Arquivo do mês: fevereiro 2016

É ruim ser ingênuo?

Por Isaias Costa

menina_com_uma_borboleta_no_nariz

Eu acho essa pergunta tão interessante, sabia? Talvez você se surpreenda com esse texto, pois ele traz uma perspectiva bem diferente da qual estamos acostumados.

Se eu fizer essa pergunta aqui no Brasil, creio que recebei um sonoro SIM de pelo menos uns 95% das pessoas!

Mas sabe o que eu digo a você? NÃO! NÃO É RUIM. Vou explicar!

Gosto de conhecer as raízes das palavras. Sabe o que significa “ingênuo”? Aquele que está de acordo com os genes. É a mesma raiz da palavra “Gêneses” da bíblia, ou “Genética” da Biologia!

Ou seja, significa princípio, início, criança, natureza primordial!

Bem bacana não é? As pessoas, de um modo geral, pensam que ser ingênuo é ser infantil, ser bobo, ou no modo mais popular ainda, “ser besta”.

Isso não tem nada, absolutamente nada a ver, com você ser ingênuo.

Ser ingênuo é você ter a coragem de ser você mesmo! Sem máscaras. Sem subterfúgios. Sem complexos de superioridade ou de inferioridade. Sem travas internas. Sem preconceitos ou julgamentos alheios, e por aí vai…

Será que é fácil ser ingênuo? Garanto a você que não! A gente paga um preço muito alto ao fazer essa escolha.

Realmente, como a nossa sociedade vive em um desequilíbrio sem medidas, muitos acham perigoso ser ingênuo. Eu não! Acho uma aventura! Faz a vida ter um gostinho especial! Rsrsrsrs

A ingenuidade está completamente atrelada ao AMOR. Lendo bastante sobre os grandes mestres, principalmente o mestre Jesus Cristo, consigo perceber que ele era ingênuo.

Eu tento, na medida do possível, me espelhar nele e na sua sabedoria. Essa é a grande questão. Para ser ingênuo de verdade, é preciso antes de tudo buscar o AMOR PRÓPRIO.

Quando você se ama, passa a ter o potencial para amar de forma plena as outras pessoas. Lembra a frase? “Amai ao próximo como a ti mesmo”?

Jesus queria falar sobre esse transbordamento em amor. Ele tinha um amor tão grande, tão imenso por ele mesmo, que ele espalhava esse encanto por onde andava. As pessoas olhavam para ele e se sentiam atraídas pela sua aura de paz.

Infelizmente, não foi isso que nós aprendemos sobre ele. As religiões ensinaram algo bem diferente. Elas vêm, em sua maioria, ensinando que devemos aprender com os sofrimentos, que eles são necessários, que o pecado se alastra e vem desde que nascemos, somos herdeiros do pecado de Adão…

Será que é isso mesmo? Quando leio as passagens bíblicas não vejo nada disso em Jesus. Quando leio sobre Buda, sobre Yogananda, o Eckhart Tolle, o Osho e muitos outros iluminados, nenhum deles, acredite! Nenhum fala sobre o sofrimento ser necessário.

Ele não é! Ele é uma criação nossa. Nós criamos os nossos sofrimentos e depois sempre tentamos encontrar culpados. Pode? Se quiser ler um pouco mais sobre isso, compartilho algumas palavras inspiradoras do místico Osho. Vale a pena dar uma lida…

Você cria seus próprios problemas

Esse é um ponto bem interessante. Ao contrário do que você pensa, quem é ingênuo não fica comprando sofrimento para si! Ficou chocado? É! Levei um tempo danado da minha vida para entender isso!

Aí que vem a sabedoria! A verdadeira ingenuidade nos faz sermos mais RECEPTIVOS. Nós passamos a observar mais as pessoas e a entrarmos nos seus mundos de uma maneira bastante sutil. Aí então, quando sentimos que a outra pessoa está de alguma forma invadindo a nossa individualidade, nessa hora dizemos! Espera! Não é por aí não! Vamos esclarecer as coisas?

Ser ingênuo requer um mergulho no autoconhecimento para você identificar bem quais são suas qualidades e defeitos, de forma a buscar melhorar as qualidades e se trabalhar quanto aos defeitos.

Jesus dizia: “Quem não se fizer como uma dessas criancinhas, não entrará no reino dos céus”.

Essas são palavras simbólicas. Ele não quis dizer para ser infantil, como muitos pensam, ele quis dizer ser INGÊNUO, que nas palavras mais bonitas que eu conheço, quer dizer o seguinte: VOCÊ ESTAR NA SUA ESSÊNCIA.

Agora você entende melhor porque as pessoas acham ruim ser ingênuo? Porque o número de pessoas que vive a partir da sua essência é mínimo. Nós temos várias crostas de medos, de traumas da infância, de condicionamentos, de crenças negativas adquiridas…

Enquanto não trabalharmos tudo isso dentro de nós, a ingenuidade se torna cada vez mais difícil ou até mesmo uma utopia!

Agora é engraçado que são poucas as pessoas que tem coragem de encararem a si mesmas para fazerem esse mergulho.

Eu vou lhe confortar, tá bem? Dá muito medo! Pode ter certeza. Às vezes fico com medo de mim mesmo ao olhar para as minhas sombras. Mas pense comigo! Se eu procuro jogar luz sobre as minhas sombras, nesse local sombreado passará pouco a pouco a existir luz, concorda?

Esse é o processo de iluminação! Que todos os mestres ensinam.

O caminho para ser ingênuo é o caminho da ILUMINAÇÃO. Eu quero seguir por ele! E você?

Sei que estou engatinhando nesse processo. Caio, levanto, caio de novo, levanto outra vez. Faço uma besteira aqui, outra ali, magoo alguém! Mas sei que tudo isso é para aprender, para me tornar alguém melhor.

Espero que tenha gostado dessas palavras e que você reflita com carinho sobre elas! Acredite! Ser ingênuo vai fazer de você um ser humano diferenciado nessa sociedade tão cheia de desequilíbrios…

 

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

As pessoas mais racionais têm medo da crítica

Por Isaias Costa

630getty-boss-jpg_080748

A mensagem que transmitirei nesse texto é mais comum do que se pode imaginar, mas são poucas as pessoas que abordam com a profundidade que esse tema merece, as CRÍTICAS dos outros!

Eu tenho estudado bastante a Psicologia do comportamento humano e acima de tudo, tenho observado com olhos de águia o comportamento das pessoas que se aproximam de mim.

Venho constatando que as pessoas que mais sofrem quando recebem alguma crítica são as mais racionais, àquelas que se deixam dominar pela mente que é tão barulhenta e incessante.

Tenho autoridade para falar sobre esse tema porque eu sou um rapaz que fiz uma mega transição do RACIONAL para o EMOCIONAL. Já fui altamente racional, mas percebi que esse não é o melhor caminho…

Se você observar bem isso e procurar experimentar a proposta desse texto, vai perceber a sua vida se transformando.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Os últimos serão os primeiros

Por Isaias Costa

vida-leve

O mestre dos mestres Jesus Cristo, durante sua passagem pela Terra, nos ensinou tudo o que precisamos para ter uma vida plena, feliz e próspera. Mas é uma pena as pessoas não pararem para estudar profundamente os seus ensinamentos.

Nesse texto, vou aprofundar a mensagem de uma das suas mais célebres frases…

“Os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos”

Essa frase é de uma profundidade estupenda. Nessa mesma passagem ele ainda completa dizendo que “muitos serão os chamados, mas poucos os escolhidos”.

Enfim! Vamos à interpretação…

De uma maneira mais superficial, é bem clara a questão da HUMILDADE. Se você se mostra uma pessoa humilde de verdade, tem todos os recursos e condições de se tornam o primeiro. Lembrando que “humildade” significa “terra fértil”, ou seja, quem é humilde sabe que é incompleto e que sempre tem algo a mais para aprender, desta forma não humilha ninguém, não se torna autoritário, dogmático, exigente demais etc.

Estou procurando seguir os passos do mestre e ser pelo menos um pouco mais humilde a cada dia. Não é nada fácil, porque a nossa mente e o nosso ego ficam o tempo todo “dando pitaco”!

Mas essa passagem, sendo interpretada mais profundamente, nos leva a refletir sobre o EGO HUMANO, que está cada vez mais exacerbado na nossa sociedade.

Estamos dominados pelo CAPITALISMO e o lema é o lucro, o poder, a fama, o status, o prazer fácil, a comodidade, a felicidade sem fim etc. etc.

Tudo isso não passa de pura ilusão, mas as pessoas estão tão afastadas de seus centros que acham que essas coisas são a realidade. Definitivamente não são!

A felicidade e a plenitude vêm de dentro do nosso ser. Brota e cresce a partir do coração, que se conecta com o nosso eu divino.

Jesus, com suas sábias palavras, está fazendo uma dura crítica à COMPETIÇÃO que existe entre as pessoas.

Tudo na sociedade é colocado desta maneira, o primeiro, o segundo, o terceiro, até chegar ao último.

Com essa classificação, somente quem for o primeiro vai receber o seu prêmio, que recebe diversos nomes, como medalha esportiva, cargo em um concurso público, melhor voz em shows de talentos, melhor banda em concurso musical, melhor quadro da exposição, melhor música do evento, melhor pesquisa universitária…

Pensar desta maneira retira toda a beleza e mais que isso, toda a ESPONTANEIDADE da vida.

Pense comigo? Como você desenvolveria os seus dons se soubesse que não vai haver nenhuma competição? Que não vai haver primeiros nem últimos?

Aqui tem uma perspectiva bem interessante!

Os materialistas vão se FRUSTRAR. Vão pensar mais ou menos assim: “Que chato! Que graça tem eu fazer uma coisa e não receber nenhum reconhecimento dos outros? Não receber minha medalha de ouro para esfregar na cara do fulano? Não colocar no meu currículo que tenho formação no nível supremo?…”.

Eu sinto vontade de rir dos que pensam assim!…

Os mais voltados para a espiritualidade e o amor, para a essência do ser vão pensar assim: “Que bom não ter competidores, desta forma eu vou fazer tudo do jeito que eu achar melhor, independente do que vão pensar. Se só uma pessoa gostar está ótimo, se até mesmo ninguém gostar, ótimo do mesmo jeito, porque eu estou feliz, estou fazendo isso com toda a minha alma…”.

Você consegue perceber a diferença? Os materialistas pensam PARA FORA, quem está na sua essência pensa PARA DENTRO, para ser ainda mais profundo, na realidade quem está na essência nem pensa muito, SENTE, vibra nesse amor e nessa certeza.

Com esses exemplos ou posso voltar ao que Jesus quis dizer, os últimos são aqueles que estão vivendo pelo coração, que aos olhos do mundo são considerados “loucos”, “perdidos”, “fracassados”, “lunáticos” etc. E os primeiros são aqueles que estão competindo, que estão ansiando pelas medalhas, por reconhecimento externo.

Pois é! Sabe de uma coisa? Eu estou cada vez mais procurando fazer parte dos últimos! E a recompensa que estou tendo é a FELICIDADE GENUÍNA.

Muitos dizem que estamos neste mundo para sermos felizes, essa frase virou até clichê, mas quem a vive de verdade, hein?

Você é feliz? Se faça esse questionamento? Se não é, que tal pensar com carinho nessas palavras de Jesus e no que estou colocando aqui! Se você caiu nesse texto é porque de alguma forma está buscando isso!

Sejamos felizes, e a melhor maneira de sermos felizes de verdade é sendo os últimos, longe das competições, pois assim seremos os primeiros no nosso coração, e ao optar pelo coração, acredite! Nem mesmo precisaremos dizer que estamos em primeiro…

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Somente o coração conhece a resposta certa

Por Isaias Costa

Consulte-sua-alma-e-seu-coração

Existe um pequeno texto do médico e escritor indiano Deepak Chopra que já li dezenas de vezes e tem me ajudado demais a fazer melhores escolhas na vida. Espero que você leia esse texto com bastante atenção, pois ele é de uma sutileza imensa…

“Há um mecanismo muito interessante no Universo para ajudar a fazer escolhas corretas. Esse mecanismo relaciona-se com as sensações físicas. Nosso corpo conhece dois tipos de sensações: uma é a do conforto e a outra é a do desconforto. Imediatamente, antes de fazer uma escolha consciente, observe seu corpo enquanto faz a pergunta “se eu escolher isso, o que acontecerá?” Se seu corpo enviar uma mensagem de conforto, é a escolha certa.

Para alguns, a mensagem de conforto e desconforto se dá na região do plexo solar (estomago). Para a maioria, no entanto, manifesta-se na área do coração. Espere pela resposta, uma resposta física, na forma de sensação, mesmo que seja muito leve.

Somente o coração conhece a resposta certa. Muita gente acha que o coração é piegas e sentimental. Não é. O coração é intuitivo. É holístico. É contextual. É relacional. Não se orienta por perdas e ganhos. Ele esta conectado ao computador cósmico que leva tudo em conta.

Às vezes, pode ate parecer irracional, mas o coração tem uma capacidade mais acurada e muito mais precisa de processar dados do que qualquer outra coisa que exista nos limites do pensamento racional.”

Deepak Chopra

************

Uma das primeiras questões relacionadas a esse texto é o SOFRIMENTO, apesar de ele não colocar com essa palavra.

Sempre que fazemos escolhas erradas na vida, nós sofremos muito, e esse sofrimento tem como objetivo nos fazer crescer, amadurecer e aprender. Tudo muito bom, tudo para o bem!

No entanto, se buscarmos seguir o coração desta forma que ele coloca no texto, certamente vamos reduzir drasticamente os nossos sofrimentos, porque o coração se conecta com o computador cósmico, com a nossa essência mais profunda, e só o coração sabe o que é o melhor para cada um.

Quero frisar dois pontos importantes desse texto, o primeiro é quando ele fala sobre orientação com PERDAS e GANHOS. É muito comum as pessoas entrarem em um conflito extremo entre a mente e o coração quando pensam em termos de perdas e ganhos.

Esse conflito aparece constantemente nos relacionamentos amorosos. A pessoa pensa em tudo o que viveu e construiu junto com a outra pessoa, pensa nos diversos vínculos que foram criados, nas amizades que floresceram etc. e fica num dilema se vale a pena correr o risco de terminar um relacionamento amoroso sabendo que vai interferir em tanta coisa! Acredite! Se o seu coração estiver doendo e você estiver desconfortável mesmo pensando em todos esses pontos e outros mais, é melhor terminar o relacionamento, porque senão, você estará simplesmente empurrando esse sofrimento mais para frente para explodir como uma bomba atômica, muitas vezes gerando consequências danosas para os dois e para outras pessoas.

É fundamental ter CORAGEM de se arriscar! A vida por si só já é um risco. A gente não sabe nem se vai viver até o dia de amanhã! Quanto mais saber se terá perdas e ganhos…

A importância de correr riscos

O segundo ponto é sobre o “parecer irracional”. Esse ponto é interessantíssimo, pois mostra como está sua conexão com a essência divina dentro de você. Quase sempre, para quem está olhando de fora, algumas das nossas escolhas podem parecer irracionais, mas quando elas são feitas com consciência e seguindo esse exercício do Deepak Chopra, certamente essa aparente irracionalidade é explicada pela própria vida que foi a escolha correta.

Eu sou prova viva disso. Já fiz escolhas que praticamente todos acharam que estava equivocado, que estava me precipitando, que estava sendo egoísta, que estava me desvalorizando etc. etc. mas no fim, todas elas me levaram a viver o que a minha alma precisava viver, e hoje estou aqui através desse texto provando para você que seguir o coração sempre é o melhor caminho. SEMPRE.

Nunca me arrependi das escolhas feitas a partir do coração, mas já me arrependi de escolhas feitas somente pela mente e que me fizeram “comer o pão que o diabo amassou” para poder aprender!

Portanto. Busque o aquietamento. Busque encher o seu coração de amor e paz, pois desta maneira, suas escolhas lhe levarão a ter as experiências que a sua alma precisa para evoluir e você se tornar um ser humano melhor…

  • Breve reflexão em áudio sobre esse texto [link aqui]

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

O que é o acoplamento áurico?

Por Isaias Costa

aura_leitura

Eu tenho estudado bastante a metafísica de campos diversos como a saúde, os relacionamentos, a família etc. e entre esses estudos, gostei demais do conceito de ACOPLAMENTO ÁURICO, que vivenciei de forma assombrosa!

O que seria esse acoplamento áurico? Vou explicar!

É quando você está no meio de algum grupo ou também em um relacionamento amoroso e a sua energia se mistura completamente com a dos outros, de uma forma que as pessoas que olham de fora têm dificuldade de enxergar a sua própria luz, a sua própria individualidade.

Esse conceito é bastante sutil e uma vez que você o compreende, passa a ter muito mais cuidado e atenção com o tipo de energia que você compartilha! Como eu sempre digo por aqui, o aprofundamento nessa compreensão exige autoconhecimento e uma boa dose de coragem para ser você mesmo, independente de qual situação esteja vivendo.

Vou citar exemplos.

Quando fiz vestibular, entrei para o curso de Bacharelado em Física. Ao olhar para trás e lembrar a minha infelicidade na época, hoje eu percebo que minha energia se misturava com a de muitas pessoas que não tinham nada a ver com a minha essência. Agora veja só!

As pessoas que olhavam de fora me rotulavam: “Esse é um doido da Física que só quer saber de estudar…”, “Esse aí não sabe nem o que é vida social…”, “Esse deve dormir e acordar só pensando em números…”.

O ambiente no qual estava inserido levava qualquer um a pensar esse tipo de coisa! Porém, eu não sou nada disso e em um momento de muito sofrimento eu acordei e mudei completamente de direção.

Outro exemplo foi com relação ao grupo de jovens da igreja que participava no tempo em que era religioso. As pessoas que olhavam de fora pensavam que eu era só mais um “rapaz rezador” como todos os outros, mas definitivamente eu não era.

Depois de um tempo eu também acordei para essa realidade que estava me diminuindo e reduzindo minhas possibilidades de ser alguém melhor e resolvi cair fora.

O interessante é que, independente do lugar em que eu estivesse, qualquer pessoa que chegasse a me conhecer melhor, se tornasse meu amigo e tivesse essa amizade fora de desses grupos maiores, conseguia perceber que eu era diferente, que eu era um cara bacana e que não compartilhava da mesma energia que os outros.

Através desses exemplos, deu para entender melhor o que é o acoplamento áurico?

Isso também pode ser levado para os relacionamentos amorosos. Quando um casal namora, há uma troca de fluidos vitais, e essa troca faz com que haja uma energia em consonância.

Se o casal estiver feliz e crescendo junto, tendo experiências de amor profundo e realização que beneficie igualmente aos dois, então está tudo as mil maravilhas. É pra seguir em frente mesmo, pois se trata de um relacionamento feliz e harmonioso.

Porém, quando um dos dois ou mesmo os dois sentem que existe algum tipo de desconforto, alguma sensação de ansiedade, ou de muito medo, ou seja, quando as energias não vibram da mesma maneira, o ideal é rever esse relacionamento de duas formas, ou procurando descobrir o que está gerando esse desconforto e curá-lo na raiz, para assim prosseguirem no relacionamento de maneira feliz, ou então é preciso terminar o relacionamento, para que não haja sofrimentos maiores em ambas as partes.

Entender isso não é nada fácil! Existem pessoas que passam uma vida inteira sendo infelizes e não entendem essa questão que faz parte da metafísica dos relacionamentos amorosos.

Muitos casais que vivem infelizes chegam a ter essas sensações corporais, mas fazem como naquele dito popular: “empurram com a barriga”, e desta forma vão criando desequilíbrios, e estes vão se alastrando para os filhos, para os sobrinhos, para os netos e a coisa vai só desandando cada vez mais…

Portanto! Estou escrevendo esse texto para lhe mostrar o quanto esse tema é rico e importante.

Procure fazer isso! Se conecte de forma mais profunda com a sua essência! Desta maneira você vai conseguir sentir no seu próprio corpo e nas reações emocionais quando é que a sua energia está sendo sua mesmo, ou quando está sendo uma mistura esquisita com o ambiente no qual você está.

Pense com carinho em tudo isso, OK?…

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O significado da palavra desconforto

Por Isaias Costa

cansaco-1

Existe uma palavra simples e bem cotidiana que praticamente ninguém conhece o seu significado na raiz e hoje você está tendo a oportunidade de refletir sobre ela comigo. Vamos?

Trata-se da palavra DESCONFORTO. O que ela significa? Ela tem origem na palavraFORÇA, e o “des” significa “sem”, ou seja, desconforto = “sem força”.

Interessante não é? Agora vamos analisar mais profundamente! Quando é que nos sentimos desconfortáveis? Quando de alguma maneira sentimos que alguma coisa já é ou pode vir a se tornar prejudicial para nós!

Vejamos os dois casos. O primeiro é extremamente comum e quase todas as pessoas conhecem essa realidade. É quando elas estão infelizes em um ou em vários setores da vida e elas vão “empurrando com a barriga”, ou deixando em “banho Maria”, como se diz no dito popular.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Existem pessoas que não querem entender

Por Isaias Costa

remedios-para-emagrecer-620x413

Outro dia li uma frase incrível que me fez refletir bastante sobre a nossa sociedade capitalista, na qual o dinheiro, a fama e o poder prevalecem em relação ao amor, ao cuidado, a amizade, o afeto. Ela dizia o seguinte:

“É difícil fazer um homem entender algo quando seu salário depende dele não entender isso”.

Upton Sinclair

É possível levar a reflexão desta frase para diversos campos da vida, mas eu percebo isso acima de qualquer coisa na INDÚSTRIA MÉDICA e FARMACÊUTICA.

Se mais pessoas tivessem disposição e a inteligência de buscarem o AUTOCONHECIMENTO, certamente conseguiriam entender que todas, absolutamente todas as doenças, tem origem em desequilíbrios mentais, emocionais, energéticos ou espirituais.

Boa parte dos médicos convencionais sabem disso, mas ficam caladinhos! Por quê? Porque eles não querem perder o emprego, oras?

É triste constatar isso, mas é verdade em muitos casos, a notícia boa é que, devido aos avanços da tecnologia e o maior acesso ao conhecimento, hoje há muito mais pessoas buscando o autoconhecimento e mudando padrões mentais e emocionais para terem mais saúde!

O meu papel escrevendo nesse blog sobre esse tema é justamente levar mais consciência a cada leitor, para que descubra dentro de si mesmos a cura para suas doenças.

A fé é muito importante. Lembra as palavras de Jesus? “Tua fé te curou…”, “Tua fé de salvou…”. Essa fé só pode desabrochar e crescer a partir desse autoconhecimento.

Seria muito bom que profissionais que dependem do dinheiro que provem da IGNORÂNCIA das pessoas perdessem o medo de ficarem desempregadas. O nosso planeta é tão grande! Tem tanta gente doente, que para acabar com todas as doenças que acometem as pessoas seriam necessários séculos e séculos de uma profunda tomada de consciência para essa realidade que estou colocando aqui.

Mas sempre existe o medo e o egoísmo envolvido, que embota o pensamento e o coração.

Siga você por outro caminho! Tenha fé em Deus e na vida, como diria meu amigo Raul Seixas.

Eu, por exemplo, estou me preparando para ser psicanalista, porém, desejo profundamente que mais e mais pessoas se encontrem, sejam felizes e realizadas. Mas como também sei que o número de pessoas feridas na alma é absurdo, essa profissão tão cedo deixará de existir…

O sonho de qualquer psicanalista deveria ser contribuir para o mundo ficar tão equilibrado que esta profissão se torne desnecessária. Eu vejo e penso desta maneira, agora se dissesse isso a um psicanalista que só pensa em dinheiro, ele certamente iria me massacrar! rsrsrsrs

Portanto, que esse pequeno texto lhe leve a refletir sobre esse tema tão importante…

“É difícil fazer um homem entender algo quando seu salário depende dele não entender isso”.

Upton Sinclair

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Devorei concreto e asfalto

Por Isaias Costa

guardachuva

Existe uma música da banda Engenheiros do Hawaii com a letra bem curtinha, mas o seu ensinamento é muito difícil de compreender. Somente depois de ter amadurecido e vivenciado uma série de coisas foi que consegui ligar os pontos e entender a verdadeira mensagem do Humberto Gessinger ao compô-la. Trata-se da música “Concreto e asfalto”, cuja letra com o vídeo seguem abaixo…

Concreto e asfalto – Humberto Gessinger

Se eu fosse embora agora
Será que você entenderia
Que há um tempo certo para tudo
Cedo ou tarde chega o dia

Se eu fosse sem dizer palavras
Será que você escutaria
O silêncio lhe dizendo
Que a culpa não foi sua

É que eu nasci com o pé na estrada
Com a cabeça lá na lua

Não vou ficar…
Não vou ficar…

Fiz bandeira desses trapos
Devorei concreto e asfalto
Fiz bandeira desses trapos
Devorei concreto e asfalto

Tenho feito meu caminho
Volta e meia fico só
Reconheço meus defeitos
E o efeito dominó

Mas se eu ficasse do teu lado
De nada adiantaria…
Se eu fosse um cara diferente…
Sabe lá como eu seria…

Não vou ficar… Não vou ficar…
Fiz bandeira desses trapos
Devorei concreto e asfalto

Fiz meu caminho…
Devorei concreto e asfalto

********

Tenho certeza que esse texto vai confortar o coração de muitos dos leitores, pois a mensagem da música é vivenciada todos os dias por milhares de pessoas.

A primeira parte da música diz:

Se eu fosse embora agora
Será que você entenderia
Que há um tempo certo para tudo
Cedo ou tarde chega o dia

Se eu fosse sem dizer palavras
Será que você escutaria
O silêncio lhe dizendo
Que a culpa não foi sua

 

Aqui ele quer dizer que o crescimento em consciência e a maturidade chegam para cada pessoa em um tempo específico, e nada nem ninguém poderão empurrar goela abaixo essa consciência. JAMAIS. Ela vem pelo desejo da própria pessoa, e não por uma imposição…

Cedo ou tarde chega o dia quer dizer isso, COMPREENSÃO. Essa é uma das palavras mais terapêuticas que existe nesse planeta!

Provavelmente essa música fala sobre uma experiência amorosa do Gessinger, que sendo um poeta muito romântico e amoroso, nasceu com o pé na estrada e a cabeça na lua. E por causa dessa sua natureza filosófica acabou tendo dificuldade de ser compreendido pela pessoa que ele amou certo tempo.

Ele estava olhando para a lua enquanto a pessoa que estava do seu lado estava olhando no máximo para a luz do prédio mais alto da cidade, entende? Eles não estavam vivendo em harmonia, o amor entre eles não estava sendo uma troca justa e honesta.

Na segunda estrofe ele diz algo incrível! “Se eu fosse sem dizer palavras, será que você escutaria o silêncio lhe dizendo que a culpa não foi sua”.

Ele quis dizer que foi embora no sentido de terminar o relacionamento, mas não foi culpa de ninguém, nem dele e nem dela, na realidade não existiu culpa nenhuma, foi apenas o fim de uma experiência a dois que valeu a pena. Esse “será” que ele coloca é uma esperança de que a mulher tenha entendido que não foi causadora do fim deste relacionamento!

Na segunda parte da música ele diz:

Tenho feito meu caminho
Volta e meia fico só
Reconheço meus defeitos
E o efeito dominó

Mas se eu ficasse do teu lado
De nada adiantaria…
Se eu fosse um cara diferente…
Sabe lá como eu seria…

 

Essa é a parte mais profunda da música. Ele revela que terminou seu relacionamento porque houve essa incompatibilidade de ideais de vida. Ele reconhece que falhou em diversos pontos e todas as consequências geradas por esses erros são comparados a um efeito dominó, no qual uma coisa leva para muitas outras.

Então ele continua dizendo que se fosse diferente, certamente seria alguém sem uma identidade própria, e não haveria qualquer espécie de crescimento mútuo caso ele ficasse ao lado da outra pessoa.

Daí, essas mensagem se ligam perfeitamente com o refrão:

Não vou ficar… Não vou ficar…
Fiz bandeira desses trapos
Devorei concreto e asfalto

 

Ou seja, ele fez uma espécie de autoanálise. Recolheu os pedaços de tudo o que foi bonito e verdadeiro deste relacionamento e fez uma bela bandeira representando esse amor. E devorou concreto e asfalto, como forma de dizer que decidiu seguir a sua vida a partir do seu coração.

Enfim. A mensagem principal dessa música pode ser resumida nesta frase que li recentemente e tocou o fundo da minha alma.

“Às vezes é necessário manter-se afastado por um tempo, para não machucar as pessoas por causa das nossas mudanças internas. Não é justo cobrar delas coisas que não podem nos dar. Muito menos sufocá-las com coisas que só nós sentimos”.

Se você se identificou com essas palavras é porque certamente já viveu algo parecido ou sente que ainda vai viver. Não se preocupe! Respire fundo e siga sempre o seu coração. Como sempre digo por aqui, só ele sabe o que é o melhor para cada um de nós

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

De dentro pra fora. De fora pra dentro

Por Isaias Costa

img_0038

Uma música especial que conheci recentemente me levou a refletir profundamente sobre um tema universal, os RELACIONAMENTOS AMOROSOS. Nesse texto, você conhecerá um pouco mais sobre os relacionamentos a partir de uma perspectiva bem bonita e original. Trata-se da música “Serra do luar”, composição de Walter Franco e que trago para você ouvir uma versão da Leila Pinheiro.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Transforme a culpa em oportunidade de crescimento

Por Isaias Costa

tumblr_ltr2hljsla1r01y2uo1_500

Li algumas palavras do espiritualista Eduardo Gonçalves de Paiva que me levaram a refletir bastante sobre a importância imensa que as nossas escolhas têm sobre a nossa vida e que elas repercutem por anos a fio. Leia com bastante atenção!

“Assuma a responsabilidade e não culpa pelos seus atos.
Nós somos vítimas das nossas escolhas, pois isso faz parte da nossa evolução. Não adianta buscarmos culpados e muito menos amargurarmos o peso da “culpa”. O nosso papel é assumirmos a responsabilidade e encararmos as nossas falhas como um sinal de que temos que fazer diferente. Nós viemos para viver e aprender com as experiências e não para sofrer por elas. Nada vai mudar na nossa vida, enquanto não houver o entendimento, porque estaremos presos a uma energia através de sentimentos negativos como: raiva, tristeza, pessimismo etc. Portanto, façamos o que precisa ser feito para transformar o peso da culpa em oportunidade de crescimento.”

 

Eduardo Gonçalves de Paiva

*************

Refletindo sobre essas palavras levei para os vários campos da vida e certamente se aplica em todos! Por exemplo. No campo profissional, fiz uma escolha que de forma alguma considero errada, na realidade o meu nível de consciência na época só me levou a tomar a decisão que tomei. Fiz Bacharelado em Física, me formei, fiz mestrado em Engenharia Mecânica e hoje, devido a essas escolhas, minha profissão é de professor de Matemática e Física.

Deixo claro que escolhi ser professor porque amo fazer isso, esta é a minha vocação. Mas tem um detalhe, eu tenho convicção de que não serei professor de Matemática e Física a vida inteira. Por quê? Por uma questão muito simples: as minhas escolhas de HOJE naturalmente estão me levando a construir uma nova realidade.

Estou estudando profundamente a PSICANÁLISE, e como amo ensinar, sei que dentro de algum tempo estarei ensinando as teorias psicanalíticas, psicológicas e conteúdos da espiritualidade também.

Perceba uma coisa! As escolhas que nós fazemos hoje CRISTALIZAM as experiências que determinarão o nosso futuro, e isso é muito profundo.

O que é o cristalizar? É o nosso pensamento que se transforma em sentimento, que é internalizado e depois, inevitavelmente, se torna uma realidade em nossa vida.

A sutileza contida nessas palavras é impressionante. Não é à toa que tanta gente diz para ter cuidado com o que se pensa! É bem por aí mesmo! Mas eu vou mais além, porque o pensamento surge o tempo todo, afinal, somos seres pensantes não é mesmo? A questão é filtrar os pensamentos, para que cristalizem aqueles que contribuirão para o nosso crescimento e se dissipem aqueles que não contribuirão para o nosso crescimento.

O que fazer para dissipar esses pensamentos negativos? Talvez você se pergunte! Em minha opinião, não existe forma melhor que a MEDITAÇÃO, porque ela lhe ajuda a se conectar com a sua essência, e conectado com ela, você estará acessando o seu coração e a consciência maior ligada a Deus, então você reforçará o que é bom e dissipará o ruim.

Exercite isso! Não adianta ficar só na teoria porque não vai funcionar. Medite! Comece, nem que seja só por dois ou três minutos, em pouco tempo você verá os resultados…

Eu aprendi com as experiências da minha vida que o sentimento de CULPA é dissipado através do PERDÃO e do AUTOPERDÃO, juntamente com um profundo sentimento de GRATIDÃO pelo que se experienciou. Porque tudo que nos acontece, sempre é para o nosso bem e nosso crescimento, SEMPRE, mesmo que muitas das experiências sejam dolorosas e nos façam sofrer.

Só é possível haver o perdão e o autoperdão através do autoconhecimento, do mergulho em si mesmo, através da volta aos sentimentos e às experiências lá da infância, para curar na raiz tudo aquilo que tem gerado sofrimento e conflito hoje.

Esse é o ENTENDIMENTO, que o Eduardo fala. Não se trata de um entendimento racional, se trata de um entendimento do coração. Quando o coração se pacifica o entendimento acontece, não tenha dúvidas disso!

Quero concluir falando sobre as falhas. Elas fazem parte da vida de todos nós. Eu falho, você falha, isso é natural, mas elas servem para nos ensinar, para que nas próximas experiências façamos diferente.

Isso é especial quando se trata de relacionamentos não só amorosos, mas como um todo, amizade, profissionais etc. quando a gente sente que fez algo que não foi positivo, não adianta reclamar, se arrepender, se lamentar, querer voltar atrás, isso não existe! O que precisamos é OLHAR PARA FRENTE e se questionar: “O que eu posso fazer de agora em diante? Que passos eu devo dar? Como eu posso ser autêntico sem ser invasivo, sem ser intransigente, sem ser vitimista, sem ser autoritário?”.

Nossa! São tantas as possibilidades, escolhas, caminhos! Está tudo em nossas mãos. Esse é um aprendizado, e é para a vida toda…

Portanto! Livre-se da culpa! Siga sempre o seu coração! Siga sempre a sua consciência. Ela que liga você com o seu eu divino. Acredite nessa força e desta forma suas escolhas lhe levarão para onde você precisa ir, lhe levarão para o seu crescimento…

* Áudio com uma reflexão sobre esse tema 

Transforme a culpa em oportunidade de crescimento

 

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized