Arquivo do mês: janeiro 2022

A ideia de “mais” transformou toda a Terra em um hospício

Por Isaias Costa

“É fácil ficar frustrado com as coisas terrenas. Mais cedo ou mais tarde você poderá ver toda a estupidez de se ter mais dinheiro ou mais poder. Mais cedo ou mais tarde você poderá ver toda a inutilidade da própria ideia de “mais”, porque o “mais” não traz nada senão infelicidade. Ela afasta de você toda a bem-aventurança, toda a paz. Ele é destrutivo. Ele só lhe causa medo, tremor, ansiedade, neurose. Ele o deixa louco; isso pode ser visto muito facilmente. A ideia de “mais” transformou toda a Terra em um hospício.”

Osho

******

É muito verdadeira a ideia levantada pelo Osho com essas palavras. Venho refletindo bastante sobre o consumismo desenfreado e o quanto isso vem destruindo o nosso planeta.

Infelizmente, de um modo geral, nós seres humanos temos muita dificuldade em sentir satisfação, assim a medida do querer acaba se tornando uma verdadeira loucura! Porém, nada na natureza funciona na base da insatisfação! Ela funciona na forma de ciclos, tudo tem começo, meio e fim e tudo recomeça…

Por que conosco seria diferente disso? É simplesmente o nosso que nos afasta dessa verdade incontestável! Por mais que queiramos muito dinheiro e poder e até consigamos, a morte vai nos levar e tudo isso terá outro destino. O dinheiro vai ser disputado por quase todos os familiares e o poder será simplesmente transferido para outra pessoa!

Em vez de alimentar toda essa loucura, penso que é muito mais interessante a ideia de suficiência. Ela é sinônimo de completo, cheio! Ou seja, se tenho o suficiente, não preciso de mais, porque esse mais vai transbordar. Mas transbordar pra onde? Se nós estamos em um planeta finito?

Essa é a principal questão. Como Gandhi já dizia no século passado: “Há recurso suficiente para a toda a humanidade, mas não há o suficiente para a ganância do ser humano”.

Ganância é querer cada vez mais e a qualquer custo, mesmo que isso destrua todo o planeta! Inclusive já existe todo um movimento para colonizar o planeta Marte. Já pensou? Sei que existem diversas opiniões e visões a esse respeito, mas eu penso que se não tivéssemos toda essa ganância, o planeta Terra seria um imenso paraíso, o que na realidade já é esse paraíso, nós é que a transformamos num hospício.

O senso de suficiência é que nos dá a paz de espirito e também um maior sentimento de conexão com o nosso planeta tão maravilhoso! Quero com esse breve texto apenas lhe relembrar o que você já sabe! Por uma humanidade que busca a suficiência e não o querer mais e mais de forma gananciosa…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Você quer ser lembrado por muito tempo?

Por Isaias Costa

“Quando morremos, existem duas coisas que podemos deixar depois de nós: genes e memes. Nós fomos construídos como maquinas de genes, criados para passar adiante nossos genes. Mas esse aspecto nosso estará esquecido em três gerações. O seu filho, ou mesmo o seu neto, pode apresentar alguma semelhança com você, em traços faciais talvez, no talento para a música, na cor dos cabelos. Mas, a cada geração que passa, a contribuição dos seus genes é cortada pela metade. Não demora muito até que chegue a proporções negligenciáveis […] Mas, se você contribuir para a cultura mundial, se tiver uma boa ideia, compuser uma melodia, inventar um artefato tecnológico, escrever um poema, isso poderá prosseguir vivendo, incólume, até muito tempo depois que seus genes tiverem se dissolvido no reservatório comum. Sócrates pode ou não ter ainda um ou dois genes hoje ainda vivos no mundo, mas quem se importa? Os feixes de memes de Sócrates, Leonardo, Copérnico e Marconi continuam vigorosamente ativos.”

Richard Dawkins

É muito interessante o que o Dawkins traz com essa reflexão do seu famoso livro “O gene egoísta”. Uma das coisas que eu mais escuto por aí e que sempre questionei é com relação a ter filhos como uma espécie de propagação dos genes e manter viva a família pelo maior tempo possível!

Pois é! Dentro de poucas gerações, ninguém nem sequer lembrará o nosso nome. Porém, se deixarmos algo que possa ter uma duração no tempo muito maior, como é o caso das grandes ideias, dos belos livros que se transformam em clássicos, assim nós perduraremos por muito mais tempo. Algo de nós ainda estará presente com a possibilidade de até mesmo durar por séculos!

Isso é maravilhoso! Inclusive, só a título de curiosidade! Quase ninguém sabe, mas a popularização do termo MEME se deu após o sucesso desse livro! A palavra “meme” significa: “aquilo que é replicado”. Ou seja, é algo que impacta positivamente (e às vezes negativamente) tantas pessoas que gera o efeito viralização! Bacana não é?

Eu tenho um imenso prazer em escrever exatamente por causa disso. Enquanto existir a internet, milhares de pessoas poderão ser beneficiadas pelo que escrevo e estarei, mesmo que parta desse mundo, contribuindo com suas vidas de alguma forma. É aquela ideia do legado! A cada novo texto que publico é uma parte a mais desse meu legado que vou deixando para as pessoas!

Tenho consciência de que minha contribuição está a zilhões de anos-luz de distância desses grandes mestres que o Dawkins cita, mas fico tranquilo e sereno, porque sei que é o meu melhor e se trata de um processo constante de aprimoramento. Enquanto há vida, sempre podemos agregar mais e melhor ao mundo que nos rodeia! E isso é o que mais desejo para a minha!

E você? O que toda essa reflexão desperta em seu coração? Como você tem levado a sua vida? Como seria a sua vida deixando algo que pode durar por várias gerações a sua frente?…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A vida é uma oportunidade

Por Isaias Costa

“A vida é uma oportunidade, uma oportunidade para você se realizar.

Você pode perdê-la, muitos a perdem – são raras as pessoas que a aproveitam.

Essas poucas pessoas são aquelas que entram em seu próprio mundo interior.

Viver preocupado com dinheiro, poder e prestígio é um grande desperdício.

O principal interesse de uma pessoa deveria ser a resposta a “Quem sou eu?”

Não fique satisfeito enquanto não souber isso.

Tome uma decisão importante no fundo de seu ser:

“Tenho de descobrir isso”, porque essa decisão se torna uma semente.”

Osho

********

Essas são palavras simples, porém com uma profundidade imensa! Quando estava relendo-as, na mesma hora me veio em mente a linda etimologia da palavra OPORTUNIDADE, que vem da antiguidade “ob + portus” e significa “vento favorável que lhe leva ao porto”.

E vale lembrar que as palavras porto e porta tem a mesma derivação! Não é incrível tudo isso? Ou seja, a vida é como um vento, algo extremamente passageiro, e que sua direção é favorável ao porto que é o nosso ser interior. E a porta que abre esse porto é o nosso coração sereno, nossa alma conectada como o nosso ser!

É muito boa a analogia com o vento! Há o vento favorável ao encontro com o ser interior, mas também há o vento que nos leva para longe de si mesmo, e esse vento costuma fazer bastante barulho e também chama muito mais a atenção do que o vento sutil que o Osho está trazendo!

Esse vento barulhento é o que nos leva para a mera materialidade: busca por riqueza financeira, por status, por fama, por um corpo escultural etc. etc.

Nós podemos sim buscar essas coisas, mas precisamos ter a certeza de que elas jamais irão preencher nosso ser interior!

Mas é compreensível que a imensa maioria das pessoas não aproveitem a oportunidade que é o mergulho no ser interior, é preciso um trabalho incessante de lapidação e transposição das nossas barreiras que às vezes vem até da nossa ancestralidade… Responder à pergunta: “Quem sou eu?” pode ser muito assustador, por isso são poucas as pessoas que seguem esse caminho!

Como diria a famosa frase do oráculo de Delphos: “Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses…”. Percebe a profundidade disso? A maioria das pessoas jamais se sente preparada para algo de tamanha magnitude…

Mas quero com esse breve texto lhe encorajar a isso! Aproveite a oportunidade de estar vivo em um momento planetário tão único e desafiador! É um privilégio estarmos vivos e precisamos aproveitar esse tempo vivendo verdadeiramente, com todas as letras!

Que a gente se conheça cada dia um pouquinho mais…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A paz mundial começa dentro de cada um de nós

Por Isaias Costa

“Eu imagino como seria a vida se conseguíssemos a paz mundial. É a única coisa mencionada aqui que ninguém jamais experimentou. Exige um acordo entre todas as pessoas de que não irão se agredir. Cada um de nós pode tentar viver de forma pacífica no seu cotidiano. Ao nos relacionarmos intencionalmente de forma pacífica com os outros, podemos aumentar as possibilidades de paz. Sei por experiência que pessoas pacíficas criam um ambiente mais pacífico. É por isso que adoro atuar como palhaço, porque isso transforma o ambiente. Crianças bem pequenas têm o poder de causar o mesmo efeito.

A paz mundial começa dentro de cada um de nós. Possuir paz interior diminui sua pressão arterial e sua tensão. Também ajuda a diminuir os níveis de tensão e a pressão arterial das pessoas à sua volta.

Quando encontramos a paz, experimentamos um estacionamento mais criativo, cooperativo e dinâmico que irá melhorar a nossa saúde. Todos nós teremos que trabalhar em conjunto para alcançarmos a paz. Portanto, cada um pode participar e investir para atingir esse importante objetivo.”

Dr. Patch Adams

**********

Estava relendo essas belas palavras desse brilhante doutor e hoje consigo compreendê-las com ainda mais qualidade, pois venho aprendendo novos conteúdos que só reforçam o que ele diz!

Nós somos energia, vibração e frequência! E elas mudam a todo momento. Quando estamos em baixa frequência nós vibramos medo, tristeza, apatia, raiva, desconfiança, vergonha etc. E em alta frequência nós vibramos amor, alegria, gratidão, empatia, contentamento e paz!

A paz, segundo os estudos do brilhante autor David Hawkins, é uma das frequências de maior vibração, algo em torno de 600 hz, está acima até mesmo da frequência do amor incondicional, que é de 540 hz. Percebe que incrível?

Além disso, outra coisa fabulosa que aprendi nos últimos meses é que o nosso campo energético tem um potencial de expansão de aproximadamente 3m. Ou seja, as pessoas conseguem sentir nossa vibe quando se aproximam de nós!

Não é à toa que as pessoas costumam dizer: “Vixe! Fulano está numa bad viu?”. Ou o contrário: “Uau! Aquela pessoa é muito alto astral! É ótimo ficar perto dela”

Isso é exatamente a percepção desse nosso campo energético! E por que estou falando isso afinal? Porque todos gostam de estar perto de uma pessoa que emana paz, amor, alegria, contentamento! Nessa hora acabo lembrando de uma exemplo caricato, o mestre Dalai Lama. Ele tem uma energia de paz tão incrível, tão gigantesca, que já ouvi relatos de pessoas dizendo que passaram semanas inteiras vibrando na paz só por terem estado perto dele em algum evento!

Agora vou ao cerne desse texto. O mestre Dalai Lama dedicou toda a sua vida para se desenvolver como um mestre e sua paz reverbera pelos 4 cantos do mundo! Agora se cada um de nós se comprometer em ser mais pacificado, levaremos aos pouquinhos essa paz por onde formos percebe?

Não precisamos de nada extraordinário. A paz dentro do próprio núcleo familiar já é algo absolutamente transformador! É dessa forma simples que vamos pouco a pouco transformando o mundo ao nosso redor.

Eu sonho em viver nesse planeta mais pacificado e estou comprometido em fazer a minha parte! Vamos juntos seguir esse caminho?

**********

P.S. Gravei um breve podcast inspirado nesse texto! Segue o link abaixo pra você que queira expandir as reflexões…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O ser vem sempre antes do fazer

Por Isaias Costa

“Você está aqui para realizar um propósito interno e externo. O propósito externo tem a ver com o fazer e o propósito interno com o Ser.

O propósito externo é sempre secundário. Já o propósito interno é primário, fundamental e essencial para que a sua existência se expanda e tenha sentindo.

Se você tentar atingir o seu propósito externo, sem atingir o propósito interno, mesmo que conquiste uma certa quantidade de coisas no campo material, sua vida ainda carecerá de sentido.Ser é a prioridade do seu espírito, mesmo que não saiba disso.

Quando você focaliza a sua atenção para atingir o propósito interno, naturalmente você realiza o seu propósito externo e descobre exatamente o que veio fazer neste mundo.

Para realizar o seu propósito interno, você terá que transcender as forças retalhadoras do mundo e do mental coletivo que o pressionam e tentam estilhaçar a sua integridade para se tornar um pequenino “eu” sofredor e que depende emocionalmente de tudo.

Comece já a trilhar o caminho da sua natureza, pratique a arte da autonomia emocional, por que a sua liberdade começa a partir do momento que alcance autonomia emocional. É na liberdade que você descobre o seu Ser. E só estando livre poderá amar de verdade.”

Horácio Frazão

******

Quanto mais o tempo passa, mais essa verdade se torna real e internalizada em mim. Antes de eu fazer qualquer coisa sempre me pergunto: “Isso está conectado com o meu ser? Com quem sou de verdade?”. Se não está nem sequer cogito a possibilidade de começar!

Esse pequeno texto do Horácio pode até nos levar a refletir sobre as milhões pessoas que tem muita iniciativa, mas pouca acabativa! Começam mil e um projetos, mas não seguem adiante porque falta esse ponto principal que é o SER.

Qualquer coisa que fizermos pensando apenas no ter é muito pequeno, porque as coisas puramente materiais são perecíveis. Começam e terminam aqui, não podemos levar com a gente depois que vamos embora desse mundo!

Precisamos nos focar naquilo que levamos para sempre como registros de alma, que são os afetos, os momentos inesquecíveis que compartilhamos com as pessoas queridas que cruzam o nosso caminho.

É muito real o que ele diz sobre priorizar o ser. Quando o fazemos, naturalmente vamos descobrindo o porquê e para que viemos pra esse mundo!

Também já tive muitos momentos de deserto pessoal, inclusive tive uma depressão bem forte em 2009 que já comentei diversas vezes por aqui! Era o meu ser que estava completamente desconectado do meu propósito de alma, que está voltado para a EDUCAÇÃO.

Escrever é uma forma de Educação, pois a cada texto estou ensinando algo bom, transmitindo conhecimentos e vivências que certamente podem auxiliar a vida de muitas pessoas que se conectarem a eles!

Agora leve esse questionamento para a sua vida! Quando você silencia todos os barulhos da sua mente e pensa no que faz a sua alma queimar de alegria, o que vem? O que você sente? É a conexão profunda com esse sentimento que lhe indicará o caminho, é o seu SER falando para onde você deve seguir! Basta que tenha essa coragem e determinação para seguir por esse caminho de alma.

É normal que o medo venha ou você se sinta inseguro em muitos casos, mas é assim mesmo! Nessa hora uso uma das máximas da espiritualidade que só ela já vale por esse texto inteiro: “Quando você segue o seu coração mas não vê a ponte diante do abismo à sua frente. Dê um salto de coragem que a ponte aparece”.

Claro que se trata de uma linguagem metafórica, mas que é muito bonita. A  nossa trilha vai sendo criada a medida em que caminhamos…

Portanto! Siga a sua alma, siga o que arde no seu coração. Pois o ser vai lhe levar naturalmente ao fazer e ao ter…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Um novo olhar sobre o entretenimento

Por Isaias Costa

Esses dias me peguei refletindo sobre o verbo “entreter” e o que se deriva dele, o “entretenimento”. Que significa basicamente ter momentos de desopilar, ou se divertir.

Não sei se alguém já refletiu sobre esse verbo fazendo esse trocadilho, mas eu o achei super coerente. Perceba! ENTRE + TER. Ou seja, a gente se entretém quando está no intervalo do nosso trabalho, da nossa labuta diária. O que, se prestarmos mais atenção, pode ser visto como uma espécie de fuga, uma espécie de desconexão da realidade, do aqui e agora.

Eu amo as raízes das palavras. Entretenimento é sinônimo de diversão no dicionário. Veja só! Diversão em sua raiz significa “duas versões”. Tem tudo a ver com entreter. É como se uma versão de mim ficasse reservada para o trabalho e outra versão para a vida fora do trabalho.

Será que precisa realmente ser assim? Quero lhe levar a questionar isso! Há muitos anos eu venho conscientemente buscando trabalhar com o que eu amo, que é a EDUCAÇÃO. Minha vida como um todo está em contribuir pela educação com o máximo de pessoas que eu puder.

Mesmo quando busco algo pra me divertir, busco coisas que sejam inteligentes e que contribuam de alguma forma com o meu crescimento humano.

Por exemplo! Se no seu entretenimento você faz uma viagem de final de semana. Que tal visitar algum museu e conhecer mais a história daquela cidade? Ou então relaxar ficando mais em contato com a natureza? Isso é uma forma magnífica de transformar o entretenimento em algo significativo entende?

No meu caso, um dos meus entretenimentos é andar de bicicleta pelas ruas da minha cidade. Uau! Nesses momentos eu me desconecto dos estresses do dia a dia, tenho profundos insights muitas vezes e ainda melhoro meu condicionamento físico e minha saúde!

Leve essas reflexões para o seu contexto e se questione. Será que você está se entretendo apenas para se desconectar do seu personagem trabalho? Ou se entretem com algo que está além do mero ter?…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Que o permanecer seja uma escolha, e não uma obrigação

Por Isaias Costa

“Ao valorizar a família e o casamento eterno, na verdade o que desejamos são seres que fiquem. Porque somos inábeis em cultivar relações duradouras, apostamos na conexão sanguínea, que obriga a continuidade. Funciona como uma garantia: você é meu irmão, não há como me largar. “Você entrou para a família” é sinônimo de “Agora posso contar contigo”.

É muito mais raro nos posicionarmos de modo elevado para que isso surja com mais gente, então trocamos a grande família da humanidade por uma família que cabe em um churrasco. Isso explica a quantidade de relações nas quais ambos se agridem, mas nunca cogitam a separação — o outro só me atrapalha, mas ele volta pra casa há mais de 10 anos… onde vou achar outra pessoa permanente assim?”

Gustavo Gitti

******

Essas palavras do Gustavo Gitti são de uma profundidade impressionante. Infelizmente isso é o que mais acontece! Quando alguém se torna “familiar” ou porque já é da família ou porque se agrega a ela, não colocamos na cabeça que aquela pessoa pode sair da nossa vida a qualquer momento.

Não podemos jamais esquecer que as pessoas deveriam estar ao nosso lado por escolha e não por obrigação. Ninguém é obrigado a absolutamente nada! Porém, abusamos tanto da boa vontade dos outros que dessa forma muitos relacionamentos se tornam extremamente desgastantes e insossos!

A frase final dele é perfeita. Nas entrelinhas ele fala sobre o sentimento de solidão que eu sempre brinco utilizando a frase: “ruim contigo, pior semtigo”. Muita gente está infeliz ao lado do marido, esposa, namorado, namorada… Mas vem aquele pensamento de baixa autoestima: “Onde vou encontrar alguém melhor?”.

Claro! Com uma mentalidade dessa não vai encontrar mesmo alguém melhor nunca! Assim, muitos ficam só empurrando com a barriga relacionamentos que não são engrandecedores.

Eu penso que precisamos nos lapidar todos os dias, nos tornarmos pessoas mais agradáveis e conscientes, não pensando apenas nos outros, mas antes de tudo na gente mesmo.

Estamos nesse planeta para evoluirmos e se trata de uma jornada infinita. Sempre há algo mais a lapidarmos em nós! É como diz a velha expressão: “Somos obras inacabadas”.

Com essa consciência bem acesa em nós podemos ser pessoas muito melhores e assim quem de nós se aproximar vai escolher estar ao nosso lado e não ficar contando os minutos para ir embora… Pense sobre isso!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma maneira simples e didática de entender o burnout

Por Isaias Costa

Esses dias estava assistindo a uma linda live no Instagram com o querido mentor de comunicação Felipe Suhre e a consteladora familiar Anna Patrícia Chagas e num determinado momento ela falou algo que achei tão incrível que quis compartilhar com você que me lê agora.

Ela utilizou uma linguagem bem lúdica para chamar o cansaço de um personagem real, como se fosse uma pessoa e que vai duelar com você. Se o cansaço chega pra brigar com você e você quer derrotá-lo sabe o que precisa? Simplesmente DES-CANSAR, ou seja, dormir, ou relaxar ouvindo uma música, ou fazer uma massagem, algo que te tire desse cansaço!

Assim ele simplesmente vai embora e você o derrota. Porém, sabe o que faz com que ele vença o duelo? Nossa insistência! Estamos cansados, o corpo já deu todos os sinais possíveis e imagináveis e não o ouvimos. Dormimos menos horas do que precisamos, acordamos cansados, ficamos com um apetite voraz, perdemos o foco com facilidade e por aí vai. Isso é o senhor cansaço mostrando suas garras!

Se não o respeitamos e vencemos esse duelo com o descanso, aí ele vence a batalha! Sabe o nome que se dá pra essa vitória? BURNOUT, palavra que vem do inglês e deriva de “incêndio”. É quando ficamos tão esgotados, mas tão esgotados, que somos obrigados por um médico a parar tudo e cuidar da nossa saúde! E depois perceber que não precisava desse esforço hercúleo!

Que tal a gente perceber bem os sinais do cansaço e fazer diferente a partir de hoje? Assim esse senhor cansaço jamais vencerá essa batalha convidando o desagradável senhor burnout para a sua vida…

*****

P.S. E se você quiser se aprofundar assistindo a essa live que comentei no início, fique à vontade! Garanto que será 1h do seu tempo muito bem investida…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Abrace os seus objetivos de hoje

Por Isaias Costa

“Não coloque objetivos longe demais de suas mãos, abrace os que estão ao seu alcance hoje. Se anda desesperado por problemas financeiros, amorosos ou de relacionamentos familiares, busque em seu interior a resposta para acalmar-se. Você é reflexo do que pensa diariamente.”

Autoria desconhecida

No dia em que publico esse texto estava relendo essas belas palavras que desconheço o autor, mas que nos trazem reflexões profundas e importantes.

Ainda estamos no mês de janeiro e por todos os lados vemos as pessoas e os influenciadores digitais nos bombardeando com as famosas “resoluções de ano novo”. Até escrevi no meu instagram pessoal @isaiascosta14 que pra esse ano de 2022 o que mais quero é me dedicar ao amor, quero amar mais do que em 2021! Com isso parafraseio o mesmo dos mestres Jesus: “E tudo o mais vos será acrescentado…”.

A resposta para todos os nossos problemas e dificuldades está dentro de nós mesmos e é somente através da paz e do silêncio que podemos encontrar as chaves que nos levarão às causas e ao entendimento de tudo o que nos aconteceu e continua acontecendo.

Não há nada errado, está tudo certo exatamente como se apresenta. É a nossa mente dominada pelo ego que insiste em nos auto-aprisionar nesse enredo que só foca no negativo em vez de ver as flores e belezas escondidas atrás das dores e sofrimentos!

O mestre Jesus dizia para nos focarmos no hoje: “para cada dia a sua cruz”. Por que será que mesmo mais de 2000 anos depois ainda não colocamos essa sabedoria na prática? Essa frase do início traz uma das palavras que mais amo na língua portuguesa: “acalmar-se”. Calma significa literalmente “com alma”.

Que tal deixarmos que a nossa alma nos guie? Que o amor conectado com essa alma seja a nossa bússola ? E que assim a gente possa resplandecer como as aves do céu ou os lírios do campo…

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Expressão é a vida, repressão é suicídio

Por Isaias Costa

“Repressão significa viver uma vida que não é o seu destino.

Repressão é fazer coisas que você nunca quis fazer. Repressão é ser uma pessoa que você não é. É uma forma de se autodestruir. Repressão é suicídio, um suicídio lento, é claro, mas certamente um lento envenenamento.

Expressão é a vida, repressão é suicídio.

Não viva uma vida reprimida, do contrário você não viverá, viva uma vida de expressão, criatividade, alegria.

Viva da forma como a existência desejou que você vivesse: da forma natural. Ouça seus instintos, ouça seu corpo, seu coração, sua inteligência.

Dependa apenas de si mesmo, vá aonde quer que sua espontaneidade o leve, assim você nunca estará perdido.

E, seguindo espontaneamente sua vida natural, um dia você acabará chegando às portas do divino.”

Osho

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized