Só te falta uma coisa

Por Isaias Costa

jesus_filhoUma das passagens do evangelho mais ricas de ensinamentos e significado, em minha opinião, é a passagem de Jesus com o jovem rico, que você pode ler na íntegra abaixo:

“E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna? E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho; Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda? Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me. E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades. Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no reino dos céus” – Mt 19. 16-23.

Hoje consigo compreender essa passagem com um pouco mais de profundidade que há alguns anos e desejo que você leia esse texto com bastante atenção para conseguir entender a sua mensagem.

Jesus foi um dos seres humanos mais iluminados que já habitou o planeta Terra. Ele tinha uma sensibilidade extremamente aguçada. Quando ele percebeu a aproximação do jovem rico, sua própria energia pessoal foi o suficiente para que Jesus percebesse que era um jovem apegado aos bens materiais. Essa sensibilidade de Jesus era sua intuição, que não se explica através de argumentos, só se explica através do coração e da espiritualidade.

O que acontece é que Jesus tinha uma mística de vida absolutamente oposta ao do jovem rico. Jesus era desprendido e desapegado, valorizava o simples e as pequenas coisas da vida, buscava ser amor, não se importava com ter coisas, o que ele tinha em termos materiais era apenas o suficiente para uma vida simples, sem mordomias de nenhuma natureza.

Tudo que Jesus buscava em sua vida era a elevação do seu espírito e a conscientização das pessoas que dele se aproximasse para também viver essa mística. O que houve quando o jovem se aproximou dele foi simples, um choque de caminhos, de místicas de vida, de realidades, de sonhos, de ideais, de perspectivas, de praticamente tudo.

O jovem rico estava dominado desde sua mais tenra infância pela filosofia capitalista e voltada para a satisfação pessoal acima de tudo. Essa forma de viver é legítima, tanto eu quanto o mestre Jesus não a condenamos de maneira alguma, porém, para seguir Jesus, para ser verdadeiramente um ser humano que diga: “Eu sigo Jesus!”. Eu sinto lhe dizer! As pessoas apegadas aos bens materiais são as que estão mais distantes desta proposta.

É por isso que ele diz: “É mais fácil um camelo entrar pelo buraco de uma agulha que um rico entrar no reino dos céus…”. Esta frase faz parte desta mesma passagem e também é extremamente mal compreendida! Nós somos tão limitados em nossa percepção! Muitos tentam interpretar essa frase por meio de raciocícios lógicos. Isso é impossível! Essa frase transcende toda e qualquer lógica. Ela só pode ser compreedida através do nosso espírito. Vou tentar explicá-la de uma forma um pouco mais compreensível.

Quando Jesus afirmou isso ele não estava falando de um céu como um local, esse é o primeiro ponto. Tampouco estava falando que ser rico é ruim ou leva ao inferno. Isso tudo é bobeira.

O primeiro ponto: o reino dos céus. O que é o reino dos céus? É a nossa vida, no aqui e agora. Esse instante, o momento no qual você está lendo esse texto, respirando, decodificando cada palavra. Isso é o reino dos céus, sabia? Está surpreso?

Jesus dizia quando pregava: “O reino dos céus está dentro de vós”. Ele não é um lugar, ele não é algo que se come, que se pega, que se disserta. Ele simplesmente é.

Nós entramos no reino dos céus quando seguimos o caminho da nossa alma, simples assim! Mas seguir o caminho da nossa alma requer autoconhecimento.

A alma humana tem uma essência e Jesus a viveu com uma perfeição inimaginável. Nossa natureza primordial está voltada para a comunhão, para a cooperação, para o afeto, o cuidado, a benquerência, o amor, a fraternidade, a compaixão etc. Isso faz parte do nosso DNA, de todos, absolutamente todos nós.

Aqui você vai descobrir algo que talvez nunca tenha refletido antes. O jovem rico estava completamente absorvido pelo estilo de vida materialista, e isso o deixava de certa forma blindado para a realidade humana mais crua. Ele olhava a realidade de miséria em todos os cantos, mas não conseguia ver. Seus olhos estavam fechados o tempo todo.

O que aconteceu quando o jovem se aproximou de Jesus é que sua luz interior era tão forte, tão forte, que por um breve instante conseguiu penetrar a sua natureza primordial. Essa chama de vela acesa no seu interior o fez procurar o mestre para também segui-lo. Aqui, exatamente nesse momento que surge o problema, o choque de realidades.

Para que ele seguisse Jesus teria que deixar de ser um materialista e se voltar para as causas maiores, voltadas para a igualdade, fraternidade, para a elevação espiritual, para o desprendimento, para a compaixão. Afirmo com todas as letras e sem medo. Poucos, pouquíssimos são os que passam desse ponto. Muitos conseguem chegar até aqui. Quando chega o momento de atravessar a ponte entre o aqui e a proposta verdadeira de Jesus e ele diz: “Vem!”. A maior parte das pessoas recua e diz “NÃO! Não quero!”.

Não há nenhum problema em dizer não, porém tenho que lhe dizer. Os que dizem não, não são verdadeiros seguidores de Jesus. Estão seguindo o Jesus personagem, o Jesus dos discursos religiosos bonitinhos, mas vazios de essência.

Desculpe a minha franqueza, mas é por aí o significado desta passagem bíblica. Eu gosto até de brincar sobre quem é seguidor de Jesus. Há algo próximo de dois bilhões de cristãos no mundo, destes dois bilhões, alguns milhares são seguidores de Jesus com todos as letras, o restante segue o Jesus personagem. Esse é muito fácil de seguir, e digo com sinceridade, provavelmente estou dentro desse grupo, porque não consigo me desprender de tudo, eu tenho sim apegos, e estes apegos me afastam da natureza crística, essa natureza santificadora.

Complexo? Sim! É complexo. Mas eu estou pouco a pouco buscando atravessar essa ponte que Jesus construiu a mais de 2 mil anos. É preciso coragem para ultrapassá-la. Quero lhe encorajar a ultrapassá-la, para isso é preciso seguir o caminho do coração. Esse caminho não se aprende na televisão, em sites de comédia, nem em entretenimentos diversos. Ele está na vida dos grandes mestres como Jesus Cristo e muitos outros.

Fica a reflexão! Pense com carinho sobre tudo e coloquei e sinta a magia por trás da filosofia de vida do mestre Jesus. Ela é absolutamente libertadora quando acolhida no mais profundo do nosso ser.

Paz e luz…

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “Só te falta uma coisa

  1. JANAÍNA AZEVEDO

    Concordo com você em relação a essa interpretação dessa passagem, infelizmente o que sempre foi nos ensinado é que ser rico é ruim, mas na verdade o ruim é ser apegado, isso nos rouba a nossa essência e nos tira da nossa naturalidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s