Arquivo da tag: sentimentos

A felicidade genuína está ligada à nossa capacidade de amar

Por Isaias Costa

“Amor, compaixão e preocupação pelos outros são verdadeiras fontes de felicidade. Se você tiver isso em abundância, você não será perturbado até mesmo pelas circunstâncias mais desconfortáveis. Se você nutrir o ódio, no entanto, você não vai ser feliz, mesmo no colo do luxo. Assim, se realmente queremos a felicidade, temos de alargar a esfera do amor.”

Dalai Lama

********

Cada vez mais vemos as pessoas tristes, deprimidas, ansiosas, estressadas, com diversas patologias e diagnósticos de transtornos mentais etc. e muito disso decorre dessa falta de amor, compaixão e preocupação pelos outros.

Parece que com o avanço tecnológico, mais e mais as pessoas estão se transformando em ilhas. Pensando apenas em si mesmas, no próprio umbigo como se diz popularmente. Isso é absurdamente adoecedor, porque somos seres gregários e não canso de repetir isso aqui nos textos do blog.

Temos nossas dores e sofrimentos. Ninguém escapa deles… Nessa hora, acima de tudo, sabemos o quanto é importante termos o amor dos amigos e também dos familiares. É fácil a gente perceber que se sente muito melhor quando tem esse apoio. Mas para que isso aconteça, precisamos também ser amorosos, cuidadosos e atenciosos! É uma via de mão dupla. E claro! Saiba que não estou falando aqui sobre barganha, do tipo: “Vou ajudar o fulano porque assim, quando eu precisar, ele vai me ajudar também…”. Isso não é bacana! Esse tipo de atitude também revela uma grande dose de egocentrismo.

Ajudar simplesmente por ajudar é muito gratificante. Eu por exemplo, adoro ajudar através da escuta empática. Muitas vezes eu simplesmente fico ouvindo atentamente e acolhendo com amorosidade algumas pessoas que vêm até mim para desabafar seus sofrimentos. Eu me sinto muito bem em saber que nesses momentos eu fui uma presença que fez diferença na vida daquela ou daquelas pessoas!

E desse me sentir bem é que amplia a felicidade e o sentimento de propósito na vida. E o que deriva daí também é que vejo as minhas próprias dores e sofrimentos como oportunidades de crescimento.

Ao entrar em contato com o sofrimento das outras pessoas, vamos ampliando naturalmente o nosso amor, porque vamos entendendo que todos nós passamos por experiências muito semelhantes e podemos vencer! Nós pensamos: “Poxa! O fulano conseguiu superar aquela situação tão complicada. É claro que eu posso superar o que estou passando nesse momento também…”.

Esse breve texto é apenas um lembrete para que você seja empático, desenvolva o seu amor e a sua compaixão se conectando com as pessoas e procurando ser um canal de ajuda de alguma forma! Assim você estará contribuindo com a sua própria felicidade e também com a felicidade das pessoas que cruzem o seu caminho…

Publicidade

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A visão de Bert Hellinger sobre permanecer no amor

Por Isaias Costa

O verbo permanecer é, a meu ver, um dos verbos mais potentes da língua portuguesa. Algo que permanece é algo que se preserva com o passar do tempo, é algo que mesmo com as circunstâncias adversas, consegue seguir e não sucumbir. O verbo permanecer está de certa forma conectado a algo que tem força, que tem raízes, que tem vitalidade…

Lendo as palavras do grande psicoteraputa Bert Hellinger, fiquei um tempo refletindo sobre isso e venho nesse breve texto compartilhar a visão dele e trazer alguns insights bacanas!

*******

Permanecer no amor significa que tudo é amado da maneira como é, e que tudo é incluído na alma da maneira como é. Significa que concordamos com tudo como é e que amamos tudo como é, exatamente como é. Significa também que concordamos com a vida do jeito que ela é, exatamente como é: com a própria vida como ela é, com a vida alheia como ela é e com a criação, exatamente como é.
A luta também faz parte dessa vida. A vida de uma disputa o lugar com a vida do outro. Se permanecermos no amor, então também amamos isso: os opostos, a luta, a vitória e o fracasso, viver e morrer, os vivos e os mortos, o passado assim como foi, o futuro da maneira que vier, exatamente como vier. Nesse amor somos amplos e encontramo-nos em sintonia e acordo com tudo.
Este amor é a entrega ao todo. É a religião em sua essência. Neste amor somos plenos, serenos, podemos assistir a como tudo se desdobra, estamos entregues ao próprio destino e respeitamos o destino do outro e o destino do mundo. Estar entregue ao todo dessa maneira significa permanecer no amor.

Bert Hellinger

*******

É muito linda e profunda a maneira que ele enxerga o permanecer no amor. Só de ler essas palavras eu senti uma paz, uma leveza e uma tranquilidade imensa. É como se ele nos mostrasse que não precisamos carregar tantos pesos desnecessários. É trabalhar a aceitação! Lembrando que aceitação não tem absolutamente nada a ver com conformismo!

Faço questão de levantar esse ponto, porque um leitor desavisado pode pensar: “Ué? Mas se eu aceitar as coisas tais como elas são eu não terei poder algum para mudar coisa alguma?”. Quem pensa assim se engana redondamente sabia? Porque é exatamente o contrário. Se eu aceito as coisas tais como elas são, eu estou resgatando todo o meu poder pessoal e tirando da mão das outras pessoas o poder sobre mim. Não é interessante isso? Talvez até esse momento você ainda não tenha pensado sobre isso a partir desse ponto de vista!

O que o Bert diz no final é o mais potente de tudo. Ao permanecermos no amor, respeitamos a nós mesmos e respeitamos os outros também. E acima de tudo, não interferimos no destino delas e consequentemente não fazemos grandes desvios no nosso próprio destino!

Quanto mais o tempo passa e eu vou amadurecendo, percebo que grande parte das tranqueiras que atraímos para a nossa vida é porque queremos que as coisas aconteçam do jeito que a nossa mente barulhenta e nosso ego mimado quer que sejam. E logicamente que as coisas decididas pelo ego e pela mente desconectada do coração só podem nos levar a frustrações e mais frustrações…

Como diz aquela velha e famosa frase da música de pagode: “Deixa acontecer naturalmente…”. O que o Bert nos ensina é a por em prática desde as pequenas coisas esse fluir espontâneo e natural.

Cada vez mais eu venho buscando deixar que as coisas na minha vida aconteçam de forma espontânea e natural!

Quero inclusive abrir esse parênteses em relação aos textos aqui do blog. Esse texto publicado hoje tem um intervalo de alguns meses em relação ao último texto publicado. Comentar isso tem uma relação direta com a ideia desse texto e as palavras do Bert Hellinger.

Nos últimos meses minha rotina foi alterada de forma absurda. Comecei um novo trabalho que está me tomando muitas horas do dia. Dessa forma, é quase humanamente impossível ter tempo e inspiração para escrever textos novos. Inclusive até por conta do trabalho, estou lendo bem menos do que o meu habitual.

Tempos atrás eu me afligiria por não escrever com certa regularidade. Hoje em dia eu faço é rir de mim mesmo quando fico com essa verdadeira “noia” para escrever textos novos! Hoje eu entendo que não preciso disso. Só preciso deixar que as coisas aconteçam naturalmente, como diz a música de pagode!

Assim, posso escrever textos bacanas com reflexões que sei que podem tocar o seu coração como leitor!

Acho isso libertador e pode ser ampliado para as mais diversas áreas da vida. Quero lhe convidar a trazer essas reflexões para o seu próprio contexto de vida…

Eu quero cada vez mais permanecer no amor. Viver de forma leve e serena, seguindo o fluxo dos acontecimentos e acima de tudo, respeitando a vida e o destino de cada pessoa que cruze o meu caminho…

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Eu honro e aceito toda a minha vida até aqui

Por Isaias Costa

“Você já parou para refletir sobre essa frase? Ela tem a força de ativar a gratidão por tudo que você já viveu e propiciar ricos ensinamentos de tudo isso que já passou!
Lembre-se de honrar e agradecer seu passado. Aprenda com cada experiência e siga adiante, sem ficar julgando, condenando ou culpando alguém ou alguma coisa, ou até você mesma de alguma coisa que não aconteceu como se esperava. Honre e aceite seu passado. Aprenda com tudo que já aconteceu. Veja o passado com olhos de amor e compaixão, honrando e aceitando, para fazer escolhas cada vez melhores e uma vida cada vez mais maravilhosa de se viver!”
Taci Carvalho

*********

A frase que intitula esse texto tem um poder de nos conectar com a gratidão de uma maneira imensa! Ela me fez refletir bastante e decidi escrever esse breve texto com o intuito de também levar você a refletir sobre sua vida até aqui.

É muito compreensível nós termos mágoas e arrependimentos sobre as muitas besteiras e decisões erradas que tomamos na vida. Mas ficarmos nos chicoteando por causa das nossas más escolhas é uma estupidez, só vai nos fazer mal e nos colocar cada vez mais pra baixo.

Cada vez mais eu vejo as nossas escolhas e decisões ruins na vida a partir do nível de consciência que tinhamos na época entende? O Isaias de 1 ano atrás, 2 anos atrás, 5 ou 10 anos atrás, é muito diferente do Isaias de hoje, e quanto mais experiências eu vou tendo e mais vou absorvendo, melhores vão naturalmente se tornando minhas novas escolhas!

A Taci Carvalho costuma dizer nas suas palestras e lives que tudo vem para nossa vida como aprendizado e lições para evoluirmos e que a maior de todas as nossas missões nesse planeta Terra é a evolução como ser humano. Eu concordo 100% com ela e cada vez mais tenho levado essa gratidão para o meu dia a dia!

Inclusive eu vejo com bastante clareza hoje que várias das escolhas que me fizeram sofrer no passado me ajudaram a moldar o Isaias que sou hoje. Uma das experiências mais marcantes foi ter tido depressão em 2009 enquanto cursava Física na UFC.

Ter vivido na pele essa dor excruciante me fez desenvolver muito mais a sensibilidade e hoje em dia consigo me conectar de alma pra alma com as pessoas que sofrem de depressão e consigo trazer para elas palavras de conforto e amor que ajudam a superar aos poucos tanta dor e sofrimento que a depressão causa!

Tudo o que li, ouvi, assisti, conversei etc. Hoje me ajudam a ter mais repertório e consigo levar adiante muito desse aprendizado às vezes pelas textos do blog, mas acima de tudo, a partir das conversas que tenho com as pessoas!

Eu honro, agradeço e aceito tudo o que vivi até agora. Honro e aceito todas as escolhas e decisões boas e ruins. Todas elas me levaram até onde estou hoje e me iluminam para que as escolhas que faço e continuarei fazendo daqui pra frente me conduzam para uma versão melhor e mais ampliada de mim mesmo!

Essa é a dinâmica da vida. O processo de evolução constante. Espero que essas breves palavras tenham suscitado boas reflexões e alimentado em você a GRATIDÃO. Esse sentimento tão nobre e revolucionário…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Viver nunca foi tarefa para iniciantes

Por Isaias Costa

“O cansaço é natural. Os dias difíceis acontecem. As pessoas passam por nossas vidas e, algumas ficam. Crescer, é uma obrigação. A saudade aperta às vezes. O coração fica pequeno. Olhos dormem tristes algumas noites. Mas tudo isso faz parte. Coisas maravilhosas nascem de repente também. A felicidade vem de uma tarde qualquer. Você se diverte até não se lembrar do ontem sem grana e da ferida que se fechou. O amor aparece, às vezes morre pequeno e às vezes se torna céu que não se conhece o limite. E tudo se repete. Sol vem. Sol se vai. E entre altos e baixos a gente se espreme e agradece. Viver nunca foi tarefa para iniciantes.”

Diego Vinícius

********

Essas são palavras simples e muito verdadeiras! Quase sempre, quando leio textos reflexivos como esse, faço um flashback da minha vida e fico refletindo no quanto as coisas foram se desenrolando e se resolvendo com bem mais tranquilidade do que minha mente turbulenta supunha!

A gente se deixa levar demais por essa mente barulhenta e caótica, é a tal da mente que mente, como certamente você já deve ter ouvido falar não é mesmo? No momento em que escrevo e publico esse texto, já estamos nos aproximando do mês de agosto de 2022. A angústia relacionada ao isolamento por conta da pandemia já não é mais uma temática central. O que vem se tornando central agora são os estragos que todo esse isolamento trouxe para o nosso equilíbrio mental e emocional. E aqui sou o primeiro a me colocar nesse balaio ok?

Tive diversos episódios de ansiedade ao longo desses mais de dois anos de pandemia e nunca busquei tanto a meditação e a respiração consciente como uma forma de diminuir essa ansiedade, além do contato frequente com a natureza e as atividades físicas que tanto me alegram.

Se não fosse tudo isso, provavelmente eu teria crises de anisedade ou de pânico. Aproveito para deixar claro que todos nós precisamos desse autocuidado. Sem nos colocarmos como a maior prioridade, fica difícil ter uma vida harmoniosa nesse mundo cada vez mais turbulento em que vivemos!

Essas palavras do Diego são apenas para nos relembrar que o sol vem e vai todos os dias. Temos o dia e a noite, ou seja, momentos de agir, de fazer, de por a mão na massa, e momentos para descansar, relaxar, se entreter, silenciar etc.

Quanto mais tomamos conta de que a vida em todas as suas instâncias acontece dessa forma, a gente vai deixando de se estressar por tudo, de querer resolver tudo pra ontem! Será mesmo que precisamos de tanta pressa? Se tivermos consciência dos nossos passos, eu posso garantir pra você que não precisa ter pressa, afinal, a pressa é inimiga da perfeição, como diz o velho ditado!

Quero concluir com a mensagem que penso ser a principal no texto do Diego. Precisamos colocar mais nosso foco e atenção nas pequenas coisas, nas coisas simples do dia a dia. São elas que nos preenchem de alegria e sentido. São as coisas simples que nos fazem brilhar os olhos e nos encher de esperança de viver mais um novo dia.

Portanto, nunca se esqueça. A vida é uma jornada desafiadora para todos nós, absolutamente todos nós, mas quando tomamos consciência de que as pequenas coisas são as mais importantes, que não precisamos correr tanto e que tudo tem seus ciclos, pronto! Conseguiremos tirar de letra tudo o que surgir pelo caminho…

Paz e luz!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Toda adversidade é um convite à mudança

Por Isaias Costa

“A realidade pode ser uma droga, se quisermos que seja diferente, ou nós podemos aceitar a realidade como ela é, e agradecer por isso. Isso leva prática, por que é difícil ficar grato quando você sente que está sendo tratado mal, ou quando você perde um emprego, ou perde alguém querido, ou quando está lutando contra uma doença. Mas essa é a realidade que você tem e não o ideal que você queria ter. E é uma realidade que possui beleza, se escolhermos vê-la. Essa habilidade nos deixa muito mais em paz com qualquer coisa que precisemos lidar.”

Leo Babauta

**********

É muito verdadeiro o que o Leo está trazendo nessas poucas palavras e todos nós em diversos momentos da vida passamos por crises e dificuldades que nos tiram o ânimo, o vigor, a autoconfiança e por vezes até a esperança de um futuro melhor.

É fundamental sabermos que nada na nossa vida acontece por acaso. São cada uma das nossas escolhas diárias e acima de tudo o que nutrimos dentro de nós que vai plasmando a nossa realidade.

É por isso que eu sempre insisto por aqui em buscarmos nos alimentar de coisas boas não apenas em termos de alimentos físicos, mas também tudo o que alimenta nossa mente e nossas emoções.

O Leo trouxe as principais aflições da maioria das pessoas em momentos de crise. Quando nos sentimos mal tratados é porque os nossos relacionamentos interpessoais estão em crise. Nessa hora, uma pergunta que devemos nos fazer é: “O que eu preciso mudar em mim mesmo para atrair melhores relacionamentos na minha vida?”. E a partir de muita reflexão e busca pelo autoconhecimento, descobrir o que levou a termos essas dificuldades.

Muitas vezes é a nossa baixa autoestima que nos leva a nos conectarmos com pessoas que não nos respeitam e admiram. É preciso resgatarmos nosso poder pessoal e autoestima para assim atrairmos pessoas que de fato vão nos respeitar e agregar valor à nossa vida!

Ele trouxe a perda de um emprego. Isso também é algo que mexe conosco profundamente, pois coloca em risco a nossa sobrevivência material. Disso decorre muita ansiedade e cenários catastróficos que na imensa maioria das vezes não se concretizam. A perda de um emprego pode ser vista como uma bela oportunidade para nos reinventarmos, aprendermos coisas novas, fazermos algum curso de nosso interesse e por aí vai. Eu, particularmente, gosto de pensar assim: “Se eu saí desse emprego agora, é porque certamente muito em breve virá uma oportunidade de trabalho melhor do que este último emprego…”. Só de pensar assim já vem uma paz e uma serenidade, além de um confiança no melhor para o futuro…

O outro exemplo é a perda de alguém, que pode vir ou pela morte ou por alguma separação ou afastamento. Com relação a isso eu sempre gosto de pensar em relação aos ciclos da vida. Tudo, absolutamente tudo, tem começo, meio e fim no mundo físico. E os relacionamentos são todos assim. Se alguém partiu, seja qual foi o motivo, é porque o tempo que ela deveria estar na nossa vida se encerrou. O que nos leva a ter dificuldade de aceitar isso são nossos apegos. Nós nos apegamos demais às pessoas e as situações nas quais nos conectamos. Mas tem zilhões de coisas que fogem completamente ao nosso controle.

Por exemplo, se uma pessoa querida morre devido à uma doença grave, não temos culpa sobre isso. Gostaríamos que ela se curasse e continuasse conosco, mas isso não aconteceu. É preciso vivenciar o luto e seguir a vida sem ela. Honrando e agradecendo tudo o que ela vivenciou conosco.

Se alguém nos deixa porque precisou se mudar de cidade, é simplesmente a impermanência fazendo o seu trabalho. Nós agradecemos por tudo que pudemos dividir, as alegrias e as tristezas, além das muitas histórias que ficarão para sempre guardadas na memória. Desejamos tudo de melhor para essa pessoa e seguimos nossa vida! É simples assim…

O último exemplo é sobre as doenças que nos acometem. Quase sempre o primeiro pensamento que nos vem é: “Poxa! O que eu fiz para merecer isso? Estar adoentado dessa maneira?”. A grande realidade é que nosso corpo carrega uma sabedoria milenar e que pode ser acessada a qualquer momento, basta que queiramos. Estou falando sobre o que chamamos de Metafísica da Saúde ou Linguagem do corpo. Todas as doenças sinalizam desequilíbrios que começam no nosso campo mental e emocional e depois acabam descendo até o corpo físico. Se conseguirmos compreender o porquê daquela doença ter se instalado em nós, agradecemos pela oportunidade de a transcendermos através da consciência, sairemos dela muito maiores e mais fortalecidos.

Enfim! Esse breve texto é apenas para lhe relembrar que as crises surgem na nossa vida para que a gente cresça como seres humanos e nos tornemos mais sábios e experientes. Aprendamos a ver dessa maneira que assim a vida se torna divertida e cada vez mais significativa…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

As palavras só tem sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor

Por Isaias Costa

“As palavras só tem sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor. Aprendemos palavras para melhorar os olhos. Há muitas pessoas de visão perfeita que nada veem… O ato de ver não é coisa natural. Precisa ser aprendido. Quando a gente abre os olhos, abrem-se as janelas do corpo e o mundo aparece refletido dentro da gente. São as crianças que, sem falar, nos ensinam as razões para viver. Elas não têm saberes a transmitir. No entanto, elas sabem o essencial da vida. Quem não muda sua maneira adulta de ver e sentir e não se torna como criança, jamais será sábio.”

Rubem Alves

********

Tornar-se sábio, esse é o movimento de entrar no reino dos céus, como já dizia o mestre Jesus Cristo: “Aquele que não for como uma criança não entrará no reino dos céus”. Lembrando que não se trata de um lugar físico, mas sim de um estado de consciência interior, no qual vemos a imensa beleza contida no momento presente, no aqui e agora!

É muito interessante quando ele comenta sobre a visão física. Muitas pessoas enxergam perfeitamente, mas têm dificuldade de ver as belezas simples do cotidiano. Não conseguem desenvolver esses “olhos de ver” que as crianças têm!

Inclusive, relendo essas belas palavras do Rubem Alves eu me lembrei de uma frase famosa do grande pintor Pablo Picasso na qual ele diz: “Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol”.

Percebe como tudo é uma questão de perspectiva? Eu quero cada vez mais desenvolver em mim essa arte de transformar um rabisco amarelo redondo no próprio sol! Isso é sabedoria. Isso é saborear o melhor da vida!

Muita gente não sabe, mas a raiz da palavra sabedoria é a mesma de sabor. Ou seja, as pessoas sábias são aquelas que saboreiam a vida. E detalhe! Só é possível saborear a vida no momento presente. Como seria possível saborear algo que só virá na semana que vem, no mês que vem ou no ano que vem? Percebe como não faz o menor sentido?

E sabe de outra coisa legal? Quando estamos saboreando uma comida, seja ela qual for, normalmente fechamos os olhos para nos integrarmos ainda mais à sensação deliciosa da comida nas papilas gustativas. E além disso, vem o ponto principal que quero comentar com você. Nós ficamos em silêncio! Porque nessa hora as palavras só iriam atrapalhar a experiência de saborear o alimento.

Voltando ao Rubem Alves… as palavras só têm sentido se forem para ver o mundo melhor. E as crianças têm esse poder de ver um mundo melhor! Quando perguntamos a qualquer criança como elas veem a vida ou o que gostariam que melhorasse no mundo, elas são praticamente unânimes em dizer que a vida é para nos divertirmos e para estarmos perto das pessoas que amamos. E a resposta para o desejo de um mundo melhor quase sempre está relacionado com os adultos trabalharem menos, serem mais presentes nas suas vidas, que brinquem mais, que sorriam mais, que tirem tanto o peso autoimposto nas costas…

Será que você ainda duvida da sabedoria inerente que existe nas crianças? Nessas poucas palavras eu trouxe verdades que nós como adultos e com o nosso cabeção extremamente intelectualizado, transformamos em livros de 400 págs ou em teses de doutorado. Pra quê hein? Será que precisa de tudo isso? Fica a reflexão…

Que a gente desenvolva cada vez mais esse olhar de criança para nos conectarmos com o que há de mais belo na vida, o momento presente…

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Só podemos amar as pessoas que se parecem com o céu

Por Isaias Costa

“É isto que amamos nos outros: o lugar vazio que eles abrem para que ali cresçam as nossas fantasias. Buscamos, no outro, não a sabedoria do conselho, mas o silêncio da escuta; não a solidez do músculo, mas o colo que acolhe.

Como seria bom se as outras pessoas fossem vazias como o céu, e não tão cheias de palavras, de ordens, de certezas. Só podemos amar as pessoas que se parecem com o céu, onde podemos fazer voar nossas fantasias como se fossem pipas”.

Rubem Alves

*******

O Rubem Alves era perfeito em suas metáforas! Ao reler essas belíssimas palavras, eu lembrei de uma brincadeira que toda criança adora (e claro que alguns adultos que não deixaram sua criança interior morrer também adoram), que é ver desenhos nas nuvens.

Lembro que eu brincava junto com meus irmãos e primos quando crianças. Nós deitávamos na grama onde tinha sombra e ficávamos um tempão olhando as nuvens e dizendo o que cada um achava dos desenhos formados…

O Rubem dizia: “Só podemos amar as pessoas que se parecem com o céu”. O céu permite que as nossas fantasias ganhem voz e não fica nos recriminando, muito menos dizendo o que é o certo e o que é o errado!

Já pensou como perderia toda a graça se ao brincar de ver desenhos em nuvens, alguém na brincadeira dissesse: “Tá louco! Não existe isso que você está vendo. A única coisa que tem nessa nuvem é o que eu vejo…”. Pronto! Com essa atitude arrogante acabou qualquer tentativa de curtir o momento.

Na vida, infelizmente vemos aos milhares pessoas com essa postura arrogante, cheias de certezas, e por isso mesmo, infelizes! Quanto mais o tempo passa, mais eu percebo a felicidade gigantesca que se encontra na dúvida, no não saber! Lembra a máxima do mestre Sócrates? “Só sei que nada sei”. Na sua época, as pessoas eram unânimes em dizer que ele era uma pessoa feliz, uma pessoa realizada e sábia! Muitas podiam até mesmo não gostar dele, mas não conseguiam abrir a boca pra dizer que ele era infeliz!

Que tal aprendermos com as sabedorias do Rubem Alves e do filósofo da antiguidade Sócrates?

Antes de escrever esse texto eu até pesquisei a etimologia da palavra FANTASIA, que é maravilhosa. Ela vem do grego phos (luz) e do verbo phainein (fazer aparecer). Ou seja, é a nossa luz que se faz aparecer a partir da nossa alegria, nossa verdade, nossa transparência.

Vamos deixar a nossa luz aparecer? Isso é ser simples e sábio. A nossa luz aparece a partir da abertura do nosso ser. E a abertura para a vida vem dessa postura silenciosa, acolhedora, receptiva. Quanto menos falarmos e mais ouvirmos, aí sim estaremos realmente sendo acolhedores e receptivos, e assim daremos abertura para fazer brotar, fazer aparecer a nossa luz, nossa fantasia! Não é incrível tudo isso?

Que essas poucas palavras tenham lhe trazido boas reflexões! Sigamos juntos sempre deixando viva em nós essa dimensão da fantasia…

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Precisamos aprender a ser filtros e não esponjas

Por Isaias Costa

“Você não precisa absorver a negatividade das pessoas ao seu redor. Você não precisa participar das confusões alheias. As pessoas são como são e as escolhas delas são delas. Aprenda a ser filtro e não esponja.”

Juliana Nishiyama

******

Estamos vivendo tempos muito difíceis. Uma pandemia que já se estende por mais de 2 anos, que finalmente está começando a ser controlada com eficiência. Porém, devido à guerra entre a Rússia e a Ucrânia, o mundo todo vem sofrendo os impactos terríveis, acima de tudo na economia. Há décadas o Brasil não vive uma inflação tão exorbitante e a cada dia os preços de tudo estão cada vez maiores.

Uma consequência natural de tudo isso é a diminuição do poder de compra da população, aumento da pobreza e miséria, aumento do desemprego, diminuição da esperança, aumento de doenças, de transtornos físicos, mentais, emocionais, espirituais etc. etc.

Tudo isso e muito mais está acontecendo e não podemos simplesmente fechar os olhos e fingir que não está. Isso não resolve nada, pelo contrário, só agrava o problema!

Nesse texto eu quero voltar a insistir na busca incessante pelo autoconhecimento e na busca acima de tudo por escolhas melhores em amplo sentido. Escolher melhor o que vamos comer e beber, para que dessa forma evitemos adoecer e enriquecer ainda mais a criminosa indústria farmacêutica. Escolher melhor o que assistimos, para assim não perdermos a esperança de dias melhores. A mídia aberta é toda programada para despertar o pior em nós, ela só alimenta o medo, para assim lucrar com isso! Se tem algo profundamente lucrativo é encher as pessoas de medo…

Precisamos escolher melhor o que ouvir. Existem tantos podcasts maravilhosos e tantos canais excelentes no Youtube. Só não os acessa quem realmente não tem essa abertura para fazer boas pesquisas. A cada dia eu aprendo mais e mais conteúdos edificantes e transformadores porque eu faço questão de só ouvir o que me faz bem e me engrandece. Busque fazer o mesmo!

Também podemos escolher melhor o vamos ler. Milhões de pessoas perdem um tempão lendo fofocas sobre os famosos, sobre o Big Brother, qual o horóscopo para essa semana e por aí vai. Uma pergunta que sempre precisamos ter em mente é: “Essa leitura vai agregar valor na minha vida?” ou no mínimo: “Essa leitura vai me levar a pensar diferente, ou vai estimular a minha criatividade?”. Fiz esse segundo questionamento porque existem zilhões de livros de literatura que nos ajudam a ser mais criativos através das suas estórias mega instigantes! A leitura tem um poder gigantesco de fazer a nossa vida ter um brilho maior. Pode ter certeza disso!…

Precisamos escolher melhor como utilizar o nosso tempo livre. Que tal fazer alguma atividade física? Que tal tomar um banho de sol de pelo menos uns 15 min? Que tal passar um tempo em contato com a natureza, abraçar uma árvore, pisar a grama, sentir a terra nos pés? Que tal conversar com os amigos queridos e se divertir um pouco?

Sabia que fazer isso é ser um filtro? Sim! Porque ao fazermos melhores escolhas, estamos jogando fora um montão de outras escolhas que seriam somente tranqueiras nas nossas vidas!

Esse breve texto é só um lembrete daquilo que compartilho praticamente todas as semanas! Escolhas melhores podem pouco a pouco nos transformar em seres humanos melhores. Busque lembrar disso todos os dias ok?…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Todas as nossas ações geram impacto

Por Isaias Costa

“Estamos todos ligados. Seja em que dimensão for, somos todos responsáveis uns pelos outros e essa é a primeira premissa para se descobrir a divindade que há em nós. Temos todos o mesmo dever, ser felizes e inspirar através dessa felicidade. Temos todos a mesma capacidade, mudar. Temos todos o mesmo poder, amar. E todas as nossas ações, independentemente da energia com que são feitas, vão gerar tomadas de consciência, vão semear a mudança e vão seguramente brotar de muitos corações autênticas centelhas de compaixão e amor. Nada do que possamos fazer é indiferente e tudo o que temos feito até hoje, queiramos ou não, tem tido um enorme impacto em nós, naqueles que nos rodeiam e no todo onde todos habitamos. Sejamos responsáveis. Sejamos divinos.”

Gustavo Santos

******

Achei maravilhosas as palavras do Gustavo Santos e resolvi compartilhá-las com você que me lê agora, principalmente como uma forma de lhe motivar a tomar ações mais conscientes e que gerem o bem para o maior número de seres, e quando falo seres, saiba que vai muito além dos seres humanos, estão incluídos os animais, as plantas, as florestas, os mares, os minerais etc. etc.

Todas as nossas ações geram impacto. Essa é uma verdade incontestável, ela inclusive carrega uma compreensão espiritual gigantesca. Nosso planeta e o universo inteiro são regidos por leis, e uma das leis mais implacáveis é a lei da atração. Nós atraímos aquilo que vibramos no nosso interior. Se carregamos uma série de medos, de inseguranças, de raivas, de melancolias, de apatias e por aí vai… nosso mundo externo vai só reverberar essa baixa vibração.

Da mesma forma, se internamente vibração amor, compaixão, empatia, compreensão, tolerância, serenidade etc. Nosso mundo também se refletirá de acordo com essa alta vibração. Tudo são escolhas e caminhos.

Agora de todo jeito, seja com sentimentos e ações elevadas, seja com sentimentos e ações mais grosseiras, sempre causamos impacto na vida das outras pessoas e vice versa, também somos impactados pelo que as outras pessoas emanam para nós. Mas lembra que eu comentei sobre a lei da atração? Tudo vai acontecendo como uma bola de neve que pode se transformar numa avalanche, que pode ser de ódio, rancor, mágoas, ressentimentos, tristezas, como também pode ser uma avalanche de amor, alegria, empatia, paz, contentamento.

Para um número gigantesco de pessoas parece tão fantasioso que podemos ter uma avalanche de alegria e amor que elas pensam que essa é a síndrome da “Alice no país das maravilhas”. Eu entendo demais quem pensa assim, porque eu mesmo já estive nesse lugar. Quando nossa vida está um caos, seja pelo marasmo, seja por causa das reviravoltas, das crises e tudo mais… nós ficamos meio cegos para as possibilidades infinitas que a vida nos proporciona para sermos felizes. E se não tomamos cuidado, vamos nos enfiando num buraco sem fundo até chegar no famoso “fundo do poço”.

Mas sabe de uma coisa legal? Até mesmo o “fundo do poço” é recheado de oportunidades de crescimento, de evolução, melhoria, aperfeiçoamento. Eu também já estive nesse lugar chamado “fundo do poço” e ele foi crucial para que eu mudasse o rumo da minha vida e fizesse o que faço hoje. Você jamais estaria lendo esse texto agora se eu não tivesse vivenciado esse caos imenso.

É muito bonito quando a gente percebe que ao se abrir pro novo, para compreender as coisas de uma outra maneira, simplesmente muitos “mestres” começam a surgir e nos mostrar esse novo universo de possiblidades. É mais uma vez desse impacto que estou falando! O que lemos, o que ouvimos, os lugares para onde vamos, as pessoas que vão surgindo, as oportunidades que vão aparecendo, tudo gera impacto, tudo! Que tal a gente escolher o que gere cada vez mais impacto positivo? Assim nossa vida será uma escalada sem fim para cada vez mais amor, alegria, compaixão, paz, contentamento etc.

Com esse breve texto não estou trazendo nenhuma novidade, estou apenas lhe relembrando que você tem poder, e esse poder está dentro de você. Tendo discernimento, buscando se conectar com a espiritualidade, seja de que vertente for, você será direcionado para cada vez vivenciar coisas maiores e melhores, assim podendo impactar positivamente muitas outras pessoas. Isso é o que mais desejo a cada um que entre em contato comigo de alguma maneira, até mesmo por aqui, virtualmente pelos textos do blog!

Sigamos juntos, escolhendo o amor e a felicidade sempre e cada vez mais…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A vontade divina e a vontade carnal

Por Isaias Costa

“Eu desejo desejar menos. Para encontrar a paz e a realização no que é essencial. Para apreciar a beleza das cores que me envolvem. Nosso espírito está constantemente a nos proteger de alcançar coisas que não são úteis ao nosso progresso e que obscurecem a essência. Um grande desafio desta experiência terrena é despertar a Vontade e, ao mesmo tempo, acalmar o ímpeto dos desejos. A Vontade emana da nossa centelha divina, da luz que clareia os passos. Ela purifica os desejos incessantes até que eles se harmonizem com a nossa busca pelo que é Eterno.

A Vontade é a força enérgica da alma e nos conduz à libertação. Os desejos, quando não são inspirados pela Vontade, nos aprisionam. Nos acostumamos a caminhar movidos pelos desejos, mas cada vez mais distantes das aspirações da alma. Às vezes, é preciso parar de procurar para encontrar o que realmente buscamos. É quando a divina Vontade prevalece e nos leva montanha acima, nutrindo-nos com paciência, sabedoria e constância. Abrimos espaço para criar inspirados pela luz radiante da consciência.”

Felipe Rocha

*******

Essas palavras do Felipe Rocha trazem de forma simples e didática a diferença entre as duas vontades, a divina e a carnal. Todos nós temos as duas, porém, infelizmente, a maioria de nós se deixa dominar pela vontade carnal, e assim não consegue sentir a plenitude que só pode ser alcançada através da vontade que vem da nossa alma, a vontade divina!

A mola propulsora da vontade carnal são os desejos materiais, que são os mais diversos, sejam por coisas, ou por prazeres efêmeros. Até que nos frustremos bastante e nos questionemos no mais profundo da nossa alma sobre as nossas escolhas, seguiremos achando que é só quando tiver “x” reais na conta bancária é que seremos plenamente felizes, ou depois de ter viajado pelo mundo afora, ou depois de ter atingido o máximo de status possível por conta do trabalho etc. etc.

Tudo isso são ilusões que só nos aprisionam na frequência do desejo puramente material. Mas o desejo não é algo de todo ruim, de forma alguma! Existe o desejo por buscar a si mesmo, o desejo pela espiritualidade, pela transcendência, que inevitavelmente nos conduz ao amor, a alegria, a paz, ao amor incondicional e por fim, depois de muita, muita caminhada, às altas frequências da iluminação, atingida pelas grandes seres de luz que se eternizaram como Jesus, Buda, Krishna, Lao Tse, Confúcio, Sócrates e por aí vai.

A mola propulsora da vontade divina é o amor, que faz com que vençamos todos os medos e saiamos de forma consciente da frequência do desejo puramente carnal. Mas ao escrever tudo isso, é bem possível que você que esteja lendo se pergunte: “Mas será que eu consigo acessar essas altas frequências? Me conectar com esse amor?”.

Sim! É claro que consegue, e o Felipe deu uma linda dica de como se consegue isso, são três os “ingredientes”: paciência, sabedoria e constância.

É muito verdade isso! Tomo por mim. Venho há muitos anos numa busca constante pelo autoconhecimento e a cada dia vejo em mim novas camadas que precisam ser trabalhadas, lapidadas, aprimoradas… Sempre haverá algo mais a ser visto e iluminado pela consciência! Sempre!

Aproveito até para replicar uma frase que muito me motiva diariamente e ouvi diversas vezes da querida Profa. Lucia Helena Galvão: “Sem pressa e sem pausa”.

Essa frase é perfeita, porque nós temos a eternidade pela frente num processo constante de evolução, porém, se ficarmos só “dormindo no ponto” como se diz popularmente, podemos desperdiçar toda uma encarnação. E essa é uma perda irreparável…

Mas se você caiu nesse texto e leu até aqui, fique tranquilo! Você certamente está caminhando. Ninguém cai nesse blog sem ter essa fagulha acesa dentro de si mesmo.

Portanto, espero que com essas palavras tenha ficado um pouco mais claro pra você a diferença entre as duas vontades, a divina e a carnal. E que a gente conscientemente se mova dia após dia cada vez mais pela vontade divina…

********

P.S. Breve podcast com reflexões a partir desse texto. Nele eu li o texto do Felipe Rocha na íntegra! Ficou bem bacana. Segue o link abaixo…

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized