Arquivo da tag: empreendedorismo

Como crescer exponencialmente no emprego?

Por Isaias Costa

empresas_grafico

A nossa mente tem um poder infinito e através dos nossos pensamentos podemos conseguir muito mais do que supomos ser possível. Muitas pessoas pensam que não podem crescer na vida porque estão fadadas a viver uma vida de miséria para sempre, outros culpam os pais, pensam que, se eles não foram bem sucedidos financeiramente, também não podem ser. Tem quem associe até a um karma ou ordem divina para a pobreza etc. Mas a grande realidade da vida é que são os nossos pensamentos que nos levam até onde podemos chegar.

Hoje eu quero falar sobre uma das melhores formas de se crescer no seu emprego, de crescer exponencialmente. Vou associar as minhas palavras ao mestre Jesus Cristo. Muitas pessoas pensam que ele não ensinou ao ser humano o valor da riqueza material, mas é um engano, porque ele ensinou isso divinamente bem e vou explicar o porquê.

Na parábola dos talentos ele fala que os servos que tinham 2 e 5 talentos os multiplicaram e por isso eram bons e fiéis, e como recompensa o patrão confiou a eles mais prosperidade. Já o que tinha apenas um talento e o enterrou foi chamado de servo mau e infiel, e o seu talento foi dado ao que tinha 5 e o multiplicou. Essa parábola é riquíssima de ensinamentos e na vida acontece exatamente assim. Os que têm prosperidade e são ricos ficam ainda mais ricos e os que são pobres ficam mais pobres. Durante muito tempo na minha vida, principalmente na infância, eu achei que isso fosse injusto, mas sempre ficava pensando: “Acho que tem alguma coisa errada nessa história, e um dia eu vou descobrir…”. Esse é um pensamento que desde criança tinha e sempre quis achar uma resposta. Hoje eu tenho essa reposta e vou dá-la a você. O que Jesus fala já é a própria resposta. Ele fala que os servos que multiplicam os talentos merecem cada vez mais crescer, porque eles têm pensamentos de ABUNDÂNCIA, enquanto o servo que enterrou os talentos tem pensamentos de MISÉRIA.

o poder do não

Sabe outra coisa interessante? Eu nunca gostei da historia do Robin Wood. Ele não tem nada de herói, ele é um ladrão, isso sim. Muitas pessoas acham até poético ele roubar dos ricos para dar aos pobres. Desde que era criança também me perguntava: “O que foi de tão mal que os ricos fizeram que o Robin Wood fica só roubando o dinheiro deles?…”. Pois é amigos, eu também sempre tive essa pulga atrás da orelha e afirmo que o Robin Wood está completamente errado. Não se deve roubar dos ricos para dar aos pobres. O que precisa ser feito é arrancar da mente dos pobres os pensamentos de pobreza e miséria. Esse é o caminho para que cada vez mais pessoas sejam bem sucedidas financeiramente e essa é a principal mensagem que quero transmitir hoje.

Afinal? Como crescer exponencialmente no emprego? Uma excelente forma é fazendo o seu patrão crescer cada vez mais. Ajudá-lo a ser cada vez melhor. Muitos sentem inveja dos patrões por eles serem bem sucedidos, mas o que eu digo é que todos os que pensam assim jamais crescerão exponencialmente em suas carreiras. Eu já falei algumas vezes nesse blog que um dos maiores poderes que o ser humano tem se chama GRATIDÃO, mas vou e devo repetir isso, para que você aprenda e perceba o seu poder. Quando você agradece pelo sucesso do seu patrão e dá o melhor de si para que ele cresça, uma enorme energia de crescimento e positividade é criada, de forma que todos se beneficiam. O que vai acontecer com 100% de certeza é que o seu bom trabalho será reconhecido. O seu patrão vai subir mais na sua carreira e você vai subir junto com ele, aquele cargo que era dele vai passar a ser seu e ele vai para outro melhor do que o que já estava, entende? Essa é a fórmula para o sucesso em qualquer trabalho. Você dá o melhor de si, fazendo com que todos ao seu redor cresçam junto com você, eliminando da mente qualquer pensamento de rivalidade, de inveja, de soberba, de aproveitamento. Dessa forma o resultado só será um, PROSPERIDADE.

um mundo governado pelo dinheiro

É possível fazer uma associação de outra parábola contada por Jesus para saber o quanto podemos crescer. Na parábola dos convidados para a festa, em que ele diz que o que se sentou na última fileira foi convidado para a primeira e o que foi direto para a primeira foi humilhadamente levado a se sentar na última, porque aquele lugar já estava reservado. Como eu posso associar essa parábola com meu emprego? Muito simples. Se você se mostrar HUMILDE e PRESTATIVO, todos vão reconhecer em você esse imensos valores e vão lhe promover a cargos mais altos, mas se você já chega na empresa querendo “pisar” em todo mundo, querendo saber mais que seu patrão, se achando melhor e mais competente que ele, o que vai acontecer? Rapidinho vai aparecer alguém para “baixar a sua bola” e dizer que você não é tão bom assim e tem que ir com calma. Ou pior, se o lugar for bem rígido você será demitido imediatamente, porque você mesmo se demitiu, não porque quiseram lhe demitir, mas porque seus pensamentos e atitudes lhe levaram a se demitir sozinho.

Jesus Cristo é um dos maiores professores quando se trata de crescimento e prosperidade financeira. Eu acho uma pena que tanta gente pensa que só porque ele era carpinteiro não veio ao mundo para ensinar o valor da prosperidade, grande engano. Espero que com essas palavras você tenha se convencido disso.

Vamos crescer no nosso emprego e vamos viver na prosperidade e abundância infinita…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A palavra crise segundo Albert Einstein

Por Isaias Costa

canal-do-empreendedor-albert-einstein

Depois de tudo o que eu já passei, sofri, superei e mudei em mim, se existe uma palavra que passei a enxergar com olhos muito mais profundos se chama CRISE. Já escrevi um pouco sobre isso aqui, mas hoje quero trazer a genial visão de ninguém menos que Albert Einstein. Veja…

“Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos.

A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias.

Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar “superado”.

Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais aos problemas do que às soluções.

A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as saídas e soluções fáceis.

Sem crise não há desafios, sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um. Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo.

Em vez disso, trabalhemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la.”

Albert Einstein

Essas são palavras de uma profundidade impressionante. Além de ele estar falando da palavra crise em si, também está falando sobre a mediocridade. Um dos motivos para que a mediocridade se instale tão fortemente em nossa sociedade é que boa parte das pessoas têm medo de superar os seus limites, medo de avançar, estão enclausuradas e aprisionadas a coisas pequenas, estão conformadas com a realidade em que vivem, se sentem anestesiadas diante desta sociedade corrupta que tenta sugar até a nossa alma. Não meus amigos! Não pode ser assim! Não podemos deixar que isso aconteça!

Um dos principais motivos para que eu escreva quase diariamente é que eu quero contribuir para que esse mundo seja um pouquinho melhor a partir das minhas palavras, ajudando os leitores a pensarem e tomarem decisões melhores e mais conscientes. Para muitas pessoas, que são as mais realistas, isso que estou dizendo soa como fantasia ou utopia. Mas nessa hora eu me lembro de um dos meus mentores, o empresário Flávio Augusto, que diferencia as pessoas visionárias das realistas. As visionárias procuram encontrar soluções para os grandes problemas da vida, levando outras tantas junto com elas, enquanto as realistas pensam que não existem soluções para os problemas, se deixam abater por eles, e depois que veem os resultados das visionárias, correm atrás delas dando tapinhas nas costas.

O Flávio Augusto me inspira muito com suas palavras tão profundas e sem rodeios. Quer se tornar um visionário? É possível! Mas para isso você deve se libertar da mediocridade! É fácil? Nem um pouco! É um caminho árduo! Que deve ser perseguido diariamente e com convicção! Se quiser ler um pouco mais sobre a mediocridade e sobre ser um visionário, deixo dois textos falando sobre esses temas. Confira…

A mediocridade das pessoas

Os líderes inspiram ação

E isso tem a ver com crise? Só tem! Leia essa frase:

“A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias.”

A criatividade nasce na angústia, ou seja, dos momentos de crise. Na crise nascem as invenções e surgem as grandes ideias. E quem cria as maiores coisas? Aquelas que revolucionam? Que beneficiam o maior número de pessoas? As visionárias! Eu quero ser um visionário e também lhe levar a ser um!

Sabe de outra coisa interessante sobre ser um visionário que muitos confundem ou não compreendem? Você não precisa ganhar rios de dinheiro para ser um visionário. Você só precisa ter grandes ideias e fazê-las acontecerem. O dinheiro está longe de ser o ponto primordial, o ponto primordial se chama MENTE. Só para reforçar essa ideia, cito o próprio Flávio Augusto. Quem já leu sobre sua trajetória, sabe que ele já trabalhou pegando metrô e ficando mais de duas horas por dia no trânsito, mas desde essa época ele já pensava como uma águia e sabia que iria voar longe. Você pensa que ele não era um visionário nesta época? Claro que era! Mas ele estava solidificando e aprimorando os seus conhecimentos para lá na frente fazer uma revolução e mudar a vida de milhares de pessoas. Queira ser uma águia! Você pode ir muito mais longe do que pensa! Para refletir um pouco mais sobre isso, compartilho o vídeo do “Geração de Valor” que fala sobre “A águia e a galinha”, vale muito a pena conferir! É um vídeo para abrir a mente…

Espero que você reflita bastante sobre essa visão da palavra crise totalmente diferente do que costumamos ouvir por aí, tão cheia de clichês e palavras prontas! Para continuar refletindo sobre essa palavra tão rica, deixo um texto que escrevi falando sobre alguns tipos de crise: financeira, dos relacionamentos e a existencial. Vale a pena conferir…

A palavra crise

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A qual grupo você pertence?

Por Isaias Costa

1970077-7407-atm14

Outro dia eu li uma pequena estória que me fez refletir bastante sobre como eu tenho levado a minha vida e como tenho procurado fazer as minhas atividades profissionais e pessoais. O texto de autoria desconhecida está logo abaixo.

*****************

Em uma importante universidade, um sábio professor, com grande dose de paciência, tentou começar a primeira aula do ano da nova turma, mas não conseguiu. Pediu silêncio educadamente várias vezes, sem sucesso. O professor, com voz firme, disse então:

“Queridos alunos, prestem atenção porque eu vou falar isso uma única vez. Desde que comecei a dar aula, anos e anos atrás, descobri que de cada 100 alunos, apenas 5 são aqueles que fazem a diferença no futuro; apenas 5 se tornam profissionais brilhantes e contribuem de forma significativa para melhorar o mundo. Os outros 95% servem apenas para fazer volume; não se dedicam, não se esforçam, não saem da zona de conforto, são acomodados, ficam na mediocridade. Passam pela vida sem deixar nada de útil.

Esta porcentagem vale para todo mundo. Se prestarem atenção, notarão que de 100 professores, apenas 5 são aqueles que fazem a diferença; de 100 garçons, apenas 5 são excelentes; de 100 motoristas de táxi, apenas 5 são verdadeiros profissionais que amam o que fazem. É uma pena não termos como separar estes 5% do restante, pois se isso fosse possível, eu deixaria apenas os 5% nesta sala e colocaria os demais para fora, então teria o silêncio necessário para uma boa aula e eu dormiria tranquilo sabendo ter investido nos melhores! Mas, infelizmente ainda não há como saber quais de vocês são estes alunos. Só o tempo será capaz de mostrar isso. Terei de me conformar e tentar dar uma aula para os alunos especiais, apesar da confusão que está sendo feita pelo restante.

Claro, cada um de vocês sempre pode escolher a qual grupo pertencerá: ao grupo que faz a diferença, ou ao grupo que passa pela vida sem deixar sua marca. Pensem bem. Ainda dá tempo de fazer parte do grupo certo, do grupo que faz a diferença. Obrigado pela atenção e vamos à aula”.

******************

Este pequeno texto pode nos levar a grandes reflexões, e no meu caso levou ainda mais, pelo fato de ser professor e passar por experiências semelhantes à contada nessa estória todos os dias. Não há um único dia que eu dê aula e não haja alguma indisciplina por parte dos alunos, dispersão, falta de interesse, desmotivação, sono e por aí vai. Não é à toa que falam que ser professor é uma das profissões mais desafiantes que existe, e realmente confirmo isso. Motivar os alunos é uma tarefa que exige uma verdadeira maestria, e esse talento só é possível para quem se decide por fazer parte do grupo dos 5% que fazem a diferença. Eu procuro fazer parte desses 5% na minha profissão de professor, é uma batalha muito grande e desafiadora, mas eu tenho certeza que todos os alunos que passam por mim saem guardando alguma coisa do que tenha dito, mesmo que não tenha sido do conteúdo em si, mas guardam daquilo que tenha conversado ou levado a pensar. Eu sempre inicio as minhas aulas levando os alunos a pensarem a respeito de temas importantes da vida, levando as minhas maiores referências para eles conhecerem, tais como Rubem Alves, Paulo Freire, Mario Sergio Cortella, John Powell, Jostein Gaarder, Alain de Botton, Augusto Cury, Clarice Lispector, Richard Bach, Leonardo Boff, Flávio Augusto, Seiti Arata, Conrado Navarro, Flávio Gikovate, Dalai Lama, Thich Nath Hanh, Martin Luther King, Mahatma Gandhi etc etc. Os meus alunos tem a oportunidade de adentrar no universo dessa turma da pesada através de mim, e isso me deixa muito feliz, porque sei que são poucos os professores que levam esse tipo de conhecimento para os alunos.

Este texto também nos leva a pensar sobre a mediocridade. Escrevo constantemente sobre isso e não me canso de repetir, porque sei que através da repetição os conhecimentos são verdadeiramente assimilados e levados ao processo de mudança interior. Vamos fugir da mediocridade meus amigos! O mundo está repleto dessas pessoas, que compõem esses 95% do grupo, que seguem a boiada, que fazem o que todo mundo faz, que não inovam, não se reciclam, não ousam… É possível sair desse grupo, mas para isso é preciso determinação, força de vontade, perseverança e uma mentalidade voltada para o sucesso. Uma mentalidade empreendedora. Já falei aqui que todos nós podemos ser empreendedores, e para ser não é necessário ter uma conta bancária cuspindo dinheiro. Nada disso! Um empreendedor é construído, tal como a construção de um prédio. Primeiro vem o alicerce forte e seguro que se chama MENTE, depois vem os andares, que são as PALAVRAS e as ATITUDES. Lembre-se sempre, muito antes das palavras e atitudes deve estar o alicerce, a mente, que comanda tudo.

O caminho para o sucesso

A mediocridade das pessoas

No campo profissional há uma enorme diferença entre “O que se faz” e “Como se faz”. Ter conhecimento dessa diferença é o que pode fazer de nós profissionais brilhantes e nos colocar no grupo dos 5% que fazem a diferença. Quero compartilhar o terceiro texto que escrevi neste blog, que escrevi com muito carinho e mostra de forma simples como eu penso em relação ao “Como se faz”. O link está a seguir.

A diferença entre “o que?” e “como?”

E você? Quer fazer parte de qual grupo? Dos 5% que fazem a diferença ou dos 95% que compõem a mediocridade? A escolha é única e exclusivamente sua…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

O profeta no meio da praça

Por Isaias Costa

profeta

Há alguns dias eu ouvi uma parábola muito profunda. Vou contá-la com as minhas palavras, mas mantendo a sua ideia original.

Um homem estava de viagem em país distante, quando ele passou por uma praça e viu um profeta pregando para uma grande multidão. Aproximou-se para escutá-lo, encantado com o entusiasmo na sua fala. Ficou admirado de ver tanta gente ao seu redor e resolveu voltar no dia seguinte para ver se ele estaria lá de novo. Novamente o viu com muitas pessoas ao redor, mas com um número de pessoas menor que no primeiro dia.

Nos dias em que esteve no país continuou passando pela praça todos os dias, sempre reparando que o número de pessoas que o ouvia ia diminuindo. Logo viu que só tinham 5 pessoas ao seu redor, no outro dia apenas 4, no outro 3, e depois só 2 pessoas.

Porém, ele ficou muito surpreso que, mesmo com 2 pessoas, continuava com o mesmo entusiasmo de quando havia uma multidão ao seu redor.

Passados mais alguns dias, viu que o profeta estava falando sozinho no meio da praça, sempre com o mesmo entusiasmo. Achou estranho ele continuar falando se não tinha ninguém para lhe ouvir.

Passou mais umas duas vezes e o cenário se repetiu, ele estava falando sozinho no meio da praça. Ele ficou incomodado com isso, não entendia porque ele continuava falando sem ter ninguém para ouvi-lo. Angustiado com isso, ele resolveu perguntar ao profeta:

– Tenho observado você e seus discursos. Você já pregou para uma multidão nesta praça, e o número de pessoas foi só diminuindo. Agora não tem mais ninguém para lhe ouvir e você continua pregando. Por que continuar, se não tem ninguém para lhe ouvir?

Então o profeta calmamente lhe respondeu:

– Amigo! Por muito tempo eu quis falar o que penso para as pessoas, querendo que elas acreditassem no que eu acredito. Hoje eu não faço mais isso. Continuo falando para que eu não seja convencido por eles a mudar o que penso e para continuar acreditando no que eu acredito…

Esta parábola é incrível e fala sobre muitas coisas. Uma ideia que está por trás dela são os VALORES. Pense em você! O que é valor para você? O que você tem que nada nem ninguém consegue convencê-lo a mudar de opinião? Quais são os seus maiores valores? Enumere-os! É o amor? A família? A esposa? O marido? Os filhos? O emprego? A saúde? Os amigos? A conta bancária? Lembre o que essencial para você e compõe aquilo que é hoje! É muito importante que você saiba quais os seus maiores valores e nunca perca-os de vista. Que não permita ser convencido por alguém a mudá-los.

A outra mensagem, que é a que considero mais forte é sobre a MEDIOCRIDADE. O profeta falou para uma multidão, que foi diminuindo até não sobrar mais ninguém. Isso aconteceu porque ele estava falando para a “massa”, que está repleta de pessoas medíocres, que simplesmente seguem a boiada, que fazem o que todo mundo faz. O profeta, por não fazer parte dos medíocres, continuou pregando sozinho no meio da praça, e não se deixou convencer pela maioria, que queria torná-lo “só mais um na multidão”. Muito cuidado com a mediocridade amigos! Ser medíocre é estar no meio, fazer o que todo mundo faz, é ser um imitador, é não ter ideias e propósitos originais. Se quiser entender um pouco mais sobre isso, vou deixar dois posts. Confira…

A mediocridade das pessoas

Ele apenas seguiu a boiada

Para concluir. Vou falar uma coisa interessante. Esse profeta é um empreendedor sabia? Vou explicar. Não sei se você reparou, mas ele tem algumas características fundamentais de um empreendedor.

– Ele tem ideias originais e faz as pessoas pensarem sobre elas;

– Ele tem um firme propósito estabelecido na mente;

– Ele tem entusiasmo;

– Ele vai para a praça todos os dias. Um empreendedor vê todos os dias da semana como uma oportunidade de crescimento e ele trabalha todos os dias como se fosse sua folga. Para um empreendedor, o trabalho é uma diversão e aventura;

– Ele não se importa se existem mil pessoas, duas ou ninguém lhe ouvindo. Ele continua sempre com o mesmo entusiasmo.

– Ele acredita profundamente no que pensa, diz e faz. Veja a sequência: pensa, diz e faz. Essa é a sequência do sucesso. Primeiro pensamos, depois dizemos e por fim, fazemos.

O caminho para o sucesso

– Ele não segue a boiada, não é medíocre.

Espero que você tenha gostado dessa parábola e refletido sobre ela. Acredite em você, nos seus valores, tenha entusiasmo, fuja da mediocridade, e procure desenvolver o pensamento empreendedor. Desta forma o seu sucesso será garantido e você viverá de forma muito mais intensa, ajudando este mundo e as pessoas. Agregando valor às suas vidas. Pense sobre isso…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Buscar a excelência

Por Isaias Costa

101084-Excellence-Five-Stars
Hoje eu quero compartilhar um texto incrível do empresário Wellington Moreira em que ele fala sobre uma coisa importantíssima e que há muito tempo estou buscando para a minha vida, a EXCELÊNCIA. Ele fala sobre a importância de você ser o melhor no que faz e deixar a mediocridade de lado, fala sobre manter a HUMILDADE e se manter sempre aberto a aprender coisas novas. Esse é o caminho para se conseguir grandes coisas na vida e espero que a leitura desse texto reforce isso em você. Boa leitura…

Você já deve ter escutado alguém dizer: o ótimo é inimigo do bom. Eu mesmo utilizei esta expressão várias vezes para lembrar que o perfeccionismo pode levar alguém a procrastinar aquilo que precisa ser feito só porque ainda não conseguiu atingir o nível de performance que estabeleceu para si. Ou pior ainda, conduzi-lo a um estado de paralisia por focar os esforços em coisas sem importância. Mas, como a vida é cheia de dilemas, num rápido jogo de palavras, também é coerente afirmar: o bom é inimigo do ótimo.

O consultor americano Jim Collins, em sua obra Empresas Feitas para Vencer, lembra: “Não temos ótimas escolas, principalmente porque temos boas escolas. Poucas pessoas levam vidas ótimas, em grande parte porque é fácil construir uma vida boa… E a grande maioria das empresas jamais se torna excelente só porque já é bastante boa – e é este seu principal problema”.

Quando alguém se satisfaz com a situação razoável que vive – seja no trabalho ou em qualquer outro campo da sua existência – um quadro de acomodação se instala ao redor convidando-o à mediocridade e retira qualquer chance de que esta pessoa alcance a excelência. Chamo isto de “espírito mais ou menos”. Nem ótimo, nem ruim, simplesmente mais ou menos. Como é caso daqueles alunos que podem tirar nota dez graças ao seu potencial, mas pensam: “Sete já dá para passar. Então, pra quê ralar mais?”.

Aliás, a ambição é fator-chave para quem alcança o ápice em qualquer campo de atuação. Você não comete heresia alguma quando afirma ter objetivos audaciosos e luta por eles. Pelo contrário. Só não confunda ganância com ambição, pois enquanto esta o faz superar seus limites com determinação, aquela o leva a querer tudo para si.

Também cabe destacar que cada vez mais pessoas com potencial de sobra acabam ficando pelo caminho por se tornarem arrogantes e egocêntricas. Ou seja, gente que vê suas pequenas vitórias iniciais como épicas e cuja vaidade lhes impede de continuarem a aprender. A síndrome do “esse cara sou eu”.

E não pense que estou me referindo apenas àqueles que ocupam cargos de gestão. Como muitos bons trabalhadores passaram a receber assédio de outras empresas, é comum que conservem baixos temores em relação ao futuro, sejam tentados a reproduzir mais do mesmo e ainda se mantenham pouco receptivos a cobranças. É por isto que ninguém mais se surpreende com a diarista doméstica que diz: “Dona, se não estiver gostando, pode me mandar embora”.

Quando este tipo de pensamento se torna coletivo adquire um nome – pacto de mediocridade – e não pense que tal fenômeno se instala em grupos que deliberadamente escolhem cumprir as responsabilidades de modo superficial. Nós o plantamos nas organizações ao concordarmos que as pessoas façam seu trabalho pela metade e fingirmos que nada está acontecendo ou que é aceitável tirar um sete.

Em mercados nos quais não há concorrentes de peso também é possível que uma companhia com atributos de excelência possa se acomodar, tornando-se medíocre com o passar do tempo. É o caso de quem deixa de lançar novos produtos no mercado por saber que os outros igualmente não inovarão nos próximos meses, daí aparece um competidor de classe mundial e fim da história. Logo, é muito melhor atuar em mercados com players de valor, afinal eles fazem a sua empresa evoluir forçosamente.

Concordo que temos de celebrar cada conquista obtida, mas não é saudável deixar que a acomodação e o sentimento de dever cumprido se instalem no início ou meio de uma longa caminhada. As pessoas e empresas ótimas só alcançam o patamar de excelência porque conseguem se manter insatisfeitas e crentes de que ainda podem fazer muito melhor, mesmo quando atingem o cume desejado. Se não fosse assim, ainda estaríamos andando de charrete, comunicando via telex e utilizando o mimeógrafo.

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O célebre discurso de Steve Jobs

Por Isaias Costa

steve-jobs-1

Outro dia estava relendo um dos melhores discursos já proferidos pelo grande empreendedor Steve Jobs. Esse homem de sucesso fez uma revolução no campo da informática e, com certeza, serve de inspiração para todos nós. O texto que estou compartilhando foi retirado de uma página do facebook chamada “Vida”. Leia com bastante atenção e tente seguir os conselhos da voz da experiência…

O famoso discurso de Steve Jobs em Stanford

O legado de Steve Jobs vai além da Apple, da Pixar, da criação do computador pessoal e dos produtos que ele ajudou a desenvolver. Famoso pela oratória, pela capacidade de síntese de ideias e pelo carisma em suas apresentações, Jobs deixa ainda uma coleção de afirmações polêmicas, frases visionárias e pensamentos que ajudaram a definir os rumos da tecnologia nos últimos anos. Confira os principais trechos de seu famoso discurso na formatura de uma turma da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, em 2005:

“Às vezes a vida te bate com um tijolo na cabeça. Não perca a fé. Estou convencido de que a única coisa que me fez continuar foi que eu amava o que eu fazia. Você precisa encontrar o que você ama. E isso vale para o seu trabalho e para seus amores. Seu trabalho irá tomar uma grande parte da sua vida e o único meio de ficar satisfeito é fazer o que você acredita ser um grande trabalho. E o único meio de se fazer um grande trabalho é amando o que você faz. Caso você ainda não tenha encontrado [o que gosta de fazer], continue procurando. Não pare. Do mesmo modo como todos os problemas do coração, você saberá quando encontrar. E, como em qualquer relacionamento, só fica melhor e melhor ao longo dos anos. Por isso, continue procurando até encontrar, não pare.”

“Você não pode conectar os pontos olhando para a frente; você só pode conectar os pontos olhando para trás. Assim, você precisa acreditar que os pontos irão se conectar de alguma maneira no futuro. Você precisa acreditar em alguma coisa – na sua coragem, no seu destino, na sua vida, no karma, em qualquer coisa. Este pensamento nunca me deixou na mão, e fez toda a diferença na minha vida.”

“Lembrar que eu estarei morto em breve é a ferramenta mais importante que eu encontrei para me ajudar a fazer grandes escolhas na vida. Porque quase tudo – todas as expectativas externas, todo o orgulho, todo o medo de se envergonhar ou de errar – isto tudo cai diante da face da morte, restando apenas o que realmente é importante. Lembrar que vou morrer é a melhor maneira para eu evitar pensar que tenho algo a perder. Você já está nu. Não há razão para não seguir o seu coração.”

“Isto foi o mais perto que cheguei da morte e espero que seja o mais perto que eu chegue nas próximas décadas. Tendo passado por isso, posso dizer agora com mais certeza do que quando a morte era apenas um conceito intelectual: ninguém quer morrer. Até mesmo as pessoas que querem ir para o céu não querem morrer para ir para lá. Ainda, a morte é um destino que todos nós compartilhamos. Ninguém conseguiu escapar dela. E assim é como deve ser porque a morte é talvez a melhor invenção da vida. É o agente que faz a vida mudar. É eliminar o velho para dar espaço para o novo. Neste momento, o novo são vocês, mas algum dia não tão longe, vocês gradualmente serão o velho e darão espaço para o novo. Desculpa eu ser tão dramático, mas é a verdade.”

“Seu tempo é limitado. Por isso, não perca tempo em viver a vida de outra pessoa. Não se prenda pelo dogma, que nada mais é do que viver pelos resultados das ideias de outras pessoas.”

“Tenha vontade, tenha juventude. Eu sempre desejei isso para mim. E agora, que vocês se formam para começar algo novo, eu desejo isso para vocês.”

(Steve Jobs, 1955 – 2011) – Discurso realizado para a turma de formandos de 2005 da Stanford University.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O mundo precisa de loucos

Por Isaias Costa

O que seria do mundo sem um louco como esse?

O que seria do mundo sem um louco como esse?

Recentemente li uma poesia fantástica que me fez refletir sobre a loucura. Será que a loucura é uma coisa ruim? Ou será que é o que mais está fazendo falta no nosso mundo? Não estou falando daquela loucura de hospitais psiquiátricos, estou falando daquela loucura boa, que nos faz sermos ousados e buscarmos caminhos diferentes e originais. Cada vez mais eu me dou conta que as pessoas que são consideradas loucas são as que mais contribuem para a melhoria do mundo. Exatamente! É como eu intitulei esse post. O mundo precisa de loucos. As pessoas estão se tornando o que luto todos os dias para não me tornar, PREVISÍVEIS. Você olha para alguém e já sabe tudo que ela vai fazer e muitas vezes até o que vai dizer. Isso é horrível e destruidor. E uma das primeiras coisas que destrói é a CRIATIVIDADE. Perceba! Não tem como uma pessoa previsível ser criativa, porque ela faz o que todo mundo faz, não inova, não foge às regras, não dá uma pitada de ousadia e não vive o valor da descoberta. Já os imprevisíveis não. Estes quase sempre são criativos, estão sempre com o cérebro fervilhando de ideias, estão sempre tomando atitudes mais ousadas e logicamente, agregando valor à vida das pessoas. Vamos ser loucos e fazer desabrochar em nós essa criatividade tão necessária.

Enfim! Vamos à poesia, da autoria de Avany Morais.

Loucos

Falar de loucos é falar de sábios!
Posto que, loucos veem além da visão…
Sentem nos lábios a essência da vida
E discordam, sem pedir permissão.

Loucos… Precisamos destes loucos
Para virar a mesa, jogar o jogo bruto,
Mudar o mundo, as regras, não aos poucos,
Mas mudar abruptamente, num espaço curto.

No caos que se encontra nosso País no momento,
Atravessando duramente tanto descontentamento,
Para mudar, hoje, ser louco é a única solução.
Somente um louco, poderia revolucionar a nação.

Um louco que sonhando seja capaz de o mundo mudar…
Que vivendo seja na terra, no ar ou no mar, ouse…
Crie, invente, faça seu pensamento ecoar, vibrar…
Sem medos, sem tabus, um louco essencial capaz de amar.

******

Você percebe a maravilha que acabou de ler? Os loucos são os sábios. São aqueles que revolucionam o mundo, que fazem o mundo sair da mesmice e do marasmo. Sem os loucos, o mundo não teria graça nenhuma, nem graça de riso, nem graça de bênçãos. Eu amo os loucos, tenho uma admiração sem palavras por eles. Eu quero ser louco, quero lhe convidar hoje a também fazer parte desse grupo seleto e que também queira se orgulhar de sê-lo.

Tem uma frase de um cara que sou fã e já falei inúmeras vezes dele aqui. Estou falando do mestre Raul Seixas. Em sua música “maluco beleza” temos a frase: “Vou ficar, ficar com certeza, maluco beleza…”. Raul era louco e adorava isso, e na música “quando acabar o maluco sou eu” temos a frase: “Eu sou louco, mas sou feliz. Muito mais louco é quem me diz, eu sou dono do meu nariz, em feira de Santana ou mesmo em Paris...”. Nessa última frase percebemos claramente a sua ousadia e vida totalmente sem regras. Essa vida sem regras o fez desenvolver todo o seu potencial artístico, mas foi uma pena, porque também o levou a autodestruição. É nessa hora que digo que é importante dosar. Precisamos ser loucos, mas loucos moderados. Precisamos desenvolver aquela loucura que aguça a percepção e a criatividade, que são tão importantes para a melhoria pessoal e coletiva.

As palavras do fim da poesia também são bem filosóficas. São os loucos essenciais que fazem o mundo ser melhor. Eu adoro a palavra ESSENCIAL, e sempre que leio essa palavra me recordo do livro “O pequeno príncipe” e de sua célebre frase: “O essencial é invisível aos olhos”. Essa frase se encaixa perfeitamente nos loucos, pois eles têm algo essencial e que é invisível aos olhos, que se chama CRIATIVIDADE e OUSADIA. Dois ingredientes que fazem o mundo ser melhor e evoluir.

Você conhece uma das campanhas publicitárias mais famosas do mundo? A campanha da empresa Apple de 1997. Seu texto fala sobre os loucos como sendo as pessoas que mudam o mundo! O vídeo inspirador está logo abaixo.

“Isto é para os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os criadores de caso. Os que são peças redondas nos buracos quadrados.
Os que vêem as coisas de forma diferente. Eles não gostam de regras. E eles não têm nenhum respeito pelo status quo. Você pode citá-los, discorda-los, glorificá-los ou difamá-los.
A única coisa que você não pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas.
Eles inventam. Eles imaginam. Eles curam. Eles exploram. Eles criam. Eles inspiram.
Eles empurram a raça humana para frente.
Talvez eles tenham que ser loucos.
Como você pode olhar para uma tela em branco e ver uma obra de arte? Ou sentar em silêncio e ouvir uma música jamais composta? Ou olhar para um planeta vermelho e ver um laboratório sobre rodas?
Enquanto alguns os vêem como loucos, nós vemos gênios. Porque as pessoas que são loucas o suficiente para achar que podem mudar o mundo, são as que de fato, mudam.”

Portanto amigos. Vamos desenvolver essa loucura saudável e tão necessária nesse mundo de hoje. Um mundo coberto por pessoas medíocres que só pensam na vida como um passar de dias, que não se abrem ao novo e às possibilidades. Observe os loucos da humanidade, todos eles podem lhe ensinar a ser alguém melhor e mais criativo. Vou citar apenas alguns: Albert Einstein, Thomas Edison, Isaac Newton, Galileu Galilei, Nicolau Copérnico, Johannes Kepler, Arquimedes, Aristóteles, Leonardo da Vinci, Freud, Nietzsche, Rubem Alves, Mário Quintana, Clarice Lispector, Arthur Schopenhauer, Montesquieu, Carl Jung, William Shakespeare, e por aí vai. Eu amo todos esses loucos que citei e muitos outros. São esses loucos que fazem com que eu eleve os meus pensamentos a níveis que jamais conseguiria sozinho. Eles são grandes amigos meus. Não tenho contato com nenhum, vários já morreram, mas são grandes amigos, porque contribuíram e ainda contribuem para o meu crescimento humano e intelectual.

Que essa breve reflexão lhe inspire a ser como esse louco essencial capaz de amar, alguém que tenha força e determinação para dar o melhor de si em tudo que fizer e assim contribuir para mudar o mundo…

 

 

9 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Escravos do medo

Por Isaias Costa

medicos-cubanos-brasil

Hoje eu serei bem duro com as palavras e não me importo se alguém discordar de mim ou se ofender. Ontem eu li uma reportagem que me deixou absolutamente indignado, ela falava sobre os médicos cubanos que vieram para o Brasil e foram recebidos com vaias e xingamentos por parte de um pequeno grupo de médicos de Fortaleza, no Ceará. Esta é a reportagem, escrita pelo jornalista Aguirre Talento:

Médicos cubanos foram vaiados, hostilizados e chamados de “escravos” por médicos brasileiros que fizeram um protesto na saída do primeiro dia do curso para o programa Mais Médicos, do governo federal, em Fortaleza.

Liderado pelo Simec (Sindicato dos Médicos do Ceará), o grupo de brasileiros se reuniu a partir das 18h na saída da Escola de Saúde Pública com uma faixa exigindo a aplicação de prova para a revalidação de diploma dos estrangeiros.

Foi no mesmo horário marcado para uma solenidade de acolhimento dos médicos estrangeiros, com a presença de representantes do Ministério da Saúde. Havia no local 96 médicos estrangeiros, sendo 79 cubanos.

Houve um princípio de confusão quando os médicos brasileiros tentaram entrar no prédio da escola e seguranças trancaram a porta. Durante a solenidade dentro do auditório, era possível ouvir os gritos dos manifestantes, que cercaram todas as saídas do prédio.

“Fecharam as portas para os médicos do Brasil e abriram as portas para os médicos de Cuba”, afirmou José Maria Pontes, presidente do Sindicato dos Médicos.

Quando a solenidade terminou, por volta das 20h, os manifestantes continuavam do lado de fora da escola e começaram a bater com força nas paredes de vidro do prédio, ameaçando quebrá-las. O grupo de médicos estrangeiros ficou preso dentro do prédio, sem poder sair para os alojamentos. O governo convocou reforço policial e carros da Polícia Militar chegaram ao prédio.

Os cubanos se mostravam assustados e ficaram parados próximo à porta, sem poder sair. Por fim, representantes do Ministério da Saúde resolveram sair do prédio e enfrentar os manifestantes, acompanhados pelos médicos estrangeiros.

A saída foi tensa. O grupo foi recebido com gritos de “revalida” e os cubanos foram chamados de “escravos”. Os médicos gritavam ao pé do ouvido dos estrangeiros que saíam do prédio e exibiam semblante assustado.

Os ânimos se exaltaram quando o secretário de gestão estratégica e participativa do Ministério da Saúde, Odorico Monteiro, que representava o ministro Alexandre Padilha, saiu do prédio. Foi recebido aos gritos de “traidor” e recebeu alguns leves tapas de alguns médicos, que o seguiram até ele entrar no carro que o tirou do local.

Havia também um pequeno grupo, de cerca de 20 pessoas, que se manifestava a favor de Cuba, com a bandeira do país. Eles criticavam os médicos brasileiros, chamando-os de mercenários.

Esse grupo de médicos chamou os médicos cubanos de “escravos”. Será que eles sabem o significado dessa palavra? Ela significa: Que ou quem está sob o poder absoluto de um senhor que o aprisionou ou o comprou.
Que ou quem está na dependência de outro.
Que ou quem é presa de um sentimento, de um princípio
.

O significado perfeito para esses médicos medíocres é o último: Que ou quem é presa de um sentimento, de um princípio. Esses médicos que xingaram os cubanos são exatamente isso, presas de seus próprios sentimentos de medo, insegurança, desequilíbrio psicológico etc, são escravos do medo. Por que? Muito simples! Somente agride e destrata uma pessoa quem não tem plena consciência de suas virtudes, seus talentos e suas competências.

Eu fiquei refletindo sobre esse acontecimento e lembrando as palavras do grande Renato Russo: “O sol nasce pra todos, só não sabe quem não quer…”. Essa frase é de uma profundidade incrível, mas poucos são os que param para refletir a seu respeito. O que o Renato quis dizer com ela é que todos nós temos as mesmas oportunidades e as mesmas condições de crescer na vida e ser bem sucedido, só não sabe disso quem vive no seu mundo coberto de medos, ressentimentos, complexos de inferioridade etc. A outra mensagem que ele quis transmitir é sobre os talentos individuais de cada um. Esse sol se chama talento e todos têm esse brilho próprio e único, só não descobri e desenvolvi esse brilho quem não quer. E para finalizar, como o sol nasce para todos, não precisa ninguém apagar o brilho de ninguém, porque isso só mostra pequenez de alma e de consciência. É por essas e outras que sou fã do Renato Russo. Um homem extraordinário e com uma sensibilidade extremamente aguçada.

É preciso falar também sobre um mal que ainda faz parte da vida de muitos brasileiros. A xenofobia. O que isso significa? É a aversão aos estrangeiros, e ligado a isso está um enorme racismo, preconceito e discriminação. Atitudes e comportamentos de gente pequena e inconsciente. Esses médicos com certeza não sabem o grande valor da EMPATIA, que é você se colocar na posição do outro e ver também sobre a sua perspectiva. Pense em você? Você gostaria de ser bem recebido em um país estrangeiro? Imagine-se chegando e sendo chamado de escravo, de incompetente? Como você se sentiria? Foi isso que fizeram com nossos irmãos cubanos! Meus amigos! Já está passando da hora de desenvolvermos atitudes e comportamentos mais nobres, de pessoas mais conscientes. Chega de tantos preconceitos! Isso macula as pessoas e o nosso país, que é tão rico e ao mesmo tempo cheio de pobrezas de ordem política, administrativa, psicológica e social. Para que você reflita um pouco mais sobre esse preconceito velado que assola o nosso país, deixo a bela música “Racismo é burrice” do grande Gabriel, o Pensador!

Também me lembrei de um dos meus mentores. O empresário Flávio Augusto. Eu tenho certeza absoluta que ele abominou a atitude desses médicos medíocres, porque ele sabe melhor do que ninguém que, se você é muito bom no que faz, seu emprego é mais do que garantido e você não precisará bajular nem se humilhar para ninguém para consegui-lo, nem ficar com medo de perder a sua vaga ou não ser contratado, porque seu brilho, seu sol, sua luz interior, brilhará tão forte, que absolutamente ninguém tomará o seu lugar. Eu já falei aqui que todos nós podemos ser empreendedores, e me considero um empreendedor. Não sou rico nem tenho uma conta bancária cuspindo dinheiro, mas procuro ser um cidadão ético e respeitoso. Quer se juntar ao grupo dos GV’s? O grupo das pessoas que pensam fora da caixinha? Vou lhe fazer o convite para entrar para a página “Geração de Valor”. A melhor página do facebook, na qual eu me alimento todos os dias de pensamentos elevados de um grande ser humano chamado Flávio Augusto!

https://www.facebook.com/CanalGeracaodeValor

https://paralemdoagora.wordpress.com/2013/06/11/empreender-e-para-todos/

Enfim! Esses médicos têm o meu repúdio! Eu espero que se algum médico chegar a ler esse texto não fique com raiva de mim, mas pare e pense fora da caixinha! Faça uma lavagem cerebral e se livre dos preconceitos, da xenofobia. Procure ser o melhor profissional possível, e acima de tudo, seja ético e respeitoso…

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

7 hábitos dos perdedores

Por Isaias Costa

1001091_523200814426204_829566079_n

Hoje eu quero compartilhar um texto de um empresário que tem me influenciado muito, juntamente a um grupo de mais de 1 milhão de pessoas. É claro que eu estou falando do Flávio Augusto! Administrador da página “Geração de valor” no facebook. Adoro sua forma direta e sem firulas de se expressar. Atinge o mais profundo das pessoas e faz com que pensem e tomem uma atitude.

Preste bastante atenção nessas palavras e procure seguir as suas dicas. São dicas de alguém que batalhou muito para chegar aonde chegou hoje e são lições de vida reais de um homem que convive com todo tipo de gente todos os dias, tanto pessoas de sucesso como também as fracassadas. Vamos fazer parte das pessoas de sucesso…

7 HÁBITOS DOS PERDEDORES

Nossos hábitos têm grande influência sobre nosso comportamento. Não adianta apenas adquirirmos os hábitos dos vencedores, sem antes nos livrarmos dos hábitos dos perdedores.

Abaixo, 7 hábitos dos perdedores:

1. Reclama quando chega a 2ª feira e torce para chegar a 6ª feira – Os perdedores odeiam trabalhar. Tudo em suas vidas resume-se na busca de um novo par para uma aventura sexual de fim de semana. Por isso, a balada é sagrada e é assim, de noite em noite, que eles gastam suas vidas.

2. Não gosta de assumir compromissos em nenhuma área da vida – Os perdedores têm uma afeição por independência. Assumir compromissos, entregar-se a um relacionamento, comprometer-se no trabalho e lutar por uma meta, sacrificando-se em prol de um objetivo maior, faz com que ele se sinta escravizado.

3. O medo de perder influencia suas decisões muito mais do que sua vontade de ganhar – Os perdedores, diante do medo natural que todos nós sentimos, ao invés de enfrentá-lo, eles se acovardam. Resultado! Não se frustram de imediato, porém não conquistam nada. Em longo prazo, sentem-se vítimas do sistema ou que não tiveram oportunidades.

4. Desistem diante das primeiras dificuldades – Os perdedores são especialistas em manipular a si mesmos, criando teses convincentes para desistirem de seus objetivos. Tudo isso para fugir das dificuldades. Uma das teses preferidas é: “Não me sinto feliz fazendo isso”. Toda atividade profissional que promove crescimento é desafiadora. E os desafios geram desconfortos. Diante do desconforto, os perdedores usam suas teses para correrem dos desafios. Resultado! Não crescem.

5. Como os perdedores não realizam nada, a única coisa que lhes resta é a auto-afirmação– Perdedores são orgulhosos, falam e defendem suas convicções sem nenhuma autoridade e na hora H, fogem da raia. Não é pouco comum ver os perdedores se auto-afirmando sobre suas grandes habilidades e competências que nunca colocam em prática.

6. São refém de seus sentimentos – Nossos sentimentos, uma vez não gerenciados, tonam-se controladores de nossa vida. O desenvolvimento de uma inteligência emocional faz com que dominemos essas demandas de maneira a fazermos as melhores escolhas. Os perdedores são jogados de um lado para o outro por seus sentimentos. Uma das frases preferidas dos perdedores é: “Eu não controlo o que está em meu coração”.

7. Perdedores acreditam em sorte – Acreditar na sorte é uma das maiores anestesias para a consciência de um perdedor, pois sendo controlado por hábitos de perdedor, por consequência lógica, seus resultados jamais poderão ser resultados de vencedor. Neste caso, sentir-se sem sorte é o mais confortador para se acreditar, pois alivia a dor e desenvolve um sentimento de auto-piedade típico dos perdedores: “Eu não tenho sorte”. Quando ouvem de alguém que seus resultados são consequência de suas próprias escolhas, sua resposta preferida é: ” Não é bem assim”. Os perdedores são especialistas na relativização do absoluto, ao mesmo tempo em que generalizam o relativo.

Qualquer um de nós pode desenvolver esses hábitos, seja influenciado por amigos que nos cercam, por nossa família ou por gerado nossas próprias fraquezas. O problema é que uma vez desenvolvidos, esses hábitos funcionam como um vírus de computador, atuando silenciosamente no “sistema operacional” de nosso cérebro, influenciando nosso comportamento, decisões, ações e reações. Nesta hipótese, não será por acaso que teremos fracassos como consequência.

Costumo dizer: Previna-se! Coloque um preservativo em seu cérebro contra o vírus mortal da mediocridade. Ele tira a sua imunidade, mata seus sonhos, faz você definhar sem ter forças para lutar.

Você é inteligente. Pense comigo, se existe uma estatística, por mais difícil que ela seja, ela é possível. Se não fosse, não existiriam centenas de histórias de quem venceu todos os obstáculos e chegou lá. Alcançar o sucesso é uma questão de perseverar até se tornar um ponto fora desta curva, mas para isso, é fundamental que seus hábitos e comportamentos também estejam fora da curva. Este é o X da questão!

Flávio Augusto

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Visão com ação pode mudar o mundo

Por Isaias Costa

Hoje vou fazer uma pequena reflexão a partir de um vídeo bem curtinho, mas que pode MUDAR O MUNDO. A parábola contada nele é conhecida por muita gente, porém, para a maioria entra por um ouvido e sai pelo outro. O vídeo é esse aqui embaixo (sugiro que assista antes de continuar a ler o post).

Nessa parábola, um rapaz joga estrelas ao mar incansavelmente e um homem lhe pergunta por que ele está fazendo aquilo. Ele diz que está fazendo para que elas não morram por causa do sol forte e da maré que está baixando. Nessa hora vem uma grande lição, o caminho da MEDIOCRIDADE. O homem diz que existe uma infinidade de mares e estrelas e o que ele estava fazendo não faria nenhuma diferença. O rapaz joga outra estrela e responde: “fez diferença para essa aí…”. A mediocridade é o caminho que não cria maiores esforços pessoais, é o caminho de quem se acomoda e que acha que “nada pode ser feito”. Errado! Pode-se ser feito muita coisa e estou, na medida do possível, procurando fazer essa “alguma coisa”. O que estou fazendo ao publicar um texto como esse pode até parecer pouco, mas eu sei que esse pouco pode fazer diferença para alguém, e sei que faz. E isso me inspira a continuar escrevendo e lhe encorajando a fazer o melhor possível, a DAR O MELHOR DE SI. É muito mais fácil se acomodar e pensar como o senhor dessa história, achar que “nada pode ser feito”. Siga por outro caminho, já, agora!

A mediocridade das pessoas

Eu quero compartilhar uma experiência que tive há mais ou menos uns dois meses e tem tudo a ver com essa parábola das estrelas no mar. Um amigo me perguntou: “Com tanta coisa sendo publicada na internet todos os dias tem alguém que lê os teus textos? Quantas pessoas o leem por dia?”. Assim que ele falou percebi de cara que era uma pergunta capciosa, então simplesmente respondi a ele: “Você acha que eu vou me importar com o número de pessoas que leem os meus textos? Eu não me importo com isso! A única coisa que eu quero é transmitir mensagens edificantes e sei que as pessoas que lerem serão pessoas que querem crescer de alguma forma! Eu escrevo porque amo escrever, não porque eu quero ter milhares de leitores…”. A conversa morreu aí e ele nunca mais tocou nesse assunto de novo. Você percebe que essa minha experiência tem tudo a ver com a estorinha das estrelas no mar? Esse meu amigo queria me desestimular a escrever, ele queria me dizer que o que estava fazendo não ia fazer diferença. Mas como eu sou muito vivo, saquei na hora a sua intenção e cortei o mal pela raiz. É uma coisa que estou aprendendo! Não dou ouvidos a pessoas que querem me desestimular, mesmo se for um amigo meu, como foi nesse caso.

Para concluir, quero falar sobre uma característica dos grandes empreendedores, eles não procuram o glamour, eles procuram fazer um trabalho bem feito, e isso faz toda a diferença. O meu objetivo com esse blog é fazer as pessoas pensarem e refletirem sobre as suas vidas, crescerem como seres humanos. A última coisa que eu penso é em quantas pessoas vão ler os meus textos, ou seja, eu não procuro o glamour. E exatamente por não procurar o glamour é que sei que estou fazendo um bom trabalho e estou atingindo os corações dos meus leitores.

Enfim! Ação! A ação pode mudar o mundo! Eu estou agindo a partir desse blog! Descubra a sua melhor forma de agir e FAÇA! Dê o melhor de si na sua especialidade e contribua para que esse mundo seja um pouquinho melhor. Esse é meu maior desejo para você hoje…

estrela_do_mar

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized