Arquivo da tag: Rubem Alves

As palavras só tem sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor

Por Isaias Costa

“As palavras só tem sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor. Aprendemos palavras para melhorar os olhos. Há muitas pessoas de visão perfeita que nada veem… O ato de ver não é coisa natural. Precisa ser aprendido. Quando a gente abre os olhos, abrem-se as janelas do corpo e o mundo aparece refletido dentro da gente. São as crianças que, sem falar, nos ensinam as razões para viver. Elas não têm saberes a transmitir. No entanto, elas sabem o essencial da vida. Quem não muda sua maneira adulta de ver e sentir e não se torna como criança, jamais será sábio.”

Rubem Alves

********

Tornar-se sábio, esse é o movimento de entrar no reino dos céus, como já dizia o mestre Jesus Cristo: “Aquele que não for como uma criança não entrará no reino dos céus”. Lembrando que não se trata de um lugar físico, mas sim de um estado de consciência interior, no qual vemos a imensa beleza contida no momento presente, no aqui e agora!

É muito interessante quando ele comenta sobre a visão física. Muitas pessoas enxergam perfeitamente, mas têm dificuldade de ver as belezas simples do cotidiano. Não conseguem desenvolver esses “olhos de ver” que as crianças têm!

Inclusive, relendo essas belas palavras do Rubem Alves eu me lembrei de uma frase famosa do grande pintor Pablo Picasso na qual ele diz: “Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol”.

Percebe como tudo é uma questão de perspectiva? Eu quero cada vez mais desenvolver em mim essa arte de transformar um rabisco amarelo redondo no próprio sol! Isso é sabedoria. Isso é saborear o melhor da vida!

Muita gente não sabe, mas a raiz da palavra sabedoria é a mesma de sabor. Ou seja, as pessoas sábias são aquelas que saboreiam a vida. E detalhe! Só é possível saborear a vida no momento presente. Como seria possível saborear algo que só virá na semana que vem, no mês que vem ou no ano que vem? Percebe como não faz o menor sentido?

E sabe de outra coisa legal? Quando estamos saboreando uma comida, seja ela qual for, normalmente fechamos os olhos para nos integrarmos ainda mais à sensação deliciosa da comida nas papilas gustativas. E além disso, vem o ponto principal que quero comentar com você. Nós ficamos em silêncio! Porque nessa hora as palavras só iriam atrapalhar a experiência de saborear o alimento.

Voltando ao Rubem Alves… as palavras só têm sentido se forem para ver o mundo melhor. E as crianças têm esse poder de ver um mundo melhor! Quando perguntamos a qualquer criança como elas veem a vida ou o que gostariam que melhorasse no mundo, elas são praticamente unânimes em dizer que a vida é para nos divertirmos e para estarmos perto das pessoas que amamos. E a resposta para o desejo de um mundo melhor quase sempre está relacionado com os adultos trabalharem menos, serem mais presentes nas suas vidas, que brinquem mais, que sorriam mais, que tirem tanto o peso autoimposto nas costas…

Será que você ainda duvida da sabedoria inerente que existe nas crianças? Nessas poucas palavras eu trouxe verdades que nós como adultos e com o nosso cabeção extremamente intelectualizado, transformamos em livros de 400 págs ou em teses de doutorado. Pra quê hein? Será que precisa de tudo isso? Fica a reflexão…

Que a gente desenvolva cada vez mais esse olhar de criança para nos conectarmos com o que há de mais belo na vida, o momento presente…

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Só podemos amar as pessoas que se parecem com o céu

Por Isaias Costa

“É isto que amamos nos outros: o lugar vazio que eles abrem para que ali cresçam as nossas fantasias. Buscamos, no outro, não a sabedoria do conselho, mas o silêncio da escuta; não a solidez do músculo, mas o colo que acolhe.

Como seria bom se as outras pessoas fossem vazias como o céu, e não tão cheias de palavras, de ordens, de certezas. Só podemos amar as pessoas que se parecem com o céu, onde podemos fazer voar nossas fantasias como se fossem pipas”.

Rubem Alves

*******

O Rubem Alves era perfeito em suas metáforas! Ao reler essas belíssimas palavras, eu lembrei de uma brincadeira que toda criança adora (e claro que alguns adultos que não deixaram sua criança interior morrer também adoram), que é ver desenhos nas nuvens.

Lembro que eu brincava junto com meus irmãos e primos quando crianças. Nós deitávamos na grama onde tinha sombra e ficávamos um tempão olhando as nuvens e dizendo o que cada um achava dos desenhos formados…

O Rubem dizia: “Só podemos amar as pessoas que se parecem com o céu”. O céu permite que as nossas fantasias ganhem voz e não fica nos recriminando, muito menos dizendo o que é o certo e o que é o errado!

Já pensou como perderia toda a graça se ao brincar de ver desenhos em nuvens, alguém na brincadeira dissesse: “Tá louco! Não existe isso que você está vendo. A única coisa que tem nessa nuvem é o que eu vejo…”. Pronto! Com essa atitude arrogante acabou qualquer tentativa de curtir o momento.

Na vida, infelizmente vemos aos milhares pessoas com essa postura arrogante, cheias de certezas, e por isso mesmo, infelizes! Quanto mais o tempo passa, mais eu percebo a felicidade gigantesca que se encontra na dúvida, no não saber! Lembra a máxima do mestre Sócrates? “Só sei que nada sei”. Na sua época, as pessoas eram unânimes em dizer que ele era uma pessoa feliz, uma pessoa realizada e sábia! Muitas podiam até mesmo não gostar dele, mas não conseguiam abrir a boca pra dizer que ele era infeliz!

Que tal aprendermos com as sabedorias do Rubem Alves e do filósofo da antiguidade Sócrates?

Antes de escrever esse texto eu até pesquisei a etimologia da palavra FANTASIA, que é maravilhosa. Ela vem do grego phos (luz) e do verbo phainein (fazer aparecer). Ou seja, é a nossa luz que se faz aparecer a partir da nossa alegria, nossa verdade, nossa transparência.

Vamos deixar a nossa luz aparecer? Isso é ser simples e sábio. A nossa luz aparece a partir da abertura do nosso ser. E a abertura para a vida vem dessa postura silenciosa, acolhedora, receptiva. Quanto menos falarmos e mais ouvirmos, aí sim estaremos realmente sendo acolhedores e receptivos, e assim daremos abertura para fazer brotar, fazer aparecer a nossa luz, nossa fantasia! Não é incrível tudo isso?

Que essas poucas palavras tenham lhe trazido boas reflexões! Sigamos juntos sempre deixando viva em nós essa dimensão da fantasia…

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

A confiança mútua é a base estrutural dos relacionamentos

Por Isaias Costa

“A confiança mútua é a base estrutural dos relacionamentos. Qualquer pessoa que encontremos em nossas vidas merece ser tratada com respeito e consideração. Mesmo a verdade que vai magoar em um dado instante é melhor do que a mentira usada com o pretexto de não fazer o outro sofrer… e que vai causar um resultado muito pior para o relacionamento. O amor e o afeto verdadeiros são capazes de perdoar um erro, mas a desconfiança tira a condição mínima do relacionamento ter um futuro feliz.

Conhecerás a Verdade e ela vos libertará, já dizia o Mestre Jesus há tantos séculos atrás e fingimos não ter ouvido… continuamos a viver falsidades e a fazer trapaças, tirando das pessoas a confiança na própria vida.”

Maria Cristina Tanajura

********

A mensagem do mestre Jesus é sempre viva e transformadora! Essa mensagem de que é preferível dizer uma verdade que pode magoar a uma mentira para que a outra pessoa não sofra é perfeita!

Veja só o quanto nós nos enganamos e com isso acabamos também enganando que mais a gente ama! Será mesmo que a outra pessoa fugindo da sua verdade não vai sofrer? É óbvio que ela vai sofrer de todo jeito! Se duvidar, ela vai sofrer ainda mais com a sua mentira!

Eu adoro uma metáfora que o querido Rubem Alves sempre contava em suas crônicas e palestras e cabe muito bem aqui. Ele falava que seu papel ao questionar as dores das pessoas que o procuravam como psicanalista era ser um “espremedor de furúnculos”. Eles são feios, doloridos, às vezes até fedidos, e se a gente não os espreme, eles passam dias e dias nos incomodando com uma dor constante. Porém, se o esprememos, dá uma dor aguda na hora de espremer, mas depois, uau! Dá um alívio gigantesco porque a dor desaparece completamente…

Essa dor que desaparece é o sentimento de liberdade que provém do contato com a verdade interior, a verdade do ser! Não é incrível isso?

Por isso que a Maria Cristina fala sobre a importância da confiança. Ela de fato é uma base nos relacionamentos. Essa palavra na sua origem etimológica significa “fio”, ou seja, é uma conexão real e forte entre duas ou mais pessoas! Já a desconfiança é a quebra desse fio, a quebra da conexão entre as pessoas! Sem essa conexão o relacionamento fica frio e vai perdendo todo o vigor, todo o viço.

O grande problema deriva do nosso medo sabia? Nós temos medo de que as nossas falhas, nossos defeitos, acabem interferindo no relacionamento. Mas por acaso existe alguém perfeito e que nunca erre nesse mundo? Se a gente fosse perfeito não estaríamos encarnados no planeta Terra. Já seríamos seres da mais alta grandeza. Mas não! Temos muitas falhas e muito a aprender, a curar dentro de nós.

E o barato da vida está exatamente aí, em saber que temos muito o que melhorar e que é exatamente no convívio com as pessoas que amamos que teremos as vivências perfeitas para irmos transformando nossos defeitos e virtudes.

Portanto! Vamos conhecer e acessar essa verdade interna, que dessa forma vamos alcançar essa liberdade que tão bem o mestre Jesus nos ensinou…

********

P.S. Breve podcast com reflexões a partir desse texto. No podcast eu li o texto da Maria Cristina na íntegra. Ficou bem bacana!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A experiência da beleza tem de vir antes

Por Isaias Costa

“Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música não começaria com partituras, notas e pautas. Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria sobre os instrumentos que fazem a música. Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas. Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes”.

Rubem Alves

*******

Nessas poucas palavras, o mestre Rubem Alves está nos contando um dos maiores segredos para uma Educação eficaz e de qualidade.

Ele mesmo vivia questionando em textos e entrevistas o porquê de a garotada ter que estudar dígrafos, palavras proparoxítonas, ou orações subordinadas substantivas subjetivas, se para escrever ninguém precisa disso de verdade! Ele até brincava que escrevia bem, mas nunca aprendeu essas coisas!

O mesmo pode ser levado para outras áreas e conhecimentos. Em Química, por exemplo, se você ficar estudando todas aquelas abstrações sobre reações, ou cadeias carbônicas, ou eletrólise, sem dar nenhum contexto, sem tornar tudo aquilo mais divertido e palatável, pouquíssimos serão os alunos que vão se interessar em aprender!

Eu mesmo, hoje em dia aprendi a gostar de Química porque passei a ler e conhecer muitas aplicações bem interessantes dos conhecimentos que adquirimos no ensino médio.

Na época da escola eu detestava Química, e hoje eu tenho noção de que parte disso tem a ver com as exigências de estudar pra fazer uma prova e tirar nota boa. Esse modelo de provas ainda precisa de tantos ajustes, de tantas melhorias, que nem trarei com mais detalhes nesse texto para que ele não fique gigantesco…

Quero me focar na palavra chave que o Rubem usou. BELEZA! Pouca gente conhece uma das raízes etimológicas mais incríveis dessa palavra, que diz: “beleza é o lugar onde Deus brilha”.

Percebe a profundidade desse significado? Deus brilha numa bela pintura, num nascer ou por do sol, nos pássaros que cantam e que fazem seus ninhos nos galhos das árvores, no sorriso de uma criança pequena, numa brincadeira de criança etc.

A beleza é o que pode nos instigar a ir além, a expandir nossos limites, a querer conhecer mais e melhor! Ele traz esse exemplo da música que considero formidável. É muito difícil se dedicar a aprender um instrumento se você antes não aprecia algum músico simplesmente perdendo a noção do tempo ao se integrar com o instrumento, entoando belos sons!

Quando estamos numa experiência como essa, nosso coração pode vibrar diferente, aí pode surgir o pensamento: “Uau! Um dia eu vou tocar no mínimo de um jeito parecido com essa pessoa”.

E o mais divertido é que existem belezas infinitas, levando pra música isso está ligado aos estilos musicais e também aos trocentos instrumentos diferentes que existem e podemos nos interessar!

Que esse breve texto lhe motive a buscar a beleza e encontrar tudo aquilo que reflete esse brilho de Deus! Dessa perspectiva, a vida se torna absolutamente encantadora…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Onde está a minha esperança?

Por Isaias Costa

“Se eu souber onde mora a minha esperança, terei razões para viver e razões para morrer. E a vida ficará bela mesmo no meio das lutas.

Sei muito bem onde minha esperança não está. Não está também nas elites, sejam ricos ou doutores, intelectuais ou empresários. Não está em partido político algum, de direita ou de esquerda. E nem nos poderes legislativo, executivo, ou judiciário. Também não está nas igrejas nem nos movimentos religiosos.

Não coloco minha esperança em coisa alguma que seja definida por categorias sociais. Olho para todas elas com profundo desinteresse. Jamais comprometeria a minha vida com qualquer delas.

Onde está a minha esperança? A minha esperança está numa multidão de indivíduos, independentemente do seu lugar social ou econômico, que vivem possuídos pelo sonho da vida, da beleza e da bondade. A esperança de Camus estava no mesmo lugar que a minha:

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Ideias geniais contidas na crônica “Ostra feliz não faz pérola” de Rubem Alves

Por Isaias Costa

Esses dias estava assistindo a uma Live super bacana no Youtube com a Mariana Alves (neta do Rubem Alves) e a Raquel Alves (filha dele), no seu canal chamado “Arquiteta do sensível” e fiquei encantado com tudo que foi dito a respeito do livro “Ostra feliz não faz pérola” e da sabedoria do mestre Rubem Alves.

Num determinado trecho da Live, a Mariana falou algo sobre a crônica “Ostra feliz não faz pérola” que até então não tinha pensado e venho compartilhar com todos vocês nesse texto. Ela comentou que as ostras, de um modo geral, ficam bastante tempo com suas conchas abertas, mesmo com a possibilidade real de a qualquer momento algum grão de areia entre na sua carne frágil e cause uma dor imensa, dor esta que faz com que ela produza uma pérola para sarar o desconforto gerado pelo grão de areia.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O perfume que emana das pessoas que amamos

Por Isaias Costa

perfume

“Um brinquedo, uma roupa, a pequena cama – os objetos que cercam a vida de uma criança conservam sua energia quando ela se ausenta para ir à escola ou viajar. Há naquelas coisas uma vibração que se percebe no ar. Aqueles que amam costumam também imantar tudo o que tocam, e assim deixam um rastro perfumado por onde passam”.

Luiz Carlos Lisboa

****

Esse belíssimo texto me levou a refletir sobre as marcas que as pessoas que amamos deixam registradas em nossa vida e nossas memórias. O autor cita uma criança e a energia que fica impregnada nos ambientes da casa, mesmo quando ela não está presente.

Essa espécie de presença na ausência, como gostava de dizer o querido Rubem Alves, é um dos motivos para se sentir tanta saudade quando alguém vai embora para morar em outro lugar ou quando alguém desencarna.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Rubem Alves: um pássaro encantado eternizado em muitos corações

Por Isaias Costa

rubens-alves-3

“Porque os anjos são homens nascidos sem asas, é o que há de mais bonito, nascer sem asas e fazê-las crescer”.

José Saramago

*******

Já li essa frase do Saramago inúmeras vezes, e como sempre gosto de repetir, esse autor estupendo tinha o poder de escrever textos e livros que permitem as mais diversas interpretações e aprendizados.

Na data em que publico esse texto me bate uma saudade grande de um dos senhores que mais me inspira, principalmente com relação à escrita, o querido Rubem Alves, que nos deixou no dia 19/07/2014.

Lendo um pouco sobre a biografia dele e as diversas fases que ele vivenciou, essa frase se encaixa perfeitamente. Aliás, vale destacar que o Saramago era um dos autores que ele amava. Não duvido que ele tenha lido quase a totalidade dos seus livros…

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Os vitrais e nossos cacos de vida

Por Isaias Costa

Vitrais bonitos

Quem lê os meus textos sabe que eu sou fã do mestre Rubem Alves e eu me encanto por praticamente todas coisas que ele também se encantava, como por exemplo, os vitrais.

Ele escreveu em diversas crônicas que uma das coisas belas das igrejas mais decoradas e das catedrais são os vitrais. Eu moro bem próximo da catedral de Fortaleza e vez ou outra fico admirando toda aquela beleza incrível.

Estava lendo uma de suas crônicas intitulada “Sobre as memórias” e achei lindo as palavras de uma amiga sua que ele compartilhou nesta crônica e me fizeram viajar nos pensamentos. Confira…

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Não há nada como o sonho para criar o futuro. Utopia hoje, carne e osso amanhã.

Por Isaias Costa

alma-crianca-aviao

Li uma frase pequena e muito profunda do escritor Victor Hugo presente no seu livro “Os miseráveis” que considero perfeita para o momento que o nosso país está passando.

******

“Não há nada como o sonho para criar o futuro. Utopia hoje, carne e osso amanhã.”

Victor Hugo

******

Eu tenho uma vibe serena e feliz na maior parte do tempo, porém, preciso admitir que por conta das diversas tragédias de enormes proporções que ocorreram no Brasil desde o começo do ano, a tristeza me abateu com uma frequência maior.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized