Tudo que rejeitamos apodera-se de nós. Tudo o que respeitamos deixa-nos livres

Por Isaias Costa

61710611_2286876191389160_999107107850551296_n

Essa frase do psicoterapeuta Bert Hellinger, apesar de curta, carrega uma série de teorias e reflexões psicológicas que abordarei nesse texto.

Essa rejeição que ele fala é vista na Psicologia e na Psicanálise como um mecanismo de defesa chamado negação. Aquilo que nego em mim é exatamente aquilo que precisa ser jogado luz para que não atravanque a minha vida.

Todos nós em maior ou menor grau negamos aspectos que precisam ser mudados, melhorados, curados, transcendidos. A tomada de consciência para esse processo nos torna cada vez mais livres. Eu vejo a liberdade como esse processo que Jung chamava de individuação, ou seja, eu me tornar cada vez mais um indivíduo (alguém que não se divide, que é uno).

Não é à toa que cada vez mais pessoas sentem ansiedade, angústia, depressão, flutuações de humor constantes etc. Porque elas não estão trabalhando dentro de si esses aspectos que precisam ser curados. É comum ouvirmos as pessoas dizerem: “Eu sinto um aperto no peito”, “Eu sinto um vazio interior”, “Eu me sinto vivendo no piloto automático”, “Eu não consigo me manter motivado nas coisas que faço” etc. etc.

Todos esses sentimentos são legítimos, porém, o que mais falta é o olhar interno para compreender de onde isso vem, e o Bert está dando uma pista com essa frase: respeitar o que se sente.

Veja como são interessantes essas palavras! Rejeição significa “Jogar de volta. Atirar de volta”. Gosto de associar a rejeição com um bumerangue. Você joga e quando menos espera ele volta pra você com a mesma força e a mesma velocidade que você jogou. É uma ilusão achar que aquilo que rejeitamos não volta para nós. A própria palavra por si só já prova o contrário.

A palavra respeito significa “Olhar de trás. Olhar afastado”. Pode inclusive ser interpretada como uma segundo olhar. Ou seja, é você não julgar, não impor verdades, ter abertura de mente e de coração para quem pensa e age diferente de você. Por isso o respeito está tão ligado ao campo da ética e dos relacionamentos humanos, porque cada um tem seu modo de ver as coisas.

Quanto mais você respeita, mais livre se torna, porque não fica aprisionado a uma olhar viciado, fechado em si mesmo. Eu acho isso fascinante!

Essa reflexão até me fez lembrar algumas sábias palavras do místico oriental Osho que transcrevo abaixo:

*********

“Eis uma das leis fundamentais da vida: tudo o que esconda cresce, e tudo o que expõe, se for errado, desaparece, evapora ao sol; e, se estiver certo, se desenvolve. Acontece justamente o oposto quando você esconde algo. O certo começa a definhar porque não é cultivado; ele precisa do vento, da chuva e do sol. Precisa de toda a natureza à sua disposição. Ele só pode crescer com a verdade, ele se alimenta da verdade. E as pessoas estão famintas da verdade delas e fartas da falsidade.

Seu rosto falso se alimenta de mentiras; então você tem que continuar mentindo cada vez mais. Para sustentar uma mentira, você tem de inventar outras cem vezes mais, pois só é possível sustentar uma mentira inventando outras maiores. Então, quando você se esconde por trás de uma fachada, o verdadeiro começa a definhar e o falso viceja, fica cada vez maior. Se você se expuser, o falso morrerá, está fadado a morrer, pois o falso não sobrevive ao ar livre. Ele só sobrevive em segredo, só sobrevive na escuridão, nos túneis do inconsciente. Se você trouxer à consciência, ele começa a evaporar.”

Osho

********

São palavras terapêuticas essas do Osho. Ele está em poucas palavras falando sobre o processo de fala e de escuta que se dá nas terapias. Você fala aquilo que há no seu íntimo para o terapeuta, aquilo que vem lhe atormentando há muito tempo.

As intervenções do terapeuta são como esse sol que evapora, que dissolve o que for falso. Como ele faz isso? Interpretando o que fez você errar ou se equivocar, os seus nós, os medos, os vícios, os traumas etc. Isso é o falso, o que não corresponde à sua verdadeira natureza.

Ao ler tudo isso imagino que você está percebendo o quanto são maravilhosos os processos terapêuticos! Eles ajudam você a se libertar das amarras internas. E a maior delas é o medo das próprias sombras, que são escondidas pelo processo de negação, de rejeição!

Portanto. Busque a liberdade. Por vezes é um processo bastante dolorido, mas vale a pena demais, porque a liberdade anda de mãos dadas com a felicidade e com o sentimento de plenitude…

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “Tudo que rejeitamos apodera-se de nós. Tudo o que respeitamos deixa-nos livres

  1. De grande valor se conteúdo ! Obrigado
    A meditação dinâmica de osho, a 2 fase diz respeito a esse jogar pra fora terapêutico né ? Obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s