Haveremos de nos reunirmos muitas vezes mais

Por Isaias Costa

Chaves_Personagens

Hoje, 28/11/2014, partiu deste mundo, um dos homens mais geniais do século XX e não poderia deixar de lhe prestar minha singela homenagem, o querido Roberto Bolaños, criador do seriado Chaves.

Este senhor marcou a minha infância e a de milhões de meninos e meninas no mundo inteiro. Além de alegrar o coração dos adultos também, que se encantam e bolam de rir com a magia dos seriados “Chaves” e “Chapolin”.

Já assisti a todos os episódios do Chaves pelo menos umas 10 vezes cada um e não consigo enjoar, porque se trata de um humor tão rico e contagiante, que é impossível não rir, mesmo já sabendo qual é a piada.

Apenas alguém genial pode construir um feito como esse. O senhor Roberto Bolãnos certamente se tornou uma estrela que brilhará para sempre na glória celeste. Seu nome será registrado na história da arte e do cinema mundial com muita alegria e saudade.

Aprendi muitas coisas bonitas com o seriado do Chaves e me interessei por muitos assuntos voltados para a História com o seriado do Chapolin, que fazia questão de mostrar um super herói latino americano sem superpoderes como o Super-man, que a meu ver, é o super-herói mais sem graça de todos os tempos…

Porém, o que mais me encanta no Chaves é a união e companheirismo que existe entre todos os moradores da vila.

Todos são igualmente importantes e tem uma graça peculiar. Não há semelhança de comportamento entre ninguém e cada um contribue com um humor diferente.

O que seria da vila sem a rabugice do seu Madruga, ou a burrice do Quico, a chatice da Chiquinha, o olhar assustador da bruxa do 71, a dona Florinda e seus tapas diários no seu Madruga, o prof. Girafales com suas flores e sua xícara de café diário na casa da dona Florinda, o Nhonho e seu jeitão desengonçado sendo feito de trouxa por todas as crianças e finalmente, o seu Barriga cobrando os 14 meses de aluguel do seu Madruga sem nunca chegar ao 15º mês?

A vizinhança do Chaves é completamente especial e eles têm um amor e carinho uns pelos outros que sempre sonhei em viver entre minha família e vizinhos.

Lembro que quando era bem pequenininho eu cheguei a perguntar a minha mãe: “Mãe! Por que a nossa vizinhança não é unida como a vizinhança da vila do Chaves?”.

E minha mãe carinhosamente respondia.

“O mundo está mudando meu filho! Hoje em dia as pessoas querem mais é saber de trabalhar o dia todo e chegam em casa no fim do dia exaustas, apenas querendo descansar e assistir televisão sem serem interrompidas…”.

Minha mãe dizia isso pra mim no início dos anos 90… O que mudou de lá pra cá em relação a isso, hein? Acho que nem preciso responder, não é mesmo?

Roberto Bolaños! Sentirei profundamente a sua falta, mas ao mesmo tempo fico feliz por saber que você se tornou imortal, porque continuará alegrando os corações de milhões de pessoas no mundo todo. E inclusive, sonho em fazer o meu filho se tornar fã do Chaves quando eu for pai. O seriado Chaves é o tipo de seriado que deve ser passado de pai para filho.

Para concluir essa minha homenagem, compartilho a linda música que já me fez chorar inúmeras vezes e até hoje me arrepia de tão linda que é, a emocionante “Boa noite vizinhança”

Pois haveremos de nos reunirmos muitas vezes mais…

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s