Arquivo da tag: amizade

Eu quero aproveitar o meu tempo de forma que me humanize

Por Isaias Costa

18403547_1126917340748257_2178202712516734272_n

Antonio Candido

Estou escrevendo e publicando esse texto exatamente no dia da morte de um ser humano incrível e que nos deixou um imenso legado de sabedoria, o sociólogo Antonio Candido. Falecido no dia 12 de maio de 2017 aos 98 anos de idade.

Esse senhor foi professor de sociologia em uma das melhores universidades do Brasil, a USP, e resenhou livros de autores lendários como João Cabral de Melo Neto e a querida Clarice Lispector. Enfim, sua partida deixará muitas saudades.

Farei uma breve reflexão a partir de um pequeno recorte de palavras escritas por ele. Uma reflexão sobre a importância de utilizarmos nosso tempo com sabedoria, valorizando os afetos em detrimento das coisas materiais! Confira!…

******************

“Acho que uma das coisas mais sinistras da história da civilização ocidental é o famoso dito atribuído a Benjamim Franklin, ‘tempo é dinheiro’. Isso é uma monstruosidade. Tempo não é dinheiro. Tempo é o tecido da nossa vida, é esse minuto que está passando. Daqui a 10 minutos eu estou mais velho, daqui a 20 minutos eu estou mais próximo da morte. Portanto, eu tenho direito a esse tempo. Esse tempo pertence a meus afetos. É para amar a mulher que escolhi, para ser amado por ela. Para conviver com meus amigos, para ler Machado de Assis. Isso é o tempo. E justamente a luta pela instrução do trabalhador é a luta pela conquista do tempo como universo de realização própria.

=> Clique aqui para ler esse texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Aprenda a conquistar corações

Por Isaias Costa

cronica-duas-palavras-um-corac3a7c3a3o-mil-sentmineots

Talvez você tenha lido o título desse texto e pensado que se trata de um manual para aprender a conquistar uma mulher, com cantadas e xavecos. Errou! Esse é um texto absolutamente diferente. Falarei sobre conquistar os corações de um enorme número de pessoas através da energia de amor emanada e da harmonia do ser.

Para embasar essa reflexão, nada melhor do que as palavras do mestre Yogananda, que ensinou isso com maestria para milhares e milhares de pessoas em suas palestras. Abaixo está um pequeno trecho do seu livro intitulado “Jornada para a autorrealização”, no qual ele ensina como conquistar corações. Leia com bastante atenção…

*****************

O verdadeiro amor é quando você está sempre observando o progresso da alma. Quando você serve aos desejos físicos e aos maus hábitos de alguém, não está mais amando aquela alma. Só está agradando-a para evitar sua má vontade. Por mais desagradável que seja dizer a um amigo que ele está errado, se você falar com amor no coração e se mantiver firme, um dia aquela pessoa o respeitará se você estiver certo. Se estiver errado, mesmo assim, a pessoa saberá que você fez tudo com sinceridade, por amor. Nunca concorde com alguém que está errado, mesmo que seja a pessoa que lhe é mais próxima e querida. Concordar com o mal é subornar a alma para que o transgressor tenha uma opinião favorável de você, e cedo ou tarde isso trará resultados desastrosos…

=> Clique aqui para ler o texto completo

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

A solidão na visão de Carl Jung

Por Isaias Costa

17760233_1308661072550043_1376219031350337104_n

Quanto mais o tempo passa, mais eu me apaixono pela Psicologia e suas inúmeras vertentes. Uma delas é a Psicologia Analítica, desenvolvida pelo Psicoterapeuta Carl Jung.

Ele tem uma obra extremamente vasta e profunda de conteúdos. Nesse texto abordarei brevemente um pouco da sua visão a respeito do sentimento de solidão, que acomete a todos nós em maior ou menor grau.

Essa frase abaixo nos leva a grandes reflexões! Veja!

***************

“Solidão não é ter pessoas ao seu redor, e sim ser incapaz de expressar coisas que parecem importantes, ou de perceber certos pontos de vista que os outros acham inadmissíveis…”

Carl Jung

*************

Infelizmente, muitos pensam que solidão é a ausência de pessoas ao redor. De maneira nenhuma! Podemos estar rodeados de pessoas e ainda assim estar sós. Até mesmo podemos ser famosos e desejados sexualmente por milhões de pessoas e ainda assim sermos solitários. Um dos exemplos mais emblemáticos nesse sentido é o da atriz Marilyn Monroe, que se suicidou, mesmo tempo fama, muito dinheiro e milhões de homens a seus pés…

A verdadeira solidão tem a ver com esses dois pontos por ele levantados.

O primeiro ponto está relacionado com a expressão das ideias e daquilo que se sente. Por incrível que pareça, essa solidão está muito presente nos relacionamentos amorosos ou dentro da família!

Sabe quando um casal à muito tempo fica guardando mágoas e ressentimentos um do outro e parece que o outro vai se tornando distante e mais distante? Quando parece que um abismo começa a ser construído que impede de acessar o mundo da outra pessoa?

Essa é uma solidão amarga que quase todos nós passamos ou ainda iremos passar em algum momento da vida.

Ou na família, quando percebemos que o nosso pensamento diverge totalmente dos deles e ficamos com medo de nos expressar porque não queremos que esses vínculos se tornem hostis.

As pessoas que já têm um maior nível de consciência comumente sentem essa solidão que muitos psicólogos e espiritualistas chamam de SÍNDROME DO ESTRANGEIRO. É como se você sentisse uma saudade de algum tempo e de pessoas que você sabe que afinizam mais com você e com a sua energia, mas elas não estão por perto para lhe dar esse amparo e esse carinho!

Nossa! Eu já passei por isso tantas vezes na minha vida que você nem faz ideia. Se quiser entender um pouco mais sobre essa síndrome do estrangeiro, compartilho abaixo um programa de rádio que me ensinou muito sobre essa sensação de solidão que pode sim ser curada, desde que façamos a nossa parte na busca pelo autoconhecimento. Trata-se do programa Entrevidas da Rádio Mundial, apresentada pelo comunicador Marcello Cotrim. Vale a pena reservar uns minutinhos para ouvi-lo…

O segundo ponto ainda é mais doloroso do que o primeiro, porque ele faz com que amizades de longas datas sejam destruídas em questão de segundos. É como muitos dizem aquele velho e muito verdadeiro cliquê sobre a conquista da confiança de alguém!

Leva-se anos para se conquistar a confiança em alguém, mas apenas segundos para destrui-la…

Principalmente as pessoas que são mais imaturas e orgulhosas, quando são questionadas sobre suas verdades e convicções, muitas vezes elas acabam tendo reações agressivas ou hostis.

Eu também já me senti solitário por isso, pois conseguia ver nos amigos mais chegados algumas falhas de caráter e comportamento e tentava ajudar, mas alguns foram bem ácidos comigo, inclusive até rompendo amizades!

Na época não tinha a maturidade que tenho hoje e não fazia ideia de que na realidade quem estava errado era eu mesmo! E por quê? O motivo pode lhe ajudar imensamente! Vou até deixar em caixa alta pra você memorizar a sua importância.

NÓS SÓ DEVEMOS DAR CONSELHOS AOS OUTROS QUANDO SOMOS SOLICITADOS PARA ISSO!

* Sugestão de leitura => Não tente ajudar quem não quer ser ajudado

Em outras palavras, eu acabava me intrometendo nas questões mais íntimas dos meus amigos, e obviamente os que não queriam mudar seus comportamentos me davam “coice”!

Mas existe outro lado do enxergar o que os outros acham inadmissível. Que tem relação com o GRAU DE AFINIDADE entre os amigos!

Se o grau de afinidade for pequeno, não tem como fugir! Você vai se sentir solitário.

Vou dar um exemplo pessoal que chega a ser até hilário! Você vai gostar dele!

Na época da faculdade de Física eu já lia muito sobre espiritualidade e sobre os processos de evolução da humanidade e vez por outra tentava conversar com meus colegas sobre isso. Chegava mais ou menos assim:

– Pois é gente! Nós somos seres eternos. Espíritos habitando corpos. Estamos nessa planeta para aprendermos a transcender o nosso ego, para aprendermos a lições dos grandes mestres, espalharmos consciência etc etc.

E eles respondiam quase sempre!

– Legal Isaias! Mas cara. Tu conseguiu resolver aquela lista de exercícios de Cálculo III que o professor passou. Nossa! Tinha umas questões tão difíceis. O professor passou umas integrais impossíveis…

E nessa hora eu pensava: “Whats? Estávamos falando sobre isso?…”. E então eu ficava com uma gota na testa igualzinho a essa menina aqui embaixo!

2416838878_73753019fb

Isso é a verdadeira solidão! Eu me sentia muito mal por não ter afinidade com esses meus colegas. Tanto é que saí de lá pra nunca mais voltar! hehehe

Concluo esse texto dizendo pra você que o principal antídoto para a solidão se chama AMOR PRÓPRIO. Quanto mais você se sentir bem na sua própria presença, mais você conseguirá lidar com o distanciamento das outras pessoas ou com o baixo grau de afinidade que você terá com muitas delas.

Há muito mais a ser refletido sobre essas lindas palavras do Jung, mas deixo essas reflexões com você!

Compartilho também um breve áudio que gravei a partir dessas palavras do Jung e desse texto! Vale a pena ouvi-lo…

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Alegre-se na companhia dos amigos

Por Isaias Costa

affection-and-affinity-1920x1080

Todos nós sabemos o quanto é importante termos amigos verdadeiros e o quanto estar na presença deles nos enriquece a vida e a existência.

Lendo algumas palavras do grande filósofo brasileiro Clóvis de Barros Filho refleti bastante sobre dividirmos nossos momentos de alegria com nossos amigos.

Inclusive, eu amo a etimologia da palavra COMPANHIA. Ela vem de COM (junto) + PANIS (pão), ou seja, companhia é você repartir o pão com alguém querido, é comer esse pão junto! Não é incrível?

E você? Tem muitos companheiros? Vamos refletir juntos a partir das palavras do Clóvis…

************

Deseje demais o que te faz falta porque a vida nunca vai ser boa na derrota e na frustração. Mas perceba que o desejo não basta. Permita-se a alegria.

Consiga se alegrar com o que você já tem. Sobretudo, perceba que depois de uma conquista alegradora, se você não tiver com quem comemorar, a sua alegria durará muito pouco. Morrerá instantaneamente asfixiada pela solidão. Por isso preocupe-se também em proporcionar a alegria de quem está em volta pra que a sua própria possa durar um pouco mais.

Clóvis de Barros Filho

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Eu não existo sem o outro

Por Isaias Costa

familia-brindando-almoco-46170

Esses dias estava filosofando sobre uma um dos verbos mais instigantes da língua portuguesa: EXISTIR. E tive um insight muito bacana que compartilho com você agora.

O verbo existir vem do latim EX (fora) + STIRE (ser) = ter o direito de externar aquilo que é.

Se prestarmos bastante atenção à etimologia desse verbo incrível, muitas reflexões importantes podem surgir e a principal é a relação entre o existir e o outro.

É como diz o título desse texto: eu não existo sem o outro.

Para que haja a condição de existência, é preciso haver o outro, pois como eu poderei externalizar aquilo que sou estando sozinho? Estando isolado do mundo e de tudo? É impossível, concorda comigo?

Quando falamos em existir, quase todos nós lembramos logo de Descartes e sua célebre frase: “Penso, logo existo”.

Essa frase é magnífica e profunda, porém, a maior parte das pessoas nem faz ideia do que o Descartes quis dizer com pensar. Ele queria falar sobre o exercício intelectual de pensar e não simplesmente ficar copiando ou outros, ficar como robôs que só repetem ou como calanguinhos só balançando a cabeça para tudo e todos! NÃO. Isso não é pensar, isso é se robotizar, é se tornar um autômato.

Então segundo Descartes, eu só posso existir sendo um ser pensante, um ser que encontra a própria essência, a própria individualidade, o que requer bastante esforço pessoal e busca pelo autoconhecimento.

Estou fazendo essa viagem filosófica para lhe dizer que existem milhões e milhões de pessoas que não existem, mas que SUBSISTEM ou mesmo DESISTEM de suas vidas.

Subsistir significa “estar inferiorizado no ser”, ou seja, não existe nenhuma plenitude em você. As pessoas que subsistem são aquelas que praticamente só funcionam o corpo biológico: comem, dormem, fazem suas necessidades fisiológicas e repetem isso todos os dias.

As pessoas que vivem assim na realidade não vivem, elas estão como se fossem zumbis, perdidas nesse planeta, e certamente são muitas que se enquadram nessas características. Elas não vão além, elas não criam novos vínculos, não solidificam suas amizades, não se aperfeiçoam, não elevam suas consciências etc. etc.

Pior ainda são as pessoas que desistem da vida. Desistir significa “não existir” (não externar o ser). Essas são as que muitas vezes ou cometem suicídio, ou já tentaram alguma vez, ou mesmo são aquelas que só conseguem ter um mínimo de contato com as pessoas se estiverem sob o efeito de drogas pesadas.

Desistir da vida é jogar pelo ralo a preciosidade de estar nesse planeta maravilhoso que tanto nos dá a possibilidade de aprendermos e elevarmos nossa consciência.

Estou escrevendo esse texto próximo do fim do ano e uma reflexão que me veio muito forte foi sobre a CONSTRUÇÃO DE VÍNCULOS.

Responda as essa pergunta: “Quantos novos amigos eu fiz esse ano? Quantas pessoas eu conheci? Em quais vidas eu causei impacto?”.

Se as respostas foram positivas, se em sua mente vieram várias pessoas, vários rostinhos e várias experiências, parabéns! Você está existindo! Senão, é bom refletir com bastante carinho e se questionar sobre o porquê de tanto fechamento, o porquê de tanta desconfiança das pessoas, o porquê de tanto egoísmo…

Lembre-se: eu só existo com o outro, junto do outro, formando e solidificando os vínculos.

E tem outro ponto fundamental. O outro é um instrumento para o meu aperfeiçoamento.

A palavra PERFEIÇÃO tem um significado incrível também. Significa “aquilo que está completo, acabado, imutável”.

Então se aperfeiçoar quer dizer que eu não sou perfeito, eu estou constantemente em construção e que para isso eu preciso do outro, eu preciso aprender com ele, eu preciso absorver algo de alguém que sabe mais do que eu, que tem mais experiência do que eu. E assim vou crescendo, vou melhorando.

Da mesma forma que eu posso ensinar algo para alguém, eu posso através das minhas experiências e das minhas aptidões levar um pouco de mim para os outros e dessa forma de fato existir (externar o meu ser).

Percebe como é incrível? É como os grandes mestres da humanidade nos ensinaram: todos nós somos mestres e discípulos uns dos outros.

É ensinando e aprendendo que existimos, é criando vínculos que existimos, é nos aproximando dos outros que existimos!

Portanto, que a partir dessa breve reflexão instigante e provocativa, você se questione até que ponto você tem existido? Será que você não pode existir de uma forma mais bonita, mais marcante e mais edificante?

Pense com carinho sobre tudo isso e saiba que a fonte de toda sabedoria e de todo amor está no convívio, nos vínculos, no cultivo das amizades, no ser com o outro…

Paz e luz.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Se você anda com gambás, não consegue sentir o perfume das rosas

Por Isaias Costa

70213_papel-de-parede-gambas_1600x1200

Esses dias li algumas palavras do mestre Yogananda que me deixaram bastante reflexivo. Suas palavras vão bem ao encontro daquele conhecidíssimo ditado: “Diga-me com quem tu andas e te direi quem és”, ou mesmo outro ainda mais interessante que diz: “Nós somos a média das cinco pessoas que mais convivem com a gente…”.

Enfim! Farei uma breve reflexão sobre a importância de termos boas amizades na vida. Confira suas palavras!

****************

“As pessoas más não querem mudar; portanto, a melhor política é manter distância delas. Há mais bem do que mal no mundo, e mais pessoas boas do que más. Contudo, se você anda com gambás, não consegue sentir o perfume das rosas. Pode parecer que o mal é maior do que o bem, porque o primeiro é mais difícil de esquecer…. “

Paramahansa Yogananda

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O que eu compartilho prejudica alguém?

Por Isaias Costa

uev3aznu94juzcsxa5qyzsb8cxi-ev5kasbvbyth0meixog4bwhj5

Estava lendo um artigo incrível da “revista da cultura” que falava sobre o perigo de compartilhar pela internet notícias falsas e sensacionalistas. Era um artigo da Denise Godinho cujo título é “Me engana que eu gosto”. Deixo o link abaixo caso queira ler o artigo completo.

* Artigo “Me engana que eu gosto”

Um trechinho desse artigo lança alguns questionamentos que considero importantíssimos, nos quais farei uma breve reflexão.

“É preciso se perguntar: por que estou compartilhando algo que prejudica outra pessoa? Essa notícia não está com cara de mentira? Você não vai mesmo checar o que compartilha?…

É preciso uma autoanálise. O que eu compartilho interessa a alguém? Ajuda alguém? Estou sendo preconceituoso? Estou sendo machista? Se a resposta for sim, não publique nada. Você tem inteira responsabilidade por aquilo que compartilha.”

Pollyana Ferrari 

***************

Quanto mais o tempo passa, mais consciência e cuidado tenho com aquilo que compartilho. Esse blog, graças a Deus, está crescendo e tendo mais visualizações dia após dia, e sabendo que minhas palavras percorrem os 4 cantos do mundo, antes de publicar qualquer texto, sempre me questiono se ele fará bem aos que lerem, se as informações que foram transmitidas podem agregar valor e levar a uma boa reflexão etc.

É como a Pollyana  diz: “Você tem inteira responsabilidade por aquilo que compartilha”.

Infelizmente, hoje em dia, com o avanço da tecnologia, dos aplicativos de celulares, com a facilidade de navegar livremente pela internet, muitas pessoas estão se aproveitando para se utilizarem de mentiras e notícias sensacionalistas com o intuito cruel e mesquinho de conseguir cliques e mais cliques, ou para ganhar algum dinheiro com isso, ou para “bombar nas redes sociais”, como se diz popularmente!

Pra quê? Isso vale a pena mesmo que denigra a imagem de alguém? Mesmo que espalhe preconceitos? Mentiras? Calúnias?

Sempre que posso eu falo sobre as leis universais nos meus textos e uma delas é a LEI DO RETORNO. Tudo aquilo que fazemos, que lançamos no mundo, carrega uma energia, e essa energia sempre acaba voltando para nós, SEMPRE.

Se você espalha mentiras, notícias de ódio, de violência, de vingança e por aí vai, o que você está emanando para o universo e certamente retornará para você? Exatamente essa energia!

Agora se você espalha amor, empatia, amizade, misericórdia, compaixão, compreensão… O que retornará? Exatamente todos esses nobres sentimentos e virtudes!

Minha vida tem sido prova do que estou dizendo agora. Recebo diariamente mensagens e comentários com elogios aos textos. E muitas mensagens de incentivo para que continue escrevendo, porque minhas mensagens estão fazendo diferença na vida dessas pessoas!

Sempre que leio essas mensagens me vem um sentimento gostoso de alegria e de pertencimento! Tipo assim: “Que bom que essas reflexões fizeram bem a alguém e poderão contribuir para gerar mais consciência nos leitores…”.

Gostaria, a partir dessas poucas palavras, lhe levar a refletir sobre isso: “O que você tem compartilhado nas suas redes sociais? Você tem prestado atenção à veracidade do que é dito? Tem lido as matérias antes de compartilhá-las? Tem verificado se elas não estão carregadas de mensagens preconceituosas ou difamatórias?…”.

Essa autoanálise é fundamental, tanto para que o bem seja mais espalhado pela internet, quanto para que você não fique com a sua imagem deturpada.

Aproveito até para fazer um adendo. Estamos em período de eleições. E nesse período, só o que acontece são brigas e intrigas por causa dos compartilhamentos dos candidatos e suas propostas.

Será que não seria interessante optar por um pouco mais de SILÊNCIO? Não ficar discutindo com os amigos quem é melhor, quem é pior? Você sabe bem que essas discussões só geram desgastes e muitas vezes até mesmo o término de amizades que poderiam durar muito tempo! Pense um pouquinho sobre isso!

Em resumo. Tudo o que quero dizer é que você procure ser mais CAUTELOSO com o que lê, com o que escuta, com o que fala e com o que compartilha, para que o bem prevaleça e possamos juntos contribuir para a construção de uma sociedade melhor, onde o amor seja o ponto de partida e o ponto de chegada, seja o alfa e o ômega, o princípio e o fim, como tão bem nos ensinou o mestre Jesus Cristo!

Compartilho ao final uma linda música que resume tudo isso, chamada “Fale de amor”, do grande Jorge Camargo.

“Fale de amor, no espelho d’água de seus olhos. Abra os portais do teu abraço. Se for preciso use palavras…”

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Devo confiar nas pessoas até que elas provem o contrário?

Por Isaias Costa

tumblr_lbp48tD3FN1qcgo8yo1_500

Outro dia li um pequeno texto do grande psiquiatra Flavio Gikovate que me fez refletir bastante sobre uma palavra importantíssima e que mais do que nunca deve ser levada a sério: CONFIANÇA

************************

As pessoas dizem que devemos “confiar nas pessoas até prova em contrário”. Acho o oposto: convém “desconfiar delas até prova em contrário”!

Se a metade das pessoas é confiável e a outra não o é, a chance de sermos objeto de alguma deslealdade ao confiarmos antes da hora é de 50%!

Ao confiarmos por antecipação, ficamos vulneráveis à deslealdade dos não confiáveis. Ao desconfiarmos de todos, estamos mais bem defendidos.

À medida que vamos conhecendo melhor as pessoas, podemos distinguir com certo rigor as que são confiáveis e aí sim nos abriremos para elas.

Convém ser rigoroso na avaliação do caráter das pessoas: os não confiáveis são simpáticos, mas mentem, são estourados, não sentem culpa…

A ingenuidade na avaliação das pessoas não é virtude: contribui para que os mais espertos e realistas ocupem espaços que nem sempre merecem.

Flavio Gikovate

**************************

Vou ser bastante sincero com vocês, meus amigos leitores! Até bem pouco tempo eu também fazia parte da imensa maioria das pessoas que compõem essas que ele diz no começo, que primeiro confia bastante até que se prove o contrário.

Porém, com o meu processo de autoconhecimento e acima de tudo, das minhas experiências de vida. Hoje posso realmente dizer que esse senhor está certo na sua colocação. Ele certamente tem muito mais sabedoria para passar aos outros do que eu e estou aqui apenas pegando carona na sua inspiração!

Hoje eu primeiro desconfio para aos pouquinhos ir adquirindo a confiança nas outras pessoas! Só lembrando que a palavra CONFIANÇA tem sua origem na palavra FIO, ou seja, você gera uma conexão forte, como uma espécie de fio que faz um elo com o outro. Não é interessante?

Com essa postura de desconfiança no começo, a probabilidade de eu ou qualquer pessoa que assim proceder, se frustrar, é infinitamente menor.

Porém, quero aprofundar um ponto que o Gikovate não aprofundou nesse texto por ser apenas um breve pensamento compartilhado nas redes sociais.

Como fazer para agir assim e não criar um escudo protetor que me isole dos outros? Esse é um questionamento fundamental e importantíssimo, porque muitos ao lerem essas palavras talvez interpretem erroneamente pensando que desconfiar dos outros é criar uma redoma e se isolar. Definitivamente não. Repito! NÃO, OK?

Enfim! O que fazer? Em minha opinião. O melhor caminho é se aprofundar no autoconhecimento, porque ele é a chave que liga a nossa INTUIÇÃO e também a aprimora. Nossa intuição é certeira quando bem utilizada, ela nos conecta com o nosso “computador quântico”, como diria o grande escritor Deepak Chopra.

Ao desenvolver a intuição vão acontecer duas coisas com você. 1º – Você vai atrair situações que vão favorecer a chegada de pessoas bacanas na sua vida como um emprego legal, cursos afins com seus interesses e buscas etc.

2º – Quanto mais a gente se conhece e desenvolve a intuição, mais tem a certeza do quanto o tempo é importante e passa depressa, e por saber disso, vai haver uma verdadeira necessidade de estar ao lado de pessoas que acrescentem, que agreguem valor.

Esse segundo ponto é extremamente importante, e me coloco totalmente como exemplo. De uns anos pra cá, tenho me dedicado de corpo e alma ao processo de autoconhecimento, levando para meu trabalho como professor e também por aqui através dos textos e dos áudios, muito do que venho aprendendo.

Meu tempo está se tornando cada vez mais escasso para algo que não gere valor para as pessoas, que seja apenas entretenimento, sabe? Eu estou cada vez mais comprometido com esse trabalho da escrita e com o magistério, porque sei que são minhas maiores vocações e isso que faço é minha missão de vida.

Contei tudo isso para dizer que tenho convicção de que muitos cruzam o meu caminho tentando me colocar pra baixo, tentando me desvalorizar, tentando fazer com que desista etc. Graças a Deus essas pessoas são minoria, mas existem! Portanto! Estou também alertando a você que, se você também é uma dessas pessoas que, como eu, se preocupa com o bem comum e desenvolve trabalhos voltados para a coletividade, fique de olhos bem abertos viu? Não confie demais nas pessoas que se aproximam de você!

Seja educado, simpático, atencioso, mas não deixe que invadam sua interioridade e privacidade, OK?

Enfim meus amigos! Esse é um tema amplo e tem muito mais a ser abordado sobre ele. Se quiser continuar refletindo sobre ele, compartilho abaixo um breve áudio que gravei a partir desse lindo texto do Gikovate, abordando o que foi dito aqui e mais algumas coisas! Espero que goste!

Lembre-se: “Desconfie das pessoas até que elas provem o contrário”!

Áudio: Devo confiar nas pessoas até que elas provem o contrário?

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O poder da palavra “saudável”

Por Isaias Costa

Rainbow woman

Eu gosto muito de aprender as raízes das palavras e nesse texto vou falar sobre uma que amo e soa como música nos meus ouvidos: “saudável”.

O que essa palavra significa? Ela significa: “saúda a vida”. Ou seja, uma pessoa saudável é aquela que saúda a vida em seus amplos aspectos.

É engraçado que sempre que pronunciam essa palavra restringem ao corpo físico. Esse pensamento é extremamente reducionista, sabia? Se você se aprofundar no autoconhecimento, vai acabar encontrando as leituras que falam dos nossos 5 corpos, que são: físico, energético, emocional, mental e espiritual.

Uma pessoa só se torna verdadeiramente saudável quando esses 5 corpos estão em equilíbrio, o que requer bastante autoconhecimento. Quero de antemão deixar bem claro que eu estou bem longe de ser 100% saudável, viu? Eu tenho diversos aspectos no qual preciso melhorar muito ainda…

O corpo físico está ligado à saúde dos órgãos e o bem estar geral das sensações físicas. Uma pessoa saudável fisicamente é aquela que não apresenta nenhum tipo de patologia.

O corpo energético está ligado aos sentimentos mais sutis e quando ele está em desequilíbrio diversas doenças podem surgir, as principais são depressão e síndrome do pânico, mas existem muitas outras.

O corpo emocional é o que está ligado ao maior número de desequilíbrios, porque se as emoções estão desequilibradas, nós passamos a reagir de forma amarga na vida. Só nesse ponto poderia escrever um texto imenso…

O corpo mental está relacionado aos conflitos internos com o nosso EGO, que muitas vezes nos prega peças. É preciso aprender a silenciá-lo, para que não venhamos a fazer escolhas que nos arrependeremos mais lá na frente. De todos os nossos corpos, esse é o mais sutil e vulnerável…

Por fim vem o corpo espiritual, que é bastante complexo em sua totalidade. Ele está ligado à nossa fonte divina do criador. Não vou entrar no mérito da questão devido sua amplitude…

O segredo para ser saudável é exatamente o BEM ESTAR. Se você está feliz, está alegre, está em paz profunda então certamente você está saudável. Esse é o termômetro!

Tenho procurado seguir minha vida desta maneira. Se ela está leve e estou seguindo em paz, em serenidade, com consciência, é nessa direção que eu vou. Se por alguma razão, algo se mostra esquisito ou me leva a ter sensações pesadas, avalio com bastante atenção e cautela, redobro minhas meditações e na quietude consigo perceber claramente o que levou a ocorrer o desequilíbrio ou situação pesada.

Até já escrevi em outro texto que precisamos o tempo todo “ajustar as velas” do barco da nossa vida, pois existem ventos fortes que tentam nos derrubar e nos desviar da nossa rota! Acredite! Será assim até o último dia da sua vida, até seu último suspiro! Portanto! Esteja sempre conectado com o seu coração. Se você ainda não leu esse texto, recomendo! Segue o link abaixo.

Ajuste as velas do seu barco

Vou levar essa palavra para alguns campos da vida e lhe dar algumas dicas, OK?

No campo profissional

Se você está trabalhando feliz e nem pensa em fim de semana, em férias, em atestado médico para justificar faltas, então você está saudável. Agora se trabalha para ter dinheiro para pagar as contas, você precisa urgentemente de uma reprogramação mental e emocional…

No campo financeiro

Se você ganha dinheiro pensando no próprio bem estar, no da família, em ter uma vida confortável e divertida, no qual muitos são beneficiados pelo seu dinheiro, certamente você está saudável. Porém, se você ganha dinheiro pensando em acumular, em ter mais só para si, em conquistar milhões e milhões só para deixar parado na sua conta bancária. Cuidado! O nome disso é ganância!

No campo do lazer

Se você busca o lazer para ter momentos legais, se divertir, curtir um momento diferente, registrar boas memórias. Maravilha! Você está saudável! Mas se você busca o lazer como forma de aliviar o estresse, de sair do ambiente familiar ou profissional por algumas horas ou dias. Preciso dizer! Você está envolvido em mecanismos de fuga inconscientes.

No campo dos relacionamentos amorosos

Se você namora ou é casado com alguém porque é muito bom compartilhar momentos, a vida, as experiências de uma forma honesta, justa e equilibrada, no qual os dois lados são beneficiados e respeitados mutuamente. Perfeito! Esse é um relacionamento saudável! Agora se você namora ou casa porque tem medo de ficar só, porque o outro é o seu “porto seguro”, porque essa pessoa supre as suas carências etc. o fim dessa história pode não ser nada bom…

No campo das amizades

Se seus amigos estão com você pelo grau de afinidade, amor e respeito que tem entre si, então você está saudável. Mas se seus amigos são pessoas que estão por algum tipo de interesse, por inveja da pessoa que você é, por alguma conveniência de grupos, de instituições. Corra! Eles não são seus amigos coisa nenhuma! Deixe suas lamparinas bem acesas

No campo da espiritualidade

Se sua religião ou ausência dela lhe leva cada vez mais ao seu próprio ser mais profundo. Se você se torna cada vez mais amoroso, humilde, sereno, receptivo, servidor. Perfeito! Você está no caminho certo. Mas se sua religião ou qualquer tipo de crença lhe leva a competir, a invejar os outros, a ser desrespeitoso com as opiniões alheias, com quem pensa diferente de você, a ser muito autoritário, dono da verdade… Pense muito bem! O caminho não é por aí…

Enfim. Há muito mais a ser dito sobre esse tema tão amplo que surgiu a partir de uma única palavra, já pensou?

Você quer ser saudável? Preste atenção aos mínimos detalhes da sua vida e nunca se esqueça. O termômetro é o seu BEM ESTAR, é você fluir com leveza na vida.

Se você está leve e em paz, não tenha dúvidas! Você está saudável…

 

 

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A relação afetiva é a melhor escola

Por Isaias Costa

3949200-de-cerca-de-un-grupo-de-amigos-felices-con-las-manos-en-las-manos

Praticamente todos nós temos um desejo profundo de nos tornarmos pessoas melhores ao longo da vida, e quero hoje lhe levar a refletir junto comigo sobre a imensa importância dos relacionamentos amorosos e afetivos na nossa evolução, para embasar essa reflexão, compartilho algumas palavras do Sri Prem Baba.

“A relação afetiva é a melhor escola. Ela é uma preparação para que você possa se relacionar e amar a Deus. Deus já sabe quem você é e não precisa da sua revelação, mas a pessoa com quem você está se relacionando precisa que você se revele e receba a revelação dela. Para isso é ir além do orgulho e dos medos, é preciso ter coragem para enfrentar verdades pouco agradáveis à respeito do outro e de si mesmo.”

Sri Prem Baba

Concordo plenamente com o que ele diz, realmente a relação afetiva é a nossa melhor escola. Nós viemos a esse mundo para compartilharmos experiências, para nos ajudarmos uns aos outros. O ser humano não nasceu para viver sozinho e isolado dos outros, nasceu para estar em comunidade, em comunhão com todas as criaturas.

As relações afetivas são uma escola porque se trata do maior exercício de AMOR que pode existir, amar o outro.

Jesus Cristo veio ao mundo com uma missão divina de nos ensinar essa grande verdade universal: “Amai ao próximo como a ti mesmo”.

O amor só pode acontecer de verdade quando ele está primeiramente dentro do meu coração e se projeta nos outros. E se trata de um exercício que nunca tem fim. Enquanto estamos vivos, sempre podemos aprender um pouco mais, e quanto mais crescemos nesse amor, mais a alegria e a harmonia surgem na nossa vida e na vida de todos que de nós se aproximam.

O amor é uma dimensão, não é um sentimento, não é paixão, como muitos confundem. O amor é algo que brota de dentro da gente e é sentido pelos outros através da energia. Quanto mais amamos, mais a nossa vibração interior vai se tornando iluminada por essa presença de Deus.

Não foi à toa que Jesus falou: “O reino dos céus está dentro de vós”. O amor nos conecta com esse reino dos céus que já existe dentro de nós e muitas vezes fica obscurecido pelos medos, apegos, raivas, rancores, ignorâncias etc.

Se você quiser acelerar seu processo de evolução, digo isso com convicção, busque se conectar com mais e mais pessoas. O amor que a gente recebe dos outros nos relacionamentos amorosos e afetivos nos ajudam a ter as experiências necessárias para que evoluamos, para que vençamos tudo aquilo que precisa ser vencido.

Até já falei isso em outros textos: “Deus nos fala através das pessoas. SEMPRE”.

Não adianta ficar esperando Deus aparecer como um sinal do céu com uma voz grossa e forte, ou como uma mensagem escrita dentro de uma garrafa. NÃO. Deus está dentro de cada um de nós, nas pessoas, nos animais e em todas as manifestações que existem no universo.

Deus é o que há de mais bonito e misterioso nesta vida. Não sabemos defini-lo, mas sabemos que ele está aqui, e se manifesta através das pessoas.

Portanto. Lembre-se sempre que essa é a melhor escola, nos relacionarmos afetivamente. Os relacionamentos são como catalisadores no nosso processo evolutivo…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized