Arquivo da tag: Yogananda

Três tipos de egoísmo – mau, bom e sagrado

Por Isaias Costa

egoista

Eu já falei aqui no blog em vários textos sobre o tema do EGOÍSMO, que sempre tem algo a ser acrescentado e aprofundado. Entre eles está até mesmo um que traz uma bela interpretação de uma das melhores músicas do grande Raul Seixas chamada “Eu sou egoísta”. Se você ainda não leu deixo o link logo abaixo.

O que é egoísmo?

Quero nesse texto compartilhar com você a belíssima visão do mestre indiano Paramahansa Yogananda, extraída do seu livro intitulado “Jornada para a Autorrealização”. Confira!

*******************

Devemos, contudo, distinguir claramente os três tipos de egoísmo: mau, bom e sagrado. O egoísmo mau faz a pessoa buscar o próprio conforto destruindo o conforto alheio. Ser rico à custa do prejuízo alheio é um pecado e vai contra os interesses do Eu superior de quem pratica esse tipo de egoísmo. Ter prazer em ferir os sentimentos alheios com ácidas críticas também é egoísmo mau; é um prazer maligno que não conduz a nenhum bem duradouro. O egoísmo bom e verdadeiro motiva um ser humano a buscar o seu próprio conforto, sua prosperidade e felicidade, mas também trazendo mais felicidade e prosperidade aos outros. O egoísmo mau oculta seus muitos dentes destrutivos de sofrimento inevitável por trás da aparência inocente de confortos temporários. O egoísmo mau encerra a pessoa num pequeno círculo, excluindo o resto da humanidade. O egoísmo bom abrange a todos, junto com o seu próprio eu, no circulo da fraternidade. O egoísmo bom traz muitas colheitas – retorno de serviços de outros, autoexpansão, empatia divina, felicidade duradoura e Autorrealização.

O egoísmo bom deveria ser praticado pelo homem de negócios, que assim, com ações e trabalhos sinceros, honestos, saudáveis e construtivos, se capacita a cuidar das necessidades de sua família e de si mesmo e presta um serviço útil aos outros. Tal pessoa é muito superior a quem pensa e age só para si, sem considerações pelos entes a quem serve nem pelos que dele dependem para sustento. O último esta agindo contra seus melhores interesses próprios; pois segundo a lei de causa e efeito, com o tempo ele atrairá sofrimento. A riqueza de muitos avarentos é deixada aos seus parentes, que na maioria das vezes a dissipam em prazeres errôneos. Este tipo de egoísmo, no fim das contas, não ajuda nem a quem dá nem a quem recebe.

Para evitar as armadilhas do egoísmo mau devemos primeiro seguir e estabelecer  padrão do egoísmo bom, no qual pensamos na família e nas pessoas a quem servimos como sendo parte de nós. A partir disso podemos avançar para a prática do egoísmo sagrado (ou altruísmo, como diria o entendimento comum), no qual vemos o universo inteiro como parte de nós.

Sentir as dores dos outros e estender a mão para libertá-los de mais sofrimento; buscar felicidade na alegria alheia; tentar constantemente aliviar as necessidades de um número cada vez maior de pessoas – isto é ser sagradamente egoísta. O egoísta sagrado considera todas as suas consequentes perdas terrenas como sacrifícios que ele mesmo acarreta deliberada e propositalmente, pelo bem dos outros e para o seu próprio ganho grandioso e supremo. Ele vive para amar seus irmãos, pois sabe que são todos filhos do Deus único. Todo o seu egoísmo é sagrado, pois sempre que pensa em si mesmo, ele pensa não no pequeno corpo e na mente de entendimento ordinário, mas nas necessidades de todos os corpos e mentes dentro de seu âmbito de conhecimento ou influencia. Seu “eu” se torna o eu de todos. Ele se torna a mente e o sentimento de todas as criaturas. Então, quando faz alguma coisa para si mesmo, ele só consegue fazer o que é bom para todos. Aquele que se considera alguém cujo corpo e membros consistem da humanidade inteira e de todas as criaturas certamente vê o Espirito Universal Onipresente como a si próprio.

Esta pessoa não age esperando algo em troca; mas, com o melhor de seu discernimento e intuição, continua a ajudar a si mesmo em todos, com saúde, alimento, trabalho, sucesso e emancipação pessoal.

Trabalhar com o egoísmo bom e o egoísmo sagrado nos coloca em contato com Deus, que descansa no altar da bondade que expande a todos. Quem percebe isso trabalha conscienciosamente, só para agradar ao Deus da paz interior, que sempre o orienta.

Paramahansa Yogananda

************************

Não vou me estender porque suas palavras são tão profundas que nem me atrevo a explicar mais do que ele já deixou explicado nessas palavras!

Quero apenas lhe levar a perceber que esses três egoísmos é como se fosse uma escadinha. 1º o egoísmo mau, que prejudica a nós mesmos e aos outros. 2º o egoísmo bom, que nos leva a estender o bem e as boas ações para os mais próximos como os familiares e as pessoas do trabalho. 3º vem o egoísmo sagrado que é a finalidade de todos os seres que almejam a iluminação do ser. Somente os grandes mestres conseguem desenvolver em suas atitudes esse altruísmo que leva o amor e o bem querer a todos os seres, sem exceção!

Eu desejo essa evolução para um dia conseguir alcançar esse egoísmo divino, que me coloca como um com tudo e com todos, e desejo o mesmo para você que me lê, que se aprofunde cada vez mais nesse autoconhecimento e nessa busca pela unidade do ser.

Concluo essa breve reflexão também compartilhando um áudio que gravei a partir dessas lindas palavras do Yogananda. Gravei para que você tenha a oportunidade de ampliar essa reflexão e levá-la também para outras pessoas! Vale a pena reservar uns minutinhos para ouvi-lo…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Aprenda a permanecer calado porém firme

Por Isaias Costa

mulher-relaxar

Todos nós ouvimos constantemente a velha máxima “O silêncio é ouro”, mas poucos de nós conseguem de fato colocar essa sabedoria de vida na prática cotidiana.

Infelizmente, existe um equívoco por parte de muita gente ao pensar que você ficar calado em determinadas situações é uma covardia, insegurança, é falta de posicionamento, mas venho com esse texto lhe dizer que depende do ponto de vista.

Compartilho abaixo o ponto de vista de um grande iluminado que viveu entre nós no século XX, o mestre Paramahansa Yogananda. Você vai entender que é possível ficar em silêncio com bastante firmeza e autoconfiança. Leia suas palavras com bastante atenção…

************

“Em suas tentativas de conviver bem com os outros, não seja um capacho, senão todos vão querer mandar em você. Quando eles não conseguem dominá-lo, ficam zangados; e se você faz o que querem, passa a ser um fraco, sem força moral. Então, como se comportar? Quando encontrar resistência a seus ideais, a melhor coisa a fazer é ficar calado porém firme. Não diga nada. Talvez você receba golpes e mais golpes verbais, mas não aceite a provocação. Recuse a briga. Com o tempo as pessoas entenderão que você não quer irritá-las mas que ao mesmo tempo tem boas razões para não querer fazer o que lhe pedem.

Se os outros se descontrolarem, vá para longe até que se acalmem. Se vocês puderem se reunir e conversar sobre o problema, será maravilhoso. A comunicação é vital. Mas se a pessoa só quiser brigar, diga simplesmente: ‘Vou caminhar um pouco’. Depois volte e se prepare para conversar. Mas se a pessoa ainda quiser conflito, saia de novo e faça uma caminhada mais longa. Recuse-se a brigar. Se você não cooperar, ninguém conseguirá entrar em discórdia com você. Nunca ponha mais combustível na cólera dos outros. A pessoa colérica só fica satisfeita quando consegue deixar você zangado também.

Posso trabalhar com qualquer pessoa, embora prefira não estar com quem não sabe viver em harmonia. Se alguém decidir que quer ganhar uma discussão, conceda-lhe a vitória – é uma vitória oca. Não discuta. Os grandes homens raramente discutem; eles sorriem e dizem: ‘Acho que não é bem assim’, mas não brigam.”

Paramahansa Yogananda

*************

Um dos pontos fundamentais a ser analisado nas suas palavras é sobre a postura irascível, imperiosa, arrogante, belicosa, que muitas pessoas tem ao se dirigir aos outros.

Não adianta bater de frente com quem tem esse tipo de postura, porque o resultado final será apenas desgaste para ambos os lados!

Ele explica com muita clareza e simplicidade que se alguém estiver disposto a brigar, a discutir, a querer ser a “dona da verdade”, você pode sair e fazer uma caminhada para tentar dialogar depois. Não é incrível?

Quando estamos com muita raiva, tendemos naturalmente a falar de forma agressiva e com palavras mordazes, que podem e sempre fazem mal a quem ouve. Isso pode ser evitado se você não alimenta essa energia, entende? É algo simples, mas depende de uma atitude de consciência!

O mais legal dessas palavras do Yogananda é que se você de fato exercitar isso constantemente, as pessoas vão literalmente “cansar” de tentar tirar você do sério, porque elas perceberão pela sua própria energia que isso não será possível, então, pouco a pouco você passa a atrair cada vez mais pessoas que vibram paz, amor, benquerença, união etc.

Esse é um processo natural que ocorre porque você alimentou e fez crescer essa energia boa dentro de você!

Nessas poucas palavras o Yogananda está ensinando a sabedoria do silêncio juntamente com a sabedoria da verdadeira autoconfiança, que não precisa nunca de discussões com ninguém, apenas a sua presença é o suficiente para que as pessoas percebam que se trata de alguém que tem autoconfiança!

Eu tenho exercitado amplamente o que o Yogananda ensina nessas palavras, e tenho obtido grandes progressos. Cada vez mais atraio pessoas maravilhosas para a minha vida e quando alguém tenta “bater boca” comigo, eu as deixo falando sozinhas e vou caminhar, ou simplesmente me afasto delas, porque certamente se trata de um convívio que poderia se tornar difícil, não porque eu queira, mas porque a outra pessoa tem um falso sentimento de superioridade.

Isso pode ajudar a entender as palavras finais dele, nas quais ele diz que opta por estar com quem tem harmonia. É bem por aí, se a outra pessoa está em desarmonia e não tem a menor vontade de mudar isso, devo respeitar seu livre arbítrio mantendo uma distância saudável dela!

Há muito mais a ser refletido e aprofundado com essas palavras do Yogananda, mas deixo as reflexões com você e deixo também um breve áudio que gravei inspirado nessas palavras dele. Confira…

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Reparta com outra pessoa

Por Isaias Costa

doe-livros

Estava lendo algumas palavras sábias do mestre Yogananda que me fizeram refletir sobre a importância do DESAPEGO e do quanto é bom REPARTIR.

Só lembrando a você que me lê o quanto essa palavra é rica. Repartir significa partir de novo, ou seja, eu pego algo que seria só para um ou dois e divido para bem mais pessoas!

Por incrível que possa parecer, a matemática do repartir não é lógica, ela é absolutamente ilógica.

Quanto mais a gente divide, mais a gente multiplica…

SEMPRE!

Infelizmente, por vivermos numa sociedade capitalista, é implantada na nossa mente a ideia de que não há recursos para todos, de que devemos “guardar nosso quinhão” etc etc. Mas tudo isso não passa de um mecanismo perverso para que as pessoas cultivem a miséria e vivam infelizes!

Estou nesse breve texto lhe incentivando a transformar sua vida numa abundância infinita. E só conseguimos isso à medida que repartimos não só o que temos, mas acima de tudo, quem somos.

Vamos às palavras do Yogananda?…

*******************

Quando me dava um alimento ou guloseima especial, minha mãe costumava dizer: “Reparta com outra pessoa”. No início achei que ela estava tentando me dar menos. Mas imediatamente comecei a pensar: “Bem, se gosto tanto disto, talvez outra pessoa também o aprecie”. Então decidi que devia compartilhar. Mas daí me veio o pensamento: “Se eu dividir com todos, não sobrará nada para mim”. Isso começou a me intrigar. No entanto, o que passou a ocorrer quando eu repartia com osoutros é que eu desfrutava mais ainda da minha parte – a alegria que recebia por compartilhar era muito maior do que a alegria de ter a coisa em si. Por isso sempre abri mão de coisas que amava. Sempre que outra pessoa queria ou precisava de um objeto meu, minha mente dizia:

“Bem, ela está ‘doente’ com este desejo e você está curado de desejar as coisas; então vamos lhe conceder este benefício”. Objeto por objeto, dei tudo o que me veio ter às mãos – e minha alegria foi multiplicada.

Quando eu queria uma coisa e a conseguia, desfrutava dela; e quando a dava a outra pessoa, desfrutava de novo. Jamais permiti que qualquer desejo se apossasse de minha alma; isso seria contrário ao ideal de egoísmo espiritual, que visa ao bem-estar do meu verdadeiro Eu. Nunca ame nada a tal ponto que aquilo tome posse de você.

Paramahansa Yogananda

********************

Essa é a palavra chave: REPARTIR. Reparta com os outros e você será o maior beneficiado.

Eu sou prova viva disso até mesmo aqui no blog. Reparto meus conhecimentos adquiridos ao longo dos anos e sempre recebo muito mais do que dou. E recebo muitas vezes através do que chamamos de INTANGÍVEL, como saúde do corpo, paz de espírito, o calor de amizades sinceras, as experiências compartilhadas dos leitores que me enriquecem etc.

Esse é o multiplicar que vem com o repartir!

Outra experiência que aos pouquinhos estou transformando em um hábito e já estou vendo os frutos positivos é o simples ato de DOAR meus livros que já foram lidos e sei que não precisarei mais deles!

Tenho feito isso constantemente, adoro comprar livros e devoro pelo menos uns 2 por mês, então depois que leio ou mesmo releio, sei que não precisarei mais deles, então escolho alguém dentro do meu universo de pessoas conhecidas e simplesmente dou algum livro que sei que fará bem…

A partir desse repartir tenho recebido feedbacks maravilhosos destes que doei livros.

Agora imagine esse simples ato sendo feito por mais e mais pessoas? De que adianta ficar com um montão de livros pegando poeira na estante? Muitos se orgulham de ter uma estante cheia de livros! Por quê? Em  Minha opinião isso não passa de VAIDADE!

Nessa hora tomo emprestado as palavras do meu amigo Alex Castro, que escreve textos maravilhosos na internet.

Uma vez um amigo lhe visitou em sua casa e viu sua estante de livros e disse:

– Nossa Alex! Quantos livros! Você leu todos eles?

– Não! Esses são os que não li. Os que li já dei todos para os amigos!

Não é incrível? Minha estante está aos pouquinhos ficando parecida com a do Alex! Que tal você aderir a essa proposta dele e na qual estou pegando carona? Tenho certeza que você fará um bem enorme a muita gente, mas principalmente a você mesmo, porque estará se tornando mais DESAPEGADO, e consequentemente, mais sábio!

Há muito mais a ser falado sobre o desapego e sobre essas palavras do Yogananda, mas deixo as reflexões com você agora!

Lembre sempre: reparta com os outros…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Se você anda com gambás, não consegue sentir o perfume das rosas

Por Isaias Costa

70213_papel-de-parede-gambas_1600x1200

Esses dias li algumas palavras do mestre Yogananda que me deixaram bastante reflexivo. Suas palavras vão bem ao encontro daquele conhecidíssimo ditado: “Diga-me com quem tu andas e te direi quem és”, ou mesmo outro ainda mais interessante que diz: “Nós somos a média das cinco pessoas que mais convivem com a gente…”.

Enfim! Farei uma breve reflexão sobre a importância de termos boas amizades na vida. Confira suas palavras!

****************

“As pessoas más não querem mudar; portanto, a melhor política é manter distância delas. Há mais bem do que mal no mundo, e mais pessoas boas do que más. Contudo, se você anda com gambás, não consegue sentir o perfume das rosas. Pode parecer que o mal é maior do que o bem, porque o primeiro é mais difícil de esquecer…. “

Paramahansa Yogananda

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Cante a sua própria canção

Por Isaias Costa

cante a canção da alma

Cada vez mais eu tenho me interessado pelo tema da CRIATIVIDADE. Muita gente pensa que a criatividade é um privilégio para poucos, que existem pessoas que jamais se tornam criativas porque não têm essa capacidade e venho hoje dizer a você que isso não existe. Todos nós podemos SIM ser extremamente criativos, mas existe um caminho longo e árduo para isso.

É o caminho do AUTOCONHECIMENTO. Quanto mais você se conhece, mais adentra no universo da criatividade e pode construir um legado muito bonito.

O que me inspirou a escrever esse texto foram algumas palavras do místico oriental Osho. Confira!

******************

Se seu coração não canta e dança, você não está vivendo de fato, está apenas se arrastando – cumprindo certos deveres, passando por certos rituais, controlando e mantendo uma fachada.

Mas no fundo há um vazio e uma grande agitação, porque você sabe, na parte mais íntima do coração, que a vida ainda não se realizou, que você ainda não conseguiu cantar sua canção.

Todas as pessoas nascem com uma canção, uma canção própria, e, a menos que a cantem, a vida delas não se realiza.

Olhe uma árvore quando floresce e você verá em torno dela um grande contentamento e um grande júbilo.

Ela está dançando porque chegou em casa, cumpriu a tarefa que lhe foi confiada. Não está mais vazia, está transbordando.

As flores só surgem quando a árvore transborda, e as canções também só aparecem quando a pessoa transborda.

Osho

*********************

São palavras simples, mas de uma riqueza incrível. Ele fala sobre esse TRANSBORDAR, ou seja, estar “além das bordas”.

Existe uma simbologia incrível sobre o transbordamento. Perceba! Ao se encher uma xícara, por exemplo, ela tem uma borda e vai sendo enchida “DE DENTRO PRA FORA”, mas algo enche essa xícara, ela não se enche sozinha. A pessoa precisa buscar algo “DE FORA PRA DENTRO”, e esse “de fora pra dentro” é a sabedoria que vem com esse autoconhecimento, que pode ser adquirida de “n” formas, mas eu sempre recomendo a sabedoria dos grandes mestres como Jesus, Buda, Krishna, Yogananda, Confúcio e por aí vai.

Sugestão de leitura: De dentro pra fora. De fora pra dentro

E depois que a xícara transborda, aquilo que “sobra” nela é espalhado para as outras pessoas!

Esse é o caminho para a sabedoria, meus amigos! Sempre escrevo sobre isso aqui, de diversas formas diferentes.

Primeiro se torne tão cheio de si mesmo, tão inteiro e equilibrado, que você irá transbordar esse amor, esse equilíbrio, essa energia!

Uma vez ouvi um programa de rádio do professor e terapeuta Marcello Cotrim chamado “Entrevidas” e no programa ele comentava que tudo aquilo que vem da nossa essência é ilimitado e ele citou a criação artística de um modo geral: música, pintura, escultura, teatro, escrita etc.

Concordo plenamente com ele! E falo a partir de mim mesmo. Não fico preocupado se vou ter inspiração para escrever ou coisas parecidas. NÃO. Eu simplesmente vou vivendo e deixando que as inspirações venham por si só! E elas vêm, porque procuro ser ESPONTÂNEO.

O Osho sempre ensinava isso para as pessoas, tem até uma frase dele que coloquei em outro texto que diz: “O importante não é ser perfeito e sim ser espontâneo”.

Tudo que tentamos fazer com perfeição está morto antes mesmo de termos começado, porque o perfeccionismo é uma doença, um distúrbio. O Osho também falava isso: “Qualquer coisa viva precisa ser imperfeita”. Acredite! A CRIATIVIDADE vem da IMPERFEIÇÃO.

Quanto mais você tiver essa certeza de que tudo que fizer será imperfeito, mais criatividade vai surgir no seu coração e mais você irá transbordar.

Deixe que essa criatividade flua a partir do seu coração. E isso pode ser levado para tudo viu? Levei para o campo artístico porque é nele que a criatividade é mais evidentemente expressada.

Você pode levar isso para a sua família, para o seu relacionamento amoroso, para o seu trabalho, para o seu grupo religioso e por aí vai!

Seja ESPONTÂNEO. Da espontaneidade nasce e cresce tudo que há de melhor na gente!

Para concluir, preciso falar sobre um componente fundamental, a PRESSA. Muitas pessoas não conseguem essa criatividade por causa da pressa. Leia mais uma vez: “As flores só surgem quando a árvore transborda, e as canções também só aparecem quando a pessoa transborda”.

As flores não surgem antes da hora e uma pessoa criativa não surge da noite para o dia, ela precisa ser lapidada. E o que lapida essa criatividade? O AUTOCONHECIMENTO. Se aprofunde nessa busca pelo autoconhecimento que tudo na sua vida se tornará um transbordamento.

Daí você cantará a sua própria canção, como o Osho e os grandes mestres nos ensinaram.

Paz e luz…

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Como lidar com pessoas insuportáveis?

Por Isaias Costa

padel_descabelar-Small

Vou falar nesse texto sobre um tema difícil e bastante delicado, que requer sensibilidade e sensatez para ser exposto na forma escrita.

Ele tem um foco na Psicologia Comportamental e Transpessoal. Vou falar à respeito das pessoas que são consideradas insuportáveis.

Gosto muito de conhecer as raízes das palavras e recentemente aprendi o significado mais profundo desta. Ela significa:

INSUPORTÁVEL = AQUELE QUE NÃO TEM UM SUPORTE

Analisando com profundidade a etimologia desta palavra, vi o quanto ela é rica de significado. Uma pessoa é considerada insuportável quando ela não tem um suporte dentro dela mesma e busca esse suporte do lado de fora, de “n” formas diferentes, sempre machucando alguém durante o processo.

Antes de qualquer coisa, quero lhe levar a refletir sobre isso. O que caracteriza uma pessoa insuportável? Essa é uma pergunta bastante sutil e delicada porque varia muito de pessoa para pessoa. Isso vai depender acima de tudo da PERSONALIDADE de cada um.

Vou falar aqui de acordo com a minha experiência ligada à espiritualidade e à transcendência OK? Na perspectiva de outras pessoas isso pode ser bem diferente!

As pessoas insuportáveis, na minha visão, são aquelas que não desenvolveram uma AUTOESTIMA profunda. E por causa disso não têm esse suporte dentro de si mesmas. Elas buscam de alguma maneira preencher seus vazios interiores com pensamentos, sentimentos e comportamentos que exacerbam o EGO.

Os comportamentos egóicos mais típicos são os de vítima, de incompetente, de injustiçado, ou do lado oposto, de insubstituível, de “PhD”, mestre, guru etc.

Nesses dois extremos moram as pessoas insuportáveis. Vou explicar com bastante calma para que você me entenda, OK?

Os que se fazem de vítimas, de incompetentes ou injustiçados têm dentro de si uma série de crenças limitantes, muitas vezes até traumas adquiridos na infância, e por isso crescem cheias de medos, de carências afetivas, de sentimentos de culpa, de inadequação e por aí vai.

Elas têm os chamados COMPLEXOS DE INFERIORIDADE, que só podem ser superados através do autoconhecimento.

No extremo oposto, os que se acham os “iluminados”, os mestres, os gurus, os “Messias”, os “sabe-tudo”, pensam que todos que se aproximam deles estão buscando ajuda, estão querendo aprender algo com eles, estão buscando aprender com sua sabedoria!

Essas pessoas também são insuportáveis, porque sem nem se perceberem direito, foram perdendo o que há de mais precioso em nós, nossa HUMANIDADE. Eu sempre digo por aqui que quanto mais espiritualizado eu me torno, mais humano eu devo ser, mais amorosidade deve surgir de dentro do meu coração, e não a arrogância, a prepotência, o sentimento de superioridade.

Essas pessoas têm os chamados COMPLEXOS DE SUPERIORIDADE. Que logicamente também precisam se autoconhecer muito mais ainda para deixar de serem tão arrogantes e prepotentes.

É bem interessante notar que as pessoas que se fazem de vítima quase sempre atraem para si as que são muito arrogantes e prepotentes, e as que são assim normalmente atraem as que se fazem de vítima. É algo mútuo! Não é interessante? Você já notou isso?

Estudando os escritos do grande Carl Jung, comecei a compreender que esse processo, psicologicamente falando, é chamado de COMPENSAÇÃO. E essa compensação na realidade é positiva, porque leva cada um a aprender com o seu oposto, para que alcance o EQUILÍBRIO.

Esse é o ponto mais complicado, atingir o equilíbrio. O ideal é você ser alguém com amor próprio e autoconfiança, mas que não seja arrogante, que tenha amorosidade, que saiba acolher as pessoas, que saiba compreender as diferenças etc.

Mais uma vez repito. Só através do autoconhecimento profundo isso pode ser possível! Mas estou aqui para lhe dizer que isso é possível. Eu estou aprendendo gradativamente a ter esse equilíbrio e estou ensinando um pouco desses conceitos transformadores nesse texto.

Até agora ainda não falei de forma mais direta o que fazer para lidar bem com pessoas insuportáveis, não é?

Bem! O que tenho a dizer e aprendi que é o maior e talvez o único caminho é o seguinte: Desenvolva a AMOROSIDADE.

Mas não uma amorosidade qualquer, estou falando da amorosidade ensinada pelos grandes mestres da humanidade, como Jesus Cristo, Buda, Lao Tsé, Confúcio, Yogananda, Osho etc.

Ame o próximo como a si mesmo. Essa era a máxima de Jesus Cristo.

Ao desenvolver isso, garanto a você, maravilhas começarão a acontecer com você e com todos ao seu redor.

Se você desenvolver essa amorosidade, quando estiver diante de uma pessoa insuportável você agirá com TRANSPARÊNCIA, vai dizer a ela quem você é, o que pensa, o que não gosta nela que a faz ser desagradável, e de consciência tranquila deixa a pessoa LIVRE.

Esse é o caminho da SABEDORIA. Deixar todos livres.

Lembro nessa hora uma das mais sábias frases do grande Raul Seixas: “O amor só dura em liberdade”.

Se você demonstra essa amorosidade, as pessoas que vão se aproximar de você só permanecerão ao seu lado se elas lhe respeitam como ser humano.

É bem comum existirem pessoas que por vaidade e egoísmo tentam suportar pessoas insuportáveis e acabam ficando doentes por causa disso. Talvez seja até o seu caso, quem sabe!

Essas são as pessoas que sentem PENA e , dois sentimentos puramente egóicos. Nós não devemos ter dó e pena de ninguém, ficou chocado com essa informação? Vou explicar.

Psicologicamente falando, sempre que você sente pena ou dó de alguém, nessa hora você se coloca como alguém superior, alguém que atingiu um patamar maior de consciência, de maturidade. Mas na realidade é justamente o contrário.

Se você fica com pena e dó de alguém, isso só leva a alimentar nessa pessoa o sentimento de vítima, de impotente, de incapaz, entende? Você quer mesmo fazer isso?

vitima_0

Estou querendo dizer bem claramente isso. Se você considera alguém insuportável porque se faz de vítima, de coitadinha, de incapaz, e mesmo assim, você permanece alimentando isso, sentindo raiva, se achando um injustiçado, uma injustiçada. Sinto lhe dizer, mas quem está errado é você que sente pena e dó, e não a outra pessoa!

Você está agindo com arrogância ao manter essa postura.

O que fazer então? Seja honesto e verdadeiro para dizer que não gosta do comportamento da outra pessoa e siga seu caminho em paz e consciência. Em alguns casos, talvez seja melhor até se afastar da pessoa definitivamente. Mas para isso é preciso ter muita coragem e arriscar dar esse passo difícil…

Garanto a você que agindo assim, a outra pessoa começará a refletir e pensar melhor sobre a sua própria vida!

Vou falar agora uma informação preciosa. Guarde com carinho OK?

NINGUÉM MUDA NINGUÉM

NINGUÉM MUDA NINGUÉM

NINGUÉM MUDA NINGUÉM

Mas a chave da mudança é essa:

NINGUÉM MUDA NINGUÉM, porém, a sua mudança pode mudar todos ao seu redor.

Estou com essas palavras ensinando até mesmo a ÉTICA para você que me lê.

Não adianta tentar mudar ninguém. Em vez de tentar mudar tudo ao redor, achar que os outros precisam de mudanças, olhe para você mesmo e MUDE A VOCÊ.

E essa mudança vem com o desenvolvimento da amorosidade, primeiro o AMOR PRÓPRIO, depois o amor pelos outros.

Mais uma vez volto à máxima de Jesus.

AME AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO

Você percebe como é um longo caminho aprender a amar como Jesus amou? Ele era um iluminado meus amigos! Nós temos muito que caminhar ainda para um dia aprendermos a amar com tanta profundidade quanto ele.

O outro caso é bem interessante também. Ele é vivenciado costumeiramente com funcionários em relação aos seus chefes e patrões. Muitos destes são arrogantes e se acham “deuses”.

Como lidar com essas pessoas insuportáveis? É preciso analisar com cuidado! Se você realmente acredita que faz um bom trabalho e está sendo cobrado indevidamente ou que seu patrão lhe trata com desrespeito. É bom repensar se sua AUTOESTIMA está tão sólida mesmo. Será que está?

Nessa hora tenho minhas dúvidas, porque é bem comum eu ouvir de algumas pessoas frases como essas: “Eu preciso desse emprego” ou “Se sair deste emprego agora, pode ser que demore muito para conseguir outro e como vou pagar minhas contas?…”.

bored-manda-te-700x360

Essas frases demonstram claramente o MEDO de não ter um emprego e a BAIXA VALORIZAÇÃO.

Percebe? Quando um patrão lhe trata com ignorância, com desprezo, com hostilidade… ele não está fazendo isso por maldade, está fazendo isso porque você PERMITE. Se você tivesse autoestima o suficiente, não permitiria isso em hipótese alguma, você iria se posicionar, mesmo que perdesse o emprego por “desacato à autoridade”!

E aí? Você tem essa coragem?

Nesses casos, é assim que se lida com essas pessoas insuportáveis! Mas repito. Você precisa se conhecer bem para ter essa firmeza e essa convicção de que é capaz, de que é merecedor de algo muito melhor.

Da mesma forma acontece com os que se fazem de mestres, de gurus, de “Messias”. Eles só têm seus muitos seguidores porque estes se sentem fracos e fragilizados, além de serem altamente influenciáveis. Uma pessoa que de fato tenha uma grande autoestima e amor próprio, de maneira nenhuma se submete a discursos destas pessoas que tentam doutrinar as outras.

Esse é o ponto. AMOR PRÓPRIO e AUTOESTIMA. Percebe como tudo está ligado ao amor? É tudo o que estou lhe levando a refletir desde o início…

Enfim!

Para aprender a lidar melhor com as pessoas insuportáveis, esse talvez seja o único caminho.

Se torne um ser mais AMOROSO

Paz e luz.

 

 

 

 

 

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized

É ruim ser ingênuo?

Por Isaias Costa

menina_com_uma_borboleta_no_nariz

Eu acho essa pergunta tão interessante, sabia? Talvez você se surpreenda com esse texto, pois ele traz uma perspectiva bem diferente da qual estamos acostumados.

Se eu fizer essa pergunta aqui no Brasil, creio que recebei um sonoro SIM de pelo menos uns 95% das pessoas!

Mas sabe o que eu digo a você? NÃO! NÃO É RUIM. Vou explicar!

Gosto de conhecer as raízes das palavras. Sabe o que significa “ingênuo”? Aquele que está de acordo com os genes. É a mesma raiz da palavra “Gêneses” da bíblia, ou “Genética” da Biologia!

Ou seja, significa princípio, início, criança, natureza primordial!

Bem bacana não é? As pessoas, de um modo geral, pensam que ser ingênuo é ser infantil, ser bobo, ou no modo mais popular ainda, “ser besta”.

Isso não tem nada, absolutamente nada a ver, com você ser ingênuo.

Ser ingênuo é você ter a coragem de ser você mesmo! Sem máscaras. Sem subterfúgios. Sem complexos de superioridade ou de inferioridade. Sem travas internas. Sem preconceitos ou julgamentos alheios, e por aí vai…

Será que é fácil ser ingênuo? Garanto a você que não! A gente paga um preço muito alto ao fazer essa escolha.

Realmente, como a nossa sociedade vive em um desequilíbrio sem medidas, muitos acham perigoso ser ingênuo. Eu não! Acho uma aventura! Faz a vida ter um gostinho especial! Rsrsrsrs

A ingenuidade está completamente atrelada ao AMOR. Lendo bastante sobre os grandes mestres, principalmente o mestre Jesus Cristo, consigo perceber que ele era ingênuo.

Eu tento, na medida do possível, me espelhar nele e na sua sabedoria. Essa é a grande questão. Para ser ingênuo de verdade, é preciso antes de tudo buscar o AMOR PRÓPRIO.

Quando você se ama, passa a ter o potencial para amar de forma plena as outras pessoas. Lembra a frase? “Amai ao próximo como a ti mesmo”?

Jesus queria falar sobre esse transbordamento em amor. Ele tinha um amor tão grande, tão imenso por ele mesmo, que ele espalhava esse encanto por onde andava. As pessoas olhavam para ele e se sentiam atraídas pela sua aura de paz.

Infelizmente, não foi isso que nós aprendemos sobre ele. As religiões ensinaram algo bem diferente. Elas vêm, em sua maioria, ensinando que devemos aprender com os sofrimentos, que eles são necessários, que o pecado se alastra e vem desde que nascemos, somos herdeiros do pecado de Adão…

Será que é isso mesmo? Quando leio as passagens bíblicas não vejo nada disso em Jesus. Quando leio sobre Buda, sobre Yogananda, o Eckhart Tolle, o Osho e muitos outros iluminados, nenhum deles, acredite! Nenhum fala sobre o sofrimento ser necessário.

Ele não é! Ele é uma criação nossa. Nós criamos os nossos sofrimentos e depois sempre tentamos encontrar culpados. Pode? Se quiser ler um pouco mais sobre isso, compartilho algumas palavras inspiradoras do místico Osho. Vale a pena dar uma lida…

Você cria seus próprios problemas

Esse é um ponto bem interessante. Ao contrário do que você pensa, quem é ingênuo não fica comprando sofrimento para si! Ficou chocado? É! Levei um tempo danado da minha vida para entender isso!

Aí que vem a sabedoria! A verdadeira ingenuidade nos faz sermos mais RECEPTIVOS. Nós passamos a observar mais as pessoas e a entrarmos nos seus mundos de uma maneira bastante sutil. Aí então, quando sentimos que a outra pessoa está de alguma forma invadindo a nossa individualidade, nessa hora dizemos! Espera! Não é por aí não! Vamos esclarecer as coisas?

Ser ingênuo requer um mergulho no autoconhecimento para você identificar bem quais são suas qualidades e defeitos, de forma a buscar melhorar as qualidades e se trabalhar quanto aos defeitos.

Jesus dizia: “Quem não se fizer como uma dessas criancinhas, não entrará no reino dos céus”.

Essas são palavras simbólicas. Ele não quis dizer para ser infantil, como muitos pensam, ele quis dizer ser INGÊNUO, que nas palavras mais bonitas que eu conheço, quer dizer o seguinte: VOCÊ ESTAR NA SUA ESSÊNCIA.

Agora você entende melhor porque as pessoas acham ruim ser ingênuo? Porque o número de pessoas que vive a partir da sua essência é mínimo. Nós temos várias crostas de medos, de traumas da infância, de condicionamentos, de crenças negativas adquiridas…

Enquanto não trabalharmos tudo isso dentro de nós, a ingenuidade se torna cada vez mais difícil ou até mesmo uma utopia!

Agora é engraçado que são poucas as pessoas que tem coragem de encararem a si mesmas para fazerem esse mergulho.

Eu vou lhe confortar, tá bem? Dá muito medo! Pode ter certeza. Às vezes fico com medo de mim mesmo ao olhar para as minhas sombras. Mas pense comigo! Se eu procuro jogar luz sobre as minhas sombras, nesse local sombreado passará pouco a pouco a existir luz, concorda?

Esse é o processo de iluminação! Que todos os mestres ensinam.

O caminho para ser ingênuo é o caminho da ILUMINAÇÃO. Eu quero seguir por ele! E você?

Sei que estou engatinhando nesse processo. Caio, levanto, caio de novo, levanto outra vez. Faço uma besteira aqui, outra ali, magoo alguém! Mas sei que tudo isso é para aprender, para me tornar alguém melhor.

Espero que tenha gostado dessas palavras e que você reflita com carinho sobre elas! Acredite! Ser ingênuo vai fazer de você um ser humano diferenciado nessa sociedade tão cheia de desequilíbrios…

 

17 Comentários

Arquivado em Uncategorized

O que significa se converter?

Por Isaias Costa

006d20b980edbfc870fa57d68fdb3f04

Nós vivemos em uma sociedade que, pela falta de autoconhecimento e pela cultura voltada para o materialismo, não sabe o significado real de um montão de palavras.

Esse texto talvez venha a lhe surpreender. Alguma vez você já se questionou sobre O QUE SIGNIFICA SE CONVERTER?

Eu já me fiz esse questionamento muitas vezes e hoje compartilho com você a melhor resposta que eu já li, do escritor, filósofo e teólogo Jean-Yves Leloup. Veja só!

“A primeira frase de Jesus é: Metanoie-te. Que muitas vezes é traduzido por: Convertei-vos. Como uma tradução da palavra hebraica Teshuvá, que significa voltar para si mesmo, voltar para sua terra.

Os antigos diziam que a conversão é voltar daquilo que é contrário a nossa natureza para aquilo que lhe é próprio. Reencontrar em nós essa natureza do Cristo. Essa natureza que é ao mesmo tempo luz e compaixão.
Mas qual caminho tomar?

E é aqui que a palavra Metanoie-te é importante. Assim como na palava metafísica, o radical meta significa além, por além, do mental. 

Metanoie-te é um convite a irmos além do mental. Ou seja, na maior parte do tempo vivemos em nossos pensamentos, não vivemos a realidade, vivemos na realidade interpretada; sejam as interpretações positivas, negativas ou neutras da realidade. E trata-se de irmos além dessas representações, e entrarmos num olhar puro, virgem, de todas as projeções; um olhar esvaziado de todas essas projeções que projetamos sobre o real. Não vemos a realidade, mas sim as imagens, as ideias, julgamentos sobre a realidade, e trata-se de sair dessa ilusão.”

Jean-Yves Leloup

************************

Muito interessante não acha? Você percebe que o que ele fala, inspirado no mestre Jesus Cristo, é exatamente o contrário do que a maior parte das pessoas acredita?

Se converter significa VOLTAR DAQUILO QUE É CONTRÁRIO À SUA NATUREZA.

Repito com bastante ênfase a SUA, A SUA NATUREZA.

Nós somos seres únicos nesse planeta, jamais existirá ninguém igual a nós, somos joias raras habitando esse planeta tão imensamente belo. E precisamos retornar a esse abrigo que se encontra dentro de nós mesmos.

Jesus sempre dizia a todas as pessoas: “O reino dos céus está dentro de vós…”, porém, esse ensinamento tão belo e profundo foi extremamente distorcido ao longo desses mais de 2000 anos da sua partida.

Eu acho engraçado que para a maior parte das pessoas, pelo menos no Brasil, se converter significa “aceitar Jesus como o salvador”. 

Seria lindo se essa fosse a verdade! Eu ficaria imensamente feliz se de fato se converter fosse isso. Nossa! O Brasil e o mundo já teriam se tornado um paraíso…

Mas isso não se verifica. Por quê? Muito simples! Porque não há uma aceitação real de Jesus, o que acontece é uma espécie de DOUTRINAÇÃO, na qual o líder de algum grupo religioso tenta se sobressair, impor regras e ordens etc. aí a coisa desanda. As pessoas se tornam reféns de cultos, de preceitos, de dogmas, de rituais e nem se dão conta disso.

O que falta para praticamente todas elas é um mergulho profundo para dentro de si mesmas. O AUTOCONHECIMENTO.

Lembra as palavras de Jesus? “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará…”.

Essa verdade já existe desde que você surgiu nesse mundo, ela sempre esteve dentro de você mesmo, essa verdade mora no mais profundo do seu coração e você pode acessá-la hoje mesmo, basta que você se AQUIETE e ouça essa voz tão doce e silenciosa…

A maior parte das pessoas se deixam ser doutrinadas porque SUAS MENTES estão fazendo muito barulho. Barulho mesmo! Já disse outras vezes que era religioso há alguns anos, porém, nesse tempo nunca tive acesso à minha verdade, a verdade que me libertou. E sabe qual era um dos motivos? Um dos principais? BARULHO

Participava de encontros de jovens e o que acontecia do começo ao fim era praticamente só barulho e mais barulho, mas para eles era chamado de “louvor”.

Deus mora na gente e ele adora o silêncio. Sua manifestação verdadeira e profunda em cada um de nós só acontece no silêncio. Será que você ainda duvida disso?

Portanto! Esse é o recado que queria lhe passar hoje. Espero que tenha sido bastante claro e objetivo.

O que acha de você procurar a verdadeira conversão? Saiba que você nunca vai encontrá-la na igreja, no padre, no pastor, no guru, num líder religioso etc. essa conversão já está aí, dentro de você mesmo, e ela só vai acontecer quando você SILENCIAR completamente, eliminar todos os barulhos que lhe impedem de ouvir essa voz suave…

Para continuar a refletir sobre isso, compartilho uma belíssima frase do mestre Yogananda que resume bem a ideia transmitida nesse texto. Paz e luz…

Se a água ficar quieta por muito tempo, o barro se depositará no fundo e a água se tornará clara. Na meditação, quando o barro de seus pensamentos inquietos começa a depositar-se, o poder de Deus começa a refletir-se nas águas claras de sua consciência.

Paramahansa Yogananda

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Os nossos ciclos de evolução

Por Isaias Costa

97.MagnoFranco_DespertarConsciencia

 

Nota: Por se tratar de um artigo mais longo, disponibilizo a você a sua versão em pdf sem as figuras, para facilitar sua leitura na forma impressa. O link para download está logo abaixo.

Os nossos ciclos de evolução

***********************************************

Outro dia, pensando e filosofando sobre muitas coisas, me veio em mente um insight que acabou se transformando nesse texto que você lê agora. Eu precisei de muitos anos de leituras e vivências para conseguir ter esse insight que é extremamente simples, mas ao mesmo tempo sofisticado, e é com enorme alegria que compartilho com você.

Alguma vez você já se questionou sobre por que as leituras que são chamadas de sagradas sempre são relidas não só pelas pessoas religiosas, mas também por todos aqueles que querem crescer em sabedoria? Pois é! Uma resposta mais minuciosa para essa pergunta requer uma boa dose de reflexão. Vamos lá? Acompanhe comigo!

Provavelmente, se tentarmos resumir o sentido da nossa vida em algo que seja mais simples e fácil de explanar, eu diria que significa EVOLUIR ESPIRITUALMENTE. Mas o que seria evoluir espiritualmente?

É desenvolver na vida e no dia a dia as virtudes dos grandes mestres que já passaram pela humanidade e que deixaram seus imensos legados, tais como Krishna, Buda, Jesus Cristo, Lao Tsé, Confúcio, Sócrates, Aristóteles, Yogananda, Krishnamurti, Osho e tantos outros.

Todos eles passaram por um processo de evolução até atingirem níveis extraordinários de consciência.

Nós podemos também atingir patamares de consciência como desses seres humanos que mudaram o curso da humanidade e da história. E é sobre esse aspecto que desejo lhe levar a refletir junto comigo.

Todos os mestres se inspiraram em outros para a sua formação, o que nos leva a afirmar que eles não nasceram prontos, ao contrário do que muitos pensam. Por exemplo, provavelmente o Buda teve o Krishna e outros como mestres a serem seguidos, Jesus Cristo teve o Krishna, o Buda e tantos outros, o Sócrates teve Krishna, Buda, Jesus… E assim, a evolução foi acontecendo, com novos avatares se inspirando em avatares do passado.

Como eles foram evoluindo os seus graus de consciência? Através da TEORIA e da PRÁTICA na vida de cada coisa que iam aprendendo.

Quando uma alma surge na Terra, ela tem um nível de consciência ainda muito pequeno, e essa consciência vai sendo elevada vida após vida, em um processo constante e gradual. As experiências vividas e os aprendizados retirados delas é que leva o espírito a evoluir. E essa evolução se dá primeiramente na compreensão da teoria e levando isto para a sua vivência.

Por isso que as leituras sagradas nunca podem ser lidas apenas uma vez e em seguida desprezadas, porque leva muito tempo, mas muito tempo mesmo para que elas sejam completamente vivenciadas e se tornem parte de nós.

Vou citar um exemplo na bíblia sagrada. A principal e maior mensagem deixada por Jesus nos diz que devemos amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Nossa! Vivenciar essas palavras não é nada fácil, a começar pelo fato de não sabermos nos amar de verdade. A maior parte das pessoas não faz a menor ideia do que é amar a si mesmo. Pode ter certeza que esse texto e minhas palavras serão absolutamente insuficientes para responder a essa pergunta. Amar a si mesmo é algo muito profundo, que leva a todas as esferas da vida.

Veja só algumas coisas que estão relacionadas com o amar a si mesmo.

  • Saber que seremos sempre eternos aprendizes nesse mundo;
  • Ter cuidado com o corpo, para que ele não se sobrecarregue com atividades diárias intensas demais ou fique inerte, ou seja, sem nenhuma atividade;
  • Cuidar do corpo para não comer em demasia, ou passar fome e ficar doente por falta de nutrientes;
  • Ter a convicção de que jamais poderá agradar a todas as pessoas;
  • Saber que precisamos desenvolver algo para a sociedade que seja para o nosso bem e que promova o bem das pessoas;
  • Saber que vivemos em um planeta no qual somos apenas parte de algo muito maior, e que tudo que fazemos para nós, de uma forma ou de outra acaba refletindo em todas as pessoas…

Enfim! Esses são apenas alguns pontos. Certamente existem dezenas e dezenas de outros pontos. Você percebe como amar a si mesmo é algo amplo? Definitivamente não é algo que se aprende do dia para a noite.

Se nós lemos apenas uma vez na vida essas belíssimas palavras de Jesus e não procuramos vivenciar, mesmo que só um pouquinho, o que elas querem dizer, estas palavras não passarão de meras palavras e jamais farão sentido algum para a nossa vida.

Então, o que nós fazemos? Lemos uma vez e não conseguimos entender muito bem o que tais palavras querem dizer, mas tentamos, na medida do possível, aplicar na vida e no dia a dia esses ensinamentos.

Ao fazermos isso, a vida nos enche de PROVAS para realmente nos testar se estamos aprendendo ou se ficou tudo só na teoria. Essas provas acontecem para nossa evolução. E como não poderia deixar de ser, nesse caminho nós erramos feio muitas vezes. E esses erros servem como parte desse processo de aprendizado e evolução.

Ao corrigirmos nossos erros, subimos um degrauzinho nesse processo evolutivo que nunca tem fim. Nesse momento acontece algo incrível, nós EXPANDIMOS A NOSSA CONSCIÊNCIA. E ao expandi-la, passamos a enxergar a vida e tudo que nos cerca com olhos mais profundos, com um pouquinho mais de sabedoria, de compaixão e de amor.

get_img

Nessa hora, nos deparamos de novo com o mesmo ensinamento: “amar ao próximo com a si mesmo”. E percebemos que ele já está fazendo um pouco mais de sentido do que quando foi lido pela primeira vez. Esse sentido maior se deu por causa da elevação da nossa consciência.

Depois desta segunda leitura, nós partimos para a PRÁTICA da vida, que nos lança desafios ainda maiores e mais exigentes. Novamente nós erramos e erramos, mas procuramos corrigir nossos erros. E nesse processo de corrigir os erros, evoluímos mais um pouquinho. E com essa evolução, passamos a enxergar com olhos mais conscientes, amorosos, gentis, generosos, empáticos, benevolentes.

Nessa hora, começam a desabrochar novas virtudes e começa a surgir e crescer dentro da gente um ser humano de fato mais HUMANO, que pensa nos outros, que se preocupa com a alegria, o conforto, a saúde, o bem estar das outras pessoas etc. Daí começa a surgir em nós um ALTRUÍSMO que vemos claramente em todos os grandes mestres da humanidade.

Com essa consciência um pouco mais expandida, novamente voltamos para o mesmo ensinamento: “amar ao próximo como a nós mesmos…”. E passamos e enxergar coisas que não enxergávamos antes, exatamente porque nossos olhos não tinham sido abertos o suficiente, entende?

E esse processo continua, ano após ano, e vida após vida. E o destino final de todo esse processo de evolução é alcançarmos a nossa natureza CRÍSTICA ou BÚDICA, que é a chamada ILUMINAÇÃO.

Todos os grandes mestres alcançaram essa iluminação e deixaram seus legados para a humanidade como sendo o caminho rumo a essa natureza perfeita que todos nós um dia iremos alcançar.

Isso não é fantástico? Demorei muitos anos para entender um pouquinho mais isso e traduzir em palavras essa sabedoria tão magnífica.

Ao refletir sobre tudo isso, não posso deixar de falar sobre o TEMPO. Ele é importantíssimo e crucial nesse processo de elevação da consciência. Eu já venho buscando o autoconhecimento há muitos anos e agora que estou começando a enxergar com um pouquinho mais de clareza. Sei que ainda preciso caminhar longas estradas rumo a essa consciência crística, mas não tenho dúvidas que o caminho é mais ou menos nessa direção.

maxresdefault

Se você prestou atenção nas minhas palavras, talvez tenha percebido que tudo se trata de CICLOS, no qual voltamos para o mesmo lugar, mas quando voltamos para esse lugar, não somos mais os mesmos, voltamos com a consciência um pouquinho mais evoluída. Segundo a teoria reencarnacionista, no processo de morte e reencarnação, nós guardamos nossa MEMÓRIA CÓSMICA, que fica arquivada no nosso INCONSCIENTE e passa pela conhecida LEI DO ESQUECIMENTO a cada vez que reencarnamos, e novamente, segundo essa teoria, os que se tornam cristos, conseguem recordar toda a sua memória cósmica, ou seja, conseguem se lembrar de todas suas vidas passadas.

Não vou entrar no mérito da questão, porque levaria muito tempo e teria que escrever um artigo muito maior do que esse, mas em resumo, podemos crescer muito o tempo todo através das nossas experiências e do amadurecimento através do tempo, por isso a importância de citá-lo.

As grandes virtudes levam anos e anos para serem internalizadas e se tornarem partes de nós.

Para nos tornarmos seres iluminados, essas grandes virtudes devem fazer parte de nós como se fosse nosso próprio DNA, entende? Por isso que não é nada fácil.

Em outras palavras, quem desenvolve essa natureza crística, em todas as atitudes e em 100% do tempo, agi a partir dessas virtudes, é sempre justo, é sempre generoso, é sempre honesto, é sempre misericordioso, afetuoso, acolhedor, paciente, compassivo, altruísta, desapegado, sereno etc. etc. etc.

É provável que nessa hora você pense algo tipo assim: “Nossa! Jamais eu vou conseguir desenvolver todas essas virtudes…”. E quem disse que precisa? Eu disse por acaso? Essa é outra grande questão e importantíssima.

Precisamos desenvolver tudo aquilo que for possível no HOJE, no AGORA. O melhor que podemos ser HOJE já está valendo nesse processo todo. Pode ter certeza meu amigo! Se só por hoje eu consegui por em prática na vida essas grandes virtudes, se eu passei por experiências nas quais eu poderia ter reagido de uma maneira estúpida, de uma maneira violenta, de uma maneira hostil, mesquinha, ciumenta etc. e não agi, isso mostra que eu estou no caminho certo.

O importante é ter esse COMPROMISSO consigo mesmo, buscar dar o primeiro passo, para desta forma vir o segundo, vir o terceiro, o quarto e assim por diante…

Antes de concluir, quero falar sobre uma obra rara na literatura mundial, trata-se do livro “O pequeno príncipe”, do Antoine de Saint-Exupéry. Esse é um livro que considero praticamente uma leitura obrigatória para todas as pessoas. Ele é absolutamente atemporal e tem uma magia quase inexplicável.

Todos que leem esse livro, ao terminarem de ler, têm a impressão mais ou menos assim: “Esse livro foi feito pra mim…”. E é verdade! Foi feito mesmo! Como ele trata de temas universais como o amor, a amizade, os afetos, etc. é impossível não se identificar com ele.

Mas por que estou falando sobre esse livro? Porque ele é cheio de simbolismos, ou seja, apesar da sua linguagem fácil, nunca poderemos entender TUDO o que ele traz de mensagem lendo apenas uma única vez. A cada vez que o relemos, algo a mais de ensinamento é acrescentado ao nosso repertório de vida.

Eu já li esse livro umas quatro vezes e a cada nova leitura aprendi coisas novas. É impressionante.

A sua mais célebre frase diz assim: “O essencial é invisível aos olhos”. Essa frase tem uma profundidade e riqueza magnífica. Lendo superficialmente, não podemos retirar a mensagem que o Exupéry quis nos transmitir.

Esse essencial que ele nos fala tem a ver com a SABEDORIA DA SIMPLICIDADE. Na vida, mais cedo ou mais tarde, todos nós acabamos descobrindo que a maior sabedoria mora na simplicidade. Inclusive esse próprio texto que você está lendo agora! Ele surgiu desta simplicidade. Tudo aquilo que estou colocando aqui não tem nada de extraordinário, mais tem uma profundidade muito grande, e se você conseguir captar bem a mensagem contida nele, você pode crescer em sabedoria, em consciência e em amor.

Certamente ainda lerei o livro “O pequeno príncipe” algumas vezes antes de morrer, e sei que continuarei aprendendo coisas novas.

É preciso pensar a respeito da mente e as fases da nossa vida, a mente de uma CRIANÇA jamais será como a mente de um ADOLESCENTE, ou de um ADULTO ou de um IDOSO. Em cada uma dessas fases vemos a vida e o mundo de forma absolutamente peculiar e única.

Uma criança lê “O pequeno príncipe” com toda sua ingenuidade e olhos de fantasia. Interpreta os animais e personagens da estória de um jeito bem simplificado.

Já um adolescente lê pensando em coisas totalmente diferentes. Um adulto não consegue ler fantasiando nada, já que a vida se encarrega de transformá-lo numa “pessoa grande”, como o próprio livro diz, e que enxerga tudo ao pé da letra. Já um idoso já lê com olhos cheios de saudade, pensando no quanto a vida é passageira e com vontade de voltar a ser criança como o pequeno príncipe no seu planetinha distante.

Percebe como é interessante a mudança de perspectiva para cada idade e fase da vida?

É assim que acontece nosso processo evolutivo. É assim que vamos crescendo em sabedoria.

Da mesma forma que esse livro, muitos outros livros são assim, sempre valem a pena serem lidos em fases diferentes da vida…

Em resumo. Era isso o que tinha para dizer. As leituras sagradas, aquelas que nos ensinam as grandes virtudes e sabedorias, devem ser lidas e relidas e relidas muitas vezes, para que em cada momento de releitura estejamos um pouco mais conscientes para compreendermos a mensagem que elas querem nos transmitir.

Quero concluir falando o que costumo falar constantemente por aqui. A mudança sempre, SEMPRE começa com a gente, para depois atingir as outras pessoas, e através das outras pessoas, chegar à cidade, estado, país e até o mundo inteiro.

Nunca esqueça: “A gente muda o mundo na mudança da mente”, como diria meu amigo Gabriel, o Pensador.

Para que você reflita um pouco mais sobre tudo isso que foi colocado, compartilho um texto de autoria desconhecida que resume de forma magnífica a mensagem principal. Desejo a você mais paz, luz e amor no coração…

BASTA MUDAR A SI MESMO PARA MUDAR O MUNDO

“Um jovem sonhava em mudar o mundo. Investiu muito tempo da sua vida para realizar esse ideal. Com o passar dos anos, percebeu que a proposta era ampla demais e restringiu seu sonho a mudar seu país. Depois de trabalhar algum tempo para isso, convenceu-se de que era muito difícil mudar o país, e pensou em mudar sua cidade. Mas aí também se frustrou e procurou mudar sua família, tentando ensinar-lhe a melhor maneira de resolver os problemas; porém ninguém lhe dava atenção, alegando que ele não conseguia nem mesmo resolver os seus. O tempo passou. O jovem tornou-se ancião, sem nada ter conseguido mudar. Um dia, sentindo-se triste, ao analisar sua vida e o motivo de seu fracasso, concluiu: “Se eu tivesse começado por corrigir meus próprios erros e me transformado, talvez minha família, vendo o meu exemplo, também tivesse mudado”. Minha família transformada poderia mudar a vizinhança que mudaria a cidade, o país e de repente o mundo inteiro.
A transformação do mundo exterior virá como consequência da transformação do seu mundo interior.”

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Um bom ambiente pode transformar a sua vida

Por Isaias Costa

7845212368_2258251189_bUm dos textos que escrevi logo no início do blog, quando ainda estava fazendo mestrado, falava sobre as pessoas e lugares kriptonitas.

Nele, fiz uma analogia com a atuação da kriptonita sobre o Super-man. Sabemos bem que ele perde todas as suas forças quando em contato com ela.

Da mesma forma acontece com relação a certas pessoas e ambientes. Para os que ainda não leram, segue o link abaixo:

Pessoas e lugares kriptonitas

Nós somos um corpo de energia. Somos seres espirituais e sentimos a energia presente em tudo ao nosso redor. Quanto mais sensível for uma pessoa, mais ela sentirá essa energia que está contida em tudo.

Quero compartilhar um texto muito sábio do iogue indiano Paramahansa Yogananda para nos fazer refletir sobre o poder de um bom ambiente sobre a nossa vida e nosso sentimento de paz, e farei um breve comentário a partir dele.

********

Vida simples e pensamento elevado devem ser a meta. Aprenda a levar em você todas as condições da felicidade, meditando e sintonizando a consciência com as influências externas. Seja qual for o ambiente, não permita que sua paz interior seja afetada por ele. Analise-se, torne-se o que você deve e quer ser. Raramente as pessoas aprendem o verdadeiro autodomínio, fazem coisas que prejudicam seu bem-estar maior e pensam estar sendo felizes; mas não são. Ser capaz de fazer as coisas quando e porque devem ser feitas, e recusar-se a fazer o que sabe que é prejudicial – eis as chaves do sucesso e da felicidade verdadeira.

Não mantenha a mente ocupada com muitas atividades. Analise o que ganha com elas e veja se são realmente importantes. Não desperdice tempo. Ler um bom livro é muito mais útil do que ver filmes. Costumo dizer: “Se você lê durante uma hora, escreva em seu diário espiritual durante duas horas; se escreve durante duas horas, pense durante três horas; se pensa durante três horas, medite todo o tempo”. Onde quer que eu vá, mantenho a mente continuamente na paz da alma. Você também deve sempre apontar a agulha da atenção para o polo norte da alegria espiritual. Então, ninguém poderá jamais perturbar seu equilíbrio.

Lembre-se disto: se cada novo dia não encontrá-lo melhor do que no dia anterior, você está regredindo – em saúde, paz mental e alegria da alma. Por quê? Porque não exerce controle suficiente sobre suas ações. Você mesmo criou seus hábitos e você mesmo pode mudá-los. Se tem pensado de maneira errada, tome a decisão de andar em boas companhias, estudar e meditar. Uma mudança de companhia pode fazer grande diferença. A influência mais forte na vida, ainda mais forte que a força de vontade, é o ambiente. Modifique-o, se necessário. Enquanto não for mentalmente forte, nunca será o que deseja ser sem um bom ambiente para ajudá-lo. Quando encontrar dificuldade em modificar-se para melhor, companheiros espirituais e outras influências inspiradoras serão essenciais.

A auto-análise também é essencial para ajudá-lo a aprimorar-se. Se puder analisar-se corajosamente, será capaz de suportar, sem pestanejar, uma análise crítica feita pelos outros.

Aqueles que gostam de falar dos defeitos alheios são abutres humanos. Já existe maldade demais no mundo. Não fale mal, não pense mal e não faça mal. Seja como a rosa, exalando para todos o doce aroma da bondade da alma. Faça todos sentirem que você é um amigo, que está pronto a ajudar, não a destruir. Se quiser ser bom, analise-se e desenvolva as virtudes que existem em você. Expulse a ideia de que o mal faz parte de sua natureza e ele se irá. Faça os outros sentirem que você é uma imagem de Deus, não pelas palavras, mas pelo comportamento. Enfatize a luz e não existirá mais escuridão. Estude, medite e faça o bem aos outros.

Paramahansa Yogananda

********

Posso falar sobre isso com conhecimento de causa, pois já vivi na pele o que ele está falando nesse lindo texto. Desejo que você preste muita atenção nestas palavras.

Já falei aqui inúmeras vezes que fiz Bacharelado em Física, mas não me sentia nem um pouco feliz no curso que fazia, por causa do ambiente e das pessoas.

Passei e continuo passando por um intenso processo de autoconhecimento, e esse caminho que estou trilhando há vários anos foi naturalmente me levando a ambientes cada vez melhores e favorecedores do meu crescimento humano.

A dica que o Yogananda nos dá é preciosíssima, e aproveito para esclarecê-la ainda mais.

Quando você está em um ambiente que não favoresse o seu crescimento, você tem o poder de ESCOLHA para mudar de ambiente, para um que se sinta melhor.

Ao fazer isso acontece algo incrível, você vai fortalecendo a sua interioridade, é como se fosse uma vacina fortalecedora do sistema imunológico. Pouco a pouco seu sistema imunológico chamado interioridade, vai se tornando mais e mais equilibrado e harmonizado.

É por isso que ele nos diz: “Enquanto não for mentalmente forte, nunca será o que deseja ser sem um bom ambiente para ajudá-lo. Quando encontrar dificuldade em modificar-se para melhor, companheiros espirituais e outras influências inspiradoras serão essenciais”.

Percebe a importância da espiritualidade? Ela é a chave para tomar atitudes mais acertadas, para adentrar em ambientes melhores e com pessoas melhores.

Busque companheiros espirituais! Eles são muito importantes na nossa vida, pois nos levam a encontrar o ouro presente em nossa interioridade.

Nos meus caminhos e mudanças, encontrei seres humanos profundamente espiritualizados, que ainda hoje fazem parte da minha vida e me ajudam a crescer como ser humano.

Hoje, posso dizer que tenho uma mente um pouco mais fortalecida. Se eu adentro em um ambiente com pessoas de difícil convívio, já não me abalo como antes. Estou aos poucos levando a luz da minha interioridade para esses ambientes também.

Mas lembre-se, a mudança nunca acontece no ambiente, acontece sempre na gente, mudando a nós, mudamos nossa perspectiva do mundo, das pessoas e dos ambientes, e tudo passa a se tornar mais luminoso, mais harmonioso, mesmo que o ambiente não favoreça isso.

Enfim! Reflita sobre essas palavras. Busque o autoconhecimento, busque elevar o seu pensamento, utilizar bem o seu tempo com atividades que elevem o seu espírito e busque companhias mais espirituais.

Fazendo isso, não tenho dúvidas que sua vida dará um maravilhoso salto de qualidade, e você provavelmente lembrará desse texto dizendo: “Não é que ele tinha razão!!”

Muita paz e luz na sua vida!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized