Eu precisava dizer

Por Simone Oliveira

margarina_3

A família perfeita da propaganda de margarina…

Tenho que contar um segredo; ele estava engasgado na minha garganta há algum tempo. Venho sentido uma pressão cada vez maior da sociedade sobre as minhas costas para que eu construa uma vida dita normal.

“O que é uma vida normal? ” Muitos iriam perguntar. Eu diria, baseada nos estigmas pré-concebidos sobre os quais sou julgada constantemente, que a vida normal que eles pregam é na verdade o cumprimento das seguintes premissas (ALERTA: PREPARE-SE PARA UMA UMA ENXURRADA DE FATOS NARRADOS COM SARCASMO LEVEL +10000):

  1. Escolha o que você quer para sua vida: se forme no Ensino Médio tendo decidido com toda a clareza do mundo de quem acabou de terminar o colégio qual é a faculdade/profissão que você quer seguir. Nessa decisão, é estritamente necessário que se inclua ganhar dinheiro (muito muito muito muito importante! Já disse que é muito importante? Pois é!), status (numa escala de 0 a 10, vale 9, estando um degrau abaixo do dinheiro) e poder. Ah sim, claro, lembrando que é a sua escolha, então certifique-se de fazer o que gosta! (Desde que inclua os itens da lista, se não, descarte. Vai ser furada de qualquer jeito).
  2. Entre na faculdade logo após encerrar o ensino básico. Mas não pode ser qualquer faculdade, tem que ser a melhor na sua área. Estude como se isso valesse a sua vida para passar nos vestibulares mais concorridos e estampar seu nome junto aos aprovados para aquele curso que você “tanto sonhou”.
  3. Se dedique a faculdade. Arrume um emprego também. Dezoito anos, segundo ano da faculdade…Hora de trabalhar! Sabe como é, não é? Mente vazia é oficina do Diabo. Comece a ganhar seu próprio dinheiro, seus pais não são obrigados a te manter, e eles já fizeram demais por você. Quando vai começar a criar responsabilidade pela sua própria vida? Mas continue obedecendo seus pais. Eles sabem o que é melhor pra você. Dê orgulho a eles. Tenha notas altas no seu curso, não fará nada mais do que a sua obrigação.
  4. Se formou? Já trabalha na área, não é? NÃO? COMO ASSIM? Arrume um emprego na sua área! Já arrumou? E agora? Ainda não? Ah, mas você vai ver como daqui a pouco já estará trabalhando. É tão gostoso fazer o que você gosta, não é? O que estudou tanto para conseguir! Você sempre foi uma ótima aluna, tenho certeza de que não vai ser diferente no mercado de trabalho. Eles logo vão ver isso em você. Você tem capacidade. Estou torcendo por você!
  5. Já arrumou emprego. E a pós-graduação? Quando vai começar? Você tem interesse em que área? Vai fazer pós na área que está trabalhando? É sempre melhor, certo? Você não pensa em fazer um mestrado? Dar aula em faculdade parece muito bom! Porque não tenta?
  6. Você ajuda em casa? Quero dizer, já que você não tem empregada, você deve fazer tudo. Seus pais estão ficando velhos, você deveria ajudar! Não acha? Você sabe cozinhar? Não sabe? Pois já está mais do que na hora de aprender! Onde já se viu uma mulher (engraçado que nessas horas viro mulher, mas nunca, jamais, sou uma mulher na hora de confiar uma tarefa que signifique se aparecer demais e fazer de menos. Nessas horas sou apenas uma menina), como você, não saber cozinhar? Seu namorado não reclama? Homem quer casar com mulher que saiba cozinhar! Você tem que aprender logo!
  7. Quanto tempo mesmo você está namorando? Tudo isso! E quando vão casar? Estão demorando, hein? Não acha que já está na hora de juntar os trapos? O tempo está passando! Quando chega o casório? Quero saber da festa! Vocês têm que casar logo! Se não ficam muito velhos pra ter filhos… Sabe como é…
  8. Parabéns! E quando vem o bebê? O bebê é pra quando? Coloquem uma criança no mundo! Não sentem que está faltando algo? Vocês se sentirão mais completos quando chegar a cria. Veja o casal x, depois que teve filho é muito mais feliz! Vocês não sabem o que estão perdendo! Vocês estão tentando? Algum de vocês tem ‘problema’ pra engravidar? Já consultaram um médico? Está tudo bem? Olha se quiser eu posso indicar um…
  9. O pequeno está crescendo. E quando vem o próximo? Já voltou a trabalhar? Como você está lidando com a rotina? A vida gira em torno dele, não é? Você já pensou em ter outro bebê? Criança nunca é bom uma só. Tenha outra, você vai ver como vai ser ótimo! Eles vão crescer juntos! Tão lindos! Você está educando seu filho direito? Já colocou na escolinha? Ele dá muito trabalho? Ele mama no peito? Você tem leite? Nossa, desde que teve filho nunca mais saiu! Você não cansa de ficar dentro de casa? Quando volta a participar das programações?
  10. Os filhos cresceram. Vão estudar fora? Já entraram na faculdade? Casaram?! Tão novos! Como está sendo agora que os filhos não estão mais em casa? Você sente falta? Sente saudade? É a síndrome do ninho vazio! Você vai se acostumar com o tempo. Daqui a pouco você nem lembra. E os netos? Já teve notícias? É gostoso, não é? Você deve ser uma vovó coruja! Deve mimar muito seus netinhos! E quanto mais, melhor! Quantos netos você tem? Um, dois, três?
  11. Parabéns. Você conseguiu. Tome seu certificado de vida normal.

Ah, que pena! Ela faleceu. Uma pessoa tão boa, uma boa filha, profissional, mãe dedicada, avó maravilhosa, fazia de tudo pelos seus. Uma perda. Mas é a vida, ficamos velhos e só nos resta esperar a nossa hora. A dela chegou. Viveu tudo o que tinha pra viver. Aproveitou a vida e deixou os herdeiros aqui. Realmente um exemplo de pessoa. Adeus.

Sinceramente, isso cansa! Viver para satisfazer anseios egoístas, mesquinhos e invejosos dos curiosos de plantão enjoa! Ser obrigada a ouvir toda essa baboseira de dúvidas e comentários ridículos sobre a minha vida, que não passam de intromissão dos múltiplos olhares curiosos gera fadiga! Pessoas de mente vazia arrumam tempo para dar pitaco na vida alheia a fim de se sentir grandes sabedores das verdades existenciais, mas no fundo não querem o bem de quem aconselham, querem apenas mostrar serem sábios ou uma falsa boa intenção. Muita hipocrisia. Quase nada de bondade. Corações transbordando de inveja e sede por saber dos podres, saber das dificuldades e dos problemas que estamos passando. E tudo para que? Para se sentirem melhores, se sentirem no topo.

fofoca

Antes das redes sociais a difamação era menor. Hoje em dia ela tomou níveis puramente inaceitáveis.

Só mais uma reflexão final: E se…

Eu não quiser seguir a profissão que eu escolhi quando saí do ensino médio (por tantas razões que eu também não preciso contar)?

Eu quiser continuar estudando para arranjar um emprego melhor, ou até mesmo tentar algo novo pra fazer?

Eu não quiser – ainda que eu tenha o meu sistema reprodutor em perfeitas condições – ter filhos?

As minhas prioridades forem cuidar de mim, viajar, trabalhar no que gosto e me aperfeiçoar nas tarefas que realizo, ao invés de dedicar meu tempo a ter filhos e cuidar de netos?

Eu demorar mais 5, 10,15,20 anos pra casar? O que muda pra você?

Eu nunca precisar aprender a cozinhar e cuidar de casa, por ter como pagar alguém para fazê-lo por mim?

keep calm

Eu posso ser o que eu aspirar! Posso sentir e fazer e experimentar o que eu bem quiser e se eu achar melhor viver o avesso da vidinha sem-graça e pré-concebida, cheia de regrinhas de ser-ou-não-ser, me deixa viver! Juízo eu tenho, não preciso de ninguém me dizendo o que fazer.

OBS: Esse não é um típico discurso feminista muitas vezes discriminado por aí. Não. Isso são experiências pessoais; veja, em nenhum momento eu falei sobre temas específicos do feminismo (como o aborto, o papel da mulher no mundo contemporâneo, a importância de falar sobre os direitos das mulheres etc) porque não coaduno com a posição adotada pelas defensoras desse movimento. Não penso que seja assim que as coisas funcionam. Apenas não concordo com o modo como as pessoas tratam as próprias pessoas e só. Assim como eu enfrento esses questionamentos tenho consciência de que muitos homens, gays, trans, bissexuais, etc também passam por situações semelhantes e sei que isso deve incomodar, porque a mim incomoda demais. E não, eu não vou ceder. Não posso aceitar que se viva dessa forma, que tenha que se encaixar em padrões para ter uma vida plena. Eu tenho fé nisso, pois sei que a minha vida já é perfeita em muitos aspectos. E grande parte dos padrões estabelecidos pela sociedade não ajudam a construir um mundo melhor, com mais amor e profundidade de relacionamentos, na verdade, eles só atrapalham.

euSimone Oliveira. Santos-SP. Bacharel em Engenharia Civil por formação e escritora por gosto. Estuda para concursos e se dedica às aulas particulares de exatas, ao namorado, à família e às suas atividades na igreja. Ainda não descobriu seu propósito na vida, mas tem certeza de que tem um. Pede que Deus a guie por esse caminho até a sua volta.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s