Arquivo do mês: outubro 2016

Os macacos e o doce de coco

Por Isaias Costa

14695333_870434476424018_6802076587172080321_n

Uma das melhores estórias que já li e que fala sobre o APEGO de uma forma geral foi contada pela querida monja budista Jetsunma Tenzin Palmo no seu livro intitulado “No coração da vida”. Transcrevo abaixo o trecho no qual ela conta essa estorinha…

**************

“Não estamos presos à roda da vida. Nós é que a agarramos com força, com as duas mãos. Há uma história que sempre se conta sobre uma forma particular de aprisionar macacos na Índia. Toma-se um coco com um pequeno buraco. Por esse buraco, com tamanho suficiente para passar apenas a mão do macaco, coloca-se um pedaço de doce de coco. O macaco se aproxima, sente o cheiro do doce, coloca a mão no buraco e agarra o doce. Ele fecha a mão para agarrar o doce e dessa forma não consegue mais tirar a mão do coco. E então o caçador consegue pegá-lo. Nada prende o macaco ali. Tudo o que ele precisava fazer era abrir a mão e estaria livre para fugir. Ele fica ali preso apenas por desejo e apego, que não o permitem seguir. É dessa forma que a nossa mente funciona. O problema não é o doce de coco. O problema é que não conseguimos soltá-lo. Vocês entendem? O problema não é o que temos ou o que não temos, mas o quanto nos agarramos às coisas.”

Jetsunma Tenzin Palmo

****************

Ela tem muito a nos ensinar! O que os macacos fazem sem perceber é se FIXAREM num desejo sem pensar em uma saída para uma situação de perigo, que é o aprisionamento pelos homens.

Essa estória pode ser levada para o apego em amplo sentido: a dinheiro, a um cargo, a pessoas, a preceitos religiosos etc.

As pessoas agarram seu pedaço de doce de coco que pode ser qualquer um desses exemplos que dei logo acima e nunca cogitam a possibilidade de ABRIR MÃO. Como já falei em um dos textos do blog que mais gostei de ter escrito: “abrir mão é uma alegria”, pode nos trazer uma leveza e uma sensação de completude absurda!

Aproveito essa colocação para compartilhar esse texto que complementa lindamente a mensagem que quero transmitir aqui. O link está logo abaixo.

A alegria de abrir mão

Outro detalhe interessante dessa estória é que os APEGOS excessivos retiram boa parte da nossa SENSIBILIDADE. Os macacos desse experimento com os cocos, depois de um tempo de desespero ficam com os punhos extremamente machucados ou até mesmo sangrando e ainda assim não conseguem abrir as mãos para se libertarem do coco. Já pensou?

Quantos de nós não fazemos isso? Está doendo! Estamos sofrendo! Mas não abrimos nossa mão, não libertamos aquilo que está nos fazendo sofrer.

Se é um padrão de vida que não se encaixa mais no ganho financeiro, preferimos nos endividar porque é quase uma desonra pensar em baixar o padrão de vida.

Se temos um trabalho que não nos realiza, mas que nos dá segurança e um bom salário, preferimos ser infelizes e ficarmos doentes a sair desse emprego, afinal! Por que trocar o certo pelo duvidoso não é?

Se estamos namorando ou estamos casados com aquela pessoa que nos faz mais raiva do que proporciona um convívio feliz e experiências bacanas. Não temos a coragem de sermos transparentes e encerrar de vez esse ciclo que já se provou por A + B ter se encerrado! Preferimos sofrer imensamente a adentrar no oceano do desconhecido. É melhor sofrer com o conhecido do que não ter a certeza sobre o desconhecido! Você percebe a incoerência aqui? Ora! Se é desconhecido, é claro que não se tem certeza! E por acaso a vida nos dá certeza de alguma coisa? Já parou pra pensar nisso? Como se diz: “a única certeza é a de que todos nós vamos morrer um dia…”.

Se estamos inseridos numa religião e numa comunidade na qual de coração já sentimos que não está mais preenchendo aquele espaço voltado para a espiritualidade, ficamos com medo de ser sinceros e falar o que realmente estamos sentindo! Nos transformamos em robôs que vão repetindo os preceitos mesmo não tendo total convicção sobre seus benefícios para essa conexão com Deus!

Que tal olharmos para dentro de nós mesmos com SINCERIDADE? Ou seja, SEM CERA, sem uma máscara que esconde nossa verdade interior?

Esse é um tremendo desafio! Pode abalar todas as nossas estruturas, tudo aquilo que até o momento acreditávamos ser o certo, ser o melhor, ser o mais adequado, o mais sensato! Será? Se questione! Não tenha medo de se questionar!

Nada paga a sensação de FELICIDADE que provém de uma consciência tranquila! E essa felicidade só pode ser conquistada se você abrir mão, se você deixar o doce dentro do coco e procurar saciar a sua fome com algo que não tire de você a sua LIBERDADE.

Eu posso ter muito dinheiro e não ser escravo dele!

Eu posso ter um excelente trabalho, talvez nem ganhar tanto, mas ser feliz com o que realizo, sabendo que o que faço ajuda a mim e a outras pessoas!

Eu posso me relacionar com alguém sabendo que não sou dono(a) dele(a). A outra pessoa é livre para estar comigo se ela quiser, se não quiser, deixo-a livre para seguir sua vida sem mim e agradeço profundamente por tudo que foi compartilhado e vivido junto!

* Sugestão de texto => Precisamos nutrir o amor genuíno

Eu posso estar numa religião ou numa comunidade religiosa enquanto isso fizer bem pra mim, enquanto eu sentir o meu pertencimento entende? Enquanto eu sentir que isso me faz bem, que é bom conviver com esses amigos! Se esse sentimento se esvaiu, eu tenho todo direito de abrir mão e procurar o doce de coco em outro lugar concorda?

Enfim! Essa é uma reflexão que pode mexer com muita gente, mas é preciso “cutucar” as feridas! Pois só assim é que, quem sabe, talvez, tenhamos a CORAGEM de retirar essa máscara de cera e de fato, nos tornarmos sinceros…

Paz e luz!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Não se intrometa na vida de ninguém

Por Isaias Costa

640b59_48eff37dd6434298b69c9f6918021898-mv2

Esse é um texto que tenho certeza que pode incomodar muita gente, mas preciso falar sobre esse tema que considero de suma importância, a INTROMISSÃO.

Infelizmente, não olhamos para essa postura tão comum em milhões de pessoas com a atenção que ela merece! Vou me basear na etimologia dessa palavra, que é desconhecida para a maior parte das pessoas! Veja só!

INTROMISSÃO = dentro da missão de outra pessoa

Ou seja, se você se intromete na vida de alguém, está direta ou indiretamente entrando na sua missão de vida, muitas vezes contribuindo para um desvio do seu caminho evolutivo na Terra. E aí? Você acha que se trata de uma bobagem? É muito sério o que estou falando aqui.

Inclusive, como tenho uma visão espiritualista e universalista, falo até sobre a chamada LEI DO KARMA.

Quando você se intromete na vida de alguém, faz com que cause alterações no seu karma, que significa, de forma simplificada, as causas e efeitos das experiências de cada um.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A verdadeira segurança só chega a partir do conforto com a insegurança

Por Isaias Costa

bxk21268_corredeiras800

Nós vivemos numa sociedade que incute na nossa mente a ideal ilusório da SEGURANÇA, sendo que nada na vida nem no universo funciona dessa maneira tão fixa, tão parada, tão estática. Muito pelo contrário, a vida e o universo são puro movimento, fluxo, mudança, transformação, transmutação!

Para refletirmos um pouco sobre isso, compartilho algumas palavras da querida monja budista Jetsunma Tenzin Palmo.

*******************

“A verdadeira segurança só chega a partir do conforto com a insegurança. Se estamos confortáveis com o fluxo das coisas, se estamos confortáveis estando inseguros, então essa é a maior segurança, porque nada pode derrubar nosso equilíbrio. Enquanto tentamos solidificar, interromper o fluxo da água, criar uma barragem, manter as coisas do jeito que elas estão apenas porque isso nos faz sentir seguros e protegidos, então estamos em apuros. Essa atitude vai exatamente contra todo o fluxo da vida.”

Jetsunma Tenzin Palmo

*********************

A insegurança está presente o tempo todo, como tão bem o budismo ensina: “não existe nada fixo, nem nada permanente”.

Quanto mais cedo compreendermos que tudo funciona através de ciclos com começo, meio e fim, e que isso é natural, mais conquistaremos recursos internos para lidar com os processos de mudanças, que logicamente são desconfortáveis!

O grande desafio é esse: conseguir estar confortável na insegurança!

Ao conquistar isso, pronto! É prova clara de que a sabedoria está começando a habitar o seu interior.

Nós temos quase que um vício de ficar reclamando que as coisas deram errado, que algo não era para ter acabado. Ou muitas vezes ficamos nos culpando porque algo terminou totalmente diferente do que havíamos imaginado, o que comumente acontece nos relacionamentos amorosos etc.

Não precisamos nutrir isso meus amigos! É desgastante demais! E gera os processos psicológicos de REPRESSÃO e RESISTÊNCIA.

Ela explica isso através da comparação com uma represa, que tem uma barragem que impede o livre fluxo da água. Essa barragem pode se romper a qualquer momento, basta haver um descuido ou uma falta de manutenção. E tem mais! O gasto para manter essa barragem é sempre muito maior do que deixar que ela seja destruída pela própria água! Não é verdade?

É isso que a maior parte das pessoas fazem! Reprimem suas emoções e resistem às mudanças.

O resultado de tudo isso sabemos bem qual é: DESEQUILÍBRIOS.

Quando a barragem arrebenta ela pode surgir como uma doença no corpo físico ou como algum distúrbio emocional ou psíquico. Aí a pessoa vai precisar tomar um monte de remédios e ficar meses se consultando com um psicólogo, psicanalista ou algum terapeuta holístico.

Nesse breve texto quero apenas lhe instigar a viver de acordo com o fluxo da vida, que não funciona como uma represa, mas como um rio de águas cristalinas que movimenta suas águas de acordo com a situação.

Veja só! A água de um rio, quando encontra uma barreira, o que ela faz? Simplesmente contorna esse obstáculo, não foge dele! Ela se utiliza da sua FLUIDEZ para serenamente contorná-lo!

Percebe como as águas de um rio têm muito a nos ensinar?

Portanto! Façamos o que a querida Jetsunma Tenzin Palmo ensina com maestria e simplicidade!

Sigamos o fluxo da vida! Sejamos como as águas de um rio, fluindo naturalmente e tendo essa sabedoria de contornar os obstáculos e não ficar fugindo deles através de repressões e resistências…

 

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

As doenças do sutil ao corpo físico

Por Isaias Costa

la-kundalini-1

Esses dias assisti a uma palestra maravilhosa na qual a palestrante falava sobre como é o caminho para a doença. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a doença não vem de repente e se instala em você, existe um processo paulatino até se manifestar no corpo físico.

De antemão, deixo bastante claro que esse tema é vastíssimo e existe um universo de conhecimentos sobre ele. Darei apenas algumas pinceladas e certamente voltarei a falar sobre ele em textos futuros.

Primeiro precisamos entender o que são esses corpos sutis, são basicamente 4 corpos: etérico ou energético, emocional, mental e espiritual. O 5º corpo é o físico e ele é denso. Assim, citei os nossos 5 corpos principais.

A doença, antes de atingir o corpo físico deve necessariamente desequilibrar algum ou mesmo alguns dos corpos sutis. É como se fosse uma espécie de pirâmide, onde no todo está o corpo espiritual, depois o mental, depois o emocional, depois o etérico e por fim o físico.

Darei apenas alguns exemplos de doenças que começam antes nos outros corpos.

A labirintite é uma doença que ataca nossos ouvidos e atrapalha o equilíbrio. Os corpos que estão em desequilíbrio são, no mínimo, o espiritual, o mental e o etérico, pois se trata da região da cabeça, onde estão localizados nossos chacras superiores: laríngeo, frontal e coronário.

Doenças no estômago como gastrite, úlceras, ou nos intestinos como as intolerâncias à lactose ou glúten, tem relação direta com os chacras básicos, em especial o do plexo solar, que fica nesta região. Todas as pessoas que desenvolvem essas doenças estão com desequilíbrios nos corpos mental e emocional. Eles estão vivendo em guerra. O coração quer uma coisa, mas a mente leva a fazer outra. Normalmente são pessoas altamente controladoras, querem fazer tudo de um modo “certinho” para que ninguém critique que está ruim ou que não fizeram com afinco! Por causa de todo esse perfeccionismo elas acabam tendo um grau de autocobrança que acaba desembocando em estômago ou intestinos inflamados…

Essas são doenças bem interessantes através da metafísica da saúde, não posso me alongar para não deixar esse texto imenso. Mas elas têm uma relação com nossa elevação espiritual, que ocorre através da livre circulação da chamada energia Kundalini pelos 7 chacras. Quem desenvolve essas doenças está emperrando esse fluxo de energias no chacra do plexo solar, o que impede que a pessoa alcance níveis superiores de consciência.

Deixo como sugestão o estudo da energia kundalini, existem livros e vídeos inteiros falando só sobre ela. É um tema fascinante!

A depressão atinge os 5 corpos, é uma doença terrível, mas o corpo mais afetado, sem sombra de dúvidas, é o etérico, pois a pessoa perde as forças e a disposição para trabalhar, quer dormir em demasia, muitas vezes nem quer sair da cama… Isso acontece porque sua aura está totalmente retraída e sem energia prânica, que é a que nos move e nos alimenta.

Outras doenças falarei em outros textos! O que quero frisar é que antes de a doença se manifestar no corpo físico, a pessoa já sente sintomas que ainda não são a doença propriamente dita, mas se trata dos desequilíbrios dos corpos sutis entende?

É nessa hora que muitas pessoas se queixam, por exemplo, de dores musculares, fraqueza, anemia, insônia, vertigem, mal estar na barriga etc. vão se consultar no médico e os exames não dizem nada. Aparecem sem nenhuma alteração de coisa alguma!

Consequentemente muitas dessas pessoas ficam com raiva, acham que os médicos estão “enrolando”, não fizeram nenhum diagnóstico, são incompetentes e por aí vai. E pior do que isso sabe o que é? São muitas que acabam se AUTOMEDICANDO, como se pensassem que é se entupindo de remédios que elas vão se curar das suas doenças!

Elas deveriam era agradecer ao médico, porque é como se ele estivesse dizendo: “Olha só! Existe a possibilidade de esses sintomas não virem a somatizar em uma doença, então se cuide enquanto é tempo para que não tenha que se entupir de remédios ou se internar no hospital…”.

Mas o que as pessoas fazem em sua maioria? Não se cuidam e quando fazem novos exames, o que veem? DOENÇAS, não só uma, mas várias…

Esse é, em resumo, o caminho da doença, que pode ser interrompido se você PRESTAR ATENÇÃO aos sinais que seu corpo lhe dá!

Vou dar umas dicas ok? Quando sentir alterações de humor, de vitalidade, de apetite, de libido, de motivação para trabalhar etc. se observe com calma, preste atenção no seu caminho, na sua vida, nas escolhas que tem feito, nos sonhos que tem almejado, nas conversas importantes que vem empurrando com a barriga ou deixando de expressar o que sente etc…

O autoconhecimento pode levar você a descobrir direitinho a causa de todos os sintomas que venha a ter. É por essas e outras que falo tanto sobre a “metafísica da saúde”, porque ela é uma ciência praticamente infalível para tratar as causas primárias das doenças!

Concluo esse texto com uma informação preciosa que foi compartilhada pela palestrante nesse dia! As doenças são um ótimo indicativo de que você não está sendo fiel à sua ALMA e à sua MISSÃO DE VIDA. Ela mostra que em algum ponto você está negligenciando a sua missão, que é única e insubstituível.

Ela até falou do CÂNCER, que só se transforma em metástases quando a pessoa se distanciou tanto, tanto do seu SER, que tem a sensação de que não sabe mais o caminho que leva de volta pra casa.

Não é à toa que pacientes diagnosticados com câncer muitas vezes mudam radicalmente a vida, nessa busca pelo encontro do “si mesmo”. Ao tralharem esse caminho, muitos conseguem se curar definitivamente, o que acho lindo de ver!

Portanto. Fique com mais essa reflexão: caminhe todos os dias com muito afinco em direção aos seus dons maiores, aquilo que faz o seu coração vibrar de emoção. Procure trabalhar em algo que faça bem a você, lhe realize como ser humano e que também possa beneficiar o maior número de pessoas possíveis. Trabalhe com amor, com afinco, com doação, sentindo-se útil e importante! E claro, nutra relacionamentos que sejam significativos e sólidos, baseados no amor e na benquerença…

Dessa forma você estará trilhando o caminho da saúde completa do corpo, alma e espírito.

O autoconhecimento é um caminho árduo e longo, mas seus frutos são muito doces e gratificantes!

Espero que tenha compreendido essa temática um tanto complexa, mas fascinante e transformadora na nossa vida!

Voltarei a falar sobre esse tema em textos futuros. Continue acompanhando para conhecer mais sobre essa ciência incrível que é a linguagem do corpo ou metafísica da saúde…

=> Para aprofundamento…

* Textos

As doenças se alimentam do tempo

O poder da palavra saudável

A doença é uma oportunidade de renovação

* Série de áudios sobre “Metafísica da Saúde”

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O arrependimento estratégico e o arrependimento visceral

Por Isaias Costa

2218615560-decepcao_tristeza

Já comentei em diversos textos que o ARREPENDIMENTO é uma das palavras mais terapêuticas que existe, porém, existem dois tipos de arrependimento, um que leva a pessoa a mudar e outro que é dito apenas “da boca pra fora”.

Um dos homens que melhor fez essa distinção foi o grande médico e escritor Flavio Gikovate, falecido no dia 13/10/2016. Transcrevo a seguir um trecho do seu livro intitulado “Mudar”, no qual ele explica essa diferença!

*************

“O arrependimento estratégico (operacional) é superficial e não garante que haverá mudança: quem trai e só fica mal por ter sido descoberto irá reincidir. O arrependimento visceral deriva de uma sincera e dolorosa conscientização: gera sofrimento e culpa e uma transformação confiável na pessoa. A distinção entre o arrependimento operacional e o visceral não se faz por palavras e sim por atitudes constantes ao longo de meses ou anos.”

Flavio Gikovate

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Desenvolva o prazer de ler e não o hábito

Por Isaias Costa

lendo

Quem me acompanha aqui no blog, sabe que sou fã de carteirinha do mestre Rubem Alves, que tanto me inspira a escrever.

Lendo seus textos, me deparei com um pensamento que concordo plenamente e farei uma breve reflexão a partir dele.

*************

“Lê-se pelo prazer de ler. Por isso, refugo quando pessoas falam sobre a importância de desenvolver o hábito da leitura. Hábitos são comportamentos automatizados que nada têm a ver com prazer. Lê-se pelo mesma razão que se dá um beijo amoroso: porque é deleitoso, porque dá prazer ao corpo e alegria à alma…”

Rubem Alves

*************

Eu concordo plenamente com ele. Hoje em dia se fala exaustivamente sobre os hábitos, tem até um livro best-seller sobre isso: “O poder do hábito”, de Charles Duhigg. Mas hábitos estão relacionados com a nossa PRODUTIVIDADE, com nossas responsabilidades, ou seja, nossa capacidade de gerar respostas!

É preciso dissociar tudo isso da leitura, porque dessa forma ela pode se transformar em algo mecânico, em algo robotizado. Infelizmente, muitas pessoas já transformaram o prazer da leitura em um hábito, assim não conseguem sentir esse prazer e pior, não conseguem ser CRIATIVAS.

Eu gosto sempre de brincar com essa palavra: CRIATIVIDADE = CRIA + VIDA. Ou seja, quem é criativo cria vida para si mesmo e para os outros. Não age como um autômato, como um robô!

Cada vez mais eu quero criar vida, e só se cria vida tendo PRAZER no que se faz. E como trabalho com a escrita, preciso ter prazer com as leituras, para que elas me inspirem a escrever de uma maneira que toque o coração dos leitores, entende?

Aproveito essa colocação para fazer uma crítica ao nosso sistema educacional ainda tão arcaico. As escolas colocam os tais “livros paradidáticos” com o objetivo de estimular a leitura nos estudantes, mas elas fazem uma verdadeira ditadura: “No 1º bimestre é livro tal, no 2º aquele outro…”.

Como pode um sistema desses contribuir para que os alunos amem a leitura? Nessa hora é comum haverem as generalizações. Já ouvi tanta gente dizer assim, você nem faz ideia…

“Mas TODO MUNDO gosta de ler o Julio Verne, o Jorge Amado, a Clarice Lispector, o Drummond, o Machado de Assis?”.

Será? Eu tenho minhas dúvidas! Veja só os nomes que citei! Todos eles são de fato INCRÍVEIS e já li diversos livros de todos eles. São lindos e inspiradores!

O problema está no TODO MUNDO. Isso não existe! Sempre vai haver as pessoas que não vão gostar dos livros desses ou de outros autores famosos e não há problema nenhum nisso! Muito pelo contrário! É bom que seja assim, afinal, é muita pretensão achar que alguém pode agradar a todos, não é mesmo? Lembra o ditado popular: “Nem Jesus agradou a todos…?”. É óbvio que esse ditado pode ser estendido para a literatura.

Aproveito esse texto para propor esse exercício de HUMILDADE. Seja você quem for ou no que trabalhe, NUNCA QUEIRA AGRADAR A TODOS. Não force a barra de ninguém para fazerem o que você quer ou o que pode lhe trazer alegria e satisfação!

Digo isso me colocando! A vida me ensinou isso com maestria! Não obrigo ninguém a ler os meus textos. De jeito nenhum. Eu sempre SUGIRO. Digo mais ou menos assim: “Olha! Eu tenho um blog bem bacana no qual escrevo sobre Psicologia, autoconhecimento, espiritualidade, relacionamentos etc. Se você tiver interesse nesses assuntos é só colocar no google: ‘Para além do agora’”. E fim de papo! O assunto morre aí mesmo!

Quem se interessa de ler, simplesmente acessa e pronto. Alguns leem e gostam, outros leem uma vez depois vão ler outras coisas, outros leem metade de um texto, acham chato e nunca mais retornam e por aí vai!

Eu acho isso lindo! A educação como um todo deveria ser assim. A gente precisa ler e estudar aquilo que engrandece o nosso ser, aquilo que dá brilho aos nossos olhos, prazer ao corpo e iluminação à nossa alma.

Nessa hora é fundamental a BUSCA. Se você ainda não despertou para o prazer da leitura, eu não tenho dúvidas disso, é porque você ainda não encontrou um autor ou autora que despertasse esse prazer no seu corpo, ainda não encontrou um texto tão erótico assim!

Continue procurando, quando menos esperar você encontrará algo que vai lhe deixar super excitado ou excitada e dali pra frente a leitura será puro gozo!

Constantemente cito nos meus textos autores que com seus textos despertam esse prazer em mim. O Rubem é um deles! Ele escrevia com o desejo de ter o seu texto “comido” pelos leitores!

Descubra os autores que despertam esse desejo em você, então verá que não precisará desenvolver o hábito da leitura, porque o prazer é muito superior ao hábito…

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O que significa estar em estado de graça?

Por Isaias Costa

inverno

Provavelmente você já deve ter falado ou ouvido a conhecida expressão “estado de graça” não é mesmo? Infelizmente, pelo fato de vivermos no ocidente, com uma cultura extremamente materialista e voltada para o sucesso a todo custo, associamos essa frase às pessoas que conquistam muitas COISAS, que realizam muito nos seus trabalhos e que conseguem ser os tais workaholics .

Fico observando todas essas distorções e me questionando: “Meus Deus! Como ainda estamos distantes de compreender a vida como ela é…”

Farei uma breve reflexão sobre o que é realmente estar em estado de graça. Já antecipo, é algo bem mais difícil do que trabalhar com afinco ou ganhar muito dinheiro. Isso faz parte do jardim de infância desse processo.

Compartilho abaixo algumas palavras do mestre espiritual Eckhart Tolle que fala com profundidade e objetividade sobre isso…

*************

“Não oferecer resistência à vida é estar em estado de graça, de descanso e de luz. Nesse estado, nada depende de as coisas serem boas ou ruins. É quase paradoxal, mas como já não existe mais uma dependência interior quanto à forma, as circunstâncias gerais da sua vida, as formas externas, tendem a melhorar consideravelmente. As coisas, as pessoas ou as circunstâncias que você desejava para a sua felicidade vêm agora até você sem qualquer esforço, e você está livre para apreciá-las enquanto durarem. Todas essas coisas naturalmente vão acabar, os ciclos virão e irão, mas com o desaparecimento da dependência não há mais medo de perdas . A vida flui com facilidade.”

Eckhart Tolle

*************

Aparentemente é simples, mas esse é um dos maiores desafios na vida: não oferecer resistências.

E o desafio se dá porque as resistências vêm do nosso EGO, que trabalha firmemente para nos manter nas nossas ZONAS DE CONFORTO, para que continuemos com as mesmas atitudes e realizando sempre as mesmas coisas do mesmo jeito.

Trabalhar o nosso ego é o começo do processo para a iluminação, para a transcendência do ser. Poucas são as pessoas que tem esse interesse exatamente porque o ego delas não permite que esse caminho seja percorrido. No fundo elas sentem que vai ser doloroso e que podem “se perder”, e por isso não o seguem.

Mas como já falei em outros textos, “perder o rumo é bom, se perdido a gente encontra um sentido escondido em algum lugar…”, parafraseando o cantor e compositor Humberto Gessinger. Compreender bem essa frase pode lhe inspirar a seguir esse caminho rumo à transcendência e a esse estado de graça que o Eckhart Tolle nos propõe…

Outro ponto fundamental é entender a natureza CÍCLICA da vida e do universo. Tudo funciona através de ciclos, e quanto mais cedo você internalizar isso, menor será o seu sofrimento. Tudo tem um começo, um meio e um fim, isso faz parte do tecido que compõe esse universo.

Gosto até de brincar com isso quando converso com meus amigos. Às vezes digo assim: “Você se acha tão importante, mas tão importante, que suas leis são mais eficientes que as leis universais!”. Nessa hora é bom que nos olhemos no espelho para perceber nosso nível de arrogância e acima de tudo, de RESISTÊNCIA às mudanças que a vida traz…

Para maiores aprofundamentos, compartilho alguns textos importantes que escrevi aqui no blog, trazendo a reflexão sobre os ciclos para todos os campos da vida. Vale a pena dar uma lida neles…

Os nossos ciclos de evolução

Cada pessoa tem um tempo na nossa vida

A vida se dá por construção e desconstrução

Concluo falando sobre uma das leis universais que está incutida nas entrelinhas dessas palavras do Ekhart Tolle, a LEI DA ACEITAÇÃO. Ela anda de mãos dadas com a NÃO RESISTÊNCIA.

Preste atenção! Se você não resiste ao fluxo da vida então, consequentemente, aceita que as mudanças aconteçam, pois sabe que elas fazem parte dos nossos processos evolutivos.

Portanto, procure exercitar essa aceitação! Dessa maneira você pouco a pouco atingirá esse estado de graça que ele coloca.

Mas não posso deixar de falar o mais essencial. Procure MEDITAR, porque ela é a chave mestra de toda e qualquer mudança concreta na vida e nas posturas como um todo.

O mestre Eckhart Tolle é um iluminado e viaja pelo mundo todo dando palestras e oferecendo cursos para as pessoas aprenderem a meditar, a silenciar, a viverem o aqui e agora etc.

Percebe como não é um caminho fácil? Mas acredite! Vale muito a pena segui-lo. E antes que você me questione sobre isso já afirmo: “Eu ainda estou bem longe de atingir esse estado de graça que ele ensina. É um exercício para a vida toda. Porém, sei que o caminho é por aí. Sabendo disso, agora é exercitar incessantemente…”.

Quer também atingir esse estado de graça? Então procure acolher todos esses ensinamentos e perceber as pequenas mudanças que vão acontecer pouco a pouco na sua vida.

Paz e luz…

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Não basta fazer terapia

Por Isaias Costa

20-exigente-2

Já falei algumas vezes por aqui que estou estudando e me preparando ser terapeuta e venho falar sobre algo que a princípio parece um contrassenso, mas você vai entender: não basta fazer terapia.

Como assim? Um futuro terapeuta está afirmando isso? Sim! Com todas as letras!

Para que você entenda o que quero dizer, compartilho algumas palavras do místico oriental Osho que me inspiraram a escrever esse texto!

*************

“A terapia sugere que você lentamente se descarregue. O que estou ensinando está além da terapia, mas a terapia o prepara.

O trabalho da terapia é limitado: ela o ajuda a ser saudável, e isso é tudo. Meu trabalho vai além da terapia, mas ela precisa preparar o caminho.

As terapias limpam o caminho; então, posso colocar as sementes. Apenas limpar o terreno não irá fazer o jardim.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A verdade mora no silêncio que existe em volta das palavras

Por Isaias Costa

images

Eu sou fã de carteirinha do mestre Rubem Alves e ele tem me ensinado imensamente a ser uma pessoa melhor e aos pouquinhos ir desenvolvendo a sabedoria. Farei uma breve reflexão a partir de algumas palavras instigantes e inspiradoras dele…

*************

“Todas as palavras tomadas literalmente são falsas. A verdade mora no silêncio que existe em volta das palavras. Prestar atenção ao que não foi dito, ler as entrelinhas. A atenção flutua: toca as palavras sem ser por elas enfeitiçada. Cuidado com a sedução da clareza! Cuidado com o engano do óbvio!”

Rubem Alves

*************

Essa frase que intitula esse texto, em minha opinião, é a mais impactante e reflexiva, porque a maior parte das pessoas não atina para o SILÊNCIO, para as PAUSAS, para as ENTRELINHAS, elas querem o óbvio, querem aquilo que já vem “mastigadinho” e não precisa passar por processos de maturação. É por essas e outras que nós brasileiros temos tanta dificuldade em ler e escrever.

Aproveito até para compartilhar minha experiência como professor, que lido com o ensino todos os dias. Os alunos, de um modo geral, hoje em dia estão extremamente preguiçosos para raciocinar, para “botar a cuca pra funcionar”, como se diz popularmente.

Se os professores vêm com um artigo de 10 páginas para ser estudado e debatido, eles acham longo e complexo demais, pedem que tragam artigos menores e mais simplificados.

O resultado disso tudo é que essa imensa distração não colabora para o desenvolvimento intelectual e humano como poderia! Voltarei a falar sobre isso em outros textos…

Quem lê ou já leu os textos do Rubem Alves, sabe que ele era um amante da POESIA. E ela é um exemplo perfeito de que sua mensagem se encontra nas entrelinhas. Ele até brincava nas suas palestras que você pode ler a mesma poesia mecanicamente, igual a um robô, ou pode ler com lirismo, com doçura, degustando cada palavra, mudando a tonalidade de acordo com o que está sendo dito.

Na primeira leitura, provavelmente quem escuta não grava nada, não fixa nada, mas na segunda leitura, quem escuta se apaixona pelo texto. O que mudou? O texto? NÃO. Mudou a forma com que foi lido, passou a ser colocado energia, amor, sentimento, doçura. É isso que faz toda a diferença entende?

É no silêncio que mora a verdade…

Proponho a você a partir desse texto que passe a prestar muito mais atenção nos silêncios, nas pausas, do que no texto em si, no que está sendo dito ou ouvido. Garanto que dessa forma você absorverá bem mais e desenvolverá sua mente.

Suas palavras me fizeram lembrar de um grande mestre oriental chamado Osho, falecido em 1990. Ele tem diversas palestras no youtube, mas elas são ouvidas por pouquíssimas pessoas, sabe qual é o motivo? IMPACIÊNCIA.

Ele fala de um jeito tão lento, com tantas pausas e com tanta atenção ao que está sendo dito, que as pessoas que tentam assistir aos vídeos ficam impacientes, ficam com sono e vão fazer outras coisas no lugar, mesmo suas mensagens sendo transformadoras e conscientizadoras.

O Rubem fala sobre as entrelinhas e quase tudo que o Osho diz está na realidade nas entrelinhas, não nas palavras, mas nos silêncios que ele faz…

Você aceita o desafio de ver um vídeo dele do começo ao fim sem querer mudar de abas, ou ficar “viajando na maionese”? Acredite! Este é um belo exercício de MEDITAÇÃO e ATENÇÃO PLENA que estou lhe passando de forma irreverente! hehe

Abaixo compartilho uma série de vídeos dele no qual ele fala sobre diversos temas! Exercite assistir a um vídeo do começo ao fim…

Para concluir, quero lhe instigar a refletir sobre essa CLAREZA EXTREMA. É bom sim se expressar com clareza e objetividade, mas é bom também buscar o aprofundamento e a complexificação daquilo que se está estudando, senão você corre o risco de sempre ficar apenas na superfície, nas bordas do conhecimento.

Gosto muito das palavras do grande professor e filósofo Mario Sergio Cortella sobre isso. Ele diz que precisamos TRANSBORDAR, ou seja, “sairmos da nossa borda”, em amplo sentido: no conhecimento, na amizade, no amor, na família, no trabalho, nas finanças, na espiritualidade etc.

Esse é um exercício para a vida toda. Sei que você quer transbordar, senão nem estaria lendo esse texto!

O transbordamento está em buscar mais conhecimento, mais amor, mais amizades verdadeiras, maior conexão com o lado espiritual etc.

Percebe como algumas poucas palavras do mestre Rubem Alves carregam nas entrelinhas milhares ou mesmo milhões de possibilidades?

Estou com esse texto apenas fazendo cócegas nas possibilidades de interpretações que essas palavras carregam em suas entrelinhas! Não é à toa que ele é considerado tão genial! Só os gênios conseguem isso! Fazer com que em poucas palavras existam um universo inteiro de possibilidades de reflexões e interpretações.

Que essas palavras tenham lhe instigado a ser enfeitiçado pelos silêncios, pelos espaços vazios, pelas entrelinhas. É aí que mora a sabedoria! É aí que mora a verdade! No silêncio que existe em volta das palavras…

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Quem é o seu porto seguro?

Por Isaias Costa

barcos-no-fim-de-tarde

Tenho refletido bastante sobre uma expressão que é extremamente utilizada pelas pessoas que criam muitos apegos e dependências emocionais das outras, a expressão “porto seguro”.

Quero lhe levar a refletir junto comigo sobre isso: Quem é o seu porto seguro?

A expressão “porto seguro” é sinônima de APEGO e DEPENDÊNCIA. Quando alguém diz isso está indiretamente querendo dizer que não consegue viver sem algo ou alguém a quem considera esse porto.

Vou citar alguns exemplos. Tem pessoas que colocam seu porto seguro no patrimônio financeiro, o que é extremamente vazio, porque caso elas venham a perder esse patrimônio, perdem também o sentido da vida, correndo um sério risco de entrarem em depressão ou até mesmo se suicidarem.

Outras colocam seu porto seguro no trabalho, o que quase sempre representa uma válvula de escape, porque não conseguem dar a mesma importância aos outros setores da vida, então criam uma verdadeira fixação ao trabalho, e o resultado de tudo isso é um desequilíbrio total! Com a perda do emprego, vai junto o sentido da vida…

Outras colocam o seu porto seguro na família, em amplo sentido, os pais colocam nos filhos, os filhos nos pais, os pais nos seus próprios pais, netos nos avós, sobrinhos nos tios etc etc… É uma concepção bem inocente essa de que os familiares são um porto seguro, porque não são! Qualquer um pode morrer a qualquer momento, e se alguém morre, seu apego fará com que seu luto seja estendido por anos a fio. É isso que você quer para sua vida? Nessa hora recordo o que já disse no começo. DESAPEGO, é preciso desapegar…

Outras colocam o porto seguro no relacionamento amoroso, seja namoro, seja casamento. Esse é mais um “barco furado” porque, como sempre digo, não existem garantias no que se trata de relacionamentos, só existem garantias em objetos eletrônicos e móveis, nunca em relacionamentos, porque a outra pessoa pode ter “n” motivos ou maneiras de sair da sua vida, seja por uma separação, seja porque se desinteressou, seja porque morreu etc. Um número imenso de pessoas considera o cônjuge seu porto seguro. Não as condeno, porém, deixo aqui esse alerta. Essa decisão é bastante arriscada, porque o sofrimento gerado por uma ruptura desse relacionamento também pode levar anos a fio ou fazer você “entrar em parafusos”…

Existem também as pessoas que colocam seu porto seguro na igreja, em Deus, ou nas figuras que representam os fundadores das religiões como Jesus Cristo, Buda, Krishna, Lao Tsé etc.

Pelo fato de estarmos no Brasil, país de maioria cristã, é comum ouvir pessoas dizerem: “Jesus é tudo na minha vida. Não vivo sem ele! Ele é a razão da minha existência…”. São palavras lindas eu sei. Eu amo Jesus Cristo de todo meu coração, mas essa frase carrega em si um APEGO a figura de Jesus, que pode estar presente apenas em espírito, nunca como uma pessoa física presente ao seu lado entende? Então na hora da SOLIDÃO, quando você precisa de verdade de um ombro pra chorar, de um ouvido para lhe ouvir, de um abraço para se aconchegar, o que o porto seguro Jesus ou religião poderá lhe fazer nessa hora, hein?

Um porto é onde os navios ficam estalados, é algo físico, não pertence a esfera da fé ou do transcendente. Então colocar seu porto seguro nas religiões ou em Jesus talvez não seja algo tão perfeito como alguns insistem em dizer…

Mas em quem eu vou colocar meu porto seguro Isaias? Não tenho opções! Você já citou tudo o que imaginei? Será? Você não está esquecendo de nada?

Seu porto seguro pode ser VOCÊ! Já pensou nisso?

Se o seu porto seguro for você, não haverá apegos excessivos nem tanta dependência emocional das outras pessoas. Os familiares podem morrer e você terá um luto no tempo considerado normal, seu relacionamento pode terminar e você não entrará em depressão, você pode mudar de religião, de crença e não perderá seus princípios, pode falir sua empresa, pode mudar de emprego, pode perder todo seu patrimônio e você se reerguerá, porque sabe que tudo é transitório, não existe nada fixo nem nada permanente, como tão sabiamente nos diz o Buda e seus seguidores.

Estou aos pouquinhos exercitando isso e tendo progressos. Meu porto seguro sou eu mesmo, não quero colocar esse peso em cima de ninguém. É um peso muito grande sabia? Ninguém tem a obrigação de ser o seu porto seguro, isso pode gerar uma sobrecarga enorme!

Talvez você pense! Mas essa é uma concepção muito egoísta? Afinal, somos seres gregários, precisamos uns dos outros? Sim! Entendo essa forma de pensar, mas uma coisa é precisarmos uns dos outros, outra bem diferente é DEPENDERMOS delas para sermos felizes e termos um sentido mais profundo em nossas vidas. Eu até falei um pouco sobre isso em um áudio no soundcloud, a diferença entre dependência, independência e interdependência. O ideal é sermos interdependentes. Se quiser ouvir, segue o link abaixo!

Enfim! Essa é minha sugestão. Fique livre para acatá-la ou não! Mas em minha opinião, você ser seu próprio porto seguro lhe dará mais recursos para desenvolver o amor próprio, a autoconfiança e elos de amor bem mais profundos e espiritualizados. Pense sobre isso com carinho…

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized