Arquivo da tag: filmes

Alegre-se na companhia dos amigos

Por Isaias Costa

affection-and-affinity-1920x1080

Todos nós sabemos o quanto é importante termos amigos verdadeiros e o quanto estar na presença deles nos enriquece a vida e a existência.

Lendo algumas palavras do grande filósofo brasileiro Clóvis de Barros Filho refleti bastante sobre dividirmos nossos momentos de alegria com nossos amigos.

Inclusive, eu amo a etimologia da palavra COMPANHIA. Ela vem de COM (junto) + PANIS (pão), ou seja, companhia é você repartir o pão com alguém querido, é comer esse pão junto! Não é incrível?

E você? Tem muitos companheiros? Vamos refletir juntos a partir das palavras do Clóvis…

************

Deseje demais o que te faz falta porque a vida nunca vai ser boa na derrota e na frustração. Mas perceba que o desejo não basta. Permita-se a alegria.

Consiga se alegrar com o que você já tem. Sobretudo, perceba que depois de uma conquista alegradora, se você não tiver com quem comemorar, a sua alegria durará muito pouco. Morrerá instantaneamente asfixiada pela solidão. Por isso preocupe-se também em proporcionar a alegria de quem está em volta pra que a sua própria possa durar um pouco mais.

Clóvis de Barros Filho

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Ame! E tudo o que fizer estará certo

Por Isaias Costa

antes-que-termine-o-dia-foto-01

O amor é uma força que transforma a nossa vida e a relação que temos com toda a existência no momento em que de fato nos dispomos a pô-lo em prática.

Lendo o livro maravilhoso do Osho chamado “A semente de mostarda”, um trecho em especial me chamou a atenção nesse sentido e o transcreverei a seguir.

*******************

“Certa vez alguém perguntou a Santo Agostinho: “O que devo fazer? Não sou um homem instruído; por isso, responda-me com poucas e curtas palavras”.

Agostinho disse: “Nesse caso, há apenas uma coisa a ser dita: AME! E tudo o que fizer estará certo”.

Quando você ama, tudo está certo, é claro; mas se você não ama, então tudo está errado.

=> Clique aqui para ler o texto completo

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Desperte a criança no seu adulto

Por Isaias Costa

importancia-dos-pais

O estudo da Psicologia e da Psicanálise são ferramentas incríveis para que nós possamos educar os nossos filhos ou os professores eduquem seus alunos com muito mais sabedoria e discernimento.

Em uma aula no curso que estou fazendo nesse momento, um dos professores disse uma frase que me fez refletir bastante e compartilho com vocês para uma breve reflexão. Diz o seguinte:

“Para você despertar o adulto na sua criança, você tem que despertar a criança no seu adulto.”

Darlan Lima

Frase pequena, mas de mensagem forte e inspiradora!

É muito interessante a sua mensagem porque os adultos e as crianças vivem em universos absolutamente diferentes, mas que precisam se encontrar e ter harmonia.

A criança enxerga o mundo mais a partir do SENTIMENTO. Ela ainda não tem o EGO desenvolvido e forte. Daí a sua inocência. A malícia dos adultos está justamente porque eles são mais dominados pelo ego.

O adulto enxerga o mundo mais a partir do PENSAMENTO, pois o seu lado ID (instintual) foi controlado pelo EGO e pelo SUPEREGO, que vão se solidificando à medida que envelhecemos.

Basicamente é assim que acontece, a criança é mais instintiva, ela está conhecendo o mundo e ainda está aprendendo a ter suas primeiras impressões na vida. Porém, o adulto já passou por uma série de experiências e aprendeu a distinguir muita coisa, o bom do ruim, o certo do errado, o melhor do pior e por aí vai.

Na linguagem psicanalítica, essa distinção tem a ver com nossas LEIS, e essas leis é o nosso SUPEREGO, que é extremamente frágil nas crianças, entende?

Portanto! Com essa breve teorização, agora você está entendendo melhor essa frase inicial não é mesmo?

A criança aprende através do EXEMPLO dos pais muito mais do que com suas palavras. Nunca esqueça, elas funcionam a partir do sentimento e não dos pensamentos, porque o ego delas tem dificuldade de processar as informações como nós adultos!

Então, não são elas que tem que ser diferentes, somos nós que precisamos ENTRAR NO UNIVERSO DELAS.

Nós precisamos aprender a ser mais guiados pelo sentimento, aprender a equilibrar mais a razão com a emoção.

Você entende agora por que as crianças pequenas são tão apegadas à mãe, de um modo geral? Porque as mulheres normalmente são mais sentimentais do que os homens.

E você percebe o quanto as crianças começam a se identificar mais com o pai quando vão adentrando na adolescência? Por quê? Porque nesse período os adolescentes estão desenvolvendo o lado mais racional, predominante nos homens.

O que existe é a chamada PROJEÇÃO DE PERSONALIDADE. Que pela Psicologia, de 0 a 7 anos, a criança absorve mais o que aprende da mãe, e de 7 a 14 anos absorve mais o que aprende do pai.

Por isso que é tão importante ter uma figura masculina na educação. Muitos distúrbios, transtornos, medos, fobias etc. surgem porque a criança não teve a figura do pai muito presente, e ele é fundamental para que ela possa crescer e se tornar de fato adulta.

Interessante essas teorias, não é mesmo? Mas eu espero que você não leia esse texto apenas para adquirir conhecimentos técnicos. Eu desejo que você de fato busque despertar a sua criança interna. Como Isaias? Oras! Autoconhecimento! Quanto mais você se conhece, mais essa criança interna irá desabrochar.

Se você está lendo esse texto mostra que você busca esse autoconhecimento. Continue se aprimorando, que você e todos os seus filhos vão agradecer por isso! Ah, e a sociedade também, por tabela, afinal, você vai se tornar alguém melhor com o autoconhecimento, logo a sociedade vai melhorar com a sua melhora!

E para continuar refletindo sobre esse tema incrível, sugiro que você assista ao lindo documentário “O começo da vida”, que fala sobre a beleza de ser pai e mãe e saber do papel fundamental na construção do caráter e da personalidade dos pequenos.

451869

É um filme emocionante que mostra a realidade do Brasil e de vários outros países. Aprendi muito com ele e acredito que você também vai aprender muito ao assisti-lo…

“Para você despertar o adulto na sua criança, você tem que despertar a criança no seu adulto.”

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O “start” consciencial

Por Isaias Costa
5086312_m
Eu sou apaixonado pelo estudo da mente humana e já me deparei com as teorias e conceitos de diversos pesquisadores. Outro dia estava refletindo bastante sobre os nossos saltos de consciência, que quando acontecem, ampliam a nossa visão de mundo. Nesse pequeno texto vou viajar pelos pensamentos e alguns pensadores. Vamos viajar?

Esse título do texto é apenas um dos milhares de nomes que podemos dar para os nossos saltos de consciência, “start” consciencial. Existem muitos outros como “virada de mesa” ou mesmo “insight”.

O mais interessante de tudo é que esses insight acontecem de forma diferente e num tempo diferente para cada pessoa. Como estudo Psicanálise, hoje tenho bem mais consciência de que esses insights dependem de uma série de fatores para acontecer. Vou resumi-los para que você entenda de maneira simples e objetiva.

Nós temos o consciente, o subconsciente e o inconsciente. O inconsciente preenche em torno de 90 a 95% da nossa psique, ele registra tudo que nos acontece desde a nossa concepção no útero materno até o dia da nossa partida, isso desconsiderando as teorias de regressão à outras vidas, que complexifica ainda mais tudo isso.

Para que elevemos a nossa consciência, é preciso que conteúdos do inconsciente sejam de certa forma levados para o subconsciente, para então se tornarem conscientes. Portanto, todo processo terapêutico tem essa finalidade, fazer com que a pessoa mude chaves do seu SUBCONSCIENTE. Tudo começa daí!

As mudanças só se tornam efetivas e verdadeiras quando essas chaves do subconsciente se tornam conscientes e a pessoa não tem mais qualquer tipo de sofrimentos, dores, amarguras emocionais envolvidas com algo específico. Esse processo recebe o nome de “start” consciencial, elevação da consciência, “insight“, e por aí vai!

Eu acho interessante o fato de que para algumas pessoas, adquirir consciência é mais fácil e rápido do que para outras, e cada vez mais eu vejo isso. Aqui colocarei duas visões bem diferentes, mas bastante enfáticas e reflexivas. Uma delas é a do Budismo, que tomei conhecimento através da querida Monja Coen. Ela conta que existe uma parábola oriental que fala sobre os 4 cavalos, o 1º se movimenta apenas vendo a sombra do chicote, o 2º quando recebe uma leve chicotada, o 3º quando a chicotada machuca a pele, e o 4º apenas quando a carne é rasgada e atinge os ossos.

O 1º seriam as pessoas mais sábias, que aprendem apenas com observação do comportamento dos outros e distinguem o certo do errado, o bom do ruim. O 2º são as pessoas que se esforçam para serem melhores e estudam, se dedicam para isso, mas dão uns “vacilos” aqui e ali! O 3º são os “teimosinhos” de plantão, que precisam levar umas chibatadas da vida, e o 4º são as pessoas que gostam de sofrer e se alimentam do sofrimento a vida inteira. Não há nada de errado em ser qualquer um dos 4 cavalos, mas o ideal é que consigamos crescer em consciência para não sermos o 4º cavalo, como tanta gente infelizmente acaba optando por ser, não é mesmo?

E você, seria qual dos 4 cavalos? Faça essa breve reflexão hoje!

O “start” consciencial nesse caso, seriam as chicotadas e através delas o caminhar entende? No fim, todos caminham e evoluem, uns mais rápido e outros mais devagar.

Outra visão muito bonita é a do pai da Psicanálise “Sigmund Freud”. Ele tem uma teoria chamada “Compulsão à repetição”, que nos seus livros é colocado com linguagem rebuscada e científica. Vou explicar de modo bem simples para você. Veja só!

A compulsão à repetição são comportamentos autodestrutivos que se repetem de forma inconsciente, porque a pessoa se prende aos ganhos secundários de determinada atitude. O sofrimento se repete e a pessoa entra num círculo vicioso por causa disso. Nessa teoria pode-se colocar praticamente todos os vícios e seus gatilhos.

Vou deixar apenas um exemplo e sugerir um filme que exemplifica bem isso. Uma mulher conhece um homem, se apaixona e acaba transando com ele na primeira noite, no dia seguinte o rapaz não quer mais saber dela e já está interessado em outra mulher. Ela sofre demais com isso e se amargura com esse sentimento. Porém, quando menos espera já está fazendo a mesma coisa com outro homem e tudo se repete. Esse é um caso clássico de compulsão à repetição.

Existe um gatilho para que essa situação se repita: conhecer um homem, se apaixonar e transar com ele na primeira noite.

Uma forma simples de mudar esse padrão seria não transar com o homem na primeira noite, pois assim ela seria vista como uma mulher qua não se entrega tão facilmente assim aos encantos e conquistas de um homem. Ela mudou o gatilho e dessa forma mudou seu destino, entende? A compulsão acaba com essa mudança consciente! De forma semelhante se dá o vício em comer demais, em fumar, em beber e por aí vai! É simples não é? Essas são as teorias freudianas em linguagem leiga.

Nesse caso o “start” consciencial se deu com a mudança dos gatilhos emocionais! E assim houve uma mudança de comportamento.

OK! O nome do filme que traz esse exemplo que eu dei se chama “Os homens são de Marte e é pra lá que eu vou”. Uma comédia romântica muito legal. Recomendo fortemente que você assista!

O mais legal é quando nós tomamos consciência dos nossos processos internos, sabe? É aquela hora que a gente diz com vontade!:” Ahhhhhhhhhh! Agora eu entendi…”. E abre aquele sorriso! rsrsrs

O que faço com meus textos é isso. Trago informações preciosas que ajudam nessas mudanças de chave do SUBCONSCIENTE. E quando cada pessoa está no momento certo de ler e aprender ela fala essa frase incrível aqui em cima. Não é bacana? Esse é o “start” consciencial!

Que você tenha milhares de “starts” ao longo da sua vida e se de alguma forma eu contribuir com isso, maravilha. Fico feliz com isso!

Muito sucesso na sua vida…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma nova visão da palavra gentileza

Por Isaias Costa

gentileza55d5009305661

Eu gosto muito de conhecer as raízes das palavras e de vez em quando gosto também de fazer associações a partir delas!

Outro dia tive um insight bem simples que venho compartilhar com você! Espero que goste!

Trata-se da palavra GENTILEZA.

O significado desta palavra no dicionário diz o seguinte: qualidade ou caráter do gentil/ ação nobre, distinta ou amável.

Essa palavra quer dizer bem isso mesmo. Mas veja só que associação bacana pode ser feita com ela!

GENTILEZA = GENTE + LEZA = GENTE + LEVEZA = Gente que age com leveza

Não é bacana? Para ser gentil de verdade, um pré-requisito é a LEVEZA. Você já viu uma pessoa rude, grotesca, ser gentil? É bem raro de ver! Às vezes até acontece, mas elas não despertam um sentimento de GRATIDÃO nos receptores, sabe?

Eu já conheci diversas pessoas que até são gentis, mas agem de uma forma meio agressiva, e isso faz com que as pessoas que foram ajudadas não respondam com tanta amorosidade!

Então, sabendo disso e observando bem o comportamento e reações das pessoas, eu cada vez mais estou buscando ser gentil e ao mesmo tempo me comportar com amorosidade, pois desta forma, as pessoas que foram ajudadas, até mesmo inconscientemente, agem com GRATIDÃO e começam uma CORRENTE DO BEM.

Elas levam o bem para outras pessoas e esse bem só cresce e cresce! O amor meus amigos! É aqui que está toda a chave de transformações. E o amor, para ser amor mesmo, só pode vir com LEVEZA, por isso esse jogo de palavras ser tão bacana e coerente!

Até já falei uma vez em um texto na fanpage do blog. Quando você age com gentileza, é bem provável que receba como resposta a palavra OBRIGADO, que só existe na língua portuguesa. Veja só! Ela sugere que ao receber uma gentileza, você fica tão feliz que se sente “obrigado” a retribuir!

Portanto! Essa é uma palavra poderosíssima. Ao dizer “obrigado” é como se você dissesse: “Nossa! Isso foi tão bom pra mim que eu preciso passar adiante…”.

Não é bacana? Nessa hora você já está construindo a corrente de bem, que tenderá a crescer cada vez mais e se tornar mais forte!

Aproveito a deixa para sugerir esse filme que não canso de assistir de tão bom que é. Ele é antigo, mas sua mensagem sempre será atual, o filme “A corrente do bem”. Um filme que fala sobre a GENTILEZA do começo ao fim!

Espero que tenha gostado dessa breve reflexão e você busque essa leveza que vem através do AMOR, e que assim essa gentileza acabe gerando mais gentileza! Como diria o profeta das ruas do Rio de Janeiro!

Para continuar refletindo, nada melhor do que a linda música da querida Marisa Monte inspirada nesse sábio profeta falecido em 1996…

 

 

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Deixa eu te ver destranque a porta

Por Isaias Costa

tumblr_m48nopRhsJ1qgczzko1_500

Já falei neste blog que um dos livros que mais me impactou na vida se chama “Arrancar máscaras! Abandonar papéis”, do John Powell.

Esse livro foi um divisor de águas na minha vida porque depois da sua leitura percebi que quando a gente tem a coragem de arrancar as nossas máscaras e viver pelo coração, surge a maravilhosa possibilidade de se viver intensamente, em todos os setores da vida.

Se você ainda não leu esse livro, recomendo fortemente! Ele carrega em cada palavra diversas chaves de mudança do subconsciente, basta ler com abertura de coração e de mente.

Arrancar máscaras! Abandonar papéis!

Nesse texto vou fazer uma pequena interpretação de uma das mais lindas canções da banda Catedral, chamada “A resposta de um desejo”. Abaixo estão o link da música com a letra completa…

Se um de nós errou sem ter como saber que tudo
Que podia então viver não foi miragem nem uma
Ilusão comum, bobagem
Se um de nós errou em ter que negar tudo que
Sentia preso no olhar faltou coragem uma
Atitude de verdade

Deixa eu te ver destranque a porta
Nosso sentimento é o que importa
Pra você eu dei minha resposta
Meu desejo, meu desejo.
Deixa de mistério e vem sem medo
Vou te revelar os meus segredos
Matar a saudade do teu beijo
Vem responde, meu desejo.

*************

Apesar de curta, a letra dessa música é muito profunda e acontece na vida real bem mais do que a gente imagina.

O compositor quis dizer que para um amor existir de forma profunda entre um casal, não pode haver máscaras que criem um muro de separação, entende?

Existem diversos relacionamentos que se deterioram ou mesmo se encerram por isso, porque um dos dois, ou mesmo os dois, insistem em usar máscaras como um mecanismo de proteção ou por medo.

Na Psicologia é bastante utilizado o termo SOMBRA. À medida que a intimidade e a profundidade do relacionamento aumenta, a pessoa acaba sendo levada até às suas sombras.

Elas são representadas na música como uma porta trancada. Então ele diz:

Deixa eu te ver destranque a porta
Nosso sentimento é o que importa
Pra você eu dei minha resposta
Meu desejo, meu desejo.
Deixa de mistério e vem sem medo
Vou te revelar os meus segredos
Matar a saudade do teu beijo
Vem responde, meu desejo.

Essas portas trancadas só podem ser destrancadas através do processo de AUTOCONHECIMENTO e também da certeza de ser apenas um eterno aprendiz nessa vida. Todos nós temos inúmeros defeitos, e ter a coragem de admiti-los e também dizer a si mesmo: “Eu vou me trabalhar para melhorar nisso, nisso e naquilo outro…”, faz absolutamente toda a diferença…

Fazendo isso, você pouco a pouco vai destrancar essa porta e viver pelo coração.

Esse revelar de segredos que a música fala é a revelação das IMPERFEIÇÕES. Quanto mais você se mostra alguém simples e humilde, alguém que ainda tem muito que aprender ao lado da outra pessoa, isso gera um encanto que faz o amor ser bonito de ser vivenciado.

Mas muitas vezes isso não acontece, porque você fecha a porta, não fala dos seus sentimentos mais profundos, não abre o coração!

E sem fazer isso, o relacionamento não consegue sair do superficial para o estado de ENTREGA. Essa é uma palavra difícil de ser compreendida na prática!

Se os casais realmente se trabalhassem as emoções para atingirem esse estado de ENTREGA, garanto a você que o número de rompimentos de namoro e casamentos seria muito menor, porque não haveria nenhum motivo para qualquer separação, sabe?

O estado de entrega é o estado no qual você VIVE O HOJE INTENSAMENTE, como se fosse o último dia da sua vida.

Para entender como é isso, recomendo um filme especial chamado “Antes que termine o dia”, inclusive até já escrevi sobre ele lá no comecinho do blog! O link está logo abaixo…

Antes que termine o dia

Não é fácil atingir esse estado, mas é possível, e muitos acham quase impossível devido a tão famosa correria do dia a dia, com milhões e milhões de responsabilidades!

O segredo para sair dessa correria é ter uma vida autêntica e que seja guiada pelo coração, pois dessa maneira, em todos os setores da vida você vai estar feliz, e assim, não terá a menor possibilidade de estragar um relacionamento.

A música fala: faltou CORAGEM e uma atitude de VERDADE.

Coragem é aquilo que vem do coração e verdade também é. Só se chega à verdade pelo coração!

E a negação pelo olhar dita na música é impossível de ser disfarçada. Por quê? Porque os olhos são a janela da alma!

Os olhos sempre mostram o que sentimos de verdade. Se é amor, eles demonstram isso. Mas a outra pessoa só vai conseguir sentir isso se você for verdadeiro, ou seja, se você estiver guiado também pelo coração.

Percebe como é profunda a mensagem dessa música? Provavelmente era isso que o Kim queria transmitir ao compô-la!

Espero que tenha gostado da reflexão e que você busque destrancar as portas do seu coração através do AUTOCONHECIMENTO caso elas ainda estejam fechadas…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Human: Um documentário fascinante

Por Isaias Costa

12064466_451821898334679_636567955_n

Nesse texto não vou escrever muito pelo fato de saber que minhas palavras são insuficientes para falar sobre a qualidade imensa do documentário HUMAN, que fala sobre inúmeros problemas vividos pela humanidade colocado a partir da visão de pessoas comuns de diversas nacionalidades.

Veja só algum dos temas tratados nesse documentário:

  • Sociedade capitalista;
  • Diversidades culturais;
  • As diversas religiões e a visão de cada uma por pessoas desconhecidas;
  • Relatos de pessoas que participaram de guerras;
  • Relatos de pessoas que foram molestadas, injustiçadas, colocadas à margem da sociedade;
  • O sofrimento dos homossexuais frente à sociedade extremamente preconceituosa;
  • As políticas que privilegiam os mais ricos em detrimento dos mais pobres…

Há muitos outros temas tratados nesse documentário, que foi dividido em três partes e podem ser assistidas na íntegra no youtube.

Ao final do texto, deixarei o link dos três vídeos para que você o assista ou coloque nos seus favoritos.

O que me deixou encantado nesse filme foi as expressões dos rostos das pessoas que foram entrevistadas. É possível a gente sentir um pouco da dor que muitos dos entrevistados vivem, por causa da verdade contida nas suas palavras.

É impossível assistir a um documentário como esse e não se sentir tocado por ele. Esse filme toca nas maiores feridas que perduram há séculos na nossa sociedade e que precisam de um ponto final.

Eu quero fazer parte do grupo das pessoas que vão colaborar para a criação de um novo mundo mais justo, humano, amoroso e pacificado. E assistir a documentários maravilhosos como esse me ajuda a manter esse olhar compassivo e amoroso para com os mais necessitados.

Espero que esse filme lhe faça bem tanto quanto fez a mim. Fique à vontade para comentar e falar sobre as suas impressões sobre ele. E aproveite também para sugerir ao máximo de pessoas possível que também o assistam…

Uma das falas desse documentário…

“A forma como vivemos e nossos valores são a expressão da sociedade na qual vivemos. E a gente se agarra a isso. Não digo isso por ser presidente do Uruguai hoje. Pensei muito sobre isso. Passei mais de dez anos na solitária. Tive tempo… Em sete anos nem sequer li um livro. Tive muito tempo para pensar. E descobri o seguinte: ou você é feliz com pouco, com pouca bagagem, pois a felicidade está em você, ou não consegue nada. Isso não é a apologia da pobreza, mas da sobriedade. Só que inventamos uma sociedade de consumo… e a economia tem de crescer, ou acontece uma tragédia. Inventamos uma montanha de consumos supérfluos. Compra-se e descarta-se. Mas o que se gasta é tempo de vida. Quando compro algo, ou você compra, não pagamos com dinheiro, pagamos com o tempo de vida que tivemos de gastar para ter aquele dinheiro. Mas tem um detalhe: tudo se compra, menos a vida. A vida se gasta. E é lamentável desperdiçar a vida para perder a liberdade.”

Mujica

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Você se tornou uma “pessoa grande”?

Por Isaias Costa

o-pequeno-principe

Já falei inúmeras vezes aqui no blog sobre um livro que marcou minha vida e certamente a de milhões de pessoas no mundo todo, estou falando do livro “O pequeno príncipe”.

Quando soube que o livro tinha sido adaptado para um filme com uma abordagem mais moderna e atual, nem pensei, corri para o cinema assistir.

Assisti a esse filme neste último final de semana e ele me emocionou muito. Adorei a genialidade do produtor em associar esse livro ao estilo de vida completamente enlouquecido das pessoas no mundo de hoje, voltadas para o trabalho e para o materialismo.

Esse filme faz uma crítica severa ao CONSUMISMO e ao EGOÍSMO da maior parte das pessoas, em querer tudo só para si e trabalharem de forma doentia.

Voltei para casa pensando muito da questão de SER ADULTO, ou como diria o Exupéry, ser uma “pessoa grande”.

No filme, essas palavras são adaptadas e ditas da seguinte maneira: “O problema não é se tornar adulto, é deixar de ser criança…”.

Essa frase revela o que muitos tem se transformado, em máquinas de trabalhar e por causa disso deixaram de ter o brilho nos olhos como as crianças e o desejo de desbravar a natureza, o conhecimento e se aprofundar no que deveria ser o essencial, os relacionamentos interpessoais.

Tanto os que já leram esse livro quanto os que nunca leram, certamente já ouviram a sua frase mais famosa: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.”

Esse filme retrata essa frase tão linda e profunda com muita sensibilidade. O pequeno príncipe viajou pelos planetas diversos à procura de um amigo e um dos planetas que ela visitou foi a Terra, onde fez uma amizade verdadeira e profunda com uma raposa, a personagem que fala essa frase.

tlp_stills_5

As pessoas no nosso mundo atual estão completamente voltadas para enxergar apenas com os olhos da matéria, os olhos físicos, e estão perdendo essa dimensão da SENSIBILIDADE, para enxergar aquilo que é mais simples, que toda criança consegue ver com tanta facilidade.

Nós precisamos resgatar essa criança que nunca deixou de existir, ela só está adormecida.

Esse é outro detalhe muito bem colocado nesse filme. A garotinha encontra o pequeno príncipe da estória, porém, ele havia se transformado numa “pessoa grande”. Ela, com toda sua inocência, fez com que ele se lembrasse de que era o pequeno príncipe e precisava voltar para o seu planeta e para a sua querida rosa.

Todos nós podemos nos lembrar de quem éramos quando crianças, quais eram os nossos anseios e sonhos, e o que foi mudando na gente ao longo dos anos que fez com que esquecêssemos que um dia fomos crianças.

Portanto. Essas poucas palavras são apenas para lhe instigar a assistir esse filme que é uma verdadeira obra de arte e que você busque resgatar essa criança tão doce e sonhadora que existe em você, talvez obscurecida por uma vida cheia de obrigações de “pessoa grande”.

Nunca esqueça: “O problema não é se tornar adulto, é deixar de ser criança…”.

E para terminar, compartilho uma das músicas mais bonitas da banda “Os Paralamas do Sucesso”, que foi inspirada neste livro, preste bastante atenção na letra e você vai perceber, trata-se da música “Busca Vida”

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Nós temos medo da nossa luz

Por Isaias Costa

1477959_502507093196932_1055387790_n

Farei nesse texto uma breve reflexão sobre algumas palavras geniais do grande Nelson Mandela, um ser humano mais do que especial, que deixou um legado eterno para a humanidade. Leia com bastante atenção…

*********

“Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes. Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta. Nos perguntamos: “quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?”. Na verdade, quem é você para não ser tudo isso? Bancar o pequeno não ajuda o mundo. Não há nada de brilhante em encolher-se para que as outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você. E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo.”

Nelson Mandela

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O amor é o tecido do universo

Por Isaias Costa

yjumumujmjm.JPGtyjtyjyj-519x321

Eu admiro profundamente o físico Albert Einstein, porque ele era muito mais do que um cientista, ele tinha espiritualidade e uma intuição digna de uma mente iluminada.

Recentemente li uma carta que ele escreveu a sua filha falando sobre seu sentimento de amor por ela e levando a reflexão para um campo bastante filosófico e metafísico.

Suas palavras tocam fundo no nosso coração e acredito realmente nelas. O amor é o tecido que compõe esse universo tão vasto e tão misterioso.

Aproveito esse texto para sugerir um dos melhores filmes que foram lançados no ano de 2014 e que me fez refletir bastante sobre a dimensão do amor, trata-se do filme “Interestelar”.

É um filme longo, mas pela beleza da estória e das imagens, você nem percebe o tempo passar. O tema central desse filme é o AMOR. O personagem principal viaja em outras dimensões da galáxia e se distancia da sua família. Essa distância o deixa muito triste e saudoso, principalmente da sua filha, que ele tinha um carinho especial.

O filme mostra um encontro magnífico que acontece entre eles através da abertura de um portal através do amor que liga os dois. Assista! Tenho certeza que você não vai se arrepender.

interestelar1

E se quiser, aproveite para compartilhar esse lindo texto do Einstein com alguém que você ame muito e tenha essa conexão cósmica de amor…

*********************

O amor – Por Albert Einstein

Quando propus a teoria da relatividade, muito poucos me entenderam e o que vou agora revelar a você, para que transmita à humanidade, também chocará o mundo, com sua incompreensão e preconceitos. 

Peço ainda que aguarde todo o tempo necessário — anos, décadas, até que a sociedade tenha avançado o suficiente para aceitar o que explicarei em seguida para você.

Há uma força extremamente poderosa para a qual a ciência até agora não encontrou uma explicação formal. É uma força que inclui e governa todas as outras, existindo por trás de qualquer fenômeno que opere no universo e que ainda não foi identificada por nós.

Esta força universal é o AMOR.

Quando os cientistas estavam procurando uma teoria unificada do Universo esqueceram a mais invisível e poderosa de todas as forças.

O Amor é Luz, dado que ilumina aquele que dá e o que recebe.
O Amor é gravidade, porque faz com que as pessoas se sintam atraídas umas pelas outras.

O Amor é potência, pois multiplica (potencia) o melhor que temos, permitindo assim que a humanidade não se extinga em seu egoísmo cego.

O Amor revela e desvela.
Por amor, vivemos e morremos.

O Amor é Deus e Deus é Amor.

Esta força tudo explica e dá SENTIDO à vida. Esta é a variável que temos ignorado por muito tempo, talvez porque o amor provoca medo, sendo o único poder no universo que o homem ainda não aprendeu a dirigir a seu favor.

Para dar visibilidade ao amor, eu fiz uma substituição simples na minha equação mais famosa. Se em vez de E = mc², aceitarmos que a energia para curar o mundo pode ser obtido através do amor multiplicado pela velocidade da luz ao quadrado (energia de cura = amor x velocidade da luz ²), chegaremos à conclusão de que o amor é a força mais poderosa que existe, porque não tem limites.

Após o fracasso da humanidade no uso e controle das outras forças do universo, que se voltaram contra nós, é urgente que nos alimentemos de outro tipo de energia. Se queremos que a nossa espécie sobreviva, se quisermos encontrar sentido na vida, se queremos salvar o mundo e todos os seres sensíveis que nele habitam, o amor é a única e a resposta última.

Talvez ainda não estejamos preparados para fabricar uma bomba de amor, uma criação suficientemente poderosa para destruir todo o ódio, egoísmo e ganância que assolam o planeta. No entanto, cada indivíduo carrega dentro de si um pequeno, mas poderoso gerador de amor, cuja energia aguarda para ser libertada.

Quando aprendemos a dar e receber esta energia universal, Lieserl querida, provaremos que o amor tudo vence, tudo transcende e tudo pode, porque o amor é a quintessência da vida.

Lamento profundamente não ter sido capaz de expressar mais cedo o que vai dentro do meu coração, que toda a minha vida tem batido silenciosamente por você. Talvez seja tarde demais para pedir desculpa, mas como o tempo é relativo, preciso dizer que te amo e que a graças a você, obtive a última resposta.

Seu pai,

Albert Einstein

Link: Carta de Einstein à sua filha Lieserl

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized