A relação entre amor, ódio e indiferença

Por Isaias Costa

O amor é um tema fascinante, porém, ele é o apenas um lado da moeda, existe uma tênue linha que separa o amor do ódio e da indiferença, e é sobre isso que quero falar um pouco hoje.

É impressionante notarmos que existem muitas relações interpessoais carregadas de ódio. Mas quando paramos para analisar muitas dessas relações, vemos que um dia houve amor e num outro dia passou a existir ódio. Vou dar um exemplo. Um casal se ama, mas vive aquele amor sufocante, grudado, ciumento, dependente, possessivo. De repente, acontece alguma coisa que faz com que os dois se separem. Não é raro acontecer em casos como esse de um dos dois transformar todo o amor que sentia em ódio, porque ela não consegue admitir que o amor acabou. Não consegue administrar os próprios sentimentos e transfere toda a sua insatisfação em forma de ódio para a outra pessoa.

Esse cenário descrito aqui em cima infelizmente é bastante comum, principalmente nos dias de hoje. É até difícil de afirmar se em um relacionamento existe amor de verdade, porque são tantas as pessoais instáveis, que mudam do dia para a noite todo o sentimento nutrido pela pessoa. É por isso que eu digo que a relação entre amor e ódio é muito mais próxima do que se pode imaginar.

Só por curiosidade! No cérebro, a mesma região do amor também é a do ódio. A diferença está nas ações, no ódio a pessoa tem mais capacidade de planejar ações, o que pode ser ruim, pois estas ações podem ser vingativas ou até pior do que isso. Depois de muito tempo eu comecei a entender um pouco como diminuir esse sentimento chamado ódio.

Sabe como é? É você procurar não ver apenas o lado negativo de alguém. Todos nós temos qualidades e defeitos, mas se você se focar só nos defeitos, o que vai acontecer? Simples. Não vai mais existir encantamento pela pessoa, e logicamente, você vai escancarar as portas do seu coração e da sua mente para instalar o ódio. Fica a dica para todos…

download

Outro sentimento que também tem muita proximidade com o amor e o ódio é a indiferença. O que é a indiferença? É um sentimento terrível, em alguns casos eu digo que chega a ser até pior do que o ódio. Pode ser pior do que o ódio porque a indiferença envolve frieza nas pessoas, o que é algo devastador. Vou citar dois exemplos para mostrar o quanto a indiferença é ruim, um exemplo pessoal e outro mais geral.

Quando eu cursava Física, minha orientadora de iniciação científica era uma pessoa muito extrovertida, comunicativa e extremamente respeitada, mas ela nutria uma relação de indiferença comigo, não sei dizer o porquê mas ela nutria. O que aconteceu é que ela me orientou por um bom tempo, mas eu era apenas mais um aluno na sua vida, não existia nada em mim que a fizesse dar uma atenção diferenciada, ou pelo menos uma atenção estimulante. Vou confessar que isso era horrível, eu não suportava viver daquele jeito, fazia tudo que era para ser feito, era interessado no trabalho, mas de nada valia para minha orientadora.

Chegando ao fim do curso, para ficar bem clara a sua indiferença por mim, não importava, se eu quisesse fazer mestrado na Física, beleza. Se eu quisesse fazer mestrado em outro departamento, beleza do mesmo jeito. Se eu não quisesse fazer mais nada da minha vida, beleza do mesmo jeito. Entendem o que estou querendo dizer! Para ela, simplesmente não importava em nada o que seria do meu futuro. Então eu fiz o que um ser humano com noção faria, “pulei fora”. Eu tenho respeito próprio, não vou trabalhar em um lugar onde sou apenas uma sombra. Vou trabalhar em um lugar que me faça bem e que existam pessoas que me apoiam. Que me ajudam a crescer e torcem pelo meu sucesso.

Outro exemplo clássico de indiferença são os muitos casais que vivem “casamentos de fachada”. O que existe na maioria desses casos é uma relação de indiferença. Duas pessoas que dividem o mesmo teto, muitas vezes até a mesma cama, mas são como estranhos no ninho. Não dialogam, não perguntam se tiveram um bom dia de trabalho, não se preocupam se estão felizes, não saem mais para passear, não tem mais carícias nem sexo, etc. Esses casamentos tendem à ruína, porque o amor, esse sentimento lindo que um dia uniu os dois, se transformou em indiferença, que é uma destruidora silenciosa de relações afetivas, vai corroendo tudo aos poucos, de um jeito muito manso, e que vai criando forma até culminar em uma separação. É uma triste realidade vivida por muitos casais. Nestes casos chega a ser pior do que o ódio. Porque é algo que vai se alastrando e vai corroendo a pessoa pouco a pouco. Pelo menos no ódio, muitos agem pelo impulso e terminam de uma vez algo que poderia levar até anos de sofrimento.

download (1)

Portanto amigos. Vamos fazer uma bela reflexão sobre a nossa vida e sobre o amor. É esta a mensagem que quero deixar, saibam que entre o amor, ódio e indiferença, não existe um abismo separando, mas apenas uma linha muito fina, que se não cuidada, pode se romper a qualquer momento.

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Anúncios

11 Comentários

Arquivado em Uncategorized

11 Respostas para “A relação entre amor, ódio e indiferença

  1. Ernane

    Adorei o texto!
    Parabéns!

  2. Carla

    Muito bom, uma bela análise, super consciente!

  3. israel

    Parabéns! Muito bom!

  4. elisa

    É horrível vivi isto muitos anos,mas agora tomei coragem e acabei a relação de 18 anos .Nada vale a pena sem amor tempo perdido.
    Indiferença inveja ciume etc

    • Fico feliz que tenha tido a coragem de romper o seu relacionamento que estava te deixando infeliz Elisa! Só acrescento uma pequena coisa. Tente tirar da mente que foi um tempo perdido! Não foi! Nesse tempo tenho absoluta certeza que você cresceu muito como ser humano e vai construir toda uma nova história de hoje em diante!
      Por aqui fico orando para que sua vida seja imensamente feliz e rica de experiências! Grande abraço!

  5. benedito

    muito bom parabéns

  6. alexandre

    Gostei muito!

  7. Li esse texto e gostei muito, estou vivendo isso, e preciso de uma ajuda específica para o meu caso, se não for incomodo me ajude por favor

    Eu namorei durante 1 ano e meio (Dezembro de 2015/Maio de 2017) com uma garota que tanto pra ela quanto pra mim, existia muito mas muito amor, e diversas vezes isso foi provado por nós dois, parecia que os nossos destinos juntos já estava selado,sem exageros, foi muito intenso mesmo e eu a amo ainda hoje,ela tem 18 anos e eu 20 anos,moramos em cidades diferentes…Porém nos dois últimos meses de namoro eu por algum motivo passei a ser abusivo com ela, quando nós discutíamos eu a xingava e desrespeitava, eu passei a achar ela menos atraente do nada..nós dois passamos a discutir umas duas vezes por semana, e pra piorar a situação a mãe dela sempre a influenciou a me deixar pois eu estava desempregado e a mãe dela por algum motivo me achava acomodado e vagabundo, sendo que a própria filha me entendia e sabia que eu sempre corria atrás de um emprego, nós dois já até saímos pela cidade em busca de algum trabalho pra mim uma vez mesmo que sem sucesso, ela me entendia e eu era muito agradecido a ela por isso,porém acabei até entrando em conflito com a mãe dela uma vez… enfim, em Maio ela me pediu um tempo e numa atitude de desespero eu não aceitei e continuei tentando manter contato com ela pois eu queria concertar as merdas que eu havia feito, pois apesar de eu ter sido abusivo, no fundo não era eu, pois ela era tudo pra mim, ela era tudo que eu sempre idealizei em uma mulher, era um sonho, no eu tentar manter contato, passaram-se duas semanas e ela terminou de vez alegando que eu não a amava e não a respeitava mais…meu mundo desabou nesse momento,eu não tava acreditando, as amigas dela me disseram que ela chorou muito no colégio nesse dia, ela estava muito abalada com a situação,passaram-se uma semana e eu fui até a casa dela tentar reverter a situação, eu chorei muito, mal conseguia falar, e ela pegou no meu rosto,falou pra eu parar de chorar e me beijou,nesse momento eu percebi que nem tudo havia terminado, eu senti o amor dela novamente, após essa conversa seguida de choro e beijo eu fui embora,porém na noite seguinte eu bebi além da conta e fui até a casa dela de noite e novamente me expressei e comecei a chorar bem no portão da casa dela, e dessa vez ela não queria sair pra conversar comigo,mas acabou saindo pois a amiga dela pediu, e novamente eu a beijei,e ela me disse pra eu ir viver a minha vida e não esperar por ela mais,que tanto eu quanto ela iríamos achar alguém melhor,quando ela me disse isso fui embora arrasado,após essa noite, eu ainda tentei conversar com ela novamente, foi aí que ela tomou uma decisão que novamente me destruiu, ela me bloqueou em todas redes sociais (instagram,facebook,whatsapp),apagou nossas conversas e fotos, desde então ela passou a me odiar e tratar como lixo, dizendo que eu fui desrespeitoso e abusivo pra todo mundo que ela conhecia,vivia me mandando indiretas no facebook mesmo comigo bloqueado,passou a me odiar muito,desde então nunca mais conversei com ela novamente (ela me entregou todos os presentes que eu dei a ela inclusive as cartas que eu a escrevi durante nosso namoro),ela ficou com um cara 3 semanas após o término, e começou a namorar com outro cara desde o fim de agosto, e com ele ainda permanece, há duas semanas perguntei por ela para o irmão del, e ele contou pra ela sobre isso, ela me desbloqueou por dois dias e me bloqueou novamente,eu não chamei ela pra conversar durante esses dois dias,nem comentei ou curti algo dela,e ela me mandou mais uma indireta nesse dia,até minha irmã viu que era pra mim,eu não há via desde Maio, até que dia 11 de Novembro agora eu fui a um evento na cidade dela,e como os amigos dela são os mesmos que os meus, eu fui obrigado a ficar cara a cara com ela, e ela claramente estava com mta raiva de mim, todos perceberam, e inclusive a amiga dela falou na cara dela que ela ainda gostava de mim pois se não gostasse me trataria com indiferença assim como você disse no texto,dava pra ver que ela se sentiu mto incomodada com a minha presença, ficou mto incomodada mesmo, ela até tentava sair de perto de onde eu estava,eu estendi a mão pra ela, e ela estendeu a mão pra mim, mas nem apertou,ai eu fui beber com uns amigos meus e me veio as lembranças dela, estavamos sentados num banco da praça e ela passou indo embora pra casa, ai eu falei “hey,vamos conversar?” e ela disse “não, eu to indo pra casa,amanhã tem enem e eu n to boa pra conversar hoje” novamente claramente nervosa e incomodada, ai ela disse aos meus amigos “eu não vou falar com ele,vocês n sabem pelo que eu passei,eu sei, eu to feliiiiiz demaaais, to muuuuito ótimaaa” e disse isso dando gargalhadas novamente com nervosismo e sinismo, todos os meus amigos disseram quando ela foi embora que repararam na falsidade das palavras, foi muito forçado,como se ela quisesse me mostrar que está ótima sem mim, mas sem estar isso tudo entende?! e eles também acham que ainda há um sentimento bom mascarado por trás da raiva, o que você tem pra me dizer, espero que possa me ajudar, muito obrigado

    • Antes de mais nada eu te agradeço por ter se abrido com alguém que você não conhece, mas que confiou por causa da verdade das palavras contidas no texto. Parabéns! Você é um rapaz corajoso. Poucos teriam essa coragem de se expor assim.
      Bem! Consegui perceber pelo seu relato que você ficou bastante carente de atenção e afeto com esse término de namoro. Ele ter sido intenso revela isso. A primeira coisa que você precisa aprender não só intelectualmente, mas acima de tudo, emocionalmente, é saber que o amor e a felicidade são coisas internas na gente, isso não vem de fora. É como a música do Lampirônicos “Pop Zen”: “Só é seu aquilo que você dá”.
      Você recebe amor na proporção que oferece esse amor e a felicidade aumenta na proporção que a felicidade interna e genuína se manifesta.
      Você precisa aprender o segredo da felicidade, ser feliz sozinho, para só depois aprender a COMPARTILHAR da sua felicidade com qualquer outra pessoa, seja ela uma namorada, um amigo, um familiar, ou mesmo alguém que você conhece no meio da rua.
      Nada disso que estou dizendo é simples de aprender, mas é possível. E uma dica maravilhosa que te dou é comprar o livro do mestre Osho chamado “Amor, liberdade e solitude”. Tu encontra esse livro em qualquer grande livraria. Ele foi um divisor de águas na minha vida. Passei a compreender o que é o verdadeiro amor com muito mais profundidade depois que li esse livro.
      Outra coisa, já mais complexa, mas vou tentar explicar. É que tanto ela quanto você está fazendo “joguinhos emocionais”, como se não fossem carentes, mas os dois são, e exatamente na mesma proporção. Provavelmente você vai achar que estou endoidando ou “Não é bem assim”, mas é! Se você buscar aceitar isso será melhor e você poderá melhorar muito rapidamente.
      Todo tipo de joguinho é manifestação do nosso EGO, que tenta a fina força se sobressair em relação à nossa essência. Ele fica quietinho na dele quando buscamos esse autoconhecimento e vamos nos melhorando internamente.
      Então, pra concluir, é isso que te digo. Não fique esperando que ela volte pra você, muito menos fique querendo entrar em contato com ela. Trabalhe as suas emoções, que você melhorando internamente, muito em breve vai perceber que esse rompimento amoroso foi uma verdadeira ESCOLA no seu processo de amadurecimento.
      Nada de ficar achando que ela vai voltar, porque é quase certo de não voltar. E por um motivo muito simples, porque você estará diferente. Você estando diferente, ela nem conseguirá te reconhecer e todo esse encantamento que hoje você tem por ela vai arrefecer, porque você verá a garota real que você se relacionou, e não uma garota idealizada.

      Não é fácil lidar com um término de um relacionamento intenso. A dor da perda demora a passar, e a única maneira de ela cessar totalmente é pelo autoconhecimento. Não existe outra maneira!
      Grande abraço e fique a vontade para ler outros textos do blog. Tem um montão, no total são mais de 1000 textos!

      • Muito obrigado pela paciência em ler tudo que escrevi, e pela resposta, vou seguir todos os concelhos,procurar me preocupar mais comigo e deixar ela ser feliz,mesmo que eu não espere por ela, se um dia ela voltar estarei de portas abertas,vou procurar conhecer novas pessoas com certeza,vai ver só falta uma pessoa especial pra eu dar todo amor que tenho e vou procurar por esse livro que você citou.. só mais uma pergunta, você disse que tanto eu quanto ela estamos carentes, mas ela está namorando a quase 3 meses já, será que ela sente minha falta? será que ainda tem um sentimento bom por mim por trás das mágoas? ela nunca disse nada a respeito,mas uma amiga em comum de nós dois disse que conseguiu enxergar isso quando estávamos lado a lado

  8. Bem Mateus! Sobre ela ainda ter algum sentimento bom para contigo é provável que sim, mas você não pode fazer disso uma esperança para que vocês reatem um namoro. São coisas bem distintas!
    O amor nos relacionamentos é como uma espécie de massinha de modelar sabe? Quando os dois de fato estão dispostos a compartilharem a vida juntos e crescerem como pessoas, elas vão se ajustando e melhorando nos pontos que precisam de ajuste.
    Se for de ela voltar pra você, naturalmente a vida vai se encarregar de facilitar as coisas. Mas veja! Não pode haver nenhuma forçação de barra, porque isso só vai causar mais estragos.
    Sobre ela estar namorando a três meses, isso também não quer dizer muita coisa. Tem gente que passa 60 anos casados e nem conhece nada da vida da outra pessoa!
    Vá vivendo sua vida normalmente, tendo novas experiências e conhecendo outras pessoas. E quando digo conhecer é fazer amizade primeiro. Particularmente sou contra quem sai por aí querendo “pegar geral”. Os caras que fazem isso são os mais inseguros internamente sabia disso?
    Tenha paciência! Esteja aberto a conhecer muitas pessoas e fazer grandes amizades. Quase sempre os maiores romances surgem de amizades que geraram admiração e posteriormente o encantamento amoroso.
    Tudo de bom na sua vida meu amigo! Torço pela sua felicidade!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s