Arranhando paradigmas

Por Isaias Costa

mudança de vida

Outro dia eu li um pequeno texto que falava sobre quebra de paradigmas sob um ponto de vista que concordo plenamente. Era um texto do administrador Flávio Emílio Cavalcanti chamado “O arranhador de paradigmas”.

Há quase vinte anos ouço frequentemente a palavra paradigma. O que antes era propriedade exclusiva dos catedráticos, acadêmicos e eruditos ao longo dos anos virou um termo “modernoso”.
Hoje, todo mundo fala nele… É paradigma pra cá e paradigma pra lá…

Quebrar paradigmas, então, virou um clichê dos mais chatos e grudentos. Aposto que muitos que o recitam nem sabem direito o que estão dizendo. Acham que quebrar paradigma é o mesmo que mudar de opinião. Nada disso. O negócio é bem mais profundo do que aparenta ser.

Paradeigma é uma palavra grega que significa modelo, padrão. Trata-se de uma visão de mundo, uma forma de pensar e agir. Quem abandona um antigo paradigma para se fundamentar em outro estará promovendo uma mudança revolucionária em si mesmo.

Por isso, não se quebra um paradigma como quem estoura uma bolha de sabão. Paradigmas são mais resistentes devido à ação do tempo. Seus pressupostos ficam mais arraigados e cristalizados. Dá trabalho quebrá-los.

Nunca me comprometi a quebrar paradigmas de ninguém. Estou convicto que minha tarefa se resume em arranhá-los. É a partir de certas provocações, incômodos e conflitos que o ser humano começa a rever seus conceitos, práticas, visões e modelos de conduta. O arranhão é o primeiro passo. Cabe a você decidir pela quebra ou conservação de seus paradigmas.

De fato, a quebra de paradigmas não é algo tão elementar quanto se pensa. Eu já quebrei diversos paradigmas, mas foi porque eu decidi ardentemente por mudanças de padrões, por ser diferente, por não ser só mais um na multidão, por querer dar o melhor de mim no que me proponho etc.

Sempre que posso, gosto de falar sobre o mestre Jesus Cristo. Você sabia que ele foi o maior arranhador de paradigmas que esse mundo já teve? E isso se dava, primeiramente por causa de seu testemunho de vida, ele vivia tudo aquilo que pregava, não havia nenhuma sombra de hipocrisia naquele homem, e também porque a sua imensa sabedoria o levava a criar parábolas. Qual o objetivo das parábolas? O principal era fazer as pessoas refletirem e, por si só, tomarem suas próprias conclusões. Escrevi sobre isso em um post passado. Confira…

https://paralemdoagora.wordpress.com/2012/11/07/aprendendo-a-criar-parabolas/

A quebra de paradigmas serve para que evoluamos como seres humanos. Serve para expandir o nosso nível de consciência, exatamente por ser algo tão profundo não deve ser banalizado. Jesus mostrou em diversas ocasiões como se dão estas quebras, que na realidade são arranhões, pois mesmo na época de Jesus, muitos o viam fazer milagres, conviviam com ele, e mesmo assim, continuavam do mesmo jeito ou até piores. Por exemplo: quando Jesus vai à casa de um fariseu para se alimentar, quando ele esteve na situação vexatória com a prostituta pega em adultério, quando lava os pés dos seus discípulos, quando ele explica para Marta que Maria escolheu a melhor parte por ouvir suas palavras, quando ele questiona o homem rico sobre os seus bens materiais, quando no auge de sua fama entra na cidade de Jerusalém montado em um jumentinho, quando negado por três vezes pelo apóstolo Pedro ainda lhe lança um olhar penetrante de misericórdia, quando carrega a sua cruz e vê o choro desesperado de muitas mulheres, com o corpo ensanguentado e frágil conseguiu proferir: “Não choreis por mim, mas por vós mesmas e vossos filhos”, quando prestes a morrer na cruz ainda conseguiu proferir uma das frases mais complexas que um ser humano já foi capaz de proferir: “Pai, perdoa-os, pois eles não sabem o que fazem etc etc. Praticamente todas as passagens do evangelho são arranhões de paradigmas do mestre Jesus. Só cabe a cada um de nós fazer com que esses arranhões façam sentido e nos conduzam para o bem.

Para concluir, quero falar sobre esse blog. Eu também procuro ser um arranhador de paradigmas. Meu desejo é poder atingir o coração dos leitores através das minhas palavras, mas tenho consciência de que as mudanças dependem de cada um, e se farão individualmente. Entender essas perspectivas e ideias me dá ânimo e determinação para escrever quase que diariamente. Eu posso não conhecer a maior parte dos leitores, mas sei que alguma coisa do que estou escrevendo ficará como, pelo menos, uma mensagem para ser refletida. Isso já me deixa profundamente feliz e realizado.

Se quiser compartilhar alguma experiência de quebra de paradigmas ocorrida com você ou no seu ambiente familiar, do trabalho, fique à vontade para comentar. Lembre-se sempre: O arranhão é o primeiro passo. Cabe a você decidir pela quebra ou conservação de seus paradigmas.

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “Arranhando paradigmas

  1. Teógenes

    Camarada Isaías,
    O tema “paradigma” é instigante. A quebra de paradigmas é que move o mundo, para virtudes ou vícios. Você os aborda pelo lado virtuoso do tema, como era de esperar, para quem participa, desde o berço, da formação de uma família que partilha valores humanos e critérios de justiça e ética. Felicito-lhe pelo blog. Abraço, Teógenes.

    • Muito obrigado pelo comentário Teógenes. Eu agradeço todos os dias por ter pessoas tão sábias perto de mim, me orientando, ensinando, e me fazendo ser uma pessoa melhor. Espero que tenha gostado do blog e fique à vontade para comentar sempre que quiser. Abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s