Arquivo da tag: saúde

A negligência do brasileiro em geral

Por Simone Oliveira

Há muito tempo tenho estado a analisar o comportamento das pessoas ao meu redor de modo mais profundo e tenho notado que a grande maioria tem potencial para demonstrar diversos sentimentos bons através de ações. É aí que encontrei a extroversão e o calor do nosso povo. Porém, um traço ainda mais forte é essa tal da negligência, vista de longe e que chega a incomodar, causando aversão.

Parei para pensar o porquê de ninguém falar sobre isso. Preferimos fechar os olhos e fingir que ela é apenas parte da cultura, ou pior, que não é um defeito propriamente dito, e sim meras falhas pertencentes a TODO SER HUMANO. Nunca assumimos a culpa pelos nossos erros, sempre nos escondemos na multidão usando o pronome “nós” ou o sujeito “raça humana”.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Para chegar à fonte é preciso nadar contra a corrente

Por Isaias Costa

00001V2circling-barracuda-papua-new-guinea-by-David-Doubilet

Esses dias li uma frase magnífica e extremamente profunda após ouvir um dos comentários do filósofo brasileiro Mario Sergio Cortella pela Rádio CBN. Era uma frase atribuída ao importante poeta polonês chamado Stanisław Jerzy Lec que falava sobre a necessidade de gastarmos uma maior quantidade de energia para solucionarmos as grandes dificuldades da vida.

A frase era a seguinte: “Para chegar à fonte é preciso nadar contra a corrente”.

Apenas 10 palavras, mas que carregam uma profundidade imensa de reflexões. Com essa frase o Jerzy Lec está querendo nos dizer que para se chegar à essa fonte, que é de onde surge a água que vai ganhando força à medida que desce até encontrar o mar, precisamos de um dispêndio bem maior de energia do que simplesmente se deixar levar pela correnteza, que sem esforço algum, nos levará até o mar.

Como eu sou um amante da Psicologia e da Psicanálise, pensei no quanto essa frase pode se aplicar ao surgimento das nossas neuroses, medos, traumas e doenças.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Navegue pela internet, não naufrague nela

Por Isaias Costa

AAEAAQAAAAAAAAJiAAAAJDJhZDhkMjQ1LTU2ODctNDljMS04NmI2LWMwYzc2NDUyZTY2Mg

Esses dias estava assistindo no youtube a uma palestra do filósofo e escritor Mario Sergio Cortella, na qual ele falava sobre uma série de temas, mas foi dado um enfoque maior à era digital em que vivemos mergulhados hoje!

Ele falou a seguinte frase e que me deixou bastante reflexivo: “Tem gente que não navega pela internet, naufraga nela. Porque quando você navega pelo menos você está sabendo para onde está indo…”.

Essa frase, apesar de curtinha, traz uma verdade incontestável para o momento atual. A internet de fato pode ser comparada com um mar. Ela tem uma verdadeira tsunami de informações! Aproveito até esse gancho para completar com outra frase dita pelo Cortella: “Não podemos confundir informação com conhecimento. A internet tem muita informação, mas o conhecimento é uma seleção dessas informações. As informações são as ferramentas para o conhecimento”.

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma pequena mudança de perspectiva

Por Isaias Costa

© Copyright 2012 CorbisCorporation

Na semana em que escrevo esse texto, participei de uma maravilhosa palestra com o grande Psiquiatra e Escritor Adalberto Barreto, mundialmente conhecido por ter desenvolvido um método de “terapia comunitária” simples e eficaz.

Ele tem como uma de suas maiores especialidades, um conhecimento profundo da Metafísica da Saúde, que constantemente abordo aqui nos textos do blog.

Nessa palestra ele deu alguns exemplos simples, porém muito impactantes, do poder que uma pequena sugestão pode dar a uma paciente quando ele está em uma consulta terapêutica. É como intitulei esse texto, apenas uma pequena mudança de perspectiva leva a uma mudança gigantesca na qualidade de vida dessas pessoas!

Ele deu dois exemplos que vou transcrever para cá de forma quase idêntica ao que ele falou.

Continuar lendo

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Quem ama cuida de si mesmo

Por Isaias Costa

large_awebic-30-coisas-1

Nós vivemos numa sociedade adoecida e que nos ensina uma série de ideias que na realidade são distorções da verdade.

Venho através desse breve texto questionar uma frase que está impregnada em nós e é vista como uma grande verdade, mas que precisa ser no mínimo reformulada. A frase: “Quem ama cuida”.

Essa frase está só PARCIALMENTE CORRETA. Porque ela não coloca algo fundamental, que é o AMOR PRÓPRIO.

Ela se tornaria muito mais impactante se fosse assim.

“Quem ama cuida de si mesmo”.

Dessa forma você não faz ideia da transformação que todas as pessoas poderiam obter. Ela pode até mesmo ser estendida para ficar assim:

“Quem ama cuida de si mesmo para não ter que se tornar um peso para o outro, tendo que assim ser cuidado por ele.”

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A diferença entre arrependimento e remorso

Por Isaias Costa

arrependimento

O grande psiquiatra e escritor Flavio Gikovate, falecido em 2016, escreveu com uma imensa clareza e didatismo a diferença substancial que existe entre remorso e arrependimento. Transcrevo abaixo suas palavras e farei em seguida uma breve reflexão a partir delas…

****************

As palavras “remorso” e “arrependimento” são, muitas vezes, tratadas como sinônimos. Penso que elas descrevem sentimentos muito diferentes.

Remorso implica sempre uma tristeza derivada de nos sentirmos causadores de um dano indevido a alguém: é sinônimo de sentimento de culpa.

Arrependimento tem a ver com algo que fizemos e que não nos trouxe o resultado esperado: não envolve obrigatoriamente um dano a terceiros.

A pessoa se arrepende de ter feito um mau negócio imobiliário, de ter escolhido mal o local de suas férias, de não ter estudado para uma prova…

O remorso sempre vem acompanhado de arrependimento; trata-se de uma tristeza dupla: a do erro cometido e a do dano indevido causado a alguém.

O arrependimento não obrigatoriamente se acompanha de remorso, já que nem todos sentem culpa, além do fracasso nem sempre envolver terceiros.

Os que lidam bem com a dor derivada do arrependimento são mais ousados em suas empreitadas: se arriscam mais e têm mais chance de sucesso.

Pessoas que sentem remorso (culpa) tendem a ser mais cautelosas e prudentes em suas ações. Em certos aspectos, tornam-se menos competitivas.

****************

E eu completo essa explicação dele lhe advertindo que o sentimento de arrependimento é muito mais frutuoso do que o de remorso. Inclusive pelo etimologia da palavra remorso fica mais fácil entender o porquê.

Remorso vem do latim remordere, que significa “morder de novo”. Seria como uma mordida na consciência! Não é interessante? Se você observar, quando uma pessoa está com muito raiva ou com muito medo, é bem comum ela morder os dentes de tal maneira que podemos ver o movimento de contração dos músculos da mandíbula, não é mesmo?

Já arrependimento vem do latim poenitere, que significa “sentir mágoa por uma má ação”, e complementando! Mágoa tem essa ligação fantástica, veja só! MÁGOA = MÁ+ÁGUA. Ou seja, é como se dentro de você estivesse fluindo uma água suja, uma água que leva energias ruins para todos os seus órgãos!

O arrependimento leva você de verdade à uma reflexão, porque é um sofrimento consciente. Você tem consciência de que fez algo ruim e está completamente disposto a mudar, a fazer diferente!

O remorso muitas vezes deixa a pessoa paralisada e até mesmo doente! O próprio Gikovate coloca que o remorso vem acompanhado do arrependimento, e realmente é assim! A pessoa fica remoendo sua dor e sua culpa, ela gera mágoas que fazem com que essas “más águas” cheias de energias negativas circulem dentro de você! O que isso acaba gerando? DOENÇAS no corpo físico!

Portanto! O que devemos fazer é de fato evitar o sentimento de remorso, porque ele só faz mal a gente mesmo e só perdemos com ele. Já o arrependimento sincero e consciente é um processo lindo de elevação da nossa consciência!

A cada vez que eu me arrependo profundamente, aquele erro cometido nunca mais se repetirá e uma nova pessoa começa a surgir, com mais recursos, mais feliz e mais amadurecida também…

Paz e luz.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Um tolo não pode ser curado

Por Isaias Costa

einstein_zenosarrow

Lendo um dos diversos livros do Osho, chamado “Palavras de fogo – reflexões sobre Jesus de Nazaré”, eu me deparei com um trecho que me chamou bastante atenção e me fez refletir sobre o importante tema da e da CONFIANÇA tanto em Deus como na gente mesmo!

Abaixo está a transcrição desse trecho do livro no qual o Osho conta uma historinha muito interessante!

**************

Eu estive lendo uma história.

Um dia Jesus estava fugindo de uma cidade. Um camponês o viu correndo e lhe perguntou:

– O que houve? Para onde o senhor está indo?

Mas Jesus estava com tanta pressa que foi adiante sem responder. Então o camponês o seguiu, conseguiu pará-lo por um instante e disse:

– Por favor, me diga, pois fiquei muito curioso. Se não me disser, vou segui-lo sem parar. Por que está correndo? Para onde? De quem o senhor está fugindo?

Jesus respondeu-lhe:

– De um tolo.

O camponês começou a rir e disse:

– O que o senhor está dizendo!? Eu sei que o senhor já curou gente cega, já curou gente estava morrendo. Já ouvi até dizer que o senhor curou gente que estava morta! O senhor não pode curar um tolo?

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

10 Hábitos que destroem sua paz de espírito

Por Simone Oliveira

Vou citar 10 costumes das pessoas infelizes, ou daquelas que, se não se cuidarem, irão pelo mesmo caminho!

Hábito nº 1: Dormir pouco – ou seja, menos que o suficiente.

dormir-pouco-faz-mal-1

Hoje há estudos afirmando que não importa o horário que você dorme ou acorda, contanto que tenha a quantidade de sono suficiente para o seu descanso. Portanto, não se cobre para ir dormir cedo, mas esteja atento ao tempo que o seu organismo precisa para se recuperar.

Se você costuma enrolar para deitar depois de um dia cansativo, em que teve que acordar cedo para fazer suas tarefas, cuidado, pois sua produtividade do dia seguinte será afetada. E as consequências só pioram com o acúmulo do cansaço; irritabilidade, falta de atenção, stress, autocrítica e cobranças são só o começo.

A mente e o corpo são um só e devem andar juntos: se menosprezamos nossas necessidades físicas, a nossa saúde mental também é comprometida. O contrário também é válido.

Hábito nº 2: Reclamar

anigif_enhanced-7057-1396491363-1

O Brasil está em crise e o desemprego bate às portas, os políticos roubam incessantemente e não apresentam nenhuma solução que preste, a educação vai de mal a pior, o atendimento nos locais públicos deixa muito a desejar, a criminalidade avança a passos largos etc etc etc (aposto que você pode lembrar de muitos outros motivos para protestos).

Veja como os sentimentos de revolta e injustiça nos envolvem com tanta frequência que é muito mais fácil, hoje, citar os pontos negativos do que os pontos positivos do nosso país.

“Mas Simone, é a pura verdade! Somente através das lutas que os nossos antepassados conquistaram seus direitos como cidadãos, agora é a nossa vez!”

Eu não vou negar isso. Aqui não é uma página para entrarmos em discussões políticas ou orçamentárias da nação brasileira, apenas citei os fatos! Prefiro não entrar no mérito das manifestações contra atos do governo, é bom que lutemos pelo que acreditamos, mas há hora e lugar. Não precisa (e nem deve) ser o tempo todo.

Cada vez que externamos esses sentimentos de raiva, ódio, descontentamento e medo, é como se tomássemos veneno e esperássemos que os causadores de todos os nossos problemas morressem! E isso é ridículo!

Preste atenção se você está fazendo isso! O famoso “reclamão” tem o poder de minar a alegria de todos a sua volta, sendo o próprio o mais prejudicado.

Hábito nº 3: Assistir aos programas policiais (sensacionalistas) e às chamadas de tragédia ou denúncia de crimes no facebook

datena-gif

É muito ingênuo de nossa parte pensar que passar os momentos de relaxamento na frente do computador ou da TV vendo todo o tipo de atrocidades que acontecem diariamente no mundo não vai mexer com o nosso psicológico.

Você não precisa disso. Ninguém precisa. Prefira os sites e canais de I-N-F-O-R-M-A-Ç-Ã-O real.

Hábito nº 4: Ter uma vida sedentária

homero_ejerc_11

Achou que eu não ia tocar na ferida, não é?! Vai à dica: cuide-se e ame-se, faça exercício físico!

Comece aos poucos, com metas alcançáveis, por exemplo: “Vou caminhar durante 20 minutos só hoje.” Conseguiu? Amanhã faça a mesma coisa. Daqui a pouco vira hábito e se torna prazeroso.

Leve outros com você, assim o compromisso fica mais difícil de ser deixado para trás.

Hábito nº 5: Olhar para o passado como se ele fosse melhor do que o presente ou desejar estar nele

tumblr_llx4yz2bx51qg2iaao1_500

Pense bem! Será que foi mesmo assim tão bom quanto você imagina, ou será que você só está se atendo às melhores partes? Nós temos essa ideia de que fomos mais felizes antes do que agora, mas é pura ilusão, na maioria das vezes. Tivemos felicidades e dificuldades tanto quanto (ou mais) do que no presente. Esqueça seu passado e viva o agora.

Hábito nº 6: Exigir perfeição nas próprias ações

eu-nao-sou-perfeita-3725006-150720151837

“Eu não sou perfeita e não tenho que ser.”

Você é HUMANO! Aceite isso, doa o que doer! Só não se culpe tanto por ter errado na escolha que fez, por ter sido preguiçoso, por não ter abraçado as oportunidades, por ter perdido o tempo que não poderia ter perdido, ou por cada erro bobo, como se ele fosse muito importante! Pare de valorizar seu erro, sério!

A culpa é inútil. Se arrependa, saiba que mesmo assim você estará sujeito a falhar de novo num futuro próximo e faça seu melhor.

Hábito nº 7: Se alimentar mal

comer

Novamente: “mens sana in corpore sano”, já dizia o poeta romano Juvenal.

Hábito nº 8: Ficar se comparando aos outros

tumblr_inline_mpygt7cxga1qz4rgp

Você sabe qual é a diferença entre você e eu?
Quer abaixar sua autoestima? Se compare. Tenho certeza que vai achar alguém mais bonito, inteligente, rico, estiloso, cheiroso, saudável, dedicado, alto, magro ou musculoso que você! O próximo passo é querer ser igual a esse indivíduo, e ao chegar à conclusão de que, mesmo fazendo o que for, você não se aproximará do nível do outro nem em 1 milhão de anos, você vai sentir inveja, raiva e tristeza! Not cool, Bro!

Não recomendo a ninguém.

Em vez disso, peço que faça o exercício de encontrar suas qualidades e colocar metas alcançáveis para que você se aperfeiçoe e seja o “mais perfeito” que puder! Dá super certo e não fere o orgulho, levando à depreciação própria.

Expectativas surreais te fazem descer degraus na vida. Com expectativas reais, os resultados são superados.

Hábito nº 9: Resgatar dores antigas e/ou vitimizar-se por situações que passaram

demi-chorando

Essa estratégia é poderosa para quem gosta de sofrer. Adotar uma posição vitimista pensando que tudo o que você veio a ser foi por pressão e culpa dos outros não adianta nada. Perdoe e esqueça. Provavelmente quem te magoou já esqueceu!

Não perdoe só quando te pedirem perdão. Liberar absolvição faz um bem maior do que recebê-la. Esse é o segredo da plena paz.

Hábito nº 10: Ingratidão

ydmejxm

“Parabéns!” “Parabéns para o CHÃO!”


Exercite sua capacidade de ser grato. Faça listas das bênçãos recebidas, das vitórias alcançadas, dos talentos e dons desenvolvidos e seja grato a cada momento!

E aí, consegue se lembrar de mais algum costume nocivo? Tem sugestões para acrescentar? Me conte nos comentários! Um abraço, e até logo!

euSimone Oliveira. Santos-SP. Bacharel em Engenharia Civil por formação e escritora por gosto. Estuda para concursos e se dedica às aulas particulares de exatas, ao namorado, à família e às suas atividades na igreja. Ainda não descobriu seu propósito na vida, mas tem certeza de que tem um. Pede que Deus a guie por esse caminho até a sua volta.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O que é a assimilação simpática?

Por Isaias Costa

amigos_0

A empatia é um dos sentimentos mais nobres que o ser humano pode desenvolver, que é você conseguir se colocar no lugar do outro e tentar, pelo menos por um momento, sentir o que ele está sentindo, tentando olhar pela ótica da outra pessoa!

Desenvolver essa virtude não é nem um pouco fácil. Requer acima de tudo INTELIGÊNCIA EMOCIONAL, ou seja, requer que você saia do seu mundinho egoísta e egocêntrico para olhar o outro ser humano.

Dentro dessa realidade, existe um termo que os terapeutas e espiritualistas costumam utilizar e que é desconhecido por muita gente, trata-se da ASSIMILAÇÃO SIMPÁTICA. Afinal? O que isso significa?

Bem! A assimilação simpática é uma qualidade de todas as pessoas que estão desenvolvendo a empatia e a sensibilidade para as questões humanas.

Quando alguém se aproxima de você e desabafa algo que esteja sentindo, é possível por um breve instante, sentir exatamente o que a outra pessoa está sentindo e isso ser deslocado para o próprio corpo.

O nome disso é assimilação simpática. Porém, existe algo bastante perigoso aqui. É preciso aprender a chamada AUTOPROTEÇÃO. E falo isso me referindo acima de tudo às pessoas que tem o desejo de se tornarem terapeutas ou já o são!

Quem trabalha com terapias, está o tempo todo em contato com pessoas com a autoestima baixa, com os níveis energéticos dramáticos, com dores emocionais absurdas muitas vezes, e é preciso ouvir tudo isso sem se envolver com o sofrimento entende?

Essa é a capacidade da autoproteção! Se isso não acontecer, você coloca em risco sua própria saúde.

Os professores de Psicologia e terapeutas até brincam com isso dizendo que, se você não estiver bem resolvido internamente, o paciente vai contar suas histórias e você vai ficar lá chorando junto com ele e aí ele vai dizer assim:

– Doutor! O senhor quer um lenço? Eu tenho um aqui…

Percebe que cômico? Se isso acontecer! Bye Bye terapia, porque paciente e terapeuta acabaram se identificando em suas dores! Ou falando com termos mais técnicos, houve aí uma CONTRA-TRANSFERÊNCIA do terapeuta para com o paciente, o que destrói automaticamente a eficácia da terapia.

Por isso reforço o quanto é importante desenvolver a verdadeira empatia! E como é a verdadeira empatia? É você ouvir com plena atenção a outra pessoa mas jamais se envolver com os seus problemas. Em vez disso estar como um braço forte para lhe orientar!

Se você aprende isso, você tem tudo para se tornar um excelente terapeuta, se isso for da sua vontade! Não é interessante?

Portanto! Que você desenvolva cada vez mais a sua empatia e tenha assimilações simpáticas cada vez mais eficientes e eficazes! O mundo inteiro vai agradecer por esse aprendizado…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A diferença entre delírio e alucinação

Por Isaias Costa

hieronymous-bosch-the-temptation-of-st-anthony

A Psicologia tem termos interessantes e que constantemente são confundidos pelas pessoas!

Falarei brevemente sobre a diferença sutil e bem importante que existe entre delírio e alucinação. É comum acharmos que uma pessoa que teve um delírio está alucinando ou quem teve uma alucinação está delirando! Vamos entender a diferença?

Gosto muito de conhecer as raízes das palavras.

Delírio vem do latim delirium, que significa “agir como um louco” e alucinação também vem do latim alucinari, que significa “vagar mentalmente, sonhar, divagar”, e tem origem no grego alyein: “distraído, alienado, mentalmente perturbado”.

É por essas e outras que os ufologistas (pessoas que estudam os OVNS e ETs) são chamados de “loucos” por muita gente. Ou quando alguém diz que viu um alien ou um disco voador, logo os outros dizem que a pessoa está alucinando ou delirando! Não é bacana?

Com essas definições fica bem mais fácil entender a diferença!

A alucinação é bem mais branda do que o delírio. A pessoa que delira está com sérios conflitos mentais, e talvez precise até tomar remédios psiquiátricos, já quem teve uma alucinação, é provável que com uma boa terapia consiga se libertar dela!

Para ficar ainda mais didática essa diferença, vou dar um exemplo.

Uma pessoa alega que está ouvindo vozes ou que está “vendo coisas” como fantasmas ou vultos.

Se ela está alucinando vai ficar muito transtornada com isso e vai quer CONSCIENTEMENTE se tratar, porque sabe que somente ela está ouvindo vozes ou vendo coisas.

Ela indo a um bom psicólogo e falando sobre suas dores e sofrimentos, é bem provável que na terapia ela perceba qual foi a causa primária que a levou a ter essa alucinação.

Mas alguém que esteja delirando diz estar ouvindo vozes ou vendo coisas e tenta a todo custo lhe convencer que isso é verdade e ela fica com raiva de você quando diz que só ela está vendo ou ouvindo aquilo. Para ela são REAIS as vozes ou as visões!

Entende a diferença como é substancial?

Quando alguém tem delírios que não são bem tratados e estes se estendem por muito tempo, é bem possível que a pessoa venha a ser diagnosticada com algum transtorno psiquiátrico, como a ESQUIZOFRENIA, que é uma doença na qual constantemente a pessoa ouve vozes ou vê fantasmas que mais ninguém vê!

Portanto! Agora você já sabe a diferença e tem noção de que esses delírios ou alucinações representam desequilíbrios psíquicos, que sempre e sempre tem raízes na infância!

Se aprofunde cada vez mais no autoconhecimento para que você não seja acometido nem pelas alucinações nem pelos delírios, mas tenha o total oposto, que é a completa LUCIDEZ.

Lucidez vem de “luz”. Seja um ser de luz e que leva consciência e amor para as pessoas!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized