A vida voa!

Por Isaias Costa

robinwilliams

Admito que fiquei bastante triste e reflexivo com a morte por suicídio do brilhante ator americano Robin Williams na segunda-feira, dia 11/08/2014. Sua morte por depressão pode ser uma grande oportunidade de nos fazer refletir sobre nossas importâncias e buscas. Sempre digo e repito que estamos neste mundo para aprender a amar, esse é o objetivo maior de todas as nossas experiências.

Escrevi um pequeno texto na minha página do facebook refletindo sobre ser famoso ou importante. Precisamos crescer em amor e consciência para que sejamos verdadeiramente importantes, para que, mesmo que venha a fama, não se esqueça que isso não preenche nossos vazios interiores. Compartilho abaixo esse texto:

ROBIN WILLIAMS (UMA BREVE REFLEXÃO…)

Já escrevi algumas vezes sobre a diferença entre ser famoso e ser importante, aprendi isso com o grande filósofo Mario Sergio Cortellla.

Ser famoso, ao contrário do que muitos pensam, não preenche nossas inúmeras lacunas e vazios existenciais. NÃO. Agora ser importante sim, quando somos importantes aprendemos a valorizar nossa existência, entendemos que algumas pessoas ou muitas precisam da nossa presença amiga.

Importar é isso, essa palavra significa “levar para dentro”. Quem é importante mora dentro do coração de todos aqueles que amam este alguém. Isso é muita responsabilidade!

Quando soube da morte do Robin Williams refleti muito sobre isso, ele era absurdamente famoso, mas sofria de depressão. Havia se separado duas vezes, não é nada fácil administrar as dores de dois casamentos rompidos.

O Robin Williams era um verdadeiro artista, ele tinha uma sensibilidade aguçadíssima, um homem com um coração bondoso, mas repleto de feridas de muitos anos.

O Robin estava cercado de pessoas e holofotes, mas certamente faltou pessoas nas quais pudesse abrir seu coração sem reservas, faltou pessoas que o vissem como simplesmente o ser humano “Robin”, menino aprendiz na vida, como todos nós.

Um grande perigo vivido por quem se torna famoso é o tratamento feito pelos outros. Vou explicar. O fato de ele ser ator de comédia fazia com que muitos ingenuamente pensassem que tudo em sua vida estava bem. Será?

Somos humanos e precisamos cada vez mais nos relacionar como aprendizes na vida. Estamos todos juntos, somos todos irmãos e estamos aqui com o mesmo objetivo, aprender a amar.

A morte do Robin deveria nos afetar sim, não para ficarmos tristes também, não é isso, mas para nos ensinar que precisamos amar mais e nos tornarmos pessoas importantes, o que é bem diferente de ser famoso.

Pense sobre isso…

****

Eu assisti ao filme “Jack” pela primeira vez ainda criança, um filme super engraçado. Lembro que chorei muito com a cena final (eu era um menino chorão!). Refletindo depois que ele morreu e já bem mais amadurecido, pensei que nesta época já existia em mim esse lado mais sensível, só não havia sido despertado.

Quero compartilhar a cena final, com o discurso de formatura do Jack, no qual ele fala com sabedoria e simplicidade sobre a importância de viver o momento presente, sem se preocupar demais com o futuro. Vivendo no presente podemos ser bem mais plenos e cada vez mais percebo isso através da minha própria vida.

Reflita sobre isso! Lembre-se que a vida passa muito depressa e precisamos dar um sentido mais profundo aos nossos dias para que no fim, quando virmos o filme dos nossos dias estejamos felizes com o que vermos. Esse é o meu desejo.

Que o espírito deste homem tão humano e sensível esteja em uma dimensão de amor e que sua linda obra deixada para todos ainda seja apreciada por milhões de pessoas…

“Eu não tenho muito tempo, então eu serei breve, como a minha vida.

Ao chegarmos ao fim desta fase da nossa vida, nós tentamos lembrar dos bons momentos e esquecer os momentos ruins. E pensamos no futuro. E nos preocupamos, pensando: “O que eu vou fazer? Onde eu estarei em 10 anos?”

Mas eu digo: “Olhem para mim! Por favor! Não se preocupem tanto! Porque no fim, nenhum de nós tem muito tempo nesta terra!”

E a vida voa! E se estiverem aflitos, levantem os olhos pro céu e verão, quando as estrelas se espalham pelo céu de veludo e quando uma estrela cadente riscar a escuridão, transformando a noite em dia, façam um pedido! E pensem!

Tornem suas vidas espetaculares! Eu sei que consegui! Eu consegui mãe! Já sou adulto! Obrigado!…

  • Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]
Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “A vida voa!

  1. Cleusa da Costa Teixeira

    Brilhante sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s