Arquivo da tag: Parábolas

A verdade é uma pedra preciosa

Por Isaias Costa

presente

Esses dias eu ouvi uma palestra maravilhosa com a filósofa e professora da Nova Acrópole Lúcia Helena Galvão, na qual ela falava sobre a importância da GENTILEZA na vida. Com ela nos tornamos seres humanos muito mais prósperos, felizes e realizados.

Num determinado trecho ela conta uma estorinha muito linda para ilustrar o que é ser gentil na hora de contar alguma verdade para alguém.

****************

Havia um rei que em determinada noite teve um sonho e acordou meio perturbado por causa dele. Daí chamou seus conselheiros para que o interpretassem.

Quando veio o 1º conselheiro e o rei contou o sonho ele disse.

– Nossa! Mas que sonho terrível majestade! Esse sonho diz que o senhor vai ver todos os seus parentes e entes queridos morrerem…

Continuar lendo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Só seremos felizes quando todos nós formos como jardins

Por Isaias Costa

Keukenhof Gardens - Holanda

Jardim Keukenhof Gardens na Holanda

Eu amo ler as crônicas do mestre Rubem Alves e me encanto com a poesia contida nas suas palavras e reflexões. Muitos não sabem, mas ele era um excelente jardineiro, só não transformou isso em um ofício empregatício. Cultivava plantas diversas no jardim que havia em sua casa.

Na sua crônica “O jardim”, ele explora a beleza imensa contida nos jardins e farei uma reflexão bem existencialista a partir delas. Se prepare para uma bela viagem…

*********

Jardim é paraíso. E paraíso é felicidade. Plantar um jardim é afirmar a confiança de que estamos destinados à felicidade. Pois é isso que significa jardim, que nada mais é que uma tradução do paradisus latino e do paradeisos grego. Palavras que, por sua vez, se derivam do pérsico antigo pairadeiza, que quer dizer “espaço interno fechado”.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Breve estória Zen sobre honestidade e justiça

Por Isaias Costa

ftw-940x-honestidade.fw_

Recentemente conheci uma estorinha Zen muito bonita e profunda em ensinamentos. Eu a conheci ouvindo as palestras incríveis da filósofa Lúcia Helena Galvão, professora da escola de Filosofia Nova Acrópole de Brasília.

A estória resumidamente diz mais ou menos assim…

**********

Havia um mosteiro com diversos discípulos e estava passando por grandes dificuldades financeiras. Ao ponto de a qualquer momento terem que fechar o mosteiro devido às dívidas.

O mestre parecia não estar preocupado com tudo isso e continuava sua rotina normalmente, com suas meditações e seu típico silêncio, o que de fato faz parte da tradição Zen.

Seus discípulos se reuniram com ele e disseram:

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A metáfora do barco vazio

Por Isaias Costa

serenidade-1

Estamos vivendo, não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro, tempos de uma INTOLERÂNCIA que beira o absurdo. Tem momentos que chego a duvidar que os seres humanos sejam de fato racionais e tenham esta como grande característica que diferencie dos outros animais.

Observo a forma harmoniosa que os animais vivem, sem os famosos três venenos que tão bem são trabalhados no Budismo: ganância, raiva e ignorância. E nessa hora, se eles pudessem entender a nossa fala, diria o seguinte: “Perdoem a nossa ganância, raiva e ignorância sem limites…”.

Essa é uma parte da chamada oração do arrependimento, que aprendi com a querida Monja Coen. Só ela, sendo colocada na prática da vida diária, já faria maravilhas por todos nós. Essa oração completa diz: Todo carma prejudicial alguma vez cometido por mim desde tempos imemoriáveis devido os três venenos: ganância, raiva e ignorância sem limites. Nascidos da minha boca, corpo e mente. De tudo eu me arrependo…”.

Quero com esse texto levar você a refletir junto comigo sobre a possibilidade de vencer principalmente o veneno terrível da RAIVA, a partir das lindas palavras do mestre Osho, extraídas do livro “O barco vazio”.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A metáfora das Cisternas e Fontes

Por Isaias Costa

cisternas-1

Eu sou fã de carteirinha do mestre Rubem Alves e ler os seus livros tem me ajudado a ser um professor melhor e um ser humano melhor. A forma simples que ele conseguia transmitir grandes ensinamentos me encanta e faz perceber que a famosa frase do Leonardo da Vinci é a mais pura verdade: “A simplicidade é o último grau de sofisticação”.

Li um texto no qual ele falava sobre as pessoas cisternas e as pessoas fontes. Confira!

******************

William Blake foi um poeta inglês a quem aconteciam aforismos. Disse «aconteciam» porque aforismos são como relâmpagos. Acontecem. Iluminam repentinamente o céu vindos não se sabe donde. Como os relâmpagos, com um poder para rachar rochas. Hoje um dos seus relâmpagos aconteceu: «As cisternas contêm; as fontes transbordam.»

«Cisternas» são buracos que se fazem na terra para guardar a água da chuva. São muito úteis em regiões áridas onde a chuva é rara e os rios não correm.

A água que a cisterna contém não brota dela. É um outro que a põe lá.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Nós temos muito a oferecer

Por Isaias Costa

140220114075031

Esses dias eu li um texto muito lindo e profundo de um escritor que admiro muito, que é o Gustavo Gitti! Sua forma simples e poética de escrever cativa quem tem sensibilidade logo nas primeiras linhas.

Era um texto falando sobre as infinitas possibilidades que temos de oferecer e não de simplesmente sugar dos outros!

Segue abaixo esse texto na íntegra, leia-o com bastante atenção e sem nenhuma pressa ok?

*****************

Oferecer – Gustavo Gitti

Quando você for para o trabalho, para a faculdade, para uma balada, não vá com uma postura de buscar algo, conseguir algo, sugar algo do local ou das pessoas. Vá para oferecer, vá para gentilmente entregar às pessoas as qualidades de sua simples presença. Ofereça qualquer coisa. Um olhar profundo já é muito hoje em dia. Vá para os lugares e apenas treine olhar tudo com um olhar de abismo. Muitas pessoas precisam só disso: serem olhadas, contempladas suave e lentamente, reconhecidas em sua manifestação mais sutil, tocadas de alguma forma e conectadas com um outro que as transcende e reacende o mistério que as faz viver. Continuar lendo

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A metáfora do gelo derretido

Por Isaias Costa

wallpaper-coracao-de-gelo-derretendo-104

Esses dias estava ouvindo um programa de rádio que gosto muito chamado “Momento Zen”, com a Monja Coen, pela Rádio Mundial, e no programa ela falou uma coisa muito interessante e que me inspirou a escrever o texto que você lê agora.

Ela falava que se nós levamos um calorzinho, por menor que seja, do nosso coração para as outras pessoas, poderemos derreter muitos corações que estão frios e tristes!

A partir dessas lindas palavras dela eu criei essa simples metáfora do gelo derretido. Veja só que legal!

Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

O velho, o menino e o burro

Por Isaias Costa

o-velho-o-menino-e-o-burro-matraca-10-10-11

Outro dia eu li uma estorinha muito interessante e engraçada que me fez refletir bastante sobre a questão de QUERER AGRADAR A TODOS e APRENDER A LIDAR COM AS CRÍTICAS. Segue a estorinha abaixo:

**************

Um velho resolveu vender seu burro na feira da cidade. Como iria retornar andando, chamou seu neto para acompanhá-lo. Montaram os dois no animal e seguiram viagem.

 Passando por umas barracas de escoteiros, escutaram os comentários críticos; ” Como é que pode, duas pessoas em cima deste pobre animal !”.

 Resolveram então que o menino desceria, e o velho permaneceria montado. Prosseguiram…

 Mais na frente tinha uma lagoa e algumas velhas estavam lavando roupa. Quando viram a cena, puseram-se a reclamar; “Que absurdo ! Explorando a pobre criança, podendo deixá-la em cima do animal.” 

Constrangidos com o ocorrido, trocaram as posições, ou seja, o menino montou e o velho desceu.

 Tinham caminhado alguns metros, quando algumas jovens sentadas na calçada externaram seu espanto com o que presenciaram; “Que menino preguiçoso ! Enquanto este velho senhor caminha, ele fica todo prazeroso em cima do animal. Tenha vergonha !”

 Diante disto, o menino desceu e desta vez o velho não subiu. Ambos resolveram caminhar, puxando o burro.

Já acreditavam ter encontrado a fórmula mais correta quando passaram em frente a um bar. Alguns homens que ali estavam começaram a dar gargalhadas, fazendo chacota da cena; ” São mesmo uns idiotas ! Ficam andando a pé, enquanto puxam um animal tão jovem e forte !”

 O avô e o neto olharam um para o outro, como que tentando encontrar a maneira correta de agir.

 Então ambos pegaram o burro e o carregaram nas costas !!!

 Além de divertida, esta fábula mostra que não podemos dedicar atenção irracional para as críticas, pois estas acontecerão sempre, independente da maneira em que procurarmos agir.

Link: o velho, o menino e o burro

**************

É sinal de maturidade aprender que ninguém em hipótese alguma conseguirá agradar a todos. É como diz a conhecida frase: “Nem Jesus Cristo agradou a todos…”. Já pensou? Um homem iluminado que só exalava amor por todos os seus poros não conseguia agradar a todos, quanto mais nós, seres tão imperfeitos e errantes…

Essa estorinha é muito significativa, porque por mais que você se esforce para ser bom, para ser justo, para ser honesto, sempre aparecerá alguém que vai lhe criticar. SEMPRE

O que fazer então Isaias? Pode parecer clichê o que vou dizer e admito que é mesmo! hehehe. Mas quem sabe com a repetição você compreenda mais facilmente não é?

Sempre siga aquilo que o seu coração disser.

Eu sempre repito isso nos meus textos porque sei que esse é o caminho. Pense comigo! Todos nós estamos num processo contínuo e ininterrupto de aprendizado e evolução. Se eu sigo o meu coração, mesmo que em algum momento eu erre (e certamente isso acontece e acontecerá muitas vezes…), eu tomarei esse erro como um APRENDIZADO, e dessa forma estarei ampliando o meu repertório de vida.

Gosto de dizer isso, grave bem essas palavras: um erro cometido através de uma atitude que veio do coração não é um erro grave, pois nos traz uma conscientização. Mas algum erro cometido apenas pela mente racional ou mesmo conscientemente, esse sim pode ser um erro grave, pois não eleva a nossa consciência.

Portanto, que esse inspiradora estória e essa breve reflexão lhe ajude a aprender que ninguém agrada todo mundo e que as críticas são uma constante na nossa vida e sempre seremos criticados por alguém, não importa o quão bons sejamos ou quão bem desempenhemos o nosso trabalho.

Para mais aprofundamentos nesse tema tão fascinante, compartilho dois importantes textos do blog, um que fala sobre o agradar a todos e outro que fala sobre aprender a lidar com as críticas, além de um áudio sobre o mesmo tema. Seguem os links abaixo. Paz e luz…

O risco de querer agradar a todos

Como aprender a lidar com as críticas?

Áudio: “Aprendendo a lidar com as críticas

 

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O “start” consciencial

Por Isaias Costa
5086312_m
Eu sou apaixonado pelo estudo da mente humana e já me deparei com as teorias e conceitos de diversos pesquisadores. Outro dia estava refletindo bastante sobre os nossos saltos de consciência, que quando acontecem, ampliam a nossa visão de mundo. Nesse pequeno texto vou viajar pelos pensamentos e alguns pensadores. Vamos viajar?

Esse título do texto é apenas um dos milhares de nomes que podemos dar para os nossos saltos de consciência, “start” consciencial. Existem muitos outros como “virada de mesa” ou mesmo “insight”.

O mais interessante de tudo é que esses insight acontecem de forma diferente e num tempo diferente para cada pessoa. Como estudo Psicanálise, hoje tenho bem mais consciência de que esses insights dependem de uma série de fatores para acontecer. Vou resumi-los para que você entenda de maneira simples e objetiva.

Nós temos o consciente, o subconsciente e o inconsciente. O inconsciente preenche em torno de 90 a 95% da nossa psique, ele registra tudo que nos acontece desde a nossa concepção no útero materno até o dia da nossa partida, isso desconsiderando as teorias de regressão à outras vidas, que complexifica ainda mais tudo isso.

Para que elevemos a nossa consciência, é preciso que conteúdos do inconsciente sejam de certa forma levados para o subconsciente, para então se tornarem conscientes. Portanto, todo processo terapêutico tem essa finalidade, fazer com que a pessoa mude chaves do seu SUBCONSCIENTE. Tudo começa daí!

As mudanças só se tornam efetivas e verdadeiras quando essas chaves do subconsciente se tornam conscientes e a pessoa não tem mais qualquer tipo de sofrimentos, dores, amarguras emocionais envolvidas com algo específico. Esse processo recebe o nome de “start” consciencial, elevação da consciência, “insight“, e por aí vai!

Eu acho interessante o fato de que para algumas pessoas, adquirir consciência é mais fácil e rápido do que para outras, e cada vez mais eu vejo isso. Aqui colocarei duas visões bem diferentes, mas bastante enfáticas e reflexivas. Uma delas é a do Budismo, que tomei conhecimento através da querida Monja Coen. Ela conta que existe uma parábola oriental que fala sobre os 4 cavalos, o 1º se movimenta apenas vendo a sombra do chicote, o 2º quando recebe uma leve chicotada, o 3º quando a chicotada machuca a pele, e o 4º apenas quando a carne é rasgada e atinge os ossos.

O 1º seriam as pessoas mais sábias, que aprendem apenas com observação do comportamento dos outros e distinguem o certo do errado, o bom do ruim. O 2º são as pessoas que se esforçam para serem melhores e estudam, se dedicam para isso, mas dão uns “vacilos” aqui e ali! O 3º são os “teimosinhos” de plantão, que precisam levar umas chibatadas da vida, e o 4º são as pessoas que gostam de sofrer e se alimentam do sofrimento a vida inteira. Não há nada de errado em ser qualquer um dos 4 cavalos, mas o ideal é que consigamos crescer em consciência para não sermos o 4º cavalo, como tanta gente infelizmente acaba optando por ser, não é mesmo?

E você, seria qual dos 4 cavalos? Faça essa breve reflexão hoje!

O “start” consciencial nesse caso, seriam as chicotadas e através delas o caminhar entende? No fim, todos caminham e evoluem, uns mais rápido e outros mais devagar.

Outra visão muito bonita é a do pai da Psicanálise “Sigmund Freud”. Ele tem uma teoria chamada “Compulsão à repetição”, que nos seus livros é colocado com linguagem rebuscada e científica. Vou explicar de modo bem simples para você. Veja só!

A compulsão à repetição são comportamentos autodestrutivos que se repetem de forma inconsciente, porque a pessoa se prende aos ganhos secundários de determinada atitude. O sofrimento se repete e a pessoa entra num círculo vicioso por causa disso. Nessa teoria pode-se colocar praticamente todos os vícios e seus gatilhos.

Vou deixar apenas um exemplo e sugerir um filme que exemplifica bem isso. Uma mulher conhece um homem, se apaixona e acaba transando com ele na primeira noite, no dia seguinte o rapaz não quer mais saber dela e já está interessado em outra mulher. Ela sofre demais com isso e se amargura com esse sentimento. Porém, quando menos espera já está fazendo a mesma coisa com outro homem e tudo se repete. Esse é um caso clássico de compulsão à repetição.

Existe um gatilho para que essa situação se repita: conhecer um homem, se apaixonar e transar com ele na primeira noite.

Uma forma simples de mudar esse padrão seria não transar com o homem na primeira noite, pois assim ela seria vista como uma mulher qua não se entrega tão facilmente assim aos encantos e conquistas de um homem. Ela mudou o gatilho e dessa forma mudou seu destino, entende? A compulsão acaba com essa mudança consciente! De forma semelhante se dá o vício em comer demais, em fumar, em beber e por aí vai! É simples não é? Essas são as teorias freudianas em linguagem leiga.

Nesse caso o “start” consciencial se deu com a mudança dos gatilhos emocionais! E assim houve uma mudança de comportamento.

OK! O nome do filme que traz esse exemplo que eu dei se chama “Os homens são de Marte e é pra lá que eu vou”. Uma comédia romântica muito legal. Recomendo fortemente que você assista!

O mais legal é quando nós tomamos consciência dos nossos processos internos, sabe? É aquela hora que a gente diz com vontade!:” Ahhhhhhhhhh! Agora eu entendi…”. E abre aquele sorriso! rsrsrs

O que faço com meus textos é isso. Trago informações preciosas que ajudam nessas mudanças de chave do SUBCONSCIENTE. E quando cada pessoa está no momento certo de ler e aprender ela fala essa frase incrível aqui em cima. Não é bacana? Esse é o “start” consciencial!

Que você tenha milhares de “starts” ao longo da sua vida e se de alguma forma eu contribuir com isso, maravilha. Fico feliz com isso!

Muito sucesso na sua vida…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

As ideias estão no chão

Por Isaias Costa

Orar-a-Deus

Uma das minhas músicas preferidas da banda Titãs se chama “A melhor forma”. A sua letra é riquíssima e nesse texto vou fazer uma breve interpretação de parte dela levando a mensagem para a nossa vida. Abaixo está a letra completa com o vídeo!

A melhor forma de esquecer
É dar tempo ao tempo
A melhor forma de curar o vício
É no início

A melhor forma de escolher
É provar o gosto
A melhor forma de chorar
É cobrindo o rosto
Evitar as rugas
É não olhar no espelho
Esvaziar o revólver
É puxar o gatilho
A melhor forma de esconder as lágrimas
É na escuridão
A melhor forma de enxergar no escuro
É com as mãos

As ideias estão no chão
Você tropeça e acha a solução

Acabar com a dor
É tomar um analgésico
Matar a saudade
É não olhar pra trás
A melhor forma de manter-se jovem
É esconder a idade
A melhor forma de fugir
É a toda velocidade
As ideias estão no chão
Você tropeça e acha a solução

****************

A letra dessa música é bastante simples e sugere do começo ao fim, formas de lidar com as intempéries da vida, que são muitas!

Não vou me ater no que eles falam sobre as melhores formas para as coisas, porque sei que isso depende da visão de cada um, da maturidade adquirida, da consciência e outros fatores.

Quero me ater apenas a uma frase, essa aqui: “As ideias estão no chão, você tropeça e acha a solução.”

Essa frase é genial, porque vem falar do aprendizado através do sofrimento. Esse tropeçar tem a ver com as nossas quedas e fracassos e os aprendizados que acontecem a partir deles!

Todos nós erramos e fracassamos inúmeras vezes na vida, e esses fracassos são ótimos para nos ajudar a construir nossa identidade, nosso caráter, nossos valores e ideais de vida!

Como já disse outras vezes por aqui, os fracassos funcionam como ALAVANCAS, nos empurrando para frente, nos fazendo enxergar a vida e os acontecimentos com mais profundidade! Um dos primeiro textos do blog fala sobre isso citando grandes nomes como Albert Einstein, Thoman Edison, Michael Jordan, Walt Disney… homens que muito bem souberam utilizar seus fracassos como alavancas para irem mais longe na vida. Vale a pena conferir, o link está logo abaixo…

O fracasso como uma alavanca

A outra mensagem atrelada a essa frase é sobre as ideias estarem no chão. O compositor da música provavelmente quis dizer que a solução para todos os seus problemas está mais perto do que você imagina, está “no seu nariz” como diriam alguns, basta você ter abertura de mente e de coração para enxergar essas soluções. Basta ter olhos para ver e ouvidos para ouvir, como diria o mestre Jesus Cristo!

Eu acho bem engraçado que existem muitas pessoas que se VITIMIZAM achando que são injustiçadas, que são azaradas, que a vida é difícil, que ninguém é bom para elas, que isso, que aquilo outro…

Essas pessoas ficam nesses processos internos de AUTOSSABOTAGEM sem se darem conta que dentro delas existe um poder incrível de mudanças e crescimento, e para que esse poder seja acessado, basta SILENCIAR, basta encontrar a essência que está obscurecida por diversas camadas de medos, de condicionamentos, de crenças adquiridas na infância, de traumas etc.

Para sair desse ciclo autodestrutivo é preciso se buscar o autoconhecimento para, desta maneira, iluminar a consciência e deixar de enxergar no escuro com as mãos, mas com a consciência expandida!

Antes de concluir, quero apenas repetir algo que já disse em textos anteriores. Deus se manifesta na nossa vida de “n” maneiras, mas acima de tudo pelas pessoas! Eu sou uma pessoa e estou utilizando esse mecanismo da internet para chegar até você e atingir o seu coração se você der abertura para isso!

Ou seja, eu posso ser uma dessas ideias que estão pelo chão chamado internet para lhe ajudar a acender uma luzinha de consciência no seu quarto escuro e que você precisa tatear as paredes para poder andar!

Abra sua mente e seu coração que desta maneira você vai concluir que TUDO FALA, você só não sabia ouvir. Mas pode aprender, a chave é essa, e uma das melhores formas de virar essa chave no subconsciente é tendo HUMILDADE. Sendo humilde e se colocando como um eterno aprendiz, você vai crescer enormemente na vida e vai poder levar muita gente junto com você!

E para fechar com chave de ouro, compartilho também uma pequena parábola que já li dezenas de vezes, mas sua mensagem sempre será atual! Pense sobre isso OK?

*****************

Deus vai me salvar – Autor desconhecido

Durante uma grande enchente que houve, um homem muito religioso, porém fanático, não sai de casa de forma alguma. Quando a água chegou a seus pés, um senhor numa canoa passou e o convidou para embarcar, e a resposta foi:
– Não, obrigado. Deus vai me salvar.
Quando a água já estava na cintura, vieram dois jovens num barco oferecendo ajuda. E a resposta foi a mesma:
– Não quero. Deus vai me salvar.
Quando a água ia chegando no pescoço, passou um helicóptero resgatando as últimas pessoas, e alguém gritou para que o homem subisse na corda para salvar a vida. E mais uma vez o teimoso respondeu:
– Já disse que não quero. Deus vai me salvar.
Mas a água subiu e o homem se afogou. Chegou ao céu e foi logo reclamando com Deus:
– Puxa… eu confiava no Senhor. Por que me deixou morrer?
E Deus respondeu:
– Meu filho, mandei-lhe uma canoa, um barco e um helicóptero… O que mais você queria que eu fizesse?

 

 

 

 

 

1 comentário

Arquivado em Uncategorized