Arquivo do mês: junho 2015

Confie em Deus, mas faça sua parte

Por Isaias Costa

O amor de Deus está aqui e agora, está em suas mãos...

O amor de Deus está aqui e agora, está em suas mãos…

É muito comum ouvir, principalmente das pessoas mais religiosas, uma frase mais ou menos assim: “Deixa nas mãos de Deus” ou então “Isso são desígnios de Deus”. Eu respeito quem costuma pronunciar tais frases, mas se você parar para analisá-las com um pouco mais de senso crítico, verá que isso se trata de exteriorizar aquilo que deveríamos resolver dentro do nosso próprio coração, e não ficar colocando nossas responsabilidades nas mãos de Deus.

Já falei aqui inúmeras vezes, Deus não é uma pessoa, Deus é uma energia cósmica que está presente em tudo, inclusive em mim e em você que me lê agora.

Precisamos definitivamente aprender que não existe nenhuma separação entre nós e Deus, porque somos constituímos da mesma matéria prima que ele. Vemos isso até mesmo nas escrituras sagradas da bíblia: “Deus nos fez a sua imagem e semelhança…”.

O que estou querendo dizer é que devemos parar de colocar aquilo que é de total responsabilidade nossa nas mãos de Deus, porque isso vai contra todas as leis universais, ou seja, as leis de Deus.

Resumindo! Deus faz a parte dele com maestria, mas nós devemos fazer a nossa. Nos conectando com Deus no amor e na paz, podemos crescer em consciência e ter a presença desse Deus maravilhoso em todos os momentos da nossa vida e em todas as nossas vivências. Sim! Isso é perfeitamente possível, mas é preciso buscar diariamente essa conexão.

Para refletirmos mais profundamente sobre isso, compartilho um belíssimo texto do místico oriental Osho falando sobre a manifestação do divino que há em cada um de nós. Leia com bastante atenção, essas são palavras que tocam profundamente a nossa alma…

O fazer – Osho

Você ou qualquer um poderia ter feito alguma coisa, mas não fez e usa a desculpe de que, se Deus quisesse que algo fosse feito, ele o faria de qualquer jeito. Já no oposto disto, você faz algo e espera pelo resultado, fica esperando, mas o resultado nunca chega. A partir daí você fica bravo, como se tivesse sido trapaceado, como se Deus o houvesse traído, como se ele estivesse de brincadeira com você, sendo parcial, preconceituoso, injusto. E então surge uma grande reclamação em sua mente, e nessa hora lhe falta confiança.

Uma pessoa verdadeiramente espiritualizada é alguém que fará o que for humanamente possível, mas não criará nenhuma tensão por causa disso. Porque somos muito, muito pequenos, átomos ínfimos neste Universo, as coisas são bem mais complicadas e complexas. Nada depende apenas da minha ou da sua ação: existem milhares de energias se entrecruzando por conta de emaranhamentos quânticos de vidas passadas. A soma dessas energias irá determinar o resultado. Mas se você não fizer nada, pode ser que as coisas nunca sejam do jeito que espera.

Você tem que agir, mas, ao mesmo tempo, tem que aprender a não ter expectativas. Então o fazer torna-se uma espécie de meditação, sem nenhum desejo de que tenha determinado resultado. Então não há frustração. A confiança irá ajudá-lo a permanecer livre de frustrações, e “amarrar o cavalo” vai ajudá-lo a manter-se em paz, intensamente em paz.

Existe uma história muito boa que conta o seguinte:

Trata-se de um ditado sufi que deseja criar o terceiro tipo de homem, o verdadeiro homem; aquele que sabe como fazer e como não fazer; que pode ser um fazedor quando necessário, que pode dizer “Sim!”, e que pode ser passivo quando necessário e dizer “Não”. Aquele que está absolutamente acordado durante o dia e absolutamente adormecido durante a noite. Aquele que sabe inspirar e como expirar. Aquele que conhece o equilíbrio da vida e da existência.

“Confie em Deus, mas amarre seu cavalo primeiro”.

Um mestre estava viajando com um dos seus discípulos. O discípulo estava encarregado de cuidar do cavalo. À noite chegaram, bastante cansados, a um abrigo. Era tarefa do discípulo amarrar o cavalo, mas ele não o fez, deixou o cavalo do lado de fora, ele simplesmente rezou. Disse a Deus: “Cuide do cavalo”, e foi dormir.

Ao amanhecer o cavalo havia partido. Tinha sido roubado ou simplesmente seguiu o seu caminho. O mestre perguntou: “O que houve com o cavalo? Onde está o cavalo?”
E o discípulo respondeu: “Eu não sei. Vá perguntar a Deus, pois eu havia dito a Deus que tomasse conta do cavalo, eu estava muito cansado, então não sei. E também não sou responsável, porque eu havia dito a Ele, e de forma muito clara! Não havia como não compreender. Na verdade eu não disse apenas uma vez, mas sim três. E você nos ensinou a confiar em Deus, então eu confiei. Por isso não me lance esse olhar de raiva.”

O mestre disse: “Confie em Deus, mas sempre amarre seu cavalo primeiro, porque Deus não tem outras mãos a não ser as suas.”
Se ele quiser amarrar o cavalo, ele terá que usar as mãos de alguém. Ele não tem outras. E é seu cavalo”. A melhor maneira, e também a mais fácil, é usar as suas mãos. Confie em Deus, não confie apenas nas suas mãos, pois do contrário você ficará tenso. Amarre o cavalo e então confie em Deus. Você perguntará: “Então, por que confiar em Deus enquanto estou amarrando o cavalo?”Porque mesmo um cavalo amarrado pode ser roubado. Faça o que puder, mas isso não garante o resultado, não há garantias. Então faça o que puder e aceite aquilo que acontecer. Esse é sentido de amarrar o cavalo: faça o que for possível fazer, não fuja de sua responsabilidade e, se nada acontecer ou se algo der errado, confie em Deus. Então ele terá razão. Então talvez seja correto que continuemos a viagem sem o camelo.

É muito fácil confiar em Deus e ser preguiçoso. É muito fácil não confiar em Deus e ser um fazedor. O terceiro tipo de homem é o mais difícil: aquele que confia em Deus e ainda assim permanece um fazedor. Mas nesse momento você é apenas um instrumento. Deus é aquele que verdadeiramente faz e você é um instrumento em suas mãos.

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

O amor é o tecido do universo

Por Isaias Costa

yjumumujmjm.JPGtyjtyjyj-519x321

Eu admiro profundamente o físico Albert Einstein, porque ele era muito mais do que um cientista, ele tinha espiritualidade e uma intuição digna de uma mente iluminada.

Recentemente li uma carta que ele escreveu a sua filha falando sobre seu sentimento de amor por ela e levando a reflexão para um campo bastante filosófico e metafísico.

Suas palavras tocam fundo no nosso coração e acredito realmente nelas. O amor é o tecido que compõe esse universo tão vasto e tão misterioso.

Aproveito esse texto para sugerir um dos melhores filmes que foram lançados no ano de 2014 e que me fez refletir bastante sobre a dimensão do amor, trata-se do filme “Interestelar”.

É um filme longo, mas pela beleza da estória e das imagens, você nem percebe o tempo passar. O tema central desse filme é o AMOR. O personagem principal viaja em outras dimensões da galáxia e se distancia da sua família. Essa distância o deixa muito triste e saudoso, principalmente da sua filha, que ele tinha um carinho especial.

O filme mostra um encontro magnífico que acontece entre eles através da abertura de um portal através do amor que liga os dois. Assista! Tenho certeza que você não vai se arrepender.

interestelar1

E se quiser, aproveite para compartilhar esse lindo texto do Einstein com alguém que você ame muito e tenha essa conexão cósmica de amor…

*********************

O amor – Por Albert Einstein

Quando propus a teoria da relatividade, muito poucos me entenderam e o que vou agora revelar a você, para que transmita à humanidade, também chocará o mundo, com sua incompreensão e preconceitos. 

Peço ainda que aguarde todo o tempo necessário — anos, décadas, até que a sociedade tenha avançado o suficiente para aceitar o que explicarei em seguida para você.

Há uma força extremamente poderosa para a qual a ciência até agora não encontrou uma explicação formal. É uma força que inclui e governa todas as outras, existindo por trás de qualquer fenômeno que opere no universo e que ainda não foi identificada por nós.

Esta força universal é o AMOR.

Quando os cientistas estavam procurando uma teoria unificada do Universo esqueceram a mais invisível e poderosa de todas as forças.

O Amor é Luz, dado que ilumina aquele que dá e o que recebe.
O Amor é gravidade, porque faz com que as pessoas se sintam atraídas umas pelas outras.

O Amor é potência, pois multiplica (potencia) o melhor que temos, permitindo assim que a humanidade não se extinga em seu egoísmo cego.

O Amor revela e desvela.
Por amor, vivemos e morremos.

O Amor é Deus e Deus é Amor.

Esta força tudo explica e dá SENTIDO à vida. Esta é a variável que temos ignorado por muito tempo, talvez porque o amor provoca medo, sendo o único poder no universo que o homem ainda não aprendeu a dirigir a seu favor.

Para dar visibilidade ao amor, eu fiz uma substituição simples na minha equação mais famosa. Se em vez de E = mc², aceitarmos que a energia para curar o mundo pode ser obtido através do amor multiplicado pela velocidade da luz ao quadrado (energia de cura = amor x velocidade da luz ²), chegaremos à conclusão de que o amor é a força mais poderosa que existe, porque não tem limites.

Após o fracasso da humanidade no uso e controle das outras forças do universo, que se voltaram contra nós, é urgente que nos alimentemos de outro tipo de energia. Se queremos que a nossa espécie sobreviva, se quisermos encontrar sentido na vida, se queremos salvar o mundo e todos os seres sensíveis que nele habitam, o amor é a única e a resposta última.

Talvez ainda não estejamos preparados para fabricar uma bomba de amor, uma criação suficientemente poderosa para destruir todo o ódio, egoísmo e ganância que assolam o planeta. No entanto, cada indivíduo carrega dentro de si um pequeno, mas poderoso gerador de amor, cuja energia aguarda para ser libertada.

Quando aprendemos a dar e receber esta energia universal, Lieserl querida, provaremos que o amor tudo vence, tudo transcende e tudo pode, porque o amor é a quintessência da vida.

Lamento profundamente não ter sido capaz de expressar mais cedo o que vai dentro do meu coração, que toda a minha vida tem batido silenciosamente por você. Talvez seja tarde demais para pedir desculpa, mas como o tempo é relativo, preciso dizer que te amo e que a graças a você, obtive a última resposta.

Seu pai,

Albert Einstein

Link: Carta de Einstein à sua filha Lieserl

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A impulsividade surge nas mentes reativas

Por Isaias Costa

positive-attitude

Neste texto eu falarei sobre um grande defeito meu que, graças a Deus, estou aprendendo a superar e quero, a partir dele, lhe encorajar a também melhorar o comportamento, caso esse seja um defeito que também lhe aflige. A IMPULSIVIDADE

Até já falei em outro texto, existe diversos tipos de impulsividades. Por estarmos em um mundo capitalista, é comum associarmos essa palavra com compras, OK! Tudo certo, porém, talvez essa seja a impulsividade menos danosa, sabia? Vou explicar.

Quando você compra por impulso, não está ferindo o coração de ninguém, está ferindo o seu bolso e a sua energia de trabalho, e terá que trabalhar redobrado para conseguir o dinheiro para pagar as dívidas adquiridas. Não passa muito disso, por isso não é um dano assim tão terrível.

Agora a pior de todas as impulsividades é a que vem das nossas PALAVRAS, e era essa que tinha muito. Já feri várias pessoas por palavras, e confesso a você, no meu tempo de imaturidade, sentia muita CULPA por isso e minha reação não foi nada boa, foi uma reação de ISOLAMENTO e TIMIDEZ.

Hoje tenho consciência que parte da minha timidez excessiva se dava pelo fato de que tinha muito medo de ferir as pessoas. Mas você percebe o quanto esse pensamento não é sólido? Mesmo amando profundamente ainda ferimos as pessoas amadas, quanto mais isolados no nosso mundo…

E a outra impulsividade que tinha era com relação ao conhecimento. Já comprei livros por impulso e depois me arrependi de ter comprado sem analisar se realmente seria bom lê-los, e o pior, já me matriculei em cursos que não tinham nada a ver comigo, o que gerou prejuízos financeiros absolutamente desnecessários.

Aqui vem uma mensagem interessante. Lembra aquele ditado: “Quem não aprende pelo amor aprende pela dor…”? É mais ou menos por aí.

Eu aprendi a controlar minha impulsividade através da DOR. Essa dor foi tomada como um remédio e serviu para minha cura. Por isso que sempre digo em meus textos que a dor faz parte do nosso processo de AMADURECIMENTO. Sem sofrimentos, nosso repertório emocional se torna frágil e com qualquer vento mais forte, caímos e perdemos o equilíbrio.

Quais as principais lições que tirei das minhas impulsividades?

Com relação ao conhecimento foram duas: 1ª) Passei a ter mais calma e não querer “abarcar o mundo com as pernas”, para ficar no dito popular. Percebi que tenho um longa vida pela frente e cada dia aprendendo um pouquinho, com dedicação e foco, posso me tornar um sábio ao longo de muitos anos. 2ª) Passei a ser mais esperto com relação aos aproveitadores de plantão, que vendem o que é desnecessário utilizando das mais variadas formas de persuasão. Agucei meu olhar para sacar quando estão tentando me enrolar. Expliquei isso bem melhor nesse texto abaixo, que foi umas das experiências que mais me marcaram para deixar de ser impulsivo. Se você ainda não leu, recomendo, sua leitura pode lhe ajudar muito a se tornar mais esperto…

Pense 1000 vezes antes de assinar um contrato

Com relação às palavras, os benefícios foram diversos, e o principal deles é que hoje me tornei uma pessoa MEDITATIVA. Eu posso até estar enganado, mas acredito que muitos iniciantes em meditação buscam essa prática para se tornarem mais pacíficos, tolerantes e mais atenciosos quanto a forma de se expressarem e se comunicarem. Busquei a meditação para me tornar mais presente no momento presente, entende? E como isso funcionou! Você não faz ideia.

Hoje não tenho dúvidas de que a melhor forma de não ferir as pessoas com palavras é estar completamente envolvido com o AGORA, ter essa perspicácia de que cada ser humano é um universo muito delicado e a total atenção às palavras, aos gestos, aos movimentos corporais da outra pessoa lhe levam a ter o discernimento de quais palavras proferir e de que maneira. Exercitar isso requer muito, mas muito treino mesmo. É assim, se você percebe a receptividade da outra pessoa, você fala com mais firmeza, se percebe mais fechamento, você fica mais terno e compassivo, esperando sua abertura ao diálogo, que pode acontecer ou não, e se não acontecer você exercita a maravilhosa sabedoria do silêncio, e por aí vai. Para cada situação, uma forma de agir… Ainda voltarei a falar sobre isso…

Enfim. Que essa breve reflexão tenha lhe ajudado a repensar sobre seus comportamentos e posturas, para que sua mente se torne menos reativa e mais ativa, ou seja, mais consciente do momento presente e todo seu poder na nossa vida…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O sucesso pode levar anos para chegar

Por Isaias Costa

360

Estamos vivendo em tempos de pressa, do tudo “para ontem”, e nessa correria enlouquecida deixamos de prestar atenção nos detalhes e nas pequenas coisas do dia a dia. Tenho notado um desejo crescente entre as pessoas por se tornarem cada vez mais ricas financeiramente. Vendo tal realidade sempre me questiono! Mais dinheiro para quê? É uma pena dizer isso, mas não consigo sentir na maior parte das pessoas que querem crescer financeiramente o desejo genuíno de crescerem também o lado humano, social, espiritual, afetivo.

E nesse ponto há um detalhe importantíssimo. É IMPOSSÍVEL estar feliz e realizado se estas esferas da vida que citei não estiverem profundamente alinhadas com o propósito de crescer financeiramente. Ainda digo mais! Sem esse alinhamento é muito mais difícil crescer, porque você se torna uma pessoa gananciosa, fechada em si mesmo, e tal fechamento leva ao desequilíbrio e a restrição do crescimento financeiro. Pouquíssimas são as pessoas que têm essa consciência. Que hoje você reflita um pouco sobre isso…

Ganância e ambição

Quero lhe levar a refletir sobre o sucesso. Muitos pensam que o sucesso se restringe a crescer financeiramente, mas NÃO. O sucesso vai muito mais além, e ele pode levar anos para acontecer. Um ingrediente fundamental para atingir o sucesso na vida é o seguinte: “Na maior parte das vezes, o sucesso é resultado de ações metódicas, feitas ao longo do tempo”- Chris Widener.

Para entender melhor essa frase, compartilho um trecho do livro “O anjo interior”, do autor da mesma, o Chris Widener.

“O sucesso às vezes leva anos para chegar. E, eventualmente, anos e anos. Il Gigante tem mais de 4 metros de altura. Como disse, Michelangelo levou 28 meses para esculpir a estátua, do começo ao fim. Isso significa cerca de 15 centímetros por mês, ou menos de 4 centímetros por semana. A bem-sucedida conclusão do Davi, por Michelangelo, foi lenta. Mesmo assim, ele sabia que o tempo e a paciência investidos valeria muito a pena. A vida também é assim.  Na maior parte das vezes, o sucesso é resultado de ações metódicas, feitas ao longo do tempo.

Você acha que Michelangelo parava todos os dias, depois de completar um pouco do Davi, e dizia a si mesmo: “Nunca vou terminar isso. Já deveria estar mais adiantado”? Ou acha que ele mantinha a mente confiante de que, aos poucos, ia completando a sua obra-prima e que logo ela estaria pronta?”

academia-3

O autor tocou no ponto principal, a MENTE. O que faz com que atinjamos o sucesso é ter a mente focada no nosso objetivo, que com as ações metódicas, com paciência e perseverança, certamente virá, levando muito tempo ou não.

Muita gente desiste dos seus projetos, nos seus sonhos, quando já estão prestes a realizá-los. Quando só precisam dar mais uns passos. E muitas vezes, essa desistência pode gerar consequências desastrosas ou mesmo inimagináveis. Posso dar o próprio exemplo do Michelangelo, que é perfeito. Você imagina o que seria da história da arte sem a sua perseverança? Seu empenho? Se o Michelangelo tivesse parado no meio do caminho, desistido de sua obra-prima, o mundo jamais teria conhecido o majestoso Davi. Uma das mais importantes obras do mundo, que não tem preço. É uma obra que jamais será vendida, porque ela é de uma perfeição que faltam palavras para descrever.

Perceba! Ele levou 28 meses em uma única escultura, mas acreditou, manteve-se focado, determinado, agiu metodicamente todos os dias, e consequentemente, atingiu o sucesso.

O sucesso pode levar anos para acontecer, mas para as mentes preparadas ele sempre, SEMPRE vem. E a mente preparada deve ser treinada todos os dias. Como gosto sempre de dizer. A melhor e mais eficaz forma de treinar a mente para o sucesso é investir tempo e dinheiro com AUTOCONHECIMENTO. Ler livros, assistir a bons filmes, participar de cursos, ler artigos na internet etc.

Se você prestar atenção nas pessoas de sucesso da nossa sociedade, aquelas com perfis de liderança e que estão sempre crescendo e compartilhando suas vitórias com as pessoas, estas possuem uma base muito bem alicerçada no AUTOCONHECIMENTO. Elas sempre dizem que o crescimento financeiro é importante, mas aliado ao crescimento humano, familiar, social, espiritual… É assim que eu penso, e quando o crescimento acontece desta forma, não há absolutamente nada que impeça a pessoa de atingir seu sucesso, pois a base está muito bem alicerçada. Nada derruba uma base sólida e forte…

Que você reflita sobre isso e se inspire na belíssima história do grande Michelangelo. Se quiser ler um pouco mais sobre isso, compartilho um texto anterior, no qual também tomei o exemplo do Michelangelo com sua obra-prima Davi. É uma leitura que vale muito a pena. O link está logo abaixo.

A escultura chamada ser humano

Lembre-se sempre: “Na maior parte das vezes, o sucesso é resultado de ações metódicas, feitas ao longo do tempo…”

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Esqueça toda e qualquer receita de felicidade

Por Isaias Costa

tumblr_l89axm6q2w1qc1949o1_5001

Desde criança sempre tive em mim um lado intuitivo que dizia que a felicidade é algo interno, que não adianta procurar por ela, porque quanto mais a gente procura, mais distante ela fica.

Hoje, já adulto, tenho verdadeira convicção disso e quero nesse texto lhe levar a refletir que não existem receitas para a felicidade, e se alguém chegar até você querendo lhe vender alguma, faça como eu, deixe entrar por um ouvido e sai pelo outro. Sim! Não precisa ser estúpido com ninguém. Treine A arte de ouvir! Depois de ouvir diga apenas “obrigado” e volte pra casa…

Quero compartilhar com você um vídeo bem rápido do grande filósofo Clóvis de Barros Filho no qual ele fala sobre essas tais receitas para a felicidade. Gostei tanto de suas palavras que decide transcrevê-las para cá, pois dá vontade de colocar numa moldara… Espero que goste!

*******************

É óbvio que não há receita para ser feliz. Se tivesse receita válida para muita gente, concorde comigo! Já teríamos eliminado a tristeza do mundo, todo mundo seguiria.

Vamos ver! “10 lições para ser feliz” e funciona. Bem! Eu sou o primeiro a aplicar. Todo mundo será o primeiro a aplicar. E o quê que aconteceria? 2 coisas:

1º) Todo mundo viveria igual. Por exemplo: correria na praia, faria Yoga, comeria linhaça. E todo mundo seria feliz, não haveria tristeza. 

Você tá com pressa, fecha o semáforo. Não tem importância, afinal, você comeu linhaça. 

A sua namorada te chifra. Não tem importância, afinal você corre na praia.

As lições para ser feliz elas são patéticas. Por quê? Porque se seu filho tem câncer no meio do caminho ou já nasceu com câncer. Procure lá as “10 lições para ser feliz” para ver que solução elas dão!

E você verá que o mundo debocha das nossas fórmulas. A complexidade da vida tira sarro das nossas tentativas de felicidade. E a capacidade que o mundo tem de agredir é tão poderosa… O poder de fogo da realidade contra nós é tão violento, que você achar que vai ser feliz com 10 lições faz uma criança dar risada, porque 99% dos problemas da vida são imprevisíveis e detonadores.

Eu posso imaginar que pelo que eu falei as pessoas devem estar pensando: “Pô! Esse cara é um pessimista!”

De jeito nenhum. O que eu não suporto são os falsos profetas do mundo contemporâneo que querem nos fazer acreditar que seguindo certos protocolos está excluído o risco da tristeza. 

Então eu garanto! A tristeza faz parte da vida e ela faz parte de maneira robusta. A vida é feita com a matéria prima da tristeza. Só que aqui e acolá tem alguns instantes alegradores que acabam compensando e é na esperança deles que a gente continua tocando o barco. Quanto menos você esperar do mundo, mais chance vai ter de perceber esses momentos alegradores. Quanto menos você achar que o mundo vai trazer um paraíso Eldorado com mulheres maravilhosas, homens incríveis e muito dinheiro e fama e glória. Quanto menos você achar isso, mais você vai ter condição de se encantar com coisas mais simples e que são enternecedoras. 

Quanto maior a esperança, mais vai ser frustrante, mais vai despencar do 18° andar, mais vai perceber que não é todo dia que tem pão quente.

Então, eu sou adepto assim, de entender a vida na sua crueza, na sua concretitude para ter mais chance de desfrutar dos pequenos momentos que a vida traz de alegria e de felicidade…

***********************

Leitura complementar

Ninguém bate mais duro do que a vida

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Não enxergue a realidade de forma distorcida

Por Isaias Costa

PERSPECTIVA2_3

Infelizmente, é grande o número de pessoas que enxerga a realidade de forma distorcida. Nesse texto farei uma breve reflexão sobre isso a partir das belíssimas palavras da jornalista Fabíola Simões.

“A forma como lidamos com nossas relações fazem parte do que consideramos real também. Uma pessoa ferida pela vida, amargurada após relações que não deram certo, certamente terá uma visão diferente daquela que tem a mocinha cheia de sonhos, que entra na igreja de braço dado com o pai. Por isso é tão necessário ter cuidado com aquilo que transmitimos aos outros _ principalmente aos mais novos _ a partir de nossos paradigmas ou percepções (nem sempre tão legítimas), mas que fazem parte da nossa realidade, não da realidade universal.

Aquilo que vejo pode não ser o que é; e talvez uma mente jovem, sem grandes traumas, tenha maior capacidade de enxergar o que realmente é, ao invés daquilo que podemos acreditar que seria.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Aprendendo a confiar no invisível

Por Isaias Costa

5350068056_fe7fd87d82_b

Recentemente, assisti a um vídeo muito bom do terapeuta Luiz Gasparetto falando sobre o poder imenso que o invisível pode ter na nossa vida, invisível este que para a maioria das pessoas é chamado de .

Ele chamou desta forma exatamente para não levar a nenhuma reflexão voltada para as religiões, já que cada uma tem uma fé e cada uma acredita neste invisível de uma maneira diferente.

Deixo o vídeo logo abaixo e falarei mais algumas coisas que me foram inspiradas a partir dele. Seria interessante assisti-lo antes de continuar a ler o texto.

O invisível está em toda parte, basta que estejamos atentos e em paz com a nossa alma, com o nosso ser interior.

O que achei mais interessante nas suas palavras foi a palavra CONFIAR. Esta palavra tem em sua estrutura o nome fio, ou seja, conectar um fio com alguma coisa.

Em outras palavras, confiar no invisível significa conectar o fio da sua essência mais profunda naquilo que seu coração está lhe indicando ser o caminho, ser o correto, ser o seu destino para aquele momento.

Essa confiança é algo verdadeiramente mágico, e tenho constatado na minha própria vida. Já falei isso em diversos textos, mas não canso de repetir, quando você segue em direção a sua essência, aos maiores sonhos da sua alma, todo o universo conspira a seu favor, aparecem diversas situações, propostas, amizades, insights, ideias em conjunto com outras pessoas etc. tudo para lhe fazer caminhar cada vez mais em direção a sua verdade.

“Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará…”

Essa frase maravilhosa do mestre Jesus tem um poder imenso e neste vídeo do Gasparetto é disso que ele está falando. Quando nós encontramos a nossa verdade (o que digo de antemão não ser nada fácil, requer uma busca incessante pelo autoconhecimento), todas as nossas escolhas e caminhos nos levam com um poder divino a crescer nessa verdade e ainda levar muitos outros nesse caminho do bem, do amor, do crescimento.

Comigo tem sido assim, sei que estou cumprindo a minha missão através do ensino e através da escrita, trazendo mensagens edificantes e transformadoras. Essas minhas escolhas conscientes tem me levado a um crescimento muito feliz em todas as áreas da vida: social, familiar, amoroso, financeiro, espiritual, lazer, tempo livre etc.

Aliado a tudo isso que falei, não posso esquecer a INTUIÇÃO. Todos nós temos a intuição, é nela que o poder do invisível atua. A intuição está conectada com nosso coração, que está ligado diretamente ao nosso espírito. Quando sentimos que algo que vamos fazer será bom, positivo, que fará bem a nós e a muitos outros, não há porque duvidar, não há porque voltar atrás, ter medo. Se o coração fala que algo vai dar carto e sentimos lá no fundo do coração uma coisa boa! O negócio é ter a coragem de ir e fazer. Ter essa autoconfiança.

Agindo dessa maneira, o invisível passa a fazer a parte dele nos ajudando, e tudo acaba dando certo, muitas vezes até melhor do que imaginávamos.

Isso é muito comum com o dinheiro. Tenho percebido comigo que quanto mais desapegado eu sou do meu dinheiro e mais promovo coisas boas com ele, através de alguma boa ação, ou um presente edificante para alguém, ou algo que sei que alguém está precisando, mais ele volta para mim. É impressionante! Quanto mais fé eu coloco no bem, no amor, na benquerença, mais dinheiro acaba chegando na minha mão! É real! Quer experimentar fazer o mesmo? Para isso é preciso acreditar no poder do invisível, é preciso confiar profundamente nesse invisível, que assim ele lhe ajudará imensamente…

Que você reflita sobre essas poucas palavras e sobre esse vídeo incrível do Gasparetto e faça isso. SIGA O SEU CORAÇÃO, ouça a voz suave e tranquila da paz do seu coração e acredite no que ele está lhe dizendo, garanto que quanto mais atenção você der ao seu coração, mais essas forças divinas atuarão sobre a sua vida. Acredite! Ponha em prática que a própria vida já vai lhe revelar a verdade, a sua verdade, e essa verdade vai lhe libertar…

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A pobreza de espírito é a verdadeira pobreza

Por Isaias Costa

gratidao

Outro dia li uma pequena estória budista com uma profunda mensagem sobre a pobreza de espírito. Leia com bastante atenção.

*************

A POBREZA DE ESPÍRITO É A VERDADEIRA POBREZA

“Um homem pobre perguntou a Buda:
– Por que sou tão pobre?

Buda respondeu:
– Tu não aprendeste a dar.

Então o homem pobre disse:
– Mas se eu nada tenho!…

Buda replicou:
– Tu tens algumas coisas. Tens um rosto que pode dar um sorriso; uma boca para confortar os outros; um coração que pode abrir-se para os outros; olhos que podem olhar o outro com bondade; um corpo que pode ser usado para ajudar os outros; como vês, não és assim tão pobre. A pobreza de espírito é a verdadeira pobreza.”

**************

Concordo plenamente com essas palavras. Tudo é uma questão de perspectiva. Se busco, mesmo nas situações mais difíceis, enxergar coisas boas, enxergar beleza na vida e transmitir essa energia boa aos outros, é assim que o meu mundo vai ser. O nosso espírito se enriquece na SIMPLICIDADE. Quanto mais simples nos tornamos, mais abertos para receber as belezas e dádivas da vida estaremos.

Esse é o princípio maior da PROSPERIDADE, dar para receber. Eu só posso receber da vida, seja lá o que for, se antes eu der, se antes eu me der abertura, avançar, ofertar meus dons aos outros, despretensiosamente. Só assim eu posso conquistar mais e mais prosperidade.

É assim com tudo meus amigos! É uma pena que muitas pessoas passem a vida inteira e não entendam isso.

Nessas poucas palavras, o Buda está nos ensinando sobre o mal do EGOÍSMO e do AUTORREBAIXAMENTO. Duas coisas extremamente destruidoras.

O egoísmo é você achar que não pode de forma alguma contribuir com os outros, se colocando como alguém incapaz, ou que está muito atarefado, sem tempo etc. etc. Isso é egoísmo! Viver pelo EGO, apenas olhando para a própria realidade, sem colocar o mundo dos outros na sua balança.

E o autorrebaixamento é você ter valores e virtudes que podem agregar valor à vida das pessoas e você se privar de ajudar, de fazer o bem, de levar uma palavra amiga, um sorriso ou mesmo um pequeno gesto. Esses dois venenos destroem o que há de mais belo e precioso no ser humano, que é a sua capacidade de amar, de se colocar no lugar do outro, de ser generoso, caridoso, afetuoso.

Todos esses grandes valores estão morrendo na nossa sociedade atual e gerando essa pobreza de espírito. Vamos fazer diferente. Vamos seguir o exemplo do mestre Buda e tantos outros seres iluminados que já passaram por esse planeta.

Seguindo o exemplo dos grandes mestres, podemos nos tornar pessoas verdadeiramente ricas, que se doam, que amam, que tem empatia e compaixão para com todos os seres, que cuidam e preservam a natureza, os mares e a vida como um todo.

Acredite! É possível sim construirmos esse mundo maravilhoso, e ele começa nas pequenas atitudes.

Para que você continue refletindo um pouco mais sobre isso, compartilho um texto mais antigo do blog no qual eu falava sobre o que é ser rico. No meu pensamento, é como coloco no texto: Ser rico não é sobre quanto se tem, mas sim quanto você pode dar… O link segue logo abaixo. Pense um pouco sobre isso…

O que é se rico?

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized