Arquivo da tag: relacionamentos

5 dicas para melhorar os relacionamentos em grupo

Por Simone Oliveira

O ser humano, quando em grupo, vai gerar brigas.

Brigas no trabalho

Isso é um fato. Não há o que se discutir. Estando em dois ou mais, uma hora vai rolar desentendimento.

E por quê? Bem, parece que o grande motivo é: somos diferentes.

Pessoas são diferentes

E nós somos mesmo autênticos, cada qual tem um conjunto completamente único de pensamentos e opiniões a respeito de cada minúscula coisa nesse universo.

Olhando por esse lado, não somos de fato maravilhosos? Fomos criados ANÁLOGOS, porém, não idênticos. Se fossemos totalmente iguais, seríamos robôs.

Nascemos com a capacidade de deduzir e induzir pensamentos de forma que cheguemos a compreensões díspares de nossos semelhantes, ainda que criados na mesma casa, participando das mesmas experiências de vida, comendo a mesma comida e compartilhando dos mesmos momentos!

Continuar lendo

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

É muito importante termos amigos espelhos

Por Isaias Costa

amigos_sempre_1

Eu acho lindo perceber quando acontecem as conhecidas SINCRONICIDADES na nossa vida, conceito tão estudado e desenvolvido pelo psicoterapeuta Carl Jung.

Nessa última semana eu reencontrei uma amiga muito querida que não via há quase 2 anos e conversamos bastante sobre muitas coisas, dentre os assuntos comentei que os relacionamentos com as pessoas que a gente ama são como se fossem espelhos que nos mostram aquilo que somos bons, ou seja, nossas qualidades, e também aquilo que precisamos melhorar, os nossos defeitos!

Quando menos espero, no dia seguinte escuto uma bela entrevista com o empresário e professor da FGV Luciano Salamacha pela Rádio CBN dizendo praticamente a mesma coisa. Na mesma hora eu pensei: “Uau! Estava falando ontem mesmo sobre isso…”.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A negligência do brasileiro em geral

Por Simone Oliveira

Há muito tempo tenho estado a analisar o comportamento das pessoas ao meu redor de modo mais profundo e tenho notado que a grande maioria tem potencial para demonstrar diversos sentimentos bons através de ações. É aí que encontrei a extroversão e o calor do nosso povo. Porém, um traço ainda mais forte é essa tal da negligência, vista de longe e que chega a incomodar, causando aversão.

Parei para pensar o porquê de ninguém falar sobre isso. Preferimos fechar os olhos e fingir que ela é apenas parte da cultura, ou pior, que não é um defeito propriamente dito, e sim meras falhas pertencentes a TODO SER HUMANO. Nunca assumimos a culpa pelos nossos erros, sempre nos escondemos na multidão usando o pronome “nós” ou o sujeito “raça humana”.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Cada um faz a sua viagem

Por Isaias Costa

trem

Esses dias li um texto magnífico de um dos melhores sites voltados para o autoconhecimento que eu conheço, o site Yoskhaz. Era um texto que falava sobre os caminhos que cada pessoa segue e o quanto nós não temos o direito de interferir neles, querendo que a viagem do outro seja a mesma que a nossa.

Abaixo está algumas palavras desse texto e o link caso você queira ler o texto completo.

*******************

A estação

“Todas às vezes em que nos sentimos infelizes ou desconfortáveis significa que algo precisa ser modificado. Sempre na gente, nunca nos outros. Cada qual é responsável por suas transformações e arca com as consequências de suas escolhas. Abandone em definitivo vício de desejar que o outro, ou mesmo o mundo, mude para se adequar às suas vontades. Isto é falta de respeito e, pior, tentativa de dominação. Além de ser inútil por ser ineficaz. Faça a sua parte da melhor maneira possível e siga em frente, tão somente. Você pode até não concordar com o outro, mas jamais lhe impor qualquer tipo de mudança sob nenhuma condição. A recíproca também se aplica: nunca concedermos a ninguém o poder sobre as nossas escolhas. Afinal, em razão delas, caberá a cada qual as duras intempéries ou as belas paisagens da própria viagem”.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Por que ser ciumento?

Por Isaias Costa

beijo

Eu fico impressionado de saber que milhões e milhões de pessoas ainda hoje tem a falta impressão de que o ciúme é algo positivo, é como se fosse uma forma de dizer que a pessoa é muito importante pra você ou que é super especial.

Esse texto, de certa forma, é uma continuação do último texto que eu escrevi, também inspirado nas palavras do grande mestre Yogananda. Se você ainda não leu esse texto, segue o link [aqui].

No livro “Jornada para a autorrealização”, o Yogananda dá uma verdadeira aula sobre a inutilidade do ciúme. Farei uma breve reflexão a partir das suas palavras. Leia com bastante atenção!

Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Aprenda a conquistar corações

Por Isaias Costa

cronica-duas-palavras-um-corac3a7c3a3o-mil-sentmineots

Talvez você tenha lido o título desse texto e pensado que se trata de um manual para aprender a conquistar uma mulher, com cantadas e xavecos. Errou! Esse é um texto absolutamente diferente. Falarei sobre conquistar os corações de um enorme número de pessoas através da energia de amor emanada e da harmonia do ser.

Para embasar essa reflexão, nada melhor do que as palavras do mestre Yogananda, que ensinou isso com maestria para milhares e milhares de pessoas em suas palestras. Abaixo está um pequeno trecho do seu livro intitulado “Jornada para a autorrealização”, no qual ele ensina como conquistar corações. Leia com bastante atenção…

*****************

O verdadeiro amor é quando você está sempre observando o progresso da alma. Quando você serve aos desejos físicos e aos maus hábitos de alguém, não está mais amando aquela alma. Só está agradando-a para evitar sua má vontade. Por mais desagradável que seja dizer a um amigo que ele está errado, se você falar com amor no coração e se mantiver firme, um dia aquela pessoa o respeitará se você estiver certo. Se estiver errado, mesmo assim, a pessoa saberá que você fez tudo com sinceridade, por amor. Nunca concorde com alguém que está errado, mesmo que seja a pessoa que lhe é mais próxima e querida. Concordar com o mal é subornar a alma para que o transgressor tenha uma opinião favorável de você, e cedo ou tarde isso trará resultados desastrosos…

=> Clique aqui para ler o texto completo

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Eu precisava dizer (parte 2)

Por Simone Oliveira

Esclarecendo alguns pontos que podem não ter ficado bastante frisados no texto anterior [link aqui].

Se você é bom entendedor, as meias palavras bastaram. Mas como a internet é um meio insípido, senti a necessidade de escrever a parte 2, para que não viessem me atacar (algo comum, quando se discorda das opiniões do autor, ataca-se a pessoa e não seus argumentos) como já vi acontecer.

Vamos lá:

Tópico 1 – A mulher e o homem são cobrados de maneiras diferentes.

cobranças da sociedade

Homens, ao chegarem a fase adulta, ouvem diversos comentários sobre terem arranjado ou não namoradas/esposas, serem bem colocados no mercado de trabalho, salários razoáveis, pressão em terem mais e mais influência dentro de seus meios sociais, exercerem liderança, ganharem promoção, etc.

Mulheres hoje em dia também sentem que devem ter bons empregos e sua independência, mas que no fundo elas devem deixar todos os seus desejos de lado para construir uma família feliz e estruturada, pois seus trabalhos tendem a nunca apresentarem a mesma importância que o trabalho do homem. Elas sentem que devem ser sempre bonitas, centradas e abnegadas, submissas sem deixar sua individualidade em segundo plano.

A mulher sente pender para o lado da cerimônia enquanto o homem sofre grande pressão para o sexo. Existe um entendimento comum de que para o homem o casamento tem significado de prisão. Não é à toa que são ouvidos comentários como “sossegou!”. “Game over”. “A mulher aquietou o fulano. Agora ele não vai mais pra balada, zueira, bebidas, casas noturnas, etc”. “Aquele foi fisgado.” “A dona o prendeu.”

Então, quando um casal de namorados resolve que ainda não é a hora certa para assinar os papéis (seja qual for o motivo), os amigos do cara comemoram, mas as amigas da garota sentem pena dela ou dizem que ela está sendo trouxa por esperar, perguntam se já tem data marcada ou então se já estabeleceram o tempo correto.

E isso se torna ainda pior no meio cristão, pois o sexo pré-conjugal é constantemente recriminado, o que gera insatisfação por parte de ambos. A mulher por sempre ouvir que deve se casar logo, e o homem por saber que antes disso irá ter que se preservar virgem. A mulher sente crescer a constância das indagações sobre a data do evento e o porquê de terem decidido esperar. O homem recebe críticas pesadas sobre sua sexualidade e é chamado de nomes pejorativos cada vez que o assunto “sexo” vem à tona.

Depois de casados, ambos sentem crescer a cobrança por filhos. A mulher se sente mais responsável cada vez que o assunto é tocado pois ela é a geradora. O homem sente receio, pois sabe que os gastos irão aumentar e a presença dele dentro de casa será imprescindível. A responsabilidade aumenta, “mas a felicidade compensará”, eles dizem.

Quando o filho vem, a mulher não tem escapatória e nem desculpas. Ela será quem irá cuidar do filho nos próximos meses, e, se decidir, largará o emprego de vez para educar o ser humano que acabou de nascer. Em muitos casos é isso o que ocorre, e outros, a mulher tem que se virar para cuidar de casa, do filho, do marido e de si.

A vida se arrasta desde então, entrando na rotina. Muitos casais se separam, muitos vivem em pé de guerra e desaprovam as ações uns dos outros, se afastando mais e mais da felicidade, da plenitude de espírito que tantos disseram que eles alcançariam se tivessem filhos. Um lembrete importante é o de que: se não está bom sem filhos, com eles a tarefa ficará mil vezes mais difícil. Portanto, o melhor a se fazer é resolver a situação para depois pensar em colocar mais alguém no mundo.

Mas é óbvio que para quem tem o sonho de viver uma realidade nos moldes que a sociedade impõe, não porque foi doutrinada, e sim porque gosta desse estilo e quer adotá-lo para si, ótimo! Aí fica fácil, as pressões não são sentidas e a vida que segue. O problema está em quem não se sente bem com isso, aí a coisa pega! Sou super a favor de quem adota a vida de mãe trabalhadora, esposa e dona de casa. É admirável! Sou a favor mais ainda de quem não tenta impor os mesmos modelos “a torto e a direita”, dificultando e impedindo as escolhas do próximo.

Tópico 2 – A decisão que tomamos deve ser baseada em nosso estilo de vida e não nas decisões alheias, muito menos nas pressões sociais.

tá todo mundo fazendo

Algo que em tese é de fácil compreensão, na prática se torna complicado, uma vez que sempre somos colocados contra a parede sobre as nossas próprias escolhas em relação ao senso comum sobre o que significa felicidade.

Não sei bem o qual é a ideia dos que pensam que a intimidação seja o melhor método de convencimento, mas acredito que, apesar de ter sido dura nas palavras no primeiro texto (acredite, foi preciso, devido ao teor dos argumentos defendidos)  creio que sim, muitos projetam nas pessoas ao seu redor o ideal de vida que elas gostariam de ter tido, mas por questões que surgiram ao longo da jornada não puderam realizar e o tempo passou e elas desistiram, ou por falta de força de vontade ou por perderem a oportunidade. Então, sim, muitos não fazem de propósito ou para magoar, muitos fazem porque acreditam que esse seja o caminho mais simples e destro a se seguir.

Sendo assim, cabe a nós julgarmos os conselhos que servem e os que não servem para a nossa vida, e jogar fora aquilo que não nos atrai, que não fará bem para nós como indivíduos adultos, racionais e donos de nossos próprios anseios.

Tópico 3 – O mundo está cheio de pessoas que julgam a forma como as outras levam a vida. Não seja mais uma.

você é perfeito

Esse talvez seja o ponto mais delicado que eu já toquei desde que comecei a escrever. Por isso é importante que se tenha um espaço em que você possa defender as suas ideias, argumenta-las e contrapor suas razões de maneira geral, sem ferir ou denegrir a imagem de ninguém.

Eu sei que em todos os locais existem pessoas boas e más. Porém, decidi falar pelo meu conhecimento de causa.

Posso parecer a ovelha negra da família por assumir publicamente que os evangélicos são, em sua maioria, pessoas preconceituosas e julgadoras, metidas a santas (que as vezes cometem erros escandalizadores e são frequentemente ridicularizados por isso, e com razão! Pois apontam os dedos aos que não concordam com seus ensinamentos, mas não agem conforme o que educam. Para mim, hipocrisia não merece vista grossa).

O fato é que por ser cristã e estar presente no meio de pessoas de tal modo me fez enxergar que hoje o método mais promissor de levar a mensagem de amor de Deus é pelo exemplo, pela ação solidária e pelo estudo da palavra de Deus com sinceridade de coração, pelo autoexame diário das imperfeições particulares e pelo constante esforço em tentar mudar, confiando em Deus e mostrando aos que ainda não tem essa perspectiva que é possível ser exemplo, como Cristo foi, por querermos imitar a quem seguimos pela gratidão que sentimos ao seu ato de amor Divino e santo. E não por nos acharmos melhores que os outros.

Ao aceitarmos a Deus, não nos tornamos perfeitos, nos tornamos justificados e perdoados, mas é uma luta a cada segundo contra nossas próprias vontades humanas. Luta essa que é deixada de lado a cada palavra ferina dirigida aos que não fazem parte do meio cristão, a cada olhar discriminatório encaminhado a pessoas que decidiram fazer tatuagens, colocar piercings ou se vestir diferentemente do convencional. O propósito de ser cristão se deturpa a cada piadinha de mal gosto proferida por um religioso envolvendo negros, pobres, mulheres e animais.

E por fim, o nome de Cristo é envergonhado a cada momento que prostitutas e transexuais são ridicularizados e lembrados que estarão no inferno no dia em que morrerem e que isso é fruto de suas escolhas de vida fácil nessa terra. Homossexuais são os que mais sofrem nessa história, e Deus se entristece ao perceber que um filho seu trata com desprezo aos seus semelhantes justo quando eles mais precisam de carinho e atenção.

Talvez por isso tanto ódio seja despejado contra os crentes. A própria designação já é motivo de chacota. Não os culpo. Muitos fizeram por merecer esse estigma, porém, todos pagam por isso. Dessa forma, peço perdão se alguma vez, e isso com certeza já aconteceu, o preconceito no meio evangélico foi mais forte. As palavras podem ter machucado, gerado ódio e aversão, mas quero dizer que nem todos são iguais. Não generalize. E lembre-se: Se você é cristão e age assim, lute para mudar. Do contrário, quem não irá para o céu será você.

Tópico 4 – Assuma as consequências das suas escolhas. Não vale reclamar, depois que você tomou para si os conselhos errados.

pare de culpar os outros

Decidiu se casar? Assuma as responsabilidades.

Decidiu ter filhos? Assuma as responsabilidades.

Decidiu ficar solteiro(a)? Assuma as responsabilidades.

Decidiu montar um negócio próprio? Assuma as responsabilidades.

Decidiu qualquer coisa para a sua vida? Assuma os riscos, responsabilidades e consequências.

não culpe ninguém

E, por último, fechando com chave de ouro: Não se prenda aos comentários bisbilhoteiros quando resolver fazer o que você tanto ama. Não dê tanta importância às palavras. Os resultados positivos começarão a aparecer. Confie, você verá!

euSimone Oliveira. Santos-SP. Bacharel em Engenharia Civil por formação e escritora por gosto. Estuda para concursos e se dedica às aulas particulares de exatas, ao namorado, à família e às suas atividades na igreja. Ainda não descobriu seu propósito na vida, mas tem certeza de que tem um. Pede que Deus a guie por esse caminho até a sua volta.

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Eu precisava dizer

Por Simone Oliveira

margarina_3

A família perfeita da propaganda de margarina…

Tenho que contar um segredo; ele estava engasgado na minha garganta há algum tempo. Venho sentido uma pressão cada vez maior da sociedade sobre as minhas costas para que eu construa uma vida dita normal.

“O que é uma vida normal? ” Muitos iriam perguntar. Eu diria, baseada nos estigmas pré-concebidos sobre os quais sou julgada constantemente, que a vida normal que eles pregam é na verdade o cumprimento das seguintes premissas (ALERTA: PREPARE-SE PARA UMA UMA ENXURRADA DE FATOS NARRADOS COM SARCASMO LEVEL +10000):

  1. Escolha o que você quer para sua vida: se forme no Ensino Médio tendo decidido com toda a clareza do mundo de quem acabou de terminar o colégio qual é a faculdade/profissão que você quer seguir. Nessa decisão, é estritamente necessário que se inclua ganhar dinheiro (muito muito muito muito importante! Já disse que é muito importante? Pois é!), status (numa escala de 0 a 10, vale 9, estando um degrau abaixo do dinheiro) e poder. Ah sim, claro, lembrando que é a sua escolha, então certifique-se de fazer o que gosta! (Desde que inclua os itens da lista, se não, descarte. Vai ser furada de qualquer jeito).
  2. Entre na faculdade logo após encerrar o ensino básico. Mas não pode ser qualquer faculdade, tem que ser a melhor na sua área. Estude como se isso valesse a sua vida para passar nos vestibulares mais concorridos e estampar seu nome junto aos aprovados para aquele curso que você “tanto sonhou”.
  3. Se dedique a faculdade. Arrume um emprego também. Dezoito anos, segundo ano da faculdade…Hora de trabalhar! Sabe como é, não é? Mente vazia é oficina do Diabo. Comece a ganhar seu próprio dinheiro, seus pais não são obrigados a te manter, e eles já fizeram demais por você. Quando vai começar a criar responsabilidade pela sua própria vida? Mas continue obedecendo seus pais. Eles sabem o que é melhor pra você. Dê orgulho a eles. Tenha notas altas no seu curso, não fará nada mais do que a sua obrigação.
  4. Se formou? Já trabalha na área, não é? NÃO? COMO ASSIM? Arrume um emprego na sua área! Já arrumou? E agora? Ainda não? Ah, mas você vai ver como daqui a pouco já estará trabalhando. É tão gostoso fazer o que você gosta, não é? O que estudou tanto para conseguir! Você sempre foi uma ótima aluna, tenho certeza de que não vai ser diferente no mercado de trabalho. Eles logo vão ver isso em você. Você tem capacidade. Estou torcendo por você!
  5. Já arrumou emprego. E a pós-graduação? Quando vai começar? Você tem interesse em que área? Vai fazer pós na área que está trabalhando? É sempre melhor, certo? Você não pensa em fazer um mestrado? Dar aula em faculdade parece muito bom! Porque não tenta?
  6. Você ajuda em casa? Quero dizer, já que você não tem empregada, você deve fazer tudo. Seus pais estão ficando velhos, você deveria ajudar! Não acha? Você sabe cozinhar? Não sabe? Pois já está mais do que na hora de aprender! Onde já se viu uma mulher (engraçado que nessas horas viro mulher, mas nunca, jamais, sou uma mulher na hora de confiar uma tarefa que signifique se aparecer demais e fazer de menos. Nessas horas sou apenas uma menina), como você, não saber cozinhar? Seu namorado não reclama? Homem quer casar com mulher que saiba cozinhar! Você tem que aprender logo!
  7. Quanto tempo mesmo você está namorando? Tudo isso! E quando vão casar? Estão demorando, hein? Não acha que já está na hora de juntar os trapos? O tempo está passando! Quando chega o casório? Quero saber da festa! Vocês têm que casar logo! Se não ficam muito velhos pra ter filhos… Sabe como é…
  8. Parabéns! E quando vem o bebê? O bebê é pra quando? Coloquem uma criança no mundo! Não sentem que está faltando algo? Vocês se sentirão mais completos quando chegar a cria. Veja o casal x, depois que teve filho é muito mais feliz! Vocês não sabem o que estão perdendo! Vocês estão tentando? Algum de vocês tem ‘problema’ pra engravidar? Já consultaram um médico? Está tudo bem? Olha se quiser eu posso indicar um…
  9. O pequeno está crescendo. E quando vem o próximo? Já voltou a trabalhar? Como você está lidando com a rotina? A vida gira em torno dele, não é? Você já pensou em ter outro bebê? Criança nunca é bom uma só. Tenha outra, você vai ver como vai ser ótimo! Eles vão crescer juntos! Tão lindos! Você está educando seu filho direito? Já colocou na escolinha? Ele dá muito trabalho? Ele mama no peito? Você tem leite? Nossa, desde que teve filho nunca mais saiu! Você não cansa de ficar dentro de casa? Quando volta a participar das programações?
  10. Os filhos cresceram. Vão estudar fora? Já entraram na faculdade? Casaram?! Tão novos! Como está sendo agora que os filhos não estão mais em casa? Você sente falta? Sente saudade? É a síndrome do ninho vazio! Você vai se acostumar com o tempo. Daqui a pouco você nem lembra. E os netos? Já teve notícias? É gostoso, não é? Você deve ser uma vovó coruja! Deve mimar muito seus netinhos! E quanto mais, melhor! Quantos netos você tem? Um, dois, três?
  11. Parabéns. Você conseguiu. Tome seu certificado de vida normal.

Ah, que pena! Ela faleceu. Uma pessoa tão boa, uma boa filha, profissional, mãe dedicada, avó maravilhosa, fazia de tudo pelos seus. Uma perda. Mas é a vida, ficamos velhos e só nos resta esperar a nossa hora. A dela chegou. Viveu tudo o que tinha pra viver. Aproveitou a vida e deixou os herdeiros aqui. Realmente um exemplo de pessoa. Adeus.

Sinceramente, isso cansa! Viver para satisfazer anseios egoístas, mesquinhos e invejosos dos curiosos de plantão enjoa! Ser obrigada a ouvir toda essa baboseira de dúvidas e comentários ridículos sobre a minha vida, que não passam de intromissão dos múltiplos olhares curiosos gera fadiga! Pessoas de mente vazia arrumam tempo para dar pitaco na vida alheia a fim de se sentir grandes sabedores das verdades existenciais, mas no fundo não querem o bem de quem aconselham, querem apenas mostrar serem sábios ou uma falsa boa intenção. Muita hipocrisia. Quase nada de bondade. Corações transbordando de inveja e sede por saber dos podres, saber das dificuldades e dos problemas que estamos passando. E tudo para que? Para se sentirem melhores, se sentirem no topo.

fofoca

Antes das redes sociais a difamação era menor. Hoje em dia ela tomou níveis puramente inaceitáveis.

Só mais uma reflexão final: E se…

Eu não quiser seguir a profissão que eu escolhi quando saí do ensino médio (por tantas razões que eu também não preciso contar)?

Eu quiser continuar estudando para arranjar um emprego melhor, ou até mesmo tentar algo novo pra fazer?

Eu não quiser – ainda que eu tenha o meu sistema reprodutor em perfeitas condições – ter filhos?

As minhas prioridades forem cuidar de mim, viajar, trabalhar no que gosto e me aperfeiçoar nas tarefas que realizo, ao invés de dedicar meu tempo a ter filhos e cuidar de netos?

Eu demorar mais 5, 10,15,20 anos pra casar? O que muda pra você?

Eu nunca precisar aprender a cozinhar e cuidar de casa, por ter como pagar alguém para fazê-lo por mim?

keep calm

Eu posso ser o que eu aspirar! Posso sentir e fazer e experimentar o que eu bem quiser e se eu achar melhor viver o avesso da vidinha sem-graça e pré-concebida, cheia de regrinhas de ser-ou-não-ser, me deixa viver! Juízo eu tenho, não preciso de ninguém me dizendo o que fazer.

OBS: Esse não é um típico discurso feminista muitas vezes discriminado por aí. Não. Isso são experiências pessoais; veja, em nenhum momento eu falei sobre temas específicos do feminismo (como o aborto, o papel da mulher no mundo contemporâneo, a importância de falar sobre os direitos das mulheres etc) porque não coaduno com a posição adotada pelas defensoras desse movimento. Não penso que seja assim que as coisas funcionam. Apenas não concordo com o modo como as pessoas tratam as próprias pessoas e só. Assim como eu enfrento esses questionamentos tenho consciência de que muitos homens, gays, trans, bissexuais, etc também passam por situações semelhantes e sei que isso deve incomodar, porque a mim incomoda demais. E não, eu não vou ceder. Não posso aceitar que se viva dessa forma, que tenha que se encaixar em padrões para ter uma vida plena. Eu tenho fé nisso, pois sei que a minha vida já é perfeita em muitos aspectos. E grande parte dos padrões estabelecidos pela sociedade não ajudam a construir um mundo melhor, com mais amor e profundidade de relacionamentos, na verdade, eles só atrapalham.

euSimone Oliveira. Santos-SP. Bacharel em Engenharia Civil por formação e escritora por gosto. Estuda para concursos e se dedica às aulas particulares de exatas, ao namorado, à família e às suas atividades na igreja. Ainda não descobriu seu propósito na vida, mas tem certeza de que tem um. Pede que Deus a guie por esse caminho até a sua volta.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Te amo pra sempre?

Por Isaias Costa

post-sempre-header

Nós fomos acostumados a falar certas coisas que quando analisadas mais profundamente são, no mínimo inadequadas. Entre essas frases está o famoso “Te amo pra sempre…”.

Será que existe esse amor tão forte assim que se sustenta por todo o sempre? Por toda a eternidade?

Quero através desse breve texto lhe questionar sobre essa afirmação bastante duvidosa. Para embasar melhor a argumentação, compartilho algumas sábias palavras do Psicólogo e Palestrante Vitor Antenore Rossi. Confira!

*******************

Quando as sinceras juras de amor são vencidas pela rotina ou pela desilusão, os pares acabam caindo em uma espécie de dissociação afetiva. O outro que era como um farol durante as tempestades torna-se um rochedo contra o qual colisões constantes passam a ocorrer.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A solidão na visão de Carl Jung

Por Isaias Costa

17760233_1308661072550043_1376219031350337104_n

Quanto mais o tempo passa, mais eu me apaixono pela Psicologia e suas inúmeras vertentes. Uma delas é a Psicologia Analítica, desenvolvida pelo Psicoterapeuta Carl Jung.

Ele tem uma obra extremamente vasta e profunda de conteúdos. Nesse texto abordarei brevemente um pouco da sua visão a respeito do sentimento de solidão, que acomete a todos nós em maior ou menor grau.

Essa frase abaixo nos leva a grandes reflexões! Veja!

***************

“Solidão não é ter pessoas ao seu redor, e sim ser incapaz de expressar coisas que parecem importantes, ou de perceber certos pontos de vista que os outros acham inadmissíveis…”

Carl Jung

*************

Infelizmente, muitos pensam que solidão é a ausência de pessoas ao redor. De maneira nenhuma! Podemos estar rodeados de pessoas e ainda assim estar sós. Até mesmo podemos ser famosos e desejados sexualmente por milhões de pessoas e ainda assim sermos solitários. Um dos exemplos mais emblemáticos nesse sentido é o da atriz Marilyn Monroe, que se suicidou, mesmo tempo fama, muito dinheiro e milhões de homens a seus pés…

A verdadeira solidão tem a ver com esses dois pontos por ele levantados.

O primeiro ponto está relacionado com a expressão das ideias e daquilo que se sente. Por incrível que pareça, essa solidão está muito presente nos relacionamentos amorosos ou dentro da família!

Sabe quando um casal à muito tempo fica guardando mágoas e ressentimentos um do outro e parece que o outro vai se tornando distante e mais distante? Quando parece que um abismo começa a ser construído que impede de acessar o mundo da outra pessoa?

Essa é uma solidão amarga que quase todos nós passamos ou ainda iremos passar em algum momento da vida.

Ou na família, quando percebemos que o nosso pensamento diverge totalmente dos deles e ficamos com medo de nos expressar porque não queremos que esses vínculos se tornem hostis.

As pessoas que já têm um maior nível de consciência comumente sentem essa solidão que muitos psicólogos e espiritualistas chamam de SÍNDROME DO ESTRANGEIRO. É como se você sentisse uma saudade de algum tempo e de pessoas que você sabe que afinizam mais com você e com a sua energia, mas elas não estão por perto para lhe dar esse amparo e esse carinho!

Nossa! Eu já passei por isso tantas vezes na minha vida que você nem faz ideia. Se quiser entender um pouco mais sobre essa síndrome do estrangeiro, compartilho abaixo um programa de rádio que me ensinou muito sobre essa sensação de solidão que pode sim ser curada, desde que façamos a nossa parte na busca pelo autoconhecimento. Trata-se do programa Entrevidas da Rádio Mundial, apresentada pelo comunicador Marcello Cotrim. Vale a pena reservar uns minutinhos para ouvi-lo…

O segundo ponto ainda é mais doloroso do que o primeiro, porque ele faz com que amizades de longas datas sejam destruídas em questão de segundos. É como muitos dizem aquele velho e muito verdadeiro cliquê sobre a conquista da confiança de alguém!

Leva-se anos para se conquistar a confiança em alguém, mas apenas segundos para destrui-la…

Principalmente as pessoas que são mais imaturas e orgulhosas, quando são questionadas sobre suas verdades e convicções, muitas vezes elas acabam tendo reações agressivas ou hostis.

Eu também já me senti solitário por isso, pois conseguia ver nos amigos mais chegados algumas falhas de caráter e comportamento e tentava ajudar, mas alguns foram bem ácidos comigo, inclusive até rompendo amizades!

Na época não tinha a maturidade que tenho hoje e não fazia ideia de que na realidade quem estava errado era eu mesmo! E por quê? O motivo pode lhe ajudar imensamente! Vou até deixar em caixa alta pra você memorizar a sua importância.

NÓS SÓ DEVEMOS DAR CONSELHOS AOS OUTROS QUANDO SOMOS SOLICITADOS PARA ISSO!

* Sugestão de leitura => Não tente ajudar quem não quer ser ajudado

Em outras palavras, eu acabava me intrometendo nas questões mais íntimas dos meus amigos, e obviamente os que não queriam mudar seus comportamentos me davam “coice”!

Mas existe outro lado do enxergar o que os outros acham inadmissível. Que tem relação com o GRAU DE AFINIDADE entre os amigos!

Se o grau de afinidade for pequeno, não tem como fugir! Você vai se sentir solitário.

Vou dar um exemplo pessoal que chega a ser até hilário! Você vai gostar dele!

Na época da faculdade de Física eu já lia muito sobre espiritualidade e sobre os processos de evolução da humanidade e vez por outra tentava conversar com meus colegas sobre isso. Chegava mais ou menos assim:

– Pois é gente! Nós somos seres eternos. Espíritos habitando corpos. Estamos nessa planeta para aprendermos a transcender o nosso ego, para aprendermos a lições dos grandes mestres, espalharmos consciência etc etc.

E eles respondiam quase sempre!

– Legal Isaias! Mas cara. Tu conseguiu resolver aquela lista de exercícios de Cálculo III que o professor passou. Nossa! Tinha umas questões tão difíceis. O professor passou umas integrais impossíveis…

E nessa hora eu pensava: “Whats? Estávamos falando sobre isso?…”. E então eu ficava com uma gota na testa igualzinho a essa menina aqui embaixo!

2416838878_73753019fb

Isso é a verdadeira solidão! Eu me sentia muito mal por não ter afinidade com esses meus colegas. Tanto é que saí de lá pra nunca mais voltar! hehehe

Concluo esse texto dizendo pra você que o principal antídoto para a solidão se chama AMOR PRÓPRIO. Quanto mais você se sentir bem na sua própria presença, mais você conseguirá lidar com o distanciamento das outras pessoas ou com o baixo grau de afinidade que você terá com muitas delas.

Há muito mais a ser refletido sobre essas lindas palavras do Jung, mas deixo essas reflexões com você!

Compartilho também um breve áudio que gravei a partir dessas palavras do Jung e desse texto! Vale a pena ouvi-lo…

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized