Arquivo do mês: novembro 2013

A dádiva do tempo

Por Isaias Costa

1_8_13-como_recuperar_tempo_perdido_jpg

Quero compartilhar um texto de autoria desconhecida que fala sobre um tema de extrema importância para todos nós, o TEMPO. Todos nós conhecemos o velho ditado que diz: “Tempo é dinheiro”, esse texto faz uma abordagem parecida com esse ditado, mas de uma forma elegante e bastante reflexiva. Aproveite bem o seu tempo, ele é a maior dádiva do Deus criador para cada ser humano e devemos utilizá-lo fazendo o bem, crescendo e fazendo os outros crescerem junto conosco…

Imagine que você tenha uma conta corrente no banco, e a cada manhã você acorde com um saldo de R$86.400,00. Só que não é permitido transferir o saldo do dia para o dia seguinte. Todas as noites o seu saldo é zerado, mesmo que você não tenha conseguido gastar todo dinheiro durante o dia.

O que você faz ? Você irá gastar cada centavo, é claro!

Todos nós somos clientes deste banco que estamos falando. Se chama TEMPO.

Toda manhã, é creditado por Deus para cada pessoa 86.400 segundos. Toda noite o saldo é debitado, como perda. Não é permitido acumular este saldo para o dia seguinte. Toda manhã, a sua conta é reinicializada, e todas as noites as sobras do dia se evaporam. Não há volta. Você precisa gastar vivendo no presente o seu depósito diário. Invista, então, no que for melhor, essa dádiva de Deus, na saúde, na felicidade e no sucesso. O relógio está correndo. Faça o melhor para o seu dia-a-dia. Lembre-se que Deus vai pedir conta a você de cada segundo dessa conta.

Para você perceber o valor de um ano, pergunte a um estudante que repetiu o ano letivo. Para você perceber o valor de um mês, pergunte para uma mãe que teve um bebê prematuro. Para você perceber o valor de uma semana, pergunte a alguém que espera ansioso por uma viagem. Para você perceber o valor de uma hora, pergunte para alguém que teve insônia a noite e esperou pela manhã. Para você perceber o valor de um minuto, pergunte a uma pessoa que perdeu o trem. Para você perceber o valor de um segundo, pergunte a uma pessoa que conseguiu evitar ou não um acidente. Para você perceber o valor de um milésimo de segundo, pergunte a alguém que ganhou a medalha de ouro em uma olimpíada.

Ontem é história, o amanhã pertence a Deus, hoje é uma dádiva, por isso, é chamado de presente! Presente de Deus a você. Invista seu tempo procurando sempre empregá-lo da melhor forma possível, dando primeiramente a Deus o melhor, reservando tempo para meditação nos seus princípios e na Bíblia. Depois priorize a sua família, e não se esqueça que você faz parte dela também. Todo tempo bem gasto com você e sua família não é perda mas sim, um investimento, que no futuro vai beneficiar a todos e evitar muitos desgostos e conseqüente perda de tempo precioso. E por fim dedique-se ao seu ganha pão com toda sua força, capacidade, entusiasmo e dinamismo, pois isso vai lhe trazer retorno material e satisfação pessoal.

“Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos corações sábios”
Bíblia, livro de salmos, capítulo 90 verso 12

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Os líderes inspiram ação

Por Isaias Costa

grandes-líderes

Os grandes líderes são aqueles que inspiram ação nas pessoas, e não aqueles que simplesmente estão à frente de um grupo. Um homem que considero um grande líder é o empresário Flávio Augusto. Todos os dias leio suas mensagens da página do “Geração de valor” no facebook e sinto o seu poder de liderança e o quanto ele inspira ação em seus leitores. É um cara que realmente vale a pena seguir, porque se trata de um visionário, ou seja, alguém com ideias originais e fora dos padrões impostos pela sociedade medíocre. Então, para falar sobre ser visionário, nada melhor do que um pequeno texto do próprio Flávio Augusto.

Sonhar com um futuro melhor não lhe garante nada, mas é a melhor vitamina pra ficar bem forte a fim de enfrentar as adversidades no dia a dia.

O realista, aquele que apenas vive do que é concreto, vivendo um dia de cada vez, a longo prazo vai cansar e não encontrará razões para ter a mesma garra do início. Vai faltar essa vitamina e por isso não terá forças para prosseguir, sucumbindo a mesmice e transformando-se em mais um burocrata no meio da multidão.

O mundo tá cheio de realistas. Mas precisamos de mais VISIONÁRIOS.

Todos os que mudaram o curso da história, primeiro sonharam, depois foram chamados de loucos e em seguida realizaram os seus projetos. Mais tarde, receberam um monte de tapinhas nas costas dos puxa-sacos de plantão.

Pense comigo. Os visionários, depois que fazem revolução, são sempre seguidos pela grande manada de realistas. Óbvio, depois que o visionário trouxe a existência e criou algo que se tornou um grande sucesso, os realistas passam a conseguir tocar e acreditar naquilo que está bem diante de seus olhos. Mas que mérito isso tem? Muito pouco…

O mérito está em “crer pra ver”, isso é privilégio dos visionários, ao invés de “ver pra crer”. Isso, até a criatura mais medíocre do planeta é capaz de fazer.

Então, tome muita vitamina.

Sonhe muito e meta a mão na massa com muita garra!

******************

Aqui ele está falando sobre algo muito sério e que quero frisar muito bem: Todos os que mudaram o curso da história, primeiro sonharam, depois foram chamados de loucos e em seguida realizaram os seus projetos. Mais tarde, receberam um monte de tapinhas nas costas dos puxa-sacos de plantão. Ele está bem diretamente criticando a MÍDIA, que é a primeira a exaltar alguém que fez uma revolução, mas também é a primeira a esculachar quando alguém que é bom fracassa. Um exemplo que acho perfeito é o do empresário Eike Batista. Quando ele era o 7º homem mais rico do mundo a mídia o endeusou, era Deus no céu e Eike na Terra, porém, quando suas ações despencaram por causa de suas metas não alcançadas a mídia foi a primeira a esculachar. Veja só a contradição! A mídia o endeusou e depois disse que ele se achava um Deus, criticando as suas tomadas de decisão. Eu fico muito puto com essa mídia maquiavélica! É por essas e outras que eu não me canso de dizer no blog que a mídia é a maior alienante das pessoas e a que mais faz com que se tornem MEDÍOCRES. Siga o que estou dizendo! Quer se tornar um visionário? Abandone definitivamente a TV! Ela só vai atrasar o seu sucesso! Ahh! E seja um louco! O mundo precisa de loucos! Eles estão entrando em extinção…

O cérebro preguiçoso

O mundo precisa de loucos

Para concluir, quero compartilhar um vídeo maravilhoso de um palestrante chamado Simon Sinek em que ele fala COMO UM LÍDER INSPIRA AÇÃO. No vídeo ele fala sobre a mídia que foi “puxa-saco” de um cara que tinha muitos recursos e estratégias para criar um avião controlado e mais pesado que o ar (Samuel Langley). Enquanto tinha os irmãos Wright trabalhando totalmente sem recursos, mas com ideias visionárias, acreditando no potencial interior e criativo. No fim os irmãos Wright saíram vitoriosos e a mídia “caiu em cima deles” dando tapinhas nas costas e desprezaram o Langley. Está vendo meu amigo! Essa é a nossa querida mídia, que só quer saber de exaltar os que fizeram revolução e derrubar os que tentaram e fracassaram. Assista a esse vídeo e tome cada vez mais consciência disso. Vamos seguir exemplos de pessoas de sucesso como o Flávio Augusto, que não se deixam levar por mídia nem fama…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Por que devemos amar os nossos inimigos?

Por Isaias Costa

E-possivel-amar-um-inimigo

Quero compartilhar um texto excelente que fala sobre o amor aos inimigos, extraído do livro “Jesus e Buda: irmãos”, do monge budista Thich Nath Hanh. Leia com bastante atenção e reflita sobre essas sábias palavras…

O budismo ensina que a compreensão é a base do amor. Quando se tem plena consciência, compreende-se que a outra pessoa está sofrendo. Consegue-se ver aquele sofrimento e repentinamente não se quer mais que o outro sofra. Quando vocês começam a ver o sofrimento na outra pessoa, nasce a compaixão e vocês não mais a consideram um inimigo. Vocês podem amar o seu inimigo. No momento em que compreendem que o assim considerado inimigo sofre e desejam que ele pare de sofrer, ele deixa de ser inimigo.

Quando odiamos alguém, estamos zangados porque não o entendemos ou não entendemos o seu ambiente. O hábito de olhar profundamente faz com que cheguemos à seguinte conclusão: se crescêssemos como ele, sob as suas circunstâncias e tendo vivido no seu ambiente, seríamos exatamente iguais a ele. Esta espécie de compreensão elimina a sua raiva, a sua discriminação e subitamente aquela pessoa não é mais sua inimiga. Então você consegue amá-la. Enquanto continuar a considerá-la sua inimiga, o amor será impossível. Amar seu inimigo só é possível quando ele ou ela não for mais visto desta maneira, e o único modo de conseguir isso é praticando a observação profunda. Aquela pessoa fez com que você sofresse bastante no passado. A conduta correta é perguntar o motivo.

Quando você está infeliz, a sua infelicidade se espalha por todos à sua volta. Se tiver aprendido a arte da compreensão e tolerância, você sofrerá muito menos. Olhar para os seres vivos com olhos compassivos proporciona-lhe uma sensação maravilhosa. Você não altera coisa alguma. Apenas põe em prática olhar com os olhos da compaixão e, repentinamente, o seu sofrimento diminui. O que são os olhos da compaixão? A função dos olhos é ver e entender. “Os olhos da compaixão” são os olhos que vêem e entendem. Se existe compreensão, a compaixão chegará por uma via bastante natural. “Os olhos da compaixão” são os olhos da atenção profunda, os olhos da compreensão.

No budismo aprendemos que a compreensão é a verdadeira base do amor. Sem compreensão, independentemente de quanto você se esforce, não poderá amar. Se disser: “Tenho que tentar amá-lo”, estará cometendo uma tolice. É preciso compreendê-lo e, ao fazer isso, irá amá-lo. Uma das coisas que aprendi dos ensinamentos de Buda é que sem a compreensão o amor não é possível. Se o marido e a esposa não se compreendem, não podem se amar. Se um pai e um filho não se compreendem, causarão sofrimento um ao outro. Então a compreensão é a chave que abre a porta do amor.

Site: Por que devemos amar os inimigos?

Breve áudio com reflexão a partir desse texto 

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

O cérebro preguiçoso

Por Isaias Costa

Eu li um trecho de um livro chamado “A história da liberdade de pensamento”, do historiador e filólogo irlandês John Bagnel Bury e que me fez pensar sobre um dos maiores males do mundo, a MEDIOCRIDADE.

A mediocridade das pessoas

Vamos ao trecho do livro:

“O cérebro médio é naturalmente preguiçoso e tende sempre a escolher o caminho por onde encontra menor resistência. O mundo mental do homem médio consiste de credos que ele aceitou sem questionar, e aos quais ele está firmemente fixado. Ele é instintivamente hostil a qualquer coisa que ameaçar a estabilidade do mundo que lhe é familiar. Uma nova ideia, inconsistente com seus credos, torna necessário rearranjar a mente, num processo trabalhoso que requer um gasto doloroso de energia mental. Para o homem médio e seus amigos, que formam a grande maioria, novas ideias e opiniões que causem dúvidas nos credos e instituições estabelecidos, parecem malignas, pois são desagradáveis.”

Você percebe o poder destas palavras? Elas são incríveis e completamente reais. John está falando das pessoas medíocres, que não sabem se questionar e se abrir para novos ensinamentos e ideias. A maior parte das pessoas tem um cérebro preguiçoso e só quer saber do mais fácil, qualquer coisa que fuja do que pensa ser sua verdade individual, já se fecham no seu mundinho restrito e alienado. É por essas e outras que admiro o Raul Seixas, ele sempre batia de frente com esses pensamentos, e isso fez dele um grande pensador. Vou deixar um link bem antigo e que traz os ensinamentos de verdade absoluta e verdade individual, juntamente com algumas ideias deste grande pensador. Confira…

A verdade absoluta e a verdade individual

Pensar é algo que requer um gasto de energia e se abrir para novos pensamentos força o cérebro a criar novas sinapses e conexões, ou seja, não é o caminho mais fácil. O caminho mais fácil é o que os medíocres seguem, fazer o que todo mundo faz, para não correr riscos e para não fracassar. Ledo engano, esse é um fracasso muito maior do que o daqueles que pensam, que tentam fazer e aprender algo novo.

Assistir televisão o dia inteiro deixa o nosso cérebro assim...

Assistir televisão o dia inteiro deixa o nosso cérebro assim…

Por que a maior parte dos brasileiros assiste tanta TV? Exatamente porque não querem colocar os seus cérebros para funcionar, na televisão já está tudo pronto, você simplesmente absorve aquele monte de lixo que é colocado todos os dias. Eu adoro uma das frases de um grande pensador brasileiro chamado Arnaldo Antunes que diz assim: “É que a televisão me deixou burro, muito burro demais. E agora eu vivo dentro dessa jaula junto dos animais…”. A frase em si já dispensa comentários, mas vou comentar mesmo assim. O Arnaldo está falando que a televisão nos deixa burros e com o intelecto de animais enjaulados. É duro não acha? Pois é, eu já me libertei dela a muito tempo e quero encorajá-lo a fazer o mesmo. Pode ter certeza que depois que você largar essa maldita, seu cérebro vai começar a funcionar de verdade e seu lado criativo vai desabrochar e crescer. Veja o próprio Arnaldo! Eu tenho certeza que ele não assiste televisão, por isso desperta o seu lado criativo e compõe músicas simplesmente maravilhosas, que nos fazem pensar e refletir sobre muitas questões. O nosso mundo é tão medíocre de um jeito, que muitas vezes eu chego para algumas pessoas dizendo, “Eu gosto muito de ouvir o Arnaldo Antunes…”, e elas me respondem, “Ãhn? O quê? Reinaldo o quê? Quem é esse cara? Ele é músico?…” e milhões de outras asneiras que me deixa perplexo. Se você não sabe quem é o Arnaldo Antunes, hoje você está tendo a oportunidade de conhecê-lo. Vou deixar alguns links de músicas que adoro…




Vou concluir falando sobre algo muito sério chamado ZONAS DE CONFORTO. Essa é outra coisa que o John está falando nesse trecho de seu livro. Os medíocres vivem sempre em suas zonas de conforto e qualquer coisa que venha a lhes tirar dessa zona é uma verdadeira ameaça. A maior parte das pessoas vive nas suas zonas de conforto por causa do MEDO. Elas têm tanto medo de fracassar que preferem tudo como está e por isso não correm atrás de novos caminhos e horizontes. E sabe de outra coisa interessante? As zonas de conforto servem para que nós fujamos de nós mesmos e dos nossos próprios questionamentos. Releia a frase: “novas ideias e opiniões que causem dúvidas nos credos e instituições estabelecidos, parecem malignas, pois são desagradáveis”. Ele está falando de crenças e instituições. Com certeza ele também está falando de crenças religiosas. Nós engolimos muitas crenças religiosas porque elas pertencem ao senso comum e aos cérebros preguiçosos, e novas ideias são tidas como malignas. Por quê? Será que novas ideias são malignas ou é você que quer passar a vida inteira tendo um cérebro preguiçoso? Pense sobre essas e outras questões e se questione! Nosso cérebro foi feito para pensar e não pra absorver tudo o que as outras pessoas dizem ou recomendam! Seja crítico! Tenha o seu cérebro como uma peneira! Absorva apenas aquilo que você tem certeza que vai fazer de você um ser humano melhor. O objetivo da vida de todo e qualquer ser humano é crescer em amor e consciência, e fazer com que outros também o façam…

Aquela coisa

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Dia mundial da Filosofia

Por Isaias Costa

1457661_10151797844082717_700060901_n

Dia 15 de novembro não é apenas feriado no Brasil, mas é o dia mundial da Filosofia. E eu, como um amante da Filosofia, resolvi fazer uma pequena “provocação filosófica”, inspirado no senhor que sempre utiliza esse termo para todos os seus escritos e palestras. É claro que eu estou falando dele, do Mario Sergio Cortella, um dos maiores e mais competentes filósofos deste país. Vamos lá:

“Quem estudou latim se lembra que a palavra “feliz” é felix, que significa também “fértil”. Felicidade é sinônimo de fertilidade. Fertilidade não é apenas gerar outras pessoas. Fertilidade é impedir que a vida cesse na sua múltipla condição. Fertilidade é dificultar a desertificação dos nossos sonhos. Fertilidade é fazer com que não haja a esterilização do nosso futuro. Ser feliz é sentir-se fértil.

Claro que felicidade não é um estado contínuo. Felicidade é uma ocorrência eventual. Não há estado de felicidade contínua, inclusive porque nós somos seres de carência. A gente tem carências em relação ao nosso corpo, em relação aos nossos desejos, mas fertilidade e felicidade são ocorrências que, no nosso dia a dia, vêm à tona quando sentimos que a vida pulsa.”

A felicidade é sinônimo de fertilidade. E sabe de outra coisa que não está neste texto do Mario, mas também tem relação com a felicidade? A humildade. Vou explicar. A palavra humildade vem de húmus, que significa “terra fértil”. Faça a associação! Felicidade é fertilidade e humildade é terra fértil, então quem é humilde tem sua terra fértil para a instalação da felicidade. Não é incrível? Eu tomo por mim! Procuro ser humilde e me sinto muito feliz com isso, pois os territórios do meu pensamento estão sempre abertos para novos caminhos, novas descobertas e novos aprendizados. Eu gosto até de dizer aos meus amigos que eu sou um Físico Filósofo, pois amo Filosofia e me identifico demais com temas filosóficos e principalmente com “provocações filosóficas”, como as do meu amigo Mario Sergio Cortella!

Eu já disse nesse blog que todos nós temos uma alma filosófica, basta que ela seja libertada, provocada e alimentada. Eu acho muito interessante a forma como o padre Fábio de Melo trata o aprendizado de novos conhecimentos. Ele faz uma abordagem bastante filosófica e questionadora. Ele associa com o desenvolvimento dos músculos do nosso corpo. Como assim? É porque, para um músculo aumentar de tamanho de forma natural, ele precisa literalmente ser “rasgado”, “ferido”. Quando fazemos atividades físicas mais pesadas e que necessitam de mais esforço, as células musculares são rasgadas e feridas, gerando novas células maiores e mais resistentes. É por isso que é bem normal sentir dores quando estamos fazendo exercícios mais pesados, essa dor vem do rompimento de células musculares velhas que estão se transformando em outras maiores e mais resistentes.

Sim! Mas o que isso tem a ver com o conhecimento? TUDO. Nós aprendemos coisas novas quando o nosso intelecto é “ferido”. Em um primeiro momento sentimos um incômodo e desconforto por não compreendermos o assunto, mas nessa hora o nosso cérebro se encarrega de trabalhar e fazer novas conexões e sinapses, e depois de um tempo passamos a entender o novo conhecimento com mais facilidade e menos esforço mental. Tudo aquilo que vem de forma fácil não leva o cérebro a trabalhar e fortalecer suas sinapses, como a televisão, que simplesmente mostra o montão de lixo, que não leva as pessoas a raciocinarem. Mas isso é tema para o texto de amanhã. Aguarde…

Existe uma belíssima frase do físico Albert Einstein que diz: “A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original”. Ele era outro físico filósofo. Esse é um dos principais papéis da Filosofia, expandir as nossas mentes, e por isso que estou aqui hoje, para lhe fazer refletir sobre isso. Desenvolva sua alma filosófica! Questione-se! Seja uma terra fértil! Seja humilde! Tenho certeza que assim você será como um rio que transborda suas águas e está o tempo todo se renovando e crescendo em conhecimento, em vida, em amizade, em amor! Esse é meu desejo para você! Lembre-se sempre: felicidade é sinônimo de fertilidade!

Se quiser ler um pouco mais, deixo uma matéria interessante que mostra 5 bons motivos para seu filho estudar Filosofia! Vale a pena conferir! Feliz dia mundial da Filosofia!

http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/5-bons-motivos-seu-filho-estudar-filosofia-637234.shtml?utm_source=redesabril_educar&utm_medium=facebook&utm_campaign=redesabril_educar

felicidade-e-a-certeza-q-nossa-vida-nao-esta-se-passando-inutilmente-erico-verissiompo* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Simplesmente viva

Por Isaias Costa

Vida Plena

Hoje compartilho com você um texto belíssimo que li outro dia, da autoria do místico oriental Osho. Leia e reflita sobre ele…

Quanto menos as pessoas sabem, mais elas teimam que sabem.

A pessoa inteligente hesita, pondera, vacila. A pouco inteligente nunca vacila, nunca hesita. Quando o sábio sussurra, o tolo simplesmente anuncia aos quatro ventos.

“A verdade” é só um jeito de falar. Não existe nada que tenha o rótulo de “verdade” e que um dia você descobrirá, abrirá a caixa e verá o conteúdo, dizendo: “Maravilha! Descobri a verdade!” Essa caixa não existe. Sua existência é a verdade e, quando você está silencioso, está na verdade. E se o silêncio for absoluto, então você é a verdade suprema.

Mas não pense na verdade como um objeto. Ela não está lá, está aqui. Nunca existiu uma pessoa como você antes, não existe ninguém neste mundo como você agora e nem nunca existirá. Veja só o respeito que a vida tem por você. Você é uma obra de arte — impossível de repetir, incomparável, absolutamente única.

Cada dia traz seus próprios problemas e desafios. Cada momento traz suas próprias perguntas. E se você tem respostas prontas na cabeça, sequer será capaz de ouvir as perguntas. Estará tão cheio de respostas que será incapaz de ouvir. Você não estará acessível.

Muitos dos nossos problemas — talvez a maioria deles — existem porque nunca olhamos para eles de frente, nunca os enfrentamos. Ficar com medo deles, não olhar para eles e viver tentando evitá-los só serve para lhes dar mais força. Assim, você está aceitando que eles são reais. A sua aceitação é a existência deles. Sem a sua aceitação, eles não existiriam.

Pare de se julgar. Em vez disso, comece a se aceitar com todas as suas imperfeições, suas fragilidades, seus erros e seus fracassos. Não queira ser perfeito. Isso seria, simplesmente, querer o impossível e, assim, você ficaria frustrado. Afinal, você é um ser humano.

Não se preocupe com a perfeição. Substitua a palavra “perfeição” por “totalidade”. Não pense que você tem que ser perfeito, pense que tem que ser total. A totalidade dá a você uma dimensão diferente. Existe uma enorme diferença entre perfeição e totalidade. A perfeição é uma meta a atingir no futuro, a totalidade é uma experiência no aqui e agora. A totalidade não é uma meta, é um estilo de vida.

A maior calamidade que pode acontecer a uma pessoa é ela ficar séria e prática demais. Um pouquinho de loucura e de excentricidade só faz bem.

A existência não é um problema que precisa ser solucionado, é um mistério a ser vivido. E você precisa estar perfeitamente consciente da diferença que existe entre um mistério e um problema. O problema é algo criado pela mente. O mistério é algo que simplesmente existe, não foi criado pela mente. O problema tem algo de feio, como uma doença. O mistério é belíssimo. Com o problema, imediatamente surge a luta. Você tem que resolvê-lo. E algo errado, você tem que consertá-lo. Algo está faltando, você tem que providenciar o elo que falta. Com o mistério, nada disso é necessário.

A Lua aparece à noite… Isso não é um problema, é um mistério. Você tem que conviver com ele. Você tem que dançar com ele, tem que cantar com ele ou pode, simplesmente, ficar em silêncio com ele. Algo de misterioso envolve você.

Você continua sonhando, imaginando coisas bonitas para os dias que virão, para o futuro. E nos momentos em que o perigo é iminente, então percebe de repente que pode ser que não haja futuro algum, amanhã algum e que este é o único momento que tem. Os tempos de desastre são extremamente reveladores. Eles não trazem nada de novo para o mundo — simplesmente fazem com que você fique consciente do mundo como ele é. Eles o despertam. Se você não entender isso, pode enlouquecer. Se entender, pode ser que você desperte.

Arrisque tudo, pois o momento seguinte não é uma certeza. Então, por que se importar com ele? Por que se preocupar? Viva com prazer. Viva sem medo, viva sem culpa. Viva sem nenhum medo do inferno ou sem ansiar o céu. Simplesmente viva.

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A qual grupo você pertence?

Por Isaias Costa

1970077-7407-atm14

Outro dia eu li uma pequena estória que me fez refletir bastante sobre como eu tenho levado a minha vida e como tenho procurado fazer as minhas atividades profissionais e pessoais. O texto de autoria desconhecida está logo abaixo.

*****************

Em uma importante universidade, um sábio professor, com grande dose de paciência, tentou começar a primeira aula do ano da nova turma, mas não conseguiu. Pediu silêncio educadamente várias vezes, sem sucesso. O professor, com voz firme, disse então:

“Queridos alunos, prestem atenção porque eu vou falar isso uma única vez. Desde que comecei a dar aula, anos e anos atrás, descobri que de cada 100 alunos, apenas 5 são aqueles que fazem a diferença no futuro; apenas 5 se tornam profissionais brilhantes e contribuem de forma significativa para melhorar o mundo. Os outros 95% servem apenas para fazer volume; não se dedicam, não se esforçam, não saem da zona de conforto, são acomodados, ficam na mediocridade. Passam pela vida sem deixar nada de útil.

Esta porcentagem vale para todo mundo. Se prestarem atenção, notarão que de 100 professores, apenas 5 são aqueles que fazem a diferença; de 100 garçons, apenas 5 são excelentes; de 100 motoristas de táxi, apenas 5 são verdadeiros profissionais que amam o que fazem. É uma pena não termos como separar estes 5% do restante, pois se isso fosse possível, eu deixaria apenas os 5% nesta sala e colocaria os demais para fora, então teria o silêncio necessário para uma boa aula e eu dormiria tranquilo sabendo ter investido nos melhores! Mas, infelizmente ainda não há como saber quais de vocês são estes alunos. Só o tempo será capaz de mostrar isso. Terei de me conformar e tentar dar uma aula para os alunos especiais, apesar da confusão que está sendo feita pelo restante.

Claro, cada um de vocês sempre pode escolher a qual grupo pertencerá: ao grupo que faz a diferença, ou ao grupo que passa pela vida sem deixar sua marca. Pensem bem. Ainda dá tempo de fazer parte do grupo certo, do grupo que faz a diferença. Obrigado pela atenção e vamos à aula”.

******************

Este pequeno texto pode nos levar a grandes reflexões, e no meu caso levou ainda mais, pelo fato de ser professor e passar por experiências semelhantes à contada nessa estória todos os dias. Não há um único dia que eu dê aula e não haja alguma indisciplina por parte dos alunos, dispersão, falta de interesse, desmotivação, sono e por aí vai. Não é à toa que falam que ser professor é uma das profissões mais desafiantes que existe, e realmente confirmo isso. Motivar os alunos é uma tarefa que exige uma verdadeira maestria, e esse talento só é possível para quem se decide por fazer parte do grupo dos 5% que fazem a diferença. Eu procuro fazer parte desses 5% na minha profissão de professor, é uma batalha muito grande e desafiadora, mas eu tenho certeza que todos os alunos que passam por mim saem guardando alguma coisa do que tenha dito, mesmo que não tenha sido do conteúdo em si, mas guardam daquilo que tenha conversado ou levado a pensar. Eu sempre inicio as minhas aulas levando os alunos a pensarem a respeito de temas importantes da vida, levando as minhas maiores referências para eles conhecerem, tais como Rubem Alves, Paulo Freire, Mario Sergio Cortella, John Powell, Jostein Gaarder, Alain de Botton, Augusto Cury, Clarice Lispector, Richard Bach, Leonardo Boff, Flávio Augusto, Seiti Arata, Conrado Navarro, Flávio Gikovate, Dalai Lama, Thich Nath Hanh, Martin Luther King, Mahatma Gandhi etc etc. Os meus alunos tem a oportunidade de adentrar no universo dessa turma da pesada através de mim, e isso me deixa muito feliz, porque sei que são poucos os professores que levam esse tipo de conhecimento para os alunos.

Este texto também nos leva a pensar sobre a mediocridade. Escrevo constantemente sobre isso e não me canso de repetir, porque sei que através da repetição os conhecimentos são verdadeiramente assimilados e levados ao processo de mudança interior. Vamos fugir da mediocridade meus amigos! O mundo está repleto dessas pessoas, que compõem esses 95% do grupo, que seguem a boiada, que fazem o que todo mundo faz, que não inovam, não se reciclam, não ousam… É possível sair desse grupo, mas para isso é preciso determinação, força de vontade, perseverança e uma mentalidade voltada para o sucesso. Uma mentalidade empreendedora. Já falei aqui que todos nós podemos ser empreendedores, e para ser não é necessário ter uma conta bancária cuspindo dinheiro. Nada disso! Um empreendedor é construído, tal como a construção de um prédio. Primeiro vem o alicerce forte e seguro que se chama MENTE, depois vem os andares, que são as PALAVRAS e as ATITUDES. Lembre-se sempre, muito antes das palavras e atitudes deve estar o alicerce, a mente, que comanda tudo.

O caminho para o sucesso

A mediocridade das pessoas

No campo profissional há uma enorme diferença entre “O que se faz” e “Como se faz”. Ter conhecimento dessa diferença é o que pode fazer de nós profissionais brilhantes e nos colocar no grupo dos 5% que fazem a diferença. Quero compartilhar o terceiro texto que escrevi neste blog, que escrevi com muito carinho e mostra de forma simples como eu penso em relação ao “Como se faz”. O link está a seguir.

A diferença entre “o que?” e “como?”

E você? Quer fazer parte de qual grupo? Dos 5% que fazem a diferença ou dos 95% que compõem a mediocridade? A escolha é única e exclusivamente sua…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Um motivo para seguir adiante

Por Isaias Costa

IMG_3388

Uma realidade que acontece na vida de muitas famílias é a perda de um ente querido de forma repentina: um pai, uma mãe, um filho, um tio, um sobrinho etc. Como lidar com a dor da perda de alguém especial e fundamental em nossas vidas? Essa é uma pergunta muito difícil e digo, com muita sinceridade, que não sei expressar com exatidão como deve ser a dor de quem passa por esse tipo de experiência. Sei que é uma dor inimaginável e que leva muito tempo para ser curada.

Estava refletindo sobre isso ao ouvir as palavras do padre Fábio de Melo. Entre os milhares de caminhos que se pode seguir para superar a dor da perda e administrar o luto de forma serena e sábia temos os trabalhos voluntários. Vou explicar melhor.

Grande parte das pessoas que morrem de forma repentina são vítimas da violência urbana, ou acidentes de trânsito, ou por alguma doença que se alastrou de forma muito agressiva. Quando esse tipo de situação ocorre, fazer algum tipo de trabalho voluntário, de preferência com algo que esteja diretamente relacionado com a causa da morte do ente querido, faz com que se desenvolva dentro de nós uma sensação de bem-estar causada pelo processo da empatia, que é você ver a vida e a realidade sob a perspectiva das outras pessoas. Por exemplo, você é mãe e seu filho morre por causa de um assalto a mão armada, uma ótima forma de superar essa dor é se juntar com outras mães que viveram dores semelhantes e compartilharem experiências, se ajudarem mutuamente e lançarem projetos de combate à violência. Já foram feitos estudos que mostram o poder que a empatia tem sobre as pessoas. O exercício da empatia pode curar dores profundas instaladas no coração e na mente. Quero deixar um trecho de um vídeo que mostra um caso semelhante ao que exemplifiquei aqui. Foi uma mãe que perdeu seu filho em um assalto a mão armada, e que encontrou seu consolo ajudando os familiares do assassino do seu filho com dinheiro e cestas básicas. Veja só algumas das suas palavras:

“Eu fiquei com dó. Uma criança de três meses, outra de 4 anos, outra de 5 anos, que não tinham culpa da violência que o pai praticou.

E também achei que, alimentando aquelas crianças, eu estaria ajudando a tirar algum futuro marginal da rua.”

Daisy Guerra

Eu fiquei absolutamente encantado com essas palavras. Quem de nós teria coragem e disposição para um ato tão nobre quanto esse? Eu acredito que quase ninguém. O nome disso é empatia. Ela sentiu a dor da outra família e, com isso, aliviou a sua. Além disso, ainda há a prática do perdão para com o assassino. Perdoar é fundamental para se conquistar uma felicidade mais plena e duradoura. O link com o vídeo está logo abaixo e o depoimento da Daisy Guerra começa no tempo (9:10 min). Vale muito a pena conferir…

*Obs: Esse vídeo, infelizmente foi removido, devido aos direitos autorais da Rede Globo.

O padre Fábio de Melo fala sobre isso de forma brilhante em vídeo. Ele associa a dor das perdas com as cicatrizes. Existem as pequenas, que são criadas pelos cortes superficiais, e as grandes, que são como os grandes procedimentos cirúrgicos, e deixam cicatrizes para sempre. Ele compara essas cicatrizes com a força espiritual que muitas pessoas precisam desenvolver para ter um motivo nobre de seguir adiante na vida. O vídeo está logo a seguir.

Enfim! Essa é a mensagem que quero transmitir e deixar como reflexão. Nós somos seres humanos, somos frágeis e carentes de amor e afeto. Muitas vezes não estamos preparados para a dor da perda, mas esta dor pode nos fazer enxergar luzes onde só havia trevas… Espero que tenha lhe levado a pensar sobre essa possibilidade de encontrar um motivo para seguir adiante através da prática da empatia

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

“N”

Por Isaias Costa

Eu acredito que alguns dos meus leitores devam ser fãs do Nando Reis, e quem é, sabe que o título do post de hoje é o nome de uma de suas músicas, que acho linda. Pode ser que os fãs dele tenham achado que escreveria algo relacionando a sua música, mas não! Vou falar de outra coisa bem diferente! Mas como eu também sou fã dele, não custa nada colocar a sua música aqui para ser apreciada, não é? Um dos meus objetivos com esse blog é disseminar músicas boas…

Mas afinal? Porque eu estou falando da letra “N”? Estou falando para refletir sobre duas palavras que são diferenciadas apenas por essa letra, mas são absolutamente diferentes. As palavras FRANQUEZA e FRAQUEZA. É impressionante a reflexão que pode ser feita com relação a essas palavras.

Há muitas pessoas que veem a franqueza como uma fraqueza, como se não valesse a pena ser franco. Já eu digo o contrário, a franqueza é uma das virtudes mais belas que existe, é uma virtude tão bela quanto a humildade…

https://paralemdoagora.wordpress.com/2013/06/04/a-mais-nobre-de-todas-as-virtudes/

Para alguém ser realmente franco deve conhecer a si mesmo, pois essa é uma virtude que anda de mãos dadas com o AUTOCONHECIMENTO. Quanto mais você se conhece, mais você será franco, porque ser franco é ter plena consciência das próprias qualidades e defeitos e não ter vergonha de ser quem é. Eu também acho impressionante as qualidades que são puxadas junto com a franqueza. Perceba! Uma pessoa franca normalmente também é HUMILDE, pois ela sabe reconhecer os seus erros e acertos sem medo. CORAGEM! Quem é franco tem coragem de bater de frente com pessoas ou com situações que vê que são contra seus ideais. SINCERIDADE, quem é franco também costuma ser sincero, pois não possui máscaras para esconder quem é. HONESTIDADE, quem é franco normalmente age com honestidade em todas as situações, e por fim, a AUTOCONFIANÇA, quem é realmente franco é autoconfiante, pois adquire essa autoconfiança pela própria verdade das atitudes e comportamentos. Eu aprendi essa grande ideia com o mestre Dalai Lama e postei há certo tempo aqui no blog. A sua explicação para isso é muito simples e profunda, confira…

https://paralemdoagora.wordpress.com/2013/10/09/honestidade-e-autoconfianca/

Esta virtude é muito bem descrita pelo grande escritor John Powell no seu livro intitulado “Por que tenho medo de lhe dizer quem sou?”. Vou deixar este livro como uma ótima sugestão de leitura, ele é bem curtinho e de uma profundidade impressionante…

Enfim! Espero que depois de ter descrito tantas virtudes belíssimas você passe a ver a franqueza com olhos mais profundos. Deixe que apenas as pessoas medíocres acreditem na franqueza como uma fraqueza. Eu estou procurando cada vez mais ser franco e espero levar você a fazer parte desse time! Vamos? Conto com você…

ser transparente

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O retrato de Dorian Gray e da sociedade

Por Isaias Costa

dorian gray

Recentemente assisti a um filme excelente e cheio de lições de vida. Trata-se do filme “O retrato de Dorian Gray”, baseado no livro do escritor Oscar Wilde, publicado em 1890 e com interpretação pelo cinema hollywoodiano em 2009. Vou fazer uma breve reflexão de algumas mensagens que consegui captar deste filme.

O Dorian era um jovem muito bonito e atraente, mas veio de uma família completamente desestruturada, na realidade ele nem tinha família, pois era órfão. Este passado de falta de amor e afeto na infância foi o início dos muitos transtornos que vieram a assolar e destruir este garoto. O período da primeira infância é de extrema importância para qualquer pessoa. O nosso cérebro, através do consciente, subconsciente e inconsciente, grava as experiências como uma esponja, e fica tudo registrado para sempre, nada pode ser deletado, o máximo que se pode fazer é reeditar experiências que tenham sido negativas, o que é uma tarefa bem complexa, e normalmente precisa-se de uma ajuda psicológica ou psiquiátrica.

Este jovem careceu de amor e cresceu com enormes lacunas no coração. Por fora era belo, mas por dentro não passava de uma criança carente de afeto e atenção. Ele era bem ingênuo e tímido, mas foi levado a viver uma vida de luxos e pompas por um homem terrível chamado Henry Wotton. Este homem diabólico influenciou profundamente o Dorian, levando-o a prostíbulos, bares e incentivou-o a desenvolver o vício por cigarros e bebidas. Esta é uma das primeiras mensagens passadas neste filme, o conhecido ditado: “Diga-me com quem andas e te direi quem és”. O Dorian, por influência do Henry, foi se tornando pouco a pouco como ele, viciado em cigarros e bebidas, cafajeste e extremamente envaidecido.

Um conhecido pintor chamado Basil Hallward se encanta com a beleza e charme do Dorian e resolve pintá-lo em um quadro. Aqui há outra mensagem muito importante. Por onde ele vai é elogiado por sua beleza e encanto, fazendo com que seu ego seja inflado e ele desenvolva de forma doentia a vaidade, que, de todos os pecados capitais, é o que considero mais deletério. Quanto maior a vaidade de uma pessoa, mais egocêntrica, prepotente, arrogante e autossuficiente ela se torna, e o resultado destes sentimentos e comportamentos é o isolamento e a sensação de ser “Deus”, de que não precisa de mais ninguém para ser feliz e dividir a própria vida.

Acontece algo estranho com relação ao quadro feito por Basil, ele faz com que o Dorian não envelheça, mas a custa de transgressões de sua personalidade. Em outras palavras, esse endeusamento o levou a se transformar em alguém irreconhecível e capaz de fazer as maiores e piores atrocidades que se possa imaginar. Ele conquistava a sua eterna juventude a custo de vidas de pessoas. No auge da sua loucura, ele matou o próprio homem que pintou seu quadro, o Basil.

As principais mensagens deste filme estão relacionadas com o pecado capital da vaidade. Ela minou todos os bons sentimentos que haviam no Dorian, transformando-o em alguém sem amor e compaixão. O mesmo acontece em nossa sociedade, tão consumista e tão individualista. Existe um padrão de beleza imposto pela mídia e pela própria sociedade sobre o que é ser belo. Para os homens, ser belo é ter um corpo sarado, cheio de músculos, e para as mulheres, ser bela é ser magérrima como as modelos de passarela. O que foge a essa regra é visto como algo ruim e que deve ser combatido. Essa fixação por padrões tem levado muitas pessoas, principalmente as mulheres, a desenvolverem doenças psíquicas como a bulimia (vomitar de forma provocada os alimentos ingeridos) e anorexia (não se alimentar por ter uma noção distorcida de ser uma pessoa gorda). Em outras palavras, uma pessoa que tem bulimia come e sente remorso ou culpa por ter comido e pouco tempo depois das refeições vomita tudo que comeu, e uma pessoa com anorexia se olha no espelho e vê sempre a imagem de uma pessoa gorda, pode mesmo estar com um corpo cadavérico, mas ao se olhar no espelho, vê a imagem de uma pessoa gorda, tal distúrbio afeta o apetite, destruindo qualquer vontade de se alimentar. Quanto à beleza, eu acredito que não existe fórmulas ou padrões. A beleza está nos olhos de quem vê. Uma pessoa que eu acho bela é bem diferente do que você acha ou qualquer outra pessoa. Para quê se fixar em padrões? Isso limita a nossa capacidade de amar, de sermos livres, espontâneos, de valorizarmos as nossas qualidades.

Muita gente confunde o amor a si próprio com narcisismo. É bem diferente. O narcisismo tem a ver com a vaidade e muitas outras facetas, e não com o amor próprio. É um tema amplo e cheio de detalhes. Achar-se bonito e atraente é fundamental para a autoestima, para o florescimento de bons relacionamentos afetivos e amorosos, para o equilíbrio do corpo e da alma, para o desenvolvimento dos talentos etc. Olhe-se no espelho e diga: “Eu sou lindo” ou “Eu sou linda”. E faça isso com convicção, com verdade, todos os dias! Fuja dos padrões desta nossa sociedade medíocre! Se quiser ler um pouco sobre o tema do narcisismo, vou deixar o link de um texto bem interessante e esclarecedor do psicólogo Frederico Mattos, está logo abaixo.

http://papodehomem.com.br/o-narcisismo-e-suas-varias-faces-id-11/

Além disso, tem-se o problema com o envelhecimento. Estamos em uma sociedade que cada vez mais idolatra a juventude, como se ser velho não fizesse parte do ser humano como algo absolutamente natural. As pessoas querem a fina força permanecer jovens para sempre, e isso é muito bem mostrado neste filme. O Dorian tem a falsa impressão de que ser jovem para sempre lhe trará benefícios abundantes, o que não é verdade. Tudo na nossa vida deve ter um começo, meio e fim. A vida deve ter um começo, meio e fim. É aquele velho ditado: “Tudo tem seu tempo e sua hora”. Há o tempo da infância, com suas brincadeiras, peripécias, perguntas sobre o mundo; há a juventude, tempo de questionamentos, mudanças no corpo, crescimento hormonal, início dos relacionamentos amorosos; há a vida adulta, com o crescimento profissional e a busca pela estabilidade pessoal e financeira, a vinda dos filhos, possíveis casamentos, desenvolvimento dos filhos, etc; e por fim vem o tempo da velhice, que acho absolutamente encantador, eu amo as pessoas velhas e não me canso de repetir isso. Aliás, existe um estigma entre certas pessoas de que é feio dizer a palavra velho, que tem ser dito a palavra idoso, eu não acho, feio é ser desrespeitoso com as pessoas velhas, chamá-las de nomes feios ou palavras de baixo calão.

É muito importante compreendermos que ninguém permanece jovem para sempre. O máximo que pode acontecer é você retardar o envelhecimento tomando atitudes como uma boa alimentação, hábitos saudáveis, praticar atividades físicas regularmente, não se expor ao sol em demasia etc. Mas a velhice é o destino certo de todos nós, se chegarmos até lá, é claro! Ter essa consciência pode ajudar a acabar com uma indústria multimilionária de produtos de beleza e cirurgias plásticas. Não precisamos de nada disso meus amigos! O que nós precisamos é ser felizes, só isso! O resto é consequência.

Para não me estender neste assunto, quero deixar uma sugestão de livro que fala sobre tudo que citei até aqui com bem mais detalhes e aprofundamentos. O livro “A ditadura da beleza”, do psiquiatra e escritor Augusto Cury. Recomendo fortemente a sua leitura, é um livro libertador e que abre nossa mente para esses pontos tão importantes.

retratodedoriangray_01

Temos também a relação entre vaidade e poder. Que se verifica muito fortemente no Dorian. Ele se sente invencível, um verdadeiro Deus, tudo fruto de sua imensa vaidade. Quero aproveitar para fazer uma comparação entre homens e mulheres quanto ao poder. Eu acredito sinceramente que os homens dominados pela vaidade são muito mais perversos do que as mulheres. Homens envaidecidos se tornam atrozes e são capazes de criar até mesmo guerras, como as que marcaram a nossa história. Perceba! Quem estava à frente de todas as grandes guerras da História da Humanidade. Homens! Sempre homens! A natureza da mulher é bem mais humana e delicada que a do homem. Eles têm mais dificuldade de resolver conflitos através do diálogo e da concórdia, preferem utilizar a força em vez das palavras. Isso gera um enorme desequilíbrio para toda a humanidade. Por estes e milhares de outros motivos eu amo as mulheres. Acho que o mundo já teria sido completamente destruído se não fosse por elas. As mulheres conseguem harmonizar boa parte dos homens através de seu carinho, amor, afeto e atenção, e isso ajuda a equilibrar as emoções e energia masculinas.

Existem muitos preconceitos em nossa sociedade, que pouco a pouco estão sendo minados, graças a uma elevação do nível de consciência global e também mudanças gerais na própria cultura e pensamento. Muitos preconceitos estão sendo combatidos através de políticas mais igualitárias. Empregos que antes eram apenas masculinos, agora são também ocupados por mulheres, o que concordo plenamente, e mesmo os salários entre homens e mulheres estão se equiparando. Tudo isso é muito bom e ainda digo mais! Eu penso que mais mulheres deveriam ocupar postos como presidência, juizado, câmaras legislativas etc. Pois sendo mais humanas e sensíveis, fariam muito mais por todos do que os homens. Repito que este é apenas um ponto de vista meu. Você pode ficar à vontade para discordar de mim.

Eu vou ainda mais longe. Se as mulheres ocupassem cargos ligados aos comandos das forças armadas? Já pensou nisso? O mundo se pacificaria, porque a grande maioria das mulheres seria absolutamente incapaz de declarar guerra aos povos e nações, seriam incapazes de por os seus próprios filhos para morrerem em guerras e conflitos. A própria energia feminina não condiz com violência, guerras e mortes. Isso é tipicamente masculino e faz parte de uma energia masculina.

Você percebe por que eu amo tanto as mulheres? Porque sem elas este mundo estaria perdido e infeliz. Benditas sejam as mulheres! Ahh! Tudo isso tem relação com o filme que expus, pois se você o assistir, constatará que as atitudes assassinas do Dorian dificilmente seriam cometidas por uma mulher, e eu acredito que as mulheres que estejam lendo esse texto hão de concordar comigo. É claro que não posso generalizar, mas de uma forma geral, o que estou dizendo aqui tem muito fundamento.

Para concluir, quero deixar um vídeo excelente do filósofo brasileiro Leandro Karnal, que explica de uma forma bem embasada e simples o pecado capital da vaidade, recomendo que você reserve um tempo para assisti-lo. Esta foi uma das explicações mais bonitas que já vi para a vaidade…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized