O aperfeiçoar do pensamento

Por Isaias Costa

Albert Einstein uma vez disse a seguinte frase: “Os problemas importantes não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento em que eles foram criados”. O que ele quis dizer com isso? Que mensagem ele quis deixar às pessoas? Ele era um homem genial e ao mesmo tempo muito sábio. Ele sabia que os grandes problemas precisavam de um amadurecimento da mente para serem resolvidos.

Por exemplo, você está estudando Física, está começando a estudar as leis de Newton. De repente você se depara com um problema e vê quatro blocos interligados, umas três ou quatro cordas de ligação, polias fixas, polias móveis, solo com atrito, superfícies dos blocos com atrito, e se pede para calcular as acelerações dos blocos. O mínimo que vai acontecer com você nesse momento é um belo “Ãhhn? O quê? Como assim?”. Se você está no início do estudo não está preparado para resolver esse tipo de problema, é um problema de nível avançado. Para os estudos, a melhor forma de aprender é seguir de uma forma lenta e gradual, dificultando um pouquinho a cada passo. Dessa forma em pouco tempo a mesma pessoa que antes ficava “viajando” no estudo da Física, vai conseguir resolver todos os problemas, porque o conteúdo vai estar alicerçado no cérebro.

O mesmo acontece no estudo de línguas estrangeiras. Se você está começando a estudar inglês, por exemplo, tem que começar pelo básico do básico, ver palavras simples, como se fosse uma criança aprendendo a falar. Se você lê umas poucas palavras e logo em seguida vai assistir a um filme sem legenda, o que vai acontecer? Você vai pensar que inglês é a coisa mais difícil do mundo. Mas não, você acha difícil porque foi direto para o nível avançado. Se você for aprender direitinho, passo a passo, com conversações e aprendendo palavras novas a cada dia, repetindo, ouvindo, escrevendo, falando. Com certeza você vai aprender e o conteúdo da língua vai ficar arquivado no seu HD. Você vai falar a língua fluentemente.

Os músicos. Nenhum músico se torna profissional sem passar por um processo árduo de estudo e aperfeiçoamento. Se você está aprendendo a tocar violão, não vai começar tocando uma música do Caetano Veloso. Se você fizer isso, vai achar violão um “bicho de sete cabeças”, e não é, só precisa começar pelo básico e ir avançando de nível pouco a pouco. O mesmo vale para todos os outros instrumentos. Você não vai começar a aprender violino tocando uma sinfonia de Beethoven ou Tchaikovsky? Dessa forma você vai desistir do instrumento na primeira semana de estudo.

O nosso cérebro possui o que se chama de NEUROPLASTICIDADE. O que isso quer dizer? É a relação dos neurônios com o a assimilação de informações. Com o processo de aprendizado lento e gradual, as conexões neuronais vão ficando mais fortes, mais complexas e aperfeiçoadas. É como se o cérebro fosse uma esponja ou um HD que aumenta de tamanho com o tempo. A nossa capacidade cerebral é muito maior do que imaginamos. Nunca o cérebro estará velho demais ou desgastado demais para aprender coisas novas. Portanto, vamos fazer o cérebro trabalhar da melhor forma possível, buscando aprender conteúdos de uma forma lenta e gradual.

* Para ouvir a leitura desse texto basta clicar [aqui]

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s