A volta às raízes

Por Isaias Costa

devolta

Quando chega o final do ano nós sempre procuramos fazer um balanço geral de como foi o ano. Refletimos sobre o que realizamos, o que deixamos de realizar, vemos quais as nossas metas que foram atingidas, as que não foram, as mudanças, os amadurecimentos, os relacionamentos, os aprendizados etc.

Tudo isso é maravilhoso e absolutamente necessário. Se não tivéssemos esse exercício a nossa vida provavelmente se tornaria ainda mais mecanizada do que já é. Mas o que quero levar você a refletir hoje é sobre a volta às raízes, aquilo que desperta dentro de nós o sentimento genuíno de amor e felicidade.

O que é voltar às raízes? É você se lembrar dos tempos da sua vida em que tudo era maravilhoso, apesar das dificuldades. É se lembrar de quando você estava perto daquelas pessoas essenciais da sua vida e que, por algum motivo, se afastaram do seu caminho. É lembrar com saudade daquelas tardes jogando conversa fora no fundo do quintal ou em um final de tarde na praia junto com os amigos, ou a família. Enfim! Voltar às origens é se voltar para o essencial da vida.

Quero falar um pouco sobre algo que tenho notado muito na nossa sociedade atual. Devido a grande competitividade e busca constante pelo aperfeiçoamento, está crescendo o número de profissionais altamente qualificados. Está havendo como nunca uma busca por cursos universitários, por cursos técnicos, por marketing, por franquias, por criação de empresas etc. Eu sou a favor de tudo isso, acho maravilhoso. O nosso país está aos poucos se transformando em uma grande potência mundial, e tende a crescer mais e mais. Porém, o que estou querendo dizer é que esta busca por crescimento está fazendo muitas pessoas esquecerem o que é essencial. E isso pode ser muito perigoso, pois sem o cultivo do que é essencial tudo aquilo que for conquistado através do mérito profissional não terá aquele belo gosto da vitória.

Com quem você vai dividir as suas vitórias? Quem vai lhe apoiar diretamente nos seus projetos? Com quem você vai gastar o dinheiro que recebeu pelo seu trabalho? Quanto tempo você deixará reservado para você? Para as pessoas que você ama? Para a prática de atividades físicas? De um hobby? De uma leitura diferente? Todos esses questionamentos têm a ver com o equilíbrio na vida, entre o lado pessoal e profissional.

É comum vermos pessoas que conquistam grandes coisas em termos profissionais e financeiros, mas estão profundamente infelizes, porque deixaram para trás o que há de mais bonito, a SIMPLICIDADE. E simplicidade é o caminho de retorno às origens, é o caminho de volta pra casa, para o aconchego.

Que neste natal você se volte para o simples. Que, ao fazer o seu balanço de como foi esse ano, você coloque sempre em primeiro plano o amor, a felicidade, a realização como ser humano, os amigos, a espiritualidade, a saúde do corpo, e lá na frente, bem depois de tudo isso, o dinheiro, que também é importante, mas que tem que estar no seu devido lugar.

E para refletir um pouco mais sobre isso, compartilho um belíssimo vídeo do padre Fábio de Melo, que me inspirou a escrever esse texto.

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s