas reivindicações surtam efeito. Eu estou muito feliz que as pessoas estão saindo do marasmo e da acomodação e lutando de verdade pelos seus direitos, mas neste post quero frisar uma coisa que ainda está faltando para que estas manifestações sejam as melhores que o país poderia ter. Está faltando SABEDORIA, vou explicar melhor.

A maior parte dos manifestantes está protestando de forma pacífica, porém, um grupo ínfimo de baderneiros sem noção está desvirtuando essa manifestação tão bonita e conscientizadora. A paz meus amigos! Ela pode fazer com que esse movimento seja uma verdadeira revolução. Eu sempre gosto de citar Jesus Cristo em meus textos. Ele foi o mestre dos mestres e fez a maior revolução da Terra, a do AMOR. Ele dividiu a história e seu nome e palavras ficarão para sempre. Ele mesmo disse: “Céus e terras passarão, mas as minhas palavras não hão de passar…”. Vamos pegar o exemplo de Jesus e raciocinar! Ele era econômico nas palavras e tudo que falava tinha uma profundidade imensa. Ele conquistava as pessoas e as levava a mudança mais com seus gestos e comportamento do que com as palavras.

Por que eu estou dizendo isso? Para mostrar que a verdadeira revolução acontece na CONSCIÊNCIA. E elevando a consciência as soluções virão muito mais rapidamente e sem maiores conflitos. Imagine os manifestantes reivindicando dessa forma? Utilizando o diálogo ao invés da força? Falando menos e agindo de forma sábia? Dessa forma tudo pode ser melhor. Tem uma frase do Napoleão Bonaparte que acho perfeita, certa vez ele disse: “Alexandre, César, Carlos Magno e eu mesmo fundamos impérios. Mas de que dependiam essas criações de nosso gênio? Da força. E foram todos efêmeros. Somente Jesus Cristo fundou um império sobre o amor, e até hoje milhões morreriam por ele”. Reflexão profunda e verdadeira! Pensar, falar e fazer como Jesus é o caminho para a revolução.

Essas manifestações são o início de uma grande transição no mundo. Estou bem contente porque há um mês eu tive uma espécie de “vislumbre” dos dias atuais. Em outro post eu falei que sentia o mundo em transição e realmente está, o nível de consciência das pessoas está aumentando e só agora que as vozes estão começando a ecoar com força e distância. O texto se chama “Um mundo em transição”. Se você ainda não leu, o link está logo abaixo.

https://paralemdoagora.wordpress.com/2013/05/19/um-mundo-em-transicao/

Existe um filósofo chinês chamado Lao Tse que propôs uma filosofia inovadora e muito profunda chamada NÃO AGRESSIVIDADE INTELIGENTE. Esse conceito pode nos dar a sabedoria necessária para encarar essas manifestações. As pessoas devem ir às ruas sim, isso é a AÇÃO. Só com ação é que os problemas podem ser resolvidos. Agora as pessoas devem ir utilizando esta não agressividade inteligente. Veja as palavras desse grande filósofo.

“O melhor soldado não ataca. O lutador superior vence sem violência. O maior dos conquistadores vence sem esforço. O gerente mais bem sucedido dirige sem impor. Isso é chamado não agressividade inteligente. Isso é chamado superioridade dos homens”.

Também vou deixar o link em que escrevi sobre isso. Confira…

https://paralemdoagora.wordpress.com/2013/05/18/a-nao-agressividade-inteligente

Fé em Deus, Luta, Ação, Sabedoria, Paz, Inteligência. Essas palavras estando no centro do propósito dos manifestantes de todo o Brasil farão a diferença e tornarão esses dias históricos e eternos…

“Não adianta olhar pro céu, com muita fé e pouca luta. Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve, você pode, você deve, pode crer. Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver. Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu, não quer dizer que você tenha que sofrer!”.

Até quando! Essa música é uma verdadeira profecia! Escute e lute! Vamos reivindicar com sabedoria! A gente muda o mundo na mudança da mente…

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Produzir pérolas

Por Isaias Costa

perola

Hoje eu quero compartilhar um belíssimo texto do mestre Rubem Alves em que ele fala sobre as ostras, que toda ostra só produz pérolas quando é ferida.

“Uma ostra que não foi ferida não produz pérolas.”

Pérolas são produtos da dor; resultados da entrada de uma substância estranha ou indesejável no interior da ostra, como um parasita ou grão de areia. Na parte interna da concha é encontrada uma substância lustrosa chamada nácar. Quando um grão de areia a penetra, ás células do nácar começam a trabalhar e cobrem o grão de areia com camadas e mais camadas, para proteger o corpo indefeso da ostra. Como resultado, uma linda pérola vai se formando. Uma ostra que não foi ferida, de modo algum produz pérolas, pois a pérola é uma ferida cicatrizada.

O mesmo pode acontecer conosco. Você já se sentiu ferido pelas palavras rudes de alguém? Já foi acusado de ter dito coisas que não disse? Suas ideias já foram rejeitadas ou mal interpretadas? Você já sofreu o duro golpe do preconceito? Já recebeu o troco da indiferença?
Então, produza uma pérola ! Cubra suas mágoas com várias camadas de AMOR.

************

Infelizmente, são poucas as pessoas que se interessam por esse tipo de movimento. A maioria aprende apenas a cultivar ressentimentos, mágoas, deixando as feridas abertas e alimentando-as com vários tipos de sentimentos pequenos e, portanto, não permitindo que cicatrizem.

Assim, na prática, o que vemos são muitas “Ostras Vazias”, não porque não tenham sido feridas, mas porque não souberam perdoar, compreender e transformar a dor em amor. Um sorriso, um olhar, um gesto, na maioria das vezes, vale mais do que mil palavras!

Essas belíssimas palavras vêm nos ensinar que devemos retribuir todo tipo de mal com o bem. Eu acredito profundamente nessas palavras. São tantas as pessoas que disseminam o mal ou que já perderam as esperanças que muitas vezes parece algo utópico ou conto de fadas acreditar que os seres humanos possam ser como as ostras. É possível sim, mas tenho que dizer que isso é mais uma coisa que está no campo das grandes escolhas da vida. Eu ESCOLHO seguir o caminho do bem.

Sabe qual foi a ostra mais bela e perfeita que já habitou o planeta Terra? Seu nome é Jesus Cristo. Toda a sua vida, seu comportamento, suas palavras e gestos foram fundamentados no AMOR, a maior força que existe. Ele sempre retribuía todo tipo de mal com o bem e a maior prova de amor que um ser humano poderia dar à humanidade foi presenciada na sua morte na cruz. Na época em que ele veio ao mundo a sociedade estava em crise, os povos estavam se digladiando, imperava a política do “olho por olho, dente por dente” e a esperança estava distante da vida de muitas pessoas. Jesus veio para dar esperança. Uma belíssima frase dita por ele é conhecida por toda a humanidade, mas esquecida no dia a dia: “Eu venci o mundo...”. Essas 4 palavras tem um poder imenso. Se ele venceu o mundo, você que me lê agora também pode, quando Jesus disse essas palavras foi para encorajar as pessoas e dar-lhes esperança.

Na cruz, Jesus falou uma das frases mais complexas e profundas já ditas em toda a história: “Pai! Perdoa-lhes! Porque eles não sabem o que fazem…”. Os soldados de Jerusalém mataram o ser humano mais dócil, compassivo, amoroso, sensível e sábio da Terra e fizeram isso sem entender o porquê. A prova de amor de Jesus não tem palavras que possam descrever! É algo que foge completamente a compreensão humana, entra em uma esfera muito maior do que a própria inteligência.

Estamos passando por tempos de crises e violências. Acho que nesse momento o que mais devemos nutrir é o AMOR. O amor é que dá sentido à vida e a torna um espetáculo. Vou deixar uma música que adoro e fala sobre o cultivo do amor, como o de Jesus, a música, “O sentido”, da banda Catedral.

Para concluir essa reflexão quero compartilhar também duas frases que lembro praticamente todos os dias. A primeira é bem conhecida, da Madre Teresa de Calcutá: “O que eu faço pode ser só uma gota d’água no oceano, mas sem essa gota o oceano seria menor” e a segunda é do pensador oriental Tagore: “Sê como o sândalo, que perfuma o machado que o fere”. As duas frases falam a mesma coisa, que é a ideia central do texto do Rubem, oferecer o que temos de melhor aos outros, independente de qualquer coisa. A maior parte das pessoas desenvolve rancores, raivas, vinganças e outros sentimentos destrutivos porque não vivem esses ensinamentos tão bonitos e ricos. Vamos mudar nossas perspectivas! Vamos ver o mundo e as pessoas sob a ótica do amor, e sempre que vierem os sofrimentos e dores, que são inevitáveis, ofereçamos pérolas como retribuição. Tenho certeza que dessa forma o mundo pode se tornar um lugar infinitamente melhor de se viver. Pense sobre isso…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized

As pessoas são dádivas

Por Isaias Costa

05

Dádiva é uma das palavras mais bonitas que existe na língua portuguesa, significa dom ou presente, e a partir dela vou deixar um texto belíssimo que li recentemente. Um texto de autoria desconhecida chamado: “As pessoas são dádivas”.

“As pessoas são dádivas de Deus para mim. Já vêm embrulhadas, algumas lindamente e outras de modo atraente. Algumas foram danificadas no correio; outras chegam por “entrega especial”. Algumas estão desarmadas, outras hermeticamente fechadas.

Mas o invólucro não é a dádiva, e essa é uma importante descoberta. É tão fácil cometer um erro a esse respeito, julgar o conteúdo pela aparência.

Às vezes, a dádiva é aberta com facilidade; algumas vezes é preciso a ajuda de outros… Talvez porque tenham medo, por já terem sido magoadas antes. Pode ser que já tenham sido “abertas” e depois “jogadas fora”. Por isso se sentem mais como “coisas” do que pessoas “humanas”.

Sou uma pessoa como todas as outras, também sou dádiva. Deus encheu-me de uma bondade que é só minha.

Contudo às vezes, tenho medo de olhar dentro de meu invólucro. Talvez eu não confie em meu próprio conteúdo. Ou pode ser que eu nunca tenha realmente aceitado a dádiva que sou.

Todo encontro e partilhar de pessoas é uma troca de dádivas. Minha dádiva sou eu; a sua é você. Somos dádivas um para o outro…”

chuva21

Esse texto está falando de um tema universal, O SER HUMANO. Todos nós somos dádivas. É incrível como muitos não acreditam nisso. Se todos tivessem essa convicção, acredito que viveriam de forma muito mais plena, vivendo com intensidade cada momento da vida. É interessante frisar aquelas pessoas que sofrem do risco de querer agradar a todos. Eu acho esse tema extremamente relevante e escrevi um post falando sobre isso, normalmente aqueles que querem agradar todo mundo não se sentem dádivas, deixam-se ser massacradas pelos aproveitadores e sanguessugas. Ser dádiva é bem diferente de ser miss simpatia ou mega talentoso, é ser simplesmente você mesmo, sem máscaras, se mostrando tal qual é.

O risco de querer agradar a todos

Entendendo a solidão

Outro grande ensinamento desse texto é com relação às impressões que temos das pessoas. Normalmente acontecem duas coisas, ou criamos expectativa demais ou tachamos de mil e um adjetivos torpes. Raramente olhamos para uma pessoa e a vemos tal qual ela é. Eu estou há certo tempo no firme propósito de não julgar as pessoas. Esse é um exercício muito difícil, afinal, somos seres humanos, erramos muito, todos os dias, mas aprendemos com os nossos erros! Eu julgo muita gente sem trocar com elas uma única palavra, é um defeito meu, mas tenho consciência dele e tento melhorar a cada dia. Vou também deixar um post que escrevi falando sobre as impressões que temos das pessoas e dando um exemplo que aconteceu comigo.

A primeira impressão não é a que fica

Enfim. Esse é um belo texto para se refletir sobre as pessoas, mas principalmente sobre si mesmo. Nós somos dádivas e devemos ter consciência disso. Eu vou aproveitar para fazer um pouco de “lavagem cerebral positiva”. Faça um exercício de dizer no mínimo umas 20 vezes por dia, “Eu sou uma dádiva. Eu sou uma dádiva. Eu sou uma dádiva. Eu sou uma dádiva. Eu sou uma dádiva. Eu sou uma dádiva….”. Eu já fiz esse exercício da lavagem cerebral positiva com outras coisas e posso garantir que funciona! Faça-o e confirme o que estou dizendo aqui!

  • Breve áudio com reflexão a partir desse texto

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Quanto vale um professor?- Parte 3

Por Isaias Costa

$$$$$brazil

Para encerrar a discussão sobre os professores e a educação deixo logo uma pergunta: “Por que o salário dos professores é tão baixo?”. Essa pergunta leva a grandes reflexões. Vamos lá…

Quanto vale um professor – Parte 1

Quanto vale um professor – Parte 2

O salário dos professores é baixíssimo porque os políticos e governantes querem alimentar a mediocridade. Imagine! Pense comigo! Uma pessoa que optou pelo caminho do magistério, se desistir de ser professor o que fará? Essa pessoa provavelmente seguirá uma carreira em um emprego que não lida com o PENSAMENTO CRÍTICO e formação de pessoas. Eu já conheci pessoas que deixaram de ser professores por falta de estímulo e sei o que se tornaram depois disso. Entraram em empregos “mais ou menos” e nunca mais fizeram as pessoas elevarem o nível de consciência. Viu o resultado? Os políticos soltam rojões dentro de si a cada professor que desiste do magistério. Um professor a menos são milhares de reais a mais em seus bolsos, e assim, uma sociedade mais desequilibrada e infeliz.

Meu desejo com esse texto é fazer você refletir sobre a nossa sociedade e sobre a importância dos professores para o seu crescimento. Vendo a reportagem, eu refleti sobre a carga horária dos professores e vereadores. Uma parte da reportagem falava sobre os salários, analise os valores!

“Se a lei for mantida, um professor de Juazeiro do Norte que tem graduação e cumpre 20 horas de aula por semana vai receber R$ 887,34 por mês. Os mesmos vereadores que aprovaram a lei ganham R$ 10.012,00 para participar de duas sessões plenárias por semana.”

Os professores trabalham 20 ou 40 hs semanais, fora as muitas vezes em que tem que estudar novos assuntos, pesquisar coisas diferentes para ministrar as aulas, participar de seminários, elaborar provas, corrigir provas, etc etc. Além das aulas ainda tem muitos “extras”. Já os vereadores se reúnem na câmara duas vezes por semana ganhando um absurdo. Detalhe! Muitas vezes eles faltam as reuniões por banalidades e não são punidos ou advertidos por isso! Você acha isso justo? A resposta é simples e óbvia. NÃO.

TERRA

Eu sou um sonhador nato e quero agora lhe levar a refletir sobre o futuro. Imagine como seria a sociedade se a educação fosse a maior prioridade? Se essa sociedade existisse, seria mais ou menos assim…

As pessoas se respeitariam mais, as leis seriam criadas e respeitadas por todos, o conhecimento serviria para desenvolver a sociedade, para torná-la mais humana e justa, não haveriam disputas por poder nem falcatruas para conseguir esse poder, as pessoas seriam mais serenas, um sentimento de paz e prosperidade tomaria conta do planeta, não haveriam mais guerras porque todos os dilemas, desavenças, desentendimentos, frustrações, complexos, etc, seriam combatidos com uma arma muito mais potente do que uma bomba atômica, a palavra, as pessoas desenvolveriam o diálogo e o nível de comunicação entre elas atingiria um nível muito acima do que podemos imaginar hoje. As pessoas seriam mais saudáveis fisicamente, pois em um ambiente harmonioso e feliz não há espaço para doenças. Os relacionamentos seriam mais saudáveis também, pois onde há harmonia os relacionamentos dão certo, pois são fundamentados no diálogo e no respeito humano. A natureza seria mais preservada, pois o conhecimento nos levaria a essa tomada de consciência de que os bens da natureza são para todos e devem ser divididos com equilíbrio entre as pessoas, de forma igualitária, segura e com propósitos apenas de bem estar e não de lucro pessoal, etc.

A educação tem o poder de mexer com tudo isso que citei e muito mais, e quem é que está diretamente relacionado a isso? O professor. Será justo reduzir o salário de quem já não ganha praticamente nada e trabalha com o futuro do país? Será justo um vereador ganhar rios de dinheiro e ainda assim dizer que tem que fazer contenção de despesas para um município atacando diretamente a classe dos professores? Será justo o nosso país e o planeta inteiro continuar com tanta mediocridade, sendo que o caminho para reduzir isso está na educação? Repito as palavras do Alexandre Garcia: “O que vale mais? Quem faz as leis ou quem faz o futuro?…”. Pense sobre isso…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Quanto vale um professor?- Parte 2

Por Isaias Costa

teacher

No post passado eu coloquei a reportagem que falava sobre a redução no salário dos professores municipais de Juazeiro do Norte e falei sobre a nobre profissão do professor.

Quanto vale um professor? – Parte 1

Por que os políticos e governantes não investem mais em educação? Essa pergunta é bastante polêmica e poucos são os que têm coragem de falar e se expressar. Vamos nessa!

Os políticos não investem em educação porque ela LIBERTA as pessoas da IGNORÂNCIA, e é muito mais fácil influenciar uma população ignorante do que uma população consciente. Um cidadão consciente não cai nos discursos demagógicos da maior parte dos políticos, que prometem céus e terras com o objetivo egoísta e maquiavélico de terem o poder para si. Os políticos conquistam o poder, mais quase todos não conquistam a maior riqueza que existe, o EU INTERIOR. A conquista de si mesmo é algo totalmente atrelado à honestidade. Eles são prisioneiros de si mesmos e de suas riquezas materiais. Eu não preciso fazer uma pesquisa ou um estudo minucioso para saber que eles não são mais felizes do que eu ou você que me lê agora. Eu posso não ser um milionário, mas tenho riquezas que transcendem as riquezas matérias dos políticos. Eu tenho relacionamentos ricos, um conhecimento rico, espiritualidade, paz de espírito, uma saúde completa, etc.

Os vereadores fazem as leis! Sabe de uma coisa que nem todos param pra pensar? Muitos desses políticos têm um nível de escolaridade ínfimo, vários nem concluíram o ensino médio, ou até mesmo o fundamental. Como podem criar leis justas e igualitárias pessoas que não buscam o crescimento intelectual, humano, social e espiritual? É praticamente impossível, existem exceções, mas são raras. A nossa sociedade é medíocre e essa mediocridade já começa com os próprios políticos, muitos não sabem escrever o próprio nome. Pense um pouco sobre isso…

Eu tenho levado os meus leitores a refletirem sobre a MEDIOCRIDADE sempre que posso, e quero tocar de novo neste assunto. A maior parte das pessoas se enquadra no grupo dos medíocres, aqueles que “seguem a boiada”, aqueles que são “Maria vai com as outras”, que seguem a estrada trilhada e que fazem “Mais do mesmo”. Os políticos adoram isso e querem proliferar essa mediocridade. Como eles fazem isso? Muito simples! Eles colocam LIXO na mente das pessoas! E quem só recebe lixo acaba pouco a pouco se transformando em lixo, do jeito que eles querem.

A mediocridade das pessoas

Quais os programas de TV que transmitem BOA CULTURA? Praticamente nenhum, não é? Os que transmitem cultura estão em horários que a MASSA não assiste, como é o caso do “Globo Ciência” às 6:30 hs ou o “Programa do Jô” de madrugada, à 0:30 hs? Por que será que esses programas são transmitidos essa hora, hein? Acho que você já sabe a resposta!

Essa é outra coisa que já falei algumas vezes aqui no blog. Os políticos comandam tudo, e como não seria diferente, a televisão. Eles querem embrutecer as pessoas e retirar delas a esperança de um futuro melhor e de um mundo melhor. Eles enchem a TV aberta de comerciais, para as pessoas afogarem as suas frustrações pessoais fazendo compras e ficando endividadas, com cartões de crédito estourados, devendo a “Deus e o mundo” e fazendo quem já é rico se tornar ainda mais rico. O buraco é profundo meus amigos, e já está passando da hora de acordarmos.

A programação da TV brasileira mostra desgraças na maior parte do tempo e isso acontece exatamente para que percamos a esperança, o encanto pela vida e cresça o desequilíbrio entre as pessoas e a própria sociedade. Uma vez eu coloquei o link de um texto extremamente conscientizador falando sobre as notícias ruins e seus impactos nas pessoas. Vale muito a pena conferir, vou deixar o link com o texto.

http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=33765

Quero frisar algumas palavras-chave que circulam na ideologia dos políticos e que mais eles desejam para a população. Eles querem uma sociedade DESPOLITIZADA, DESORGANIZADA, ACOMODADA, CONFORMADA E COM BAIXA AUTOESTIMA. Esse é o desejo da maioria dos políticos. Uma sociedade despolitizada naturalmente é desorganizada, pois as leis são criadas e não cumpridas, os que fazem as leis não são cobrados ou mesmo as fazem com fins de autopromoção, ou seja, para lucro e ostentação pessoal. Uma população despolitizada fica à margem de tudo que acontece em termos de leis, direitos e deveres, com isso eles literalmente manipulam as pessoas, em outras palavras, “fazem a festa”. Com a desorganização as pessoas se acomodam, ficam com aquele pensamento medíocre e idiotizado: “Eu não posso fazer nada…”, ou “Já está tudo ruim mesmo! Deixa como está!”, etc. É muito fácil pensar assim! Para pensar assim basta estar vivo. Se eu quisesse pensar assim nem estaria aqui escrevendo isso para você refletir…

Mais do mesmo

Com a acomodação vem o conformismo, aquele pensamento de achar que “Nada pode ser mudado…”, ou “Estamos no caos e não há nada que possa ser feito…”. Errado! Pode sim ser feito muita coisa! Que tal começar por VOTAR em políticos que não sejam pilantras? Pode ter certeza que esse já é um ótimo começo! São poucos, mas ainda existem políticos que se importam com a educação, como é o caso do Cristovam Buarque ou o Eduardo Suplici, por exemplo. É muito bom refletirmos sobre em quem estamos votando, porque é o futuro do país que está em jogo. Pense sobre isso…

No próximo post eu vou falar sobre o equilíbrio do ser humano e sobre o futuro do país com o investimento em educação e nos professores. Até breve…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Quanto vale um professor?- Parte 1

Por Isaias Costa

professores-2013

Essa semana eu soube de uma notícia que me deixou absolutamente indignado. Os vereadores da cidade de Juazeiro do Norte, no Ceará, decretaram uma medida de redução de até 40% no salário dos professores do município. A reportagem foi transmitida no jornal “Bom dia Brasil” da rede Globo e eu fiz questão de colocar a reportagem na íntegra para que você assista. São dois links, o primeiro com a notícia e o segundo com o comentário do jornalista Alexandre Garcia. Confira…

http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2013/06/professores-de-juzeiro-do-norte-ce-tem-salarios-reduzidos-em-ate-40.html

http://redeglobo.globo.com/videos/t/tudo-da-globo/v/o-bom-professor-ensina-a-raciocinar-diz-alexandre-garcia/2629478/

Um assunto amplo e sério como esse não pode ser resumido em algumas palavras, então resolvi dividir o que tenho a dizer em 3 posts.

Para começar, quero dizer por que fiquei tão indignado com essa notícia. O motivo é simples! A educação deveria ser o primeiro e maior investimento em qualquer país. A cultura e o conhecimento moldam a nossa personalidade e faz de nós cidadãos críticos e politizados. A educação pode elevar o nosso nível de CONSCIÊNCIA, e a harmonia da sociedade e do próprio mundo começa em nível de pensamento. Quanto mais consciente uma pessoa é, mais ela faz em prol das pessoas e do mundo, o senso de justiça e retidão faz dela um cidadão exemplar e alguém que soma qualidades para o crescimento humano.

Eu já falei nesse blog a minha profissão, mas vou repetir. Eu sou professor de Física e Matemática e procuro exercer o magistério da melhor forma que eu posso. Ainda não tenho tanta experiência pelo fato de ser bem jovem, mas eu sou professor por VOCAÇÃO e estou procurando não ser um mero transmissor de conteúdos. Do mesmo jeito que sou no blog eu sou também em sala de aula. Eu sempre levo pequenas frases de reflexão para ler com os meus alunos e os levo a PENSAREM. Veja bem! Pensarem! Eu acho tão legal isso! Sempre que eu chego em sala de aula os alunos me dão bom dia ou boa tarde, me perguntam como estou e dizem: “Cadê a frase professor?”. Eles conversam bastante, são garotos, é bem normal isso! Mas quando eu abro a boca para ler a frase com eles acontece um silêncio absoluto, eles inclinam a cabeça e procuram absorver o máximo possível do que tenho a lhes dizer.

Professor

Isso é EDUCAÇÃO meus amigos! O que estou fazendo com os meus alunos não tem dinheiro nenhum no mundo que pague! Eu estou lhes levando a refletir sobre as suas vidas, a buscarem o conhecimento, e principalmente o AUTOCONHECIMENTO, que é o conhecimento que liberta e nos torna cidadãos críticos. Cidadãos que se importam com a evolução da sociedade, da consciência, do cuidado com a natureza, do respeito pelo próximo e pela vida etc.

O salário dos professores está entre os mais baixos entre todas as categorias do mercado e acho isso muito mais do que injusto, isso é desumano, é devastador. A educação no nosso país é banalizada e colocada de lado, sendo que este é o setor que mais deveria receber investimentos.

Todos os dias eu lembro uma célebre frase do grande Raul Seixas que diz: “Cada um de nós é um universo…”. Essa frase é de uma profundidade fora do comum. Essa é uma grande verdade! Cada ser humano tem os seus talentos individuais e peculiaridades. Adentrar no universo pessoal de alguém é algo que requer uma verdadeira maestria. Todo professor é um grande mestre, porque ele convive com centenas ou mesmo milhares de universos todos os dias. Um professor ensina a muitos alunos, mas ele precisa dar uma atenção especial a cada aluno individualmente, principalmente os professores-educadores, como eu tenho procurado ser.

Lidar com pessoas é uma das tarefas mais difíceis que existe, e o professor tem esse papel de forma bem mais decisiva. Ele é um líder, um influenciador, alguém que mexe diretamente com as perspectivas dos alunos. Um aluno espera uma postura de autoridade, compreensão e sabedoria em todo professor. Eles esperam ver nos professores exemplos a serem seguidos, por isso, muito antes de um professor ser o que é, ele é um líder, é alguém que está todos os dias ao lado dos alunos, acompanhando o seu crescimento intelectual, humano e até espiritual. Se você ainda não leu o post em que eu escrevi falando sobre ser um líder recomendo que leia, o link esta abaixo.

Ser um líder

Sobram motivos para dizer o quanto a profissão de professor é nobre, esta é uma das mais nobres profissões, mas no Brasil, quem é professor é rechaçado, é ridicularizado, é colocado à margem, muitas vezes até em termos comerciais, industriais e voltados para o mundo do consumo, etc, muitas vezes, o professor é visto como alguém “que compra fiado”, que não pode pagar bem as contas, que não pode ter maiores benefícios… Tudo isso está na raiz do nosso país, nas lideranças políticas e nos governantes, que colocam o professor na mais baixa categoria possível.

No próximo post eu vou falar sobre os políticos e porque eles não querem investir em educação. Até breve…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized