5 dicas para melhorar os relacionamentos em grupo

Por Simone Oliveira

O ser humano, quando em grupo, vai gerar brigas.

Brigas no trabalho

Isso é um fato. Não há o que se discutir. Estando em dois ou mais, uma hora vai rolar desentendimento.

E por quê? Bem, parece que o grande motivo é: somos diferentes.

Pessoas são diferentes

E nós somos mesmo autênticos, cada qual tem um conjunto completamente único de pensamentos e opiniões a respeito de cada minúscula coisa nesse universo.

Olhando por esse lado, não somos de fato maravilhosos? Fomos criados ANÁLOGOS, porém, não idênticos. Se fossemos totalmente iguais, seríamos robôs.

Nascemos com a capacidade de deduzir e induzir pensamentos de forma que cheguemos a compreensões díspares de nossos semelhantes, ainda que criados na mesma casa, participando das mesmas experiências de vida, comendo a mesma comida e compartilhando dos mesmos momentos!

E sabe o que é mais incrível? A raça humana, mesmo sendo a única capaz de agir pela razão, é extremamente social e dependente entre si.

Grupo unido

Tanto que quem se isola, ou tem, ou irá desenvolver problemas de saúde mental e física. Precisamos de contato com outros humanos para aprendermos, crescermos e fortalecermos o intelecto. Precisamos de pessoas, e, ainda que a convivência seja algo complicado, temos que admitir: elas são necessárias.

Sendo assim, como desenvolver a capacidade de tornar nossos relacionamentos mais saudáveis emocionalmente, evitando discussões inúteis e intrigas onde só perdemos? Algumas dicas nessas horas são importantes. Praticá-las é fundamental para alcançarmos maturidade espiritual em nossa jornada:

Relacionamento obra em andamento

  1. Tenha valores.

Muitos crescem sem escrúpulos por não terem bons exemplos de pessoas ao seu redor. No entanto, acredito que em qualquer momento da vida, tendo o coração aberto, podemos todos adquirir princípios. Entender o certo e o errado é como um alicerce que nos ajuda a passar por situações difíceis sem esquecer quem nós somos e como devemos tratar o próximo.

  1. Não discorde antes de ouvir atentamente.

Os educados não se sentem afobados para jogar suas opiniões em cima do outro precipitadamente. Não seja mal-educado: respeite a vez do outro falar, ouça com atenção para que ele não seja mal interpretado e aproveite para pensar na maneira como você vai responder.

  1. Esqueça os julgamentos.

Todos nós julgamos. Não sejamos hipócritas em negar. Porém, o que decidimos fazer com nossos pré-julgamentos define quem nós somos. Se os colocarmos para fora sem pensar duas vezes isso pode se tornar um problema. Se entendermos que ninguém é obrigado a concordar com nossas opiniões e que ninguém é menor que nós por causa disso já ganhamos pontos. Se formos capazes de entender que o outro passou por problemas e recebeu estímulos diferentes durante toda uma vida que podem tê-lo levado a discordar do seu pensamento, isso mostra que somos empáticos e facilita para evitar o desrespeito e a discriminação, intolerâncias que acarretam dissenção e não união.

  1. Cuidado com a forma como você fala

A maioria pensa no que vai falar, nem que faça isso inconscientemente. Mas, são poucos aqueles que se preocupam com a maneira como irão dizer.

O curioso é que nos treinamentos de oratória isso é bastante enfatizado. Às vezes não é nem O QUÊ você diz, mas COMO diz.

Já ouvi de grandes locutores uma frase que resume esse pensamento: comunicação não é o que você fala, mas o que o outro entende.

Por isso, saber se colocar evita más interpretações que geram brigas desnecessárias. Aja com intencionalidade com todos: numa reunião importante ou ao lado do seu cônjuge, pense em como irá proferir as palavras, e note que as reações irão mudar.

  1. Não esteja disposto a brigar.

Muitas vezes nem notamos quando o conflito começa ou o porquê de uma conversa ter acabado tão mal. É simples: perdemos o controle e nos deixamos levar por nossas emoções. Discussões sem importância ficam mais sérias devido a agirmos com nossos nervos e hormônios, e não com a razão. Então, se atente para certas situações que parecem propícias a dar confusão e perca a vontade de se exaltar. Seja sangue frio e pense: o que eu prefiro: continuar em paz, ser feliz, ou viver em pé de guerra?

Paz e guerra

Finalizo deixando uma reflexão: a verdade é que ninguém é capaz de dividir sua vida em diversas vertentes, mas nós tentamos (e como) fazer isso! Dividimos a vida em espírito, mente e corpo, ou então dizemos que temos tempo de trabalhar, tempo de descansar, tempo para educar os filhos, para estudar, para brincar, para namorar e etc. Mas, será que conseguimos estar bem no trabalho se não estivermos bem em casa? Será que conseguimos ir bem nos estudos se deixarmos de cuidar da saúde? Será que nossos relacionamentos vão bem quando não cuidamos da nossa mente e espírito? É claro que não. Somos um só, e cada ensinamento aprendido é capaz de nos mudar por inteiros. Que possamos crescer por inteiro, não pela metade, pois se pararmos pra pensar, a metade equivale a nada, e pode inclusive diminuir o nosso valor.

E discussões são enriquecedoras, podendo nos levar a um grau maior de sinceridade e confiança em nossos relacionamentos interpessoais, porém, caso vejamos que começa a se instaurar uma contenda SEM NECESSIDADE, que não vai nos fazer crescer, e sim revelar em nós o pior, devemos agir com sabedoria ao nos esquivarmos na situação. Nem sempre é bom estar certo, muitas vezes é melhor estar bem e feliz.

euSimone Oliveira. Santos-SP. Bacharel em Engenharia Civil por formação e escritora por gosto. Estuda para concursos e se dedica às aulas particulares de exatas, ao namorado, à família e às suas atividades na igreja. Ainda não descobriu seu propósito na vida, mas tem certeza de que tem um. Pede que Deus a guie por esse caminho até a sua volta.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

3 Respostas para “5 dicas para melhorar os relacionamentos em grupo

  1. Vladimir

    Otimo texto muitas verdades , mas na minha opinião tem uma armadilha da mente que afeta muito a comunicação entre as pessoas , na dica 2 onde fala para aguardar a pessoa falar antes de dar uma opinião o que acho certo, porém a armadilha está em pensar na resposta enquanto ouve , a maioria fica absorvido pelo que vai falar em seguida e deixa de prestar atenção no que está sendo falado..Obrigado pelo texto sucesso!!

    • Com certeza Vladimir. É bem por aí mesmo. Uma dica que te dou e talvez até você conheça, é o livro “Comunicação Não Violenta” de Marshall Rosemberg. Esse livro é perfeito para nos ensinar a ouvirmos o outro de coração aberto para conhecermos suas reais necessidades ao falarem, a dessa forma, ter uma comunicação muito mais profunda e eficiente.
      Se você ainda não leu esse livro, recomendo! É fascinante!
      Grande abraço e continue acompanhando o blog!!

    • Exatamente, Vladimir! Pensei nisso mesmo quando estava escrevendo essa parte do texto. Muitas vezes escutamos prestes a responder, em vez de OUVIR de verdade o que o outro diz.Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s