Arquivo da tag: harmonia

Aprenda a permanecer calado porém firme

Por Isaias Costa

mulher-relaxar

Todos nós ouvimos constantemente a velha máxima “O silêncio é ouro”, mas poucos de nós conseguem de fato colocar essa sabedoria de vida na prática cotidiana.

Infelizmente, existe um equívoco por parte de muita gente ao pensar que você ficar calado em determinadas situações é uma covardia, insegurança, é falta de posicionamento, mas venho com esse texto lhe dizer que depende do ponto de vista.

Compartilho abaixo o ponto de vista de um grande iluminado que viveu entre nós no século XX, o mestre Paramahansa Yogananda. Você vai entender que é possível ficar em silêncio com bastante firmeza e autoconfiança. Leia suas palavras com bastante atenção…

************

“Em suas tentativas de conviver bem com os outros, não seja um capacho, senão todos vão querer mandar em você. Quando eles não conseguem dominá-lo, ficam zangados; e se você faz o que querem, passa a ser um fraco, sem força moral. Então, como se comportar? Quando encontrar resistência a seus ideais, a melhor coisa a fazer é ficar calado porém firme. Não diga nada. Talvez você receba golpes e mais golpes verbais, mas não aceite a provocação. Recuse a briga. Com o tempo as pessoas entenderão que você não quer irritá-las mas que ao mesmo tempo tem boas razões para não querer fazer o que lhe pedem.

Se os outros se descontrolarem, vá para longe até que se acalmem. Se vocês puderem se reunir e conversar sobre o problema, será maravilhoso. A comunicação é vital. Mas se a pessoa só quiser brigar, diga simplesmente: ‘Vou caminhar um pouco’. Depois volte e se prepare para conversar. Mas se a pessoa ainda quiser conflito, saia de novo e faça uma caminhada mais longa. Recuse-se a brigar. Se você não cooperar, ninguém conseguirá entrar em discórdia com você. Nunca ponha mais combustível na cólera dos outros. A pessoa colérica só fica satisfeita quando consegue deixar você zangado também.

Posso trabalhar com qualquer pessoa, embora prefira não estar com quem não sabe viver em harmonia. Se alguém decidir que quer ganhar uma discussão, conceda-lhe a vitória – é uma vitória oca. Não discuta. Os grandes homens raramente discutem; eles sorriem e dizem: ‘Acho que não é bem assim’, mas não brigam.”

Paramahansa Yogananda

*************

Um dos pontos fundamentais a ser analisado nas suas palavras é sobre a postura irascível, imperiosa, arrogante, belicosa, que muitas pessoas tem ao se dirigir aos outros.

Não adianta bater de frente com quem tem esse tipo de postura, porque o resultado final será apenas desgaste para ambos os lados!

Ele explica com muita clareza e simplicidade que se alguém estiver disposto a brigar, a discutir, a querer ser a “dona da verdade”, você pode sair e fazer uma caminhada para tentar dialogar depois. Não é incrível?

Quando estamos com muita raiva, tendemos naturalmente a falar de forma agressiva e com palavras mordazes, que podem e sempre fazem mal a quem ouve. Isso pode ser evitado se você não alimenta essa energia, entende? É algo simples, mas depende de uma atitude de consciência!

O mais legal dessas palavras do Yogananda é que se você de fato exercitar isso constantemente, as pessoas vão literalmente “cansar” de tentar tirar você do sério, porque elas perceberão pela sua própria energia que isso não será possível, então, pouco a pouco você passa a atrair cada vez mais pessoas que vibram paz, amor, benquerença, união etc.

Esse é um processo natural que ocorre porque você alimentou e fez crescer essa energia boa dentro de você!

Nessas poucas palavras o Yogananda está ensinando a sabedoria do silêncio juntamente com a sabedoria da verdadeira autoconfiança, que não precisa nunca de discussões com ninguém, apenas a sua presença é o suficiente para que as pessoas percebam que se trata de alguém que tem autoconfiança!

Eu tenho exercitado amplamente o que o Yogananda ensina nessas palavras, e tenho obtido grandes progressos. Cada vez mais atraio pessoas maravilhosas para a minha vida e quando alguém tenta “bater boca” comigo, eu as deixo falando sozinhas e vou caminhar, ou simplesmente me afasto delas, porque certamente se trata de um convívio que poderia se tornar difícil, não porque eu queira, mas porque a outra pessoa tem um falso sentimento de superioridade.

Isso pode ajudar a entender as palavras finais dele, nas quais ele diz que opta por estar com quem tem harmonia. É bem por aí, se a outra pessoa está em desarmonia e não tem a menor vontade de mudar isso, devo respeitar seu livre arbítrio mantendo uma distância saudável dela!

Há muito mais a ser refletido e aprofundado com essas palavras do Yogananda, mas deixo as reflexões com você e deixo também um breve áudio que gravei inspirado nessas palavras dele. Confira…

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Meditação é a ação de estar no meio

Por Isaias Costa

maxresdefault

A meditação tem se tornado cada vez mais popular. Uma prática que sempre foi mais forte no Oriente, mas que hoje em dia está se disseminando e aprofundando também no Ocidente, o que considero bastante positivo.

Exitem muitos livros, mestres e escolas que ensinam diversas técnicas e formas de meditar, mas nesse breve texto, quero lhe levar a refletir sobre um dos pontos que considero mais importantes na meditação, que é a possibilidade de ela nos tornar mais autocentrados.

A palavra meditação é lindíssima! Ela possui diversos significados, mas o que eu mais gosto é esse:

MEDITAÇÃO = MEIO + AÇÃO = ação de estar no meio, no equilíbrio.

Ou seja, todo aquele que medita está buscando o caminho perfeito, que é o caminho do meio, tão ensinado pelo mestre Buda e posteriormente por Jesus Cristo.

O caminho do meio é algo para ser trilhado e buscado durante a vida inteira, é algo de fato desafiador.

Em muitos momentos temos a tendência de irmos para os extremos e a meditação nos ajuda a voltarmos para o meio, para o nosso centro, para o chamado “autocentramento”.

Ou seja, o caminho do meio é como se costuma dizer: “Nem 8 nem 80”, ou “Nem tanto ao céu nem tanto à terra”. 

É conseguir fazer um balanço entre o nosso lado material e o lado espiritual, sem dar mais ênfase a um do que a outro.

A meditação, a meu ver, é o caminho mais rápido para se atingir esse equilíbrio. E a partir desse equilíbrio, toda a nossa vida passa a ter uma dinâmica diferente, uma energia diferente, na qual prevalece a serenidade.

Com a serenidade tudo se torna melhor e conseguimos realizar mais coisas, tendo mais satisfação e até mesmo melhorando a nossa saúde.

Se você observar bem! Ao procurar a meditação como esse caminho para o equilíbrio, é natural que pouco a pouco todos os setores da sua vida vão se equilibrando, um por um. Não é fantástico? E ao mesmo tempo que é fantástico, é simples também! Basta que você se disponha a todo dia, por pelo menos alguns minutinhos, silenciar e serenizar a mente, procurar um local reservado onde esteja só você, sem interferências externas e onde você se sinta confortável.

A partir daí você procura exercitar uma respiração lenta e consciente, focando toda a sua energia no momento presente. Faça isso todos os dias e em pouco tempo perceberá os benefícios na sua vida diária, é algo impressionante!

Quanto mais autocentrado(a) você estiver, mais perceberá o quanto vale a pena o caminho do meio, o quanto é maravilhoso jogar fora tantas tensões que só nos afastam de quem nós somos e de ter uma vida feliz.

Há muito mais a ser falado e aprofundado sobre isso, mas deixarei as reflexões com você agora, e claro, o incentivo para que você não fique só na teoria, porque afinal de contas. Meditação não é teoria! Veja só! Existe AÇÃO na sua estrutura. Então aja! Dê o primeiro passo e sinta os benefícios dessa prática milenar maravilhosa.

Lembre-se sempre: meditação é a ação de estar no meio, e o caminho do meio é o caminho perfeito…

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Tudo na nossa vida funciona na base do oferecimento

Por Isaias Costa

gentileza-1

Ontem, dia 22/11/2016, assisti a uma palestra simplesmente magnífica que me deixou emocionado de tão profunda que foi. Era uma palestra com o tema da AUTONOMIA EMOCIONAL, ministrada em forma de hangout pelo João Vale Neto, membro do site “O Lugar”, que acompanho sempre.

A palestra inteira é importantíssima e cada minuto dela é uma preciosidade, mas farei uma breve reflexão a partir de um pequeno trecho dela que transcrevi aqui embaixo. Confira!

*************

“Existe a possibilidade de desenvolver uma mente de doação, uma mente que transborda, uma mente que é pedagógica, que está interessada em ajudar os outros a transbordarem. Uma mente que não está segurando, mas oferecendo.

Tudo na nossa vida funciona na base do oferecimento. Tudo. Os elementos: água, terra, fogo, ar… são puro oferecimento. A gente só respira por oferecimento da vida. A dependência é alienígena, não é natural.

Quanto mais eu ofereço sem esperar nada em troca, quanto mais eu desejo que essa pessoa seja feliz de verdade, melhor eu me sinto. Agora, se eu esperar qualquer coisa da pessoa, o primeiro ganchinho surge.”

João Vale Neto

*************

Ele comenta nessa palestra que o mundo está extremamente carente de pessoas que se doem, que façam sem esperar nada em troca, que curem, que semeiem o bem simplesmente porque têm tanto que não conseguem reter para si entende?

Até já escrevi em outros textos que não consigo guardar tudo o que venho aprendendo e recebendo da vida só comigo, seria de um egoísmo e egocentrismo sem medidas! Eu preciso mesmo compartilhar, e percebo que quanto mais eu compartilho meus conhecimentos e vivências por aqui, mais minha vida tem se tornado feliz e próspera!

Essa autonomia que o João nos fala é ter esse desejo genuíno de que os outros sejam felizes, e isso só pode acontecer com esse espírito de doação. Como eu posso contribuir para que os outros sejam felizes se só consigo olhar para meu próprio umbigo? Como posso fazer outras pessoas felizes se eu mesmo não sou feliz?

Como diria o Mario Sergio Cortella: “Uma vida se torna pequena quando ela é fechada em si. Por isso é preciso transbordar, ou seja, sair da minha borda, se quero ter uma vida que seja importante…”.

O João fala muito bem nessa palestra que ao nos doarmos de coração nos tornamos importantes para alguém e podemos contribuir para fazer desse mundo um lugar mais feliz.

Uma das ideias que mais me impactou foi quando ele disse que todos nós temos algo para doar, TODOS NÓS. E quanto mais fazemos isso de forma genuína, sem esperar nada em troca, mais fluímos com a vida, mais equilibrados e felizes nos tornamos.

A natureza está aí com seus elementais para nos provar isso.

Respiramos todos os mesmo ar.

Dividimos todos a mesma água.

Repartimos a mesma Terra.

O fogo que ilumina nossa vida e aquece o nosso corpo é o mesmo para todos os seres…

Portanto! Através dessas poucas palavras, reflita sobre a possibilidade de você compartilhar um pouquinho de você para o mundo!

Acredite! Você tem SIM algo de especial e maravilhoso dentro de você que pode ser compartilhado para o bem do maior número de seres. É dessa forma que vamos construindo e germinando essa corrente do bem e construindo uma sociedade nova com seres humanos novos!

E para continuarmos juntos refletindo sobre esse tema tão lindo e tão importante, compartilho a palestra na íntegra do meu amigo João Neto. Será uma hora muito bem investida do seu tempo, garanto que sim!

Paz e luz…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Desperte a criança no seu adulto

Por Isaias Costa

importancia-dos-pais

O estudo da Psicologia e da Psicanálise são ferramentas incríveis para que nós possamos educar os nossos filhos ou os professores eduquem seus alunos com muito mais sabedoria e discernimento.

Em uma aula no curso que estou fazendo nesse momento, um dos professores disse uma frase que me fez refletir bastante e compartilho com vocês para uma breve reflexão. Diz o seguinte:

“Para você despertar o adulto na sua criança, você tem que despertar a criança no seu adulto.”

Darlan Lima

Frase pequena, mas de mensagem forte e inspiradora!

É muito interessante a sua mensagem porque os adultos e as crianças vivem em universos absolutamente diferentes, mas que precisam se encontrar e ter harmonia.

A criança enxerga o mundo mais a partir do SENTIMENTO. Ela ainda não tem o EGO desenvolvido e forte. Daí a sua inocência. A malícia dos adultos está justamente porque eles são mais dominados pelo ego.

O adulto enxerga o mundo mais a partir do PENSAMENTO, pois o seu lado ID (instintual) foi controlado pelo EGO e pelo SUPEREGO, que vão se solidificando à medida que envelhecemos.

Basicamente é assim que acontece, a criança é mais instintiva, ela está conhecendo o mundo e ainda está aprendendo a ter suas primeiras impressões na vida. Porém, o adulto já passou por uma série de experiências e aprendeu a distinguir muita coisa, o bom do ruim, o certo do errado, o melhor do pior e por aí vai.

Na linguagem psicanalítica, essa distinção tem a ver com nossas LEIS, e essas leis é o nosso SUPEREGO, que é extremamente frágil nas crianças, entende?

Portanto! Com essa breve teorização, agora você está entendendo melhor essa frase inicial não é mesmo?

A criança aprende através do EXEMPLO dos pais muito mais do que com suas palavras. Nunca esqueça, elas funcionam a partir do sentimento e não dos pensamentos, porque o ego delas tem dificuldade de processar as informações como nós adultos!

Então, não são elas que tem que ser diferentes, somos nós que precisamos ENTRAR NO UNIVERSO DELAS.

Nós precisamos aprender a ser mais guiados pelo sentimento, aprender a equilibrar mais a razão com a emoção.

Você entende agora por que as crianças pequenas são tão apegadas à mãe, de um modo geral? Porque as mulheres normalmente são mais sentimentais do que os homens.

E você percebe o quanto as crianças começam a se identificar mais com o pai quando vão adentrando na adolescência? Por quê? Porque nesse período os adolescentes estão desenvolvendo o lado mais racional, predominante nos homens.

O que existe é a chamada PROJEÇÃO DE PERSONALIDADE. Que pela Psicologia, de 0 a 7 anos, a criança absorve mais o que aprende da mãe, e de 7 a 14 anos absorve mais o que aprende do pai.

Por isso que é tão importante ter uma figura masculina na educação. Muitos distúrbios, transtornos, medos, fobias etc. surgem porque a criança não teve a figura do pai muito presente, e ele é fundamental para que ela possa crescer e se tornar de fato adulta.

Interessante essas teorias, não é mesmo? Mas eu espero que você não leia esse texto apenas para adquirir conhecimentos técnicos. Eu desejo que você de fato busque despertar a sua criança interna. Como Isaias? Oras! Autoconhecimento! Quanto mais você se conhece, mais essa criança interna irá desabrochar.

Se você está lendo esse texto mostra que você busca esse autoconhecimento. Continue se aprimorando, que você e todos os seus filhos vão agradecer por isso! Ah, e a sociedade também, por tabela, afinal, você vai se tornar alguém melhor com o autoconhecimento, logo a sociedade vai melhorar com a sua melhora!

E para continuar refletindo sobre esse tema incrível, sugiro que você assista ao lindo documentário “O começo da vida”, que fala sobre a beleza de ser pai e mãe e saber do papel fundamental na construção do caráter e da personalidade dos pequenos.

451869

É um filme emocionante que mostra a realidade do Brasil e de vários outros países. Aprendi muito com ele e acredito que você também vai aprender muito ao assisti-lo…

“Para você despertar o adulto na sua criança, você tem que despertar a criança no seu adulto.”

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Devorei concreto e asfalto

Por Isaias Costa

guardachuva

Existe uma música da banda Engenheiros do Hawaii com a letra bem curtinha, mas o seu ensinamento é muito difícil de compreender. Somente depois de ter amadurecido e vivenciado uma série de coisas foi que consegui ligar os pontos e entender a verdadeira mensagem do Humberto Gessinger ao compô-la. Trata-se da música “Concreto e asfalto”, cuja letra com o vídeo seguem abaixo…

Concreto e asfalto – Humberto Gessinger

Se eu fosse embora agora
Será que você entenderia
Que há um tempo certo para tudo
Cedo ou tarde chega o dia

Se eu fosse sem dizer palavras
Será que você escutaria
O silêncio lhe dizendo
Que a culpa não foi sua

É que eu nasci com o pé na estrada
Com a cabeça lá na lua

Não vou ficar…
Não vou ficar…

Fiz bandeira desses trapos
Devorei concreto e asfalto
Fiz bandeira desses trapos
Devorei concreto e asfalto

Tenho feito meu caminho
Volta e meia fico só
Reconheço meus defeitos
E o efeito dominó

Mas se eu ficasse do teu lado
De nada adiantaria…
Se eu fosse um cara diferente…
Sabe lá como eu seria…

Não vou ficar… Não vou ficar…
Fiz bandeira desses trapos
Devorei concreto e asfalto

Fiz meu caminho…
Devorei concreto e asfalto

********

Tenho certeza que esse texto vai confortar o coração de muitos dos leitores, pois a mensagem da música é vivenciada todos os dias por milhares de pessoas.

A primeira parte da música diz:

Se eu fosse embora agora
Será que você entenderia
Que há um tempo certo para tudo
Cedo ou tarde chega o dia

Se eu fosse sem dizer palavras
Será que você escutaria
O silêncio lhe dizendo
Que a culpa não foi sua

 

Aqui ele quer dizer que o crescimento em consciência e a maturidade chegam para cada pessoa em um tempo específico, e nada nem ninguém poderão empurrar goela abaixo essa consciência. JAMAIS. Ela vem pelo desejo da própria pessoa, e não por uma imposição…

Cedo ou tarde chega o dia quer dizer isso, COMPREENSÃO. Essa é uma das palavras mais terapêuticas que existe nesse planeta!

Provavelmente essa música fala sobre uma experiência amorosa do Gessinger, que sendo um poeta muito romântico e amoroso, nasceu com o pé na estrada e a cabeça na lua. E por causa dessa sua natureza filosófica acabou tendo dificuldade de ser compreendido pela pessoa que ele amou certo tempo.

Ele estava olhando para a lua enquanto a pessoa que estava do seu lado estava olhando no máximo para a luz do prédio mais alto da cidade, entende? Eles não estavam vivendo em harmonia, o amor entre eles não estava sendo uma troca justa e honesta.

Na segunda estrofe ele diz algo incrível! “Se eu fosse sem dizer palavras, será que você escutaria o silêncio lhe dizendo que a culpa não foi sua”.

Ele quis dizer que foi embora no sentido de terminar o relacionamento, mas não foi culpa de ninguém, nem dele e nem dela, na realidade não existiu culpa nenhuma, foi apenas o fim de uma experiência a dois que valeu a pena. Esse “será” que ele coloca é uma esperança de que a mulher tenha entendido que não foi causadora do fim deste relacionamento!

Na segunda parte da música ele diz:

Tenho feito meu caminho
Volta e meia fico só
Reconheço meus defeitos
E o efeito dominó

Mas se eu ficasse do teu lado
De nada adiantaria…
Se eu fosse um cara diferente…
Sabe lá como eu seria…

 

Essa é a parte mais profunda da música. Ele revela que terminou seu relacionamento porque houve essa incompatibilidade de ideais de vida. Ele reconhece que falhou em diversos pontos e todas as consequências geradas por esses erros são comparados a um efeito dominó, no qual uma coisa leva para muitas outras.

Então ele continua dizendo que se fosse diferente, certamente seria alguém sem uma identidade própria, e não haveria qualquer espécie de crescimento mútuo caso ele ficasse ao lado da outra pessoa.

Daí, essas mensagem se ligam perfeitamente com o refrão:

Não vou ficar… Não vou ficar…
Fiz bandeira desses trapos
Devorei concreto e asfalto

 

Ou seja, ele fez uma espécie de autoanálise. Recolheu os pedaços de tudo o que foi bonito e verdadeiro deste relacionamento e fez uma bela bandeira representando esse amor. E devorou concreto e asfalto, como forma de dizer que decidiu seguir a sua vida a partir do seu coração.

Enfim. A mensagem principal dessa música pode ser resumida nesta frase que li recentemente e tocou o fundo da minha alma.

“Às vezes é necessário manter-se afastado por um tempo, para não machucar as pessoas por causa das nossas mudanças internas. Não é justo cobrar delas coisas que não podem nos dar. Muito menos sufocá-las com coisas que só nós sentimos”.

Se você se identificou com essas palavras é porque certamente já viveu algo parecido ou sente que ainda vai viver. Não se preocupe! Respire fundo e siga sempre o seu coração. Como sempre digo por aqui, só ele sabe o que é o melhor para cada um de nós

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

A lição dos girassóis

Por Isaias Costa

girassol

Há poucos dias assisti a uma palestra sobre motivação e liderança com o Dr. Jamiro Wanderley e em determinado momento ele falou uma coisa que não sabia e que vou compartilhar com você hoje.

Ele falou a respeito da natureza dos girassóis. Como o próprio nome diz, eles giram de acordo com a inclinação do sol, em outras palavras, eles “perseguem a luz”.

Provavelmente essa parte você sabia, mas tem outra que talvez não!

Você já se fez essa perguntinha? E nos dias nublados e chuvosos, quando o sol fica totalmente encoberto pelas nuvens, o que acontece?

Interessante essa pergunta, não é? Talvez você tenha pensado que a flor de girassol fica murchinha e olhando para baixo. Acertei? Pois é, está errado! Sabe o que acontece? Elas se voltam umas para as outras para dividirem entre si as suas energias.

Eu fiquei impressionado com a perfeição da natureza e levei essa reflexão para a nossa vida.

Todos nós queremos essa luz, buscamos essa luz de diversas maneiras: na família, nos amigos, na religião, no trabalho e por aí vai. Mas sempre acontecem os dias nublados, os dias de tristeza, não tem como fugir deles. Nessa hora, a maioria das pessoas fica acabrunhada, de cabeça baixa e as mais fragilizadas às vezes chegam até a ficarem deprimidas.

A natureza tem tanto a nos ensinar! Que tal fazer como os lindos girassóis? Na hora da dor, do desespero, da angústia, porque não olhar para dentro de si mesmo com total sinceridade e saber que lá dentro também existe uma luz, e essa luz pode ser compartilhada com quem amamos?

Sentimentos difíceis e dolorosos que são reprimidos acabam mais cedo ou mais tarde se transformando em uma doença, você quer esperar que um doença lhe acometa para só então se abrir para os outros? Não queira tornar as coisas mais difíceis! Veja os girassóis! Eles não ficam pensando: “O sol se escondeu, então eu vou ficar aqui triste, de cabeça baixa, esperando que ele volte…”. Nada disso! Na mesma hora eles acionam sua luz interna e compartilham com os outros…

Portanto! Que hoje você se encante com a beleza perfeita da natureza, que em sua simplicidade, nos dá uma verdadeira aula de como viver melhor e com mais harmonia.

Se quiser também assistir a esse vídeo do Dr. Jamiro, recomendo fortemente, é muito bacana o que ele fala ao longo da palestra.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Não tenha dúvidas nem demais nem de menos

Por Isaias Costa

dúvidas

Eu tenho buscado cada vez mais atingir o equilíbrio nas coisas que faço, o que é um exercício bastante exigente e requer a busca constante e incessante pelo autoconhecimento.

Estava refletindo sobre a DÚVIDA e quero compartilhar com você uma visão bem interessante sobre o CAMINHO DO MEIO, ou seja, o ideal é que não tenhamos dúvidas nem demais e nem de menos. Vou explicar.

Se você foi uma pessoa que tem dúvidas demais, vai acabar sendo excluída do convívio com as pessoas, vai acontecer com você aquela palavra esquisita que quase ninguém sabe o significado, ostracismo.

Uma pessoa que duvida de tudo é alguém que não tem muita segurança. A dúvida até certo ponto é boa, denota sabedoria e discernimento, porém, quando ela se torna exagerada leva a pessoa a ficar travada e não fazer nada com consistência, entende?

Como é que eu posso fazer um bom trabalho, seja ele em que área for, se for tomado por uma dúvida imensa? Não vai funcionar, concorda? Eu vou ficar pensando no futuro: “E se?”, “Será?”… ou no passado: “Alguém já fez isso antes?”, “Eu me preparei bem para isso?”, “Tenho conhecimento suficiente?”…

A dúvida na medida certa faz você pensar no leque de possibilidades que tem e acabar escolhendo aquilo que será melhor, que dará menos trabalho e que beneficiará o maior número de pessoas. Esse é o ponto ideal, o ponto de equilíbrio, o caminho do meio, que só se atinge com bastante determinação…

O outro extremo são as pessoas que praticamente não duvidam de nada. Essas são aquelas pessoas cheias de certezas, com suas verdades absolutas. Quem me lê frequentemente já deve ter percebido que sou bem diferente disso. Uma das minhas maiores referências é o grande Raul Seixas: “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo…”.

As pessoas que não tem dúvida de nada são as chamadas TEIMOSAS. Você conhece alguém assim? Eu conheço muitas! A teimosia só leva a pessoa a ter desgastes nos relacionamentos, a perder oportunidades de emprego, a não ser vista pelas pessoas como alguém confiável, a ter uma saúde física comprometida etc. Enfim, a teimosia é uma coisa séria e que precisa ser muito bem analisada e trabalhada para que a pessoa tenha mais equilíbrio na vida.

E você? Como está nessa balança? Está no grupo dos indecisos, que ficam adiando tudo para amanhã? Está no grupo dos teimosos, que acham que já sabem de tudo e fazem tudo da melhor maneira possível? Ou está buscando a sabedoria, para ficar no caminho do meio?

Eu estou buscando o caminho do meio e esse pequeno texto é apenas para lhe instigar a buscar isso também!

Boas reflexões…

* Sugestão de leitura

A arte da dúvida

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O medo tem alguma utilidade, mas a covardia não

Por Isaias Costa

Covardia

Outro dia eu li uma pequena frase do pacifista Mahatma Gandhi e que me fez refletir bastante: “O medo tem alguma utilidade, mas a covardia não.”

São apenas 9 palavras, mas de uma riqueza indescritível. Ele tinha muita autoridade para falar sobre a diferença entre medo e covardia, aliás, é interessante aqui frisar que o medo dosado é sim muito importante, porque ele surgiu na nossa vida como um mecanismo de defesa contra possíveis predadores, ou seja, nos primórdios da humanidade, o homem desenvolveu medos importantes como o do barulho intenso por exemplo, interessante não é?

O Gandhi era um homem que de fato aplicava na vida o conceito primordial de coragem, que significa “viver com o coração”. E uma pessoa se torna verdadeiramente corajosa quando ela vive a partir do seu coração e age APESAR DO MEDO.

Nunca esqueça isso: “A coragem não é a ausência do medo, é agir apesar do medo”. Essa frase nem coloco a autoria porque já li de dezenas de pessoas. Não sei quem a criou, mas ela é muito verdadeira e útil.

Pense comigo! Se você está com medo, mas age apesar do medo, isso é prova clara de que você está seguindo o seu coração, o caminho do coração.

Dentro de nós existe o tempo todo um conflito entre RAZÃO e EMOÇÃO. Quando somos dominados só pela razão, pensamos ser pequenos demais ou grandes demais, surge um extremo que não dosa todas as possibilidades de uma determinada escolha.

Quando somos dominados pela emoção, é muito comum nos paralisarmos, ficarmos nos sentindo impotentes e nos vitimizarmos.

Mais uma vez volto aqui a falar sobre a importância de se buscar o caminho do meio, o equilíbrio.

Para termos coragem e seguirmos o nosso coração precisamos ter razão suficiente para agirmos de acordo com as nossas possibilidades humanas e emoção o suficiente para acreditarmos no nosso potencial interno. Percebe como esse balanço é algo incrível?

Para conseguirmos esse equilíbrio em quase tudo na vida não é nada fácil! Só mesmo com muita busca pelo autoconhecimento. Mas hoje estou incentivando você a partir destas simples palavras.

Voltando à frase do Gandhi. É interessante conhecermos a raiz da palavra COVARDIA, que vem da palavra francesa couard e significa “com a cauda abaixada”. Em outras palavras, significa aquela pessoa que está “com o rabo entre as pernas”. Está paralisada, está incapaz de fazer qualquer coisa para reverter uma determinada situação.

As pessoas covardes quase sempre são aquelas que erram e colocam a culpa por seus erros em alguém. Se erram, já vem logo com milhares de argumentos dizer que errou porque fulano fez isso ou fez aquilo outro…

Se você prestar bastante atenção ao que estou colocando e também à origem desta palavra, vai perceber que existe um ar de infantilidade em quem é covarde, concorda comigo?

Quem consegue se tornar mais maduro, uma das primeiras coisas que aprende e põe em prática na vida é assumir os erros cometidos como sendo de sua total responsabilidade.

Nossa! Quem consegue isso já está com mais de meio caminho andado para se tornar corajoso. Acredite! É verdade! Guarde essas palavras. Eu acompanho o trabalho de grandes empreendedores e também leio muito sobre a sabedoria dos grandes mestres.

Todos eles são unânimes em dizer que a responsabilidade por nossas escolhas decisões e atitudes é 100% nossa. E quanto mais cedo aprendermos isso, colocando de fato em prática, mais a nossa vida pode dar grandes saltos de qualidade.

O interessante é que essa reflexão serve para absolutamente todos os campos da vida, seja ele familiar, amizades, relacionamentos amorosos, dinheiro, trabalho, lazer, espiritualidade… Se eu assumo a responsabilidade comigo mesmo em todas as minhas atitudes, certamente deixarei de ser um covarde e passarei a ser autor da minha própria história.

O mundo já está cheio de covardes. Estou publicando esse texto para acender uma luzinha em pelo menos alguns dos que estejam lendo.

E você? Tem sido corajoso ou tem sido covarde? Está seguindo o caminho do seu coração (coragem), ou está com o rabo entre as pernas (covardia)?

Opte pela coragem, por seguir o seu coração. Desta maneira a sua vida dará uma reviravolta positiva e cada minuto da sua existência ganhará um novo significado…

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O real significado da passagem “Buscai primeiro o reino de Deus”

Por Isaias Costa

tumblr_macdw24BMd1qd9lvbo1_500

Eu sou um profundo admirador e seguidor de Jesus Cristo, porém, eu não sigo o Jesus das religiões, mas o Jesus verdadeiro que veio ao planeta Terra com uma missão divina de elevar a consciência de todos aqueles que dele se aproximassem.

Ao longo desses 2000 anos após a sua morte, boa parte dos seus ensinamentos universais foram distorcidos e uma das minhas maiores alegrias com esse blog é, através dos meus estudos das escrituras e ensinamentos dos mestres, mostrar de forma simples o real significado das palavras deste avatar.

Uma passagem que foi extremamente distorcida ao longo do tempo foi essa: “Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e tudo mais vos será acrescentado”.

=> Clique aqui para ler o texto completo

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Conselhos para ter uma morte pacificada

Por Isaias Costa

051

Falar sobre a morte quase sempre assusta as pessoas, mas eu não entendo porque temos tanto medo de uma coisa tão natural e certa na vida de qualquer ser humano. Eu aprendi a ver a morte com olhos bem mais profundos e sei que ela faz parte da vida, ela está completamente interligada com a vida e, por incrível que pareça, dá mais sentido a ela.

A certeza da morte dá sentido à vida

Hoje compartilho algumas palavras do mestre Dalai Lama dando conselhos de como ter uma morte pacificada:

“Tendo a pensar a morte como sendo uma mudança de roupas quando elas estão velhas e usadas, ao invés de um final definitivo. Ainda assim, a morte é imprevisível: não sabemos quando ou como vai acontecer. Por isso é sensato tomar certas precauções antes que ela aconteça de fato. Naturalmente, a maioria de nós gostaria de ter uma morte pacífica, mas também é claro que não podemos esperar morrer pacificamente se nossas vidas forem cheias de violência, ou se nossas mentes tiverem sempre agitadas por emoções como a raiva, o apego ou o medo. Então se desejamos morrer bem, devemos aprender como viver bem: esperando por uma morte pacífica, devemos cultivar paz em nossa mente e em nosso modo de viver”.

Eu amei estas palavras e vi o quanto elas são verdadeiras. A morte é IMPREVISÍVEL, ela pode nos pegar de surpresa, pode vir quando menos esperamos. Então, sabendo de sua imprevisibilidade, penso ser de suma importância a prática da serenidade, a busca pela verdadeira felicidade, o cuidado com a mente, com a saúde do corpo, o cultivo de amizades verdadeiras, a busca por uma espiritualidade etc. Tudo isso pode nos ajudar a ter mais HARMONIA e, consequentemente, mais saúde, equilíbrio, paz de espírito…

Estas palavras simples do Dalai Lama são postas em prática por um número muito pequeno de pessoas, o que é uma pena, pois seguir esses conselhos pode nos ajudar a ter uma qualidade de vida muito maior. É impressionante o que ele fala sobre os nossos pensamentos! Eu sempre falo que a  nossa vida é resultado dos nossos pensamentos, daquilo que nutrimos diariamente. Se nutrimos bons pensamentos, alegria, amor, compaixão etc, isso se refletirá na nossa vida como um todo, e seguindo desta forma até a velhice, certamente teremos uma morte mais pacífica.

Aquelas pessoas que passam a vida inteira guardando mágoas, raivas, rancores, ódios, acabam morrendo doentes fisicamente e cheias de arrependimentos. Elas passam meses ou mesmo anos sofrendo antes de partir. Isso é triste, mas ao mesmo tempo completamente evitável. Para evitar esse destino, basta buscar aquilo que já citei anteriormente, não é tão fácil, mais é extremamente recompensador, tanto para si, como para os outros. Eu sou bem jovem, mas desde cedo procurei nutrir bons pensamentos, amar e ser amado, construir bons relacionamentos, boas amizades etc. Tenho certeza que continuando assim por toda a vida, muito provavelmente terei uma morte pacífica…

Busque colocar em prática esses ensinamentos tão simples e ao mesmo tempo tão profundos. Seguindo tais conselhos, a nossa vida ganhará um enorme salto de qualidade e a nossa morte será uma divina passagem para o desconhecido… Pense sobre isso…

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized