Arquivo do mês: fevereiro 2014

Relacionamentos ioiô

Por Isaias Costa

ilustracao-de-uol-comportamento-sobre-materia-de-relacionamentos-ioio-1320088513762_615x300

Hoje eu quero tratar de um problema sério em muitos relacionamentos, são os chamados RELACIONAMENTOS IOIÔ. O que são esses relacionamentos? São aqueles em que o casal vive se separando e voltando poucos dias ou semanas depois. Esse tipo de relacionamento é dominado pela INSEGURANÇA, MEDOS, CARÊNCIAS e, principalmente, pela IMATURIDADE.

Os casais que costumam fazer isso podem estar passando por diversos problemas ou dificulades. São tantas as possibilidades que se fosse tratar de todas minuciosamente escreveria páginas e páginas. Mas quero ir direto ao ponto principal, pode até parecer estranho, mas eu digo que um dos principais motivos para se ter relacionamentos ioiô é a falta de SINCERIDADE e TRANSPARÊNCIA. Se você respeita profundamente o seu namorado ou namorada será absolutamente sincero, você desenvolverá uma comunicação em um nível muito mais profundo, você desenvolverá a chamada comunicação visceral, que é a comunicação em que você expõe a sua alma para a outra pessoa, você revela seus medos, seus anseios, inseguranças. Mas um ingrediente fundamental para se adquirir esse nível altíssimo de comunicação se chama MATURIDADE EMOCIONAL. Eu escrevi dois textos falando um pouco sobre isso. Vale a pena conferir…

um encontro mais profundo

quase um amor

A maturidade é extremamente importante. Uma ideia muito comum, principalmente para os rapazes que adoro chamar de “meninos grandinhos”, é aquela coisa de querer ficar com várias garotas, primeiro para satisfazer o EGO do tamanho de Júpiter e segundo, para “experimentar” várias carnes. Desculpe estar sendo um pouco ríspido, mas é assim que os “meninos grandinhos” pensam, eles pensam que se não ficarem e transarem bastante serão menos homens ou até considerados gays, só para você ver o nível de pensamento desses pobres indivíduos. Quero compartilhar um dos primeiros textos deste blog, que fala um pouco sobre a maturidade e a adequação.

maturidade e adequação

Um caso clássico são aquelas pessoas que tem uma autoestima infinitesimal ou tendendo a zero. Muitas dessas pessoas namoram alguém só para não ficarem sozinhas. Já ouviu aquela frase? “Ruim contigo, pior semtigo”? Pois é! É dessas pessoas que estou falando! Os relacionamentos ioiô nesses casos acontece assim, um dos dois termina e tenta “encontrar alguém melhor”. Como encontrar alguém melhor se você mesmo não consegue ser melhor? Não se esforça para ser melhor? Não dá meu amigo! Aí a pessoa fica CARENTE e depois de tentativas em vão volta para a pessoa que não ama de verdade, volta novamente só para não ficar sozinha e vive assim um pseudorelacionamento. Eu falei em um tom um pouco irônico, mas para esses casos o que acredito ser a melhor saída é a busca de uma ajuda psicológica, para melhorar a autoestima, juntamente com a busca incessante pelo autoconhecimento.

Um dos casos mais comuns são os namorados PILANTRAS. Isso mesmo! Pilantras! Quem são os namorados pilantras? Aprendi isso com um grande padre brasileiro, o Christian Shankar. Os namorados pilantras são aqueles que terminam 2 ou 3 dias antes do carnaval e querem voltar 2 ou 3 dias depois do carnaval. Por que será que eles fazem isso, hein? Acho que nem preciso responder não é mesmo? Pois é! Esses são os namorados pilantras. Mas sabe de uma coisa! Muitos casais ACEITAM isso. Nessa hora eu tomo as palavras do padre Christian. Quem aceita isso merece “levar chifre mesmo”. Só mesmo uma terrível autoestima e sentimento de desprezo por si mesmo para aceitar isso. Eu digo a você que o mais importante é SE AMAR primeiro. Se você se ama e consegue ser feliz e equilibrado sozinho, pode ter certeza que isso que acabei de citar jamais acontecerá, porque você jamais permitirá que aconteça, entende? Espero ter sido bem claro na minha colocação. Quero aproveitar para compartilhar o vídeo em que ele fala sobre isso, um vídeo falando sobre 10 conselhos para quem quer namorar alguém. Esse foi um dos melhores vídeos falando sobre relacionamentos que assisti em toda a minha vida, super engraçado e direto…

Outra possibilidade também é se alguém tem problemas mal resolvidos do passado. Esse pode ser um grande “abacaxi”, porque muitas dessas pessoas sofrem de algo que denomino “MEDO DE REVELAR OS MEDOS”. São pessoas que sentem que quando alguém está prestes a adentrar e seus territórios feridos das emoções, ou se fecha no seu mundo de sombras ou muda totalmente o assunto. Vários relacionamentos ioiô passam por essas situações. O indivíduo que sofre desse medo se sente sufocado pelo outro, como se o outro quisesse fazer um interrogatório sobre o seu passado. Para esse tipo de casal e situação o meu conselho é simples e precioso. Evite conversar sobre o passado da outra pessoa! Lembre-se sempre da frase do grande Roberto Carlos: “o que passou não quero mais lembrar, só quero ter você aqui…”. Dessa forma a pessoa se sentirá muito mais confortável e segura. Também escrevi sobre isso. Para quem quiser ler, seguem os links.

medo de revelar os medos

um segredo dos relacionamentos duradouros

Outro caso um pouco mais sutil e complexo acontece com as pessoas nostálgicas, esse tipo de relacionamento ioiô mexe com o inconsciente do indivíduo, por isso que é mais complexo. Como acontecem esses casos? Um dos dois termina e aquele mais nostálgico fica sofrendo em demasia ao lembrar os melhores momentos que o casal passou junto, e como a nostalgia sempre é a lembrança de algo bom e carregado de emoções positivas, a pessoa desvia seus pensamentos daquilo que foi conflituoso e levou ao rompimento amoroso e volta a pensar no relacionamento em suas fases mais iniciais, que certamente estavam carregadas de emoções positivas e, acima de tudo, de paixão. Dessa forma, a pessoa também fica carente e “louca” para voltar o relacionamento, o que acaba acontecendo. Porém, a realidade mostra que já não existe mais paixão e dentro de pouco tempo um dos dois decide terminar mais uma vez, e fica um ciclo quase interminável de terminar-voltar-terminar-voltar! Você se identificou com essa possibilidade? Essa é a mais complexa que já consegui entender com mais detalhes!

Existem outras possibilidades, mas acho que falei as principais. Evite os relacionamentos ioiô, eles só revelam MEDOS, INSEGURANÇAS, CARÊNCIAS, e principalmente INFANTILIDADES.

Para concluir esse post com um gostinho especial, nada melhor do que um forrozinho pé de serra que eu adoro, do grande cantor e compositor Dorgival Dantas, a música “amor covarde”

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Medo da própria sombra

Por Isaias Costa

com medo da própria sombra

Outro dia li um artigo bem interessante do grande filósofo brasileiro Mario Sergio Cortella chamado “Janus à espreita”, no qual em determinado trecho ele falava sobre essa sociedade doente e cada vez mais repleta de desequilíbrios na qual estamos inseridos. O trecho é este aqui embaixo:

“Assim caminha a humanidade… Caminha em conjunto? Caminha camuflada e amedrontada? Caminha agora mais sozinha do que antes? Caminha em direção ao outro? Basta um exemplo a bem recordar: há poucas décadas, independentemente do tamanho da cidade, quando alguém, tarde da noite, saía a pé de algum lugar (trabalho, escola, igreja, clube etc) e caminhava só em direção ao próprio lar, ouvir passos de outra pessoa representava um certo alívio: Agora vou ter companhia! E os dois seguiam andando juntos… Hoje, quando, na mesma circunstância, são ouvidos ruídos humanos, já se pensa: meu Deus do céu, vem vindo alguém… O que aconteceu? Que princípio foi violentado? Antes o outro era até um amparo; tínhamos medo, quando muito, de alma de outro mundo. De que se tem medo agora? Do outro, porque, em vez de ser alguém que pode nos proteger, é eventual ameaça feroz.”

Mario Sergio Cortella

Essas palavras são bem simples, mas podem nos levar a uma importante reflexão. Lendo esse texto me veio em mente uma pergunta que digo com bastante sinceridade que não sei a resposta: “Para onde caminha a raça humana?”. Essa simples perguntinha com apenas 6 palavras pode levar a debates sem fim e à escrita de milhares de teses. Essa pergunta é de uma complexidade que faltam palavras para descrever…

Até bem pouco tempo a sociedade não era tão dominada pelo medo dos outros como vemos hoje. Nossas casas estão cheias de cercas elétricas, muros, grades, alarmes, cães ou até mesmo guardas. Mas tudo isso não nos livra do medo dos outros, na realidade é a prova mais que concreta desse medo. É como diria o Humberto Gessinger na sua canção “Muros e Grades” – “Os muros e as grades nos protegem de quase tudo, mas o quase tudo quase sempre é quase nada e nada nos protege de uma vida sem sentido…”. Ele foi muito feliz ao compor essa canção, pois a nossa sociedade está realmente assim, cheia de muros e grades, mas com milhões de pessoas vivendo sem sentido, como se nossa estada por aqui fosse um mero passar de dias. Qual o sentido da vida? Será que ela se torna melhor quando nos isolamos por medo dos outros? Será que aquela pessoa que se aproxima de nós em uma noite escura está querendo realmente nos fazer algum mal ou isso não é apenas reflexo dessa sociedade doente? Pense sobre isso…

o quase tudo quase sempre é quase nada

Essa reflexão do Cortella nos leva a pensar também sobre o INDIVIDUALISMO das pessoas. Não queremos mais companhia de ninguém, em vez de contato real preferimos o contato virtual, cheio de superficialidades, muitos não querem mais ter filhos, muitos nem cogitam a ideia de se casar ou ter uma união estável. Já parou pra pensar em quantas pessoas estão optando por ter vários animais de estimação em casa em vez de filhos? Por que será? Não sei se você já parou pra pensar nessas questões, mas isso vem martelando na minha mente a bastante tempo. Para onde todo esse individualismo vai nos levar? Será que vale a pena viver a política do “cada macaco no seu galho” ou do “melhor só do que mal acompanhado”? São tantas as perguntas…

Do que você tem medo? Você tem medo das pessoas? Teme confiar de forma profunda em alguém? A quem você é capaz de confiar seus maiores segredos? Existe alguém que você ame com amor incondicional? Você tem medo de você mesmo e de suas reações diante das dificuldades, das frustrações, dos fracassos, das angústias? Medo, medo, medo… Quero deixar essa reflexão e essas muitas perguntas para que você pense e reflita. Para instigar essa reflexão, compartilho também uma belíssima música do incrível compositor Belchior chamada “Pequeno mapa do tempo”

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A arte da dúvida

Por Isaias Costa

tumblr_ll0iaqDypP1qfxmszo1_500

Outro dia eu li um texto simplesmente incrível do místico oriental Osho e vou fazer uma pequena reflexão sobre ele:

Houve certa vez, numa cidadezinha, um homem acusado por toda a população de ser o maior idiota que já existiu. Obviamente ele tinha uma vida difícil. Não importava o que dissesse, as pessoas sempre começavam a rir – mesmo que ele estivesse dizendo uma coisa bela e verdadeira.

Mas como ele era conhecido por ser um idiota, um tolo, as pessoas achavam que qualquer coisa que fizesse e dissesse só poderia ser uma estupidez. Ele podia estar citando sábios, mas ainda assim as pessoas riam dele.

Ele procurou um velho sábio e disse que estava pensando em cometer suicídio, pois não suportava mais viver. “Essa acusação constante é demais para mim – não posso mais suportar! Ou você me ajuda a encontrar uma saída ou vou me matar.”

O velho sábio deu risada. E disse: “Isso não é problema, não se preocupe. Faça apenas uma coisa: comece a dizer não para tudo; depois volte a me procurar daqui a uma semana. Comece a questionar o que quer que seja. Se alguém disser: ‘Olhe, o pôr-do-sol, que beleza!’, pergunte no mesmo instante: ‘Onde está a beleza? Não vejo nada – prove que há beleza! O que é a beleza? Não existe beleza neste mundo. Isso é pura bobagem!’ Insista nas provas, diga: ´Prove onde está a beleza. Deixe-me vê-la, deixe-me tocá-la. Dê uma definição’. Se alguém disser: ‘A música é extasiante!’, pergunte sem pensar duas vezes, ‘O que é êxtase? O que é música? Defina esses termos com clareza. Não acredito em nenhum êxtase, é tudo uma tolice, tudo ilusão. E a música nada mais é do que o barulho’”.

“Faça isso todos os dias e, depois de uma semana, me procure. Seja negativo, faça perguntas que ninguém pode responder: ‘O que é a beleza, o que é o amor, o que é o êxtase?’ O que é a vida, o que é a morte, o que é Deus’”.

Depois de sete dias o homem tolo voltou a procurar o sábio, e foi seguido por muitas pessoas. Ele estava muito bem trajado e tinha uma guirlanda na cabeça.

O sábio perguntou: “O que aconteceu?”

E o tolo respondeu: “Foi mágico! Agora a cidade inteira acha que eu sou o homem mais sábio do mundo. Todo mundo acha que eu sou um grande filósofo, um grande pensador. As pessoas se calam diante de mim, sentem medo. Na minha presença, reina o silêncio, pois seja lá o que digam, eu transformo numa pergunta e me torno absolutamente negativo. O seu truque funcionou!”

O sábio perguntou: “Quem são essas pessoas que estão seguindo você?”

Ele disse: “São os meus discípulos – eles querem aprender comigo o que é sabedoria!”
É assim que as coisas são. A mente vive no não, ela só diz não; o seu combustível é dizer não para tudo. A mente é basicamente ateísta, negativa. Não existe mente positiva.

Osho

Esse texto fala sobre a nossa mente, que quase sempre se volta para aquilo que é negativo. Por causa desta tendência, deixamos de cultivar a sabedoria, que se desenvolve através do silêncio e da arte da dúvida. É impossível se tornar sábio sem ser questionador. Eu sempre gostei de questionar as coisas, não gosto de simplesmente engolir “goela abaixo” tudo o que os outros me impõem. Acho isso fundamental, pois me ajuda a discernir melhor as coisas, a tomar melhores decisões e saber o que é melhor para mim.

O rapaz da história se tornou o homem mais sábio da cidade porque se tornou questionador, e ninguém estava habituado a questionamentos. Ele vivia no meio de um bando de medíocres, que pensavam ser mais do que realmente eram. O fato dele levar questionamentos por onde passava fez com que ele se tornasse sábio. A sabedoria e a arte da dúvida andam de mãos dadas. Quero aproveitar a oportunidade para citar um dos livros mais incríveis que li em toda a minha vida, que se chama “O futuro da humanidade”, do psiquiatra Augusto Cury. Neste livro, ele disserta a respeito da arte da dúvida de forma instigante e provocativa. É impossível tratar deste assunto em poucas linhas. Procure esse livro! Ele é facílimo de conseguir o pdf ou comprar em livrarias. Eu fiz uma pequena sinopse deste livro, abordando as mensagens que mais foram importantes para mim. Você pode lê-lo clicando no link logo abaixo…

O futuro da humanidade

O Osho ensina de forma magnífica o que é a sabedoria e como adquiri-la. Vou deixar também um link de outro texto que fiz uma reflexão a partir de suas palavras, diferenciando sabedoria de conhecimento. Segue o link com o texto.

sabedoria e conhecimento

E para concluir, compartilho uma belíssima frase do mestre Rubem Alves para que você continue filosofando sobre esse tema tão instigante, além de um texto que escrevi me baseando em uma das músicas mais geniais do Raul Seixas, chamada “Aquela Coisa”. Questione-se…

“Pensar é voar sobre o que não se sabe. Não existe nada mais fatal para o pensamento que o ensino das respostas certas. As respostas nos permitem andar sobre a terra firme. Somente as perguntas nos permitem entrar pelo mar desconhecido.”

Rubem Alves

Aquela coisa

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Lições de vida de uma senhora de 103 anos

Por Isaias Costa

fotoseducagestao3

Eu assisti a um vídeo que me levou a refletir bastante sobre coisas simples da vida, mas que muitas vezes não damos o devido valor. Era o vídeo de uma senhora de 103 anos que estava aprendendo a ler com o objetivo de aprender algo de bom no tempo ocioso e, principalmente, para ler a bíblia. O link do vídeo está logo abaixo.

Eu tenho uma profunda admiração pelas pessoas idosas, porque quase todas possuem lições de uma vida inteira para passar às pessoas. Quando estou ao lado de idosos, fico em silêncio, prestando atenção em tudo o que eles dizem e absorvendo o que de melhor eles têm pra me dizer. Lembro sempre com muito carinho da minha avó, que me ensinou virtudes e sabedorias que carregarei comigo para sempre. Uma das sabedorias que ela me ensinou foi que, onde existem pessoas unidas e que se amam, nunca falta nada, por mais que as condições financeiras não favoreçam… Até hoje me impressiono com isso, pois vivi na pele essa realidade. Minha família sempre foi muito pobre financeiramente, mas sempre teve o ESSENCIAL, que é o amor, o companheirismo, a amizade, o respeito, a gratidão. Com tudo isso, não faltava as coisas materiais, pois as adquiríamos através do nosso esforço pessoal no trabalho, e através de muitas ofertas carinhosas e generosas dos nossos familiares. Lembro que quase todas as minhas roupas na infância eram doadas dos amigos e amigas da minha mãe, tios, tias etc.

Adorei as palavras da senhora de 90 anos quando perguntada sobre “O que ela, nos seus 90 anos, ensinaria para as pessoas”. E ela respondeu com convicção: “Amar à Deus e amar ao próximo…”. Nessas poucas palavras ela resumiu toda a sua vida de alegria e vitórias. Eu acho incrível como existem milhões de pessoas que passam a vida inteira amarguradas e infelizes, sem conseguir aprender essas coisas simples e que mudam para sempre a nossa vida. Ela ensinou nesse vídeo um dos caminhos para a felicidade, que em minha opinião, é o maior, pois tem como fundamento o maior de todos os sentimentos, o AMOR. O objetivo da nossa vida é aprender a amar e ser amados, tudo o mais vem como complemento. Não é à toa que o mestre dos mestres Jesus Cristo nos disse: “Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça e tudo o mais vos será acrescentado”. Isso é uma outra forma de dizer: “Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. Essa justiça que Jesus fala é o amor a Deus e aos irmãos.

Nesse vídeo a senhora conta o seu segredo para uma longevidade feliz e saudável, a AMIZADE. Quanto mais nutrimos boas amizades na vida, mas nos sentimos completos e realizados, e quando nos sentimos assim, conquistamos o equilíbrio das emoções, e conquistando o equilíbrio das emoções vem também uma boa saúde e uma maior satisfação com a vida. Busque verdadeiros amigos e valorize-os, pois eles são um tesouro inestimável.

https://paralemdoagora.wordpress.com/2014/01/16/a-base-das-amizades/

É impressionante também a sua lição de persistência e perseverança. É muito fácil estar na idade dela e dar mil e uma desculpas para não estudar, como: “Estou muito velho para aprender isso”, “Estou perto de morrer”, “Não tenho mais uma boa visão”, “Minha memória é péssima”, “O que vão achar de uma estudante de mais de 100 anos?”… Desculpas sempre vão existir, mas ela superou tudo e encarou o desafio de aprender a ler. Tem um detalhe interessante que vale ser ressaltado, ela tinha um grande objetivo, tinha uma meta extremamente motivadora para a sua realização, ler a bíblia, que para ela era de uma importância totalmente fora do comum, estava ligada aos seus valores humanos mais importantes. Com esse objetivo em mente, só restou a ela a certeza da vitória. Tantas pessoas bem jovens já perderam a esperança na vida… Falo com bem sinceridade, através do que já consegui aprender, precisamos ter um objetivo grande, algo que carregue os nossos maiores valores humanos. Quando estamos com esse foco nas nossas habilidades, tudo conspira ao nosso favor e à nossa realização pessoal, dando sentido e esperança à nossa vida.

Essa foi apenas uma breve reflexão dos muitos ensinamentos que essa linda senhora tem a nos passar nesse vídeo. Com certeza há muito mais a ser falado sobre ele. Se quiser contar algo de sua própria experiência ou de alguém que você conhece, fique à vontade para comentar! Tenho certeza que cada ser humano tem belas histórias e magníficas lições para contar e que podem transmitir bons ensinamentos, como fez a querida Ana da Cruz

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixar tudo pra última hora

Por Isaias Costa

procrastinacao

Hoje eu vou falar sobre um tema de enorme importância e todos sabem muito bem dela, mas muitos não conseguem melhorar, a PRODUTIVIDADE. O título deste post é bem chamativo, porque sei que a grande maioria das pessoas faz exatamente como está nele: DEIXAM TUDO PRA ÚLTIMA HORA. Eu não me excluo desta lista! Muitas vezes também deixo tudo pra última hora.

Você sabia que existe uma lei que explica isso? Fiquei impressionado quando conheci! Chama-se LEI DE PARKINSON. Trata-se de uma lei publicada por Cyril Northcote Parkinson em 1955, em uma revista chamada The Economist. O que é a lei de Parkinson? Ela tem o seguinte enunciado: “O trabalho se expande de modo a preencher o tempo disponível para a sua realização”. Bem simples e direta não é? Esta lei também recebe vários outros nomes como: enrolar, empurrar com a barriga, fazer nas coxas etc. Mas também tem um nome chique pra isso e talvez seja um termo novo pra você: PROCRASTINAÇÃO. Acha feia essa palavra? Procrastinação é deixar tudo aquilo que é importante pra depois e ficar concentrado em coisas fúteis. O resultado da procrastinação você já sabe qual é! Trabalho mal feito, estresse, reclamações do chefe, baixo rendimento, e quando a coisa é feia pode vir até o bendito “FIRED”, que é ser demitido.

Mas qual o meu objetivo ao dizer tudo isso? O que quero dizer é que existem formas de evitar que isso ocorra, e formas das mais variadas possíveis. Não posso nem contabilizar, são milhares de formas. Vou citar apenas algumas e espero que lhe ajude.

1) Ter uma agenda, na qual você possa escrever todas as suas atividades do dia, da semana, ou até mesmo do mês. Não escrevo em agenda, mas garanto que pode funcionar para muitas pessoas terem uma melhor produtividade;

2) Ser mais metódico nas atividades diárias. Como o próprio nome diz, isso serve para as pessoas mais metódicas. É você estabelecer bem as horas do dia para cada tarefa, de modo a fazer o máximo possível dentro das possibilidades pessoais;

3) Utilizar de alguma ferramenta ou meio que lhe incentive a trabalhar de forma mais concentrada. Essa é muito importante! Por exemplo, se você só consegue estudar bem se for com música nos ouvidos, perfeito. Pegue seu fone de ouvido e ouça sua música! Se isso faz de você alguém mais produtivo, vá em frente! Utilize essa ferramenta! Ou se você é alguém que só consegue estudar se for dentro de uma biblioteca, totalmente isolado do mundo, maravilha! Faça isso! Fique isolado e aprenda bem os conteúdos. Ou se você é alguém que só consegue estudar se for em grupo, beleza! Crie um grupo de estudo com pessoas responsáveis, veja bem, RESPONSÁVEIS, pessoas que sejam como você, que querem aprender, mas só conseguem se for em grupo. Está vendo? Não tem fórmula nem mágica, apenas a melhor forma de você ser produtivo;

4) Fazer alguma atividade física! Isso eu faço sempre e me ajuda demais. Adoro correr ou fazer exercícios. Depois que termino e volto encharcado de suor pra casa, tomo um banho e tudo que faço fica melhor, consigo me concentrar de forma impressionante. Pratique algo que goste e lhe dê prazer!

5) Criação de mapas mentais. Essa é pra quem trabalha com algo mais voltado para publicidade, jornalismo, arquitetura, empreendedorismo, economia etc. Os mapas mentais são formas de estruturar suas tarefas de forma concisa e prática. Dessa forma fica tudo muito mais fácil para você e para todos que trabalham junto com você. Seu chefe ou patrão vai lhe elogiar pela organização e objetividade, e com certeza sua situação no emprego estará sempre bem, você poderá, quem sabe, até subir de cargo com estes mapas. São realmente muito bacanas. Se você gostou desse método recomendo fortemente ler esse link aqui em baixo. Nele, o autor (Seiti Arata) dá várias dicas de como criar um mapa mental. Confira…

Como fazer mapas mentais?

Existem milhares de outras formas e conteúdos para melhorar a produtividade. Quer uma dica legal? Pesquise na internet! Lá está repleto de conteúdos sobre isso. Seja curioso, escreva algumas das palavras que escrevi neste post. Tenho certeza que você vai se surpreender com o que vai encontrar. O Google é muito inteligente! Explore-o com vontade. Ele adora ser explorado. Depois veja o que vai acontecer na sua vida. Vamos deixar a lei de Parkinson apenas como uma teoria e melhorar a nossa produtividade verdadeiramente…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Whatsapp e o emburrecimento das pessoas

Por Isaias Costa

whatsapp

Ultimamente eu tenho reparado em uma coisa que, em um primeiro momento, pode até parecer banal, mas se você ler esse texto até o fim, vai perceber que se trata de algo bem importante. Estou percebendo que o aplicativo whatsapp está crescendo de forma avassaladora, enquanto o facebook está pouco a pouco diminuindo o número de usuários e o tempo que se passa conectado nele.

Certo! O que há de tão importante a ser falado sobre essa constatação? Vou explicar. O facebook é uma rede social bastante interativa e simples. Eu gosto dele, de verdade, acesso-o diariamente. Essa rede social nos possibilita compartilhar ideias, textos, músicas, fotos, experiências, fazer anúncios, grupos de discussão, estudo etc etc. Se você souber utilizá-lo de maneira adequada, pode aprender muito, muito mesmo, como eu tenho feito, ao publicar meus textos e acompanhar páginas excelentes com conteúdos extremamente relevantes.

Porém, tem havido uma tendência, principalmente entre os adolescentes de 15 até os 20, 21, 22 anos, de passar a maior parte do tempo livre (e muitas vezes até o tempo dos estudos ou trabalho) no whatsapp. Não sou contra o whatsapp nem em ficar um tempo conectado nele, agora o que eu tenho percebido e constatado, é que o teor da maior parte das mensagens enviadas pelos usuários é pífio, ridículo e ignorante. São vídeos de pura comédia, ou como constato com mais frequência, vídeos de teor sexual e pornográfico, mostrando cenas e fotos das mais diversas possíveis, quase sempre com o objetivo de fazer rir. Eu vou ser bem sincero, não vejo graça nenhuma em compartilhar vídeos ridículos apenas para rir, para mim isso não passa de pura idiotice. Pode discordar de mim se quiser, eu não importo nem um pouco, falo como um dos meus maiores mentores, o grande empresário brasileiro Flávio Augusto: “Não gostou? Pede pra sair!”. Eu não escrevo neste blog pensando em ter milhares de leitores, nada disso! Escrevo aqui porque amo fazer isso e porque eu quero contribuir com e elevação do nível de consciência das pessoas. Se você não gostou deste texto ou do blog, pode parar a leitura e clicar no “dislike” do facebook…

Sabe o que eu penso? E até já comentei outras vezes? A cada dia, a nossa população está ficando mais burra e preguiçosa, o interesse pelo conhecimento e pela cultura está cada vez mais sendo colocado de lado. Estamos distraídos, apressados, pensando em consumir e consumir, e ficando mais infelizes por isso. As pessoas estão perdendo o prazer pelas leituras, dispensando aquelas que são extensas e que fazem pensar. Os grandes escritores estão se tornando artigos de museu e suas belas obras estão entregues às baratas pela grande massa. Se eu perguntar a um adolescente quem foi Schopenhauer, Wittgenstein, Gabriel García Márquez, José Saramago, Nietzsche, Bachelard, Aldous Huxley, Franz Kafka, Dale Carnegie, Leonardo Boff, Fritjof Capra, Napoleon Hill e tantos outros gênios da literatura, provavelmente vou ouvir como responda um “Âhh? O quê?”. Isso me deixa muito triste e ao mesmo tempo pensativo quanto ao futuro. Para onde caminha a nossa sociedade? Não quero ser pessimista, mas não estou com grandes esperanças quanto a evolução do nível intelectual. A realidade tem nos mostrado o contrário, e pode ter certeza que o bendito whatsapp tem relação com tudo o que estou dizendo aqui.

Precisamos nos espelhar nos grandes gênios da humanidade, conhecer um pouquinho de suas histórias de vida e tentar, pelo menos seguir algo de bom que eles tenham transmitido e ensinado. Quero lhe convidar hoje a sair do whatsapp e ler sobre quem são os autores que citei acima, ou ler algo sobre Albert Einstein, Isaac Newton, Galileu Galilei, Gauss, Nicolau Copérnico, Johannes Kepler, James Klerk Maxwell, Thomas Edison, Leonardo da Vinci, Michelangelo, Victor Hugo, Santos Dumont etc. Esses grandes nomes estão ficando esquecidos e as nossas referências estão pouco a pouco sendo niveladas por baixo. Você sabia que ter grandes referências é o nosso maior catalisador para o sucesso? Quando nos espelhamos nos melhores, nos tornamos tão bons ou até melhores do que eles. Quais referências você quer pra você? Eu quero as que citei neste texto e muitas outras. Se quiser ler um pouco mais sobre isso, compartilho um texto antigo do blog que explora esse tema.

As grandes referências

Quero concluir falando do filme que já citei algumas vezes no blog, chamado “Idiocracia”, o whatsapp é, em minha opinião, o começo da instalação da sociedade dominada pelos idiotas. Repare bem! As pessoas rindo das besteiras que são compartilhadas! Não sei pra você, mas para mim parece um bando de idiotas que não sabem escolher o que é melhor para si. Desculpe a minha franqueza, mas é assim que eu penso, fique à vontade para discordar de mim…

idiocracy

Você quer viver em uma sociedade dominada pelos idiotas? Se não! Recomendo que assista ao filme “Idiocracia”, e se tiver whatsapp, que pare de ficar compartilhando tanta besteira. Ahh! Só a título de informação! Eu não tenho whatsapp, e provavelmente nunca terei…

33 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Os primeiros 30 segundos

Por Isaias Costa

Escrevendo na areia

Eu sou um amante do silêncio e já aprendi o quanto ele tem relação com a sabedoria. Estamos vivendo em um mundo cada vez mais barulhento e solitário, onde a maior parte das pessoas se projeta o tempo todo para fora de si mesmas e não adentram os seus territórios emocionais e sentimentais. Está cada vez mais difícil parar, silenciar, se aquietar, respirar profundamente, sentir a existência. Por que? Porque este mundo exige produção. Está voltado para o lucro, para o ter, para o consumismo, para o acúmulo de bens materiais. Essa forma de mundo não combina com a serenidade e a paz, ou com o olhar interior, mas volta-se para o exterior, para a casca, a superficialidade.

Ouvindo uma palestra do psiquiatra e escritor Augusto Cury, fiquei refletindo sobre suas palavras. Em determinado momento ele falou que as palavras mais infelizes, os maiores erros, as piores decisões e as reações mais instintivas do ser humano, acontecem nos primeiros 30 segundos de tensão, os segundos cruciais nos quais a pessoa está totalmente dominada pelo ego, por pensamentos deletérios e por sentimentos pequenos. Nestes 30 segundos somos capazes de romper um relacionamento amoroso, de acabar uma amizade sólida e antiga, de ferir para sempre o coração de alguém, de fazer alguém criar complexos de inferioridade, mágoas, fobias, transtornos, ou o pior de tudo, podemos tomar a atitude cruel de acabar com a nossa própria vida ou com a vida de alguém, através do suicídio ou de um homicídio.

Pequenas reflexões sobre o suicídio

O foco de tensão que o Dr. Augusto Cury fala está presente em cada ser humano e deve ser trabalhado fazendo uma limpeza das zonas de conflito psíquicas. Para se fazer isso existem diversos caminhos como: terapias, consultas em psicólogos ou psiquiatras, um mergulho no autoconhecimento através de livros, filmes, palestras, ou através de amizades verdadeiras e profundas para repartir a dor que assola o coração. Todos esses caminhos são exigentes e requerem grande disposição de energia e tempo, que são absolutamente necessários para o nosso equilíbrio emocional.

Existe um episódio magnífico nas escrituras do evangelho em que Jesus está sob um imenso foco de tensão, mas a maior parte das pessoas não observa ou atenta para isso. Trata-se da passagem em que uma prostituta é pega em adultério e posta na frente de Jesus para ser julgada por ele. Através de uma interpretação mais rasa e superficial, nós pensamos que a resposta de Jesus aos acusadores foi “Todo aquele que não tiver pecado que atire a primeira pedra”. Esta foi, na realidade, a segunda resposta de Jesus.

Sabe qual foi a primeira? O SILÊNCIO! Quando os acusadores fizeram a pergunta, Jesus estava calmamente escrevendo na areia e pregando para algumas pessoas, depois que fizeram a pergunta, ele abaixou a cabeça por um tempo, que certamente foi de pelo menos 30 segundos, continuou escrevendo na areia, e depois levantou e bradou uma das palavras mais sábias já proferidas por um ser humano. O que aconteceu nesta passagem? Jesus estava tenso e ficou raciocinando qual seria a resposta ideal que faria uma revolução na sua própria mente, na dos acusadores e na da prostituta, e foi exatamente isso o que aconteceu, em poucos segundo ele fez toda essa revolução.

Ele fez os homens olharem para dentro deles mesmos, reverem as suas mazelas e erros, de forma a tornarem-se menos julgadores. Ele não julgou nem condenou a mulher, deixou-a livre para seguir a sua vida. A partir deste dia ela nunca mais foi a mesma, o amor e as palavras deste mestre entraram no mais profundo do seu ser e mudaram as rotas da sua vida e da sua mente. Eu penso que, se Jesus não tivesse silenciado nesta hora, provavelmente não daria uma resposta tão profunda e penetrante. Ele amava o silêncio e a contemplação, o que fez dele o mestre dos mestres.

Da mesma forma que Jesus, podemos fazer esse exercício de pensar antes de reagir, tomando essa atitude poderemos agir com mais sabedoria, evitando arrependimentos e a instalação de dores emocionais em nós e nos outros. Que você reflita sobre essas poucas palavras e, na próxima vez que estiver em um foco de tensão, dê como resposta o silêncio. Pode ter certeza que, nesta hora, essa será a melhor resposta…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Valores humanos que mudam o mundo

Por Isaias Costa

cl_37716

Outro dia eu li algumas palavras extremamente sábias que foram ditas pelo grande Mahatma Gandhi e que me fizeram refletir bastante…

A VIDA É UM ESPELHO

Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem o ser humano. Ele respondeu assim: A Política sem princípios, o Prazer sem compromisso. A Riqueza sem trabalho, a Sabedoria sem caráter, os Negócios sem moral, a Ciência sem humanidade e a Oração sem caridade.

A vida me tem ensinado que as pessoas são amáveis, se eu sou amável; que as pessoas estão tristes, se eu estou triste; que todos me querem, se eu os quero; que todos são maus, se eu os odeio; que há faces sorridentes, se eu lhes sorrio; que há caras amargas, se estou amargo; que o mundo está feliz, se eu estou feliz; que as pessoas são terríveis, se eu sou terrível; que as pessoas são agradecidas, se eu sou agradecido.

A vida é como um espelho: Se sorrio, o espelho me devolve o sorriso. A atitude que tomo frente à vida, é a mesma que a vida tomará diante de mím. “Quem quer ser amado, que ame”.

Se você prestar bastante atenção nestas palavras, poderá observar que ele expôs a sua própria mística de vida, a não violência, pois essa mística tem por base o amor, então para receber amor nós devemos oferecer e se quisermos oferecer amor, devemos estar abertos para também receber, é exatamente como um espelho, é impossível haver harmonia se houver apenas um dos dois. Se quiser ler um pouco mais sobre isso, compartilho um texto anterior que explica com mais detalhes o dar e receber amor.

Dar e receber amor

Quero ressaltar principalmente a não violência, que acredito ser o caminho único e fundamental para que a nossa sociedade se torne mais equilibrada e harmoniosa. O Brasil está passando por um período turbulento que tende a crescer e tomar proporções extraordinárias. Porém, as pessoas estão se manifestando com um imenso sentimento de ódio carregado muitas vezes até de experiências acumuladas lá na infância ou que foram se acumulando por descuido das emoções pessoais. Recentemente li um artigo incrível do terapeuta André Lima que falava sobre a “sombra coletiva”, que é a ira e sentimento de ódio ou vingança que cresce quando as multidões se juntam por uma causa como as manifestações que ocorreram em junho de 2013 ou como as que estão ocorrendo agora. Recomendo fortemente a leitura deste artigo, porque ele pode lhe levar a refletir que a cura das emoções é um processo único e exclusivamente pessoal e que se esse processo não acontecer, nós corremos o risco de nos tornarmos agressivos em determinadas situações e nem nos darmos conta destas reações inusitadas. Se você que me lê agora já passou por experiências de se enfurecer rapidamente e sem motivos concretos, recomendo ainda mais a leitura. O link está logo abaixo.

Sombra coletiva

O que destrói o ser humano e, consequentemente, a sociedade, é a falta de amor. Só o amor é capaz de fazer uma verdadeira revolução neste país. Nós precisamos buscar a sabedoria e as virtudes elucidadas pelo Gandhi em seu texto, princípios políticos, compromisso no mais profundo da palavra, riqueza de espírito, conquistada através do esforço pessoal, um caráter firme e sólido, moral, humanidade e caridade. Agora eu lhe pergunto: “É fácil adquirir todas essas virtudes e valores?”. Com certeza não! É algo que se leva uma vida inteira, mas que é preciso ser buscado diariamente para se iniciar uma revolução. Gandhi conseguiu fazer uma revolução na Índia através da não-violência e acredito profundamente que podemos fazer o mesmo no Brasil, lutando pela paz e por adquirir os valores já citados.

Assim como a vida é um espelho, a sociedade é um espelho de seu povo, de sua política, da sua história. Se as pessoas são movidas por sentimentos corruptos e mesquinhos, a sociedade reflete isso. Nós devemos firmar um caráter honesto e firme, para que a sociedade reflita honestidade. Isso pode parecer um sonho, mas eu acredito nele e por isso que estou escrevendo, pois tenho certeza que não estou sozinho, muitos têm o mesmo pensamento que eu. Nos juntando, podemos criar uma corrente do bem. Eu, você, todos nós…

Portanto! Reflita sobre essas poucas palavras e busque elevar os seus valores humanos. Somente assim poderemos nos unir e fazer acontecer a mudança tão sonhada para o crescimento efetivo e verdadeiro no Brasil…

Sugestões de leitura
* Gandhi e a comunicação não-violenta
* A luta pela paz

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A grande farsa: protestos estão fazendo o mundo melhor

Por Isaias Costa

antesdepois

Eu li um artigo maravilhoso do empresário brasileiro Marcos Rezende, administrador do belo site de empreendedorismo chamado Insistimento, em que ele fala sobre esses protestos extremamente violentos que estão ocorrendo no Brasil. Concordo absolutamente com o seu posicionamento e por isso resolvi compartilhar seu artigo aqui no blog.

Para fazermos uma verdadeira revolução no Brasil, precisamos de amor, paz e consciência, só isso. O amor é o sentimento mais forte que existe e ele é capaz de mover montanhas. Conhecemos bem o ditado que diz: “A fé remove montanhas”, mas será que um coração que não ama consegue ter fé? Eu acredito profundamente que não. Portanto! Vamos refletir sobre essas palavras tão sábias e elevemos o nosso nível de consciência, para assim, mudarmos pouco a pouco a realidade do nosso país…

****

Alguns dirão que são os protestos e as guerras que fizeram o mundo avançar. Dirão que foram eles que propiciaram a riqueza e a liberdade que usufruímos hoje. Acrescentarão que só depois de uma guerra é que um país ficou livre ou que um povo teve sua independência. Pessoas foram às ruas e morreram em suas catarses. Protestaram, ofenderam, mataram e até chegaram a modificar algo na sociedade pela força. Entretanto, no final das contas, todo o resultado foi sempre uma concessão temporária, não uma conquista definitiva.

Se eu pintar o muro da minha casa de verde, aparecerão os que concordam que o verde cai bem da mesma forma que surgirão aqueles que dizem que ter pintado o muro de verde não foi uma atitude bacana.

Há milênios vivemos em uma sociedade com duas opiniões bem distintas e opostas sempre tentando ganhar a luta através da força. É o muro, é a opção sexual, é a cor de pele, é a classe social, é o sistema de governo, é a religião, enfim.

Nenhum protesto vai de encontro a real causa dos protestos

Fomos domesticados desde a infância a olhar pra fora e procurar os culpados pelos nossos problemas porque afinal, queremos ser felizes e acreditamos que a felicidade está nas coisas e nas relações que compõem a nossa vida. Por isso sentimos uma dor sem fim quando um amante vai embora, o time perde na final do campeonato, o governo comete algum deslize (ou muitos) e alguém ofende a nossa religião. Cada um desses aspectos da nossa vida são porto seguros da nossa personalidade e ficamos muito decepcionados quando perdemos algumas das amarras.

Acontece que a felicidade que buscamos não está fora de nós e sair pra rua para gritar, ofender, matar e humilhar (tanto do lado de quem protesta como do lado de quem tenta evitar o protesto) é bobagem. Enquanto brigarmos uns com os outros e nós, com o nosso passado, sofreremos muito.

O mundo não avançou porque fomos às ruas protestar.

O mundo avançou porque algumas pessoas decidiram fazer a sua parte da sua maneira, do seu jeito, lutando contra si próprio.

“Qualquer tipo de luta sempre é contra si mesmo.”

O gigante nunca vai acordar com esse barulho

Todo esse barulho não faz o gigante acordar, pois quem possui o gigante no peito se distrai bastante com o barulho de tiros, rojões e gritos de guerra.

Esses barulhos motivam quem tem o gigante no peito a pensar ser um gigante, mas não um gigante de verdade.

Continuamos adormecidos em frente as telas acompanhando e compartilhando nosso falso gigantismo.

Só quando abandonamos o desejo de sermos gigantes é que nos tornamos um, mas quem está disposto realmente a libertar o seu gigante?

A libertação dos escravos teria sido mais efetiva se todos os escravos juntos parassem de trabalhar resistindo sem violência a violência dos seus “donos”. O dono não poderia matar todos os escravos porque tinha que produzir para ganhar dinheiro e uma conversa teria que ser iniciada.

Outros protestos, contra a copa do mundo, contra o aumento de preço das passagens dos ônibus, contra o preconceito com a mulher, entre outros, poderiam ser todos guiados pelo real despertar do gigante. Aquele que não quebra e que não mata, mas que se modifica para ser a diferença que deseja no mundo.

Imagine várias televisões desligadas, supermercados vazios, estádios sem público, shopping às moscas e todas as pessoas juntas em casa preocupando-se com aquilo que é realmente mais importante para elas: sua família, seus afazeres e o seu futuro.

Porém é muito “difícil” (é mesmo?) abandonar o status de compartilhar com os amigos e familiares o que aconteceu ontem no reality show ou na novela. É muito “difícil” deixar de lado as grandes marcas de roupas. É muito “difícil” deixar seu time entrar em campo sozinho. Tudo é muito “difícil” porque apesar de querermos a felicidade e sabermos que ela virá do despertar desse gigante, queremos mesmo é continuar sendo aquilo que estamos sendo: protestadores!
Tudo o que precisamos é amor!

Precisamos amar a nós mesmos da maneira que somos e focar nos problemas do mundo que nós podemos realmente ajudar a resolver.

Abraçar as pessoas de todas as classes sociais, de todos os sexos e opções sexuais, de todas as cores e formatos.

Precisamos abraçar a ideia de que cada pessoa é diferente de nós, mas que nem por isso são contrárias a nós. Elas são apenas pessoas diferentes buscando a mesma felicidade que nós buscamos.

Esse post não é um incentivo a não ir pra rua protestar, mas para ir com a consciência que cada atitude nossa, por pequena que seja, já é um protesto.

* Protestemos todos os dias contra o pré-conceito de qualquer tipo dando o que temos a mão para quem nos pede, seja dinheiro ou alimento.

* Protestemos contra a má educação do país com “bons dias”, “boas noites” e palavras de gentileza em qualquer lugar que formos.

* Protestemos contra a ignorância de alguns sobre os outros conhecendo o nome de quem serve a nossa família, seja na pizzaria, na mesa de bar ou na portaria do prédio.

* Protestemos contra a violência sem agredir nossos filhos seja com palavras, atitudes ou ações. Repitamos isso no trânsito e no trabalho.

* Protestemos contra o sexismo lavando a louça ou consertando um vazamento em casa, seja homem ou mulher.

* Protestemos contra o preconceito de cor, vendo os benefícios de cada raça e elogiando a beleza de cada tipo de pele.

* Protestemos nas ruas, cada um, contra a corrupção pagando seus impostos, sem furar fila e fazer gato de luz, de água, de tv ou internet.

* Protestemos na rua contra a tristeza levando alegria a quem quer que cruze o nosso caminho.

* Protestemos, em tudo, com amor.

Se você quiser se unir a outras pessoas neste movimento pelo amor, vá em frente e abrace tantos quantos estranhos encontrar pela frente. Una-se a eles. Junte-se. Fique quieto. Medite até. Converse coisas amenas, não enfrente os outros, apenas se enfrente. Esta é a verdadeira revolução.

Se a polícia aparecer, abrace ela também, saia de onde ela não quer que você fique e continue caminhando com a multidão para onde você for levado por ela.

Quando assisto a qualquer uma das cenas dos protestos que acontecem agora no Brasil, enxergo as mesmas pessoas com os mesmos desejos em lados opostos ao invés de juntas.

Se cada um, ao ler esse texto, policial, político ou membro do protesto, libertar com amor o seu gigante, rapidamente teremos um país e um mundo melhor.

Mas como eu disse antes, parece ser “difícil”, muito difícil… infelizmente.

Site: http://www.insistimento.com.br/empreendedorismo/a-grande-farsa-dos-protestos/

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

A não-violência é a única solução para o Brasil

Por Isaias Costa

cinegrafista-morto-em-protesto-660x330

Nas últimas semanas houve um grande crescimento da violência e de manifestações e vários locais do Brasil. Essa é uma realidade que, infelizmente, tende a crescer, pois estamos no ano da Copa do Mundo, no qual sabemos o quanto houve corrupção, desvio de verbas, descaso, aproveitamento etc. Estou aqui hoje para expressar um pouco da indignação que sinto junto com milhões de outras pessoas. Abaixo, compartilho um artigo excelente do escritor Acid, que escreve no blog “Saindo da matrix”. Leia, reflita sobre ele e compartilhe com o máximo de pessoas que puder. Vamos fazer uma revolução neste país, a começar pela nossa consciência…

****

Geralmente os grupos mais radicais de esquerda se concentram nas Universidades no curso de História. Só que parecem se concentrar tão-somente na história da revolução Russa, pois são completamente avessos a aprender com qualquer outra história, até uma que aconteceu em junho do ano passado, aqui mesmo no Brasil:

Manifestações contra a passagem dos ônibus no sul do país e em SP resultavam em quebra-quebra, confrontos com a polícia e violência. A população não comprou a idéia, e a mídia martelava que eram só um bando de vândalos, tirando a legitimidade da manifestação. O Governador de SP prometeu endurecer. Foi quando a violência policial atingiu pessoas que NÃO ESTAVAM SENDO VIOLENTAS, além de jornalistas. Ficou impossível dizer na TV que era uma reação aos vândalos, e ficou claro pra o povo brasileiro que ele estava sendo forçado a não protestar pacificamente. O que aconteceu? MILHÕES de brasileiros foram às ruas para protestar de forma pacífica, o que deixou a polícia, o Estado, a imprensa e os políticos sem reação. Atônita, a Globo ainda tentou ficar do lado do que ela achava ser os poderosos, mas o poder virou rapidamente, em questão de dias, tudo por conta da manifestação PACÍFICA, UNIDA e com um OBJETIVO: Eu posso sair às ruas SIM pra protestar. Esse foi um recado claro da população e rapidamente os políticos passaram a aplaudir o povo, a presidente foi à TV dizer que era “tudo legítimo” e o Legislativo ficou com o c* na mão.

Então o que houve? Faltou liderança, ou, mais importante ainda, faltou uma visão clara do QUE o brasileiro quer ver de mudança. Os protestos viraram lugares pra beber e se divertir com cartazes engraçadinhos, e rapidamente o PT quis partidarizar a manifestação, no que foi contido pelo próprio povo. Como não conseguiu desviar o foco desse jeito, a esquerda radical apelou a violência, com os black blocks. Por outro lado, direita e esquerda se uniram em seus objetivos e apelaram para policiais militares infiltrados, também fazendo/incitando violência. E o povo esvaziou as manifestações, para alívio do Executivo e Legislativo, que não precisaram mais dar uma resposta às massas e puderam endurecer com os “baderneiros” (muitas vezes inocentes) que restaram nas ruas com o apoio da sociedade.

Então primeiro eu gostaria de, em nome do PT, PMDB e PSDB dar os parabéns a essa juventude violenta por terem destruído a única oportunidade de união real do povo brasileiro na busca por um futuro mais digno e mantido as coisas como estão. Alckmin, Dilma e a família Sarney estavam ficando realmente preocupados com a exposição negativa para as massas que não lêem jornal, não se informam e não podiam ir trabalhar por conta de uma tal de “consciência política” que levava o povo às ruas. Vai que essa doença pega?

Depois eu gostaria de mostrar alguns exemplos de enfrentamento pacífico que deram certo: o primeiro deles se chama CRISTIANISMO. Um tal de Jesus e uns apóstolos malucos fizeram oposição ao maior Império da humanidade da época, e foram dizimados, sem reação. Tinham uma filosofia nada convencional de dar a outra face, o que obviamente agradou aos que queriam destruí-los. Mas o exemplo de retidão de caráter, ah, esse perdurou e contaminou a estrutura de base do Império Romano, que teve de se adaptar para incorporá-lo, se quisesse sobreviver.
Milhares de anos depois um outro maluco também tentou esta tática contra outro Império, o britânico. O nome dele era Gandhi. Através de passeatas estritamente pacíficas (mesmo quando a polícia reprimia com cassetetes) e desobediência civil ele conseguiu arregimentar mais e mais pessoas, ao ponto de que até mesmo a sociedade dos invasores ficou contra seu governo, apoiando a LEGITIMIDADE MORAL da reivindicação do povo indiano.

Ok, ninguém falou que era fácil, e resistir à violência policial sem reagir é uma das coisas que exigem mais FORÇA dos seus manifestantes do que qualquer guerra civil armada. Mas é a mais efetiva, e a história antiga e recente mostra isso claramente. Então, por que perder tempo e oportunidades com quebra-quebra? Ainda não se tocaram que isso só atende aos interesses dos poderosos?

O que precisamos pra mudar o Brasil é o seguinte:

Visibilidade
A Copa do Mundo é a oportunidade perfeita. Os olhos – e jornalistas – do mundo estarão aqui.

Firmeza de caráter
Uma manifestação que quebra bens públicos pra exigir investimento público é no mínimo contraditória. Se queremos passar uma mensagem, que ela seja CLARA nas palavras e, principalmente, nas atitudes.

Pacificidade e legitimidade
Essa é a questão mais importante. O Estado sempre vai tentar demonizar os protestos, defender seus interesses e a argumentação mais forte é a de que a violência deve ser combatida com violência. Temos de aproveitar que no Brasil a mídia ainda não está inteiramente controlada e que é possível SIM mostrar os atos de violência contra manifestações pacíficas na TV e na Internet para que fique claro que as manifestações são legítimas. Black Blocks e policiais infiltrados devem ser isolados dos demais dentro dos protestos para que eles não se misturem na multidão. Nesse ponto a população tem a obrigação moral de apontar quem pratica ações violentas, seja abrindo uma clareira em torno do meliante, se abaixando para que os agressores fiquem bem visíveis, ou filmando.

Parar o país
Movimentos de greve são os mais efetivos, pois prejudicam a economia e fazem a indústria (tanto local quanto do exterior) pressionar o governo e legislativo a solucionar o impasse. Conseguir apoio dos sindicatos seria um plus, e aí é que a turma de esquerda poderia fazer algum favor pro futuro desse país. Só não poderia haver coação e violência contra quem quisesse furar a greve, ou perde-se a legitimidade.

Ter objetivos claros e de comum acordo
Apresento abaixo 7 pontos que, acredito, a maioria dos brasileiros vão estar de acordo.

1 – Comprometimento da população para não reeleger ninguém do Senado nem da Câmara dos Deputados caso não se iniciem mudanças IMEDIATAS.
Os políticos precisam sentir que ELES são os alvos da manifestação, independente de partidos. Assim como na Revolução Francesa, precisa haver terror. E o único terror possível para os políticos SEM violência é a ameaça REAL da perda do mandato, e consequentes benefícios. Somente passando uma mensagem bem clara de que o poder emana do povo para o povo e que ele, articulado, pode limpar o Legislativo independente dos partidos é que os políticos ficarão intimidados. Somente assim. Alguns bons nomes vão estar no meio e sairão? Sim, mas é o preço a pagar pela unidade, senão vai começar uma guerra de partidários e a idéia não vai funcionar.

2 – Comprometimento da população em torno do fato de que todo partido é responsável pela corrupção de seus membros quando:
a- Não o expulsa ao ficar constatado os fatos;
b- Não o afasta de suas funções nas investigações, ou não investiga;
c- Articula ou vota pela manutenção de seu cargo mesmo após ficar constatado os fatos;

Não adianta nada criticar a corrupção do outro partido quando se encobre o do seu. Vamos parar de pensar em termos de partidos e pensar em termos do POVO BRASILEIRO.

3 – Comprometimento da população em torno de não votar mais em partidos que não dêem prioridade às questões emergenciais do país, que precisam ser VOTADAS e EXECUTADAS no período de 4 anos:
a- Reforma da Educação
b- Reforma da Saúde
c- Reforma Tributária
d- Novo Código Civil

4 – Exigência IMEDIATA de que as votações no Legislativo sejam abertas e nominais, em TODOS os casos.

5 – Criação de um órgão central de Corregedoria da PM, subordinado ao Ministério do Exército com acompanhamento do Ministério Público, que seria a “Anatel” dos abusos policiais, com poderes de investigação e punição.
Não adianta ficar se debatendo com os Governadores, que só sabem dizer que “vão punir os responsáveis” e nada acontece. Precisa haver um único órgão para o qual a população possa apontar o dedo e dizer QUEREMOS UMA RESPOSTA A ISSO!

6 – Exigir que as votações do Orçamento da União contem com a participação direta do povo brasileiro, através de votação pela Internet.
Tal participação não valeria como voto efetivo, e sim como termômetro. Se os políticos se desviarem do que a população votou, vão ter de se explicar perante ao povo.

7 – Fim dos auxílios parlamentares e proibição dos Deputados e Senadores de se darem QUALQUER tipo de aumento pelos próximos 4 anos.
Basta de ficar alimentando esses sangue-sugas com dinheiro público. Se eles precisam de selos, gasolina, passagens de avião ou hotéis que paguem do próprio bolso, oras!

Divulguem a idéia, compartilhem, espalhem seus próprios textos. A não-violência é contagiosa. Agrega, e não afasta as pessoas. A pena é mais forte que a espada.

Semana passada em Paris as pessoas fizeram uma marcha pela família, em defesa do que eles julgavam ser uma lei abusiva do presidente de esquerda François Hollande de eliminar a diferença de gênero nas escolas. Eu nem sabia que haveria tal manifestação e apareci no meio dela à caminho do museu. Fiquei estupefato com a visão de milhares de pessoas vindo de todas as partes da França caminhando em um só bloco, numa fila que não tinha início nem fim, e continuou assim por pelo menos 1 hora!!! Mulheres, crianças e velhos iam caminhando, e gritando palavras de ordem, mas tudo sem enfrentamento, violência ou coação. A polícia de choque bloqueava algumas ruas com escudos e carros, mas ninguém (repito, ninguém!) ia até eles pra soltar provocações, nem jogavam nada neles. O número de pessoas em paz era muito mais esmagador que qualquer violência. Isso ficou claro nos dias seguintes, quando a esquerda retirou a votação da lei de pauta, mesmo tendo chances reais de vencer.

Esse exemplo de enfrentamento pacífico veio de um país que foi o primeiro a combater a opressão por meio da violência. Portanto, jovens brasileiros: aprendam com os mais velhos.

Site: http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=13551#prettyPhoto

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized