Equilibrar razão e emoção

Por Isaias Costa

Li uma frase do escritor John Powell que me fez refletir sobre o equilíbrio entre razão e emoção. Algo tão importante e fundamental, mas que muitos têm uma enorme dificuldade. Vamos a ela: “Uma coisa é admitir para mim mesmo e para os outros que estou com medo, mas outra coisa é permitir que esse medo me domine. Uma coisa é sentir e admitir que estou com raiva, outra é dar um soco no seu nariz”. Uma frase bem curta e simples, mas que pode nos levar a grandes reflexões…

O MEDO é uma das coisas que assume o maior número de facetas possível, é tão complexo que para cada tipo de medo existe um nome científico maluco, acho que se eu souber 1% dos nomes científicos dos medos é muito. Vou falar de alguns poucos medos mais comuns e mostrar o que o John Powell está sugerindo.

tn_280_651_ilustra100846

Medo de falar em público. Todos nós, em algum momento da vida, já sentimos esse medo ou ainda sentimos. É normal, mas não devemos deixar que esse medo nos domine, porque com certeza vai haver algum momento na sua vida que você precisará falar em público. Não precisa ser um professor, advogado, juiz ou político para que um dia você venha a falar em público. O que sugiro é que você enfrente esse medo de frente, de cabeça erguida e dê o melhor de si.

Holofotes imaginários

Medo de dirigir. Esse medo é muito comum. Eu mesmo já passei muito por ele. Tirei a minha carteira no reteste, mas encarei, porque sei a importância de se ter uma carteira de motorista e não ter que depender de ônibus ou de uma carona pelo resto da vida. Aqui está incutido o conceito de AUTONOMIA. A carteira de motorista lhe dá mais autonomia, é por isso que nós só podemos tirá-la quando atingimos a maior idade, pois autonomia também leva a ter mais responsabilidade e maturidade. Você que tem medo de dirigir. Bata de frente com esse medo. Você pode! Você é capaz! Peça ajuda!

download

Medo de multidões. Esse é outro medo bastante comum. Para encarar esse medo não tem um remédio mais eficaz do que encarar multidões. É ir para um show, festa, passeata, etc. Pode ser difícil! Sei muito bem disso! Mas é necessário. É impossível você passar toda a sua vida sem estar em algum momento no meio de uma multidão.

429759725_0b5c34ef6f

Medo de magoar os outros. Este é o grupo das pessoas que querem agradar a todos ou que têm medos do passado que estão represados. Você deve aprender que JAMAIS irá agradar a todos, ou você nunca ouviu o ditado: “Nem Jesus agradou a todos!”. Pois é, muitos se deixam dominar por esse medo e se autodestroem, porque alimentam uma das coisas que mais leva o ser humano a gerar doenças psicossomáticas e físicas, a REPRESSÃO DE EMOÇÕES. Muitas pessoas reprimem o que realmente estão sentindo pelo medo de magoar a outra, mas o que eu digo é que esse é um tiro que sai pela culatra, porque ao invés de você deixar a pessoa a par do que está sentindo, ela fica sem saber de nada, muitas vezes até achando que está tudo bem com você, enquanto você fica se corroendo por dentro. Muito cuidado com isso. O que estou falando é bem sério e provavelmente ainda virei a falar disso em outros posts. Abra os seus olhos! Mas principalmente o seu coração, e não reprima os seus sentimentos. Se você tem algo sério para dizer e está tirando a sua paz, fale de uma vez, não espere pelo amanhã! Quanto mais você adiar pior será, a dor vai ficando maior e maior, até ficar insuportável. Pense nisso…

O risco de querer agradar a todos

Vou concluir falando sobre a questão da raiva. Eu sempre me lembro da frase do William Shakespeare que diz: “Quando você está com raiva, tem o direito de estar com raiva, mas isso não lhe dá o direito de ser cruel…”. Há muito tempo venho aplicando essa frase em minha vida, e até já cheguei a falar sobre isso aqui. O melhor remédio quando você está com muita raiva é ficar em SILÊNCIO, porque a raiva interfere diretamente nas nossas emoções, mas principalmente nas PALAVRAS. Quando estamos enfurecidos não medimos as palavras e ficamos dominados pela emoção e pelo EGO, e assim, quase sempre ferimos as pessoas. Portanto, mais uma vez eu digo. Vamos aprender o valor do SILÊNCIO. Ele pode lhe ajudar a nunca ferir profundamente o coração das pessoas.

Carneirinhos e palavras mordazes

Enfim. Há muito mais a ser falado sobre essa frase do John Powell, mas vou deixar as reflexões com você agora. Vamos encarar os nossos medos! E vamos equilibrar razão e emoção!…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s