Arquivo da tag: Envelhecimento

A fonte da juventude

Por Isaias Costa

lya-luft-696x421

Lya Luft e seus muitos livros…

É com grande alegria que apresento aos leitores o meu primeiro texto inspirado nas palavras da querida professora e escritora Lya Luft. Falarei um pouquinho sobre o que ela considera ser a FONTE DA JUVENTUDE, o que concordo plenamente! Veja só!

*****************

“A fonte da juventude chama-se mudança. De fato, quem é escravo da repetição está condenado a virar cadáver antes da hora. A única maneira de ser idoso sem envelhecer é não se opor a novos comportamentos, é ter disposição para guinadas. Toda mudança cobra um alto preço emocional. Antes de se tomar uma decisão difícil, e durante a tomada, chora-se muito, os questionamentos são inúmeros, a vida se desestabiliza. Mas então chega o depois, a coisa feita, e aí a recompensa fica escancarada na face. Mudanças fazem milagres por nossos olhos, e é no olhar que se percebe a tal juventude eterna. Um olhar opaco pode ser puxado e repuxado por um cirurgião a ponto de as rugas sumirem, só que continuará opaco porque não existe plástica que resgate seu brilho. Quem dá brilho ao olhar é a vida que a gente optou por levar.”

Lya Luft 

******************

De fato, a fonte da juventude se chama MUDANÇA. Quando você começa a achar que a vida está monótona, que não tem mais nada para ser feito, que já cumpriu tudo que tinha que cumprir, que todos os dias são os mesmos… Vixe! Você está decretando que está morrendo, que está perdendo o encanto pela vida.

Em cada momento, em cada minuto existe algo novo, existe um novo ar, uma nova esperança e novas experiências para serem vividas. Porém, é preciso que nós estejamos dispostos a isso, é preciso cultivarmos dentro de nós a CURIOSIDADE, a vontade de APRENDER COISAS NOVAS ou mesmo de APRIMORAR o que já sabemos fazer bem!

Eu, por exemplo, já li até esse momento algo em torno de uns 1000 livros e sinto que uma vida com uns 100 anos não serão suficientes para ler todos os livros que tenho vontade de ainda ler. Esse tipo de pensamento é o que faz a vida seguir com JOVIALIDADE. Fico feliz que bem cedo eu aprendi isso.

Procure fazer esse exercício hoje! Pense em algo que você gosta e que sabe que mesmo com décadas a fio, você não conseguirá concluir porque não dá tempo! Esse é um dos ingredientes dessa fonte da juventude. Pense um pouquinho sobre isso OK?

Eu gosto muito de conhecer as raízes das palavras, e uma bem interessante é CURIOSIDADE. Ela tem a mesma raiz da palavra CURA, que significa “cuidado”, “cultivo”. Ou seja, se eu tenho em mim curiosidade, eu me curo da MESMICE, tenho cuidado com o meu TEMPO, cultivo coisas boas e por conta disso acabo vivendo muito mais! Não é incrível?

Enfim! Guarde essas palavras: A CURIOSIDADE É A CURA PARA A MESMICE.

Quando você tem curiosidade, naturalmente se abre para as MUDANÇAS que a vida oferece o tempo todo e deixa o seu olhar sempre vivo e brilhante, como tão bem a Lya coloca: “Quem dá brilho ao olhar é a vida que a gente optou por levar.”

Que vida você optou por levar? Essa é uma pergunta bem profunda que lanço hoje! Pense um pouquinho sobre ela e saiba que uma escolha feita com amor, de coração, desejando crescer, aprender mais, amadurecer, certamente será a escolha que lhe proporcionará viver mais e melhor, cultivando a saúde, como falei no outro parágrafo.

Enfim! Esse pequeno texto foi escrito para lhe motivar a alimentar essa FONTE DA JUVENTUDE através de novos aprendizados, vivências, de abertura para o desconhecido… Tudo isso lhe ajudará a viver bastante, com jovialidade, saúde e brilho no olhar…

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

O que eu penso sobre aposentadoria?

Por Isaias Costa

rubem-alves-morreu

Estou escrevendo esse texto no dia em que se faz memória ao falecimento de um senhor que admiro do fundo do meu coração e que me inspira demais a escrever. É claro que estou falando dele, o mestre RUBEM ALVES.

Ele faleceu no dia 19/07/2014 deixando um imenso legado de sabedoria para a humanidade. Assim como ele, a cada novo texto que escrevo, também estou deixando o meu legado para as pessoas. Ler as palavras do Rubem me motiva a continuar sempre escrevendo.

Em homenagem a ele, tratarei nesse texto de um tema que ele sempre falava, mas até este momento, nunca escrevi com mais detalhes, a APOSENTADORIA. Eu penso sobre a aposentadoria da mesma forma que ele, e para embasar as ideias, nada melhor do que as palavras do próprio Rubem não é mesmo?

“Imagino que o poeta jamais pensaria em se aposentar. Pois quem deseja se aposentar daquilo que lhe traz alegria? Da alegria não se aposenta… Algumas páginas antes o herói da estória havia declarado que, ao final de sua longa caminhada pelas coisas mais altas do espírito, dentre as quais se destacava a familiaridade com a sublime beleza da música e da literatura, descobria que ensinar era algo que lhe dava prazer igual, e que o prazer era tanto maior quanto mais jovens e mais livres das deformações da deseducação fossem os estudantes.”

Fonte: A alegria de ensinar

Essas são palavras lindas e inspiradoras. Minhas maiores vocações são o ENSINO e a ESCRITA. São duas coisas que amo e que me dá uma imensa alegria.

Quando alguém fala comigo sobre aposentadoria sempre brinco que vou me aposentar quando tiver uns 100 anos, porque eu sinto tanta alegria em ensinar e escrever que não me vejo longe disso no período da velhice. E esse texto é uma motivação para que você repense a aposentadoria.

É possível se aposentar de uma maneira mais inteligente e sábia. Infelizmente a maior parte das pessoas se aposenta e depois que se aposenta não utiliza seu maiores dons em prol de ajudar um grande número de pessoas, quem faz isso são as pessoas que tem dentro de si um propósito maior.

Quero deixar claro que o problema não é se aposentar, o problema é se ACOMODAR, o que acaba transformando a vida na terceira idade numa rotina enfadonha e desgastante.

Para que você entenda ainda com mais clareza o que estou querendo transmitir, compartilho algumas palavras do grande educador Gabriel Perissé:

***************

Na primeira página do jornal Folha de S.Paulo de hoje, “aposentadoria” é palavra em destaque.

“No século XVI circulava a palavra “apousentar”, no sentido de fazer alguém pousar e repousar. O hóspede podia pousar no “apousento” de uma casa amiga. No século XIX o “u” já tinha ficado na estrada (ou terá pedido a aposentadoria?). A aposentadoria tornava-se direito trabalhista.

(Curiosidade: D. Pedro I concedeu a aposentadoria aos professores públicos que completassem 30 anos de serviço. Tal aposentadoria era denominada “jubilação”, do latim jubilatìo,”gritos de alegria”.)

Aquele que peregrina por muitos anos tem direito a pousar um dia. A palavra “pousar” remete ao latim pausare, “parar”, “descansar”. Mas descansar com dignidade. E aposentadoria não significa pendurar as chuteiras e ficar num canto, parado, paralisado. O aposentado pode e deve caminhar em novas direções, dedicando-se a atividades diversas e exercendo funções sociais relevantes.”

Fonte: O pouso do aposentado

**********************

Percebe como é lindo? Se aposentar é POUSAR e parar tranquilo num ambiente que lhe dê prazer e alegria.

Eu sou bem jovem, mas me imagino bem velhinho numa casinha confortável escrevendo sem nenhuma pressa nem preocupação com prazos e compromissos maiores. Essa é, a meu ver, a melhor forma de se aposentar, você continuar fazendo aquilo que ama fazer, porém sem cobranças e sem tanta responsabilidade.

“O aposentado pode e deve caminhar em novas direções, dedicando-se a atividades diversas e exercendo funções sociais relevantes.”

Você que me lê agora, o que poderia fazer na sua velhice que fosse socialmente relevante? Se você nunca pensou sobre isso, que tal pensar hoje aproveitando essa linda inspiração que tive a partir do mestre Rubem Alves?

Enfim! Que você olhe a aposentaria com olhos mais amorosos e altruístas! Essa é a minha visão e sonho que mais e mais pessoas passem a enxergar esse período da vida a partir desse olhar, e assim se encham de criatividade para ajudar esse planeta a ser pelo menos um pouquinho melhor, como fez o querido Rubem, que sempre vai nos deixar saudades…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

 

 

 

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

O parto cerebral

Por Isaias Costa

cerebro-faxina-sono-solunni

Recentemente ouvi uma entrevista com o escritor, filósofo, designer gráfico, consultor, criador multimídia e professor Henrique Szklo a respeito dos nossos processos criativos e ele falou uma expressão um pouco esquisita, porém bastante reflexiva: PARTO CEREBRAL.

O que é parto cerebral? É toda vez que seu cérebro é desfiado e colocado em uma situação completamente nova, nunca antes vivenciada. Cada vez que temos experiências novas, nosso cérebro passa por um parto, um processo doloroso dos neurônios para processar a nova experiência e guardá-la nos espaços da memória.

O olhar desatento

É interessante notar que esse processo nos deixa cada vez mais inteligentes, ou seja, nossa inteligência não é restrita a um padrão, a um limite, nada disso. Com os devidos esforços, podemos nos tornar cada vez mais inteligentes dia após dia.

O que o Henrique quis sugerir ao estimular os partos cerebrais é, em outras palavras, buscar experiências novas, originais, sair da zona de conforto.

Na entrevista, ele comparava as crianças com as pessoas idosas. Ele falava que as crianças passam o tempo todo por partos mentais, porque tudo aquilo que para nós, adultos, parece repetido e batido, para elas é novidade, estão vendo e experimentando pela primeira vez. E o que é mais interessante, inclusive já foi feito estudos sobre isso, a nossa percepção de tempo muda completamente quando somos constantemente estimulados a experimentar coisas novas. Por que você acha que quando somos crianças o tempo parece que passa mais devagar? O que faz com que o tempo dos adultos passe mais rápido é uma palavrinha chamada ROTINA, e a rotina pode ser driblada pela busca constante por novidades. Compartilho abaixo um texto incrível que aprofunda essa questão. Vale muito a pena a sua leitura…

Cuidado com a rotina

Ele também fala que as pessoas mais velhas evitam muito passar por partos mentais, porque já passaram por tantos que gera certa desmotivação, sentimento de incompetência etc. Eu sou bem jovem, mas não quero de maneira alguma fazer parte deste grupo, quero me revonar até o último dia da minha vida. Nunca acreditei e nunca acreditarei que gente velha não muda, isso é uma falácia sem medida. Pessoas velhas podem mudar sim, desde que tenham esse propósito e abertura para mudanças. Vamos fazer parte do grupo de pessoas que está sempre se renovando, buscando coisas novas e ampliando o repertório pessoal? Esse desejo pode fazer de nós pessoas brilhantes. Eu quero isso para mim e quero ainda mais para você que me lê agora. Vamos?

Outra fator interessantíssimo dos partos cerebrais é que, quanto mais o estimulamos, mais podemos aguçar a nossa criatividade e modo de enxergar o mundo, a vida, as pessoas. Esse processo aumenta nossa sensibilidade, nos torna mais vivos e presentes no hoje, no agora. Adoro relembrar as incríveis palavras do grande escritor norueguês Jostein Gaarder para explicar isso:

“Quanto mais sabemos, melhor vemos as coisas que nos rodeiam. Por outro lado, quanto melhor vemos as coisas, melhor a compreendemos. Se mantivermos os olhos e os ouvidos bem abertos, descobriremos sempre alguma coisa pela primeira vez”.

Ou seja, quanto mais atentos estamos ao momento presente, ao agora, aos detalhes, às minúcias, às pequenas coisas da vida, mais conseguimos descobrir algo novo, aumentar a criatividade, a sensibilidade. Você quer desenvolvê-las? Então esse é um ótimo caminho. O que posso acrescentar e considero importantíssimo é a busca pela SERENIDADE, quanto mais serenos somos, mais conseguimos viver o agora intensamente, e consequentemente, aguçamos nossa criatividade. Também escrevi um texto me aprofundando nessa questão, o link está logo abaixo.

Aqui e agora

Enfim! Vamos estimular muitos partos cerebrais na nossa vida. Quanto mais partos tivermos, mais intensamente viveremos e inteligentes ficaremos. Pense sobre isso…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Um século de sabedoria

Por Isaias costa

Campos de concentração nazista...

Campos de concentração nazista…

O desejo da maior parte das pessoas é ser feliz e, se possível, ter uma vida longa. Mas como ter uma vida longa? Existem muitos caminhos, porém, acredito que uma das principais maneiras de se ter uma vida longa é servir aos outros e ser otimista. Recentemente a minha avó completou 100 anos de vida e ela vivia as duas coisas que coloquei, ela sempre serviu aos outros e foi otimista.

Para refletir sobre isso, compartilho um vídeo incrível que mostra a história de uma mulher sobrevivente dos campos de concentração nazista e seus segredos para ter uma vida longa.

Vou enumerar agora apenas alguns dos motivos que fez essa mulher ter uma vida tão longa e feliz.

1) Logo no início do vídeo ela diz: “Eu olho onde é bom. Eu sei sobre o mal, mas eu olho as coisas boas”. Quem é otimista e sabe olhar as coisas boas da vida, tem mais recursos para ser feliz. No meio do vídeo ela diz assim: “A melhor coisa da minha vida foi que eu nasci otimista. Não é mérito meu, minha mãe me empurrava!”.

2) Ela não guarda mágoas das pessoas e do lugar onde ficou na época da guerra. Quem não guarda mágoas elimina uma enorme energia negativa de dentro de si.

3) Ela ria muito, aproveitava a presença do seu filho para rir com ele. Eu sempre gosto de dizer que “rir é o melhor remédio”. O riso tem um poder terapêutico na nossa vida. Quem ri muito vive mais, vive melhor, é mais feliz e mais saudável também.

Rir é o melhor remédio

4) Ela ouvia músicas que tocam a alma. Inclusive ela diz num trecho do vídeo: “A música que ouvíamos mantinha-nos vivos”. Isso é bem verdade. Eu mesmo me acalmo muito ouvindo boas músicas, inclusive minha criatividade está totalmente associada a ela. Não conseguiria escrever como faço e com a frequência que faço se não fosse a música. Nunca esqueça: “Música é vida…”. Ouça boas músicas…

5) Ela nunca se queixou de nada na vida. Essa foi uma das lições da sua mãe. No vídeo ela diz: “Piedade não muda as pessoas quando elas estão se queixando…”. Quem só se lamenta, quem só reclama, quem só acha que ainda não tem o que precisa, sinto dizer, mas dificilmente será genuinamene feliz e provavelmente morrerá bem mais cedo do que deveria.

6) O que complementa o ponto 5 é a GRATIDÃO. As pessoas que não reclamam o tempo todo de tudo são as pessoas gratas. Quanto mais agradecemos pelo que somos e temos, mais e mais bênçãos e prosperidade são derramadas. Experimente! Isso é muito real, tenho experimentado na minha vida e garanto que funciona…

Quer ser feliz? Seja grato!

7) Ela sabe valorizar as pequenas coisas da vida, ou seja, a SIMPLICIDADE. No final do vídeo há uma gravação de quando ela tinha 96 anos em que ela diz: “Quando me perguntam o que eu aprendi na minha longa vida, eu posso responder, em primeiro lugar… Agradeço a minha mãe por ela ter conseguido que os seus cinco filhos tivessem aprendido a conhecerem a vida e serem agradecidos. Por serem sobreviventes como eu e meu filho. Agradecidos por tudo. Por sermos felizes. Por sermos protegidos. Por verem o sol. Por verem um sorriso. Uma bela música de um disco. Um delicado pássaro de alguém. Tudo é um presente. Eu aprendi a ser agradecida por tudo.”

A beleza da simplicidade

Enfim! Que essa mulher e seu exemplo de vida sirvam como uma motivação para ser um pouquinho como ela e vivermos mais felizes. Quem sabe vivamos também um século? Essas dicas que ela deu são um excelente caminho para se conseguir isso…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A arte de viver bem segundo Cora Coralina

Por Isaias Costa

10003353_839014882779479_711371063_n

Eu amo as as pessoas idosas e sempre aprendo muito com as suas sabedorias de uma vida inteira. Para viver bem e feliz, acredito que as melhores pessoas para nos ensinar isso são as idosas, pois elas têm muitas dicas, segredos e mistérios para nos contar por terem vivido bastante e estarem com saúde.

Li e fiquei encantado com um relato feito pela linda poetisa e contista Cora Coralina sobre a arte de viver bem. Compartilho aqui as suas belas e sábias palavras. Reflita sobre elas e busque cada vez mais viver bem, seguindo seus conselhos e outros mais…

*****

Um repórter perguntou à Cora Coralina o que é viver bem.

Ela lhe disse:

Eu não tenho medo dos anos e não penso em velhice. E digo pra você, não pense.

Nunca diga estou envelhecendo, estou ficando velha. Eu não digo. Eu não digo que estou velha, e não digo que estou ouvindo pouco.

É claro que quando preciso de ajuda, eu digo que preciso.

Procuro sempre ler e estar atualizada com os fatos e isso me ajuda a vencer as dificuldades da vida. O melhor roteiro é ler e praticar o que lê. O bom é produzir sempre e não dormir de dia.
Também não diga pra você que está ficando esquecida, porque assim você fica mais.
Nunca digo que estou doente, digo sempre: estou ótima. Eu não digo nunca que estou cansada.

Nada de palavra negativa. Quanto mais você diz estar ficando cansada e esquecida, mais esquecida fica. Você vai se convencendo daquilo e convence os outros. Então, silêncio!

Sei que tenho muitos anos. Sei que venho do século passado, e que trago comigo todas as idades, mas não sei se sou velha, não. Você acha que eu sou?

Posso dizer que eu sou a terra e nada mais quero ser. Filha dessa abençoada terra de Goiás. Convoco os velhos como eu, ou mais velhos que eu, para exercerem seus direitos. Sei que alguém vai ter que me enterrar, mas eu não vou fazer isso comigo.

Tenho consciência de ser autêntica e procuro superar todos os dias minha própria personalidade, despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto, pois lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes.

O importante é semear, produzir milhões de sorrisos de solidariedade e amizade. Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança.

Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor. Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende.

Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir.

Cora Coralina

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Lições de vida de uma senhora de 103 anos

Por Isaias Costa

fotoseducagestao3

Eu assisti a um vídeo que me levou a refletir bastante sobre coisas simples da vida, mas que muitas vezes não damos o devido valor. Era o vídeo de uma senhora de 103 anos que estava aprendendo a ler com o objetivo de aprender algo de bom no tempo ocioso e, principalmente, para ler a bíblia. O link do vídeo está logo abaixo.

Eu tenho uma profunda admiração pelas pessoas idosas, porque quase todas possuem lições de uma vida inteira para passar às pessoas. Quando estou ao lado de idosos, fico em silêncio, prestando atenção em tudo o que eles dizem e absorvendo o que de melhor eles têm pra me dizer. Lembro sempre com muito carinho da minha avó, que me ensinou virtudes e sabedorias que carregarei comigo para sempre. Uma das sabedorias que ela me ensinou foi que, onde existem pessoas unidas e que se amam, nunca falta nada, por mais que as condições financeiras não favoreçam… Até hoje me impressiono com isso, pois vivi na pele essa realidade. Minha família sempre foi muito pobre financeiramente, mas sempre teve o ESSENCIAL, que é o amor, o companheirismo, a amizade, o respeito, a gratidão. Com tudo isso, não faltava as coisas materiais, pois as adquiríamos através do nosso esforço pessoal no trabalho, e através de muitas ofertas carinhosas e generosas dos nossos familiares. Lembro que quase todas as minhas roupas na infância eram doadas dos amigos e amigas da minha mãe, tios, tias etc.

Adorei as palavras da senhora de 90 anos quando perguntada sobre “O que ela, nos seus 90 anos, ensinaria para as pessoas”. E ela respondeu com convicção: “Amar à Deus e amar ao próximo…”. Nessas poucas palavras ela resumiu toda a sua vida de alegria e vitórias. Eu acho incrível como existem milhões de pessoas que passam a vida inteira amarguradas e infelizes, sem conseguir aprender essas coisas simples e que mudam para sempre a nossa vida. Ela ensinou nesse vídeo um dos caminhos para a felicidade, que em minha opinião, é o maior, pois tem como fundamento o maior de todos os sentimentos, o AMOR. O objetivo da nossa vida é aprender a amar e ser amados, tudo o mais vem como complemento. Não é à toa que o mestre dos mestres Jesus Cristo nos disse: “Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça e tudo o mais vos será acrescentado”. Isso é uma outra forma de dizer: “Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. Essa justiça que Jesus fala é o amor a Deus e aos irmãos.

Nesse vídeo a senhora conta o seu segredo para uma longevidade feliz e saudável, a AMIZADE. Quanto mais nutrimos boas amizades na vida, mas nos sentimos completos e realizados, e quando nos sentimos assim, conquistamos o equilíbrio das emoções, e conquistando o equilíbrio das emoções vem também uma boa saúde e uma maior satisfação com a vida. Busque verdadeiros amigos e valorize-os, pois eles são um tesouro inestimável.

https://paralemdoagora.wordpress.com/2014/01/16/a-base-das-amizades/

É impressionante também a sua lição de persistência e perseverança. É muito fácil estar na idade dela e dar mil e uma desculpas para não estudar, como: “Estou muito velho para aprender isso”, “Estou perto de morrer”, “Não tenho mais uma boa visão”, “Minha memória é péssima”, “O que vão achar de uma estudante de mais de 100 anos?”… Desculpas sempre vão existir, mas ela superou tudo e encarou o desafio de aprender a ler. Tem um detalhe interessante que vale ser ressaltado, ela tinha um grande objetivo, tinha uma meta extremamente motivadora para a sua realização, ler a bíblia, que para ela era de uma importância totalmente fora do comum, estava ligada aos seus valores humanos mais importantes. Com esse objetivo em mente, só restou a ela a certeza da vitória. Tantas pessoas bem jovens já perderam a esperança na vida… Falo com bem sinceridade, através do que já consegui aprender, precisamos ter um objetivo grande, algo que carregue os nossos maiores valores humanos. Quando estamos com esse foco nas nossas habilidades, tudo conspira ao nosso favor e à nossa realização pessoal, dando sentido e esperança à nossa vida.

Essa foi apenas uma breve reflexão dos muitos ensinamentos que essa linda senhora tem a nos passar nesse vídeo. Com certeza há muito mais a ser falado sobre ele. Se quiser contar algo de sua própria experiência ou de alguém que você conhece, fique à vontade para comentar! Tenho certeza que cada ser humano tem belas histórias e magníficas lições para contar e que podem transmitir bons ensinamentos, como fez a querida Ana da Cruz

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O retrato de Dorian Gray e da sociedade

Por Isaias Costa

dorian gray

Recentemente assisti a um filme excelente e cheio de lições de vida. Trata-se do filme “O retrato de Dorian Gray”, baseado no livro do escritor Oscar Wilde, publicado em 1890 e com interpretação pelo cinema hollywoodiano em 2009. Vou fazer uma breve reflexão de algumas mensagens que consegui captar deste filme.

O Dorian era um jovem muito bonito e atraente, mas veio de uma família completamente desestruturada, na realidade ele nem tinha família, pois era órfão. Este passado de falta de amor e afeto na infância foi o início dos muitos transtornos que vieram a assolar e destruir este garoto. O período da primeira infância é de extrema importância para qualquer pessoa. O nosso cérebro, através do consciente, subconsciente e inconsciente, grava as experiências como uma esponja, e fica tudo registrado para sempre, nada pode ser deletado, o máximo que se pode fazer é reeditar experiências que tenham sido negativas, o que é uma tarefa bem complexa, e normalmente precisa-se de uma ajuda psicológica ou psiquiátrica.

Este jovem careceu de amor e cresceu com enormes lacunas no coração. Por fora era belo, mas por dentro não passava de uma criança carente de afeto e atenção. Ele era bem ingênuo e tímido, mas foi levado a viver uma vida de luxos e pompas por um homem terrível chamado Henry Wotton. Este homem diabólico influenciou profundamente o Dorian, levando-o a prostíbulos, bares e incentivou-o a desenvolver o vício por cigarros e bebidas. Esta é uma das primeiras mensagens passadas neste filme, o conhecido ditado: “Diga-me com quem andas e te direi quem és”. O Dorian, por influência do Henry, foi se tornando pouco a pouco como ele, viciado em cigarros e bebidas, cafajeste e extremamente envaidecido.

Um conhecido pintor chamado Basil Hallward se encanta com a beleza e charme do Dorian e resolve pintá-lo em um quadro. Aqui há outra mensagem muito importante. Por onde ele vai é elogiado por sua beleza e encanto, fazendo com que seu ego seja inflado e ele desenvolva de forma doentia a vaidade, que, de todos os pecados capitais, é o que considero mais deletério. Quanto maior a vaidade de uma pessoa, mais egocêntrica, prepotente, arrogante e autossuficiente ela se torna, e o resultado destes sentimentos e comportamentos é o isolamento e a sensação de ser “Deus”, de que não precisa de mais ninguém para ser feliz e dividir a própria vida.

Acontece algo estranho com relação ao quadro feito por Basil, ele faz com que o Dorian não envelheça, mas a custa de transgressões de sua personalidade. Em outras palavras, esse endeusamento o levou a se transformar em alguém irreconhecível e capaz de fazer as maiores e piores atrocidades que se possa imaginar. Ele conquistava a sua eterna juventude a custo de vidas de pessoas. No auge da sua loucura, ele matou o próprio homem que pintou seu quadro, o Basil.

As principais mensagens deste filme estão relacionadas com o pecado capital da vaidade. Ela minou todos os bons sentimentos que haviam no Dorian, transformando-o em alguém sem amor e compaixão. O mesmo acontece em nossa sociedade, tão consumista e tão individualista. Existe um padrão de beleza imposto pela mídia e pela própria sociedade sobre o que é ser belo. Para os homens, ser belo é ter um corpo sarado, cheio de músculos, e para as mulheres, ser bela é ser magérrima como as modelos de passarela. O que foge a essa regra é visto como algo ruim e que deve ser combatido. Essa fixação por padrões tem levado muitas pessoas, principalmente as mulheres, a desenvolverem doenças psíquicas como a bulimia (vomitar de forma provocada os alimentos ingeridos) e anorexia (não se alimentar por ter uma noção distorcida de ser uma pessoa gorda). Em outras palavras, uma pessoa que tem bulimia come e sente remorso ou culpa por ter comido e pouco tempo depois das refeições vomita tudo que comeu, e uma pessoa com anorexia se olha no espelho e vê sempre a imagem de uma pessoa gorda, pode mesmo estar com um corpo cadavérico, mas ao se olhar no espelho, vê a imagem de uma pessoa gorda, tal distúrbio afeta o apetite, destruindo qualquer vontade de se alimentar. Quanto à beleza, eu acredito que não existe fórmulas ou padrões. A beleza está nos olhos de quem vê. Uma pessoa que eu acho bela é bem diferente do que você acha ou qualquer outra pessoa. Para quê se fixar em padrões? Isso limita a nossa capacidade de amar, de sermos livres, espontâneos, de valorizarmos as nossas qualidades.

Muita gente confunde o amor a si próprio com narcisismo. É bem diferente. O narcisismo tem a ver com a vaidade e muitas outras facetas, e não com o amor próprio. É um tema amplo e cheio de detalhes. Achar-se bonito e atraente é fundamental para a autoestima, para o florescimento de bons relacionamentos afetivos e amorosos, para o equilíbrio do corpo e da alma, para o desenvolvimento dos talentos etc. Olhe-se no espelho e diga: “Eu sou lindo” ou “Eu sou linda”. E faça isso com convicção, com verdade, todos os dias! Fuja dos padrões desta nossa sociedade medíocre! Se quiser ler um pouco sobre o tema do narcisismo, vou deixar o link de um texto bem interessante e esclarecedor do psicólogo Frederico Mattos, está logo abaixo.

http://papodehomem.com.br/o-narcisismo-e-suas-varias-faces-id-11/

Além disso, tem-se o problema com o envelhecimento. Estamos em uma sociedade que cada vez mais idolatra a juventude, como se ser velho não fizesse parte do ser humano como algo absolutamente natural. As pessoas querem a fina força permanecer jovens para sempre, e isso é muito bem mostrado neste filme. O Dorian tem a falsa impressão de que ser jovem para sempre lhe trará benefícios abundantes, o que não é verdade. Tudo na nossa vida deve ter um começo, meio e fim. A vida deve ter um começo, meio e fim. É aquele velho ditado: “Tudo tem seu tempo e sua hora”. Há o tempo da infância, com suas brincadeiras, peripécias, perguntas sobre o mundo; há a juventude, tempo de questionamentos, mudanças no corpo, crescimento hormonal, início dos relacionamentos amorosos; há a vida adulta, com o crescimento profissional e a busca pela estabilidade pessoal e financeira, a vinda dos filhos, possíveis casamentos, desenvolvimento dos filhos, etc; e por fim vem o tempo da velhice, que acho absolutamente encantador, eu amo as pessoas velhas e não me canso de repetir isso. Aliás, existe um estigma entre certas pessoas de que é feio dizer a palavra velho, que tem ser dito a palavra idoso, eu não acho, feio é ser desrespeitoso com as pessoas velhas, chamá-las de nomes feios ou palavras de baixo calão.

É muito importante compreendermos que ninguém permanece jovem para sempre. O máximo que pode acontecer é você retardar o envelhecimento tomando atitudes como uma boa alimentação, hábitos saudáveis, praticar atividades físicas regularmente, não se expor ao sol em demasia etc. Mas a velhice é o destino certo de todos nós, se chegarmos até lá, é claro! Ter essa consciência pode ajudar a acabar com uma indústria multimilionária de produtos de beleza e cirurgias plásticas. Não precisamos de nada disso meus amigos! O que nós precisamos é ser felizes, só isso! O resto é consequência.

Para não me estender neste assunto, quero deixar uma sugestão de livro que fala sobre tudo que citei até aqui com bem mais detalhes e aprofundamentos. O livro “A ditadura da beleza”, do psiquiatra e escritor Augusto Cury. Recomendo fortemente a sua leitura, é um livro libertador e que abre nossa mente para esses pontos tão importantes.

retratodedoriangray_01

Temos também a relação entre vaidade e poder. Que se verifica muito fortemente no Dorian. Ele se sente invencível, um verdadeiro Deus, tudo fruto de sua imensa vaidade. Quero aproveitar para fazer uma comparação entre homens e mulheres quanto ao poder. Eu acredito sinceramente que os homens dominados pela vaidade são muito mais perversos do que as mulheres. Homens envaidecidos se tornam atrozes e são capazes de criar até mesmo guerras, como as que marcaram a nossa história. Perceba! Quem estava à frente de todas as grandes guerras da História da Humanidade. Homens! Sempre homens! A natureza da mulher é bem mais humana e delicada que a do homem. Eles têm mais dificuldade de resolver conflitos através do diálogo e da concórdia, preferem utilizar a força em vez das palavras. Isso gera um enorme desequilíbrio para toda a humanidade. Por estes e milhares de outros motivos eu amo as mulheres. Acho que o mundo já teria sido completamente destruído se não fosse por elas. As mulheres conseguem harmonizar boa parte dos homens através de seu carinho, amor, afeto e atenção, e isso ajuda a equilibrar as emoções e energia masculinas.

Existem muitos preconceitos em nossa sociedade, que pouco a pouco estão sendo minados, graças a uma elevação do nível de consciência global e também mudanças gerais na própria cultura e pensamento. Muitos preconceitos estão sendo combatidos através de políticas mais igualitárias. Empregos que antes eram apenas masculinos, agora são também ocupados por mulheres, o que concordo plenamente, e mesmo os salários entre homens e mulheres estão se equiparando. Tudo isso é muito bom e ainda digo mais! Eu penso que mais mulheres deveriam ocupar postos como presidência, juizado, câmaras legislativas etc. Pois sendo mais humanas e sensíveis, fariam muito mais por todos do que os homens. Repito que este é apenas um ponto de vista meu. Você pode ficar à vontade para discordar de mim.

Eu vou ainda mais longe. Se as mulheres ocupassem cargos ligados aos comandos das forças armadas? Já pensou nisso? O mundo se pacificaria, porque a grande maioria das mulheres seria absolutamente incapaz de declarar guerra aos povos e nações, seriam incapazes de por os seus próprios filhos para morrerem em guerras e conflitos. A própria energia feminina não condiz com violência, guerras e mortes. Isso é tipicamente masculino e faz parte de uma energia masculina.

Você percebe por que eu amo tanto as mulheres? Porque sem elas este mundo estaria perdido e infeliz. Benditas sejam as mulheres! Ahh! Tudo isso tem relação com o filme que expus, pois se você o assistir, constatará que as atitudes assassinas do Dorian dificilmente seriam cometidas por uma mulher, e eu acredito que as mulheres que estejam lendo esse texto hão de concordar comigo. É claro que não posso generalizar, mas de uma forma geral, o que estou dizendo aqui tem muito fundamento.

Para concluir, quero deixar um vídeo excelente do filósofo brasileiro Leandro Karnal, que explica de uma forma bem embasada e simples o pecado capital da vaidade, recomendo que você reserve um tempo para assisti-lo. Esta foi uma das explicações mais bonitas que já vi para a vaidade…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Alma jovem

Por Isaias Costa

Hoje é o dia dos avós e quero fazer a minha homenagem a todos os avós. Eu admiro demais as pessoas idosas e gosto de aprender com as suas lições de vida. Adoro ouvir as histórias bonitas que eles têm pra contar. Eu sou jovem, mas tenho o desejo de me tornar um velhinho sábio e cheio de histórias bonitas para contar aos netos. Então, nesse dia tão especial, quero compartilhar uma história muito bonita que li uma vez, de uma jovem de 87 anos que se formou na universidade e era querida por todos.

Idosos

E como eu adoro música, nada melhor do que a célebre “Se você é jovem ainda”, do querido seriado Chaves. Boa leitura e parabéns a todos os avós do mundo inteiro! Que vocês permaneçam sempre jovens na alma e no espírito. “Existem jovens de 80 e tantos anos, e também velhos de apenas 26…”.

No primeiro dia na Universidade, nosso professor se apresentou e nos pediu que procurássemos conhecer alguém que não conhecíamos ainda. Fiquei de pé e olhei ao meu redor, quando uma mão me tocou suavemente no ombro.

Era uma velhinha enrugada cujo sorriso lhe iluminava todo seu ser. “Oi, gato. meu nome é Rose. Tenho oitenta e sete anos. Posso te dar um abraço?” Ri e lhe respondi com entusiasmo: “Claro que pode!” Ela me deu um abraço muito forte. “Por que a senhora está na Universidade numa idade tão jovem, tão inocente”, perguntei-lhe. Rindo, respondeu: “Estou aqui para encontrar um marido rico, casar-me, ter uns dois filhos, e logo me aposentar e viajar.” “Eu falo sério, lhe disse.

Queria saber o que a tinha motivado a enfrentar esse desafio na sua idade.” E ela disse: “Sempre sonhei em ter uma educação universitária e agora vou ter!” Depois da aula caminhamos ao edifício da associação de estudantes e compartilhamos uma batida de chocolate.

Nos fizemos amigos em seguida. Todos os dias durante os três meses seguintes saíamos juntos da classe e falávamos sem parar. Fascinava-me escutar a esta “máquina do tempo”. Ela compartilhava sua sabedoria e experiência comigo. Durante esse ano, Rose se fez muito popular na Universidade. Fazia amizades aonde ia. Gostava de vestir-se bem e se deleitava com a atenção que recebia dos outros estudantes. Desfrutava muito.

Ao terminar o semestre convidamos Rose para falar no nosso banquete de futebol. Não esquecerei nunca o que ela nos ensinou nessa oportunidade. Logo que a apresentaram, subiu ao pódio. Quando começou a pronunciar o discurso que tinha preparado de antemão, caíram no chão os cartões aonde tinha os apontamentos.

Frustrada e um pouco envergonhada se inclinou sobre o microfone e disse simplesmente: “Desculpem que eu esteja tão nervosa. Deixei de tomar cerveja pela quaresma e este whisky me está matando! Não vou poder voltar a colocar meu discurso em ordem, assim, se me permitem, simplesmente vou dizer-lhes o que sei.”

Enquanto nós riamos, ela aclarou a garganta e começou: “Não deixemos de brincar só porque estamos velhos; ficamos velhos porque deixamos de brincar. Há só quatro segredos para manter-se jovem, ser feliz e triunfar. Temos que rir e encontrar o bom humor todos os dias. Temos que ter um ideal. Quando perdemos de vista nosso ideal, começamos a morrer. Há tantas pessoas caminhando por aí que estão mortas e nem sequer sabem!”

“Há uma grande diferença entre estar velho e amadurecer. Se vocês têm dezenove anos e ficam na cama o ano inteiro sem fazer nada produtivo se converterão em pessoas de vinte anos. Se eu tenho oitenta e sete anos e fico na cama por um ano sem fazer nada terei oitenta e oito anos. Todos podemos envelhecer. Não requer talento nem habilidade para isso. O importante é amadurecemos encontrando sempre a oportunidade na mudança”.

“Não me arrependo de nada. Os velhos geralmente não se arrependem do que fizeram, senão do que não fizeram. Os únicos que temem a morte são os que têm remorso.” Terminou seu discurso cantando ‘A Rosa’. Nos pediu que estudássemos a letra da canção e a colocássemos em prática em nossa vida diária.

Rose terminou seus estudos. Uma semana depois da formatura, Rose morreu tranquilamente enquanto dormia. Mais de dois mil estudantes universitários assistiram as honras fúnebres para render tributo à maravilhosa mulher que lhes ensinou com seu exemplo que nunca é demasiado tarde para chegar a ser tudo o que se pode ser.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Cuidar da mente para envelhecer melhor

Por Isaias Costa

Senior Couple Relaxing in Deck ChairsHoje estou fazendo um post totalmente não usual. Vou colocar uma matéria muito interessante que li e fala de um tema que adoro, o ENVELHECIMENTO. É uma matéria de um psicólogo chamado João Oliveira à revista Psique. Essa matéria traz muitas novidades. Você quer ser um velhinho suadável? Eu quero! Como já falei aqui, sou bem jovem, mas quero ser um velhinho saudável no futuro. Com essa matéria você aprenderá boas dicas. É uma excelente leitura…

http://psiquecienciaevida.uol.com.br/ESPS/Edicoes/81/artigo270881-1.asp

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Como será que deve ser envelhecer?

Por Isaias Costa

Eu sou um rapaz que, apesar de jovem, penso muito a respeito da velhice. É um tema que a juventude quer distância. Infelizmente estamos vivendo em uma época que idolatra a beleza física, a juventude. Muitos querem criar um elixir da vida. Existem milhares de produtos químicos e farmacêuticos que prometem uma melhora da pele, ou rejuvenescimento. As pessoas mais vaidosas veem esses produtos e caem como “patinhos” nessas furadas. Elas estão gastando muito dinheiro para tentarem disfarçar algo que não pode ser disfarçado, a idade. Se você tem 50 anos, como pode querer ter aparência de 20? Não dá meu amigo! É biológico, o corpo vai se degenerando naturalmente dia após dia, e não há nada que se possa fazer para evitar que isso aconteça.

Mas o que quero falar mesmo é sobre como deve ser envelhecer? Se as pessoas colocassem na cabeça que envelhecer não é algo tão ruim assim, com certeza a indústria farmacêutica não seria tão milionária ou bilionária. Não haveria tantos velhos querendo ser garotos.

Vou falar algumas coisas que só podem ser vivenciadas se você envelhecer. Por exemplo, o crescimento dos filhos. Isso é maravilhoso, pensar que seu filho um dia foi só um bebê, você acompanhou todo o seu crescimento e na velhice percebe que ele deu certo na vida, casou-se, teve filhos, estruturou-se financeiramente, está morando num belo apartamento e tem um belo carro. Esse é o tipo de coisa que só envelhecendo para poder ver. Além dos filhos, têm também os netos. Poder segurar no colo o filho do seu próprio filho, é uma experiência muito bonita, é uma experiência que faz você se transportar para o tempo em que o seu filho também era só um bebê, e imagina que o pequenininho que você está segurando vai ter uma personalidade bem parecida com a do seu filho, fica até imaginando as coisas que ele fará no futuro. São experiências muito marcantes na vida de um velho.

download

Muito interessante também é viver as mudanças que se observa no corpo. Começam a aparecer rugas e mais rugas, o seu vigor físico vai diminuindo pouco a pouco, os cabelos brancos começam a se alastrar, muitos homens começam a ficar carecas, a visão vai ficando mais desgastada, a audição também, você não consegue mais comer aquela “bacia” de comida que ingeria na juventude, não consegue mais competir com os amigos quem come mais pedaços de pizza no rodízio, corre dois minutos e já sente dores nas pernas, e por aí vai. Talvez você pergunte. O que há de tão bonito nisso? Como posso achar isso interessante? O que eu posso fazer para lidar com isso? Eu acredito que a melhor forma de lidar com tudo isso se chama contentamento. Mas afinal, o que significa contentamento? Contentamento é se sentir alegre e satisfeito. Se você se sente alegre e satisfeito, não vai ficar chorando pelos cantos porque está ficando velho não é mesmo? É ter a ideia introjetada na mente. Existe tempo para tudo, o tempo de criança, o tempo de adolescente, de jovens adultos, de adulto maduro, e em seguida o tempo da velhice. Não existe um tempo melhor ou um tempo pior, existe o hoje, o agora, isso é a única coisa que existe. Se você tem 20 anos, ótimo. Viva como um jovem de 20 anos. Se você tem 40 anos, também. Viva como alguém de 40 anos, seja responsável, trabalhe, sustente sua família, cuide dos afazeres domésticos e viva sereno. E se você tem 60 anos ou mais, aproveite bem esse tempo, muita coisa pode ser feita dessa idade em diante, basta ser criativo.

exercicios-fisicos-terceira-idade

Um hábito que pretendo cultivar quando for um velhinho é a leitura. Essa é uma das melhores práticas de um idoso. Porque não exige esforço físico e ao mesmo tempo você estará deixando o seu cérebro sempre ativo, vai continuar aprendendo coisas novas, o que eu acho maravilhoso também. Quero chegar à velhice sempre aprendendo coisas novas, além do fato de não ficar esquecendo de tudo. Quero chegar às pessoas chamando-as pelo nome. Sem ficar, ãhhn, uhnn, como é seu nome mesmo? Não. Quero trabalhar minha mente para ter muita memória e não ter esse tipo de dificuldade.

S

Quero concluir deixando uma das músicas mais incríveis que fala sobre envelhecimento. O título deste post faz parte do refrão da música “envelhecer”, de Arnaldo Antunes. “Não quero morrer, pois quero ver como será que deve ser envelhecer”. Espero que curtam…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized