Nossas autodefinições congeladas

Por Isaias Costa

22164054704645

Um dos grandes mestres que vive entre nós é o mestre Eckhart Tolle, que vem fazendo um trabalho de conscientização espetacular ao redor do mundo inteiro. Venho aprendendo muito com sua imensa sabedoria. Nesse texto venho compartilhar com você algumas palavras dele e fazer uma breve reflexão a respeito delas. Confira…

*************

Pare de se definir — para você mesmo ou para os outros. Se abra à vida. E não se preocupe com que os outros possam julgar você. Quando eles julgam, eles estão limitando a si mesmos.

Uma vez que você esteja identificado com alguma forma de negatividade, você talvez não queira deixar de ir (as coisas negativas) em um nível inconsciente profundo, você não quer uma mudança positiva. Isto poderia ameaçar a sua identidade como uma pessoa deprimida, uma pessoa com raiva ou difícil de lidar. Você então vai ignorar, negar ou sabotar os aspectos positivos de sua vida. Este é um fenômeno comum. É também algo semelhante a uma loucura.

Eckhart Tolle

*************

É muito verdadeiro o que ele fala nessas poucas palavras e a grande reflexão que ele incita é o que coloquei no título desse texto: nossas autodefinições congeladas.

A maioria, a esmagadora maioria das pessoas, por conta de não trabalharem o lado mais egóico do ser, num esforço por transcendê-lo, acaba congelando uma máscara que muitas vezes é fruto de uma educação castradora, de um contexto de desagregação familiar, de baixa autoestima etc. etc.

O Eckhart Tolle está alertando para essa verdadeira loucura, você dizer que é algo que no fundo, no mais profundo da sua essência você não é!

Levando para um campo mais irônico, é como se, por exemplo, uma pessoa que é professora de Matemática dissesse: “Eu sou péssima na Matemática…”. Percebe que ideia maluca?

Nós criamos inconscientemente uma enorme resistência aos processos de mudanças na vida. Mesmo que elas sejam para melhor, para nos ajudar a sermos mais felizes e plenos. Pois é? A nossa mente faz isso! E faz com muito mais frequência do que você imagina.

Vou citar um exemplo meu para que esse texto seja de fácil entendimento. Quando era adolescente, com uma timidez absurda, eu me autodefinia como um rapaz tímido, isolado, retraído, que jamais aprenderia a falar em público, a me expor etc.

Eu, por um bom tempo, congelei essa autoimagem absolutamente distorcida sobre mim. Hoje sou não apenas um professor, mas me considero um educador, pois tenho um verdadeiro compromisso de levar os meus alunos e também os leitores aqui do blog a um crescimento de consciência.

Já pensou se eu tivesse cristalizado aquele Isaias da adolescência? Você não estaria aqui agora lendo esse texto bem reflexivo.

Mas minha mudança não aconteceu do nada. Eu mergulhei fundo no autoconhecimento. Li muitos livros, ouvi centenas de podcasts, assisti talvez milhares de vídeos e também fiz terapia para mudar uma série de crenças limitantes que eu tinha, uma série de medos que me paralisavam etc.

Talvez seja isso que leva a maior parte das pessoas a congelarem suas autoimagens. Esse processo de mudanças é doloroso e exige um dispêndio grande de energia e tempo. Quem está disposto a isso? A minoria da minoria. Você que está aqui lendo esse texto pode fazer parte dessa minoria. Eu acredito em você! Mas, e você? Também acredita em si mesmo?

Eu trabalho também como psicanalista, e quero ilustrar um caso bem interessante de uma paciente que veio até mim sempre dizendo que “sua vida foi muito difícil, foi muito dura, foi muito sofrida…”.

E nas várias sessões que a acompanhei ela ia aprofundando mais as suas questões, e fui percebendo o quanto ela falava com um certo orgulho tudo aquilo que pôde fazer pelos outros, tudo aquilo que ela pôde sacrificar dos seus próprios prazeres em detrimento dos pais, dos irmãos, da sua chefe, do fulano, do ciclano…

Ela sem perceber cristalizou a máscara da mulher boazinha que resolve os problemas de todo mundo! Você conhece alguém assim? Acho que já sei a resposta! hehe

Se duvidar, talvez você mesmo que esteja agora lendo tenha um pouco dessa característica. Calma! Dá pra mudar isso, dá para transformar tudo isso. Como? Mergulhando fundo no autoconhecimento. Não tem outro jeito, preciso ser franco e honesto com você.

Eu não sou como aqueles caras mesquinhos que ficam vendendo fórmulas mágicas para você transformar toda a sua vida em 12 dias! De jeito nenhum! Toda mudança é árdua, mas quando nos comprometemos pra valer com essa mudança, ela pode ser pra toda a vida.

Que você tenha essa coragem de romper com essas autodefinições congeladas. O gelo só serve para conservar coisas que se não forem conservadas apodrecem. Percebe como essa metáfora é chocante? Coloquei pra lhe chocar mesmo!

Precisamos é de calor. Nosso corpo tem uma temperatura de quase 37 °C. Não queira ter uma personalidade de alguém com sangue congelado a – 50°C. Busque esse calor que vem pelo autoconhecimento e a partir dele retire do seu vocabulário todos os “sou isso”, “sou aquilo” que induzam a todo e qualquer negativismo!…

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s