Arquivo do mês: julho 2014

Capitalismo: O que mais se quer conquistar?

Por Isaias Costa

tempos-modernos-henry-ford-fordismo

Li uma entrevista extremamente pertinente e de leitura que considero praticamente obrigatória a todos aqueles que se preocupam em ter um mundo melhor e uma sociedade mais harmoniosa. Era uma entrevista com o grande teólogo brasileiro Leonardo Boff. Ela é um pouco longa, mas sua leitura vale a pena, recomendo que imprima para facilitar a sua leitura. Farei uma breve reflexão a partir de um trecho dessa entrevista:

“A Europa está tão enfraquecida e envergonhada que nem mais aprecia a vida. Aquilo que mais escuto em cada palestra que vou na Europa é pessoas me pedindo “por favor, me dê esperança”. Quando um povo perde esperança, perde o sentido de viver. Isso acontece porque alcançaram tudo que queriam, dominaram o mundo, exploraram a natureza como quiseram, ganharam um bem-estar que nunca houve na História e agora se dão conta que são infelizes. Porque o ser humano tem outras fomes. Fome de amar e ser amado, de entender o outro, conviver, respeitar a natureza.

E tudo isso foi colocado à margem. Só conta o PIB. Mas tudo que dá sentido humano não entra no PIB: o amor, a solidariedade, a poesia, a arte, a mística, os sábios. Isso é aquilo que nos faz humanos e felizes. E essa perspectiva em que só contam os bens materiais poderá levar a humanidade a uma imensa tragédia. Dentro do sistema capitalista, não há salvação para a Terra e a Humanidade. Por duas razões. Primeiro porque nós encostamos nos limites da Terra. É um planeta pequeno, com a maioria dos recursos não renováveis. O sistema tem dificuldade de se auto-reproduzir, porque não tem mais o que explorar. E segundo porque os pobres, que antes da crise que eram 860 milhões, pularam, segundo a FAO, para um bilhão e 200 milhões. Há pois duas injustiças: a social e a e ecológica.”

Leonardo Boff

LinkDentro do sistema capitalista, não há salvação para a Terra e a Humanidade

****
O que ele fala nesse trecho é que a esperança move os seres humanos e sem esperança perdemos o sentido da vida, quem não tem esperança está morto e ainda assim, vivendo biologicamente. É preciso analisar com profundidade tais palavras.

Os europeus, através do sistema capitalista, conquistaram o mundo inteiro, porém, foi apenas uma conquista material, uma conquista de coisas. Deixaram de conquistar o principal, uma vida feliz e simples. Não canso de repetir que as pessoas mais felizes não tem as melhores coisas, mas fazem do que tem o melhor. Isso é sabedoria, isso não se ensina nas escolas, mas na vida…

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.
A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.
O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.
A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre”.

Clarice Lispector

Cada vez mais eu concluo que esse sistema em que vivemos está nos destruindo e destruindo o planeta inteiro pouco a pouco. Viver nesse sistema capitalista se tornou insustentável, é preciso acabar com tanta ganância e desejo por ter coisas. É preciso haver uma mudança no nosso nível de consciência para buscarmos SER mais e não TER mais.

Não quero ser um demagogo com minhas palavras, mas quanto mais leio e conheço a história de vida dos grandes sábios, mais percebo que para atingirem um estado maior de sabedoria e iluminação, eles não buscaram mais coisas, muito pelo contrário, buscaram se desapegar, cortar, doar, abrir mão, desconstruir, retirar um monte de lixos e entulhos.

Inclusive, há uma patologia silenciosa que cada vez mais vem se alastrando pelo mundo, porém poucos são os que estudam e se aprofundam. Trata-se da NORMOSE, que é uma espécie de intoxicação da vida que faz com que ela perca o sentido. O grande psicólogo Pierre Weil fala de forma brilhante sobre essa patologia, e compartilhei em dois textos que recomendo fortemente sua leitura. A normose tem uma relação profunda e direta com o capitalismo selvagem que vem nos matando aos poucos. A pessoa conquista tudo que pode através do dinheiro e continua infeliz, pois percebe que a felicidade está dentro e não fora… Os links estão logo abaixo. Vale a pena conferir!

A patologia silenciosa chamada normose- Parte 1
A patologia silenciosa chamada normose- Parte 2

Todas as pessoas buscam crescer na vida para conquistarem uma vida feliz, confortável e cheia de recursos, mas é um verdadeiro engano achar que só quando tiver um carro tal, uma casa tal, muito dinheiro, uma grande reserva para aposentadoria etc. é que se conquista essa felicidade. NÃO. Nossa vida só acontece no agora, e se você não consegue ser feliz hoje, agora, com os recursos que tem e as condições financeiras que tem, não será feliz nunca, nunca mesmo, digo isso sem sombra de dúvida, pois experimento na minha própria vida e já constatei na de centenas de pessoas.

Seja feliz com o que você tem hoje. Sempre se questione se vale a pena correr atrás de tantas coisas e deixar de viver o simples, o amor das pessoas queridas da sua vida, a alegria de ter tempo livre para se divertir, para meditar, ou simplesmente não fazer nada.

Para nossa vida ter equilíbrio e a sociedade entrar nos eixos é preciso que diminuamos o ritmo. Esse é o único caminho e vejo isso claramente, agora também tenho consciência que uns poucos vão ler essas palavras e mudarem de postura, afinal de contas, o que estou propondo aqui pode interferir diretamente no patrimônio líquido daqueles que buscam mais e mais dinheiro. Eu entendo isso, é uma questão de ESCOLHAS, eu escolho abrir mão de ter uma conta milionária crescendo mais e mais a cada dia para viver na simplicidade, aproveitando o melhor que a vida pode dar através da beleza que é viver na simplicidade. É um caminho, este é o caminho que tenho seguido, junto com meu amigo Leonardo Boff e tantos outros, que pensam em um planeta sustentável para as próximas gerações.

Pense sobre isso! A decisão está único e exclusivamente em suas mãos…

Sugestões de leitura
* O fim do mundo está no consumismo
* Bens materiais x felicidade
* A base fundamental da liberdade
* Por um mundo melhor: O inesquecível discurso da menina Severn Suzuki

tumblr_mrn8rwHb7d1r9gizro1_500

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

No que nossas crianças estão se transformando?

Por Isaias Costa

10550995_664768456926622_6109219541089264451_n

Nós estamos vivendo em um mundo cada vez mais conectado à internet, cada vez mais consumista, com pessoas trabalhando em demasia, muitas vezes sem nem saberem bem o motivo. Está ficando difícil parar, silenciar, se aquietar, contemplar o belo, a natureza, o simples, aquilo que é invisível aos olhos.

Tenho há muito tempo insistido nisso e continuarei, porque sei que essa tendência na qual estamos sendo colocados só pode nos gerar mais desequilíbrios, infelicidade, doenças, falta de sentido etc.

As criaturas que mais se prejudicam com essa sociedade são as nossas crianças, que não têm suporte emocional para discernirem o que é melhor ou pior para elas, que se miram nos adultos para criarem seus comportamentos. Elas simplesmente refletem o comportamento dos pais, que sem se darem conta, estão criando meninos e meninas adoecidos em suas almas, que cedo vão deixar de ser crianças para se tornarem adultos amargos e vazios.

Eu me preocupo de verdade com essa situação e garanto a você que escreverei ainda vários textos lhe levando a refletir sobre isso.

Por enquanto, compartilho um depoimento extremamante lúcido de uma professora e que foi compartilhado em uma página que acompanho, a do jornalista Flávio Siqueira. Leia com atenção e, se possível, repasse para mais e mais pessoas…

****

“Voltei na quinta última, de uma experiência muito bacana como monitora de 34 crianças espanholas. Viajamos durante 15 dias desde España até uma cidade chamada Canterbury (fica a 1 h e meia de Londres), para que os niños, pudessem praticar o idioma Inglês.

Como experiência pessoal, foi bem legal. Experimentei ter mais paciência, mais amor incondicional, entrei em contato com minhas sombras, etc…

Mas, o quero compartilhar é o que vi nas crianças e me chocou.

Acho que é um conjunto de fatores: falta de educação emocional tanto em casa, como nas escolas.

Claro, que vi honrosas e lindas exceções, mas no geral, foi assim:

* Crianças frágeis emocional e fisicamente;
* Dependentes químicas (tinham entre 9 e 13 anos);
* Viciadas em celulares e afins.

Estávamos em uma escola/internato, tipo Harry Porter, com um espaço tão lindo e tão grande, repleto de coelhos e cachorros soltos pelo campus. Quadras para praticar vôlei, futebol, tênis, piscina, área verde a perder de vista e ainda tivemos sorte em ter muito sol na Inglaterra!

Pois, os crios, só reclamavam todo o tempo, sempre em um tempo futuro ou passado, nunca no presente. Quando estávamos indo à algum lugar, primeira pergunta: Quando chegamos? Quando chegávamos: Quando voltamos?

Quando estávamos no campus, queriam estar sempre nos quartos, pois ali, tinham acesso a internet, e o sol lá fora lindooooo, grande, convidando à brincadeiras e ser feliz.

E, não, não é culpa dos monitores. Fizemos brincadeiras, tivemos planos, subimos em árvores… Quando subimos, algumas crianças perguntaram: Como vcs fazem isso?

Já viu uma criança que não sabe como subir em árvore?

Agora, se íamos visitar alguma cidade perto, logo perguntavam: Têm lojas ali? Podemos comprar?
Comemos super bem, no colégio, tinha uma equipe de cozinha ótima… Nas pesquisas que fizemos, a maioria dos alunos, reclamou da comida. Quando íamos à cidade, compravam vários embutidos, comida artificial, etc…. e, se sentiam felizes.

Não gostavam de caminhar, tinham dor em todas as partes e pediam logo remédios: Cadê minha aspirina?

Eu dizia: Bebe água, come algo, descansa e se depois disso tudo, ainda sentir dor, damos remédio…
Não, Cláudia! Quero minha medicina já…. ( 9 e 13 anos…)

Flavio, não quero que penses que as crianças eram más, doidas ou algo assim… nada, super lindas, simpáticas e tal….

Mas, perderam ou nunca souberam como ser crianças ou se divertir.

Senti tanta fragilidade, tanta solidão. Não sabiam falar em público, super dependentes. Entediadas!
Fiquei triste em ver nas crianças, aspectos de adultos…
Por isso, fiquei feliz quando hoje, li o post que a educação emocional está sendo implantada nas escolas.

Nos últimos dias, podíamos escolher entre ficar fora brincando no campus ou no Lounge (onde tem vídeo-jogos e internet) Adivinha onde eles escolheram?

Onde estão os índigos, os cristais?

Vi, pouquíssimos.

Enfim, isso queria dizer.

Só um relato de uma professora preocupada.”

Link: https://www.facebook.com/flaviosiqueirafs/posts/664925510244250

Sugestões de leitura
* A sutil destruição dos laços humanos
* O fundamental na infância
* Deixar filhos melhores para o nosso planeta

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A sabedoria não está só nos livros

Por Isaias Costa

elindomablewillhunting_g-e1332184192692

Tempos atrás fiz uma breve abordagem sobre o filme “Gênio Indomável”, mas se trata de um filme riquíssimo de ensinamentos e, com certeza, deixei de abordar muitos tópicos interessantes sobre ele. Aos que não leram segue o link.

Gênio indomável

Hoje vou fazer uma breve reflexão sobre uma das principais cenas desse filme (sugiro que assista antes de continuar a ler o texto).

Nessa cena do filme o professor Sean dá uma verdadeira lição de vida extremamente amadurecida para o Will. Ele fala de forma tão sincera e convincente que o Will fica completamente sem palavras. Essas palavras lhe tocaram o fundo da alma, primeiro por causa da SINCERIDADE do Sean, segundo porque eram verdadeiramente SÁBIAS e com o intuito de AJUDÁ-LO. O Sean falou sobre a vida, sobre o amor, sobre as escolhas e sobre ser amado de verdade.

O que mais quero comentar sobre esse vídeo é com relação a sabedoria adquirida na vida. O Will não sabia o que era ser sábio, sabia ser apenas inteligente. Entre inteligência e sabedoria há um abismo separando. Ele tinha um conhecimento vastíssimo, mas não entendia nada das coisas do coração, por isso sofria tanto e tinha tantos transtornos. Ele julgou o professor Sean sem saber o que realmente se passava na sua vida. O julgamento precipitado é algo que todos nós podemos cometer e se arrepender depois. Eu estou procurando a cada dia evoluir nesse sentido, não é tão fácil, muitas vezes pré-julgamos alguém sem nem saber a sua realidade, seu comportamento, sua índole, seu caráter. Muito cuidado com isso…

Sabedoria e Conhecimento

A sabedoria pode ser adquirida com os livros, mas apenas uma pequena parte dela. A maior sabedoria se adquire com a VIDA e com as PESSOAS. Eu já falei em outros textos que possuo verdadeiros amigos que me fazem ser melhor a cada dia e sinto que realmente preciso deles na minha vida. Sem eles a minha vida não teria o brilho que tem, e o professor Sean falou isso ao Will de forma magnífica. O vazio deixado pela perda da sua esposa era um vazio que jamais seria preenchido, ele aprendeu a conviver com a perda, mas jamais esqueceu.

Outra coisa que quero apenas frisar, pois já comentei bastante em outro post é sobre o sentido do conhecimento em nossas vidas. Ele serve para nos fazermos ser melhores do que já somos e para fazermos cada vez mais o bem aos outros. Se você não leu, segue o link com o texto.

Para que serve o conhecimento?

Para concluir vou falar sobre o mais delicado. O AMOR. Falar sobre amor só toca profundamente uma pessoa se você vive isso. As palavras ditas pelo professor Sean são como um refrigério para os ouvidos de praticamente todas as mulheres, porque elas são sensíveis por natureza e quando amam alguém de verdade são como anjos, o amor de uma mulher é uma força infinita e feliz do homem que encontra esse amor, ele terá uma satisfação e um prazer em viver que não tem palavras para descrever, mas eu digo e repito, um relacionamento assim só é possível se houver a palavra mágica: SINCERIDADE. Um relacionamento profundo acontece quando você se mostra sem máscaras a pessoa amada. É por isso que no mundo de hoje tanta gente diz que o amor não existe ou é fantasia, ou coisa de cinema, porque a maioria das pessoas insiste em viver com máscaras e, por isso, não experimentam o amor verdadeiro. Se você quiser se abrir para o verdadeiro amor seja sincero com você mesmo e com todos os outros. Vou deixar como sugestão de leitura um post em que coloquei uma definição mais próxima que encontrei da palavra AMOR, que possui milhares de significados…

Uma definição do amor

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Mamãe aqui tá mais escuro

Por Isaias Costa

ilustracao-mito-da-caverna

A música “Rock do diabo” é rechassada pelas pessoas religiosas e que têm medo destas músicas que tratam de temas espinhentos como Deus, Diabo, Céu e Inferno. Farei uma breve reflexão não da música completa, até porque boa parte dela não entendo, pois faz parte das ideias místicas que o Raul aprendeu durante sua vida. Vou me ater a apenas uma estrofe.

O vídeo com a letra completa estão logo abaixo:



Rock do diabo- Raul Seixas

Me dê um porco vivo
Para eu encher minha pança
Três quilos de alcatra
Com muqueca de esperança…

Diabo!
O diabo usa capote
É Rock! É Toque! É Forte!
Diabo!
Foi ele mesmo
Que me deu o toque…

Enquanto Freud
Explica as coisas
O diabo fica dando toque…

Existem dois diabos
Só que um parou na pista
Um deles é do toque
O outro é aquele do exorcista…

=> Você pode ler o texto completo aqui.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Por que as pessoas escrevem?

Por Isaias Costa

caneta

Outro dia eu li uma citação simplesmente incrível que traduziu praticamente com todas as letras como eu me sinto ao escrever e porque escrevo. Pode ser até que eu esteja enganado, mas acredito que as pessoas que escrevem por paixão e amor à escrita têm o sentimento que a escritora descreve. Assim que li, senti um desejo imenso de compartilhar aqui no blog. Trata-se de um pequeno texto da escritora francesa Anaïs Nin.

****

Por que as pessoas escrevem? Já me fiz tantas vezes esta pergunta que hoje posso respondê-la com a maior facilidade. Elas escrevem para criar um mundo no qual possam viver. Nunca consegui viver nos mundos que me foram oferecidos: o dos meus pais, o mundo da guerra, o da política. Tive de criar o meu, como se cria um determinado clima, um país, uma atmosfera onde eu pudesse respirar, dominar e me recriar a cada vez que a vida me destruísse. Esta é a razão de toda obra de arte.

Só o artista sabe que o mundo é uma criação subjetiva, que é preciso escolher, selecionar. A obra é a concretização, a encarnação do seu mundo interior. Ele espera impor sua visão pessoal, partilhá-la com os outros. Se não atinge esta última finalidade, o verdadeiro artista persiste assim mesmo. Os poucos momentos de comunhão com o mundo valem esse sofrimento, pois finalmente esse mundo foi criado para os outros como um legado, como um dom destinado a eles.

Também escrevemos para aprofundar o nosso conhecimento de vida. Para atrair, encantar e consolar. Escrevemos para acalentar nossos amantes. Para degustar em dobro a vida: no momento preciso e retrospectivamente, na sua lembrança. Escrevemos, como Proust, para tornar as coisas eternas e para nos convencermos de que elas o são. Para podermos transcender nossa vida e alcançarmos o que existe além dela. Escrevemos para aprender a falar com os outros, para testemunhar nossa viagem ao labirinto. Para abrir, expandir nosso mundo quando nos sentimos sufocados, oprimidos ou abandonados. Escrevemos como os pássaros cantam, como os primitivos dançam seus rituais. Se você não respira quando escreve, não grita, não canta, então não escreva porque sua literatura será inútil. Quando não escrevo, meu universo se reduz; sinto-me numa prisão. Perco minha chama, minhas cores. Escrever deve ser uma necessidade, como o mar precisa das tempestades – é a isto que eu chamo de respirar.

****

E para concluir deixando uma belíssima reflexão, compartilho algumas sábias palavras do incrível escritor Érico Veríssimo

“O menos que um escritor pode fazer, numa época de atrocidades e injustiças como a nossa, é acender a sua lâmpada, trazer luz sobre a realidade de seu mundo, evitando que sobre ele caia a escuridão, propícia aos ladrões, aos assassinos e aos tiranos. Sim, segurar a lâmpada, a despeito da náusea e do horror. Se não tivermos uma lâmpada elétrica, acendamos nosso toco de vela ou, em último caso, risquemos fósforos repetidamente, como um sinal de que não desertamos nosso posto.”

Vamos acender a nossa luz neste mundo?…

vela

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Os inquisidores e suas verdades absolutas

Por Isaias Costa

verdade3

Eu sempre me encanto com as palavras e a imensa sabedoria do mestre Rubem Alves. A sua maneira de ver a Teologia e o entendimento de Deus são encantadoras e abrem a nossa mente para a transcendência.

Compartilho abaixo algumas palavras do seu texto incrível chamado “Sobre Deuses e Caquis”, que fala sobre os inquisidores. Farei uma breve reflexão a partir dele.

“Eu conhecia a psicologia daquele momento que se vivia no Brasil: ‘caça às bruxas’. Eu a aprendera no estudo e na experiência das Inquisições, períodos em que desaparece a inocência e a simples delação já constitui veredicto. A política eclesiástica aparecia como profecia da política secular. As duas são uma mesma coisa. A diferença está em que se numa os deuses aparecem com vestimentas sagradas e perfumes de incenso, na outra as roupas são de outras cores e os rituais litúrgicos seguem outros ritmos…”

=> Você pode ler o texto completo clicando aqui.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Os 33 nomes de Deus

Por Isaias Costa

Deus está nessa gaivota...

Deus está nessa gaivota…

Quanto mais o tempo passa e eu vou amadurecendo, vejo que a maior parte das pessoas tem uma noção de um Deus limitado, engarrafado, encaixotado, um Deus cruel, um Deus castigador, que está sempre olhando para nós e julgando nossos atos para condenar uns e abençoar outros etc. etc.

Sinto dizer! Mas eu jamais acreditarei nesse Deus. Acredito sim em Deus, mas no Deus amor, no Deus que está vivo e verdadeiro no coração nas pessoas simples e humildes. Acredito no Deus que tão bem o mestre Jesus falou. Lembra? “O reino dos céus está dentro de vós…” ou “Os verdadeiros adoradores de Deus são aqueles que o adoram em espírito e verdade…”.

O reino dos céus está dentro de vós

Adorar a Deus em espírito e verdade

Jesus era tão claro em suas palavras! Não entendo porque nós distorcemos tanto a sua mensagem universal…

A partir do momento em que você perceber e sentir a divindade que existe nesses 33 nomes e em tantos outros que quiser dar, aí você vai se abrir para uma nova vida, cheia de amor, cheia de consciência e cheia de alegria, risos e festa.

Para mim, Deus é isso, uma energia maravilhosamente bela, que está presente em tudo, até mesmo naquilo que nós, em nossa limitada concepção, chamamos de desgraças ou mal. Até nisso Deus está presente.

Reflita sobre isso nas belíssimas palavras do mestre Rubem Alves

Os 33 nomes de Deus- Por Rubem Alves

“De vez em quando perguntam-me se acredito em Deus. Mas é claro. Acredito mais que a maioria das pessoas. Tenho até trinta e três nomes para ele. Esses nomes foi a Margueritte Yourcenar que me contou. Ela foi uma escritora maravilhosa, autora do livro Memórias de Adriano, quem lê nunca mais esquece, quer ler de novo. Pois esses são os trinta e três nomes de Deus que ela me ensinou. É só falar o nome, ver na imaginação o que o nome diz, para que a alma se encha de uma alegria que só pode ser um pedaço de Deus… Mas é preciso ler bem devagarinho…

1.Mar da manhã.
2.Barulho da fonte nos rochedos sobre as paredes de pedra.
3.Vento do mar de noite, numa ilha…
4.Abelha.
5.Vôo triangular dos cisnes.
6. Cordeirinho recém-nascido….
7.Mugido doce da vaca, mugido selvagem do touro.
8.Mugido paciente do boi.
9. Fogo vermelho no fogão.
10.Capim.
11.Perfume do capim.
12.Passarinho no céu.
13.Terra boa…
14.Garça que esperou toda a noite, meio gelada, e que vai matar sua fome no nascer do sol.
15. Peixinho que agoniza no papo da garça.
16. Mão que entra em contato com as coisas.
17.A pele, toda a superfície do corpo
18. O olhar e tudo o que ele olha.
19.As nove portas da percepção.
20.O torso humano.
21.O som de uma viola e de uma flauta indígena.
22.Um gole de uma bebida fria ou quente.
23.Pão.
24.As flores que saem da terra na primavera.
25.Sono na cama.
26. Um cego que canta e uma criança enferma.
27. Cavalo correndo livre.
28.A cadela e os cãezinhos.
29.Sol nascente sobre um lago gelado.
30.O relâmpago silencioso.
31. O trovão que estronda.
32.O silêncio entre dois amigos.
33.A voz que vem do leste, entra pela orelha direita e ensina uma canção…”

Agradeço ao Carlos Brandão por haver me apresentado os trinta e três nomes de Deus da Margueritte. Não é preciso que sejam os seus. Faça a sua própria lista. Eu incluiria: Ouvir a sonata Apassionata de Beethoven. Sapos coaxando no charco. O canto do sabiá. Banho de cachoeira. A tela “Mulher lendo uma carta”, de Vermeer. O sorriso de uma criança. O sorriso de um velho. Balançar num balanço tocando com o pé as folhas da árvore… Morder uma jabuticaba… Todas essas coisas são os pedaços de Deus que conheço… Sim, acredito muito em Deus”.

Deus está nesse nascer do sol...

Deus está nesse nascer do sol…

Site: Os 33 nomes de Deus

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Bem vindo ao século XXI

Por Isaias Costa

cansado

Uma das minhas músicas favoritas do Raul Seixas é a “Século XXI”, na qual ele faz uma dura crítica a MEDIOCRIDADE que, infelizmente, assola a maior parte das pessoas. Farei uma breve reflexão a partir dessa música, cujo link com a letra completa estão logo abaixo.

Século XXI- Raul Seixas e Marcelo Nova

Há muitos anos você anda em círculos
Já não lembra de onde foi que partiu
Tantos desejos soprados pelo vento
Se espatifaram quando o vento sumiu

Você vendeu sua alma ao acaso
Que por descaso estava ali de bobeira
E em troca recebeu os pedaços
Cacos de vida de uma vida inteira

[REFRÃO]
Se você correu, correu, correu tanto
E não chegou a lugar nenhum
Baby oh Baby benvinda ao Século XXI

=> Você pode ler o texto completo aqui.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A sabedoria do silêncio

Por Isaias Costa

silencio090712

O silêncio é fundamental para atingirmos o equilíbrio das nossas emoções e para vivermos de forma mais plena. Hoje quero compartilhar um texto taoista riquíssimo de ensinamentos sobre o silêncio, a vida, o equilíbrio, as escolhas etc. Leia com bastante atenção! Vou deixar uma dica, copie esse texto para ser relido, pois são muitas informações, e para serem assimiladas, torna-se necessário uma ou várias releituras, foi o que fiz com esse texto! Boa leitura!…

A sabedoria do silêncio interior

Pense no que vai dizer antes de abrir a boca. Seja breve e preciso, já que cada vez que deixa sair uma palavra, deixa sair uma parte do seu Chi (energia).

Assim, aprenderá a desenvolver a arte de falar sem perder energia.

Nunca faça promessas que não possa cumprir. Não se queixe, nem utilize palavras que projetem imagens negativas, porque se reproduzirá ao seu redor tudo o que tenha fabricado com as suas palavras carregadas de Chi.

Se não tem nada de bom, verdadeiro e útil a dizer, é melhor não dizer nada.

Aprenda a ser como um espelho: observe e reflita a energia.

O Universo é o melhor exemplo de um espelho que a natureza nos deu, porque aceita, sem condições, os nossos pensamentos, emoções, palavras e ações, e envia-nos o reflexo da nossa própria energia através das diferentes circunstâncias que se apresentam nas nossas vidas.

Se se identifica com o êxito, terá êxito. Se se identifica com o fracasso, terá fracasso.

Assim, podemos observar que as circunstâncias que vivemos são simplesmente manifestações externas do conteúdo da nossa conversa interna. Aprenda a ser como o universo, escutando e refletindo a energia sem emoções densas e sem preconceitos.

Porque, sendo como um espelho, com o poder mental tranquilo e em silêncio, sem lhe dar oportunidade de se impor com as suas opiniões pessoais, e evitando reações emocionais excessivas, tem oportunidade de uma comunicação sincera e fluida.

Não se dê demasiada importância, e seja humilde, pois quanto mais se mostra superior, inteligente e prepotente, mais se torna prisioneiro da sua própria imagem e vive num mundo de tensão e ilusões.

Seja discreto, preserve a sua vida íntima. Desta forma libertar-se-á da opinião dos outros e terá uma vida tranquila e benevolente, invisível, misteriosa, indefinivel, insondável como o TAO.

Não entre em competição com os demais, a terra que nos nutre dá-nos o necessário. Ajude o próximo a perceber as suas próprias virtudes e qualidades , a brilhar. O espírito competitivo faz com que o ego cresça e, inevitavelmente, crie conflitos. Tenha confiança em si mesmo. Preserve a sua paz interior, evitando entrar na provação e nas trapaças dos outros.

Não se comprometa facilmente, agindo de maneira precipitada, sem ter consciência profunda da situação.

Tenha um momento de silêncio interno para considerar tudo que se apresenta e só então tome uma decisão.

Assim desenvolverá a confiança em si mesmo e a Sabedoria. Se realmente há algo que não sabe, ou para que não tenha resposta, aceite o fato.

Não saber é muito incômodo para o ego, porque ele gosta de saber tudo, ter sempre razão e dar a sua opinião muito pessoal. Mas, na realidade, o ego nada sabe, simplesmente faz acreditar que sabe.

Evite julgar ou criticar. O TAO é imparcial nos seus juízos: não critica ninguém, tem uma compaixão infinita e não conhece a dualidade.

Cada vez que julga alguém, a única coisa que faz é expressar a sua opinião pessoal, e isso é uma perda de energia, é puro ruído. Julgar é uma maneira de esconder as nossas próprias fraquezas.

O Sábio tolera tudo sem dizer uma palavra. Tudo o que o incomoda nos outros é uma projeção do que não venceu em si mesmo.

Deixe que cada um resolva os seus problemas e concentre a sua energia na sua própria vida. Ocupe-se de si mesmo, não se defenda.

Quando tenta defender-se, está a dar demasiada importância às palavras dos outros, a dar mais força à agressão deles.

Se aceita não se defender, mostra que as opiniões dos demais não o afetam, que são simplesmente opiniões, e que não necessita de convencê-los para ser feliz.

O seu silêncio interno torna-o impassível. Faça uso regular do silêncio para educar o seu ego, que tem o mau costume de falar o tempo todo. Pratique a arte de não falar.

Tome algumas horas para se abster de falar. Este é um exercício excelente para conhecer e aprender o universo do TAO ilimitado, em vez de tentar explicar o que é o TAO.

Progressivamente desenvolverá a arte de falar sem falar, e a sua verdadeira natureza interna substituirá a sua personalidade artificial, deixando aparecer a luz do seu coração e o poder da sabedoria do silêncio.

Graças a essa força, atrairá para si tudo o que necessita para a sua própria realização e completa libertação.

Porém, tem que ter cuidado para que o ego não se infiltre… O Poder permanece quando o ego se mantém tranquilo e em silêncio. Se o ego se impõe e abusa desse Poder, este converter-se-á num veneno, que o envenenará rapidamente.

Fique em silêncio, cultive o seu próprio poder interno. Respeite a vida de tudo o que existe no mundo.

Não force, manipule ou controle o próximo. Converta-se no seu próprio Mestre e deixe os demais serem o que têm a capacidade de ser.

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

silencio-cpia

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A mais nobre expressão do amor

Por Isaias Costa

Construindo-laços-de-amizade-III2

Ter amizades sinceras e duradouras é uma das maiores dádivas que nós podemos ter na vida. A amizade é uma relação especial em que demonstramos o nosso amor de uma maneira peculiar, que vale a pena ser refletida. Compartilho abaixo algumas palavras do filósofo Lou Marinoff falando sobre a amizade.

“A amizade é, talvez, a conexão humana mais profunda de todas, em parte porque amigos partilham do mesmo conjunto de obrigações mútuas sem, entretanto, o peso de se sentirem obrigados. Ao contrário, ajudar um amigo é, geralmente, mais um prazer do que um fardo. As relações de amizade tendem a amadurecer e se aprofundar com o passar do tempo. Se você tiver a sorte de chegar a uma idade na qual as amizades são de quarenta, cinquenta ou sessenta anos, então saberá que é difícil encontrar bem mais precioso concedido a uma pessoa. A amizade duradoura é um dos maiores (alguns dizem que é o único) benefícios de envelhecer. Exatamente como Confúcio, Aristóteles também exortou as virtudes da amizade, reconhecendo-a como a mais nobre expressão do amor.”

Lou Marinoff

O mundo em que vivemos hoje, tão competitivo e tão voltado para o consumo, para o trabalho excessivo, para os relacionamentos virtuais… tem feito com que as amizades verdadeiras não sejam mais o alicerce para uma vida feliz. É impossível ser feliz sem ter ao menos um amigo verdadeiro.

Nossa vida é permeada o tempo todo por alegrias e tristezas, vitórias e derrotas, subidas e descidas. Imagine ser promovido no emprego e não ter com quem comemorar sua vitória? Imagine ser despedido repentinamente e não ter alguém para lhe dar forças na derrota? Imagine você acabar de ter um filho e não ter amigos por perto para se alegrarem com essa nova vida? Imagine alguém querido que faleceu e você não tem um ombro para chorar? Todas as situações que vivemos só fazem sentido quando compartilhadas, quando divididas, quando vinculadas.

Quero apenas deixar essa reflexão. Valorize suas amizades! Elas são o nosso porto seguro, são os nossos amigos que nos ajudam a expressarmos o que existe de melhor em nós, são os nossos amigos que fazem nosso amor nascer, crescer e gerar frutos de alegria e vida.

Para concluir, compartilho uma belíssima poesia cuja autoria é atribuída a William Shakespeare.

Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade…
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.

William Shakespeare

Textos complementares
* A ampliação do conceito de amizade
* Benditos sejam os amigos
* Escrever na areia
* A base das amizades

depois-de-um-tempo

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized