O “start” consciencial

Por Isaias Costa
5086312_m
Eu sou apaixonado pelo estudo da mente humana e já me deparei com as teorias e conceitos de diversos pesquisadores. Outro dia estava refletindo bastante sobre os nossos saltos de consciência, que quando acontecem, ampliam a nossa visão de mundo. Nesse pequeno texto vou viajar pelos pensamentos e alguns pensadores. Vamos viajar?

Esse título do texto é apenas um dos milhares de nomes que podemos dar para os nossos saltos de consciência, “start” consciencial. Existem muitos outros como “virada de mesa” ou mesmo “insight”.

O mais interessante de tudo é que esses insight acontecem de forma diferente e num tempo diferente para cada pessoa. Como estudo Psicanálise, hoje tenho bem mais consciência de que esses insights dependem de uma série de fatores para acontecer. Vou resumi-los para que você entenda de maneira simples e objetiva.

Nós temos o consciente, o subconsciente e o inconsciente. O inconsciente preenche em torno de 90 a 95% da nossa psique, ele registra tudo que nos acontece desde a nossa concepção no útero materno até o dia da nossa partida, isso desconsiderando as teorias de regressão à outras vidas, que complexifica ainda mais tudo isso.

Para que elevemos a nossa consciência, é preciso que conteúdos do inconsciente sejam de certa forma levados para o subconsciente, para então se tornarem conscientes. Portanto, todo processo terapêutico tem essa finalidade, fazer com que a pessoa mude chaves do seu SUBCONSCIENTE. Tudo começa daí!

As mudanças só se tornam efetivas e verdadeiras quando essas chaves do subconsciente se tornam conscientes e a pessoa não tem mais qualquer tipo de sofrimentos, dores, amarguras emocionais envolvidas com algo específico. Esse processo recebe o nome de “start” consciencial, elevação da consciência, “insight“, e por aí vai!

Eu acho interessante o fato de que para algumas pessoas, adquirir consciência é mais fácil e rápido do que para outras, e cada vez mais eu vejo isso. Aqui colocarei duas visões bem diferentes, mas bastante enfáticas e reflexivas. Uma delas é a do Budismo, que tomei conhecimento através da querida Monja Coen. Ela conta que existe uma parábola oriental que fala sobre os 4 cavalos, o 1º se movimenta apenas vendo a sombra do chicote, o 2º quando recebe uma leve chicotada, o 3º quando a chicotada machuca a pele, e o 4º apenas quando a carne é rasgada e atinge os ossos.

O 1º seriam as pessoas mais sábias, que aprendem apenas com observação do comportamento dos outros e distinguem o certo do errado, o bom do ruim. O 2º são as pessoas que se esforçam para serem melhores e estudam, se dedicam para isso, mas dão uns “vacilos” aqui e ali! O 3º são os “teimosinhos” de plantão, que precisam levar umas chibatadas da vida, e o 4º são as pessoas que gostam de sofrer e se alimentam do sofrimento a vida inteira. Não há nada de errado em ser qualquer um dos 4 cavalos, mas o ideal é que consigamos crescer em consciência para não sermos o 4º cavalo, como tanta gente infelizmente acaba optando por ser, não é mesmo?

E você, seria qual dos 4 cavalos? Faça essa breve reflexão hoje!

O “start” consciencial nesse caso, seriam as chicotadas e através delas o caminhar entende? No fim, todos caminham e evoluem, uns mais rápido e outros mais devagar.

Outra visão muito bonita é a do pai da Psicanálise “Sigmund Freud”. Ele tem uma teoria chamada “Compulsão à repetição”, que nos seus livros é colocado com linguagem rebuscada e científica. Vou explicar de modo bem simples para você. Veja só!

A compulsão à repetição são comportamentos autodestrutivos que se repetem de forma inconsciente, porque a pessoa se prende aos ganhos secundários de determinada atitude. O sofrimento se repete e a pessoa entra num círculo vicioso por causa disso. Nessa teoria pode-se colocar praticamente todos os vícios e seus gatilhos.

Vou deixar apenas um exemplo e sugerir um filme que exemplifica bem isso. Uma mulher conhece um homem, se apaixona e acaba transando com ele na primeira noite, no dia seguinte o rapaz não quer mais saber dela e já está interessado em outra mulher. Ela sofre demais com isso e se amargura com esse sentimento. Porém, quando menos espera já está fazendo a mesma coisa com outro homem e tudo se repete. Esse é um caso clássico de compulsão à repetição.

Existe um gatilho para que essa situação se repita: conhecer um homem, se apaixonar e transar com ele na primeira noite.

Uma forma simples de mudar esse padrão seria não transar com o homem na primeira noite, pois assim ela seria vista como uma mulher qua não se entrega tão facilmente assim aos encantos e conquistas de um homem. Ela mudou o gatilho e dessa forma mudou seu destino, entende? A compulsão acaba com essa mudança consciente! De forma semelhante se dá o vício em comer demais, em fumar, em beber e por aí vai! É simples não é? Essas são as teorias freudianas em linguagem leiga.

Nesse caso o “start” consciencial se deu com a mudança dos gatilhos emocionais! E assim houve uma mudança de comportamento.

OK! O nome do filme que traz esse exemplo que eu dei se chama “Os homens são de Marte e é pra lá que eu vou”. Uma comédia romântica muito legal. Recomendo fortemente que você assista!

O mais legal é quando nós tomamos consciência dos nossos processos internos, sabe? É aquela hora que a gente diz com vontade!:” Ahhhhhhhhhh! Agora eu entendi…”. E abre aquele sorriso! rsrsrs

O que faço com meus textos é isso. Trago informações preciosas que ajudam nessas mudanças de chave do SUBCONSCIENTE. E quando cada pessoa está no momento certo de ler e aprender ela fala essa frase incrível aqui em cima. Não é bacana? Esse é o “start” consciencial!

Que você tenha milhares de “starts” ao longo da sua vida e se de alguma forma eu contribuir com isso, maravilha. Fico feliz com isso!

Muito sucesso na sua vida…

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s