Arquivo da tag: Escolhas

Não precisamos seguir pelo caminho mais difícil

Por Isaias Costa

“Poderias desfrutar agora mesmo todas as coisas que estás suplicando para alcançar tomando o longo desvio — se parasses de te privar delas.”

Marco Aurélio

*****

Essas belas palavras do imperador da antiguidade Marco Aurélio podem parecer meio obscuras e complicadas de entender num primeiro momento, mas nesse breve texto quero fazer um paralelo incrível que fará você entender muito facilmente a proposta dele.

O Marco Aurélio está querendo nos dizer que para quase tudo na vida nós gastamos uma energia e tempo muito maiores do que seria o ideal. O longo desvio é isso e o desfrutar é exatamente tudo o que está diante de nós agora mesmo e não nos damos conta.

Você talvez já esteja cansado de ler e ouvir as pessoas falarem que só existe o aqui e agora não é mesmo? Mas essa é uma verdade incontestável. O passado é só memória, que tem sua importância apenas como aprendizado, como uma referência daquilo que deu certo ou não. E o futuro é pura projeção, é pura expectativa. Não sabemos se o amanhã vai chegar! O máximo que podemos fazer é cuidar bem do nosso hoje, porque dessa forma ficará mais fácil construir um bom amanhã entende?

Sem mais delongas. Quero compartilhar com você um insight bem bacana que me veio ao ler essas palavras do Marco Aurélio. Já contei muitas vezes por aqui que eu fiz faculdade de Física e adoro quando consigo traçar bons paralelos entre ela e o autoconhecimento.

Um assunto bastante estudado por todos nós na escola é a tal conservação da energia. Ela explica que nos sistemas conservativos, ou seja, aquelas no qual não há dissipação de calor, a energia se conserva e há nos processos a conversão de um tipo de energia em outro.

Um dos conceitos mais importantes é o de trabalho, que por definição é o produto de uma força por um deslocamento de um determinado objeto.

W = F.d

Quando tratamos de objetos que serão levantados, sabemos que existe a força da gravidade que puxa tudo pra baixo. Ela é chamada de força peso, sendo o produto da massa pela aceleração da gravidade. E o deslocamento é dado simplesmente pela altura a que se coloca tal objeto. Dessa forma o trabalho da força peso é dado por:

W = m.g.h

O produto da massa pela aceleração da gravidade e pela altura. E o resultado é dado em Joule (J), unidade física de energia.

Mas o melhor de tudo é o que vou dizer agora! O trabalho da força peso INDEPENDE do deslocamento para os lados. Ou seja, eu posso simplesmente levantar um objeto verticalmente ou posso fazer zilhões de piruetas com ele, o trabalho da força peso será sempre o mesmo, pois só depende da altura!

Fazendo um paralelo com as palavras do Marco Aurélio é isso. Nós gastamos uma energia absurda desnecessariamente. Inclusive pela Física realmente é assim. Há o trabalho da força peso, mas ele é absolutamente diferente do trabalho que vem da força muscular que exercitamos.

Digamos que quero levar uma caixa do primeiro para o segundo andar de um prédio. Eu posso pegar um elevador e deixar a caixa no piso do elevador. Eu posso subir as escadas com essa caixa. E se houver aquelas rampas inclinadas, eu darei uma volta bem grande e chegarei no andar de cima.

Teve alguma diferença no trabalho da força peso? NÃO. Nenhum! Porém, o maior gasto de energia é subindo pela rampa. Eu poderia simplesmente pegar o elevador! Mas nós somos peritos em complicar as coisas! Acredito que agora com essa comparação, vai ficar bem mais fácil entender as palavras do Marco Aurélio.

“Poderias desfrutar agora mesmo todas as coisas que estás suplicando para alcançar tomando o longo desvio — se parasses de te privar delas.”

Marco Aurélio

Nesse exemplo que eu dei é como se eu dissesse para mim mesmo: “Eu não mereço subir pelo elevador! Quem sou eu para seguir por esse caminho tão fácil? Prefiro ir pelo mais difícil…”.

What?? A vida pode ser muito mais simples se nos sentirmos merecedores de que tudo aconteça na nossa vida de forma simples. Inclusive há um decreto muito bonito das formações em barra de acess que me utilizo todos os dias e faço questão de compartilhar com você: “Tudo vem a mim com facilidade, alegria e glória”. Repita esse decreto inúmeras vezes todos os dias e você estará pouco a pouco trabalhando seu interior para não dificultar as coisas e não atravancar os seus caminhos!

Torço para que você aplique essa sabedoria simples e incrível do Marco Aurélio na sua vida. Você só terá ganhos com isso…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Precisamos aprender a ser filtros e não esponjas

Por Isaias Costa

“Você não precisa absorver a negatividade das pessoas ao seu redor. Você não precisa participar das confusões alheias. As pessoas são como são e as escolhas delas são delas. Aprenda a ser filtro e não esponja.”

Juliana Nishiyama

******

Estamos vivendo tempos muito difíceis. Uma pandemia que já se estende por mais de 2 anos, que finalmente está começando a ser controlada com eficiência. Porém, devido à guerra entre a Rússia e a Ucrânia, o mundo todo vem sofrendo os impactos terríveis, acima de tudo na economia. Há décadas o Brasil não vive uma inflação tão exorbitante e a cada dia os preços de tudo estão cada vez maiores.

Uma consequência natural de tudo isso é a diminuição do poder de compra da população, aumento da pobreza e miséria, aumento do desemprego, diminuição da esperança, aumento de doenças, de transtornos físicos, mentais, emocionais, espirituais etc. etc.

Tudo isso e muito mais está acontecendo e não podemos simplesmente fechar os olhos e fingir que não está. Isso não resolve nada, pelo contrário, só agrava o problema!

Nesse texto eu quero voltar a insistir na busca incessante pelo autoconhecimento e na busca acima de tudo por escolhas melhores em amplo sentido. Escolher melhor o que vamos comer e beber, para que dessa forma evitemos adoecer e enriquecer ainda mais a criminosa indústria farmacêutica. Escolher melhor o que assistimos, para assim não perdermos a esperança de dias melhores. A mídia aberta é toda programada para despertar o pior em nós, ela só alimenta o medo, para assim lucrar com isso! Se tem algo profundamente lucrativo é encher as pessoas de medo…

Precisamos escolher melhor o que ouvir. Existem tantos podcasts maravilhosos e tantos canais excelentes no Youtube. Só não os acessa quem realmente não tem essa abertura para fazer boas pesquisas. A cada dia eu aprendo mais e mais conteúdos edificantes e transformadores porque eu faço questão de só ouvir o que me faz bem e me engrandece. Busque fazer o mesmo!

Também podemos escolher melhor o vamos ler. Milhões de pessoas perdem um tempão lendo fofocas sobre os famosos, sobre o Big Brother, qual o horóscopo para essa semana e por aí vai. Uma pergunta que sempre precisamos ter em mente é: “Essa leitura vai agregar valor na minha vida?” ou no mínimo: “Essa leitura vai me levar a pensar diferente, ou vai estimular a minha criatividade?”. Fiz esse segundo questionamento porque existem zilhões de livros de literatura que nos ajudam a ser mais criativos através das suas estórias mega instigantes! A leitura tem um poder gigantesco de fazer a nossa vida ter um brilho maior. Pode ter certeza disso!…

Precisamos escolher melhor como utilizar o nosso tempo livre. Que tal fazer alguma atividade física? Que tal tomar um banho de sol de pelo menos uns 15 min? Que tal passar um tempo em contato com a natureza, abraçar uma árvore, pisar a grama, sentir a terra nos pés? Que tal conversar com os amigos queridos e se divertir um pouco?

Sabia que fazer isso é ser um filtro? Sim! Porque ao fazermos melhores escolhas, estamos jogando fora um montão de outras escolhas que seriam somente tranqueiras nas nossas vidas!

Esse breve texto é só um lembrete daquilo que compartilho praticamente todas as semanas! Escolhas melhores podem pouco a pouco nos transformar em seres humanos melhores. Busque lembrar disso todos os dias ok?…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Todas as nossas ações geram impacto

Por Isaias Costa

“Estamos todos ligados. Seja em que dimensão for, somos todos responsáveis uns pelos outros e essa é a primeira premissa para se descobrir a divindade que há em nós. Temos todos o mesmo dever, ser felizes e inspirar através dessa felicidade. Temos todos a mesma capacidade, mudar. Temos todos o mesmo poder, amar. E todas as nossas ações, independentemente da energia com que são feitas, vão gerar tomadas de consciência, vão semear a mudança e vão seguramente brotar de muitos corações autênticas centelhas de compaixão e amor. Nada do que possamos fazer é indiferente e tudo o que temos feito até hoje, queiramos ou não, tem tido um enorme impacto em nós, naqueles que nos rodeiam e no todo onde todos habitamos. Sejamos responsáveis. Sejamos divinos.”

Gustavo Santos

******

Achei maravilhosas as palavras do Gustavo Santos e resolvi compartilhá-las com você que me lê agora, principalmente como uma forma de lhe motivar a tomar ações mais conscientes e que gerem o bem para o maior número de seres, e quando falo seres, saiba que vai muito além dos seres humanos, estão incluídos os animais, as plantas, as florestas, os mares, os minerais etc. etc.

Todas as nossas ações geram impacto. Essa é uma verdade incontestável, ela inclusive carrega uma compreensão espiritual gigantesca. Nosso planeta e o universo inteiro são regidos por leis, e uma das leis mais implacáveis é a lei da atração. Nós atraímos aquilo que vibramos no nosso interior. Se carregamos uma série de medos, de inseguranças, de raivas, de melancolias, de apatias e por aí vai… nosso mundo externo vai só reverberar essa baixa vibração.

Da mesma forma, se internamente vibração amor, compaixão, empatia, compreensão, tolerância, serenidade etc. Nosso mundo também se refletirá de acordo com essa alta vibração. Tudo são escolhas e caminhos.

Agora de todo jeito, seja com sentimentos e ações elevadas, seja com sentimentos e ações mais grosseiras, sempre causamos impacto na vida das outras pessoas e vice versa, também somos impactados pelo que as outras pessoas emanam para nós. Mas lembra que eu comentei sobre a lei da atração? Tudo vai acontecendo como uma bola de neve que pode se transformar numa avalanche, que pode ser de ódio, rancor, mágoas, ressentimentos, tristezas, como também pode ser uma avalanche de amor, alegria, empatia, paz, contentamento.

Para um número gigantesco de pessoas parece tão fantasioso que podemos ter uma avalanche de alegria e amor que elas pensam que essa é a síndrome da “Alice no país das maravilhas”. Eu entendo demais quem pensa assim, porque eu mesmo já estive nesse lugar. Quando nossa vida está um caos, seja pelo marasmo, seja por causa das reviravoltas, das crises e tudo mais… nós ficamos meio cegos para as possibilidades infinitas que a vida nos proporciona para sermos felizes. E se não tomamos cuidado, vamos nos enfiando num buraco sem fundo até chegar no famoso “fundo do poço”.

Mas sabe de uma coisa legal? Até mesmo o “fundo do poço” é recheado de oportunidades de crescimento, de evolução, melhoria, aperfeiçoamento. Eu também já estive nesse lugar chamado “fundo do poço” e ele foi crucial para que eu mudasse o rumo da minha vida e fizesse o que faço hoje. Você jamais estaria lendo esse texto agora se eu não tivesse vivenciado esse caos imenso.

É muito bonito quando a gente percebe que ao se abrir pro novo, para compreender as coisas de uma outra maneira, simplesmente muitos “mestres” começam a surgir e nos mostrar esse novo universo de possiblidades. É mais uma vez desse impacto que estou falando! O que lemos, o que ouvimos, os lugares para onde vamos, as pessoas que vão surgindo, as oportunidades que vão aparecendo, tudo gera impacto, tudo! Que tal a gente escolher o que gere cada vez mais impacto positivo? Assim nossa vida será uma escalada sem fim para cada vez mais amor, alegria, compaixão, paz, contentamento etc.

Com esse breve texto não estou trazendo nenhuma novidade, estou apenas lhe relembrando que você tem poder, e esse poder está dentro de você. Tendo discernimento, buscando se conectar com a espiritualidade, seja de que vertente for, você será direcionado para cada vez vivenciar coisas maiores e melhores, assim podendo impactar positivamente muitas outras pessoas. Isso é o que mais desejo a cada um que entre em contato comigo de alguma maneira, até mesmo por aqui, virtualmente pelos textos do blog!

Sigamos juntos, escolhendo o amor e a felicidade sempre e cada vez mais…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Quando diminuímos o querer, o essencial nos preenche

Por Isaias Costa

“Aqueles que correm demais perdem a apreciação das paisagens. Aqueles que buscam demais não encontram. Até que decidam agir com naturalidade, sob a guiança serena da essência. Sem aguardar recompensas ou resultados. Acalmando a tensão dos opostos e a agitação da mente, alcançamos a reconciliação com a paz profunda do Eterno. Talvez o Caminho nos convide a fazer menos, para que as coisas se façam por elas mesmas. Somente o coração transparente e tranquilo pode nos apontar a melhor direção. Quando se cala o querer, o que nos sobra? O que é essencial.”

Felipe Rocha

********

Eu adoro ler os textos do Felipe na sua página do Instagram @xamanismoseteraios, porque eles sempre me levam a reflexões profundas! Aqui ele está trazendo essa grande verdade que foi amplamente ensinada pelo mestre Buda Gautama. O DESAPEGO.

Ele dizia que o sofrimento existe e a fonte de todos os sofrimentos está no APEGO e na IGNORÂNCIA. Se nos livramos dessas duas prisões, aí a nossa vida ganha um propósito maior e um sentido muito mais profundo.

É incrível o que ele fala sobre o buscar demais e não encontrar. Sim! A gente tem esse verdadeiro vício de buscar em tudo o que é material algo que preencha o nosso ser interior. Aí vem frustração em cima de frustração até que finalmente a gente se dá conta de que não é com coisas que preenchemos o nosso ser, ele é preenchido pelo sentimento de amor, que podemos ampliar para todas as instâncias da vida: amor pela saúde e integridade do corpo, amor pela família, amor pelos amigos, amor pelo trabalho, amor pela conexão espiritual etc.

Quando compreendemos que o amor é a chave que nos conecta com a nossa essência, paramos de correr tanto. Correr pra onde? Correr pra quê? A vida não é uma corrida! A vida é um presente dado por Deus ou o nome que quiser dar…

Cada dia é extremamente precioso, e cada dia vivido a partir do essencial é um dia que foi bem vivido, plenamente vivido! É isso o que eu cada vez mais quero para a minha vida e sempre que possível, levar essa mensagem para mais e mais pessoas!

Durante esses dois anos de pandemia muita coisa mudou na minha vida e tenho certeza que na sua também aconteceu a mesma coisa. Eu já tinha uma boa noção do que é o essencial na vida, e com esse movimento mundial de ficar em casa, eu mergulhei ainda mais na minha casa interior, no meu coração e percebi que, definitivamente, eu não preciso de tantas coisas assim no campo do material.

Percebo que o estilo de vida minimalista que já adoto há vários anos, está se tornando pouco a pouco mais comum no mundo todo, e é maravilhoso que isso esteja acontecendo, primeiro pelo que já expliquei, não são as coisas que nos preenchem o ser, e segundo, porque o nosso planeta já não aguenta mais tanta agressão que nós estamos imprimindo a ele todos os dias!

Com menos consumo é óbvio que o lixo produzido e as tranqueiras que levam décadas ou séculos para se desintegrarem, vão diminuir, assim como as desigualdades sociais consequentemente também.

Pode parecer meio utópico tudo o que estou trazendo, mas não é, é bem real! Está acontecendo todos os dias e cada vez mais. É um movimento sem volta.

Eu quero estar vivo e bem saudável para ver o nosso planeta com uma cara diferente. Com pessoas super felizes, realizadas, saudáveis, vivendo em plena abundância. Isso será a realidade do nosso planeta num futuro não tão distante. E você já sabe qual é o caminho que precisa seguir para atingir essa realização! Vamos juntos seguir pelo caminho da conexão com o nosso ser essencial?…

******

P.S. Breve podcast com reflexões a partir desse texto. Confira!!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O amor verdadeiro exige de nós maturidade e desapego

Por Isaias Costa

Quem ama trata de poupar ao máximo o amado de todo o tipo de fardo ou ônus. Tenta fazer sua vida a mais agradável e gratificante possível.

Quem ama tenta resolver seus problemas sozinho com o intuito de preocupar o mínimo possível o amado: conversam sobre tudo, mas sem cobranças.

Quem ama tenta minimizar seus problemas e suas dores para preocupar menos o amado: não os esconde, mas os trata de uma forma nada dramática.

Poupar o amado significa tentar resolver os próprios problemas antes de envolvê-lo: não é sinal de superproteção e sim de autossuficiência.

Ser uma pessoa capaz de carregar sozinha sua cruz a torna mais leve, companhia mais agradável e presença querida em qualquer ambiente social.

Flávio Gikovate

********

Com esse breve texto, o Gikovate está trazendo duas das maiores lições que todos nós devemos aprender nos relacionamentos, não apenas amorosos, mas nos relacionamentos como um todo, com amigos, família, parceiros de trabalho etc. Que são o desenvolvimento da maturidade e do desapego.

Somente com essas duas virtudes podemos passar para um nível elevado de alegria e satisfação na vida, o que corresponde ao amor verdadeiro.

Quem é verdadeiramente maduro não fica despejando suas insatisfações na pessoa amada como se ela fosse um depósito de lixo, porque sabe o quanto isso pode ser desgastante. Os momentos de silêncio e introspecção são fundamentais para adquirir essa consciência. Em vez de ficar numa pilha para falar sobre seus tormentos interiores com a pessoa amada, nós nos recolhemos para o que muitos até brincam ao chamar de “cantinho do pensamento”, aí com mais serenidade vamos percebendo que temos SIM a capacidade de resolver sozinhos os nossos perrengues.

Nessa hora muita gente pensa que essa atitude é egoísta. Não é verdade! Existem as resoluções que são resolvidas pelo casal ou pela parceria quando se trata de amigos ou vínculos de trabalho. Ok! Mas aqui estou falando das questões pessoais mais íntimas, como por exemplo: Eu estou em dúvidas se devo continuar trabalhando no mesmo emprego que já venho há muitos anos e estou perdendo o brilho em continuar naquela empresa. Esse tipo de decisão é como uma bomba se jogada nas mãos da outra pessoa entende?

O ideal é resolver com maturidade tudo isso, tomar uma decisão e só depois que a escolha estiver esclarecida, aí sim você compartilha com a outra pessoa!

No momento de dúvidas o máximo que devemos dizer é: “Amor! Eu estou questionando algumas coisas internamente em relação ao meu trabalho e tal. Mas fique tranquilo(a) que assim que tudo estiver mais claro você será a primeira pessoa a saber quais foram minhas decisões…”.

Percebe como que se age de uma forma mais madura? É simples, mas esse tipo de coisa só pode ser aprendida se vivenciarmos na prática do dia a dia o que estou dizendo aqui!

E como relação ao desapego o Gikovate está trazendo o lado da individualidade. Todos nós viemos ao mundo sozinhos e depois que morrermos vamos embora sozinhos também! Temos que ter a consciência de que a pessoa que se junta a nós está lá para compartilhar experiências e vivências conosco, e não para ser uma bengala, um muleta para nos apoiarmos e querer que ela resolva nossos pepinos!

O desapego é exatamente estar ao lado, mas apenas como um incentivo, sabendo que a outra pessoa tem todo o potencial necessário para resolver seus problemas.

Com essas duas questões bem resolvidas dentro de si, uau! O relacionamento certamente irá para outro nível de satisfação. Que talvez a palavra que melhor designa seja AMOR.

Vamos nos trabalhar para vivenciarmos o amor em toda a sua integridade?…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O melhor investimento que podemos fazer na vida

Por Isaias Costa

“A qualidade da perseverança que está além do surto inicial de entusiasmo é de um valor inestimável. A capacidade de continuar mesmo quando não é mais tão excitante e nada de mais está acontecendo interiormente é uma qualidade muito importante.

Em traduções antigas, às vezes usavam a palavra “virilidade” para a palavra sânscrita que estamos traduzindo como “esforço”, virya. […] O significado não é apenas entusiasmo, mas tem também esse sentido de levar adiante, como um corredor de maratona. Os maratonistas reservam muito de sua força para que possam continuar correndo, não gastam toda a energia nos primeiros mil metros, pois sabem que ainda têm quilômetros e quilômetros para percorrer. Assim, gerenciam a energia com muito cuidado e vão em frente, aprendem a respirar de maneira correta e a manter um ritmo de modo que possam ir adiante. A perfeição do esforço é essa qualidade de ser capaz de sustentar o ímpeto dia após dia, mês após mês, ano após ano.

A boa notícia é que, ao contrário do corredor de maratona, uma vez que possamos realmente começar a ver que a vida diária é o nosso campo de prática, e que tudo o que fazemos e cada encontro que temos é uma oportunidade para o desenvolvimento das nossas qualidades internas — bondade amorosa, compreensão, paciência, generosidade, abertura do coração —, começamos a desenvolver a qualidade da atenção plena ou consciência, e o ímpeto cresce, de modo que somos levados adiante.

Nossos dias se tornam mais e mais intensos e significativos. Quando isso realmente acontece, e sentimos que estamos no fluxo, por assim dizer, então estamos no caminho certo. Todo mundo tem dias melhores e outros não tão bons, mas, basicamente, se nossos dias são apenas rotineiros e sem brilho, é porque não compreendemos este ponto. Porque, se tomamos tudo o que fazemos como forma de cultivar o caminho passo a passo, momento a momento, como nosso dia poderia ser chato? Nossa compreensão do caminho acumula seu próprio ímpeto conforme praticamos, e nossas respostas se tornam mais e mais hábeis automaticamente.

A perseverança, nesse sentido, não é uma espécie de fadiga ofegante. Não é algo árduo. É algo que se autorrenova, momento a momento. Quando estamos no caminho certo, não precisamos gerar energia; a energia é gerada por si mesma porque estamos em equilíbrio. Isto é muito importante.”

Jetsunma Tenzin Palmo

**********

As palavras desta querida monja budista nos levam a grandes reflexões. Ela já começa trazendo uma palavra que eu adoro: PERSEVERANÇA. Pela sua raiz etimológica, essa palavra significa “por ser verdadeiro”. Ou seja, só podemos perseverar verdadeiramente em alguma coisa quando existe verdade no que estamos fazendo ou buscando. É o oposto da tão conhecida expressão “fogo de palha”, que faz uma pequena labareda, mas logo se apaga.

Essa analogia com as corridas de maratona é perfeita, porque precisamos ter internamente essa noção de que tudo é uma jornada, e uma jornada não dura apenas um dia e uma noite. Dessa forma, precisamos saber gerenciar a nossa energia para que ela não se esvaia com tanta facilidade e rapidez.

A desmotivação que sentimos muitas vezes vem daí, na falta de energia, porque estamos fisicamente ou emocionalmente esgotados.

Motivação e perseverança andam de mãos dadas. Aquilo que sabemos que é nossa verdade é um impulsionador para ações que tenham um motivo, um propósito maior por trás, e assim uma retroalimenta a outra. Quanto mais eu sustento essa minha verdade, mais robusta se torna a minha motivação!

Ela conclui esse texto de forma brilhante, dando essa super chave de consciência, para que não fiquemos buscando energia em algo que não seja uma boa fonte. A maior e melhor fonte de energia é ESTAR NO CAMINHO CERTO.

Inclusive muitos mestres até comparam o caminho certo com o nadar a favor da correnteza. Você dá uma braçada e a força da correnteza lhe ajuda a ir muito mais longe, sem um maior dispêndio de energia.

Estar no caminho errado é nadar contra a correnteza, você dá enormes braçadas e praticamente não sai do lugar, se cansa, fica esgotado, e acaba sendo empurrado pela correnteza no final das contas.

Eu amo essa analogia, porque ela me faz pensar nos mecanismos incríveis que a vida nos proporciona, que são as crises. Sempre que nos desviamos do nosso verdadeiro caminho, vem as crises, que podem ser no trabalho, na família, financeiras, ou doenças no corpo físico.

Essa dor lancinante nos faz parar e pensar: “Será que é realmente pra eu continuar seguindo por esse caminho?”.

É simplesmente incrível as curas físicas e a harmonia nos outros campos que volta a acontecer depois que nos realinhamos como nosso caminho e propósito maior. Muitas vezes essa reequilíbrio acontece em poucos dias!

Portanto! Pegue essa dica preciosa que a Tenzin Palmo e eu estamos compartilhando e viva a sua verdade. Pague o preço necessário para viver plenamente, feliz e realizado! Esse é o melhor investimento que podemos fazer na vida…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Que o permanecer seja uma escolha, e não uma obrigação

Por Isaias Costa

“Ao valorizar a família e o casamento eterno, na verdade o que desejamos são seres que fiquem. Porque somos inábeis em cultivar relações duradouras, apostamos na conexão sanguínea, que obriga a continuidade. Funciona como uma garantia: você é meu irmão, não há como me largar. “Você entrou para a família” é sinônimo de “Agora posso contar contigo”.

É muito mais raro nos posicionarmos de modo elevado para que isso surja com mais gente, então trocamos a grande família da humanidade por uma família que cabe em um churrasco. Isso explica a quantidade de relações nas quais ambos se agridem, mas nunca cogitam a separação — o outro só me atrapalha, mas ele volta pra casa há mais de 10 anos… onde vou achar outra pessoa permanente assim?”

Gustavo Gitti

******

Essas palavras do Gustavo Gitti são de uma profundidade impressionante. Infelizmente isso é o que mais acontece! Quando alguém se torna “familiar” ou porque já é da família ou porque se agrega a ela, não colocamos na cabeça que aquela pessoa pode sair da nossa vida a qualquer momento.

Não podemos jamais esquecer que as pessoas deveriam estar ao nosso lado por escolha e não por obrigação. Ninguém é obrigado a absolutamente nada! Porém, abusamos tanto da boa vontade dos outros que dessa forma muitos relacionamentos se tornam extremamente desgastantes e insossos!

A frase final dele é perfeita. Nas entrelinhas ele fala sobre o sentimento de solidão que eu sempre brinco utilizando a frase: “ruim contigo, pior semtigo”. Muita gente está infeliz ao lado do marido, esposa, namorado, namorada… Mas vem aquele pensamento de baixa autoestima: “Onde vou encontrar alguém melhor?”.

Claro! Com uma mentalidade dessa não vai encontrar mesmo alguém melhor nunca! Assim, muitos ficam só empurrando com a barriga relacionamentos que não são engrandecedores.

Eu penso que precisamos nos lapidar todos os dias, nos tornarmos pessoas mais agradáveis e conscientes, não pensando apenas nos outros, mas antes de tudo na gente mesmo.

Estamos nesse planeta para evoluirmos e se trata de uma jornada infinita. Sempre há algo mais a lapidarmos em nós! É como diz a velha expressão: “Somos obras inacabadas”.

Com essa consciência bem acesa em nós podemos ser pessoas muito melhores e assim quem de nós se aproximar vai escolher estar ao nosso lado e não ficar contando os minutos para ir embora… Pense sobre isso!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O poder transformador de uma terapia

Por Isaias Costa

“A minha educação emocional começou no fim da adolescência, quando vi a minha mãe quebrar todos os tabus da nossa família e começar a fazer terapia. A nossa família era como tantas que eu conhecia – implodíamos discretamente.

Estávamos no início da década de 1980 e por mais sombria e difícil que a situação se tornasse, nunca se discutia como estávamos nem o que sentíamos, até que a minha mãe começou a fazer terapia. Quanto mais curiosa ela se tornava a respeito da sua vida e dos seus sentimentos – e das nossas vidas e dos nossos sentimentos – pior a situação se tornava. As intermináveis escavações da dor e da mágoa pareciam não ter fim. Eu não tinha certeza se valia a pena. Mas minha mãe via esse reconhecimento emocional como uma situação de vida ou morte.

Então, contra todas as probabilidades, minha mãe começou a recuperar suas forças depois de uma longa e lenta queda que começou quando eu tinha cerca de 12 anos. Durante os anos seguintes, ela ia nos ensinando tudo o que aprendia na terapia, e essa pequena centelha deu início a uma transformação inextinguível na nossa família. Também deu origem a vários anos de desconforto e dor tremenda, e incinerou muito daquilo que conhecíamos – incluindo o casamento dos meus pais.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Comece 2021 com suavidade para poder florescer ao longo do ano

Por Isaias Costa

Estou escrevendo esse texto nos últimos dias de 2020, um ano extremamente desafiador para todos nós, devido à pandemia do coronavírus. Quero compartilhar nesse texto de fechamento do ano uma linda reflexão que li num livro chamado “O retorno à origem” de Lex Hixon, na qual ele compartilha as sabedorias das mais diversas culturas e religiões de forma simples e objetiva. Trata-se da sabedoria do taoísmo extraídas do livro “I Ching”. Confira!

“A saúde que retorna após uma doença, o entendimento que ressurge após uma discórdia, enfim, tudo o que está recomeçando deve ser tratado com suavidade e cuidado, para que o retorno leve ao florescimento.”

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

No Pós-pandemia, a regra será não trabalhar 8 h por dia

Por Isaias Costa

sp-falha-metro-estacao-se

Você já se perguntou por que de um modo geral as pessoas trabalham 8 h por dia? A História responde muito bem essa pergunta e o principal motivo está no consumo. Uma passagem de um artigo do escritor Mikael Cho explica resumidamente isso.

“Durante a Revolução Industrial, as fábricas precisavam funcionar dia e noite, de forma que os empregados desta época frequentemente trabalhavam entre 10 a 16 horas por dia.
De qualquer forma, nos anos 1920, foi Henry Ford, fundador da Ford Motor Company, que estabeleceu a semana de 5 dias e 40 horas.”

*****

O Ford era um cara muito mais inteligente e esperto do que se imagina. Ele percebeu que as pessoas que antes trabalhavam entre 10 a 16 horas chegavam em casa tão cansadas e fatigadas que não compravam tanto.

Em uma entrevista publicada na revista World’s Work, Ford explica porque ele tirou seus trabalhadores de uma semana de 6 dias e 48 horas de trabalho, para uma de 5 dias e 40 horas, ainda pagando o mesmo salário:

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized