Arquivo da tag: morte

Não adianta lutar contra a morte

Por Isaias Costa

vida-morte

Esse é o tipo de texto que muitos só de olhar o título já se espantam e nem sequer clicam para saber do que se trata. É impressionante como em pleno século XXI, falar sobre o tema da morte seja ainda um tabu tão grande.

A você que embarcou na leitura desse texto, dou meus sinceros parabéns, você faz parte um grupo seleto de leitores que se diferenciam dos demais, parafraseando um professor muito querido de Matemática que me ensinava na época da escola, o mestre Pedro Evaristo.

O que me inspirou a escrever esse texto foram as sábias palavras do místico oriental Osho extraídas do belíssimo livro chamado “O livro do viver e do morrer”, que recomendo fortemente a todos. Vamos às suas palavras…

Continuar lendo

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A sua dor é importante para as outras pessoas

Por Camila Santana

1-atmdrqn8Tgw5R7jBJSSTEQ

É com grande alegria que compartilho com todos vocês o primeiro texto da minha querida amiga Camila Santana aqui no blog! Nesse texto ela levanta uma interessante reflexão extraída da conhecidíssima série “13 reasons why”.

Que sua contribuição com o blog suscite em cada  leitor reflexões sobre a vida e o autoconhecimento! Seja muito bem-vinda Camila!

**********************

Quero expressar minha opinião sobre a série mais comentada do momento: “13 Reasons Why”, disponibilizada pela Netflix no dia 31 de março de 2017.

A série aborda diversos temas como: suicídio, bullying, estupro entre outros que sempre estão em nossa realidade, mas a maioria insiste que não são assuntos pra serem comentados, portanto, sempre desviam.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A vida faz troça dos nossos deveres autoimpostos

Por Isaias Costa

2016022500352782835

Um dos grandes mestres da humanidade que muito me ensina e inspira é o mestre Yogananda. Farei uma breve reflexão sobre o quanto a maioria de nós se impõe deveres que muitas vezes são apenas fruto do ego exacerbado.

A seguir estão algumas palavras dele repletas de sabedoria, extraídas do seu livro “Jornada para a autorrealização”, que se você ler com bastante atenção, pode lhe ajudar a dar o melhor de si sem querer se envaidecer nem se exigir além da conta. Confira…

***************

“A vida é totalmente impiedosa e faz troça dos deveres autoimpostos. Os compromissos e esforços para satisfazer os desejos, mesmo os meritórios, são instantaneamente cancelados quando chega a morte. Por que dar tanta importância à vida? No entanto, você tem que se manter ocupado mesmo assim; mas não esqueça que a vida é só uma peça. Represente bem o seu papel, mas com o pensamento em Deus. Cumpra seus deveres porque quer agradá-lo. Fugir dos deveres não o salvará, pois não é isso que Deus quer. Ele Próprio está sempre ocupado, administrando o universo em nosso benefício.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Alegrias tristes e tristezas alegres

Por Isaias Costa

felicidade-tristeza

A grande maioria das pessoas têm uma tendência a enxergar as coisas de uma forma muito limitada e reducionista, por diversos motivos, mas o que acredito ser o principal deles é a falta de autoconhecimento.

Quando falamos em felicidade, o mais comum é pensar que ela é algo para ser buscado. O engano já começa daí, porque a felicidade não se busca, pois ela é um estado do ser. Da mesma forma que a infelicidade bate à nossa porta muitas vezes de forma que não podemos mandá-la embora.

De um modo geral fazemos algumas associações bastante reducionistas, como associar felicidade com alegria e infelicidade com tristeza, o que, se você observar com um pouco mais de atenção e detalhamento, muitas vezes não se verifica.

É possível SIM, estar feliz em momentos de tristeza, assim como estar infeliz em momentos de explosão de alegria e gozo.

Quero levar você a refletir junto comigo sobre essas sutilezas a partir de alguns exemplos.

Digamos que você desenvolveu algum vício como bebidas alcoólicas em excesso, drogas, sexo, exageros de comidas, compras etc.

De um modo geral, os vícios são a prova de que há conflitos internos na pessoa, de que ela em algum setor da vida está infeliz, e o vício é uma tentativa de preencher esse vazio que foi construído ao longo do tempo.

Em muitos desses casos, a pessoa se sente alegre, mas está profundamente infeliz, portanto, existe uma tristeza envolvida.

Eu posso ficar extasiado ao puxar um baseado, ou beber uma garrafa de uísque. Posso ficar muito zen fumando maconha, posso achar que sou o cara mais felizardo do mundo porque consigo transar com várias garotas, ou porque tenho a possibilidade de comprar tudo que quiser, porque a conta bancária do meu pai é “sem fundo”.

Em todos esses exemplos e muitos outros existe um vazio difícil de ser preenchido, vazio este que seria maravilhoso que a pessoa buscasse algum tipo de terapia, não importa qual seja. Hoje em dia, com o acesso ilimitado à internet, existem materiais incríveis e gratuitos, que podem lhe ajudar a mergulhar fundo no autoconhecimento. Esse próprio blog, está repleto de textos profundos e reflexivos, cabe a você ter a curiosidade de ir além do agora, como o próprio nome do blog sugere…

Esses são apenas alguns exemplos de alegrias tristes.

Da mesma forma que existem tristezas que por detrás carregam uma alegria absurda.

Um dos melhores exemplos são os lutos de relacionamentos amorosos. Você se sente como se o mundo fosse acabar, como se o chão fosse retirado e você caísse num abismo sem fim. Mas essa é uma dor e tristeza terapêutica, porque faz com que você retire de si uma ILUSÃO, é como sempre gosto de dizer: a desilusão é uma benção, uma dádiva. E você pode ler com mais profundidade nesse texto [aqui].

Você chora dias seguidos, fica um “bagaço”, como se costuma dizer, mas depois que você espreme toda a dor e desse bagaço não sobra mais nada, começa a surgir uma pessoa muito mais forte, muito mais consciente, muito mais viva e muito mais desejosa de ter um novo relacionamento cheio de novas vivências e experiências.

Existe uma alegria muito frutuosa nessa tristeza, que infelizmente são poucos os que conseguem enxergar. Estou com esse breve texto levando você a refletir um pouco mais sobre esse tema lindo e universal que são os relacionamentos amorosos.

Aproveito também para compartilhar um áudio bem bacana que gravei para falar exclusivamente sobre o luto nos relacionamentos amorosos. Vale a pena conferir…

Outro exemplo interessante são as pessoas que tiveram doenças gravíssimas e que tiveram que ficar meses ou mesmo anos prostradas numa cama com a certeza de que nunca mais poderiam sair dali. Elas sofrem imensamente e as famílias mais ainda porque precisam dividir a responsabilidade do cuidado entre várias pessoas e em alguns casos recai a responsabilidade sobre uma única pessoa, que passa a viver em função da que está doente.

Em muitos desses casos, quando a pessoa desencarna, há logicamente um luto pela morte da pessoa, mas ao mesmo tempo vem uma profunda alegria por saber que todo o sofrimento que ela vivia foi cessado pela morte.

Esse é um exemplo perfeito de alegria triste. A tristeza vem, mas carregada pela alegria de saber que a outra pessoa não está mais sofrendo. A felicidade e a infelicidade se misturam de uma maneira linda e inexplicável.

Portanto! Que a partir desses poucos exemplos, você aprenda que não podemos ser reducionistas e simplistas para falar sobre o tema profundo da felicidade e da infelicidade.

Essa é uma temática que cabe muito bem a conhecida frase de Shakespeare: “Há mais mistérios entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia”.

Pense com carinho sobre tudo isso a aprenda com as alegrias tristes e tristezas alegres a ser uma pessoa cada vez melhor e mais consciente…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Quem é o seu porto seguro?

Por Isaias Costa

barcos-no-fim-de-tarde

Tenho refletido bastante sobre uma expressão que é extremamente utilizada pelas pessoas que criam muitos apegos e dependências emocionais das outras, a expressão “porto seguro”.

Quero lhe levar a refletir junto comigo sobre isso: Quem é o seu porto seguro?

A expressão “porto seguro” é sinônima de APEGO e DEPENDÊNCIA. Quando alguém diz isso está indiretamente querendo dizer que não consegue viver sem algo ou alguém a quem considera esse porto.

Vou citar alguns exemplos. Tem pessoas que colocam seu porto seguro no patrimônio financeiro, o que é extremamente vazio, porque caso elas venham a perder esse patrimônio, perdem também o sentido da vida, correndo um sério risco de entrarem em depressão ou até mesmo se suicidarem.

Outras colocam seu porto seguro no trabalho, o que quase sempre representa uma válvula de escape, porque não conseguem dar a mesma importância aos outros setores da vida, então criam uma verdadeira fixação ao trabalho, e o resultado de tudo isso é um desequilíbrio total! Com a perda do emprego, vai junto o sentido da vida…

Outras colocam o seu porto seguro na família, em amplo sentido, os pais colocam nos filhos, os filhos nos pais, os pais nos seus próprios pais, netos nos avós, sobrinhos nos tios etc etc… É uma concepção bem inocente essa de que os familiares são um porto seguro, porque não são! Qualquer um pode morrer a qualquer momento, e se alguém morre, seu apego fará com que seu luto seja estendido por anos a fio. É isso que você quer para sua vida? Nessa hora recordo o que já disse no começo. DESAPEGO, é preciso desapegar…

Outras colocam o porto seguro no relacionamento amoroso, seja namoro, seja casamento. Esse é mais um “barco furado” porque, como sempre digo, não existem garantias no que se trata de relacionamentos, só existem garantias em objetos eletrônicos e móveis, nunca em relacionamentos, porque a outra pessoa pode ter “n” motivos ou maneiras de sair da sua vida, seja por uma separação, seja porque se desinteressou, seja porque morreu etc. Um número imenso de pessoas considera o cônjuge seu porto seguro. Não as condeno, porém, deixo aqui esse alerta. Essa decisão é bastante arriscada, porque o sofrimento gerado por uma ruptura desse relacionamento também pode levar anos a fio ou fazer você “entrar em parafusos”…

Existem também as pessoas que colocam seu porto seguro na igreja, em Deus, ou nas figuras que representam os fundadores das religiões como Jesus Cristo, Buda, Krishna, Lao Tsé etc.

Pelo fato de estarmos no Brasil, país de maioria cristã, é comum ouvir pessoas dizerem: “Jesus é tudo na minha vida. Não vivo sem ele! Ele é a razão da minha existência…”. São palavras lindas eu sei. Eu amo Jesus Cristo de todo meu coração, mas essa frase carrega em si um APEGO a figura de Jesus, que pode estar presente apenas em espírito, nunca como uma pessoa física presente ao seu lado entende? Então na hora da SOLIDÃO, quando você precisa de verdade de um ombro pra chorar, de um ouvido para lhe ouvir, de um abraço para se aconchegar, o que o porto seguro Jesus ou religião poderá lhe fazer nessa hora, hein?

Um porto é onde os navios ficam estalados, é algo físico, não pertence a esfera da fé ou do transcendente. Então colocar seu porto seguro nas religiões ou em Jesus talvez não seja algo tão perfeito como alguns insistem em dizer…

Mas em quem eu vou colocar meu porto seguro Isaias? Não tenho opções! Você já citou tudo o que imaginei? Será? Você não está esquecendo de nada?

Seu porto seguro pode ser VOCÊ! Já pensou nisso?

Se o seu porto seguro for você, não haverá apegos excessivos nem tanta dependência emocional das outras pessoas. Os familiares podem morrer e você terá um luto no tempo considerado normal, seu relacionamento pode terminar e você não entrará em depressão, você pode mudar de religião, de crença e não perderá seus princípios, pode falir sua empresa, pode mudar de emprego, pode perder todo seu patrimônio e você se reerguerá, porque sabe que tudo é transitório, não existe nada fixo nem nada permanente, como tão sabiamente nos diz o Buda e seus seguidores.

Estou aos pouquinhos exercitando isso e tendo progressos. Meu porto seguro sou eu mesmo, não quero colocar esse peso em cima de ninguém. É um peso muito grande sabia? Ninguém tem a obrigação de ser o seu porto seguro, isso pode gerar uma sobrecarga enorme!

Talvez você pense! Mas essa é uma concepção muito egoísta? Afinal, somos seres gregários, precisamos uns dos outros? Sim! Entendo essa forma de pensar, mas uma coisa é precisarmos uns dos outros, outra bem diferente é DEPENDERMOS delas para sermos felizes e termos um sentido mais profundo em nossas vidas. Eu até falei um pouco sobre isso em um áudio no soundcloud, a diferença entre dependência, independência e interdependência. O ideal é sermos interdependentes. Se quiser ouvir, segue o link abaixo!

Enfim! Essa é minha sugestão. Fique livre para acatá-la ou não! Mas em minha opinião, você ser seu próprio porto seguro lhe dará mais recursos para desenvolver o amor próprio, a autoconfiança e elos de amor bem mais profundos e espiritualizados. Pense sobre isso com carinho…

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

É morrendo que se vive para a vida eterna

Por Isaias Costa

7

Já escrevi em textos passados sobre a profundidade dos ensinamentos contidos na oração de São Francisco. Seus ensinamentos não cabem em um único texto, então resolvi escrever algumas delas em textos separados.

Nesse texto, farei uma reflexão a partir da última frase: “É morrendo que se vive para a vida eterna”. O significado desta frase é bem diferente do que muitas pessoas pensam e do que a visão religiosa tem feito nas últimas décadas.

A interpretação mais comum dada a essa frase é sobre o CÉU, pelo fato de boa parte da população brasileira ser católica. Esse morrer é a morte do corpo físico e a vida eterna é o paraíso no céu. Sinto dizer, mas essa não é a mensagem real desta frase, e é sabendo disso que estou escrevendo esse texto, para lhe ajudar a promover mais consciência.

O real significado desta frase tem a ver com o nosso EGO, a morte colocada é a morte do ego. E a vida eterna é a consequência real da mudança após essa morte do ego. Não é incrível? Vou explicar com mais detalhes.

Todas as frases desta oração fazem um contraponto entre as posturas sábia e ignorante, e o intuito é que cultivemos as virtudes que elevem o nosso espírito e nos ajudem a desenvolver a sabedoria.

Infelizmente, por causa principalmente da nossa cultura Ocidental, nós não fomos orientados quanto à morte. Eu, porém, que sempre gostei de ler e conhecer as grandes sabedorias, procurei também compreender os processos relacionados com a morte. A maior sabedoria que podemos desenvolver ao longo da vida para ter uma boa morte é diminuir a força do ego sobre nós o mais cedo possível.

O ego, quando não bem trabalhado, nos afasta da nossa essência. E matá-lo, no bom sentido, é o que nos auxilia a conquistar o paraíso aqui mesmo na Terra. Ao trabalharmos o nosso equilíbrio para que a consciência tome o lugar do ego, nós passamos ter a chamada “vida eterna” colocada nesta oração.

Esta vida eterna é a LUZ que dissipa as trevas.

Outra ideia bacana é que esta oração é dividida em duas, na qual a segunda tem uma sequência de frases que fala sobre as virtudes que devem ser cultivadas para que conquistemos essa sabedoria. E todas as frases da primeira parte fazem uma ligação com a segunda.

A frase da primeira é: “Onde houver trevas que eu leve a luz”, e da segunda é a que já coloquei.

A luz dissipa as trevas da nossa inconsciência, ou seja, ela gera consciência, e quanto maior a consciência, maior também a sabedoria de vida.

O morrer da oração de São Francisco é a luz projetada na inconsciência, transformando em consciência, e a partir da consciência ter uma vida eterna, ou seja, uma vida plena em todos os campos da vida. Eu acho isso incrível…

Para concluir, quero lhe levar a pensar nisso. O ideal é que consigamos o quanto antes matar o ego, para que não seja preciso ocorrer a morte física e depois da morte, imaginar que haja essa vida eterna. Todo o universo vai vibrar essa positividade e evolução ao acontecer essa mudança com cada indivíduo do planeta.

Busque se aprofundar no autoconhecimento e ler os escritos dos estudiosos das religiões e textos sagrados. Eu tenho feito isso há vários anos e são essas leituras que têm me inspirado a escrever com essa visão diferente da que a maior parte das pessoas está acostumada.

Portanto, que a partir de hoje, você busque aplicar esse conhecimento na sua vida. Ilumine a sua consciência, para que você mate o seu ego e conquiste a vida eterna…

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Conselhos para ter uma morte pacificada

Por Isaias Costa

051

Falar sobre a morte quase sempre assusta as pessoas, mas eu não entendo porque temos tanto medo de uma coisa tão natural e certa na vida de qualquer ser humano. Eu aprendi a ver a morte com olhos bem mais profundos e sei que ela faz parte da vida, ela está completamente interligada com a vida e, por incrível que pareça, dá mais sentido a ela.

A certeza da morte dá sentido à vida

Hoje compartilho algumas palavras do mestre Dalai Lama dando conselhos de como ter uma morte pacificada:

“Tendo a pensar a morte como sendo uma mudança de roupas quando elas estão velhas e usadas, ao invés de um final definitivo. Ainda assim, a morte é imprevisível: não sabemos quando ou como vai acontecer. Por isso é sensato tomar certas precauções antes que ela aconteça de fato. Naturalmente, a maioria de nós gostaria de ter uma morte pacífica, mas também é claro que não podemos esperar morrer pacificamente se nossas vidas forem cheias de violência, ou se nossas mentes tiverem sempre agitadas por emoções como a raiva, o apego ou o medo. Então se desejamos morrer bem, devemos aprender como viver bem: esperando por uma morte pacífica, devemos cultivar paz em nossa mente e em nosso modo de viver”.

Eu amei estas palavras e vi o quanto elas são verdadeiras. A morte é IMPREVISÍVEL, ela pode nos pegar de surpresa, pode vir quando menos esperamos. Então, sabendo de sua imprevisibilidade, penso ser de suma importância a prática da serenidade, a busca pela verdadeira felicidade, o cuidado com a mente, com a saúde do corpo, o cultivo de amizades verdadeiras, a busca por uma espiritualidade etc. Tudo isso pode nos ajudar a ter mais HARMONIA e, consequentemente, mais saúde, equilíbrio, paz de espírito…

Estas palavras simples do Dalai Lama são postas em prática por um número muito pequeno de pessoas, o que é uma pena, pois seguir esses conselhos pode nos ajudar a ter uma qualidade de vida muito maior. É impressionante o que ele fala sobre os nossos pensamentos! Eu sempre falo que a  nossa vida é resultado dos nossos pensamentos, daquilo que nutrimos diariamente. Se nutrimos bons pensamentos, alegria, amor, compaixão etc, isso se refletirá na nossa vida como um todo, e seguindo desta forma até a velhice, certamente teremos uma morte mais pacífica.

Aquelas pessoas que passam a vida inteira guardando mágoas, raivas, rancores, ódios, acabam morrendo doentes fisicamente e cheias de arrependimentos. Elas passam meses ou mesmo anos sofrendo antes de partir. Isso é triste, mas ao mesmo tempo completamente evitável. Para evitar esse destino, basta buscar aquilo que já citei anteriormente, não é tão fácil, mais é extremamente recompensador, tanto para si, como para os outros. Eu sou bem jovem, mas desde cedo procurei nutrir bons pensamentos, amar e ser amado, construir bons relacionamentos, boas amizades etc. Tenho certeza que continuando assim por toda a vida, muito provavelmente terei uma morte pacífica…

Busque colocar em prática esses ensinamentos tão simples e ao mesmo tempo tão profundos. Seguindo tais conselhos, a nossa vida ganhará um enorme salto de qualidade e a nossa morte será uma divina passagem para o desconhecido… Pense sobre isso…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Ser UM é bem diferente de ser O

Por Isaias Costa

Ninguem-e-insubstituivel-um-sentimento-por-dia

Nesses dias estava refletindo bastante sobre um tema que não é tão falado por aí, muito menos aprofundado, porque ele acaba ferindo profundamente o EGO das pessoas, talvez seja por isso que não é frequentemente abordado, a AUTOIMPORTÂNCIA.

O que vem a ser essa autoimportância? É aquele comportamento típico de pessoas muito orgulhosas, que acham que são importantes demais naquilo que fazem, que ninguém faz o que elas fazem sem que fique bom do mesmo jeito, são aquelas pessoas que às vezes chegam a se “descabelar” porque ficaram doentes e tiveram que se ausentar do trabalho por esse motivo, são aquelas pessoas que acham que as coisas tem que ser feitas apenas do jeito delas e se os outros tentarem fazer de outra maneira não vai dar certo etc. etc.

Você conhece alguém com essas características? Eu conheço várias, e vou lhe dizer uma coisa, elas sofrem pra caramba, muitas vezes não são felizes de verdade e o pior, acabam adoecendo com muita facilidade e depois ficam culpando Deus e o mundo pelas suas doenças.

Então estou escrevendo esse texto com esse objetivo, para lhe dizer que você é apenas UMA pessoa, e a não A pessoa, a salvadora da pátria que precisa fazer um monte de coisas ao mesmo tempo e que sem você, o mundo vai acabar, rsrsrsrs!

Gosto até de brincar com as palavras do filósofo Mario Sergio Cortella, que também fala muito sobre essas pessoas nas suas palestras pelo Brasil afora. Ele costuma dizer isso aqui:

“Vou falar agora uma coisa impressionante. Calma! Fique tranquilo! Sabe o que é? Você vai morrer! E eu também! Já pensou?”.

Ele sempre fala essas palavras rindo! Eu acho isso tão bonito sabe? Pois é! Você vai morrer, já pensou nisso? E você sabia também que se você ficar achando que é importante demais e aquilo que você faz jamais será feito bem por outra pessoa que lhe substitua, sinto lhe dizer meu amigo, você vai morrer mais cedo ainda, você vai abreviar a sua vida na Terra. É isso que você quer?

Esse é um texto bem simples, mas ele é quase um tratamento de choque para as pessoas que têm esse problema. Parece que eu estou é vendo as pessoas do outro lado da tela. Para quem compreende que a autoimportância é algo que não precisa de exageros, esse texto é lido e compreendido bem facilmente, mas para quem tem isso, vixe! Elas começam logo com essa frase: “Não é bem assim não! Ele tá exagerando…”.

Estou exagerando? Será que estou?

Agora eu vou falar para você sobre um conhecimento incrível que venho estudando há quase dois anos, trata-se da LINGUAGEM DO CORPO e METAFÍSICA DA SAÚDE. Um estudo amplo e complexo.

Segundo esses estudos, as pessoas que acham que são insubstituíveis e que são importantes demais naquilo que fazem, todas elas, sem exceção, estão com um desequilíbrio em um CHACRA importantíssimo no nosso corpo, o chacra que fica no topo da cabeça, chamado de CHACRA CORONÁRIO.

Todos os nossos 7 chacras são importantíssimos, se qualquer um deles estiver desequilibrado, nós ficamos doentes, mas nesse texto tratarei apenas de doenças relacionadas ao chacra coronário.

Assim como qualquer outra doença e nível de desequilíbrio, temos os sintomas leves, moderados e graves. Vou enumerar abaixo os principais.

=> Sintomas leves

  • Dor de cabeça;
  • Cansaço;
  • Mal estar;
  • Enxaqueca;
  • Caspa;
  • Coceira (principalmente na cabeça…);

=> Sintomas moderados

  • Estafa física;
  • Sono excessivo;
  • Irritabilidade;
  • Estresse;
  • Taquicardia;
  • Pressão alta;
  • Derrames do olho (devido ao aumento da pressão e estresse)

=> Sintomas graves e gravíssimos

  • Derrame cerebral ou AVC;

E por fim! A MORTE

Depois de toda essa abordagem sobre esse tema, será que você acha que eu estou brincando? Pois é! Isso é muito sério.

Quero deixar claro que são muitos os sintomas possíveis e as reações no corpo variam de pessoa para pessoa, OK?

Esta é a linguagem do corpo, sinalizando para cada um de nós aonde está o nosso desequilíbrio, só resta entender esses sinais e agir para que a saúde seja restabelecida.

Sabe qual é o maior e melhor remédio para essa autoimportância excessiva? A HUMILDADE! É você ter a plena convicção de que é só mais uma pessoa, é apenas um ser humano tentando fazer o melhor possível, tentando acertar e que erra muito o tempo todo. Qual o problema em errar? O problema é não fazer nada, esse é o problema, mas com certeza não é o caso de você que me lê agora.

Saber que o que estamos fazendo pode ser feito muito bem por outras pessoas é absolutamente LIBERTADOR. Acredite!

Aqui existe uma palavra que gosto muito e todos os grandes líderes a tem entranhadas em suas mentes. DELEGAR! Aprenda a delegar tarefas! Aprenda que se você tiver muitas coisas para fazer, a melhor maneira é dividir com as pessoas que trabalham com você, esse também é outro exercício de humildade.

Ao fazer isso, você está dizendo para si mesmo e para os outros “Eu preciso de você. Posso contar com você?”.

Percebe como isso é lindo?

Portanto! O recado está dado. Ao exercitar essa humildade, seu organismo responderá com saúde, lhe devolvendo uma saúde de criança de 5 anos de idade. Esse é meu desejo para você! Que seja muito feliz e tenha muita saúde.

E logicamente, com esse exercício da humildade, pouco a pouco você vai equilibrando o seu chacra coronário, e assim, a paz de espírito começará a desabrochar em você. E com a paz de espírito, pronto! Sua vida vai mudar completamente, você se tornará uma pessoa muito mais agradável, boa de se conviver e ter amigos por perto. Você atrairá muito mais pessoas para si e consequentemente, será muito mais feliz.

Está vendo como é simples? Tudo que estou falando aqui pode ser exercitado e dá resultados bem rapidamente, só depende de você!

Enfim, nunca esqueça!

Ser UM é bem diferente de ser O…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Eu posso morrer a qualquer momento

Por Isaias Costa

ceu-6

Já falei em conversas e também no facebook que admiro profundamente o papa Francisco e uma frase dita por ele enquanto esteve no Brasil em 2013 na Jornada Mundial da Juventude me refletir bastante, reflexão que me inspirou a escrever esse texto.

Em um dos dias que ele esteve no Rio de Janeiro, ele visitou a favela da Rocinha e na ocasião uma pessoa lhe perguntou:

 – Papa Francisco! O senhor não tem medo de andar nesta favela?

E ele respondeu:

– Medo do quê? Eu posso morrer a qualquer momento! Posso morrer aqui ou posso morrer em qualquer outro lugar. Estou preparado para a morte…

Nestas poucas palavras estão guardadas uma imensa sabedoria de vida, fé e sentimento profundo de amor, que explicarei brevemente a você nas próximas linhas.

Nós temos muito medo de viver plenamente. Nossa vida não tem problema nenhum e sempre inventamos problemas a partir da nossa mente tão barulhenta.

O que leva qualquer ser humano a sentir MEDO é a sua mente. Guarde essas palavras. SEMPRE o que leva uma pessoa a sentir medo é a sua mente.

O caminho para pouco a pouco deixar de sentir medo e se entregar completamente à vida é deixar de ser dominado pela mente.

Existem diversos caminhos, mas digo a partir da minha própria vivência. Não acredito que exista forma melhor que a meditação para isso. Quando buscamos meditar e aquietar a nossa mente, passamos a sentir a vida e o momento presente com muito mais intensidade, e essa mudança de perspectiva nos deixa muito mais atentos e preparados para vivenciar qualquer coisa com serenidade e paz.

É algo absolutamente fantástico e até um tanto difícil explicar em um texto curto como esse. É preciso experimentar para ver os resultados acontecerem na vida. Portanto! Esse é o meu principal intuito com esse texto. Busque alguma forma de meditação e você se voltará muito mais para o momento presente, sentindo a maravilhosa beleza da existência.

O papa Francisco sem sombra de dúvidas é um homem meditativo, sua paz e serenidade provam isso muito facilmente. Por isso ele disse estar preparado para a morte.

Agora vou falar para você uma coisa que, se você entender de verdade e acolher no mais profundo do coração, sua vida dará um enorme salto de qualidade e você atingirá um grau de paz e serenidade muito maior do que imagina.

É sobre a lei da atração. Nós sempre atraímos o que vem da nossa mente. Nossos pensamentos têm o poder de determinar como será a nossa vida. Se eu penso o tempo todo que posso ser assaltado, que alguém pode me fazer de refém, que alguém está tentando roubar meu carro, que minha casa não é segura etc. Provavelmente, mais cedo ou mais tarde alguma dessas coisas vai acontecer, e não foi por má sorte ou azar. Nada disso! Foi porque atraímos esta situação, entende?

Já se eu busco o tempo todo sentir um amor profundo por mim mesmo e por todos os seres. Se procuro ser uma presença luminosa em qualquer lugar que venha a adentrar. Se eu olho para o meu irmão carente na rua, olho nos seus olhos e sei que ele é meu irmão, que somos parecidos, que sofremos as mesmas dores, que teremos o mesmo destino… Essa energia maravilhosa tomará conta de nós de uma forma que nos tornamos um corpo luminoso e a possibilidade de acontecer o que descrevi agora a pouco é muito menor, algo que tende a zero.

O papa Francisco é uma dessas pessoas. Ele irradia amor, compaixão, solidariedade, paz, desapego, condolência etc. Como alguém pode fazer algum mal a alguém tão iluminado? Como?

Ainda tem mais. E essa informação quase ninguém fala, mas eu falo porque sinto isso. Nunca li isso em nenhum livro ou manual. Sei disso porque é uma verdade que só se explica pelo coração. Preste atenção!

As pessoas que moram em favelas têm um lado intuitivo muito, muito mais avançado do que as pessoas que moram nos bairros nobres. O sofrimento por eles vivido diariamente os leva a acessar o coração muito mais que as outras pessoas. E o engraçado é que eles nem se dão conta da intuição aguçada que têm.

Quando eles veem alguém desconhecido se aproximando. Eles sentem a pessoa. Eles simplesmente observam seus gestos e comportamento. Se for uma pessoa do bem, como um papa Francisco ou qualquer outra comprometida com o amor, eles não fazem nenhum mal. Por quê? Por um motivo muito simples. Eles sentem IGUALDADE.

Esta é outra palavra que você precisa gravar, IGUALDADE.

No fundo na mente deles vem um pensamento mais ou menos assim: “Aquele cara é diferente. Não é pedante como os outros. Sabe nos respeitar. Olha nos nossos olhos. Não se sente superior…”.

E assim, de maneira muito simples e sem argumentos avançados, cria-se uma harmonia, cria-se um sentimento bom de pertencimento, de unidade.

Eu sinto isso meus amigos. Tudo que falei nesse texto é real. É assim que acontece. É uma pena que são tão poucas as pessoas preparadas para ler um texto como esse e acolher no mais profundo do coração.

Sei que dentre os que lerão, apenas uma minoria vai acolher e experienciar na própria vida. Você acredita no que eu coloquei aqui?

Eu estou procurando fazer como o papa Francisco. Preparando todos os dias o meu coração para morrer a qualquer momento. Sei que isso pode acontecer, mas sei também que vivendo no amor, exalando esse amor por todos os lugares que for. A possibilidade de isso acontecer de maneira trágica é muito menor.

Jesus dizia a todos: “Orai e vigiai, pois não sabeis nem o dia nem a hora…”

Nenhum de nós sabe. Então, porque ter medo? O destino de todos nós é o mesmo. Todos nós morreremos e podemos ter uma vida mais feliz através desta consciência da finitude.

Enfim. Há muito mais a ser dito e explorado em relação a esse tema.

Em resumo, tudo que quis dizer foi: AME! Apenas ame.

Se você for um ser que ama, tanto faz se você está na favela da Rocinha, ou no Japão, ou até mesmo na Síria. Seu coração estará em paz e feliz…

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Mantenha vivo o que é importante

Por Isaias Costa

pularr4r

Outro dia li uma frase extremamente profunda do teólogo, músico, filósofo e médico Albert Schweitzer que me fez refletir sobre o destino que damos à nossa vida, sobre as escolhas que fazemos e de que forma conseguimos ser relevantes. Abaixo está a frase…

“A tragédia não é quando um homem morre. A tragédia é aquilo que morre dentro de um homem enquanto ele ainda está vivo…”.

Albert Schweitzer

Ela pode nos levar a uma reflexão importante e que considero necessária, pois a morte atinge a todos nós, e o que muda entre alguém que se tornou relevante para alguém que não se tornou é a caminhada, as escolhas, as decisões tomadas ao longo da vida.

=> Clique aqui para ler o texto completo.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized