Arquivo da tag: sentimentos

A negligência do brasileiro em geral

Por Simone Oliveira

Há muito tempo tenho estado a analisar o comportamento das pessoas ao meu redor de modo mais profundo e tenho notado que a grande maioria tem potencial para demonstrar diversos sentimentos bons através de ações. É aí que encontrei a extroversão e o calor do nosso povo. Porém, um traço ainda mais forte é essa tal da negligência, vista de longe e que chega a incomodar, causando aversão.

Parei para pensar o porquê de ninguém falar sobre isso. Preferimos fechar os olhos e fingir que ela é apenas parte da cultura, ou pior, que não é um defeito propriamente dito, e sim meras falhas pertencentes a TODO SER HUMANO. Nunca assumimos a culpa pelos nossos erros, sempre nos escondemos na multidão usando o pronome “nós” ou o sujeito “raça humana”.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O efeito dominó do medo

Por Isaias Costa

shutterstock_272625332-810x540

O Brasil está atravessando um longo período de crises, e a esperança das pessoas tem ido por água abaixo de forma bem evidente.

Lendo as palavras do terapeuta holístico Prama Shanti, fiquei refletindo sobre as causas de tudo isso! Você sabia que não é por causa da política simplesmente? Ela apenas contribui, mas a causa é muito mais embaixo. Confira!

***************

“É necessário uma crise para instaurar o medo coletivo e manter o controle. O medo torna-se uma grande egrégora, uma potente forma pensamento que entra pelos chacras e contamina a todos que se harmonizam com ela. Seus receios tornam-se medos com muito mais facilidade. O medo corta sua ligação com o Todo e lhe prende a matéria. Achata você no chão. E o medo gera mais medo.

As pessoas com medo falam de seus medos aos amigos, que ficam receosos e com medo. O espiritual se afasta da mente das pessoas e o material passa a ser o mais importante. A crise passa a ser o assunto de todas as rodas. O medo derruba a ética e a moral, aumenta o consumo de álcool, os excessos e a busca pela inconsciência. E todos são entregues de bandeja às forças trevosas, que passam a manipular corações e mentes cada vez com mais facilidade. O medo é gerado pela ansiedade com relação ao futuro. O oposto do medo é a confiança. Confiar no seu caminho, no seu Deus. Pensar no agora, que é a única coisa que nós temos, o futuro não é nosso.”

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Você tem aproveitado as oportunidades que a vida lhe dá?

Por Isaias Costa

Metas

Eu amo conhecer as raízes das palavras e esses dias conheci a raiz de uma palavra bastante utilizada no nosso dia a dia, mas que tenho certeza que poucos sabem a sua origem.

Trata-se da palavra OPORTUNIDADE.

Ela vem da antiguidade, na qual as pessoas tinham o costume de dar nomes aos ventos e cada vento e suas determinadas direções recebiam nomenclaturas diversas.

A palavra oportunidade tem origem no nome do vento “ob portus”, que significa “vento favorável que leva ao porto”.

E a própria palavra “porto” tem relação com a palavra “porta”, que por sua vez significa “passagem”.

Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Para chegar à fonte é preciso nadar contra a corrente

Por Isaias Costa

00001V2circling-barracuda-papua-new-guinea-by-David-Doubilet

Esses dias li uma frase magnífica e extremamente profunda após ouvir um dos comentários do filósofo brasileiro Mario Sergio Cortella pela Rádio CBN. Era uma frase atribuída ao importante poeta polonês chamado Stanisław Jerzy Lec que falava sobre a necessidade de gastarmos uma maior quantidade de energia para solucionarmos as grandes dificuldades da vida.

A frase era a seguinte: “Para chegar à fonte é preciso nadar contra a corrente”.

Apenas 10 palavras, mas que carregam uma profundidade imensa de reflexões. Com essa frase o Jerzy Lec está querendo nos dizer que para se chegar à essa fonte, que é de onde surge a água que vai ganhando força à medida que desce até encontrar o mar, precisamos de um dispêndio bem maior de energia do que simplesmente se deixar levar pela correnteza, que sem esforço algum, nos levará até o mar.

Como eu sou um amante da Psicologia e da Psicanálise, pensei no quanto essa frase pode se aplicar ao surgimento das nossas neuroses, medos, traumas e doenças.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma pequena mudança de perspectiva

Por Isaias Costa

© Copyright 2012 CorbisCorporation

Na semana em que escrevo esse texto, participei de uma maravilhosa palestra com o grande Psiquiatra e Escritor Adalberto Barreto, mundialmente conhecido por ter desenvolvido um método de “terapia comunitária” simples e eficaz.

Ele tem como uma de suas maiores especialidades, um conhecimento profundo da Metafísica da Saúde, que constantemente abordo aqui nos textos do blog.

Nessa palestra ele deu alguns exemplos simples, porém muito impactantes, do poder que uma pequena sugestão pode dar a uma paciente quando ele está em uma consulta terapêutica. É como intitulei esse texto, apenas uma pequena mudança de perspectiva leva a uma mudança gigantesca na qualidade de vida dessas pessoas!

Ele deu dois exemplos que vou transcrever para cá de forma quase idêntica ao que ele falou.

Continuar lendo

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A sua dor é importante para as outras pessoas

Por Camila Santana

1-atmdrqn8Tgw5R7jBJSSTEQ

É com grande alegria que compartilho com todos vocês o primeiro texto da minha querida amiga Camila Santana aqui no blog! Nesse texto ela levanta uma interessante reflexão extraída da conhecidíssima série “13 reasons why”.

Que sua contribuição com o blog suscite em cada  leitor reflexões sobre a vida e o autoconhecimento! Seja muito bem-vinda Camila!

**********************

Quero expressar minha opinião sobre a série mais comentada do momento: “13 Reasons Why”, disponibilizada pela Netflix no dia 31 de março de 2017.

A série aborda diversos temas como: suicídio, bullying, estupro entre outros que sempre estão em nossa realidade, mas a maioria insiste que não são assuntos pra serem comentados, portanto, sempre desviam.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Autoestima, propósito e amor

Por Simone Oliveira

Há alguns dias não sinto vontade de escrever. Aliás, a consciência pesa, eu sei que preciso, mas simplesmente não consigo. Abro o arquivo, olho a folha em branco e nada vem à mente. Mesmo assim sinto que tenho a responsabilidade de escrever algo a alguém.

Cheguei à conclusão de que durante esse período em que estive produzindo textos pro blog amadureci, algumas fichas caíram dentro da minha cabeça e consegui me livrar de diversas questões que atrapalhavam a minha caminhada, tornando-a mais pesada do que deveria ser. Conversei com pessoas próximas a mim, tive coragem de expor opiniões que até então não tinha dito e que me amargavam por dentro e não me senti julgada pela primeira vez. Adquiri apoio e confiança de quem importava e isso me tranquilizou. Com as dificuldades resolvidas, me tornei mais calma e feliz, vivendo um dia de cada vez, não me cobrando além do necessário e fortalecendo a minha autoestima; pensando de formas que nunca havia pensado, lido muito melhor com os outros e passo confiança nas minhas atitudes. Sabendo me posicionar, adquiro mais respeito.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A metáfora do gelo derretido

Por Isaias Costa

wallpaper-coracao-de-gelo-derretendo-104

Esses dias estava ouvindo um programa de rádio que gosto muito chamado “Momento Zen”, com a Monja Coen, pela Rádio Mundial, e no programa ela falou uma coisa muito interessante e que me inspirou a escrever o texto que você lê agora.

Ela falava que se nós levamos um calorzinho, por menor que seja, do nosso coração para as outras pessoas, poderemos derreter muitos corações que estão frios e tristes!

A partir dessas lindas palavras dela eu criei essa simples metáfora do gelo derretido. Veja só que legal!

Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Escutar para compreender, não para responder

Por Isaias Costa

aprendendo-a-escutar-como-aumentar-seu-poder-de-persuasao-792x419

Esses dias estava assistindo a uma palestra maravilhosa com a Couch Carolina Nalon e que me inspirou a escrever esse pequeno texto que você lê agora.

Ela falava sobre o tema de suas pesquisas e estudos que é a Comunicação Não Violenta (CNV) e o quanto ela é vital no mundo de hoje.

Essa comunicação não violenta está baseada em vários princípios, mas a Carolina enfatiza bastante dois, que são a EMPATIA e a COMPAIXÃO.

Quando eu alio os dois na hora de conversar com as pessoas, eu naturalmente gerarei uma conexão interessante e que poderá até mesmo levar a pessoa a se curar de pelo menos parte das suas dores emocionais.

Quando eu me comunico dessa maneira, eu sei que a outra pessoa sofre e que tudo o que ela deseja é superar esse sofrimento. Então o que eu puder fazer para ajudar nesse sentido eu o farei.

Essa é uma capacidade inata de todo ser humano, mas parece que estamos engavetando essa capacidade incrível de nos conectarmos de uma forma bonita com as outras pessoas.

Ela faz um alerta nesse vídeo e que eu reforço aqui, a população está crescendo absurdamente e no final do século XXI existem previsões de que a população já tenha ultrapassado os 10 bilhões de habitantes. Você tem ideia da complexidade que é viver num planeta com mais de 10 bilhões de habitantes? Cada um com uma consciência diferente?

Nessa hora eu replico o que muitos terapeutas atuais dizem constantemente: cada um de nós precisa se tornar um pouco terapeuta.

Porque se não for desse jeito, viveremos praticamente num campo de guerra, prontos para nos atacarmos a toda hora! É isso que você quer? Se você está lendo esse texto já é uma prova de que NÃO QUER.

Essa frase dita pela Carolina é muito impactante e verdadeira: “Precisamos aprender a escutar para compreender, não para responder”.

Nós temos um verdadeiro vício de simplesmente ouvir de uma forma mecânica, sem de fato escutar o outro. Ouvir é simplesmente o ato de decodificar aquilo que a outra pessoa está falando, são as vibrações que acontecem nos ossículos do ouvido médio e captação de sons no ouvido interno até levar ao nervo auditivo.

Isso não tem nada a ver com escutar, que requer COMPREENSÃO das palavras do outro! Requer um esforço para se conectar a ele de alguma maneira. Infelizmente, devido ao mundo corrido e adoecido no qual estamos inseridos, a maioria das pessoas está presa no seu mundinho e não deseja ter essas conexões mais empáticas e verdadeiras!

Esse vídeo e esse pequeno texto são alertas para que você procure de fato começar a olhar para si mesmo com esse desejo de melhorar a comunicação, porque como já falei antes, isso é algo vital e nesse mundo contemporâneo, é algo cada vez mais importante.

Deixo você agora com as reflexões super profundas e importantes da querida Carolina Nalon. Garanto que valerá a pena cada um desses 18 minutos que ela fala sobre essa comunicação não violenta…

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A solidão na visão de Carl Jung

Por Isaias Costa

17760233_1308661072550043_1376219031350337104_n

Quanto mais o tempo passa, mais eu me apaixono pela Psicologia e suas inúmeras vertentes. Uma delas é a Psicologia Analítica, desenvolvida pelo Psicoterapeuta Carl Jung.

Ele tem uma obra extremamente vasta e profunda de conteúdos. Nesse texto abordarei brevemente um pouco da sua visão a respeito do sentimento de solidão, que acomete a todos nós em maior ou menor grau.

Essa frase abaixo nos leva a grandes reflexões! Veja!

***************

“Solidão não é ter pessoas ao seu redor, e sim ser incapaz de expressar coisas que parecem importantes, ou de perceber certos pontos de vista que os outros acham inadmissíveis…”

Carl Jung

*************

Infelizmente, muitos pensam que solidão é a ausência de pessoas ao redor. De maneira nenhuma! Podemos estar rodeados de pessoas e ainda assim estar sós. Até mesmo podemos ser famosos e desejados sexualmente por milhões de pessoas e ainda assim sermos solitários. Um dos exemplos mais emblemáticos nesse sentido é o da atriz Marilyn Monroe, que se suicidou, mesmo tempo fama, muito dinheiro e milhões de homens a seus pés…

A verdadeira solidão tem a ver com esses dois pontos por ele levantados.

O primeiro ponto está relacionado com a expressão das ideias e daquilo que se sente. Por incrível que pareça, essa solidão está muito presente nos relacionamentos amorosos ou dentro da família!

Sabe quando um casal à muito tempo fica guardando mágoas e ressentimentos um do outro e parece que o outro vai se tornando distante e mais distante? Quando parece que um abismo começa a ser construído que impede de acessar o mundo da outra pessoa?

Essa é uma solidão amarga que quase todos nós passamos ou ainda iremos passar em algum momento da vida.

Ou na família, quando percebemos que o nosso pensamento diverge totalmente dos deles e ficamos com medo de nos expressar porque não queremos que esses vínculos se tornem hostis.

As pessoas que já têm um maior nível de consciência comumente sentem essa solidão que muitos psicólogos e espiritualistas chamam de SÍNDROME DO ESTRANGEIRO. É como se você sentisse uma saudade de algum tempo e de pessoas que você sabe que afinizam mais com você e com a sua energia, mas elas não estão por perto para lhe dar esse amparo e esse carinho!

Nossa! Eu já passei por isso tantas vezes na minha vida que você nem faz ideia. Se quiser entender um pouco mais sobre essa síndrome do estrangeiro, compartilho abaixo um programa de rádio que me ensinou muito sobre essa sensação de solidão que pode sim ser curada, desde que façamos a nossa parte na busca pelo autoconhecimento. Trata-se do programa Entrevidas da Rádio Mundial, apresentada pelo comunicador Marcello Cotrim. Vale a pena reservar uns minutinhos para ouvi-lo…

O segundo ponto ainda é mais doloroso do que o primeiro, porque ele faz com que amizades de longas datas sejam destruídas em questão de segundos. É como muitos dizem aquele velho e muito verdadeiro cliquê sobre a conquista da confiança de alguém!

Leva-se anos para se conquistar a confiança em alguém, mas apenas segundos para destrui-la…

Principalmente as pessoas que são mais imaturas e orgulhosas, quando são questionadas sobre suas verdades e convicções, muitas vezes elas acabam tendo reações agressivas ou hostis.

Eu também já me senti solitário por isso, pois conseguia ver nos amigos mais chegados algumas falhas de caráter e comportamento e tentava ajudar, mas alguns foram bem ácidos comigo, inclusive até rompendo amizades!

Na época não tinha a maturidade que tenho hoje e não fazia ideia de que na realidade quem estava errado era eu mesmo! E por quê? O motivo pode lhe ajudar imensamente! Vou até deixar em caixa alta pra você memorizar a sua importância.

NÓS SÓ DEVEMOS DAR CONSELHOS AOS OUTROS QUANDO SOMOS SOLICITADOS PARA ISSO!

* Sugestão de leitura => Não tente ajudar quem não quer ser ajudado

Em outras palavras, eu acabava me intrometendo nas questões mais íntimas dos meus amigos, e obviamente os que não queriam mudar seus comportamentos me davam “coice”!

Mas existe outro lado do enxergar o que os outros acham inadmissível. Que tem relação com o GRAU DE AFINIDADE entre os amigos!

Se o grau de afinidade for pequeno, não tem como fugir! Você vai se sentir solitário.

Vou dar um exemplo pessoal que chega a ser até hilário! Você vai gostar dele!

Na época da faculdade de Física eu já lia muito sobre espiritualidade e sobre os processos de evolução da humanidade e vez por outra tentava conversar com meus colegas sobre isso. Chegava mais ou menos assim:

– Pois é gente! Nós somos seres eternos. Espíritos habitando corpos. Estamos nessa planeta para aprendermos a transcender o nosso ego, para aprendermos a lições dos grandes mestres, espalharmos consciência etc etc.

E eles respondiam quase sempre!

– Legal Isaias! Mas cara. Tu conseguiu resolver aquela lista de exercícios de Cálculo III que o professor passou. Nossa! Tinha umas questões tão difíceis. O professor passou umas integrais impossíveis…

E nessa hora eu pensava: “Whats? Estávamos falando sobre isso?…”. E então eu ficava com uma gota na testa igualzinho a essa menina aqui embaixo!

2416838878_73753019fb

Isso é a verdadeira solidão! Eu me sentia muito mal por não ter afinidade com esses meus colegas. Tanto é que saí de lá pra nunca mais voltar! hehehe

Concluo esse texto dizendo pra você que o principal antídoto para a solidão se chama AMOR PRÓPRIO. Quanto mais você se sentir bem na sua própria presença, mais você conseguirá lidar com o distanciamento das outras pessoas ou com o baixo grau de afinidade que você terá com muitas delas.

Há muito mais a ser refletido sobre essas lindas palavras do Jung, mas deixo essas reflexões com você!

Compartilho também um breve áudio que gravei a partir dessas palavras do Jung e desse texto! Vale a pena ouvi-lo…

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized