Arquivo do mês: agosto 2015

Os nossos ciclos de evolução

Por Isaias Costa

97.MagnoFranco_DespertarConsciencia

 

Nota: Por se tratar de um artigo mais longo, disponibilizo a você a sua versão em pdf sem as figuras, para facilitar sua leitura na forma impressa. O link para download está logo abaixo.

Os nossos ciclos de evolução

***********************************************

Outro dia, pensando e filosofando sobre muitas coisas, me veio em mente um insight que acabou se transformando nesse texto que você lê agora. Eu precisei de muitos anos de leituras e vivências para conseguir ter esse insight que é extremamente simples, mas ao mesmo tempo sofisticado, e é com enorme alegria que compartilho com você.

Alguma vez você já se questionou sobre por que as leituras que são chamadas de sagradas sempre são relidas não só pelas pessoas religiosas, mas também por todos aqueles que querem crescer em sabedoria? Pois é! Uma resposta mais minuciosa para essa pergunta requer uma boa dose de reflexão. Vamos lá? Acompanhe comigo!

Provavelmente, se tentarmos resumir o sentido da nossa vida em algo que seja mais simples e fácil de explanar, eu diria que significa EVOLUIR ESPIRITUALMENTE. Mas o que seria evoluir espiritualmente?

É desenvolver na vida e no dia a dia as virtudes dos grandes mestres que já passaram pela humanidade e que deixaram seus imensos legados, tais como Krishna, Buda, Jesus Cristo, Lao Tsé, Confúcio, Sócrates, Aristóteles, Yogananda, Krishnamurti, Osho e tantos outros.

Todos eles passaram por um processo de evolução até atingirem níveis extraordinários de consciência.

Nós podemos também atingir patamares de consciência como desses seres humanos que mudaram o curso da humanidade e da história. E é sobre esse aspecto que desejo lhe levar a refletir junto comigo.

Todos os mestres se inspiraram em outros para a sua formação, o que nos leva a afirmar que eles não nasceram prontos, ao contrário do que muitos pensam. Por exemplo, provavelmente o Buda teve o Krishna e outros como mestres a serem seguidos, Jesus Cristo teve o Krishna, o Buda e tantos outros, o Sócrates teve Krishna, Buda, Jesus… E assim, a evolução foi acontecendo, com novos avatares se inspirando em avatares do passado.

Como eles foram evoluindo os seus graus de consciência? Através da TEORIA e da PRÁTICA na vida de cada coisa que iam aprendendo.

Quando uma alma surge na Terra, ela tem um nível de consciência ainda muito pequeno, e essa consciência vai sendo elevada vida após vida, em um processo constante e gradual. As experiências vividas e os aprendizados retirados delas é que leva o espírito a evoluir. E essa evolução se dá primeiramente na compreensão da teoria e levando isto para a sua vivência.

Por isso que as leituras sagradas nunca podem ser lidas apenas uma vez e em seguida desprezadas, porque leva muito tempo, mas muito tempo mesmo para que elas sejam completamente vivenciadas e se tornem parte de nós.

Vou citar um exemplo na bíblia sagrada. A principal e maior mensagem deixada por Jesus nos diz que devemos amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Nossa! Vivenciar essas palavras não é nada fácil, a começar pelo fato de não sabermos nos amar de verdade. A maior parte das pessoas não faz a menor ideia do que é amar a si mesmo. Pode ter certeza que esse texto e minhas palavras serão absolutamente insuficientes para responder a essa pergunta. Amar a si mesmo é algo muito profundo, que leva a todas as esferas da vida.

Veja só algumas coisas que estão relacionadas com o amar a si mesmo.

  • Saber que seremos sempre eternos aprendizes nesse mundo;
  • Ter cuidado com o corpo, para que ele não se sobrecarregue com atividades diárias intensas demais ou fique inerte, ou seja, sem nenhuma atividade;
  • Cuidar do corpo para não comer em demasia, ou passar fome e ficar doente por falta de nutrientes;
  • Ter a convicção de que jamais poderá agradar a todas as pessoas;
  • Saber que precisamos desenvolver algo para a sociedade que seja para o nosso bem e que promova o bem das pessoas;
  • Saber que vivemos em um planeta no qual somos apenas parte de algo muito maior, e que tudo que fazemos para nós, de uma forma ou de outra acaba refletindo em todas as pessoas…

Enfim! Esses são apenas alguns pontos. Certamente existem dezenas e dezenas de outros pontos. Você percebe como amar a si mesmo é algo amplo? Definitivamente não é algo que se aprende do dia para a noite.

Se nós lemos apenas uma vez na vida essas belíssimas palavras de Jesus e não procuramos vivenciar, mesmo que só um pouquinho, o que elas querem dizer, estas palavras não passarão de meras palavras e jamais farão sentido algum para a nossa vida.

Então, o que nós fazemos? Lemos uma vez e não conseguimos entender muito bem o que tais palavras querem dizer, mas tentamos, na medida do possível, aplicar na vida e no dia a dia esses ensinamentos.

Ao fazermos isso, a vida nos enche de PROVAS para realmente nos testar se estamos aprendendo ou se ficou tudo só na teoria. Essas provas acontecem para nossa evolução. E como não poderia deixar de ser, nesse caminho nós erramos feio muitas vezes. E esses erros servem como parte desse processo de aprendizado e evolução.

Ao corrigirmos nossos erros, subimos um degrauzinho nesse processo evolutivo que nunca tem fim. Nesse momento acontece algo incrível, nós EXPANDIMOS A NOSSA CONSCIÊNCIA. E ao expandi-la, passamos a enxergar a vida e tudo que nos cerca com olhos mais profundos, com um pouquinho mais de sabedoria, de compaixão e de amor.

get_img

Nessa hora, nos deparamos de novo com o mesmo ensinamento: “amar ao próximo com a si mesmo”. E percebemos que ele já está fazendo um pouco mais de sentido do que quando foi lido pela primeira vez. Esse sentido maior se deu por causa da elevação da nossa consciência.

Depois desta segunda leitura, nós partimos para a PRÁTICA da vida, que nos lança desafios ainda maiores e mais exigentes. Novamente nós erramos e erramos, mas procuramos corrigir nossos erros. E nesse processo de corrigir os erros, evoluímos mais um pouquinho. E com essa evolução, passamos a enxergar com olhos mais conscientes, amorosos, gentis, generosos, empáticos, benevolentes.

Nessa hora, começam a desabrochar novas virtudes e começa a surgir e crescer dentro da gente um ser humano de fato mais HUMANO, que pensa nos outros, que se preocupa com a alegria, o conforto, a saúde, o bem estar das outras pessoas etc. Daí começa a surgir em nós um ALTRUÍSMO que vemos claramente em todos os grandes mestres da humanidade.

Com essa consciência um pouco mais expandida, novamente voltamos para o mesmo ensinamento: “amar ao próximo como a nós mesmos…”. E passamos e enxergar coisas que não enxergávamos antes, exatamente porque nossos olhos não tinham sido abertos o suficiente, entende?

E esse processo continua, ano após ano, e vida após vida. E o destino final de todo esse processo de evolução é alcançarmos a nossa natureza CRÍSTICA ou BÚDICA, que é a chamada ILUMINAÇÃO.

Todos os grandes mestres alcançaram essa iluminação e deixaram seus legados para a humanidade como sendo o caminho rumo a essa natureza perfeita que todos nós um dia iremos alcançar.

Isso não é fantástico? Demorei muitos anos para entender um pouquinho mais isso e traduzir em palavras essa sabedoria tão magnífica.

Ao refletir sobre tudo isso, não posso deixar de falar sobre o TEMPO. Ele é importantíssimo e crucial nesse processo de elevação da consciência. Eu já venho buscando o autoconhecimento há muitos anos e agora que estou começando a enxergar com um pouquinho mais de clareza. Sei que ainda preciso caminhar longas estradas rumo a essa consciência crística, mas não tenho dúvidas que o caminho é mais ou menos nessa direção.

maxresdefault

Se você prestou atenção nas minhas palavras, talvez tenha percebido que tudo se trata de CICLOS, no qual voltamos para o mesmo lugar, mas quando voltamos para esse lugar, não somos mais os mesmos, voltamos com a consciência um pouquinho mais evoluída. Segundo a teoria reencarnacionista, no processo de morte e reencarnação, nós guardamos nossa MEMÓRIA CÓSMICA, que fica arquivada no nosso INCONSCIENTE e passa pela conhecida LEI DO ESQUECIMENTO a cada vez que reencarnamos, e novamente, segundo essa teoria, os que se tornam cristos, conseguem recordar toda a sua memória cósmica, ou seja, conseguem se lembrar de todas suas vidas passadas.

Não vou entrar no mérito da questão, porque levaria muito tempo e teria que escrever um artigo muito maior do que esse, mas em resumo, podemos crescer muito o tempo todo através das nossas experiências e do amadurecimento através do tempo, por isso a importância de citá-lo.

As grandes virtudes levam anos e anos para serem internalizadas e se tornarem partes de nós.

Para nos tornarmos seres iluminados, essas grandes virtudes devem fazer parte de nós como se fosse nosso próprio DNA, entende? Por isso que não é nada fácil.

Em outras palavras, quem desenvolve essa natureza crística, em todas as atitudes e em 100% do tempo, agi a partir dessas virtudes, é sempre justo, é sempre generoso, é sempre honesto, é sempre misericordioso, afetuoso, acolhedor, paciente, compassivo, altruísta, desapegado, sereno etc. etc. etc.

É provável que nessa hora você pense algo tipo assim: “Nossa! Jamais eu vou conseguir desenvolver todas essas virtudes…”. E quem disse que precisa? Eu disse por acaso? Essa é outra grande questão e importantíssima.

Precisamos desenvolver tudo aquilo que for possível no HOJE, no AGORA. O melhor que podemos ser HOJE já está valendo nesse processo todo. Pode ter certeza meu amigo! Se só por hoje eu consegui por em prática na vida essas grandes virtudes, se eu passei por experiências nas quais eu poderia ter reagido de uma maneira estúpida, de uma maneira violenta, de uma maneira hostil, mesquinha, ciumenta etc. e não agi, isso mostra que eu estou no caminho certo.

O importante é ter esse COMPROMISSO consigo mesmo, buscar dar o primeiro passo, para desta forma vir o segundo, vir o terceiro, o quarto e assim por diante…

Antes de concluir, quero falar sobre uma obra rara na literatura mundial, trata-se do livro “O pequeno príncipe”, do Antoine de Saint-Exupéry. Esse é um livro que considero praticamente uma leitura obrigatória para todas as pessoas. Ele é absolutamente atemporal e tem uma magia quase inexplicável.

Todos que leem esse livro, ao terminarem de ler, têm a impressão mais ou menos assim: “Esse livro foi feito pra mim…”. E é verdade! Foi feito mesmo! Como ele trata de temas universais como o amor, a amizade, os afetos, etc. é impossível não se identificar com ele.

Mas por que estou falando sobre esse livro? Porque ele é cheio de simbolismos, ou seja, apesar da sua linguagem fácil, nunca poderemos entender TUDO o que ele traz de mensagem lendo apenas uma única vez. A cada vez que o relemos, algo a mais de ensinamento é acrescentado ao nosso repertório de vida.

Eu já li esse livro umas quatro vezes e a cada nova leitura aprendi coisas novas. É impressionante.

A sua mais célebre frase diz assim: “O essencial é invisível aos olhos”. Essa frase tem uma profundidade e riqueza magnífica. Lendo superficialmente, não podemos retirar a mensagem que o Exupéry quis nos transmitir.

Esse essencial que ele nos fala tem a ver com a SABEDORIA DA SIMPLICIDADE. Na vida, mais cedo ou mais tarde, todos nós acabamos descobrindo que a maior sabedoria mora na simplicidade. Inclusive esse próprio texto que você está lendo agora! Ele surgiu desta simplicidade. Tudo aquilo que estou colocando aqui não tem nada de extraordinário, mais tem uma profundidade muito grande, e se você conseguir captar bem a mensagem contida nele, você pode crescer em sabedoria, em consciência e em amor.

Certamente ainda lerei o livro “O pequeno príncipe” algumas vezes antes de morrer, e sei que continuarei aprendendo coisas novas.

É preciso pensar a respeito da mente e as fases da nossa vida, a mente de uma CRIANÇA jamais será como a mente de um ADOLESCENTE, ou de um ADULTO ou de um IDOSO. Em cada uma dessas fases vemos a vida e o mundo de forma absolutamente peculiar e única.

Uma criança lê “O pequeno príncipe” com toda sua ingenuidade e olhos de fantasia. Interpreta os animais e personagens da estória de um jeito bem simplificado.

Já um adolescente lê pensando em coisas totalmente diferentes. Um adulto não consegue ler fantasiando nada, já que a vida se encarrega de transformá-lo numa “pessoa grande”, como o próprio livro diz, e que enxerga tudo ao pé da letra. Já um idoso já lê com olhos cheios de saudade, pensando no quanto a vida é passageira e com vontade de voltar a ser criança como o pequeno príncipe no seu planetinha distante.

Percebe como é interessante a mudança de perspectiva para cada idade e fase da vida?

É assim que acontece nosso processo evolutivo. É assim que vamos crescendo em sabedoria.

Da mesma forma que esse livro, muitos outros livros são assim, sempre valem a pena serem lidos em fases diferentes da vida…

Em resumo. Era isso o que tinha para dizer. As leituras sagradas, aquelas que nos ensinam as grandes virtudes e sabedorias, devem ser lidas e relidas e relidas muitas vezes, para que em cada momento de releitura estejamos um pouco mais conscientes para compreendermos a mensagem que elas querem nos transmitir.

Quero concluir falando o que costumo falar constantemente por aqui. A mudança sempre, SEMPRE começa com a gente, para depois atingir as outras pessoas, e através das outras pessoas, chegar à cidade, estado, país e até o mundo inteiro.

Nunca esqueça: “A gente muda o mundo na mudança da mente”, como diria meu amigo Gabriel, o Pensador.

Para que você reflita um pouco mais sobre tudo isso que foi colocado, compartilho um texto de autoria desconhecida que resume de forma magnífica a mensagem principal. Desejo a você mais paz, luz e amor no coração…

BASTA MUDAR A SI MESMO PARA MUDAR O MUNDO

“Um jovem sonhava em mudar o mundo. Investiu muito tempo da sua vida para realizar esse ideal. Com o passar dos anos, percebeu que a proposta era ampla demais e restringiu seu sonho a mudar seu país. Depois de trabalhar algum tempo para isso, convenceu-se de que era muito difícil mudar o país, e pensou em mudar sua cidade. Mas aí também se frustrou e procurou mudar sua família, tentando ensinar-lhe a melhor maneira de resolver os problemas; porém ninguém lhe dava atenção, alegando que ele não conseguia nem mesmo resolver os seus. O tempo passou. O jovem tornou-se ancião, sem nada ter conseguido mudar. Um dia, sentindo-se triste, ao analisar sua vida e o motivo de seu fracasso, concluiu: “Se eu tivesse começado por corrigir meus próprios erros e me transformado, talvez minha família, vendo o meu exemplo, também tivesse mudado”. Minha família transformada poderia mudar a vizinhança que mudaria a cidade, o país e de repente o mundo inteiro.
A transformação do mundo exterior virá como consequência da transformação do seu mundo interior.”

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Use a intuição e seu magnetismo para servir

Por Isaias Costa

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Quero lhe levar a refletir junto comigo sobre um tema muito importante e pouco discutido, a SENSIBILIDADE. Infelizmente, vivemos em uma sociedade na qual as pessoas tem uma sensibilidade muito fraca e por conta disso muitas vezes acabam errando feio na vida, magoando as pessoas, sendo chatas, inconvenientes e por aí vai.

O grande segredo para aprendermos a sermos servidores de verdade está na INTUIÇÃO, desenvolver a nossa intuição para SENTIRMOS a real necessidade das pessoas em cada situação em que estamos inseridos. Para embasar nossa reflexão, compartilho algumas palavras da professora e escritora Cristina Cairo.

“Procure ajudar de maneira conveniente e educada, percebendo se é o momento certo e se não está invadindo a privacidade de ninguém. Já vi muita gente que se dedica a servir compulsivamente, como se tivesse de pagar seus pecados ou como se quisesse desesperadamente ser aceita ou reconhecida.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Ser UM é bem diferente de ser O

Por Isaias Costa

Ninguem-e-insubstituivel-um-sentimento-por-dia

Nesses dias estava refletindo bastante sobre um tema que não é tão falado por aí, muito menos aprofundado, porque ele acaba ferindo profundamente o EGO das pessoas, talvez seja por isso que não é frequentemente abordado, a AUTOIMPORTÂNCIA.

O que vem a ser essa autoimportância? É aquele comportamento típico de pessoas muito orgulhosas, que acham que são importantes demais naquilo que fazem, que ninguém faz o que elas fazem sem que fique bom do mesmo jeito, são aquelas pessoas que às vezes chegam a se “descabelar” porque ficaram doentes e tiveram que se ausentar do trabalho por esse motivo, são aquelas pessoas que acham que as coisas tem que ser feitas apenas do jeito delas e se os outros tentarem fazer de outra maneira não vai dar certo etc. etc.

Você conhece alguém com essas características? Eu conheço várias, e vou lhe dizer uma coisa, elas sofrem pra caramba, muitas vezes não são felizes de verdade e o pior, acabam adoecendo com muita facilidade e depois ficam culpando Deus e o mundo pelas suas doenças.

Então estou escrevendo esse texto com esse objetivo, para lhe dizer que você é apenas UMA pessoa, e a não A pessoa, a salvadora da pátria que precisa fazer um monte de coisas ao mesmo tempo e que sem você, o mundo vai acabar, rsrsrsrs!

Gosto até de brincar com as palavras do filósofo Mario Sergio Cortella, que também fala muito sobre essas pessoas nas suas palestras pelo Brasil afora. Ele costuma dizer isso aqui:

“Vou falar agora uma coisa impressionante. Calma! Fique tranquilo! Sabe o que é? Você vai morrer! E eu também! Já pensou?”.

Ele sempre fala essas palavras rindo! Eu acho isso tão bonito sabe? Pois é! Você vai morrer, já pensou nisso? E você sabia também que se você ficar achando que é importante demais e aquilo que você faz jamais será feito bem por outra pessoa que lhe substitua, sinto lhe dizer meu amigo, você vai morrer mais cedo ainda, você vai abreviar a sua vida na Terra. É isso que você quer?

Esse é um texto bem simples, mas ele é quase um tratamento de choque para as pessoas que têm esse problema. Parece que eu estou é vendo as pessoas do outro lado da tela. Para quem compreende que a autoimportância é algo que não precisa de exageros, esse texto é lido e compreendido bem facilmente, mas para quem tem isso, vixe! Elas começam logo com essa frase: “Não é bem assim não! Ele tá exagerando…”.

Estou exagerando? Será que estou?

Agora eu vou falar para você sobre um conhecimento incrível que venho estudando há quase dois anos, trata-se da LINGUAGEM DO CORPO e METAFÍSICA DA SAÚDE. Um estudo amplo e complexo.

Segundo esses estudos, as pessoas que acham que são insubstituíveis e que são importantes demais naquilo que fazem, todas elas, sem exceção, estão com um desequilíbrio em um CHACRA importantíssimo no nosso corpo, o chacra que fica no topo da cabeça, chamado de CHACRA CORONÁRIO.

Todos os nossos 7 chacras são importantíssimos, se qualquer um deles estiver desequilibrado, nós ficamos doentes, mas nesse texto tratarei apenas de doenças relacionadas ao chacra coronário.

Assim como qualquer outra doença e nível de desequilíbrio, temos os sintomas leves, moderados e graves. Vou enumerar abaixo os principais.

=> Sintomas leves

  • Dor de cabeça;
  • Cansaço;
  • Mal estar;
  • Enxaqueca;
  • Caspa;
  • Coceira (principalmente na cabeça…);

=> Sintomas moderados

  • Estafa física;
  • Sono excessivo;
  • Irritabilidade;
  • Estresse;
  • Taquicardia;
  • Pressão alta;
  • Derrames do olho (devido ao aumento da pressão e estresse)

=> Sintomas graves e gravíssimos

  • Derrame cerebral ou AVC;

E por fim! A MORTE

Depois de toda essa abordagem sobre esse tema, será que você acha que eu estou brincando? Pois é! Isso é muito sério.

Quero deixar claro que são muitos os sintomas possíveis e as reações no corpo variam de pessoa para pessoa, OK?

Esta é a linguagem do corpo, sinalizando para cada um de nós aonde está o nosso desequilíbrio, só resta entender esses sinais e agir para que a saúde seja restabelecida.

Sabe qual é o maior e melhor remédio para essa autoimportância excessiva? A HUMILDADE! É você ter a plena convicção de que é só mais uma pessoa, é apenas um ser humano tentando fazer o melhor possível, tentando acertar e que erra muito o tempo todo. Qual o problema em errar? O problema é não fazer nada, esse é o problema, mas com certeza não é o caso de você que me lê agora.

Saber que o que estamos fazendo pode ser feito muito bem por outras pessoas é absolutamente LIBERTADOR. Acredite!

Aqui existe uma palavra que gosto muito e todos os grandes líderes a tem entranhadas em suas mentes. DELEGAR! Aprenda a delegar tarefas! Aprenda que se você tiver muitas coisas para fazer, a melhor maneira é dividir com as pessoas que trabalham com você, esse também é outro exercício de humildade.

Ao fazer isso, você está dizendo para si mesmo e para os outros “Eu preciso de você. Posso contar com você?”.

Percebe como isso é lindo?

Portanto! O recado está dado. Ao exercitar essa humildade, seu organismo responderá com saúde, lhe devolvendo uma saúde de criança de 5 anos de idade. Esse é meu desejo para você! Que seja muito feliz e tenha muita saúde.

E logicamente, com esse exercício da humildade, pouco a pouco você vai equilibrando o seu chacra coronário, e assim, a paz de espírito começará a desabrochar em você. E com a paz de espírito, pronto! Sua vida vai mudar completamente, você se tornará uma pessoa muito mais agradável, boa de se conviver e ter amigos por perto. Você atrairá muito mais pessoas para si e consequentemente, será muito mais feliz.

Está vendo como é simples? Tudo que estou falando aqui pode ser exercitado e dá resultados bem rapidamente, só depende de você!

Enfim, nunca esqueça!

Ser UM é bem diferente de ser O…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A paz conquistada pelo autoconhecimento

Por Isaias Costa

mulher-na-rede-quintal-de-casa-cpia-762x333

Lendo as sábias palavras do místico indiano Krishnamurti, fiquei refletindo sobre a importância do autoconhecimento na transformação da nossa vida. A verdadeira paz só pode ser conquistada através do autoconhecimento. Vamos a ela?

“O autoconhecimento é infinito; nunca se chega a um remate, nunca se chega a uma conclusão. É um rio sem fim. Estudando-o e penetrando-o mais e mais, encontramos a paz. Só quando a mente está tranquila – em virtude do autoconhecimento e não em autodisciplina – só então, nessa tranquilidade, nesse silêncio, pode manifestar-se a realidade. Só então pode haver bem-aventurança, ação criadora. E se, sem termos essa compreensão, esta experiência, pomo-nos a ler livros, a assistir a conferências, a fazer propaganda, isso me parece extremamente infantil, uma simples atividade sem muita significação. Mas se, ao contrário, o indivíduo for capaz de compreender a si mesmo e, por conseguinte, de fazer nascer aquela felicidade criadora, aquele experimentar de algo não produzido pela mente, então talvez possa haver uma transformação imediata das relações, ao redor de nós, e, por conseguinte, no mundo em que vivemos.”

Krishnamurti

Ao ler essas palavras, eu me transportei para minha adolescência, tempo no qual comecei a me tornar um cara extremamente tímido e fechado no meu mundo. Lembro que, mesmo com todo meu isolamento, já buscava, de certa forma, as mesmas leituras que me preenchem hoje. Com uma diferença básica e extremamente importante, eu não me conhecia nem um pouco.

Em resumo, praticamente a maior parte dos livros que eu li nessa época não me serviram de muita coisa, porque, como até eu já disse em um texto mais antigo do blog, eu buscava os estudos e as leituras como um mecanismo de fuga para uma área da minha vida em que não era desenvolvido, os relacionamentos interpessoais.

Só depois de muitos sofrimentos e quedas na vida, comecei a, de fato, silenciar o meu coração e me aquietar para conseguir ouvir o que ele tinha para me dizer. Foi assim, que pouco a pouco fui me conhecendo e explorando meus potenciais.

Tem um detalhe interessante que eu nunca falei por aqui, mas que mostra essa mudança de vida através do autoconhecimento. Na minha adolescência, eu li diversos livros, sem conseguir retirar deles os seus ensinamentos. Grandes nomes como Dalai Lama, Osho, Brian Weiss, Taylor Caldwell entre outros, faziam parte das minhas leituras, mas o que ficou desta época? Quase nada.

Praticamente todos esses livros foram relidos depois de alguns anos, principalmente os do Dalai Lama. Algumas vezes eu cheguei até a dizer esse absurdo aqui: “Não gostei não. Os livros desse senhor são autoajuda barata. Eu lá vou ler isso…”. Só para você ter uma noção do tamanho da minha ignorância na época.

Hoje, se você der uma pesquisada no blog, vai perceber que escrevi dezenas de textos inspirados nele e o tenho como uma das minhas maiores referências na vida. Procuro vivenciar os princípios da compaixão que tão bem ele nos ensina. Grande Dalai Lama!

Hoje eu já me conheço muito mais e sei que estou no caminho certo. Descobri meus maiores talentos e estou desenvolvendo-os pouco a pouco. Desta forma, como o próprio Krishnamurti diz, nasceu em mim essa felicidade criadora. Isso é muito interessante, além dos textos que escrevo, nasceu em mim essa felicidade expandida, que as pessoas sentem quando vou até o encontro delas.

Quero com esse pequeno texto apenas lhe levar a refletir um pouco sobre isso. O autoconhecimento é uma busca absolutamente individual. Não adianta querer ser igual ao fulaninho ou ciclaninho, porque você é você. O verdadeiro autoconhecimento nos leva a sermos cada vez mais AUTÊNTICOS. Seja autêntico, seja você mesmo, e assim, a paz se instalará no mais profundo do seu ser e você passará a ser um agente transformador nesse mundo. Sua presença vai fazer diferença onde você for e seu jeito de ser inspirará os outros a também buscarem esse autoconhecimento. Acredite! É assim! Vivencie e você será prova viva do que estou dizendo aqui…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O que significa ser submisso?

Por Isaias Costa

submissao-lideranca

Alguma vez você já refletiu a respeito da palavra SUBMISSÃO? Farei uma breve reflexão a partir da origem dessa palavra. Leia com bastante atenção! A leitura desse texto pode ser o pontapé inicial para uma mudança de vida real. Você acredita? Pois continue lendo.

A palavra submissão significa “abaixo da missão”, ou seja, você viver abaixo da sua missão de vida. Isso é muito profundo e uma vez que você compreende isso, passa a elevar a suaAUTOESTIMA e passa a viver cada vez com mais AUTENTICIDADE.

Para que você compreenda bem, vou falar da minha própria experiência de vida. A minha missão de vida está diretamente relacionada com a EDUCAÇÃO e com a ESCRITA, não tenho mais nenhuma dúvida quanto a isso. Porém, nem sempre foi assim, precisei sofrer muito e passar por experiências muito dolorosas emocionalmente para buscar essa mudança real de vida.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A gratidão torna o mundo perfeito

Por Isaias Costa

serenidade

Há um bom tempo eu venho refletindo diariamente sobre o imenso poder que a GRATIDÃO tem sobre a nossa vida. Hoje acredito plenamente que ela pode transformar a nossa vida, nosso astral e por consequência, o mundo inteiro.

A gratidão nos conecta com o nosso ser mais profundo, com o nosso eu verdadeiro, e desta conexão surge a FELICIDADE GENUÍNA. Tempos atrás só poderia falar esse tipo de coisa através de teorias, mas hoje posso confirmar isso através da minha própria vida.

De alguns anos pra cá, tenho apenas seguido o meu coração em TUDO, só tenho dado atenção ao que ele me diz, e como não poderia ser diferente, estou cada vez mais conectado com a minha essência.

Assim, toda a minha vida se transformou e a prosperidade em todos os campos da vida estão vindo e crescendo. Parece uma mágica, mas não tem nada de mágica, é apenas o poder da GRATIDÃO e o fato de SEGUIR O MEU CORAÇÃO, que estão fazendo com que o meu mundo se torne melhor, e desta forma, o mundo que me cerca também.

Ainda não falei sobre isso nenhuma vez aqui no blog. De uns tempos pra cá, eu criei o meu próprio mantra, não sou muito chegado nesse lance de repetir os mantras dos orientais, porque pelo menos para mim, isso soa meio artificial, sabe? Mas repito que se trata apenas do meu pensamento, OK?

O meu mantra hoje em dia é: “Só glória! Está tudo na glória!”.

Essa palavra tem um poder interno muito grande, e pronunciá-la atrai boas energias e situações. É sério! Acredite! Muitas pesquisas científicas já provaram que as nossas palavras são capazes até de mudar a constituição física das moléculas de água. Já pensou que interessante?

Se alguém diz palavras de ÓDIO, de VINGANÇA ou de MORTE, as moléculas ficam feias e desordenadas, mas se alguém diz palavras de AMOR, de ORAÇÃO, de CARINHO ou MÚSICAS SERENAS, as moléculas de água ficam como lindos cristais, com uma perfeição que deixa qualquer um de “queixo caído”.

emoto-water-crystals

E então? Você sabe que somos constituídos de 70% de água, não sabe? Pois é! Agora imagine o poder que uma palavra como GLÓRIA pode ter sobre a sua vida se você a pronuncia pelo menos umas 300 vezes por dia, que é mais ou menos o número de vezes que eu repito?

E você? Também tem vivido na glória? Ou faz parte daquele povo que só sabe reclamar de tudo? Da vida, das pessoas, dos pais, do governo, da Dilma? Vale a pena refletir com carinho sobre essas questões…

Tudo que eu tenho feito na minha vida é agradecer, todos os dias e o tempo todo. Só tenho motivos para isso. Eu sou um privilegiado, e você, se parar, se aquietar e refletir de verdade sobre isso, vai perceber que é um privilegiado também. Vem cá! Você sabia que só por estar lendo esse texto você já é um mega privilegiado? Isso mostra que você tem acesso fácil à internet. No nosso país, milhões e milhões de pessoas sonham em ter o acesso fácil à internet que você tem, mas elas não têm condições financeiras e muitas vezes até psicomotoras para isso.

Aprenda a agradecer por todas as glórias que são derramadas na sua vida a todo instante, mas que muitas vezes você não enxerga, pois a sua mente está pensando em picuinhas como aquela pessoa que lhe disse palavras raivosas, aquele cara do seu trabalho que se sente superior aos outros, aquele dinheiro que você emprestou a uma pessoa e ela nunca mais lhe devolveu, aquele plano que você tinha com alguns amigos e eles lhe desestimularam etc. etc.

Pare com isso meu amigo! Pense no HOJE, no AGORA. Se você focar a sua MENTE, e acima de tudo, o seu CORAÇÃO no agora, você vai começar a agradecer mais e reclamar menos.

Para concluir, quero compartilhar uma linda frase do místico oriental Osho que me inspirou a escrever esse texto. Acredite em você! Acredite que através da gratidão sua vida pode se transformar no céu aqui mesmo na Terra. Em minha opinião, céu e inferno somos nós que criamos a partir das nossas escolhas. Então escolha ser feliz seguindo o seu coração e sendo grato! Garanto que fazendo isso a sua vida se transformará em um céu…

“Quando o sentimento de gratidão aflora em seu ser é quando você começa a sentir a presença de Deus à sua volta. E então, toda a sua energia se transforma em gratidão, todo o seu ser se transforma em agradecimento – você se transforma em verdadeira prece. Porque nada mais falta, e o mundo é perfeito e tudo está como deveria estar.”

Osho

* Sugestões de leitura

Quer ser feliz? Seja grato!

Gratidão, simplicidade e felicidade 

A voz do coração e a voz dos outros

 

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

A empatia e a superação das ansiedades

Por Isaias Costa

não importa

Nós estamos vivendo em um mundo com cada vez mais pessoas ansiosas e preocupadas em demasia. Tudo isso tem gerado grandes desequilíbrios e o surgimento de doenças no corpo. Hoje quero lhe levar a refletir sobre uma forma maravilhosa de superar as ansiedades e preocupações, a prática da empatia. Compartilho algumas palavras do mestre Dalai Lama falando sobre isso, são palavras extraídas do livro “Uma ética para o novo milênio”.

“As coisas e acontecimentos só ocorrem como resultado de inumeráveis causas e condições. Nossa tendência é nos concentrarmos exclusivamente em um ou dois aspectos do que está acontecendo. Ao agir assim, inevitavelmente nos limitamos a procurar meios para superar apenas aqueles aspectos. O problema é que, quando não os encontramos, corremos o risco de cair em total desânimo e desorientação. O primeiro passo para superar a ansiedade é, então, desenvolver uma perspectiva adequada da situação.

Podemos fazer isso de diversas maneiras diferentes. Uma das mais eficazes é procurar desviar o foco da atenção de nós para os outros. Se conseguimos, verificamos que a intensidade de nossos problemas diminui. Não se trata de ignorar as nossas necessidades, mas de lembrar das dos outros paralelemente, mesmo que as nossas sejam prementes. Quando nossa preocupação pelos outros se traduz em ação, nossa confiança pessoal aumenta de imediato e a preocupação e a ansiedade passam a segundo plano. E descobrimos que quase todo sofrimento mental e emocional característico da vida moderna, que inclui as sensações de desesperança e de solidão, entre outras, diminui quando nos envolvemos em atividades motivadas pela consideração pelos outros. Acredito que seja por isso que não basta realizar ações que só são positivas externamente para reduzir a ansiedade. Quando a verdadeira motivação é atingir nossos objetivos imediatos, isso apenas aumenta os nossos problemas.

O que dizer, porém, daquelas ocasiões em que achamos toda a nossa vida insatisfatória, quando nos sentimos a ponto de explodir de tanto sofrimento, como acontece de vez em quando com todo mundo de maneira mais ou menos intensa? Quando isso acontece, é vital empregar nossos esforços para encontrar uma forma de melhorar o ânimo. Uma delas é pensar nos nossos tesouros: ser amado por alguém, ter certos talentos, ter recebido uma boa educação, ter as necessidades básicas satisfeitas- alimento para comer, roupas para vestir, um lugar para morar-, ter agido com altruísmo em alguma ocasião do passado. Como o banqueiro que recolhe os juros até do menor empréstimo que faz, temos de levar em conta até o mais insignificante aspecto positivo de nossas vidas. Não podemos deixar que a sensação de impotência tome conta de nós, levando-nos a crer que somos incapazes de realizar algo positivo, o que só faz criar condições para o desespero, para um beco sem saída, sem outra alternativa a não ser a morte.”

Essas são palavras muito simples e profundas. Quando vemos com um pouco mais de atenção a dor dos outros, que é a empatia, naturalmente somos levados a rever as nossas próprias dores e reparar que elas não são tão grandes quanto parecem. Gosto muito de um relato dito pelo padre Fábio de Melo em uma de suas pregações. Ele disse que uma moça chegou desesperada até ele, chorando e soluçando, dando berros e gritos, então ele perguntou qual era o seu problema. Ela respondeu que foi porque tinha terminado um namoro. O padre foi curto e grosso com ela e disse mais ou menos assim: “Minha filha, se você quiser se sentir melhor, saia daqui e passe direto em um hospital de crianças com câncer que garanto que seu desespero vai passar rapidinho”. Ele agiu com imensa sabedoria neste momento, esse sofrimento da garota não chegava nem perto dos grandes sofrimentos da vida e se ela mudasse a sua perspectiva quanto ao seu sofrimento, ela se sentiria melhor bem mais rapidamente.

Eu tenho procurado fazer isso à minha maneira, principalmente ouvindo algumas pessoas. Escuto suas histórias e percebo o quanto sou agraciado e abençoado. Pense sobre isso com bastante carinho e atenção. Se você levar a sério esses ensinamentos, a sua vida pode dar grandes saltos de qualidade.

Eu também gosto muito de fazer o que o Dalai Lama sugere, que é pensar nos meus tesouros para melhorar o ânimo. Eu faço isso desde muito novo, muito antes de conhecer os escritos dele. Essa é mais uma das formas que eu utilizo para permanecer feliz e contente a maior parte do tempo. Comece a agradecer mais por todos seus tesouros! Você será muito mais feliz cultivando a gratidão. Se quiser ler um pouco mais sobre isso, deixo um texto em que falo sobre isso com mais detalhes.

Buscar estar sempre bem

A partir de hoje, sempre que pensar nos seus sofrimentos e quando se sentir ansioso, saiba que em todas as partes do mundo, muitos estão passando por problemas muito maiores do que você e que, mesmo triste, abatido, preocupado, angustiado, você pode fazer algo de bom para melhorar a vida das outras pessoas. Isso se chama felicidade genuína, que pode ser bastante cultivada através das nobres virtudes tão bem ensinadas pelo Dalai Lama e pelos grandes mestres. Pense sobre isso…

* Leitura complementar

Um motivo para seguir adiante

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O grande trabalho da autolibertação

Por Isaias Costa

tumblr_m4rzt3TD1z1rngp80o1_500

Estava lendo a excelente dissertação de mestrado do professor Vitor Cei Santosintitulada “Novo Aeon – Raul Seixas no torvelinho de seu tempo”. E me deparei com uma frase muito profunda e verdadeira dita pelo Raul, que transcrevi para cá.

“E, mesmo que até hoje as nossas esperanças tenham sido frustradas, nesta Nova Era que se inicia o indivíduo compreenderá o valor de si próprio e se unirá a outros para o grande trabalho da autolibertação.”

Raul Seixas

Eu acredito realmente que o nosso planeta está se encaminhando para esse processo da AUTOLIBERTAÇÃO.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Nós nos projetamos nas outras pessoas

Por Isaias Costa

02-acaso-destino-a-terapia-de-alice

Existe uma lei universal que muitas pessoas não conseguem aceitar, porque exatamente mexe profundamente com o que elas não querem mexer, que são as sombras. Todos nós temos as nossas sombras, que decorrem dos registros do inconsciente. Essa lei é a chamada“lei da projeção”. Nós projetamos nas outras pessoas aquilo que temos de positivo em nós, mas também aquilo que temos de negativo.

Como se trata de registros do inconsciente, muitas vezes nem nos damos conta de porque agimos ou reagimos de determinada maneira.

Para refletirmos sobre isso, compartilho algumas palavras muito profundas da escritora e palestrante Debbie Ford. Leia com bastante atenção…

“Há alguns meses, minha amiga Nancy, que estava passando por uma depressão havia alguns anos, veio me visitar. Convidei-a para ouvir um dos mais famosos conferencistas domundo na área de terapia motivacional. Durante a preleção, ficamos as duas em silêncio; eu, ocupada em tomar notas. Quando entramos no carro para voltar para casa, Nancy virou-se para mim e disse: “Este sujeito é um perdedor”. Chocada, perguntei-lhe por que achava isso.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Algumas empresas estão promovendo falsas meditações

Por Isaias Costa

18

Esse é um texto mais questionador. Provavelmente alguns que o lerem não irão gostar, mas não me importo com isso. Vou falar o que eu sinto e sei que bate de frente com o pensamento de muitas pessoas.

Hoje em dia, uma das palavras mais em voga é PRODUTIVIDADE. O que tem de pessoas vendendo cursos de como melhorar a produtividade não está no gibi. Mas onde quero chegar? No cúmulo do absurdo. Muitas empresas têm utilizado a maravilha que é a meditação com fins puramente financeiros. Eu sinto verdadeira ojeriza a isso e vou explicar pra você.

A verdadeira meditação é um caminho de TRANSFORMAÇÃO INTERNA e não algo para aumentar a produtividade.

Não estou generalizando, mas em muitas empresas que promovem momentos de relaxamento com meditação, quietude, mantras etc. o fazem com o único objetivo de deixar seus funcionários mais relaxados e serenos, para que na segunda-feira voltem a trabalhar como robôs sem descanso. Desde quando isso é meditação? Isso pode ser chamado no máximo de relaxamento.

Se você prestar atenção nesses momentos de meditação, acontece normalmente de duas formas, ou no fim do expediente da sexta-feira ou durante o final de semana. Por que será hein?

Lógico que é para que a bela produtividade esteja no nível 100% na segunda-feira pela manhã.

Gosto até de comparar com os óleos lubrificantes das máquinas. Você percebe? Quando elas estão começando a ranger e ter seus movimentos dificultados, o que os mecânicos fazem? Colocam um “oleozinho” para que as engrenagens voltem a funcionar bem.

Com os seres humanos nas grandes empresas é exatamente a mesma coisa, as meditações de fim de semana são como esse “oleozinho”, que até lubrifica legal, mas dura só o período de uma semana. Logo a pessoa está enferrujada de novo pelo estresse.

O que fazer? Pergunta boa essa, não?

Para responder a essa pergunta, compartilho as belíssimas palavras do místico oriental Osho. Leia com bastante atenção…

**************

“Um certo homem poderia ter sido um grande e belo dançarino, mas ele está sentado num escritório arquivando fichas. Sem qualquer possibilidade para a dança. O homem poderia ter curtido dançar sob as estrelas, mas ele segue simplesmente acumulando contas bancárias. E ele diz que está infeliz: ‘me dê alguma meditação’. Eu posso dar a ele, mas o que essa meditação irá fazer? O que se espera que ela possa fazer? Ele vai permanecer o mesmo homem: acumulando dinheiro e sendo competitivo no mercado. A meditação poderá ajudar da seguinte maneira: poderá fazer com que ele fique um pouco mais relaxado para seguir fazendo essas tolices, e de uma maneira ainda melhor.”

Osho

***************

Enfim! É isso que acontece. Muitas pessoas trabalham completamente infelizes, pensando apenas no salário que vão ganhar no final do mês. E quando se trata de grandes empresas a coisa é ainda pior, porque em muitas delas o salário é até alto, porém exige que você literalmente “dê o seu sangue”. Nessa hora, muitos pensam assim: “Meu trabalho é cansativo, mas eu ganho bem, então aguento todos os estresses e chatices que vierem…”. Essas palavras lhe soam familiares? Você não faz ideia do número de vezes que eu escuto essa frase com pequenas variantes.

Aí eu lhe pergunto: Dá pra ser feliz desse jeito? Seja sincero! Não precisa responder para mim, responda para você mesmo e reflita.

Nossa vida passa muito depressa e se não fizermos algo que faça nosso coração vibrar de emoção, toda nossa existência se torna vã, porque foi apenas um passar de dias, no qual você se comportou como um completo “robozinho formatado”.

Você já ouviu falar na patologia silenciosa chamada NORMOSE? É disso que estou falando, estamos vivendo numa sociedade repleta de normóticos, que fazem tudo como robozinhos e quando menos esperam, estão velhas e se sentindo imprestáveis nesta sociedade que só valoriza o fazer, jamais o ser das pessoas.

Se quiser ler mais sobre a normose, escrevi dois textos bem interessantes que vão abrir a sua mente para esse tema tão importante.

A patologia silenciosa chamada normose – Parte 1

A patologia silenciosa chamada normose – Parte 2

Eu estou buscando dia após dia me tornar alguém relevante e que vive a vida com propósito e alegria. Tenho sim momentos de tristeza, mas como sigo meu coração em tudo, esses estão se tornando cada vez mais escassos, porque uma alma feliz raramente fica triste, porque encontrou essa felicidade na fonte. E onde está a fonte? Dentro de nós mesmos, basta silenciar, basta se aquietar que ela surge e nos enche dessa energia libertadora.

Será que uma meditação de fim de semana com o objetivo de fazer você produzir mais e enriquecer mais e mais o seu patrão vai lhe levar até essa fonte inesgotável de energia? Responda a essa pergunta de coração aberto e sem pressa. Escute o que a sua alma tem para lhe dizer… Talvez você se surpreenda…

Há muito mais a ser falado sobre isso, mas quero apenas lhe instigar com esses vários questionamentos.

Quem sabe depois desse texto algo dentro de você seja despertado para outra realidade, para outra visão da vida, para uma perspectiva mais interna e emocional. Esse é meu desejo para você. Paz e luz…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized