Arquivo da tag: tempo

Somente o tempo vai me revelar quem sou

Por Isaias Costa

criancas-brincando1

Estamos sempre em constante mudança…

Estava ouvindo uma linda música do grande Milton Nascimento em parceria com o Dani Black chamada “Maior”, e fiquei um tempo refletindo sobre o quanto nós mudamos ao longo do tempo e muitas vezes fazemos coisas que no passado imaginaríamos impossíveis!

As primeiras frases são as mais impactantes e também são as mais cantadas ao longo da música:

“Eu sou maior do que era antes

Estou melhor do que era ontem

Eu sou filho do mistério e do silêncio

Somente o tempo vai me revelar quem sou…”

Essas frases são muito bonitas e verdadeiras. Todos nós estamos em constante processo de aperfeiçoamento e melhorias!

Uma das principais reflexões que eu tiro dessa música é a de que não podemos prever o futuro e muito menos abrir a boca para dizer “eu sou assim, cresci assim e vou morrer”, como bem conhecemos da tal “Síndrome de Gabriela”.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Eu quero aproveitar o meu tempo de forma que me humanize

Por Isaias Costa

18403547_1126917340748257_2178202712516734272_n

Antonio Candido

Estou escrevendo e publicando esse texto exatamente no dia da morte de um ser humano incrível e que nos deixou um imenso legado de sabedoria, o sociólogo Antonio Candido. Falecido no dia 12 de maio de 2017 aos 98 anos de idade.

Esse senhor foi professor de sociologia em uma das melhores universidades do Brasil, a USP, e resenhou livros de autores lendários como João Cabral de Melo Neto e a querida Clarice Lispector. Enfim, sua partida deixará muitas saudades.

Farei uma breve reflexão a partir de um pequeno recorte de palavras escritas por ele. Uma reflexão sobre a importância de utilizarmos nosso tempo com sabedoria, valorizando os afetos em detrimento das coisas materiais! Confira!…

******************

“Acho que uma das coisas mais sinistras da história da civilização ocidental é o famoso dito atribuído a Benjamim Franklin, ‘tempo é dinheiro’. Isso é uma monstruosidade. Tempo não é dinheiro. Tempo é o tecido da nossa vida, é esse minuto que está passando. Daqui a 10 minutos eu estou mais velho, daqui a 20 minutos eu estou mais próximo da morte. Portanto, eu tenho direito a esse tempo. Esse tempo pertence a meus afetos. É para amar a mulher que escolhi, para ser amado por ela. Para conviver com meus amigos, para ler Machado de Assis. Isso é o tempo. E justamente a luta pela instrução do trabalhador é a luta pela conquista do tempo como universo de realização própria.

=> Clique aqui para ler esse texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Cada um faz a sua viagem

Por Isaias Costa

trem

Esses dias li um texto magnífico de um dos melhores sites voltados para o autoconhecimento que eu conheço, o site Yoskhaz. Era um texto que falava sobre os caminhos que cada pessoa segue e o quanto nós não temos o direito de interferir neles, querendo que a viagem do outro seja a mesma que a nossa.

Abaixo está algumas palavras desse texto e o link caso você queira ler o texto completo.

*******************

A estação

“Todas às vezes em que nos sentimos infelizes ou desconfortáveis significa que algo precisa ser modificado. Sempre na gente, nunca nos outros. Cada qual é responsável por suas transformações e arca com as consequências de suas escolhas. Abandone em definitivo vício de desejar que o outro, ou mesmo o mundo, mude para se adequar às suas vontades. Isto é falta de respeito e, pior, tentativa de dominação. Além de ser inútil por ser ineficaz. Faça a sua parte da melhor maneira possível e siga em frente, tão somente. Você pode até não concordar com o outro, mas jamais lhe impor qualquer tipo de mudança sob nenhuma condição. A recíproca também se aplica: nunca concedermos a ninguém o poder sobre as nossas escolhas. Afinal, em razão delas, caberá a cada qual as duras intempéries ou as belas paisagens da própria viagem”.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Te amo pra sempre?

Por Isaias Costa

post-sempre-header

Nós fomos acostumados a falar certas coisas que quando analisadas mais profundamente são, no mínimo inadequadas. Entre essas frases está o famoso “Te amo pra sempre…”.

Será que existe esse amor tão forte assim que se sustenta por todo o sempre? Por toda a eternidade?

Quero através desse breve texto lhe questionar sobre essa afirmação bastante duvidosa. Para embasar melhor a argumentação, compartilho algumas sábias palavras do Psicólogo e Palestrante Vitor Antenore Rossi. Confira!

*******************

Quando as sinceras juras de amor são vencidas pela rotina ou pela desilusão, os pares acabam caindo em uma espécie de dissociação afetiva. O outro que era como um farol durante as tempestades torna-se um rochedo contra o qual colisões constantes passam a ocorrer.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

2 técnicas para eliminar a procrastinação e aumentar a produtividade

Por Simone Oliveira

procrastinação

Há poucos dias foi postado um texto sobre a procrastinação [link aqui] e como nós devemos ter cuidado com o tempo desperdiçado em entretenimentos que não nos trazem benefício nenhum de crescimento.

Porém, a grande maioria das pessoas não possui disciplina necessária para evitar interrupções no meio de suas tarefas, seja para tomar cafezinhos ou jogar conversa fora, seja para consultar suas redes sociais e saber das últimas notícias ou ler artigos variados na internet (e digo isso pois sei que no mundo de hoje é muito difícil manter-se centrado numa tarefa de cada vez, já que tudo ao nosso redor é feito para que chame a nossa atenção, desviando o foco e fazendo com que percamos o fio da meada inúmeras vezes).

Gostaria de apresentar duas dicas que se colocadas em práticas podem surpreender quem as usa, no sentido de aumentar suas capacidades e, consequentemente sua autoestima e controle próprio, estimulando seu cérebro a realizar mais e desenvolver o seu potencial mais rapidamente. Elas são de graça, e apesar de parecer que isso é a propaganda de um produto que promete ser revolucionário e na verdade não tem nada de mágico, te digo que NÃO É. Seus resultados estão comprovados, bastando que você saia por aí procurando depoimentos reais de usuários que não abrem mão de pelo menos uma dessas técnicas e sinta vontade de usá-las. Mesmo porque quando acreditamos que precisamos mudar, já demos o primeiro passo, já nos mostramos conhecedores de nossa condição e queremos melhorá-la.

Pois bem, sem mais enrolações:

Técnica Número 1: Pomodoro

Bastante disseminada, a ideia do nome em original veio de um timer de cozinha em forma de tomate e para usá-la é muito simples: pegue um cronômetro qualquer – serve o do celular, algum aplicativo ou programa de computador, relógio, aparelho de som etc – e marque nele 25 minutos – o que é chamado de 1 pomodori.

Cada 25 minutos equivale a 1 pomodori.

Durante esse tempo você não irá fazer mais nada além da atividade que se comprometer a fazer dentro daquele período relativamente curto de tempo. Dessa maneira você irá forçar sua concentração apenas em uma atividade, sendo mais difícil desviar a atenção, sabendo que ao fim dos 25 minutos você estará “livre”. Deixe o cronômetro ligado e se dedique a tarefa; quando ele apitar, você irá parar imediatamente o que está fazendo e dar uma pausa de 5 minutos. Nessa pausa vale tudo, mas aconselha-se a se levantar, fazer algo com as mãos ou apenas cochilar caso a atividade ocupe demasiado a sua mente. O ideal é o descanso.

Ao fim dos 5 minutos ligue novamente o cronômetro para mais 1 pomodori, e assim por diante.

Completados 4 pomodoris você irá dar uma pausa maior – de 15 a 30 minutos – para iniciar o quinto e assim, ao final do dia você terá descoberto quantos pomodoris conseguiu fazer e o período do tempo literalmente aproveitado nas 24 horas. A satisfação é enorme ao ver que sua mente consegue se focar e ainda se cansar menos e o hábito de agir, em vez de dar lugar à inércia, fará parte da sua rotina.

Técnica Número 2: Em 3, 2, 1…

Também para indisciplinados e procrastinadores de carteirinha, a técnica do “Eu vou fazer essa coisa chata que eu preciso fazer em 3,2,1…JÁ!” aos meus olhos parece um incentivo próprio, imediato, como se levar o lixo até a lixeira ou lavar o banheiro, ou lavar os pratos do almoço fossem pequenos desafios levados ao nível de heroísmo para serem completados com maestria, e adivinha quem é o herói? Exatamente, você! Então, em vez de se martirizar porque não consegue fazer pequenos serviços simples você dá a si próprio um choque de ânimo e os transforma em missões, antecipando o orgulho que sentirá de si mesmo após termina-las e ganhando ânimo para começar. Lembre-se, 3, 2,1… JÁ! Sem tempo de pensar duas vezes, de sentir vontade de ligar a tv ou o computador ou se deitar na cama e ver o que há de novo no whatsapp.

Concluindo o assunto, devo dizer que existem muitas outras maneiras inventadas de acelerar a sua produtividade, essas são apenas exemplos. Além disso, lembro que alguns não se sentirão confortáveis com essas técnicas, outros preferirão outras, afinal de contas somos diferentes. O mais importante é encontrar o que te faz feliz e te leva para frente. Eu uso essas e apesar de não ser nada organizada, vi muitos resultados positivos desde o início. Não custa nada tentar, certo?  Experimente e me conte, nos comentários, qual é a sua opinião ou crítica.

euSimone Oliveira. Santos-SP. Bacharel em Engenharia Civil por formação e escritora por gosto. Estuda para concursos e se dedica às aulas particulares de exatas, ao namorado, à família e às suas atividades na igreja. Ainda não descobriu seu propósito na vida, mas tem certeza de que tem um. Pede que Deus a guie por esse caminho até a sua volta.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Tempo: Momentos felizes também produzem arte

Por Simone Oliveira

tempo

Geralmente ouvimos que os grandes músicos, esportistas, inventores e profissionais de renome tiveram suas maiores inspirações em momentos de extrema tristeza e agonia. De lá tiraram forças para mover montanhas de obstáculos e alcançar objetivos grandiosos. São milhares de exemplos de superação onde se exalta a derrota e a frustração para se chegar ao sucesso no fim da jornada. Porém, dessa vez falo da importância da felicidade durante o caminho diário, a cada segundo do viver.

A cada instante devemos olhar o tempo como uma oportunidade. Não apenas um meio de trabalho, estudo ou criação de ideias, planejamento, mas também como uma maneira de focar no presente e aproveitar ao máximo o que cada atividade pode nos proporcionar, seja a alegria ou a dor, sabendo que é preciso dedicar uma parcela considerável do dia para o trabalho, e outra menor, porém, não menos importante, para o lazer ou para os sonhos.

O divertimento ou o aprendizado são tão relevantes quanto a produtividade. Se soubermos ligar a nossa mente em tudo o que fizermos, tendo controle sobre os gostos e pensamentos, teremos mais vigor, alcançaremos a satisfação própria ainda que nas piores situações, realizando tarefas um tanto quanto desagradáveis aos olhos de outros, mas que são necessárias e geram um senso de dever cumprido.

Em suma, o que quero dizer é que a mente funciona pelo estímulo. Não é olhando o futuro que o galgamos agora, e sim, mantendo esse senso de estar fazendo a coisa certa nesse exato momento, e assim no minuto seguinte, e o no outro, no outro e assim por diante, que o caminho fica mais leve, prazeroso, e o fim dele será só um complemento de tudo aquilo que já degustamos.

Não é possível sempre estar atento aos sinais de que precisamos deixar a ansiedade de lado e as angústias do passado onde elas pertencem. Às vezes os problemas são outros e as situações são desesperadoras, então, nestas horas aproveite para chorar, gritar, esvair a raiva (sozinho é claro, nunca desconte nos outros, principalmente se eles fazem parte do seu círculo social e podem estar sofrendo também) e não pense que deveria estar superando, correndo! Tudo tem seu tempo. Saiba aproveitar cada segundo e não terá que lidar com as consequências de um arrependimento por algo que na verdade não era real, mas a sua mente criou.

Pare de se comparar com os outros. Muitos se diminuem ao ver que o outro tem a mesma idade mas já alcançou um emprego melhor, ou comprou um carro ou uma casa melhor, ou já casou, já teve filhos ou arrumou uma promoção. Acorde! Cada pessoa tem seu tempo, o tempo dela é outro, diferente do seu.

No fim das contas o que interessa é que sejamos felizes e tenhamos paz de espírito. Do que adianta ganhar o mundo e perder a vida ou viver como um louco, sempre com pressa de conseguir tudo e pensando que falta alguma coisa?

Já dizia o sábio Rei Salomão:

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;
Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.”

Eclesiastes 3:1-15

euSimone Oliveira. Santos-SP. Bacharel em Engenharia Civil por formação e escritora por gosto. Estuda para concursos e se dedica às aulas particulares de exatas, ao namorado, à família e às suas atividades na igreja. Ainda não descobriu seu propósito na vida, mas tem certeza de que tem um. Pede que Deus a guie por esse caminho até a sua volta.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Construa um novo prédio no lugar

Por Isaias Costa

bfc427_b6fa8789f3644633b456aa389939601d

Como eu estudo a Psicanálise e nesse momento estou concluindo uma formação nessa área, é bem comum as pessoas chegarem até mim perguntando qual a diferença entre a abordagem Psicológica e a Psicanalítica!

É normal confundir as duas, mas elas são bem diferentes e vou a partir desse texto explicar pra você por meio de uma metáfora, a do prédio que está cheio de coisas deterioradas. Você vai gostar dessa metáfora!

Imagine que um prédio está com problemas nos encanamentos, nas fiações elétricas e boa parte da estrutura está com pequenas rachaduras e pedaços de tijolo esfarelando!

Uma abordagem psicológica seria a contratação de uma série de pedreiros, eletricistas e pintores para dar uma “ajeitada” em tudo! Esse processo completo pode durar quem sabe uns 2 meses e depois o prédio é entregue com essa REFORMA.

Já a abordagem psicanalítica é como alguém que olha o prédio inteiro e diz: “Sinto muito! Sua estrutura está comprometida e pra resolver completamente só destruindo esse e construindo outro no lugar…”.

Com esse procedimento o prédio levará pelo menos 1 ano ou mais e teremos uma RECONSTRUÇÃO.

Perceba! Reforma significa “dar uma nova forma”.

Reconstrução significa “construir de novo”.

Qual dos dois é mais trabalhoso? Obviamente que a reconstrução, ou seja, a Psicanálise!

Ela trabalha analisando o INCONSCIENTE da pessoa, levando-a a rastrear todo o seu passado a partir dos momentos vivenciados na infância, onde todos os nossos problemas futuros são instalados!

Esse processo não tem como ser rápido, é demorado, mas ao mesmo tempo, os seus efeitos a longo prazo são bem mais consistentes. Diferente dos métodos psicológicos, que vão para os problemas que a pessoa está vivendo no AQUI e AGORA, e se utiliza de ferramentas para resolvê-los agora, mas não as suas causas primárias!

Por exemplo: o seu casamento acabou o você se sente desolado(a)! A Psicologia ajuda a superar toda essa dor. Você acabou de perder um emprego que gostava muito e dava segurança! A Psicologia leva a pessoa a levantar a autoestima e se fortalecer para procurar outro emprego…

Resultado? É bem comum depois de um tempo, quem vai para um psicólogo passa por outras situações complicadas e SEMELHANTES às anteriores e precisa de mais sessões para fazer outra reforma.

Com essa explicação quero deixar bem claro que não existe uma abordagem melhor do que a outra. De forma alguma! As duas são muito importantes e tem finalidades diferentes.

Eu me sinto na obrigação de explicar isso porque, infelizmente, existe muita competição entre psicólogos e psicanalistas de forma que alguns ficam querendo dizer que a Psicologia é melhor ou a Psicanálise é melhor!

CHEGA! Tudo isso não passa de briga de egos! Uma competição infantil e absolutamente infrutífera!

O resumo da ópera é esse!

Você está sofrendo muito com algo que está vivenciando agora e quer resolver apenas esse problema agora? Procure um PSICÓLOGO.

Você está se questionando sobre uma série de conflitos  internos? Sobre o por que de agir de tal jeito? Por que passa sempre pelos mesmos problemas? Quer acabar de vez com os medos que vem lá da infância? Quer se libertar do vitimismo? Da agressividade desmedida etc? Procure um PSICANALISTA.

É simples assim! O que pode ser resolvido rápido é melhor um psicólogo. O que precisa de tempo e mais esforço é melhor um psicanalista!

Agora que você já sabe a decisão é sua! Que através do autoconhecimento você se cure de tudo aquilo que o prende ao passado e atrapalha sua vida. Que você acabe com boa parte das ilusões que vivencia muitas vezes de forma inconsciente e que com a sua mudança você contribua para a mudança de muitas outras pessoas…

  • Breve reflexão em áudio sobre essa temática

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

As principais causas da procrastinação

Por Isaias Costa

amanha

A procrastinação é uma palavra complicada que está se tornando cada vez mais popular e, infelizmente, cada vez mais comum também.

Ela vem do latim pro (à frente) + cras (amanhã). Ou seja, procrastinar é deixar tudo pra depois. É o tal do “amanhã eu faço!”, “Deixa pra semana que vem…”, “Segunda-feira eu começo essa dieta…”.

Muitos não veem assim, mas a procrastinação é de fato uma doença emocional que tem diversas raízes. Venho através desse breve texto apontar as que considero as principais causas da procrastinação e garanto a você que vai valer a pena ler o texto até o final, pois talvez você se identifique com algum dos pontos ou até com todos eles! Vamos lá…

1. Medo das críticas

Analisando psicologicamente, a procrastinação começa lá na infância sabia disso? Quase sempre quem procrastina veio de uma família que fazia uma série de exigências na infância e queria que os filhos fizessem tudo de forma impecável. Foram colocados para serem adultos antes da hora. Foram deixando de experimentar o mundo através de brincadeiras, de joguinhos, onde a criatividade pudesse rolar solta.

Com esses registros vem esse famoso medo das críticas. Por ter sido muito criticado ou criticada na infância, a pessoa guarda tudo no subconsciente ou inconsciente e morre de medo de ser criticada novamente, relembrando todas essas vivências. Então para evitar isso nem mesmo chega a começar algo novo.

Pensa em mudar de emprego? Não tenta porque já pensa que não vai passar na entrevista.

Pensa em ter um relacionamento com mais dignidade? Não termina o atual porque pensa que será rejeitada por qualquer outro pretendente a namoro…

Pensa em fazer um novo curso? Não se matricula porque acha que não vai conseguir concluir, porque acha que as pessoas do convívio familiar não vão gostar, porque acha que não vai conseguir pagar as mensalidades etc. etc.

E a pessoa continua assim, só pensando e pensando mais ainda e nunca toma uma atitude concreta…

Sugestão de leitura => Como aprender a lidar com as críticas

2. Baixa autoestima

Esse ponto é fundamental. Sempre as pessoas que adiam compromissos e tarefas tem uma baixa autoestima, que certamente está ligada a educação repressora que tiveram. Está tudo inter-relacionado.

A pessoa tem medo de ser criticada, logo é sinal de que não se vê como uma pessoa com um alto grau de MERECIMENTO. Esse é um ponto chave! Todos nós só conseguimos realizar o que quisermos na vida se nos sentimos merecedores da vitória e das conquistas.

E merecimento só se conquista com muito trabalho, e acima de tudo, com muito AUTOCONHECIMENTO. Eu preciso saber quais são minhas aptidões e trabalhar em cima delas.

Eu por exemplo! Minhas maiores aptidões estão na área do ensino. Então o tempo todo procuro me especializar para dar aulas melhores, para melhorar minha comunicação, meus conhecimentos, minhas amizades e contatos profissionais etc.

Você, da mesma forma! Procure conhecer quais são suas potencialidades, para trabalhar em cima delas e assim, cada vez mais se sentir merecedor de grandes coisas! É somente dessa maneira que vamos ganhando autoestima e crescendo de verdade na vida.

Sugestão de leitura => Qual é a minha vocação?

3. Falta de foco

As pessoas que procrastinam perdem tempo demais com coisas que não vão contribuir em nada com a autorrealização e o sucesso nas empreitadas.

Esse vício, sim! Se trata de um verdadeiro vício! É preciso ser cortado e transformado o quanto antes. Um exemplo bastante enfático e atual de falta de foco sabe qual é? A INTERNET, principalmente através das redes sociais! Tem gente que perde horas no facebook ou conversando com os amigos pelo whatsapp.

Nessa brincadeira, passam-se horas, depois dias, depois semanas e no fim, as pessoas fazem tudo “nas coxas”, como se diz!

Pense em você e nas suas atividades! Quanto tempo do seu dia você perde com coisas que atrapalham o bom andamento do que você pretende fazer? Responder a essa pergunta com bastante sinceridade vai ser fundamental para você acabar de vez com a procrastinação.

4. Falta de organização e disciplina

Esse ponto está completamente atrelado ao 3º, porque se falta foco na sua vida, é porque você está desorganizado, principalmente no que se trata do nosso bem mais precioso, que se chama TEMPO.

Nosso tempo é limitado! Todos nós temos 24h por dia! Ninguém tem tempo a mais ou a menos. Já reparou nisso? Tanto aqueles que não fazem quase nada quanto aqueles que têm inúmeros projetos têm o mesmo tempo. O que diferencia quem realiza muito de quem quase não realiza? O FOCO, a DETERMINAÇÃO, a DISCIPLINA e a ORGANIZAÇÃO.

Sabe algo bem simples que já vai ajudar em mais de 50%? Uma AGENDA! Escreva no papel o que você pretende realizar! Você não faz ideia do que é colocar o que se pretende fazer no papel! Estudos científicos já foram feitos sobre isso. Quando você escreve algo, aquilo mexe direto com seu subconsciente, e a probabilidade de você dar prosseguimento é muito maior! Nada de colocar o celular pra alarmar viu? Desenvolva esse hábito de escrever no papel! Em pouco tempo você vai perceber a diferença.

5. Insegurança e dependência das outras pessoas

Esse é outro ponto bem comum! As pessoas que deixam tudo pra depois são dependentes emocionalmente de alguém. E só fazem as coisas se houver essa aprovação dessa pessoa ou dessas pessoas.

Qual é a causa primária disso? Obviamente a INSEGURANÇA, que gera a baixa AUTOCONFIANÇA.

Veja só como é interessante! A pessoa é insegura e não confia muito em si mesma. Qual é a energia que ela vai transmitir às outras pessoas? MEDO. Então, o que ela vai receber em troca? Uma série de NÃOS. É simples assim?

Você precisa confiar em você e na sua capacidade e em determinados casos, bater de frente mesmo com as pessoas queridas que convivem com você e que discordam em alguma coisa.

Pense dessa maneira: “Fazer tal coisa vai contribuir com a minha felicidade e autorrealização?” Se sim! Perfeito! Siga em frente! Mesmo que todos ao redor queiram lhe desmotivar ou desencorajar.

Acredite! Isso é muito mais comum do que se pensa. E uma das relações mais comuns em que acontece isso são nos CASAMENTOS.

A esposa quer fazer um curso novo e está super empolgada. O marido desaprova e inventa mil e um motivos para ela não fazê-lo.

O marido quer abrir um negócio próprio! A esposa diz que é um risco muito grande! Se não der certo, como é que vão pagar a escola das crianças?…

Se fosse dar todos os exemplos possíveis, esse texto viraria um catálogo…

6. Perfeccionismo

Esse ponto é a “pedra no sapato” de milhares, milhões de pessoas! Exatamente porque elas têm um imenso medo das críticas. Elas querem fazer tudo de maneira impecável. E ficam pensando assim: “Só vou fazer tal coisa quando não tiver mais nenhum margem de erro…”.

Então quando é que a pessoa com esse perfil começa e realiza? NUNCA. Porque nunca vai existir nada que seja perfeito! Repito: NUNCA.

Esse texto, por exemplo. Se pensasse assim: “Eu só vou publicar esse texto quando perceber que ele não tem mais nenhum erro de gramática…”. Já pensou? Ele ficaria só no pensamento pra sempre! Se mandasse esse texto para um gramático, eu ia ser sabatinado por ele! kkkkkkkk

Esse é o mal do perfeccionismo!

Quer fazer algo? FAÇA. Hoje em dia tem até uma frase que virou cliquê, mas acho linda: VAI LÁ E FAZ.

Deseja algo? VÁ LÁ E FAÇA. Do jeito que der e com os recursos que você possui nesse momento. Com o passar o tempo você poderá aperfeiçoar aquilo que já começou.

Você já reparou que quase tudo que prospera começou pequeno? Pode observar as grandes empresas e grandes restaurantes! Nem preciso me aprofundar nisso porque você sabe que é verdade!

Sugestão de leitura => As pessoas mais racionais tem medo da crítica

************

Enfim! Eu apontei nesse texto os pontos que considero serem os principais que geram a procrastinação. Certamente existem outros, mas eles derivam desses que coloquei aqui.

Coloque todas essas dicas na sua vida e você se perceberá dando grandes saltos de qualidade!

Paz e luz…

 

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Impondo um limite para a preocupação

Por Simone Oliveira

momento-presente

Se você está deprimido,
Você está vivendo no passado;
Se você está ansioso,
Você está vivendo no futuro;
Se você está em paz
Você está vivendo no momento presente.

Lao Tzu

Numa escala de 0 a 10, quanto você mediria a sua preocupação em relação a tudo que envolve a sua vida? Será que você é do tipo de indivíduo que leva a vida numa boa, sem esquentar muito a cabeça, fazendo as coisas em seu tempo e, quem sabe, deixando tudo para amanhã? Sem se martirizar por não conseguir se dedicar 100% em uma tarefa que envolva mais do que o modo automático de sua capacidade, seja ela mental ou física (ou ambas)? Ou será que é o contrário?

Você é daqueles que dorme e acorda cheio de tarefas a fazer, prazos a cumprir, que vive pensando nos próximos passos, planejando a sua rotina como se você fosse capaz de fazer 1000 coisas dentro das 24 horas do dia e ainda, miraculosamente, dormir 8 horas seguidas, como manda o figurino?

Se você, como eu, é como o segundo tipo de pessoa descrito acima, deixe-me fazer uma pergunta: Você, por acaso, acha que essa é uma boa característica sua? Você com certeza, no meio do turbilhão de informações que passa pela sua mente, já deve se ter feito esse questionamento, e, digo por experiência própria, você já deve ter sentido orgulho dessa consciência extremamente controladora que você tem. Ninguém, ao seu redor, seja da sua família ou dos seus amigos, precisa se preocupar, porque você já o fez! Sempre tão prevenido, pontual, honesto, esforçado, trabalhador, não é mesmo?

Bem, não, não é. E você sabe do que eu estou falando. Basta apenas um de seus planos dar errado para que a sua autoestima vá lá pra baixo! Você remói os erros indesejáveis causados pelas suas imperfeições e falhas, assim como qualquer comentário de mau gosto feito a seu respeito ou qualquer menção que o diminua, afinal de contas a opinião dos outros é importante pra você.

É bom que as pessoas reconheçam o sacrifício que você faz e como tem que lutar consigo mesmo para não procrastinar. Você não descansa até terminar todos os seus deveres, e como hoje em dia não se consegue dar conta de tudo sempre, você acaba adiando por meses, anos quem sabe, as noites tranquilas de sono, o descanso psíquico e a terapia. Você só não faz mais porque o corpo se cansa e você tem que dormir todas as noites, tendo tempo ou não.

Eu sei que cada problema que eu passo, em si, não me causa sofrimento; o que faz com que eu sofra é o tanto de vezes que eu penso na situação, em vez de realmente resolvê-la, ou durante o tempo em que eu não estou no ambiente ou no momento certo para fazer algo a respeito dela. Mas, ainda assim, o cérebro é duro e apontador. É preciso treiná-lo, discipliná-lo, ou então ele vai tirar a alegria do presente, trazendo a tona as tristezas e arrependimentos do passado, ou as incertezas do futuro, montando cenários bem prováveis de nunca se tornarem realidade, devido ao pessimismo evidente neles.

Jesus já disse, lá em Mateus 6:27-29: “Qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um cúbito à sua estatura? Por que andais ansiosos pelo que haveis de vestir? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam, contudo vos digo que nem Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles.”

Por que sou ansiosa e deprimida? Por que você, leitor, é ansioso e/ou deprimido? Já parou pra pensar? Faz sentido pra você ser assim? Pare agora, treine todos os dias não mais pensar no passado que poderia ter sido diferente (afinal de contas ele já passou e você continua vivo, portanto existe esperança, certo?) ou no futuro que ainda não chegou! Faça do seu presente o significado mais puro e simples da palavra: algo prazeroso, que você ama ganhar e quer aproveitar ao máximo! Dessa forma, seu futuro será muito melhor e você deixará o que já aconteceu pra trás.

Desejo boa sorte e muita fé nessa jornada, pois não é fácil, mas vale a pena! Até a próxima.

euSimone Oliveira. Santos-SP. Bacharel em Engenharia Civil por formação e escritora por gosto. Estuda para concursos e se dedica às aulas particulares de exatas, ao namorado, à família e às suas atividades na igreja. Ainda não descobriu seu propósito na vida, mas tem certeza de que tem um. Pede que Deus a guie por esse caminho até a sua volta.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Está tudo bem mesmo?

Por Isaias Costa

tumblr_lfslomwi0a1qgzx27o1_500

A mentira está presente na nossa vida desde as coisas menores até as falcatruas desmedidas que vemos através do descaramento dos nossos digníssimos políticos.

Farei uma breve reflexão sobre uma mentira que todos nós contamos sem nem nos darmos conta, o tal do “está tudo bem”. Muitos vezes não está tudo bem, mas insistimos em vestir uma máscara para que as pessoas pensem que a nossa vida é um mar de rosas, são as mil maravilhas…

Li na página “Digestivo – Digerindo Sentimentos”, um texto lindo da escritora Stéphanie Waknin, que me inspirou a escrever esse texto. Abaixo está esse texto na íntegra.

***********

Os mentirosos – Por Stéphanie Waknin 

Eu minto, tu mentes, ele mente… todos nós mentimos, ainda bem. Caso contrário não haveria a menor possibilidade de convívio social. Mas o que eu quero falar hoje é sobre as mentiras que contamos para nós mesmos. Aquelas verdades que escondemos de tudo, de todos e da gente. Quero falar sobre todas as vezes que preferimos inventar histórias porque encarar a verdade era dolorido demais. Quem nunca?

Acho que a mentira mais comum que nos contamos é a de que “está tudo bem”. Temos uma enorme dificuldade em admitir que algo vai mal porque não fomos educados para isso. Somos ensinados, desde a infância, a reprimir nossos sentimentos, a engolir o choro e a entender que “não foi nada”.

Falar das emoções é difícil pra caramba porque não aprendemos a pensar sobre elas. Porque dói, porque balança as estruturas, porque nem sempre sabemos o que fazer com a sensação que vem. Então inventamos lindamente as nossas verdades a fim de sublimar qualquer tipo de desconforto.

Acho que o perigo do auto engano mora em ficar muito tempo sem contato com a própria realidade. Mentir pra si pode até ser uma auto defesa útil em um primeiro momento, mas ela precisa ser desmascarada para haver a cura do que te machuca.

Tem gente capaz de viver uma vida inteira se enganando, se declarando “bem resolvida”, quando no fundo seria muito mais importante reconhecer que não é possível bancar tudo. É humano. Nem sempre vamos sustentar todas as circunstâncias com leveza e isso faz parte do nosso aprendizado.

Mentimos também quando escolhemos não enxergar. Quando preferimos acreditar, por exemplo, que alguém gosta muito de nós, pois seria muito doloroso admitir que não. Passamos a enxergar sinais que comprovem nossa teoria e nos agarramos a eles com esperança juvenil. Fazemos isso, precisamos admitir.

Ser verdadeiro é uma virtude a ser conquistada. Se não puder ser com os outros, seja pelo menos com você mesmo. Tire as lentes do auto julgamento, que fica mais fácil admitir as nossas verdades. Por mais dolorosas ou embaraçosas que elas sejam.

Link: Os mentirosos

************

Ao ler esse texto, me lembrei de uma conversa que tive uma vez com alguns amigos e parentes no qual tocamos nesse assunto da FALTA DE EMPATIA das pessoas, juntamente com a CORRERIA da vida cotidiana.

Praticamente ninguém tem mais tempo para conversar abertamente sobre a vida. A vida corrida tem feito nossos relacionamentos interpessoais se tornarem rasos e frios.

Nessa conversa brincamos que, quando alguém chega perguntando: “Oi fulano? Está tudo bem?”. Já pergunta esperando a clássica resposta: “Sim! Está tudo bem!”.

Quando alguém, eventualmente diz: “Bem! Está mais ou menos! Estou triste com tal coisa, passei por uma experiência difícil semana passada etc. etc.”.

Nessa hora internamente vem aquele pensamento: “Meu Deus! Agora essa pessoa vai passar meia hora desabafando…”. E fazemos de tudo para desconversar e deixar a outra pessoa falando sozinha!

Isso lhe soa familiar? Será que você mesmo já não fez isso? Não se preocupe! Todos nós já fizemos isso em algum momento!

Quero com essa breve reflexão lhe levar a pensar com carinho sobre essas mentirinhas que contados para nós mesmos e para os outros e que você procure ser mais transparente com seus sentimentos! Não procure fingir que sempre está tudo bem, porque ninguém consegue estar bem 100% do tempo!

Não há problema em não estar bem! Desde que você não faça disso a regra da sua vida não é mesmo?

Para que você continue refletindo sobre essa temática tão importante, compartilho abaixo um breve áudio que gravei falando sobre tudo isso e um pouco mais. Nesse áudio eu fiz a leitura desse texto da Stéphanie e fiz uma reflexão a partir dele! Vale a pena reservar uns minutinhos para ouvi-lo! Paz e luz…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized