A melhor forma de ouvir um não

Por Isaias Costa

Cabeça erguida

Um dos programas de radio que escuto com mais assiduidade se chama “O sucesso é ser feliz”, na Radio Mundial de São Paulo, com o grande escritor e palestrante Roberto Shinyashiki.

Em um programa recente ele falou uma frase que achei bárbara. Essa frase, se bem acolhida, pode lhe ajudar a ter mais coragem, determinação e, acima de tudo, desenvolver mais a RESILIÊNCIA, que considero uma das virtudes mais importantes a serem integradas ao nosso ser. Se quiser ouvir esse programa basta clicar [aqui].

Enfim! A frase que ele disse foi a seguinte.

“É muito melhor ouvir um não diretamente no seu ouvido do que ouvir um não no cérebro”.

Roberto Shinyashiki

=> Clique aqui para ler o texto completo

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Ler muito é um dos caminhos para a originalidade

Por Isaias Costa

Cortella

Há poucos dias recebi um comentário de um leitor e que me deixou encafifado. Ele estava criticando o filósofo Mario Sergio Cortella porque nas suas falas ele cita um montão de filósofos e escritores da literatura brasileira e mundial. E nessa crítica ele disse que o Cortella é “mais do mesmo”, não traz nada de novo em suas reflexões!

Nossa! Tive que responder esse comentário discordando veementemente de sua visão, porque a realidade é exatamente o contrário do que ele disse. O Cortella é um homem que dedicou toda a sua vida aos estudos e pesquisas em Educação. Sua obra é um bálsamo de cultura e, como gosto de comentar de vez em quando, ele se apoiou nos ombros de gigantes.

Continuar lendo

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Conselho muito bonito de Roberto Shinyashiki ao pais

Por Isaias Costa

Filhos crescidos

Hoje, 12/08/18, é o dia dos pais e venho trazer uma breve reflexão em homenagem a todos os pais.

Esses dias ouvi um programa de radio excelente com o grande escritor e palestrante Roberto Shinyashiki. Trata-se do programa “O sucesso é ser feliz” na Radio Mundial de São Paulo [link do podcast aqui].

Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Como o Brasil poderá ter mais qualidade social?

Por Isaias Costa

Qualidade social

Lendo um dos livros mais antigos do filósofo Mario Sergio Cortella chamado A escola e o conhecimento, eu me deparei com um trecho que me fez refletir sobre o atual momento brasileiro. Estamos muito próximos de uma eleição para presidente da república e outros cargos políticos de importância vital para nós.

Quero aprofundar o questionamento do título desse texto: Como o Brasil poderá ter mais qualidade social? Leia as palavras dele!

**********

Como está a morada do humano? Essa morada do humano desabriga alguém? Tem alguém que está fora da casa, tem alguém que está sem comer dentro dessa casa? Tem alguém que está sem proteção à sua saúde, tem alguém que está sem lazer dentro dessa casa? Essa morada do humano é inclusiva ou exclusiva? Essa morada do humano lida com a noção de qualidade em ciência ou lida com a noção de privilégio? Cuidado. Uma coisa que ainda se confunde muito em ciência é qualidade com privilégio.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Pra lavar a alma

Por Adriana Paoli

Lendo na janela

É com grande alegria que compartilho a 1ª poesia da querida Adriana Paoli, que escreveu pra mim agradecendo por esse blog que tem feito muito bem a ela e proporcionado grandes reflexões.

Ela ama escrever poesias e sugeriu uma delas para ser publicada aqui no blog. Aceitei imediatamente, pois ela tem uma sensibilidade bem aguçada e escreve com bastante simplicidade, o que maravilhoso para todos que lerem.

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

A beleza aumenta com a transitoriedade da vida

Por Isaias Costa

Estações do ano

Esses dias estava lendo um belíssimo ensaio escrito pelo pai da Psicanálise Sigmund Freud intitulado “Sobre a transitoriedade” e fiquei refletindo bastante sobre o quanto a beleza está relacionada com o tempo.

Nesse ensaio, Freud argumenta que o fato de o tempo ser algo limitado aumenta a beleza das coisas. Leia com bastante atenção esse pequeno recorte do ensaio citado.

**********

“Não deixei, porém, de discutir o ponto de vista pessimista do poeta de que a transitoriedade do que é belo implica uma perda de seu valor.

Pelo contrário, implica um aumento! O valor da transitoriedade é o valor da escassez no tempo. A limitação da possibilidade de uma fruição eleva o valor dessa fruição. Era incompreensível, declarei, que o pensamento sobre a transitoriedade da beleza interferisse na alegria que dela derivamos. Quanto à beleza da Natureza, cada vez que é destruída pelo inverno, retorna no ano seguinte, do modo que, em relação à duração de nossas vidas, ela pode de fato ser considerada eterna. A beleza da forma e da face humana desaparece para sempre no decorrer de nossas próprias vidas; sua evanescência, porém, apenas lhes empresta renovado encanto. Uma flor que dura apenas uma noite nem por isso nos parece menos bela.”

Sigmund Freud

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O caminho do autoconhecimento

Por Camila Santana

quero-evoluir-pandora-autoconhecimento

O que é autoconhecimento que todos falam? Por que eu sinto que preciso? Como fazer? É uma prática? É um dom? Pra que serve? Tive um insight hoje ouvindo um podcast maravilhoso da querida Flavia Melissa [link aqui] e me peguei compreendendo de fato o que é o real significado disso tudo.

É literalmente você, de fato, se autoconhecer! Eu tenho muito medos, fobias e por que não dizer até mesmo traumas que eu simplesmente desconheço a razão. Porém, isso tudo já me levou a 3 crises brabas de depressão, pois como eu sempre digo: o corpo não fala, ele grita pra algo que você precisa “despertar” pra seguir sempre em frente e consciente.

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

A gratidão pelos ciclos encerrados

Por Isaias Costa

Término de relacionamento

Esses dias li um artigo lindíssimo, daqueles que arranca lágrimas das pessoas mais sensíveis. Era um texto intitulado “Uma fábrica no deserto”, do site Yoskhaz. Entre as diversas reflexões e insights transmitidos nele, o que me tocou mais profundamente tem relação com os ciclos da nossa vida, que alternam entre alegrias, tristezas, depois novas alegrias e tristezas…

Leia com bastante atenção esses dois trechos que me inspiraram a escrever o texto que você lê agora!

******

1º Trecho

Por que não esquecer os momentos tristes? Eu queria saber. O ancião seguiu a explicação: “Porque não o esquecemos nunca. Pode-se ficar um tempo sem lembrar, então, inesperadamente, eles nos tomam de assalto. Não é assim?” Balancei a cabeça concordando. Uma lágrima escorreu em minha face. Ele aprofundou: “Todas as situações complicadas que passamos na vida tem uma razão de existir. Claro que naquele momento temos uma enorme dificuldade em entender. Mas os dedos do universo são longos e somente mais à frente iremos compreender para, então, agradecer…

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Ter um firme propósito amplia nosso tempo de vida

Por Isaias Costa

Florais de Bach

Esses dias estava ouvindo um dos diversos podcasts que acompanho, que é o da Ordem Rosacruz AMORC, no qual o tema eram os “Florais de Bach”, que são essências naturais provenientes de diversas flores e tem um imenso potencial de cura de doenças e promoção de equilíbrio energético.

No podcast [link aqui], a moça que foi entrevistada contou um pouquinho da história dos Florais de Bach, que é fascinante. É tão bonita que me inspirou a escrever esse texto que você está lendo.

Ela conta que o Dr. Edward Bach, que era um médico britânico do final do século XIX, em determinado momento da sua vida, teve uma doença muito grave. Ele teve que passar por uma cirurgia delicada, na qual os cirurgiões lhe estimaram apenas um tempo de vida de 3 meses.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A metáfora da faca e da pedra

Por Isaias Costa

Faca sendo amolada

Estava ouvindo uma excelente palestra com a professora de Filosofia da Nova Acrópole chamada Lúcia Helena Galvão sobre a temática da VONTADE, e um trecho me chamou bastante a atenção.

Ela contou uma metáfora muito didática para explicar a diferença entre as pessoas com grande força de vontade e as que têm pouca motivação no que fazem.

Ela comparou as pessoas com uma faca que está prestes a ser amolada numa pedra. Essa mesma pedra pode amolar muito bem uma faca, deixando-a afiadíssima e pronta para cortar muitas coisas, ou ela pode desgastar outra faca, deixando-a totalmente inutilizada.

Onde está a diferença entre as facas? Está no material que as compõe. A faca que se torna bem amolada tem um material forte, resistente e de qualidade. A que se desgasta e fica inutilizada tem um material frágil, maleável e de péssima qualidade.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized