Luzes em pó

Por Isaias Costa

cocaina

Outro dia eu li uma frase bem pequena, mas que me levou a refletir bastante e escrever sobre um tema que até o momento ainda não tinha escrito, as DROGAS. A frase é a seguinte:

“As pessoas falam tanto em deixar um planeta melhor para as suas crianças, mas se esquecem de deixar melhores crianças para esse planeta.”

Thrangu Rinpoche

Mais uma vez eu volto àquela questão do viver o hoje, o momento presente. A maior parte das pessoas se projeta o tempo todo no futuro ou se prende a uma passado morto e cheio de mágoas e ressentimentos. Se as pessoas verdadeiramente vivessem o hoje em sua plenitude, com certeza elas deixariam melhores crianças para esse planeta. Elas cresceriam mais felizes e equilibradas, fariam este mundo se harmonizar e, como consequência, milhares de vícios seriam eliminados, entre eles, o vício das drogas.

O que leva uma pessoa a se tornar uma viciada em drogas? Essa é a questão crucial e que leva a reflexões complexas e profundas.

Um dos motivos e, acredito que seja o principal, é o desequilíbrio da família. Um jovem não procura o mundo das drogas por querer se aventurar, ou porque quer ser um rebelde, não! Um jovem procura as drogas por ter lacunas dentro de si e que não consegue preencher com mais nada, porque não tem como fazer isso. Ele está carente de amor, de afeto, de espiritualidade, de boas amizades, de boas referências, de alguém que acredite nos seus talentos, de alguém que lhe inspire a ser alguém melhor e ajude a enxergar o mundo com olhos mais profundos etc. Há uma sede por amor e sentido de vida, há um desejo de encontrar luz onde só reinam trevas. Perceba de onde vem a maior parte dos drogados não só do Brasil, mas do mundo inteiro. Eles vêm de periferias, dos lugares mais pobres, onde faltam recursos e orientação para os estudos, para o desenvolvimento profissional, orientação religiosa e espiritual, práticas esportivas etc. Esses lugares são cheio de pessoas que perderam quase que completamente a esperança na vida, o que leva os jovens a buscarem essa luz que tanto necessitam em prazeres doentios e deletérios como as drogas.

Intitulei este texto como “luzes em pó”, porque é exatamente isso que a droga faz com um usuário. Ela faz com que a pessoa enxergue uma luz naquele pó branco. Porém, essa luz é falsa. A pessoa sente euforia, força, relaxamento, êxtase, e uma série de outros efeitos, que duram minutos ou horas, em pouco tempo tudo volta a ser como antes da ingestão, mas deixando um rastro chamado DEPENDÊNCIA. As drogas interferem diretamente no cérebro, em suas zonas de recompensa, fazendo com que o usuário crie dependência. O que fazer? Essa é uma pergunta bem difícil. Depois que o vício está instalado, é preciso primeiro ter fé que o usuário um dia conseguirá se libertar do vício. Depois é tentar orientá-lo de alguma forma no caminho de libertação. Não é fácil! Mas acredito que o principal caminho é o que vem na frase que iniciou este texto: deixar filhos melhores para o mundo. Buscar primeiro ser alguém reto e virtuoso, para assim, saber educar bem os filhos e orientá-los da melhor forma possível, para que cresçam como cidadãos éticos e de bom caráter. A raiz de todos os problemas que envolvem drogas está na educação, primeiro, da família e segundo, da educação formal (escolas, cursos etc).

A educação em todos os níveis ainda é extremamente precária no nosso país, e isso gera desequilíbrios sem precedentes. Eu sonho em ver este país mais desenvolvido intelectualmente, espero que este dia chegue, mesmo que eu não esteja mais por aqui para ver.

Quero concluir deixando uma das músicas que expressa de forma muito inteligente a origem do vício das drogas. Esse vício se origina da falta de orientação e de pessoas que escutem os dramas pessoais dos que entram por esse caminho. Trata-se da música “Tem alguém aí?”, do Gabriel, o pensador. O refrão dessa música tem alguns questionamentos que passam na mente de todo e qualquer drogado:

Ninguém tá escutando o que eu quero dizer!
Ninguém tá me dizendo o que eu quero escutar!
Ninguém tá explicando o que eu quero entender!
Ninguém tá entendendo o que eu quero explicar!

Escute essa música com bastante atenção e assimile lá no fundo da sua alma e do seu coração a frase do início deste texto: “As pessoas falam tanto em deixar um planeta melhor para as suas crianças, mas se esquecem de deixar melhores crianças para esse planeta.”

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s