Capitalismo: O que mais se quer conquistar?

Por Isaias Costa

tempos-modernos-henry-ford-fordismo

Li uma entrevista extremamente pertinente e de leitura que considero praticamente obrigatória a todos aqueles que se preocupam em ter um mundo melhor e uma sociedade mais harmoniosa. Era uma entrevista com o grande teólogo brasileiro Leonardo Boff. Ela é um pouco longa, mas sua leitura vale a pena, recomendo que imprima para facilitar a sua leitura. Farei uma breve reflexão a partir de um trecho dessa entrevista:

“A Europa está tão enfraquecida e envergonhada que nem mais aprecia a vida. Aquilo que mais escuto em cada palestra que vou na Europa é pessoas me pedindo “por favor, me dê esperança”. Quando um povo perde esperança, perde o sentido de viver. Isso acontece porque alcançaram tudo que queriam, dominaram o mundo, exploraram a natureza como quiseram, ganharam um bem-estar que nunca houve na História e agora se dão conta que são infelizes. Porque o ser humano tem outras fomes. Fome de amar e ser amado, de entender o outro, conviver, respeitar a natureza.

E tudo isso foi colocado à margem. Só conta o PIB. Mas tudo que dá sentido humano não entra no PIB: o amor, a solidariedade, a poesia, a arte, a mística, os sábios. Isso é aquilo que nos faz humanos e felizes. E essa perspectiva em que só contam os bens materiais poderá levar a humanidade a uma imensa tragédia. Dentro do sistema capitalista, não há salvação para a Terra e a Humanidade. Por duas razões. Primeiro porque nós encostamos nos limites da Terra. É um planeta pequeno, com a maioria dos recursos não renováveis. O sistema tem dificuldade de se auto-reproduzir, porque não tem mais o que explorar. E segundo porque os pobres, que antes da crise que eram 860 milhões, pularam, segundo a FAO, para um bilhão e 200 milhões. Há pois duas injustiças: a social e a e ecológica.”

Leonardo Boff

LinkDentro do sistema capitalista, não há salvação para a Terra e a Humanidade

****
O que ele fala nesse trecho é que a esperança move os seres humanos e sem esperança perdemos o sentido da vida, quem não tem esperança está morto e ainda assim, vivendo biologicamente. É preciso analisar com profundidade tais palavras.

Os europeus, através do sistema capitalista, conquistaram o mundo inteiro, porém, foi apenas uma conquista material, uma conquista de coisas. Deixaram de conquistar o principal, uma vida feliz e simples. Não canso de repetir que as pessoas mais felizes não tem as melhores coisas, mas fazem do que tem o melhor. Isso é sabedoria, isso não se ensina nas escolas, mas na vida…

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.
A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.
O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.
A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre”.

Clarice Lispector

Cada vez mais eu concluo que esse sistema em que vivemos está nos destruindo e destruindo o planeta inteiro pouco a pouco. Viver nesse sistema capitalista se tornou insustentável, é preciso acabar com tanta ganância e desejo por ter coisas. É preciso haver uma mudança no nosso nível de consciência para buscarmos SER mais e não TER mais.

Não quero ser um demagogo com minhas palavras, mas quanto mais leio e conheço a história de vida dos grandes sábios, mais percebo que para atingirem um estado maior de sabedoria e iluminação, eles não buscaram mais coisas, muito pelo contrário, buscaram se desapegar, cortar, doar, abrir mão, desconstruir, retirar um monte de lixos e entulhos.

Inclusive, há uma patologia silenciosa que cada vez mais vem se alastrando pelo mundo, porém poucos são os que estudam e se aprofundam. Trata-se da NORMOSE, que é uma espécie de intoxicação da vida que faz com que ela perca o sentido. O grande psicólogo Pierre Weil fala de forma brilhante sobre essa patologia, e compartilhei em dois textos que recomendo fortemente sua leitura. A normose tem uma relação profunda e direta com o capitalismo selvagem que vem nos matando aos poucos. A pessoa conquista tudo que pode através do dinheiro e continua infeliz, pois percebe que a felicidade está dentro e não fora… Os links estão logo abaixo. Vale a pena conferir!

A patologia silenciosa chamada normose- Parte 1
A patologia silenciosa chamada normose- Parte 2

Todas as pessoas buscam crescer na vida para conquistarem uma vida feliz, confortável e cheia de recursos, mas é um verdadeiro engano achar que só quando tiver um carro tal, uma casa tal, muito dinheiro, uma grande reserva para aposentadoria etc. é que se conquista essa felicidade. NÃO. Nossa vida só acontece no agora, e se você não consegue ser feliz hoje, agora, com os recursos que tem e as condições financeiras que tem, não será feliz nunca, nunca mesmo, digo isso sem sombra de dúvida, pois experimento na minha própria vida e já constatei na de centenas de pessoas.

Seja feliz com o que você tem hoje. Sempre se questione se vale a pena correr atrás de tantas coisas e deixar de viver o simples, o amor das pessoas queridas da sua vida, a alegria de ter tempo livre para se divertir, para meditar, ou simplesmente não fazer nada.

Para nossa vida ter equilíbrio e a sociedade entrar nos eixos é preciso que diminuamos o ritmo. Esse é o único caminho e vejo isso claramente, agora também tenho consciência que uns poucos vão ler essas palavras e mudarem de postura, afinal de contas, o que estou propondo aqui pode interferir diretamente no patrimônio líquido daqueles que buscam mais e mais dinheiro. Eu entendo isso, é uma questão de ESCOLHAS, eu escolho abrir mão de ter uma conta milionária crescendo mais e mais a cada dia para viver na simplicidade, aproveitando o melhor que a vida pode dar através da beleza que é viver na simplicidade. É um caminho, este é o caminho que tenho seguido, junto com meu amigo Leonardo Boff e tantos outros, que pensam em um planeta sustentável para as próximas gerações.

Pense sobre isso! A decisão está único e exclusivamente em suas mãos…

Sugestões de leitura
* O fim do mundo está no consumismo
* Bens materiais x felicidade
* A base fundamental da liberdade
* Por um mundo melhor: O inesquecível discurso da menina Severn Suzuki

tumblr_mrn8rwHb7d1r9gizro1_500

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]
Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

3 Respostas para “Capitalismo: O que mais se quer conquistar?

  1. Samuel Baggio

    Isaias, não sei se você lembra de mim. Estudei com você no segundo semestre da Casa de Cultura Alemã. Acompanho seu blog a algum tempo. Seu texto não deixou claro, na minha opinião, a relação entre o consumismo e o capitalismo, talvez por isso não ser o objetivo do texto, não sei. Mas você acha inviável que haja capitalismo e consumo consciente dos bens? Se sim, essa impossibilidade é fruto do próprio modo de organização do sistema capitalista ou por que as pessoas não “sabem consumir”? Em outras palavras: a infelicidade dos europeus que conquistaram tudo é fruto de uma percepção equivocada daquilo que realmente importa nas nossas vidas, ou é algo inerente ao capitalismo. Pergunto isso porque acredito na possibilidade do capitalismo impulsionar positivamente o desenvolvimento da humanidade, como o fez e vem fazendo.

    • Para escrever nos detalhes teria que escrever um livro inteiro sobre esse assunto. Ele é complexo e multifacetado. O problema não é o sistema capitalista em si, o problema está no ser humano. Na realidade, não deveria somente se acabar com o capitalismo, mas com toda forma de poder. Todo tipo de sistema leva os seres humanos a um fechamento em si mesmos. O sistema capitalista incentiva o crescimento dos que já tem e despreza aqueles que tem pouco ou quase nada. Tudo que os grandes querem é que contribuam para crescer o lucro e aumentar o capital. Para que isso aconteça não há outra forma a não ser trabahar mais, se cansar mais, e devastar mais a natureza.

      Tudo bem que haja desenvolvimento da humanidade, mas de que vale tanto desenvolvimento para destruir o planeta e seus recursos? É isso que os homens gananciosos têm feito. Se consumíssemos apenas para o sustento e vida equilibrada para todos, não haveria fome no mundo, não haveria explorações dos mais fracos, não haveria guerras, o respeito humano prevaleceria, não haveria o alastramento de uma série de doenças que são puro desequilíbrio das emoções dos homens etc. etc. etc.

      Será que é pequena a relação entre capitalismo e consumismo?

      Ainda vou voltar a esse tema diversas vezes no blog! Continue acompanhando e cresçamos juntos. Obrigado pelo comentário! Abração!

      • Samuel Baggio

        A relação é bastante complexa. O capitalismo se baseia na expansão do consumo. O consumo é basilar para o capitalismo. Mas a compulsividade em consumir é um grande problema. É realmente um tema muito interessante e merecedor de reflexão. Obrigado, Isaias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s